Resolução Batista Regular Proíbe Debate sobre Versões da Bíblia

 

 

 

EMAIL DO IRMÃO JOÃO EDUARDO, 30.09.2010:


Assunto: Como se não bastassem os "Distintivos", agora os regulares reforçam erros com "resoluções"!!!

Irmão Hélio está proibido pelo alto clero da AIBREB discutir sobre a questão das versões.

 

No meu entender está PROIBIDO INFORMAR AOS FIÉIS IRMÃOS O QUE O DIABO ESTÁ FAZENDO COM A PALAVRA DE DEUS...ADULTERANDO, SUBTRAINDO, ACRESCENTANDO, etc...

 

Proposta do pastor Almir Marcolino, CE. (seminário do Cariri)

 

"Rejeitar a tentativa de estabelecer uma única versão e evitar difamar aos que utilizam outras versões. Houve apoio e todos, unanimemente concordaram".

Fico triste porque foi dito que foi aceito "unanimemente" e tinha homens que escreveram bons artigos como pastor Emídio Viana de Rio Branco-AC presentes nessa assembleia e que conhece bem o problemas das traduções baseadas no texto crítico. Será realmente que ele se posicionou a favor de tal resolução???

 

veja o estudo de Emídio Viana: http://www.solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/ExpondoErrosNVI-Jun2000-Emidio.htm

 

 

fonte: http://www.batistasregulares.com.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=38&Itemid=12


João Eduardo





***********************************************************************************************


RESPOSTA DE HÉLIO:

A redação dessa resolução é extraordinariamente ladina, traiçoeira, enganosa: A um exame superficial, "Rejeitar a tentativa de estabelecer uma única versão" pode parecer que apenas condena uma pessoa querer impor, com violência, uma só versão, somente porque ele gosta dela, sem nenhuma razão bíblica; e "evitar difamar aos que utilizam outras versões" pode parecer que apenas condena uma pessoa querer caluniar (inventar as mais podres mentiras) e injuriar (chamar os mais indecentes palavrões e ofensivos insultos e provocações contra os que usam qualquer outra versão). SE realmente este fosse todo o objetivo e espírito dessa resolução, eu a apoiaria com entusiasmo. Por isso, todos os bons crentes, inclusive Pr. Emídio, podem ter se sentido sem alternativa, quem não concordaria com tal condenação proposta por Marcolino?
Mas para nós, que há muitos anos (no meu caso, quase duas décadas) conhecemos o contexto que envolve esse assunto entre os batistas regulares em geral, particularmente no Seminário do Cariri, o que fica claríssimo é que o que há por trás dessa resolução é a tentativa de se evitar, por todos os meios, que se chegue até às ovelhas e se alerte a elas para checarem se as bíblias (mesmo as defendidas e introduzidas pelos seus seminários e pastores) são todas igualmente boas e fiéis. Tudo é uma tentativa de, em nome de uma harmonia para toda a convenção, se amordaçar a verdade, se anular ou silenciar os que a querem ver debatida. A mesma tática dos inquisidores "se não podemos responder convincentemente, anulemos convenientemente".

A notícia é TRISTE porque, se você disser que prefere ligeiramente uma Bíblia X, mas admite TODAS as outras bíblias (pois, afinal de contas, todas as bíblias existentes têm milhares de palavras que estão em dúvida), então você será ovacionado, todos dirão "Este é o cara!". Mas, se você disser que tolera que eles pensem que a bíblia deles é imperfeita, que tem milhares de palavras que estão em dúvida, mas você crê numa Bíblia perfeita, então isto enfurece incrivelmente a todos eles, fazem-se de ofendidos, dizem que estão sendo insultados, mesmo que só tenhamos sobre a bíblia deles a mesmíssima opinião que eles mesmo têm delas: que são cheias de pontos duvidosos. Ora, por que os enfurece eu crer que há uma Bíblia perfeita, mas os alegraria se eu cresse e pregasse que TODAS as bíblias do mundo são imperfeitas em milhares de palavras?!?!?!? Ou, por que os enfurece se uma pessoa crer que a Bíblia dela é mais de 1000 vezes melhor que a deles?!?!?! Eu não me sinto ofendido se alguém disser que o Everest é mais de 1000 vezes mais alto do que o lugar onde moro (cerca de 8 m acima do nível do mar). E, se a pessoa achasse que o Everest é mais de 1.000.000.000.000.000 mais alto, que me incomodaria este exagero? Por que eu deveria exigir que se cortasse o Everest até que ficasse da mesma altura de onde eu moro? Por que eu exigiria que os outros, mesmo que não pudessem rebaixar o Everest, tivessem que concordar comigo na mentira que ele não é mais alto que meu local? Por que eu faria uma lei exigindo isso? Por que quereria eu expulsar como leproso quem não cresse assim?

A notícia também é RÍDÍCULA, porque há direitos que são inalienáveis, não podem ser abdicados. Um desses é o de se abrir os olhos e se ver que há Bíblias e há bíblias...
Mesmo que se façam 1000 proibições para não se discutir se o sol é redondo ou quadrado, isto não fará o menor sentido, será mero atestado de tolice ou sinal de propósitos ocultos...
Mesmo que se façam 1000 proibições à lei da gravidade, novamente isto não fará o menor sentido, será mero atestado de besteira ou sinal de propósitos escusos...

Finalmente, a notícia é INÓCUA, totalmente SEM NENHUM VALOR OU EFEITO, porque autoridade de associações e NADA (zero, nil, nihil, rien, niente, nothing, nichts, necas, nadica de nada) são a mesmíssima coisa para o crente bíblico, não é? Não há no Novo Testamento nenhuma referência a associação, convenção, etc., portanto essas coisas nem existem no dicionário do crente bíblico. Tudo que existe são as igrejas locais, soberanas e independentes. Só nos submetemos à nossa amada igreja local, que escolhemos porque não conhecemos nela nada em frontal desrespeito à Bíblia.

João Eduardo, não demos muita atenção a esta notícia. Não fiquemos tão tristes com ela que desanimemos de pesar; nem fiquemos tão atemorizados com ela que nos acovardemos e paremos de expor os erros e pugnar pela verdade; e não fiquemos tão irados com ela que reajamos com carnalidade e demos pretexto aos que nos odeiam e anseiam fazer muito mal contra nós.

Oremos que Deus nos conceda coragem e serenidade, e nos livre das perseguições.

Oremos que Deus mude esses corações tão endurecidos pelo orgulho intelectual.

(Sim, o problema básico é este ORGULHO INTELECTUAL.
Os fundadores dos batistas regulares (em torno de 1932) eram todos só-KJB. Só depois é que as sucessivas gerações de b. regulares foram decaindo pouco a pouco. Na década de 50, no Brasil, começaram a dar suspiros por uma bíblia diferente da KJB (que ainda fingiam usar nos USA); na década de 60 deram o maior apoio à primeira bíblia alexandrina que vingou no Brasil (a Almeida Revista e Atualizada); e, agora, o "alto clero" batista regular não tem coragem de reconhecer que fez a escolha pela bíblia errada, não tem coragem de dar plena liberdade a seus pastores e membros de igrejas para examinar e falar sobre o assunto; não tem sequer coragem de convidar líderes nacionais e internacionais das duas posições opostas (só-TR e só-TC), para sucessivos, profundos, repetidos debates, dentro de igrejas (com a presença de todas as suas ovelhas) e nas associações. Querem a todo modo amordaçar e evitar o assunto.)

A História tem mostrado que, em todos os locais e tempos, aqueles que, a todo custo, querem evitar o debate franco e sadio de posições diferentes, são os componentes do "alto clero", os quais sabem que sempre, ao longo dos séculos, os "leigos" têm mais sabedoria espiritual do que os eruditistas, portanto tais "leigos", em grande maioria, perceberiam o engano e traição do "alto clero".

Mas confio em Deus que há centenas de sinceros homens de Deus (entre os pastores e crentes maduros batistas regulares) que não estão suficientemente informados a respeito do assunto que tão ladinamente lhes foi escondido, e que tais sinceros, uma vez amorosamente instruídos, abandonarão o erro, e se humilharão, e saberão escolher a Bíblia inspirada e preservada por Deus de forma absolutamente perfeita (quanto inspiração e preservação). Tenho visto casos desses arrependimentos e firme tomada de posição ocorrerem diante dos meus olhos, e tenho sabido de muitos casos desses, por todo o Brasil.

Oremos sem desanimar. Oremos mesmo pelos que nos odeiam.

Oremos intensamente, que caiam as vendas dos olhos de muitos crentes desinformados, que nem de longe suspeitam daquilo que os vendedores das Bíblias alexandrinas [isto é, com o espírito de Alexandria e baseadas nos manuscritos de Alexandria] não lhe informam: que o Texto Crítico, deles, omite ou acrescenta ou adultera cerca de 10.000 palavras, somente se contando no Novo Testamento. Oremos pelos muitos milhares de sinceros batistas regulares que são impedidos, pelo "alto clero", de serem informados do assunto, que coisa trágica e vergonhosa.

ATOS 4:
2 Doendo-se muito de que ensinassem o povo, ...
4 Muitos, porém, dos que ouviram a palavra creram ...
17 Mas, para que não se divulgue mais entre o povo, ameacemo-los ...
19 ... Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus;
20 Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido. ...
29 Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra; "




Hélio.



 


 





Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)



(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-Traducoes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )