Erros de Interpretação da Palavra Profética





Ao ler este artigo, você compreenderá algumas das falsas interpretações de profecias que se tornaram bem conhecidas depois da famosa "Guerra dos Seis Dias" no Oriente Médio, em 1967. Esta análise também deveria acabar de vez com os boatos relativos ao "computador da besta" na Bélgica, à miraculosa multiplicação dos corvos [em Israel, supostamente para que se cumprisse Ezequiel 39.4,17 – NE], às contínuas reivindicações da descoberta da Arca da Aliança e de outras descobertas arqueológicas sensacionais, bem como às ousadas reivindicações da localização da Arca de Noé. Tais coisas não ajudam, pelo contrário, só contribuem para a crescente confusão no mundo de hoje.



Compreender a Palavra Profética

A Palavra de Deus nos diz que compreender a Jesus equivale a compreender a profecia. Apocalipse 19.10, por exemplo, afirma: "Prostrei-me ante os seus pés para adorá-lo. Ele, porém, me disse: Vê, não faças isso; sou conservo teu e dos teus irmãos que mantêm o testemunho de Jesus; adora a Deus. Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia." Quero ressaltar a última frase: "Pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia." Trata-se de uma afirmação muito forte, que vem diretamente do céu e que uma vez mais dá testemunho da Trindade. A perfeita unidade de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, em conjunção com a profecia, é claramente demonstrada nesse trecho.

Jesus é a verdade, o Espírito é a verdade, a profecia é a verdade. Portanto, quando estamos lidando com a Palavra Profética, precisamos reconhecer plenamente que estamos lidando com o Deus da profecia, com Jesus e com o Espírito da verdade! O testemunho de Jesus Cristo é verdadeiro, quer confiemos nele ou não. A nossa incredulidade ou interpretação errônea não muda a verdade.



O Único Caminho Para a Salvação

Ninguém pode ser salvo, a não ser através de Jesus. A Palavra de Deus nos diz que Ele é o caminho, a verdade e a vida, e que ninguém pode vir ao Pai senão por Ele (veja João 14.6). O testemunho de Jesus Cristo é verdadeiro para toda a humanidade – passada, presente e futura. O sangue do Cordeiro de Deus é a única substância que purifica completa e perfeitamente o pecador, permitindo-lhe comparecer inculpável à presença de Deus, o Criador.

Temos a liberdade de interpretar os sinais do fim que a Sagrada Escritura nos dá, mas a nossa interpretação jamais deve ser considerada a final. Devemos permitir que as Escrituras confirmem a si mesmas, do mesmo modo como o Senhor Jesus e Seus apóstolos o fizeram.

A Bíblia é absoluta e deve ser aceita literalmente. Quando deixamos de fazer isso, surge a confusão. Consideremos uma notícia do jornal The Scotsman:

Um recente debate acerca das histórias bíblicas dividiu a Igreja da Escócia, depois que seu moderador descreveu o nascimento virginal como um evento simbólico e atacou os conservadores religiosos. Ao pregar em Edimburgo, o reitor Rev. Dr. James Weatherhead, Moderador da Assembleia Geral, defendeu as dúvidas recentemente expressas por líderes da igreja, inclusive o bispo de Durham, acerca da realidade factual do nascimento virginal. O Dr. Weatherhead, falando na catedral de St. Giles, disse que a Bíblia era muito mais um documento poético do que de verdades legais ou literais. "Não estamos necessariamente dizendo algo depreciativo acerca do nascimento virginal, quando afirmamos que ele é simbólico", disse ele.[1]

Nesse caso vemos um teólogo proeminente tornando-se um tolo ao negar a verdade literal da Bíblia, alegando que o nascimento virginal seja meramente simbólico.



A Igreja é a Receptora da Profecia

O apóstolo Pedro adverte os crentes a darem ouvidos à Palavra Profética e enfatiza que esta é absolutamente confiável. Ele faz uma afirmação importante em 2 Pedro 1.20: "Sabendo, primeiramente, isto: que nenhuma profecia da Escritura provém de particular elucidação." A Palavra Profética foi dada à Igreja de Cristo, o corpo completo dos que crêem.

Ela não é, entretanto, deixada à interpretação individual e isolada. Quando um indivíduo crê que descobriu uma verdade especial nas Escrituras, ele deveria comparar cuidadosamente a sua crença com a de outros homens de Deus e observar como eles interpretam o mesmo texto bíblico. Por exemplo, é o Espírito da profecia que enfatiza nestes últimos tempos, para muitos servos de Deus, que a época dos gentios está chegando ao fim. A Igreja toma conhecimento disso coletivamente, em todo o mundo. Não se trata de uma revelação especial dada somente a uma certa pessoa.

O apóstolo Pedro que, conforme já dissemos, rejeitava a interpretação isolada das Escrituras, enfatizou que a Palavra da profecia é inspirada por Deus, o Espírito Santo. Ela não procede de homens: "Porque nunca jamais qualquer profecia foi dada por vontade humana; entretanto, homens [santos] falaram da parte de Deus, movidos pelo Espírito Santo" (2 Pedro 1.21).



Profecias Acerca de Jerusalém

Analisemos certas profecias que estão sendo enfatizadas atualmente pelo corpo dos crentes em Cristo. Por exemplo, o fato de Jerusalém estar se tornando cada vez mais uma pedra de tropeço para as nações é claramente profetizado. Tal compreensão não precisa de interpretação especial. A profecia está escancarada diante de todos os crentes. As afirmações do [falecido] rei Hussein da Jordânia deveriam ser reconhecidas como parte do processo que leva ao cumprimento da profecia com relação à Cidade Santa:

Jerusalém deveria ser um lugar de encontro para... todos os filhos de Abraão, árabes e judeus, igualmente. Mas não pode haver soberania sobre os lugares santos de Jerusalém, exceto pelo Todo-Poderoso. Eu já sugeri que um grupo de estudiosos, representando todas as escolas do mundo islâmico, inicie um diálogo religioso com os mundos cristão e judaico, para buscar uma fórmula de preservar os direitos e proteger os lugares santos para todas as três grandes religiões monoteístas. Contudo, jamais sugeri que Jerusalém devesse ser dividida.[2]

Aparentemente, ele estava colocando-se como um porta-voz ecumênico entre judeus, árabes e cristãos! Por outro lado, ouvimos outras vozes – os árabes palestinos – citados num artigo do The Jerusalem Post International Edition:

Cerca de 10.000 membros do movimento islâmico compareceram em massa à assembleia "Jerusalém Primeiro", para exigir que Jerusalém Oriental se torne a capital do Estado palestino. "O governo israelense e o Likud concordaram quanto ao fato, admitindo que há apenas dois povos aqui que partilham uma mesma terra natal, e cada um dos povos precisa ter o seu próprio Estado independente", disse Abdullah Nimr Darwish, o líder do movimento islâmico. "Por isso é que dizemos que o status de Jerusalém não pode ser prejudicado. No tocante à nação palestina, Jerusalém precisa ser, primeiramente, a capital do Estado palestino que haverá de surgir", afirmou ele.[3]

No que se refere às nações do mundo, sabemos que virtualmente todas estabeleceram suas embaixadas em Tel Aviv, ao invés de as instalarem em Jerusalém, a capital do Estado judeu. Por quê? Porque elas crêem que Jerusalém deveria ser uma cidade internacional, e não a capital do Estado judeu. A Bíblia claramente prediz que Jerusalém se tornará o centro da controvérsia nos tempos do fim, portanto, sabemos que estamos nos aproximando dos estágios finais dos últimos dias.



Profecias Acerca do Estado de Israel

Deveríamos também reconhecer que, com o restabelecimento do Estado de Israel, Deus começou a fazer algo novo. Portanto, o dia da plenitude da Igreja dentre os gentios não pode estar longe.

A razão porque afirmo isso baseia-se no fato de que a Igreja e Israel não podem existir lado a lado por um longo período de tempo. Quando a Igreja começou, Israel estava sendo disperso como nação. Agora, Israel está sendo reagrupado – portanto, a Igreja precisa ser removida. Centenas de milhares, senão milhões de servos de Deus concordam com essa verdade. Nós estamos nos últimos estágios dos tempos do fim por causa do visível cumprimento da profecia bíblica com relação à nação e à terra de Israel. Existem muitas evidências proféticas para se ignorar que Israel, mesmo em seu estado de incredulidade, é o cumprimento da profecia bíblica.

Não entraremos em detalhes, mas basta dizer que Israel, de acordo com Ezequiel 36:

voltará para a sua terra com uma atitude de incredulidade,

que a terra que já foi deserta será novamente produtiva,

e que os dispersos voltarão e se multiplicarão na terra de Israel.

Esses são todos fatos evidentes e inegáveis.



Sensacionalismo: Uma Pedra de Tropeço na Profecia

Analisemos os perigos das interpretações erradas e dos rumores: Durante a Guerra dos Seis Dias em 1967, Israel capturou do Egito toda a Península do Sinai até o Canal de Suez, e conquistou todas as Colinas de Golã ao norte, na fronteira com a Síria. Israel também foi bem-sucedido em tomar posse da Judéia e Samaria. Mas o maior prêmio para Israel foi a libertação de Jerusalém Oriental. A cidade, portanto, foi novamente unificada.



Pedras do Templo

Depois que os judeus celebraram sua vitória no venerado Muro das Lamentações (tudo o que restou do antigo e glorioso Templo judaico), boatos começaram a espalhar-se de que Israel estava planejando reconstruir [imediatamente] um novo Templo.

Artigos começaram a aparecer em publicações cristãs, alegando que as pedras para o Templo já tinham sido preparadas e estavam prontas para serem transportadas a qualquer momento para Israel. As pedras do Templo, conforme esses relatos, tinham sido preparadas numa pedreira em Bedford, Indiana (EUA). Após uma pesquisa, descobriu-se que a história não passava de boato.

Os comentários em Israel foram: "Pedras são a última coisa de que precisamos. Se pudéssemos exportar as nossas, seríamos o país mais rico da face da terra".

O Templo, entretanto, será construído na época devida! Já existem diversos grupos judaicos, tais como os Fiéis do Monte do Templo, que fazem tudo que está ao seu alcance para lutar pela construção do Templo no Monte Moriá. O Instituto do Templo está preparando os utensílios do Templo e treinando jovens como sacerdotes de acordo com a lei levítica, de forma que, ao ser construído o Templo, haverá sacerdotes treinados, prontos para conduzir os serviços sacerdotais.



Corvos Multiplicando-se Miraculosamente

Outro boato sensacionalista que surgiu dizia respeito à esperada invasão de Israel por uma confederação do norte, conforme descrita em Ezequiel 38 e 39. O versículo 17 do capítulo 39 diz: "Tu, pois, ó filho do homem, assim diz o SENHOR Deus: Dize às aves de toda espécie e a todos os animais do campo: Ajuntai-vos e vinde, ajuntai-vos de toda parte para o meu sacrifício, que eu oferecerei por vós, sacrifício grande nos montes de Israel; e comereis carne e bebereis sangue."

Um extenso artigo foi publicado, afirmando que os corvos em Israel estavam se multiplicando em quantidades anormais. O escritor do artigo especulou que isso era uma preparação para o grande sacrifício mencionado no versículo 17 de Ezequiel 39. A sociedade de proteção da natureza em Israel, porém, não encontrou qualquer evidência para dar sustentação ao notificado aumento do número de corvos.

Entretanto, também nesse caso é preciso mencionar que a quantidade de pássaros em geral está aumentando em Israel, o que tem relação basicamente com o ressurgimento da vegetação da terra e com os inumeráveis lagos que foram construídos nas fazendas como criadouros de peixes. Um artigo no The Jerusalem Report afirmou que Israel já perdeu mais aviões devido a acidentes com pássaros do que em suas guerras contra os árabes!



O Computador da Besta na Bélgica

Outra história dizia que havia um gigantesco computador de dois andares na sede da Comissão Européia em Bruxelas, capaz de armazenar informações sobre todas as pessoas na face da terra. O computador foi carinhosamente apelidado de "A Besta". Esse rumor surgiu nos anos 70, quando a Europa estava entre cinco a dez anos atrasada em relação aos Estados Unidos quanto à tecnologia na área de informática. Essa história também se revelou mais tarde como sendo uma farsa.

A Arca de Noé e os Achados Arqueológicos

Têm surgido artigos, vídeos e filmes acerca da Arca de Noé, da Arca da Aliança, das lápides dos túmulos de Maria, José e de muitos apóstolos, assim como muitas outras descobertas arqueológicas supostamente importantes. Uma descoberta sensacional parece perder seu brilho diante da próxima. Mas cada uma delas, quando cuidadosamente investigada, mostra carecer de alicerce real. Isso, é claro, não quer dizer que não tem havido descobertas arqueológicas interessantes em Israel.

Quer essas alegações digam respeito às cinzas da novilha vermelha, à descoberta de petróleo no território da tribo de Aser, ou à suposta fenda geológica já existente no Monte das Oliveiras, essas histórias empolgantes despertam interesse. Mas geralmente elas não são baseadas em fatos, ao contrário, são produzidas pela imaginação das pessoas!

A vinda do Senhor não depende de uma rachadura que supostamente já existe no Monte das Oliveiras, não depende da descoberta das cinzas da novilha vermelha ou da Arca da Aliança, nem da escavação da Arca de Noé ou de qualquer coisa dessa natureza. Seja lá qual for a descoberta, ela é total e absolutamente insignificante quando comparada com as Sagradas Escrituras, que são a verdade eterna. Somente a Bíblia é inquestionavelmente confiável. Não precisamos de nenhuma nova descoberta para validá-la. O completo conselho de Deus está em nossas mãos, nos 66 livros da Bíblia! São as próprias Escrituras que fornecem a validação necessária para elas mesmas.



O Que REALMENTE Precisamos: Vigiar!

Resumindo, quero dizer o seguinte: precisamos vigiar com relação a todas as notícias que dizem respeito à restauração de Israel, à sua desesperada luta pela paz e às pressões para que se integre com a União Européia.

Israel tornou-se uma nação: isso foi profetizado. Os judeus estão voltando de praticamente todas as nações do mundo para aquela pequena terra. Isso foi profetizado. Eles serão muito bem-sucedidos, embora ameaçados pelos inimigos e a paz será, por fim, negociada: isso também está profetizado.

Finalmente, eles aceitarão o falso messias, conforme Jesus Cristo profetizou: "Se outro vier em seu próprio nome, certamente, o recebereis" (João 5.43). Os rumores apenas nos desviam de uma exposição séria da Palavra Profética, e precisamos aprender a rejeitá-los. (Arno Froese - extraído e adaptado de um capítulo do livro Como a Democracia Elegerá o Anticristo.)



Notas:

The Scotsman, 3 de janeiro de 1994.

Rei Hussein da Jordânia, U.S. News, 8 de novembro de 1993.

The Jerusalem Post International Edition, 17 de junho de 1995, p. 4.








Arno Froser



Extraído do livro Como a Democracia Elegerá o Anticristo.




Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ EclesiologiaEBatistas/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )