A Bíblia exige disciplina. Propósito é pureza da igreja e restauração. Atitude é amor humildade obediência. Cresce de advertência repreensão suspensão a eliminação. Arrependimento leva a perdão.



DISCIPLINA NA IGREJA

 

Hélio de M. Silva, Igreja Batista Fundamentalista, Campina Grande, PB, Jan.97.

 

 

 

I. Necessidade (Obrigação!) inescapável da igreja disciplinar: O Senhor (!) ordenou!!!  Claramente! (Versos abaixo e Rom 2:24; 1 Tes 5:14; Apo 2:2,14,15,20).

 

II. A base da disciplina: é a santidade de Deus Sal 93:5; 1 Ped 1:16.

 

III. Propósito do disciplinar:

1.    Glorificar a Cristo, sua igreja e o evangelho 1 Sam 15:22; Mat 5:16.  Por obedecer aos padrões e ordens (versos abaixo) do Senhor.

2.    Advertir o ofensor de mais e mais graves consequências 1Cor 11:30-31.

3.    Recuperar, reganhar o ofensor Mat 18:15; 1 Cor 5:5; 2 Cor 2:6-8; Gal 6:1.

4.    Combater o fermento infectante e favorecer a pureza da igreja e da sua adoração Jos 7 (Acã);1 Cor 5:6-8.

5.    Desestimular outros de pecarem Deu 13:11; 17:12-14; 1 Tim 5:20.

6.    Evitar o castigo de Deus contra a assembleia local Jos 7:1,13; Apo 2:14-15.

 

IV. Atitude de coração, ao disciplinarmos:

1.    Amor sincero (ataca o pecado em nós mesmos, nossos filhos, nossos irmãos...), gentil, compassivo (não sarcástico) 1 Cor 5:2 + 2 Cor 2:4.

2.    Não considerar o ofensor como inimigo-inferior, mas como irmão em erro Gal 6:1-3; 2 Tes 3:15.

3.    Humildade (não vingância/arrogância/tripudiar) Gal 6:1.

4.    Oração fervente (jejum?): antes da confrontação, durante, e depois (incessantemente).

 

 

V. Progressão e modos da disciplina:

·       Normalmente, 3 etapas Mat 18:15-18:

·       1a. etapa: o ofendido amorosa-sabiamentemente exorta. Privadamente!

·       2a. etapa: ídem, acompanhado de 1 ou 2 irmãos, espirituais.

·       3a. etapa: ídem, a assembleia local.

·       Mas, se a ofensa foi por líder (1 Tim 5:20), ou parece poder ser um dos 11 casos (logo abaixo) que podem levar até à imediata suspensão da comunhão da igreja local, passa-se logo à 3a. etapa.

·       A 3a. etapa consiste na igreja: ouvir todos os lados e testemunhas da questão, mantendo decência e ordem, procurando a  mente do Senhor (!), para a glória do Senhor (!); e escolher a progressão:

·       Advertir de mais e mais graves consequências e exortar (animar): 2 Tes 3:14,15; Tit 3:10,11.

·       Convencer, reprovar e repreender: 1 Tim 5:20; 2 Tim 4:2; Tit 1:9, 13, 2:15.

·       Suspender da comunhão. A Bíblia é explícita somente em 11 casos, não devemos ir além:

·       Mat 18:17 (caso 1): ofensor pessoal de irmão queixoso rebela-se contra igreja.

·       1 Cor 5:11,13: (caso2) fornicador-devasso, (3) avarento, (4) idólatra, (5) maldizente (6) beberrão, (7) roubador.  (Ou seja, tudo que tem o potencial de escandalizar até alguns Cornélios-não-salvos, que ouçam a “lei da natureza”).

·       Pro 6:16,19; Rom 16:17,18; Tit 3:10,11: (caso8)  divisicionista e  (9) ensinador de falsa doutrina.

·       1 Tim 1:19,20; 1 Tim 6:3-5; Tit 1:9; 2 João 7-11: (caso 10) rejeitador obstinado de doutrinas essenciais da fé.

·       2 Tes 3:6-14 (caso 11): (caso 11) vagabundo ou sem-regras, especialmente a pretexto de religião.

·        Suspensão da comunhão significa:

·       nenhuma comunhão-cooperação-identificação em matérias espirituais (cultos, etc.); nem em matérias sociais (exceto as indispensáveis familiares, comerciais, profissionais, legais), inclusive não comendo socialmente com ele. Mat 18:17; Rom 16:17; 1 Cor 5:11; 2 Tes 3:6,14; 1 Tim 6:3,5; Tit 3:10.

·       entregar a Satanás 1Cor 5:5; 1 Tim 1:20 (a carne pode chegar a ser destruída, pior que Jó 2:6; salvação, se houver, não).

·       Advertir para não participar da Ceia do Senhor (Mas cada um decida-se... Judas participou, (mas teve triste fim...))

·       O ofensor (até como os descrentes) pode (e deve!) ouvir as pregações 1 Cor 14:23-25.

 

VI. Perdão e Restauração:

1.    Logo que o ofensor expressar arrependimento  e evidenciá-lo pelo comportamento, o ofendido e a igreja devem expressar-lhe e evidenciar-lhe pleno perdão e plena restauração da comunhão Mat 18:34-35; Mat 6:14-15; Luc 17:3-4; 2 Cor 2:6-8,11; 2 Cor 7:10-11. (Mas, em certos casos, será melhor para o progresso do reino de Deus que o ofendido não assuma, ao menos por algum tempo, certas funções e cargos...).

2.    Pecados sobremaneira graves (como os 11 casos acima, especialmente com endurecimento-rebeldia; e por líderes?) devem ser castigados, mesmo depois do ofensor pedir e receber perdão Jos 7:20; 2 Sam 12:13-14.

 

VII. Objeções e Perguntas:

1.    “Causa divisões” - Inevitáveis para sermos fiéis Luc 12:51-53. Obedecer é melhor que ... 1 Sam 15:22.

2.    “Seria julgar irmão” - O julgamento já foi ordenado, por Deus, não obedecê-lo trar-nos-ia repreensão 1 Cor 5:1,2; Apo 2:20.

3.    “A quem confidenciaríamos quando tívessemos problemas com pecado?“ - Basicamente, disciplina é para continuação, endurecida ou rebelde,  no pecado.

4.    “O ‘contra ti’ de Mat 18:15 implica que disciplina é só pelo ofendido” - Todo pecado continuado, endurecido/rebelde, é contra Deus e sua igreja. E esta é quem disciplina Mat 18:18; Rom 16:17; 1 Cor 5; 2 Tes 3:14.

5.    “Quem pode decidir o tempo entre as etapas de Mat 18?” - O Espírito Santo, guiando os disciplinadores (o ofendido, depois ele mais outro irmão, depois toda a igreja), através de oração e sincera dependência.

6.    “Por que prosseguir até disciplina pública, quando o ofensor afasta-se da igreja?” - Este é outro pecado dele; Deus não se agrada de “concessões”, da hipocrisia de apenas varrermos sujeira para debaixo do tapete; é nosso dever para com igreja que vier a recebê-lo.

7.    “Não engulo excomungarmos irmãos por todo pecadinho; nem espreitarmo-nos policialescamente” - Disciplina é só por o continuar em pecado e dura-rebelião. Não espreitamos: amamo-nos, oramos,...

8.    “Que fazer se há dúvidas da genuinidade do arrependimento?” - Devemos julgar o comportamento, só ele, não o coração 1 Cor 13:7.

 

 

 



(retorne à PÁGINA ÍNDICE de SolaScripturaTT / EclesiologiaEBatistas)