A Imprescindibilidade das Itálicas:





Vejamos um exemplo de uso de itálicas. Tomemos o verso Efésios 2:6:

kai <2532> {E} sunhgeiren <4891> (5656) { [NOS] RESSUSCITOU JUNTAMENTE [COM ELE] ,} kai <2532> {E} sunekayisen <4776> (5656) { [NOS] FEZ ASSENTAR JUNTAMENTE [COM ELE] } en <1722> {EM} toiv <3588> {OS} epouranioiv <2032> { [LUGARES] CELESTIAIS } en <1722> {EM} cristw <5547> {CRISTO} ihsou <2424> {JESUS,}

6  And <2532> hath raised us up together <4891> (5656), and <2532> made us sit together <4776> (5656) in <1722> heavenly <2032> (King James Bible)

6  E nos  ressuscitou juntamente com Ele  e nos  fez assentar nos lugares  celestiais, em Cristo Jesus; (ACF)



Como vês, os dois “nos”, e os dois “com Ele” e o um “lugares” não existem EXPLICITAMENTE em grego. No entanto, todos os tradutores do grego, todos os que entendem grego, concordam que eles estão IMPLÍCITOS, e Almeida pensou que seria um pouco estranho ao português ler a frase sem eles, vejamos como ficaria: “E ressuscitou juntamente e fez assentar nos celestiais, em Cristo Jesus". Todas as pessoas de fala portuguesa se perguntariam “ressuscitou QUEM?” e somente de alguns segundos de raciocínio e de observação do contexto veriam que a resposta é “NOS”. Todas as pessoas de fala portuguesa se perguntariam “nos ressuscitou juntamente COM QUEM?” e somente de alguns segundos de raciocínio e de observação do contexto veriam que a resposta é “Com Ele, Jesus Cristo”.  Todas as pessoas de fala portuguesa se perguntariam “QUAIS são as coisas celestiais dentro das quais Cristo nos fez assentar?” e somente de alguns segundos de raciocínio e de observação do contexto veriam que a resposta é “LUGARES”. Então Almeida tentou conciliar tudo isto, tornando os "nos", os “com Ele” e o “lugares” explícitos, mas tendo a honestidade de deixar claríssimo para o leitor que realmente essas palavras não aparecem explicitamente no grego.
Em outras palavras: tudo que aparece em itálicas na Almeida original (e na ARC, na ACF, na King James Bible, na Reina-Valera, etc.) não está EXPLÍCITO no grego, o tradutor pensou que está implícito, e que é indispensável aparecer na tradução (senão fica gramaticalmente estranho, incompreensível por muitos). E o tradutor teve a honestidade de deixar isto bem transparente. O leitor pode discordar do tradutor e mentalmente ler o verso como se não tivesse as itálicas (eu muitas vezes faço assim).

Em contra partida, a inserção, sem uso de itálicas, de palavras em português que não estão explicitadas no grego mas parecem implicitamente entendidas naquele idioma e totalmente indispensáveis tanto à boa gramática como ao bom entendimento em português, equivale a m
ilhares (!) de versos e dezenas de milhares (!) de palavras da Bíblia terem sido adulterados, apresentando a interpretações humanas como se fossem a Palavra de Deus!... Ora, eu e todos os crentes fundamentalistas queremos distinguir entre o que é a Palavra de Deus (infalível) e o que é a interpretação do tradutor (falível)!... Não queremos desafiar Ap 22:18!
 



Hélio de Menezes Silva




Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-Traducoes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )