batista e não calvinista, governo congregacional local e independente, fundamentalista separatista, liderança pelo pastor, evangelismo, ceia fechada, missões, música não do mundo, só-TR


 
 

Marcas das igrejas mais altamente recomendadas pelo irmão Cloud

(tradução de Hélio, jun.2000)



April 28, 1998 (David W. Cloud, Fundamental Baptist Information Service, 1701 Harns Rd., Oak Harbor, WA 98277) - This article is written in connection with the Way of Life Internet Directory of Independent Baptist Churches.



Compreendo que igrejas são compostas de pessoas imperfeitas e são lideradas por pastores imperfeitos, e que cada igreja do Novo TEstamento, como cada crente individual, terá seus pontos fortes e seus pontos fracos. Fui salvo há 25 anos e tenho sido membro de cinco igrejas, tenho pastoreado uma igreja por um curto tempo, tenho começado uma outra igreja, tenho pregado em centenas de igrejas em muitos países, e tenho me comunicado com milhares de membros de igrejas em várias congregações. Eu SEI que não há igreja perfeita, e que, como diz o antigo ditado, se eu algum dia chegasse a encontrar uma igreja perfeita, teria todo o cuidado para não me tornar membro dela e corrompê-la!

Isto dito, é igualmente verdadeiro que uma igreja deve ser baseada na Bíblia e cheia do Espírito e deve estar se esforçando para obedecer cada detalhe da fé-doutrina que de uma vez para sempre foi entregue aos santos (1Tm 6:13-14; Jd 3). Segue uma lista de algumas das coisas que eu pessoalmente procuro encontrar numa igreja para que possa recomendá-la (embora eu possa não exija todas essas coisas [plenamente]).

A propósito, também compreendo que uma igreja pode estar "exatamente nos trilhos" em doutrina e prática, e ainda assim estar em falta diante do Senhor (isto é, Ap 2:2-5). No entanto, nossos leitores certamente entenderão que não estamos em uma posição que nos capacite julgar os corações e os motivos interiores das igrejas em nossa lista. O melhor que podemos fazer é medir algumas das áreas chave de interesse, como se segue.

VERSÕES DA BÍBLIA.
- Se o idioma é o inglês, a igreja somente usa a Versão do Rei Tiago (King James Version). O uso da KJV não é meramente uma preferência, mas uma convicção. Os líderes estão convictos de que: o texto grego em que ela se baseia é a Palavra de Deus preservada; a KJV, como uma precisa e fiel tradução do texto preservado, é a Palavra de Deus em inglês; e as versões modernas são baseadas em corrupções do texto grego.
- Se o idioma não é o inglês, a igreja usa uma fiel e sadia tradução baseada no Texto Recebido, se é que há uma disponível naquela linguagem; senão, a igreja está fazendo tudo ao seu alcance para ter uma tal tradução produzida.

DOUTRINA: - Batista, não [hiper] calvinista (*) (não seguindo a teologia TULIP [os seus cinco pontos]); apesar de termos muitos amigos [hiper-]calvinistas [de 5 pontos, levados ao extremo] e louvarmos ao Senhor pela fé deles em Deus, não podemos, em perfeita consciência, recomendar suas igrejas, porque não temos o desejo de ver as pessoas serem treinadas em uma teologia que cremos ser não bíblica).

POLÍTICA:
- Não afiliada com uma estrutura denominacional. Não há nenhum padrão no Novo Testamento de organização de uniões ou associações entre igrejas, e não cremos que homens tenham autoridade bíblica para formar tais associações ou participar delas.
- Não aceita pedo-batismo (batismo de crianças) nem outras formas não escriturais de batismo.
- Pratica comunhão fechada com pão sem fermento e vinho não alcoólico.

LIDERANÇA:
- A igreja é dirigida pelo pastor e não pelo corpo de diáconos ou de administradores.
- Os pastores [e diáconos e líderes em geral] são qualificados segundo 1Tm 3 e Tt 1 (família exemplar, nenhum divórcio, financeiramente responsável, bom testemunho na comunidade, etc.).

EVANGELISMO:
- Zelosa visão para salvar almas.
- Esforços em andamento para alcançar cada aspecto da comunidade com o evangelho.
- Nenhum oracionismo-fácil ["repetiu comigo? tá salvo!"] ou creísmo-fácil ["não falei em se arrepender nem em mudar de vida a seguir, basta crer uma crença que não implique aquilo"]. Estas [aberrações] se caracterizam por: fazer tudo para obter grandes números de "decisões externas" sem nenhuma preocupação com se há ou não há evidência de arrependimento; contar meras "decisões" como salvações; e falhar em pregar e requerer arrependimento.

MÚSICA:
- [A igreja não deve ter] nenhuma Música Cristã Contemporânea; nenhuma fita comercializada e com algum ritmo pesado ou produzida por ecumênicos, carismáticos e pela "galera da MCC"; nenhum "corinho" ou "louvor" produzido pelos carismáticos.
- Creio, no entanto, que música espiritual é muito mais que meramente evitar Rock Cristão e as mais grosseiras formas de MCC. Muitas igrejas que evitam MCC são tomadas por outros tipos de música que são rasas, repetitivas, freqüentemente antibíblicas, orientadas para emocionalismo, ou com  ênfase no ritmo -- tais como as músicas do tipo de Stamps-Baxter ou Southern Gospel. Eu sei que muitos homens [líderes] discordarão comigo sobre isto, mas estou convicto de que a maioria deste tipo de música é pouco mais que entretenimento carnal. Comecei meu ministério na Flórida, Tennessee, e outras partes do extremo Sul, e era muito comum ver crentes mundanos se arrebanharem para concertos de "música evangélica sulista" mas de modo algum viverem fielmente para o Senhor. Eles amavam o entretenimento provido por aquele estilo de música, mas não ligavam a mínima para santidade. Isto me ensinou mais que muitos livros, acerca da natureza de tal música.
- O programa musical da igreja é controlado por homens santificados (não cremos que é apropriado uma mulher dirigir a música) que são dirigidos pelo Espírito em cada detalhe, que tenham convições pessoais genuínas sobre a natureza da música espiritual, que entendam o perigo da música "cristã" mundana, e que sejam espiritualmente constantes e consistentes.
- Estou encontrando muitas igrejas com uma semelhança de música espiritual ainda mantida nos cultos, mas os líderes da música e/ou os músicos e cantores e os pastores usam música carnal em suas vidas pessoais. Esta é uma forma de hipocrisia e de recuo transigente que roubará o programa musical da igreja, fazendo-o perder a bênção e o poder de Deus. Uma tal prática esquizofrênica [isto é, com "dupla personalidade"] cedo ruirá e se renderá à incorporação da música carnal nos próprios cultos.
- Há uma intensa guerra sendo travada hoje pelo coração e pela alma das igrejas realmente bíblicas, e um dos mais eficientes cavalos de tróia do Diabo é a música.

ELEVADOS PADRÕES PARA TODOS QUE TRABALHAM NA IGREJA: - A Bíblia exige altos padrões para todos que têm algum ministério na igreja [especialmente para o pastor, os diáconos, os professores, e todos os que têm algum ofício ou responsabilidade, principalmente de liderança] (1 Tim. 3:8-13; 1 Cor. 4:2; 2 Cor. 8:18-21; Efe. 6:21; Col. 1:7; 4:7,9; 2 Tim. 2:2).
- Qualquer pessoa pode frequentar a igreja (exceto os hereges que têm sido rejeitados -- Tito 3:10-11), mas aqueles membros que assumem posições dentro da igreja são representantes não apenas do Senhor Jesus Cristo, mas também da igreja; e o testemunho dela será julgado pelas vidas daqueles que trabalham para ela.
- No nosso site, damos, como exemplo, uma amostra de um conjunto de padrões a serem exigidos das pessoas que trabalham para a igreja. Veja os artigos "Why Have Standards for Church Workers" e "Requirements for Church Workers" , sob a seção Church, no End Times Apostasy Database, no web site de Way of Life web site -- www.wayoflife.org/~dcloud/

PROGRAMA DA MOCIDADE:
- Se realmente existir um programa formal para os jovens ou para a mocidade, ele não deve se caracterizar por constante entretenimento nem por encorajar cada jovem para ser considerado "legalzão!" pelo mundo; mas, ao contrário, deve se caracterizar por treinar os jovens para serem santificados e totalmente dedicados ao serviço de Jesus Cristo.
- A igreja não tem mandato bíblico para entreter-divertir os jovens (nem os velhos): o mandato é para ensiná-los todas as coisas que Jesus Cristo, na sua Palavra, nos ordenou que obedecéssemos (Mat. 28:18-20). O mandato é fazer discípulos de Jesus Cristo. O Senhor Jesus definiu um discípulo como aquele que tem rejeitado o mundo e cedido sua própria vida para cumprir a vontade e fazer a obra de Cristo (Marcos 8:34-35). Um discípulo de Cristo é aquele que tem cedido sua vida em favor de Cristo e do Evangelho, o que significa que sua vida é caracterizada por zelo para o cumprimento da Grande Comissão.
- Os líderes dos programas de mocidade não devem se relacionar com os jovens ao nível de um enfoque que o mundo possa considerar "legalzão!". Ao contrário, os líderes devem ser crentes maduros e santificados e de discernimento espiritual, aptos a liderar os jovens na perfeita vontade de Deus e a fazer dos jovens discípulos [seus e de Cristo].
- Líderes da mocidade devem saber mais sobre a Bíblia do que sobre esportes, mais sobre doutrina do que sobre os grandes assuntos da mídia da semana, mais sobre oração do que sobre televisão, mais sobre um peso pelas almas (locais e longínquas) do que sobre moda!
- Isto nos leva de volta ao assunto de ter elevados padrões para os que trabalham na igreja. Se os que trabalham para a mocidade são mundanos, espiritualmente faltosos mas farisaicos, e têm falta de discernimento moral, então os jovens serão iguais a eles.
- Demasiadas igrejas estão afundando na pervertida filosofia de ministério com os jovens, a qual diz que os jovens têm que ser alcançados com seu "próprio estilo de música", suas "próprias modas", sua "própria diversão", etc. Isto é loucura: é completamente não escriturístico, e também é irrazoável. Aquilo com O QUE os jovens são ganhos será aquilo PARA QUE eles foram ganhos.
- Será melhor que uma igreja não tenha nenhum "programa de mocidade" do que ter um que seja mundano.
- Creio que todo o conceito de continuamente separar os jovens e isolá-los dos adultos é não bíblico e trabalha contra a vontade de Deus. Nossas igrejas têm adotado este padrão [importando-o] do mundo, [portanto] isto é algo que precisa ser reconsiderado à luz da Palavra de Deus. Nos séculos anteriores os jovens não eram tão segregados, ao contrário, se misturavam constantemente com os adultos em cada facêta da vida, e isto era muito melhor para eles. Quando jovens são postos à parte, em grupos compostos quase que exclusivamente de seus iguais, e permitidos e até mesmo encorajados a formarem sua própria cultura, e são grandemente isolados dos adultos (tal como nos modernos sistemas educacionais), eles são literalmente cegos guiando cegos (Prov. 22:15)!

MISSÕES:
- A igreja tem uma visão mundial de plantar igrejas e pregar a Palavra de Deus.
- O "programa" missionário não é meramente mais um programa de que a igreja se gaba de ter, ao contrário, é o coração e a alma da igreja.
- Isto será evidenciado de muitas maneiras: (1) a vida e a ênfase do pastor evidenciarão seu zelo por missões mundiais; (2) o estilo de vida e aquilo que pesa nos corações das famílias fiéis evidenciarão um zelo por missões mundiais; elas se deleitarão em sustentar e hospedar missionários, escrever-lhes e orar por eles; visitá-los; dar seus filhos para serem missionários; (3) o zelo missionário de uma igreja também será evidenciado nas vidas dos jovens pelo fato de que muitos deles "pegarão" [contraírão] a visão e o coração missionário, e dedicarão suas vidas para este propósito. Igrejas que realmente têm o coração voltado para missões produzirão missionários.


(*) Nota do Tradutor: Não sou exatamente calvinista (ver 2 Preconhecimentos dos Salvos. 3 Chamamentos -- Hélio.), mas não teria problema de consciência em ser membro de uma igreja que exemplarmente tenha todas as outras "marcas", somente diferindo de Cloud por ser calvinista, desde que isto não interfira com seu ardente esforço evangelista e missionário.



(retorne à página index de http://solascriptura-tt.org/ EclesiologiaEBatistas )