Gregoíte. Jogo do Grego. Pepitas de Ouro Encontradas Somente No Grego


Samuel Gipp








Pergunta 47 – Que dizer sobre as "pepitas" encontradas somente no Grego?

Resposta – Por que procurar "pepitas", quando se tem a mina inteira? 

Explanação –

A maioria das "pepitas" que os pregadores encontram no Grego existem apenas na fantasia de suas mentes. 

Primeiro, toda pessoa que crê que a Bíblia é a perfeita Palavra de Deus não acredita que ela possa ser melhorada por... até mesmo por eles. A maioria dos homens que descobrem as "pepitas" estão cheios de uma humildade orgulhosa através da qual eles acreditam que Deus vai mostrar-lhes algo no Grego, que ninguém antes havia encontrado. Então eles impressionam "humildemente" os seus confrades pregadores com uma monumental "citação" da língua original.

Sem levar em conta o que falam no púlpito, realmente a Bíblia é perfeita como está, em Inglês OU Grego. Desse modo, eles nunca lêem a Bíblia ansiando que o Espírito Santo os ajude a entendê-la. Em vez disso, "oram" para que Ele lhes mostre um jeito melhor de traduzir alguma palavra grega.

Visto como o Espírito Santo nunca o faz, eles geralmente recorrem ao "Jogo do Grego". Este jogo pode ser jogado por QUALQUER UM. Mesmo que não tenham sido treinados na língua grega. Esclarecendo, tudo de que o pseudo-erudito precisa é se apropriar de sua " Young's Concordance". Nas últimas páginas desse livro encontra-se uma lista das palavras gregas e hebraicas usadas na Bíblia. Sob cada palavra dada está uma lista de maneiras diferentes daquela em que essa palavra foi traduzida na Bíblia King James. Tudo que o crítico ansioso precisa fazer é intercalar as palavras usadas no Inglês. Por exemplo, tome a palavra grega "haplotes". Ela foi traduzida de cinco maneiras diferentes na Versão Autorizada:

1. beneficência – 2 Coríntios 9:11 

2. liberalidade – 2 Coríntios 9:13

3. generosidade – 2 Coríntios 8:2

4. simplicidade – 2 Coríntios 1:12 

5. sinceridade – Efésios 6:5; Colossenses 3:22



Agora, para que o nosso zeloso erudito humildemente apresente seu maciço intelecto, ele precisa encontrar um verso onde "haplotes" seja traduzido, digamos, por "sinceridade" no item 5, exatamente como em Efésios 6:5: "Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na SINCERIDADE de vosso coração, como a Cristo". 

Então, em sua pregação, quando consegue ofuscar sua "vítima" pré-fabricada, ele faz alguma declaração CRÍTICA aos tradutores da Versão King James por terem escolhido uma tradução tão pobre. Em seguida ele escolhe uma das demais palavras em que "haplotes" tenha sido traduzida, digamos da maneira dos itens # 3 ou #4, e leva 10/15 minutos expondo as virtudes de sua escolha, enquanto vai sempre apontando com tristeza para a pobre escolha dos tradutores da Versão Autorizada. Sem dúvida, mais tarde quando lê um verso como Romanos 12:8 que diz " Ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com LIBERALIDADE; o que preside com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria", onde sua palavra de estimação é traduzida como liberalidade, ou no item 4, ele reverterá o processo e exporá a virtude da escolha 5 (sinceridade). Todo o tempo, lamentando, novamente, a escolha pobre dos tradutores de Deus.

Seu auditório, não estando a par da facilidade que envolve esta ação, fica deslumbrado com a sua inteligência e tremendo domínio da língua grega. Eles se sentem muito afortunados por ter um homem desse calibre, que lhes aponta os erros de sua Bíblia. E sem dúvida ficam inteiramente convencidos por esta charada ao ponto de, pobres peões como são, jamais poderem entender corretamente a Bíblia como o seu exaltado mestre, porque lhes falta a "ferramenta" do grego que ele possui.

Esta ilustração NÃO é uma simples declaração. Eu o experimentei em primeira mão.

Certa vez, enquanto ouvia um convencido erudito bíblico pregar, maravilhei-me com a facilidade com que ele dopava o seu auditório. Ele estava lendo o capítulo 8 de Romanos. Depois de ler um verso particular, ele parou numa palavra particular e declarou: "agora, os tradutores da King James traduziram indevidamente a palavra grega aqui usada". Em seguida ele gastou 10 a 15 minutos expondo os méritos de sua escolha de tradução. O auditório ficou fortemente impressionado com o domínio daquele homem sobre a "língua original". De outra vez ouvi um garoto de 14 anos fazer o mesmo em um "teste de pregação", o que mostra que QUALQUER PESSOA pode fazê-lo.

Exatamente no dia seguinte eu estava ouvindo outro pregador no rádio. Por coincidência este zelote estava pregando também sobre o capítulo 8 de Romanos. Ele TAMBÉM leu o mesmo verso. TAMBÉM parou na mesma exata palavra em que o perito da noite anterior havia parado. Então declarou: "infelizmente, os tradutores da Bíblia King James não traduziram corretamente a palavra grega aqui usada".

Preparei-me, então, para a repetição da noite anterior. Mas isso não aconteceu. Pois ESTE erudito especial mostrou que a palavra em questão deveria ter sido traduzida de modo inteiramente diferente (escolheu o item 1 versus item 4).

Então ele, como o assassino da noite anterior, começou a expor as virtudes de SUA escolha sobre a dos tradutores da Versão King James, também sobre a escolha do erudito da noite anterior. Fiquei abismado! Dois homens completamente diferentes. Duas opiniões completamente diferentes! De fato, o ÚNICO ponto de concordância entre ambos era que a BÍBLIA não poderia ser CORRETA como é. Mais que depressa joguei suas estimadas opiniões no balde do lixo da educação e aceitei a escolha que Deus fez para o seu livro em 1611.

Um segundo método de encontrar "pepitas" é para alguém com uma compreensão limitada do grego fazer o mesmo acima descrito, só que a sua escolha de palavras é do Léxico Grego em vez da Concordância.

O resultado é sempre o mesmo. A congregação fica fascinada apela "profundidade" do seu estudo. Também fica convencida de que jamais poderá igualar a sua compreensão da Bíblia sem igualar a sua compreensão do "grego".

Um tremendo exemplo da falácia deste método de estudo da Bíblia está registrado no livro do Dr. David Otis Fuller intitulado: "Qual Bíblia"? Vamos citá-lo por completo:

"Uma história interessante é encontrada na biografia de Walton, do Bispo Sanderson, ilustrando a verdade do antigo provérbio popular – 'um conhecimento pequeno é coisa perigosa'. O Dr. Kilbye, excelente erudito em hebraico e professor desta língua na Universidade, também erudito em grego e escolhido como um dos tradutores, foi visitar Sanderson, na igreja num domingo, onde ouviram um jovem pregador desperdiçar grande parte do tempo destinado ao sermão, criticando várias palavras numa tradução recente. Ele mostrou cuidadosamente como uma palavra particular deveria ter sido traduzida de modo diferente. Mais tarde, naquela mesma noite o pregador e os dois versados convidados foram tomar uma refeição e o Dr. Kilbye aproveitou a oportunidade para dizer ao pregador que ele poderia ter usado o seu tempo de maneira mais proveitosa. Então o Doutor, explicou-lhe que os tradutores haviam considerado cuidadosamente as 'três razões' apresentadas pelo pregador, contudo haviam encontrado outras treze razões mais apropriadas para dar aquela que fora lamentada pelo jovem crítico". 

Um terceiro tipo de "pepita" é o que realmente não existe, exceto em declarações completamente falsas feitas pelos críticos da Bíblia.

O maior exemplo deste é encontrado na analogia das duas palavras gregas "agape" e "phileo", ambas são traduzidas como amor em João 21: 15-17: "E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, SENHOR, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, SENHOR, tu sabes que te amo. Disse-lhe: apascenta as minhas ovelhas. Disse-lhe terceira vez: Simão filho de Jonas amas- me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas- me? E disse-lhe: SENHOR, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta minhas ovelhas."

Todos nós temos ouvido esta passagem exposta por um pseudo erudito (algumas vezes com total sinceridade por ter aceito o mal ensino). A apresentação feita é que "agape" em grego fala de um amor profundo, íntimo, altruísta. Por outro lado "phileo" é apenas um tipo casual e amistoso de amor. Nosso erudito lamenta, então, quase chorando a pobreza da língua inglesa. Ele frisa que o SENHOR realmente diz: "Pedro... amas-me?" (com amor profundo, íntimo e altruísta – agape) mais do que estes"?

Pedro responde: "Sim, SENHOR tu sabes que te amo" (com um amor casual e amistoso – phileo).

Nosso crítico da Bíblia frisa que o SENHOR, não tendo recebido de Pedro a resposta desejada, pergunta novamente: "Simão, filho de Jonas, amas-me"? (agape).

Pedro, conforme é explicado, não deseja atribuir a si mesmo uma relação tão profunda e responde novamente: "Sim, SENHOR tu sabes que eu te amo" (phileo).

Nesse ponto o nosso revisor da Bíblia frisa que um Salvador entristecido atribui a Pedro uma falta de disposição e muda a escolha da palavra grega para "phileo". "Simão, filho de Jonas, amas-me? (phileo).

Essa mudança repentina supostamente choca Pedro, mostrando sua infidelidade espiritual ao SENHOR. Então, arrependido, ele declara "... tu sabes que eu te amo" (phileo).

Nosso falso professor frisa então ao seu auditório que não existe maneira alguma de atingir uma significação tão profunda usando apenas o fraco inglês. Uma vez mais o confiável "grego" nos esclarece como o inglês jamais poderia fazê-lo.

Esta apresentação surte um tremendo efeito e só tem UM defeito. As definições dadas à "agape" e "phileo" são TOTALMENTE FALSAS.

Pretendo fazer uma declaração referente à "agape" e "phileo" não embasada em preconceito ou opinião. Ela está embasada em cuidadoso e honesto estudo sobre a maneira como "agape" e "phileo" são USADOS NA BÍBLIA (nossa Autoridade Final em todas as regras de fé e PRÁTICA) pelo próprio Jesus Cristo e pelos escritores do Novo Testamento.

A declaração é a seguinte: jamais houve DIFERENÇA ALGUMA na época do Novo Testamento entre as palavras "agape" e "phileo" e AMBAS são usadas alternadamente por Jesus Cristo e pelos escritores do Novo Testamento. SEM LEVAR EM CONTA o que os gramáticos, professores e pregadores gregos possam afirmar. 

Se você recebeu do seu professor de seminário ou do seu pastor você um falso ensino sobre "agape" e "phileo" pode imediatamente (e com maior preconceito) rejeitar a minha suposição (como poderiam estar errados esses homens de Deus? Certo?)

Contudo não desejo provar que estou certo. A prova virá da parte de Jesus Cristo, Paulo, Pedro e João e de qualquer outro escritor do Novo Testamento que escolhi para a comparação. Mas, ESPERE! Eles não são minhas testemunhas definitivas. O argumento final e mais pesado deve ser avaliado por VOCÊ MESMO. 

Durante anos tenho dado um teste em conferências bíblicas nas quais falo do falso ensino de "agape" e "phileo". Uma cópia desse teste está reproduzida abaixo. SE você tem a coragem e SE é honesto com Deus e consigo mesmo, fique à vontade para recebê-la. Vamos ver: na parte nº 1 reproduzi citações do Novo Testamento feitas por Jesus Cristo usando "agape" e "phileo". SEM consultar uma gramática ou concordância grega ou qualquer outro auxílio, use as falsas regras para "agape" e "phileo" dadas pelos críticos da Bíblia Inglesa. Leia a citação. Decida se Jesus está se referindo a "agape" (amor profundo, íntimo e altruísta ou a "phileo" (amor casual e amistoso). Em seguida coloque um A para "agape" e um P para "phileo" no espaço em branco, antes da citação. A Parte dois é idêntica à parte 1 exceto em que as citações são tiradas de vários escritores do Novo Testamento . Faça o mesmo que fez na parte nº 1, colocando um A para "agape" e um P para "phileo", usando apenas a definição dos críticos para estas palavras. Nenhuma suposição. Nenhuma intuição. Use apenas as próprias regras deles.

Após ter completado o teste vá até a página de respostas no apêndice nº 1 no final deste livro.



João 21: 15-17 AGAPE e PHILEO



INSTRUÇÕES: 



1. Leia a citação bíblica.

2. Ponha um A ou P na parte em branco antes da citação para definir a sua escolha da palavra grega usada, "agape" ou "phileo".



DEFINIÇÕES:



Amor "agape": profundo, íntimo altruísta

Amor "phileo": casual, amistoso



I – Comparação: como Jesus usou "agape" e "phileo".

____1. Lucas 11:42 – O amor de Deus... 

____2. João 5:42 – O amor de Deus...

____3. Mateus 10:37 – Quem ama o pai ou a mãe...

____4. Apocalipse 3:9 – E saibam que eu te amo...

____5. Apocalipse 3:19 – A todos quantos amo...

____6. Mateus 23:6 – E amam os primeiros lugares...

____7. João 12:25 – Quem ama a sua vida...

____8. Lucas 11:43 – Que amais os primeiros assentos...

____9. João 5:20 – O Pai ama o Filho...

____10. João 16:27 – O mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes...



II – Comparação – como OUTROS ESCRITORES do Novo Testamento usaram "agape" e "phileo":

____1. 2 Timóteo 3:4 – Amigos dos deleites do que amigos de Deus...

____2. João 11:5 – Jesus amava a Marta...

____3. João 20:2 – E a outro discípulo a quem Jesus amava...

____4. 1 Coríntios 16:22 – Se alguém não ama ao SENHOR...

____5. Romanos 5:8 – Mas Deus prova o seu amor...

____6. 1 Coríntios 16:24 – O meu amor seja com todos vós...

____7. 2 Timóteo 1:7 – Espírito de temor, mas de fortaleza e de amor...

____8. Romanos 12:10 – Amai-vos cordialmente uns aos outros...

____9. 1 Tessalonicenses 3:12 – Crescei em amor uns para com os outros...

____10. Tito 2:4 – As mulheres novas a serem prudentes, a amarem seus maridos...

____11. Efésios 5:28 – Assim devem os maridos amar suas próprias mulheres... 

____12. 1 Pedro 2:17 – Amai a fraternidade...

____13. Hebreus 13:1 – Permaneça o amor fraternal...

____14. Tito 3:4 – O amor de Deus, nosso Salvador...

____15. 1 João 2: 5 – O amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado...



Se você fez o teste e foi HONESTO já viu que a VERDADE do assunto é que nem Jesus nem qualquer outro escritor do Novo Testamento reconhecem a falsa regra a nós impingida pelos críticos da Bíblia altamente privilegiados em suas mentes.

Então, vemos que esta pequena "pepita" é constituída de puro "ouropel" e jamais existiu REALMENTE, exceto na ilusória mente humana (Jeremias 17:9).

Em que você vai acreditar? Em Jesus Cristo ou em seu professor de Grego?



Samuel Gipp

Tradução de Mary Schultze .




Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-Traducoes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/)