Tradução, tradutores por equivalência dinâmica da NVI Nova Versão Internacional, NIV New International Version, são traidores, adulteram sem base textual, apeguemo-nos à equivalência formal da Bíblia Almeida Corrigida Fiel ACF



Tradutores traidores?
(na NVI / NIV?)

Albert Johnson (Pastor da IBR Boas Novas, Missão Velha, Barbalha, CE)
Euclides Vilar de Azevedo
Hélio de Menezes Silva

Out/2000;            visite http://solascriptura-tt.org





Este artigo somente se ocupará dos casos onde, mesmo todos os textos nas línguas originais concordando, há inaceitáveis distorções em algumas "bíblias" que surgiram nestes últimos dias da Igreja. Revisaremos quais são as diferentes escolas ou métodos de tradução das Escrituras Sagradas, e apresentaremos exemplos que demonstram a total inaceitabilidade das traduções feitas não por equivalência formal-literal.




1. As 4 principais filosofias de tradução : Relembremos o que são, através dos seus usos em 1Cor 7:1 [1].


Grego (com números de Strong e com análise sintática, na convenção  dos gramáticos dos USA):

Português (tradução super-literal, refletindo nuances das formas gramaticais [tempos e modos dos verbos, gêneros, etc.]):

peri 4012 {PREP}

2concernente-a 

de 1161 {CONJ}

1mas   

hôn 3739 {R-GPN}

as [ coisas ]   

egrapsate 1125 5656 {V-AAI-2P}

que-escrevestes-[completamente, em- instante- inespecificado]

moi 3427 {P-1DS}

a-mim,  

kalon 2570 {A-NSN}

[ é ] bom    

anthrôpô 444 {N-DSM}

para-um-homem      

gunaichos 1135 {N-GSF}

uma-mulher

3361 {PRT-N}

não    

haptesthai 680 5733 {V-PMN} {verbo deponente};

estar-tocando-[persistentemente];

      

Note: esta tradução é fidelíssima, mas não soa aceitavelmente natural, fácil e entendível aos ouvidos do leitor.


1.1. Tradução por equivalência formal-literal  (O texto grego é traduzido de modo que, começando a soar razoavelmente natural, seja tão 1 palavra por 1 palavra, tão fiel e literal, quanto possível; palavras não explícitas no grego, mas que todos os seus peritos concordem estar implícitas pelas regras da linguagem, são traduzidas em itálicas):

Almeida C.Fiel:  "Ora, quanto às coisas que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;"

A.R.Corrigida: "Ora, quanto às coisas, que me escrevestes, bom seria que o homem não tocasse em mulher;"

A.R.Atualizada: "Quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque mulher;"

Notas: (a) A ordem das palavras foi alterada o mínimo indispensável para fazer o português correto e bem entendível. (b) Os vocabulário e sintaxe (gênero, número, grau, pessoa, caso, voz, concordância, etc.) do original foram mantidos (embora tivessem que ser feitas algumas adaptações, mínimas e padronizadas, em alguns tempo e modo de verbos que não têm equivalentes perfeitos e em 1 só palavra, em português). (c) Cada palavra foi traduzida. (d) As únicas palavras adicionadas foram "coisas", "seria" (ou "é") e "em" (fielmente, as Almeida's Fiel e Corrigida as indicaram por itálicas). Ninguém discorda que todas as "adições" da tradução são obrigatórias e fiéis, estão implícitas no texto grego.


1.2. Tradução expandida (tenta revelar as nuances do original):

Amplified Bible: "... É bom - (e com isto eu quero dizer) vantajoso, expediente, proveitoso e moralmente sadio - para um homem não tocar uma mulher (NÃO COABITAR com ela), mas PERMANECER SOLTEIRO."

Notas: Vale o oposto do que dissemos (notas a, b, c, d) sobre o método formal-literal! Que diferença das palavras gregas! E como a leitura ficou desnecessariamente anti natural.


1.3. Tradução por equivalência dinâmica (“poderosa e sempre sendo mudada”) (tenta expressar o “significado” da sentença original, sem se prender muito às palavras, mas sim ao que o tradutor-traídor quer ensinar que foi o “pensamento de Deus”):

NVI: "Quanto aos assuntos sobre os quais vocês me escreveram, é bom que o homem não toque em mulher,". (O problema está no rodapé: ... "é bom que o homem se abstenha de TER RELAÇÕES SEXUAIS com qualquer mulher,")

NIV: "Agora vamos aos assuntos a respeito dos quais vocês escreveram: É bom para um homem não CASAR,"   (Rodapé: ... "é bom para um homem não TER RELAÇÕES SEXUAIS com uma mulher,")

Notas: Vale o oposto do que dissemos (notas a, b, c, d) sobre o enfoque formal-literal. Que diferença das palavras gregas!


1.4. Paráfrase (tenta pôr a sentença em outras palavras, de modo a fazê-la “tão simplória quanto possível”, “melhoremos Deus, hoje ele deveria argumentar de melhor modo ...”):

B.Viva ("O Mais Importante é o Amor"): "Agora, quanto àquelas perguntas que vocês fizeram na última carta, minha resposta é que, se não SE CASAREM, é bom."

B.Ling.Hoje: "Agora vou tratar daquilo que vocês me escreveram. É bom que o homem não CASE."

Notas: Vale o oposto do que dissemos (notas a, b, c, d) sobre tradução formal-literal. Paráfrases são coloridas e muito coloquiais, mas as palavras e sintaxe distanciam-se extremamente das exatas palavras assopradas pelo Espírito Santo.




2. Tradução ou interpretação?

Qual das interpretações (NVI, NIV, BLHoje, BViva) é correta? Nenhuma: as "traduções interpretativas"  (a) "não casar" (NIV, BViva e BLHoje) ou "permanecer solteiro" (Amplified) contradizem a exortação para casarmos, encontrada no v. seguinte ("Mas, por causa da prostituição, cada um tenha a sua própria mulher, e cada uma tenha o seu próprio marido") e em toda a Bíblia (Gn 2.18; 1Co 7.9; 1Tm 4.3; He 13.4; etc.); e agradam às doutrinas romanistas do celibato e da sua superioridade sobre o casamento (e de que sexo, mesmo no casamento, não é perfeitamente puro!) (b) "não ter nada a ver com mulheres" (New English Bible e New American Bible), me proibiria até de dizer "alô" a mulheres! (c) "se abstenha de ter relações sexuais com qualquer mulher" (NVI-rodapé), proíbe o solteiro ter completo intercurso sexual, mas lhe permite "outros jogos sexuais"? (d) "nenhum contato físico" (Phillips), me proíbe até de apertar a mão de uma mulher? (e) qualquer destas interpretações, se obedecida, levaria à extinção da humanidade!...

Então, qual é a interpretação correta? 2Pd 3:16 ensina que as Escrituras têm pontos difíceis de entender. Mas há duas interpretações que perfeitamente respeitam o grego e se harmonizam com toda a Bíblia:  (a) "3uma 4mulher 1não 2tocar" {gunaichos mê haptesthai} pode ser tomado como um eufemismo significando o abster-se de fornicação, adultério e prostituição; (b) a passagem pode estar ensinando que é bom para um homem o abster-se de tocar uma mulher de modo a "acender" paixões nele e nela (ver v. 9) e que, se eles não podem evitá-lo, devem imediatamente casar-se ou interromper o namoro (v. 36, 37). (Ah, como estas duas interpretações têm profundas implicações para os crentes de hoje!)

Mas note como nos desviamos de tradução para interpretação! Este é o ponto central deste artigo: as "versões" não formais têm ido marcantemente além de simplesmente traduzirem o texto grego, na verdade estão nos empurrando uma interpretação do mesmo! Interpretar deve ser deixado para comentaristas e pastores-mestres (ver Ne 8:8; Ef 4:11); é terrível desonestidade traição e pecado se apresentar meras interpretações de homens como se fossem traduções, fossem as próprias palavras do próprio Deus!




3. "Cada palavra de Deus é pura"

O preocupar-se com as traduções não seria fanatismo de maníacos? Não seria morrer de fome e esgotamento, enquanto desvairadamente  procurando germens com microscópio, ao invés de saborear o maná? Bem, seria ... se as próprias Escrituras não condenassem tão gravemente a adição ou subtração de uma só das palavras do próprio Deus. Pv 30:5,6 declara e ordena: "Toda a Palavra de Deus é pura; escudo é para os que confiam nEle.    Nada acrescentes às Suas palavras, para que não te repreenda e sejas achado mentiroso." (ver também Dt 4:2; Pv 8:8,9; Jr 23:30,31, 26:2; 1Co 4:6; Ap 22:18,19). Deus inspirou palavras e exige nossa total fidelidade em traduzirmos cada uma delas, senão a pena será tremenda (Ap 22:18,19)!




4. 127 versos, pequena amostra de incontáveis traiduções [i] (nota no fim deste artigo) [2] [3] (Importante: sempre que discutirmos traduções, conserve em mente a nota de fim " i "!)

1Rs 14:24 (Na ACF, Almeida Corrigida Fiel):  "Havia também sodomitas {qâdêsh 6945} na terra; fizeram conforme a todas as abominações dos povos que o SENHOR  tinha expulsado de diante dos filhos de Israel."   NIV distorce i "sodomitas" para "prostitutos masculinos de Templo" (Ah, agora o ato sexual entre pessoas do mesmo sexo só é pecado se for em adoração, adoração idólatra, dentro de um templo pagão, e ainda mais sem amor mas sim em troca de pagamento?!... Como esta tradução contenta o movimento pró-gays!). Mesmas observações em Dt 23:17; 1Rs 15:12; 22:46; 2Rs 23:7.

Mq 5:2  (ACF): "E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre os milhares de Judá, de ti me sairá o que governará em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade." NIV traiduz i (propositada, conscientemente, ver seu rodapé!) "saídas" {môwtsâ'âh 4163} para origens", reduzindo Cristo a um ser originado, criado! "Mas você, Belém Efrata, embora seja pequena entre os clãs de Judá, de você me surgirá aquele que será governador sobre Israel, cujas origens são de antigamente, dos tempos antigos."

Mt - Ap (65 versos):   Mt 24:22; Lc 3:6; Jo 8:15; 17:2; At 2:17,26,31; Rm 1:3; 2:28; 3:20; 4:1; 6:19; 9:3,5,8; 11:14; 1Co 1:26,29; 6:16; 7:28; 10:18; 2Co 1:17; 3:3; 4:11; 7:1; 10:2,3; 11:18; Gl 2:16,20; 3:3; 4:13,14,23,29; 6:12,13; Ef 2:11,15; 5:29,30; 6:5; Fp 1:22,24; 3:4; Cl 1:22; 2:1,5; 3:22; 1Tm 3:16; Fm 1:16; He 5:7; 9:13; 10:20; 12:9; 1Pd 1:24; 3:18,21; 4:1,2,6; 1Jo 4:3; Jd 1:7,8; Ap 19:18. A NVI toma as palavras “carne” {sarx 4561} e seus derivados (“carnal”, “carnalidade”, etc.) da ACF e as omite ou adulterai para: ninguém, humanidade, padrões humanos, povos, corpo, descendente, física, limitações humanas, ela, raça, linhagem humana, filhos naturais, vida, modo mundano, ponto de vista humano, modo bem humano, pessoa, homem, esforço próprio, modo natural, exterior, por nascimento, coração, pessoalmente, fisicamente, terrenos, humanos, corporalmente, etc. (Que ódio às doutrinas, aos ensinos da Bíblia sobre a maldade da nossa carne!)

Lc 11:4 (ACF): [4]   "..., e não nos conduzas {eisenegkês 1533} em tentação, mas livra-nos do mal."   NVI traiduz i "conduzas" para "deixes cair". Isto não é traduzir, é comentar!

Jo 1:14 (ACF): "E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito {monogenous 3439} do Pai, cheio de graça e de verdade."   Tradutores da NVI, em rodapé, adulteram i para "único". Eliminam o importantíssimo "unigênito", palavra que a Bíblia (em grego e em português) só aplica à 2ª pessoa da Trindade, e que diz mais que as duas coisas separadas: A) A palavra "uni" (ou "único"), sozinha, é errada, pois o Pai tem muitos filhos (os anjos, os crentes, ...), mas só um "Filho Unigênito".   B) "Gênito" (ou "gerado"), sozinha, é errada, pois o Pai gerou a muitos, mas só tem um Filho Unigênito; ademais, "gerado" dá a impressão de criação como a dos anjos, etc., mas a 2ª pessoa da Trindade, o Verbo, é eterna, nunca foi criada: a geração e filiação se referem ao Seu corpo, que tomou na encarnação. Portanto temos que usar a palavra especial reservada só ao Filho: Unigênito! "Monogenês!" Mesmas observações em Jo 1:18 (NIV); 3:16,18; 1Jo 4:9.

1Co 6:9-10 (ACF): "Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus?    (10) Não erreis: nem os fornicários {pornoi 4205}, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados {malakoi 3120}, nem os sodomitas {arsenokoitai 783}, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus."   (A) Segundo os tradutores i da NIV, os que não herdarão o reino não são mais os "malekoi" (literalmente "panos macios"; metaforicamente "homens-macios-efeminados"), mas apenas os "prostitutos masculinos" (teria que haver pagamento para haver pecado?!...); os que não herdarão o reino não são mais os "sodomitas" mas sim os "homosexual offenders". (A1) Esta expressão em inglês é mais correta e usualmente entendível como se referindo somente  (Oh, a que ponto a depravação chegou entre os "crentes" e "bíblias" alexandrinas, modernas!) aos que são homossexuais de modo ofensivo e criminoso, tal como raptando e estuprando, com violência, como em Sodoma e Gomorra!)!!!!!... (A2) Mas Virginia Mollenkott (conhecida, militante lésbica e defensora de assassinato por aborto!), da equipe NIV e que teve talvez a maior influência individual na sua redação final, diz que a expressão também pode se referir aos que ofendem [escandalizam, perseguem, prejudicam, não aceitam bem, têm preconceitos contra] os homossexuais! (A3) Você aceita uma dessas duas abomináveis interpretações?!... (B) Em sentido mais estrito, a palavra "pornos" (fornicário) refere-se aos solteiros que têm intercurso sexual, mas o termo é mais comumente usado em sentido mais amplo, generalizando e abrangendo os praticantes de todos os pecados sexuais: quaisquer atividades sexuais entre solteiros, qualquer tipo de prostituição, homossexualismo, bestialismo, adultério[5], etc. Apesar disto, os tradutores i das NIV e NVI adulteram "fornicário" para o imponderável termo "sexualmente imorais" (ora, para muitos, moralidade é relativa, depende do contexto, é aceitável uma mulher se "compadecer" de 20 homens condenados à morte e fazer sexo gratuito com eles, "só por caridade"!). Estendemos nossas observações a Mt 5:32; 15:19; 19:9; Mc 7:21; Jo 8:41; At 15:20,29; 21:25; 1Co 5:1; 6:13,18; 7:2; 2Co 12:21; Gl 5:19; Ef 5:3; Cl 3:5; 1Ts 4:3; Ap 2:21; 9:21; 14:8; 17:2,4; 18:3; 19:2 // 1 Co 5:9,10,11; 6:9/10,18; Ef 5:5; 1Tm 1:10; He 12:16; 13:4; Ap 21:8; 22:15 // 1Co 16:15; He 11:31; Tg 2:25 // 1Co 6:18; 10:8; Jd 1:7; Ap 2:14,20; 17:2; 18:3,9.

1Tm 6:15 (ACF): "A qual a seu tempo mostrará o bem-aventurado, e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores;"  O verso 14, em todos os textos gregos, termina com "aparição de nosso Senhor Jesus Cristo", portanto é a Cristo que se refere o v. 15. Mas traidutores i da NIV, sem itálicas e sem apoio de nenhum texto grego, acrescentam a palavra "Deus" depois de "a qual"! Traidutores da NVI e NIV mudam completamente i a doxologia, fazendo-a ser para Deus e não para ser diretamente para Cristo! Será que doeu aos tradutores i das NIV e NVI adorar ao nosso Senhor Jesus Cristo, chamá-lo de "o bem-aventurado, e único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores"?!... A NIV diz: "a qual Deus mostrará no seu próprio tempo -- Deus, o bendito e único Governador, o Rei dos reis e Senhor dos senhores"!

He 1:3 (ACF): "O qual, sendo o resplendor da sua glória, e a expressão-exata da sua substância {charaktêr 5481, tês 3588, hupostaseôs  5287}, e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo {di 1223, heautou 1438} a purificação dos nossos {hêmôn 2257} pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas;"   Compare com a NIV: "O Filho é a radiância da glória de Deus e a exata representação do seu ser, sustendo todas as coisas pela sua poderosa palavra. Depois de ter provido purificação para nossos pecados, ele sentou-se à mão direita da Majestade no céu."  Os traidutores desprezam i que "charactêr" {5481} é "a expressão exata",  que "hupostasêos" {5287} é "o ser real", é "a substância ou essência real" de uma pessoa, e que, portanto, "charaktêr tês hupostaseôs" deve ser traduzido i como "a expressão exata da Sua substância", e adulteram i para "a exata representação do seu ser", que implica que Cristo é uma réplica de Deus, não co-igual, não em uma essência com o Pai e o Espírito Santo, mas só uma cópia, uma representação!




4. Conclusão:

Interpretações com título de “tradução” mas mudando palavras ou sentidos -- são inaceitáveis. Põem em pé de igualdade as palavras do “traidutor” com as de Deus, à semelhança das traiduções dos T. Jeová e dos Católicos. Rom 3:4; 2Cor 4:2. Interpretação deve ser deixada para o pregador-mestre ou comentarista.

De maneira nenhuma; sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas PALAVRAS, E venças quando fores julgado. (Romanos 3:4 ACF)

 Antes, rejeitamos as coisas que por vergonha se ocultam, não andando com astúcia nem falsificando a palavra de Deus; e assim nos recomendamos à consciência de todo o homem, na presença de Deus, pela manifestação da verdade. (2 Coríntios 4:2 ACF)

Os que aceitam apenas a inspiração dos “conceitos” como sendo de procedência divina usam todo o tipo de liberdade com as palavras porque não crêem na inspiração verbal plenária das escrituras.

No prefácio da NIV no inglês, emitido pelos tradutores, estes confessam que sua "primeira preocupação é com a precisão da tradução e sua fidelidade aos pensamentos dos escritores bíblicos." (grifos nossos).

Deus destacou a importância das palavras porque é impossível transmitir conceitos sem usar palavras e porque as palavras são dEle, não de homem algum. Rm 1:25: "pois mudaram a verdade de Deus em mentira...", uma característica da apostasia humana.



[1] Este exemplo foi recortado, condensado, modificado e adaptado de Gary F. Zeolla, "Translation Principles", encontrado no site "Darkness to Light",  página http://www.dtl.org/dtl/article/translation.htm

[2] "Traiduções" vem das primeiras letras de "TRAIdoras" e das últimas de "traDUÇÕES", e significa exatamente isto: "TRAIdoras traDUÇÕES".

[3] Quanto às NVI e NVI, já catalogamos mais de 1100 versos com terríveis traiduções. As BLH e BViva são muito piores!

[4] Lc 11:4 e Mt 6:9-13: O verbo "eispherô" {1533} só tem uma tradução: “conduzir” (que não significa que Deus nos pressiona a pecar. Veja bons dicionários de grego)

No "Pequeno Dicionário", de Aurélio, "induzir" pode significar causar, inspirar, incutir, arrastar, instigar, incitar, sugerir, persuadir, fazer cair, fazer incorrer. Ora, Deus levou Cristo para ser provado no deserto, Abraão no Monte Moriá, Deus nos conduz para sermos provados (Tg 1:2-3), mas Deus nunca nos incitou a pecar (Tg 1:13). Portanto, "nos induzas à" é má tradução, tanto quanto "nos deixes cair em" é mera interpretação.

A melhor, correta tradução, é "nos conduzas à".

[5] Note que as listas de pecados em Mt 15:19; Mc 7:21 e Gl 5:19 põem as palavras “moicheia” (3430, adultério) e “porneia” lado a lado, talvez apenas para enfatizar a primeira, mas, muito mais provavelmente, usando “porneia” em sentido restrito (atividade sexual entre solteiros), em oposição a “moicheia” (adultério).



[i] Para traduzir: (a) não basta conhecer perfeitamente as línguas originais (Hoje, ninguém as sabe como os tradutores dos primeiros séculos, quando o grego koine era língua viva e eles as aprendiam desde o berço! Nem como os tradutores da época da Reforma!): é indispensável (b) saber português perfeitamente; (c) ser salvo, fiel e consagrado a Deus; (d) ser ortodoxo e profundo de doutrina; (e) ter pleno controle do Espírito, para escolher, dentre as razoavelmente possíveis traduções formais-literais de cada palavra, aquela que não corra o menor risco de ser mal interpretada (arriscando-se a ser contra algo da Bíblia, algo da sã doutrina e ortodoxia).

Por exemplo, há pouco tempo estávamos traduzindo a frase "Satan's ubiquitous influence on the mind of modernistic translators...". De imediato pensamos em traduzir "ubiquitous" para "ubíqua", a frase ficaria "A influência ubíqua de Satanás..." Mas, por segurança, consultamos cuidadosamente dicionários e chocamo-nos ao ser relembrados de que, em inglês e em português, o primeiro sentido de "ubíquo" é "que está em toda parte ao mesmo tempo; onipresente", e que somente o segundo sentido é que é "amplamente espalhado". Haveria o risco da tradução ser entendida "A influência onipresente de Satanás...". Daí, conhecendo o autor, que ele crê na Bíblia, que esta ensina que somente Deus é onipresente, e que o autor quis dizer "largamente espalhado", adotamos a única tradução aceitável: "A influência largamente espalhada de Satanás sobre a mente dos tradutores modernistas..."

Portanto, quanto ao verso e palavra(s) agora em foco, o ponto relevante não é que algum dicionário, mesmo bom, também pareça dar alguma brecha à tradução que censuramos. Mas sim que esta propositadamente (à luz de seculares e melhores traduções) é o contrário a ser a melhor, a mais refletida, a mais segura, a que menos riscos corre de ser mal interpretada contradizendo algo da Bíblia e da sã doutrina e ortodoxia. Certamente, neste ponto, serve mais ao "pai da mentira", porque "Deus não é Deus de confusão..." 1Co 14:33.



(retorne à PÁGINA ÍNDICE de SolaScripturaTT / Bibliologia-Traducoes)