“The Message” - Uma paulada na moleira...


(título original “
What kind of message is The Message?
isto é, “Que tipo de mensagem trás a bíblia “A Mensagem?”)



          A nova “bíblia” americana de Eugene Peterson, conhecida como “The Message” (A Mensagem), OMITE a referência ao Santo Nome de Deus e ACRESCENTA palavras que o Senhor Jesus não disse, mudando a significação do verso. Por exemplo: Em vez de “assim na terra como no céu”, esta “bíblia” usa uma expressão da Nova Era “Tanto em cima como em baixo”. Que Deus tenha piedade desta (talvez a última) geração de autores apóstatas, os quais têm dado tantas pauladas na moleira da verdadeira fé cristã.

          Em Mateus 6:9-13 lemos: “...Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; o pão nosso de cada dia nos dá hoje; e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; e não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém” (Almeida Corrigida Fiel - ACF).

            “A Mensagem”:  
“Pai nosso que estás no céu, revela-nos quem és. Põe o mundo nos eixos; faze o melhor possível, tanto em cima como em baixo. Conserva-nos vivos com três refeições diárias. Mantém-nos perdoados contigo e perdoando os outros. Guarda-nos a salvo, de nós mesmos e do Diabo; a responsabilidade é tua.” [Viram quanta irreverência?]



A Mensagem” distorce a relação entre Deus, o Pai, e Jesus, o Filho.

Em João 10:30 lemos: “Eu e o Pai somos um” (ACF).

A Mensagem”: “Eu e o Pai somos um coração e uma mente.



Em João 14:28: “...porque meu Pai é maior do que eu” (ACF).

A Mensagem”:
“O Pai é o objetivo e propósito de minha vida”. [Viram quanta distorção da verdade?]



          Através de uma enorme ação publicitária e do entusiasmo, a “bíblia” de Eugene Peterson está inundando as livras cristãs, os lares e as igrejas, de costa a costa nos USA. Nos primeiros 04 meses de seu lançamento em meados de julho (2004), 100.000 cópias desse Novo Testamento Contemporâneo em Inglês foram impressas pela NovPress e 70.000 livros foram vendidos, alguns milhares foram doados ou distribuídos a preços reduzidos entre os líderes da juventude e a  organizações é vidas jovens, onde a leitura da maior parte dos jovens foi um deleite.

            “
A Mensagem” é tão boa que me deixa sem fôlego”, escreveu a autora popular - Madelein L’Engle (1), endossando o livro.



          Tendo em vista uma tão enorme aceitação, achamos por bem ponderar sobre o assunto com esta pergunta:



          O Que é “A Mensagem” de Engene Peterson?

         
A Mensagem” é a tradução mais ousada e provocativa do Novo Testamento que já foi lida”, escreve o Dr. Warren W. Wersbe, Diretor Geral da difusora radiofônica “Back to the Bible” (De Volta à Bíblia), ex-pastor da Moody Bible Church.


            “
A Mensagem” certamente está destinada a se tornar um clássico devocional - para não dizer uma poderosa ferramenta pastoral”, acrescenta o Pr. Jack W. Hayford.



          E o que diz o próprio Eugene Peterson?

          Em sua introdução de “A Mensagem”  ele diz:
Esta versão do Novo Testamento num idioma contemporâneo conserva a linguagem de “A Mensagem” tão nova e compreensível, na mesma linguagem em que fazemos nossas compras, conversamos com os amigos, examinamos os problemas mundiais e ensinamos boas maneiras aos nossos filhos”.



         
Parece uma boa idéia, mas o que dizer, quando os conceitos bíblicos não fazem parte de nossa conversa diária? Deveríamos, então, reescrever as Sagradas Escrituras, a fim de melhor adequá-las à superficialidade de nossas comunicações mundanas?

          Lembrem-se que estamos tratando da  santa e imutável Palavra de Deus. Adições e subtrações à mesma são estritamente proibidas, conforme Deuteronômio 4:2; 12:32; Provérbios 30:6; Gálatas 1:8-9 e Apocalipse 22:19. O Livro de Atos 17:11 nos exorta a aprender com os bereanos, “... porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim”.



         
Provavelmente Eugene Peterson iria concordar conosco. Sua própria interpretação da 2 Coríntios 4:2 lhe dá conta deste modelo eterno:

“Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade (ACF).

            “A Mensagem”:
“Não manobramos nem manipulamos por trás das cenas. E não torcemos a palavra de Deus para agradar a nós mesmos. Ao contrário, mantemos tudo que fazemos e dizemos publicamente, expondo toda a verdade, de modo que aqueles que quiserem, possam ver e julgar por si mesmos, na presença de Deus”.

          Conquanto os versos supracitados correspondam ao original grego, muitas passagens fazem exatamente o que “A Mensagem” promete não fazer: “torcer as palavras para adaptá-las às inclinações humanas”. De fato, a próxima sentença (verso 3) fracassa no teste. Esta “bíblia” não expõe toda a verdade. Pelo contrário, ela deleta as referências originais, tanto “aos que estão perecendo”  como à “glória do evangelho de Cristo, que é a imagem de Deus”!



          Não é preciso ser um erudito em Grego para reconhecer aqui as repulsivas distorções da santa Palavra de Deus. Qualquer estudioso da Bíblia, que se dê ao trabalho de conferir a “bíblia” de Peterson com o Lexicon Interlinear Grego/Inglês e tiver tempo de procurar as palavras chaves num confiável Dicionário do Novo Testamento da Bíblia, vai descobrir alarmantes subtrações, distorções e adições ao texto original. Se Peterson estiver certo, então as outras Bíblias: VA 1611 BKJ, NASV e NVI, bem como as Bíblias interlineares Grego/Inglês são todas falsas.

          Verifiquem vocês mesmos. Comparem as citações de “A Mensagem” com as correspondentes Escrituras na versão da Bíblia considerada como “Autoridade Final” [A BKJ em Inglês, a FIEL em Português]. Na maior parte das vezes usamos a NVI, não que apreciemos esta versão, nem que a usemos (pois não a usamos), mas porque, com toda a clareza, queríamos escolher uma versão modelar, que se aproximasse ao máximo do objetivo de Peterson - de uma linguagem “compreensível”. Por favor, comparem vocês mesmos as passagens abaixo da “A Mensagem” com a Bíblia que vocês usam [no meu caso, a ACF], a fim de enfatizar as diferenças, sendo que as palavras e frases da “bíblia” de Peterson devem ser sublinhadas. (Nota da Tradutora: Dedicando-me quase exclusivamente ao bom Inglês antigo e moderno, não me foi fácil executar a tradução do Inglês “contemporâneo”  de Peterson. Também uso a versão Almeida Corrigida Fiel, em vez da NVI, usada pelo autor deste artigo. - MS)



          DELETANDO palavras que implicam a espiritualidade ocultista. SUBSTITUINDO por mais finitas, influências humanas.

         
1 Timóteo 4:1 (ACF) - “MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios”.

            “
A Mensagem”: “Com o tempo, alguns irão desistir da fé e irão em busca de ilusões demoníacas, entregues por mentirosos profissionais”.
          [Não estamos lidando com ilusões. Os espíritos enganadores e as doutrinas de demônios dos tempos finais são muito mais efetivas e enganadoras às pessoas do que os mentirosos profissionais].



          DELETANDO referência ao “príncipe das potestades do ar” e a “mortos em ofensas e pecados”.

          Efésios 2:1-3 (ACF) - “E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência. Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também”.

            “A Mensagem”: “Não faz muito tempo, vocês estavam imersos naquela antiga e estagnada vida de pecados. Abandonaram o mundo, o qual não conhece a melhor maneira de viver, dizendo como vocês devem viver. Vocês encheram seus pulmões de poluída descrença, e então exalaram desobediência. Todos nós fomos isso, todos fomos o que achávamos que gostávamos de fazer, quando o estávamos fazendo, todos dentro do mesmo barco.” [Não parece a maneira exata de se comunicar com débeis mentais?].



           
MINIMIZANDO os perigos ocultistas e DELETANDO as conseqüências.

         
2 Tessalonicenses 2:9 (ACF) - “A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira...”

           
A Mensagem” - “O anarquista (3) vindo com toda obra de Satanás...Todo o seu poder e sinais e maravilhas são falsos, com trejeitos malignos da mão que brinca com a galeria daqueles que odeiam a verdade que poderia salvá-los. E por estarem assim obcecados pelo mal, Deus apaga os seus nomes e lhes dá o que desejam. Por terem se recusado a crer na verdade, são banidos para o mundo de mentiras e ilusões que escolheram.”
          [A tendência de Peterson em deletar o sobrenatural e minimizar as conseqüências do pecado me faz lembrar Romanos 1:18: “Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça (ACF).



          DELETANDO referências à natureza pecaminosa e às práticas ocultistas. MINIMIZANDO o poder de Satanás.

         
Gálatas 5:19-21: (ACF) - “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus”.


           
A Mensagem” -  “É óbvio qual o tipo de vida que se desenvolve, quando se tenta viver, o tempo inteiro, conforme se deseja. Murmurações, inimizades, promiscuidade sexual, um fétido acúmulo de lixo mental e emocional; ferventes e deleitosos desejos de agarrar ornamentos e enfeites, mágicos shows de religião, solidão paranóica, competições perigosas, desejos consumistas jamais satisfeitos, temperamento explosivo, incapacidade de amar e ser amado... feias paródias de comunidade.Eu poderia continuar...”
          (Idolatria e feitiçaria aqui correspondem, respectivamente,  a “ornamentos” e “mágicos shows de religião”. Ora, estamos lidando com forças espirituais muito mais fortes do que ilusões mágicas).



          ADICIONANDO horóscopo, como se essa ferramenta ocultista  dos tempos finais fosse semelhante ao telescópio.

         
Colossenses 2:10 (ACF) - “E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade...”

          “A Mensagem” - “Você não precisa de um telescópio nem de um microscópio, nem de um horóscopo para verificar a totalidade de Cristo e o esvaziamento do universo sem ele”.



          DELETANDO palavras como “adúlteros” e “homossexuais”, as quais qualificam pecados específicos.   ACRESCENTANDO uma referência politicamente correta ao ambiente.
          Lembrem-se da terminologia ambiental de Efésios 1:1-3, falando de “encher os pulmões de poluídas descrenças.”

          1 Coríntios 6:9-11 (ACF) – “Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas,nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus”.

            “A Mensagem” -
“Pessoas injustas que não se preocupam com Deus, não se reunirão ao seu reino. Os que usam e abusam dos outros, usam e abusam do sexo, usam e abusam da terra e de todas as coisas que nela existem, não se qualificam como cidadãos do Reino de Deus. Muitos de vocês sabem por experiência do que estou falando, pois não há muito tempo, estiveram nessa lista. Visto como foram lavados e começaram um novo estilo de vida...”.



            DELETANDO imoralidade sexual e ADICIONANDO “evita compromisso e intimidade”.

          1 Coríntios 6:18-20 (ACF): “Fugi da prostituição. Todo o pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? - (1 Coríntios. Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus”.

            “A Mensagem”:
“Existe mais no sexo do que pele sobre pele. O sexo é muito mais um mistério espiritual do que um fato físico. Conforme diz a Escritura: ‘são dois numa só carne’. Visto como desejamos nos tornar espiritualmente um  com o nosso Mestre, não devemos correr atrás do tipo de sexo que evita compromisso e intimidade, deixando-nos mais solitários do que nunca - o tipo de sexo que jamais pode atingir ‘dois em um’. No pecado sexual violamos  o sacrário de nossos próprios corpos, feitos para Deus e para o amor modelado em Deus, para nos tornarmos ‘um com o outro”’. (5)
          [Aqui se poderia concluir que “compromisso e intimidade”, tornando-se “um com o outro”, dispensa o casamento, estabelecendo margem para um sexo aceitável].



          ADICIONANDO palavras que qualificam a homossexualidade, provendo uma brecha para os homossexuais assumidos que se “amam”. DELETANDO “Deus os abandonou...”

         
Romanos 1:26-27 (ACF) - “Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro”.


            “A Mensagem” -
“Aconteceu o pior. Recusando o conhecimento de Deus, deixaram logo de saber o que é humano e até as mulheres deixaram de saber o que é ser mulher e os homens deixaram de saber o que é ser homem. Sexualmente confusos, abusaram e se corromperam entre si, mulheres co mulheres, homens com homens, tudo em luxúria, não amor. Então pagaram por isso e como pagaram - esvaziados de Deus e de amor, sem Deus e infelizes não amados”.
          [Estas estranhas palavras provêem uma brecha à permissão do homossexualismo, caso este se manifeste como uma “expressão de amor” e não de luxúria, pelo que muitos grupos gays clamam hoje em dia. Em outras palavras, o pecado está na “luxúria”, não na escolha de um parceiro do mesmo sexo. As conseqüências da desobediência (penalidade devida) parecem ser mais amplas do que ser “esvaziados de Deus e de amor”. Historicamente essas conseqüências incluem as DSTs, além da morte espiritual. Essa possibilidade “politicamente incorreta” é aqui deletada].



          TORCENDO a verdade com disposições contemporâneas.

         
Romanos 3:19-20 (ACF) - “Ora, nós sabemos que tudo o que a lei diz, aos que estão debaixo da lei o diz, para que toda a boca esteja fechada e todo o mundo seja condenável diante de Deus. Por isso nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei vem o conhecimento do pecado”.

            “A Mensagem” -
“Isso deixa ou não deixa claro que o que está escrito nestas Escrituras não é o que Deus diz sobre os outros, mas para nós, a quem, então, foram as Escrituras dirigidas em primeiro lugar. Está bastante claro, ou não, que somos todos pecadores, dentro do mesmo barco que está afundando com cada um? Nosso envolvimento com a revelação divina não nos torna retos diante de Deus. O que ele faz é nos forçar a encarar a nossa cumplicidade no pecado de cada um”.
          [Esta interpretação endossa o modelo atual da tolerância: não denunciar nem criticar pessoa alguma, mas lidar apenas com o seu próprio pecado. Ela desafia os conselhos divinos do aconselhamento, correção, restauração e contabilização, apoiando a tendência atual de compactuar com o pecado] [Nota da Tradutora: Quando se escreve contra os maus pastores e os crentes nominais, toda a classe se revolta contra nós, acusando-nos de intolerância, como se fôssemos mais do que uma bem moderna “peste e promotora de sedições”. ]



          Vamos ler Romanos 1:32 (ACF), não na “A Mensagem”, pois ela deleta este ponto importante: “Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem”.



          DELETANDO “espiritual” - a prontidão espiritual em receber os recursos divinos para o ministério. (2(6). SUBSTITUINDO por “viver criativamente”, em geral referindo-se aos recursos humanos e não aos divinos.

          Gálatas 6:1-2 (ACF) - “Irmãos, se algum homem chegar a ser surpreendido nalguma ofensa, vós, que sois espirituais, encaminhai o tal com espírito de mansidão; olhando por ti mesmo, para que não sejas também tentado.  Levai as cargas uns dos outros, e assim cumprireis a lei de Cristo”.

            “A Mensagem” - “Vivam criativamente, amigos! Se alguém cair em pecado, perdoem-no e o restaurem, evitando fazer críticas e comentários próprios. Vocês poderiam estar carecendo de perdão, antes do final deste dia”.
          (Nota da Tradutora: Se este fosse apenas um comentário à passagem supra citada, até que seria bom. Mas em se tratando de uma  versão da Bíblia, a coisa fica bem esquisita!)



          DELETANDO referências à submissão e acrescentando a igualdade conjugal.

         
1 Pedro 3:1-7 (ACF) - “Semelhantemente vós, mulheres, sede sujeitas aos vossos próprios maridos; para que também, se alguns não obedecem à palavra, pelo porte de suas mulheres sejam ganhos sem palavra; considerando a vossa vida casta, em temor. O enfeite delas não seja o exterior, no frisado dos cabelos, no uso de jóias de ouro, na compostura dos vestidos; mas o homem encoberto no coração; no incorruptível traje de um espírito manso e quieto, que é precioso diante de Deus. Porque assim se adornavam também antigamente as santas mulheres que esperavam em Deus, e estavam sujeitas aos seus próprios maridos; como Sara obedecia a Abraão, chamando-lhe senhor; da qual vós sois filhas, fazendo o bem, e não temendo nenhum espanto. Igualmente vós, maridos, coabitai com elas com entendimento, dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus co-herdeiros da graça da vida; para que não sejam impedidas as vossas orações”.

           
A Mensagem- “O mesmo serve para vocês, esposas: sejam boas esposas para os seus maridos, correspondendo às suas necessidade... O mesmo para vocês, maridos: sejam bons maridos para suas esposas. Honrem-nas e nelas se deleitem. Como mulheres, estas sofrem algumas desvantagens. Mas na nova vida da graça de Deus, vocês são iguais. Então, tratem suas esposas como iguais”.



          DELETANDO referências à imoralidade sexual, ao arrependimento, tolerando o pecado... o Deus que perscruta corações e mentes.

         
Apocalipse 2:20-22 (ACF) - “Mas tenho contra ti que toleras Jezabel, mulher que se diz profetisa, ensinar e enganar os meus servos, para que se prostituam e comam dos sacrifícios da idolatria. E dei-lhe tempo para que se arrependesse da sua prostituição; e não se arrependeu. Eis que a porei numa cama, e sobre os que adulteram com ela virá grande tribulação, se não se arrependerem das suas obras”.

            “A Mensagem” - “Mas por  que vocês permitem que essa Jezabel, que se auto-denomina profetisa, desencaminhe os meus amados servos, levando-s a renegar a cruz, numa religião da auto-indulgência? Dei-lhe a chance de mudar os seus caminhos, mas ela não tem a menor intenção de desistir de sua carreira no negócio divino. Estou a ponto de prostrá-la, junto com os seus parceiros, com os que buscam brincar na religião do sexo. Matarei o fruto de sua prostituição com os ídolos. Então, cada igreja saberá que as aparências não me impressionam



          ÊNFASES mal dirigidas a corações e mentes.

          Romanos 15:4-5 (ACF) - “Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança. Ora, o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentimento uns para com os outros, segundo Cristo Jesus”.

         
“A Mensagem” - “
Mesmo que tivesse sido escrito na Escritura, há muito tempo, podem ficar certos de que isto foi escrito para nós. Deus deseja que a combinação do seu chamado firme e caloroso e do seu conselho pessoal  na Escritura venham nos caracterizar, mantendo-nos em alerta para tudo que viermos a realizar no dia seguinte. Que o nosso Deus, calidamente pessoal, possa desenvolver a sua maturidade, de modo que vocês possam conviver com os outros, assim como Jesus tem seguido junto com todos nós. Então haverá um coro... Nossa vida cantando em harmonia, numa espantosa sintonia com Deus”. [Muita poesia e pouco ensino Bíblico. Menção nenhuma é feita aqui à perseverança e à esperança, as quais implicam triunfo em meio ao sofrimento, quando permanecemos confiantes em que Deus realiza tudo que Ele prometeu. À luz da tendência de Peterson em minimizar o lado disciplinador de Deus, sua ênfase sobre o calor e o sentimento de bondade de Deus parece distorcer a revelação do próprio Deus. Notem que “segundo Cristo Jesus” foi substituído por “Jesus tem seguido com todos nós”.



          SUBSTITUINDO reconciliação (uma obra espiritual baseada na cruz) por “amigo”.
          ACRESCENTANDO “anular suas diferenças”. Estaria ele promovendo uma forma de PC de unidade?

          2 Coríntios 5:20 (ACF) - “De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus”.


            “A Mensagem” -
“Somos os representantes de Cristo. Deus nos usa para persuadirmos homens e mulheres a neutralizar as suas diferenças  e entrar na obra de Deus para fazer as coisas certas entre eles. Agora falamos pelo próprio Cristo: tornem-se amigos de Deus. Ele é nosso amigo!”



          ADICIONANDO  uma promessa que não se encontra no original grego.

            Romanos 8:35-37 (ACF) - “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada?  Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou”.

          “A Mensagem” -
“Vocês pensam que alguém vai causar uma separação entre nós e o amor de Deus por nós? De modo algum. Nem preocupações, nem tempos difíceis, nem ódio, nem fome, nem falta de moradia, nem ameaças espetaculares, nem traição, nem mesmo os piores pecados alistados na Escritura







      
A última passagem parece consistente com a recusa de Peterson em mencionar aqueles “piores pecados” nas várias listas do Novo Testamento, usando expressões flexíveis. Também ajuda a explicar a sua comenda do místico medieval - Julian of Norwick - cujos ensinos, muitas vezes citados pelo controverso padre católico Mathew Fox [um expoente da Nova Era nos USA], em sua obra “Criação e Espiritualidade”, incrementou o florescimento do misticismo panteísta do século XIV. Em seu artigo intitulado “Spirit Quest” (11(7), publicado na revista “Christianity Today”, na edição de 08/11/1993, Peterson escreveu: “Mente simples, fidelidade perseverante confirmam a autenticidade de nossa espiritualidade. Os ancestrais em quem buscamos encorajamento - Agostinho de Hipona, Julian of Norwick, João Calvino... Teresa D’Ávila - não desistiram. Permaneceram firmes”.

          Visto como Julian of Norwick é um modelo espiritual para esse homem que interpretou a Palavra de Deus para hoje, vamos dar uma olhada no que ele acreditava. De fato, os seus ensinos parecem ecoar em alguns dos conteúdos culturais que percorrem “A Mensagem”. Também se adaptam à pesquisa não crítica da espiritualidade experimental centrada no sentimento.

          Em seu livro “Soul Friend”, Kennet Leech descreve algumas de suas [de Julian] convicções:

          “Visto como mantinha fortemente a sua crença na proximidade com Deus, Julian tinha uma compreensão otimista do homem e do universo, uma crença de que o pecado é relativamente sem importância... Além disso, ele afirmava: ‘Deus me mostrou que o pecado não precisa causar vergonha alguma ao homem, pois até mesmo pode ser até mesmo proveitoso’. Com isso ele parece dizer que os pecados podem até ser virtudes disfarçadas, pois ‘no céu o que o pecado tipifica é transformado em motivo de glória”’. (4(8)

          “Na teologia de Julian encontramos a mais completa expressão do conceito de um Deus feminino: ‘Deus é realmente nossa Mãe, conquanto seja Pai, dizia ele. ‘Nossa preciosa Mãe Jesus nos conduz ao nascimento sobrenatural, nos alimenta e nos acaricia... morrendo por nós, dando-nos os sacramentos... O seu misticismo nos traz ternura e aconchego para a compreensão de Deus como nossa Mãe’.” (15(9)

          O mesmo artigo nos introduz a um outro modelo espiritual. Peterson escreve: “O Barão Frederick Von Hugel, um leigo católico romano, foi um dos mais respeitáveis diretores espirituais na Inglaterra, nos primeiros anos deste século”. Peterson dedica um parágrafo inteiro a esse líder, o qual é descrito pela Enciclopédia Britânica como “precursor do reavivamento realista na Filosofia e no estudo teológico do sentimentalismo religioso” (7(11).

          Com o tipo de cultura que nos rodeia, muitas igrejas hoje em dia enfatizam as sensações agradáveis e a experiência subjetiva, em lugar da fé compromissada com a verdade revelada na Palavra de Deus - o único fundamento para uma relação madura com o Senhor.

          “Intimidade - Desejamos experimentar o amor humano, confiar e gozar. Transcendência - Desejamos experimentar o amor divino, confiar e gozar. Temos fome da significação divina, de alguém que nos abençoe.

          “Assim a espiritualidade, uma fusão de intimidade e transcendência, ao chegar a noite, torna-se a paixão de milhões de norte-americanos. É motivo de alegria no coração que o nosso continente esteja experimentando uma devolução do desejo de abraçar a intimidade e corresponder à transcendência”. (An Intruduction to Christian Mysticism”, palestras dadas por Kenneth Leech, na Abadia do Getsemani, MS (1961), citado no livro “Soul Friend”, Harper, San Francisco, 1992).

          Peterson aponta corretamente a necessidade de discriminar “entre o verdadeiro e o falso”, “pois as pessoas correm atrás de culturas exóticas e de grupos esotéricos em busca da totalidade”  (19(13). Mas o que ele quer dizer quando afirma que os seus leitores “devem adquirir uma imaginação bíblica, entrando no vasto mundo da Bíblia e obtendo um sentimento territorial e um instinto pela realidade”? Com qual parte a sua imaginação joga, na construção de sua “bíblia” - “The Message”?

          Os inspirados autores da santa Palavra de Deus documentaram fatos e observações. Eles foram dirigidos pelo Espírito Santo e não pela imaginação pessoal. Deus foi o seu Criador, não o homem. Ninguém poderia saber disso melhor do que J. I. Packer, o amado autor de “Konowing God” (O Conhecimento de Deus). Contudo, ao endossar “A Mensagem”, Packer usa termos questionáveis - palavras popularizadas pela exigência da Nova Era, pela posse de energias pessoais não bíblicas. Packer escreve: “Neste mundo apinhado de versões bíblicas, Eugene Peterson mistura uma acurada erudição e com um vívido idioma, tornando esta entrega tão distinta como especial. ‘The Message’ capta o fluido lógico, energia pessoal e sobre-tons imaginativos do original, muito bem, de verdade!”  O que Packer quis dizer? Será que a Bíblia realmente tem sobre-tons imaginários? A introdução de Peterson do Apocalipse dá essa impressão. [Nota da Tradutora: Packer é um dos muitos escritores evangélicos que aderiram ao Ecumenismo, portanto ele se corrompeu, pois o Catolicismo e a Nova Era andam de mãos dadas em matéria de ocultismo].

          Peterson identifica João como um pastor em Patmos, o qual “está proeminentemente preocupado com adoração”. Ele não compartilha as visões dadas por Deus sobre os eventos finais. Esse pastor do século 1 é também “um poeta, amigo de metáforas e símbolos, imagens e alusões”, que desafiam “a nossa inteligência e imaginação”.  

          Os fatos históricos e a verdade absoluta tornam a Bíblia única entre todos os documentos religiosos. Por outro lado, os mitos pagãos saltam da imaginação, dos sentimentos pessoais e das experiências místicas. [Nota da Tradutora: O Neopentecostalismo e a Nova Era são movidos pelas experiências e sensações “espirituais”, que nada têm a ver com a legítima fé dos que “não viram e crêem”. Essa bíblia vai ser muito apreciada pelos crentes sentimentalistas.]

          Tudo indica que o autor de “A Mensagem” está em busca de experiências místicas, pois ele escreve: “Estamos em busca, antes de tudo,  daquilo para o que viemos: intimidade e transcendência, amigos pessoais, um Deus pessoal, amor e adoração”. (10(14).

          Parece um paradoxo que alguém que deseja uma intimidade com Deus possa minimizar ou ignorar os principais obstáculos a essa intimidade: nossa natureza pecaminosa, nossos pecados específicos e nossa falta de submissão e obediência ao Senhor. Será que uma resposta a esse paradoxo repousa na estranha espiritualidade que ele propõe em seu artigo?

            Verifico que a intenção de Peterson foi “recapturar a tonalidade” e a sofisticação da língua grega.  Quer tenha ele conseguido ou não isso (pessoalmente creio que a sua linguagem não reflete o coração de Jesus nem a devoção dos seus seguidores, numa sagrada soberania de Deus e da integridade de Sua Palavra) esse nobre objetivo jamais poderia ser uma desculpa para “silenciar” (11(15) a Escritura, tentando adequá-la às tendências da nossa cultura decadente.  O fato dos termos bíblicos essenciais fazerem parte de nossa conversa diária não nos dá licença  para amaciarmos a mensagem de Deus. Não seria melhor que usássemos os termos da Escritura para elevar o nível de nossa linguagem, refletindo a eterna perspectiva da verdade por Deus revelada? Encontramos essa exortação em Deuteronômio 6:4-7 e na 2 Timóteo 3:16. Quando simplificamos a Palavra, tentando remover os seus mistérios, controvérsias e exortações surgem, diminuindo a grandeza do Senhor e mal informando os crentes. [Nota da Tradutora: Quando o homem  tenta rebaixar a Palavra de Deus ao nível do homem pecador, como tem acontecido nas versões populares da Bíblia, ele está minimizando a soberania divina da Palavra e transformando Deus num servo dos seus objetivos. E em vez de atrair a juventude para Deus, ele está afastando-a cada vez mais dos elevados princípios divinos revelados na Palavra Santa].

          Alguns diriam: “Quem é você para questionar a sabedoria e a erudição de respeitáveis líderes eclesiásticos?” [Se essa pergunta fosse feita ao Senhor Jesus Cristo, Ele responderia: “Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que escondeste estas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste às criancinhas; assim é, ó Pai, porque assim te aprouve” (Lucas 10:21)]. O triste fato é que pastores e líderes, através de toda a história,  têm-se desviado da verdade. Somos convidados a “examinar as Escrituras”, conforme fizeram os bereanos e os efésios (12(16). Nossa habilidade para exercitar esse tipo de discernimento provém do Espírito Santo, segundo nos ensina 2 Coríntios 3:5: “Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus..”  É triste constatar que Peterson deletou essa maravilhosa promessa da suficiência divina para cada tarefa que Ele nos confere...

          “Mas a maior parte de A Mensagem não é exata?” alguns vão indagar. Provavelmente e isso acontece a com a Bíblia (Novo Mundo) dos TJs. Contudo, esta faz a distorção de apenas algumas passagens chaves, refletindo uma mensagem totalmente diferente.

          Quando se muda um til ou um jota (a menor letra) na Palavra  de Deus, a integridade do seu todo pode ser perdida. [Nota da Tradutora: Como diz o Dr. Peter Ruckman, erudito americano batista, mesmo que haja apenas 2% de erro disfarçado em 98% de verdade, isso seria o mesmo que colocar 20% de veneno numa solução com 98% de água pura, sendo o bastante para liquidar a pessoa que tomasse essa mistura. E as novas versões da Bíblia têm muito mais de 2% de “veneno”].

          Se “A Mensagem” for aceita como verdade bíblica, três distorções do ensino do Novo Testamento poderão se espalhar e permear as igrejas do Senhor, adaptando a verdade ao consumo popular e a falsa unidade.

          1. - Visto como “Deus é Amor”, Ele não seria tão cruel a ponto de fazer alguém sofrer, perecer ou queimar no inferno. Então, não se mencionam as conseqüências bíblicas do pecado.

          2. - Visto como Deus perdoa, não se preocupe tanto com os pecados específicos, tais como o homossexualismo e o adultério. Jesus jamais desejaria prejudicar alguém.

          3. - Visto como Deus é tolerante, não fique corrigindo os outros. Seja tolerante com todo mundo, exceto com os que criticam [Isto é, seja intolerante com os intolerantes, pois esta é uma atitude politicamente correta...]

          As conseqüências de torcer a Santa Palavra de Deus são devastadoras. (13/17). Através da história, sempre que o povo de Deus seguiu os ensinos distorcidos e ignoraram a genuína verdade, ele se comprometeu com a cultura popular e voltou à espiritualidade centrada na terra. Isso está acontecendo ao nosso redor, nos dias atuais. [Nota da Tradutora: Autores religiosos como Mathew Fox e outros simpatizantes da Nova Era pregam abertamente a volta às religiões primitivas embasadas no culto à Deusa Gaia]. O paganismo mascarado dos tempos finais, quer seja babilônico, cananita, romano ou americano nativo  (todos esses sistemas de crenças politeístas, panteístas ou monistas), tem zombado de Deus, estabelecendo conexões letais entre os tolos que o buscam e os espíritos demoníacos. Hoje em dia, as máscaras mais sedutoras devem ter uma semelhança alarmante com o Cristianismo. A história documenta os resultados, tantos pessoais como culturais: uma trágica mistura de pragas, secas, fome, guerras e pestes. (Podemos documentar isso na obra “Under the Spell of Mother Earth”).

          O humanismo sempre foi um passo intermediário, nesse sentido. conforme o Salmo 12:4: “Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; são nossos os lábios; quem é SENHOR sobre nós?”. Ele continua sendo uma ferramenta efetiva, para abandonar Deus, até que a fome espiritual leve as pessoas a todos os tipos de alternativas pagãs centradas na Terra. Em Romanos 1 lemos esse letal estilo de vida, o qual vai prevalecer no final dos tempos. [Nota da Tradutora: Seria tão fácil salvar o mundo da sede espiritual... se ele quisesse ser salvo! Bastaria que ele bebesse da água da vida - através do Senhor Jesus Cristo!]

          Os sinais de compromisso estão se multiplicando, até mesmo nas igrejas do Senhor. Inúmeras congregações têm cambiado a verdade pelo mito, e Deus Pai pela Mãe Terra. Nos currículos da Escola Dominical os professores já ensinam o shamanismo nativo americano, igualando o Deus Criador com o “Grande Espírito”. Pastores gays ensinam condutas espirituais e filhos de pastores ensinam “verdades” bíblicas através de pantomimas cômicas, zombando do Senhor.

          Do que carecemos é da VERDADE - da VERDADE completa e de nada mais! Mesmo assim, Peterson, querendo usar palavras como “consagração”, recusa-se a usar a palavra “santificação”, deletando “Santificado seja o teu nome” na Oração do Senhor. Como podemos clamar contra o pecado e a apostasia, quando Santidade de Deus é escondida e Sua Palavra?

          À medida em que encaramos uma explosão de falsos ensinos e de subtítulos espirituais, tanto nas igrejas como ao nosso redor, precisamos ser mordomos fiéis. É tempo de despertar todo o povo de Deus para que ele teste, guarde e obedeça a verdade que o nosso Rei e Senhor Jesus Cristo nos confiou.

          Portanto, “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade... E “CONJURO-TE, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério (2 Timóteo 2:15 e 4:1-5).

          Para uma olhada mais aproximada sobre a rejeição americana da verdade e a crescente fascinação por todos os tipos de mitos - desde as distorções sedutoras da Bíblia até as religiões centradas na terra -  leiam a obra “A Twist of Faith” (Uma Distorção da Fé).




Site: http://www.crossroad.to/Bible_studies/Message.html

Tradução e comentários de Mary Schultze, maio 2005. (
frauschultze@uol.com.br)




 



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-Traducoes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )