No Milênio (01):
o Banquete Seguinte Às Núpcias Será Na Terra

Hélio de Menezes Silva



Os costumes judaicos nos tempos bíblicos envolviam três principais passos no casamento:


O primeiro passo era o solene compromisso em solene e sagrada aliança de casamento entre um homem e uma mulher, como marido e esposa, mas sem a imediata consumação do casamento (ao contrário do noivado ocidental, esta cerimônia judaica já era legalmente o pleno casamento, indissolúvel, eterno, de modo que uma traição dentro dele era considerado adultério e punida com a morte Dt 22:23-27) (Mt 1:18-19)
 "18 ¶  Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. 19  Então José, seu marido, como era justo, e a não queria infamar, intentou deixá-la secretamente." (Mt 1:18-19 ACF)

O segundo passo era considerado o mais importante e glorioso, de tal modo que quando se falava em casamento usualmente, se não se fosse mais específico, isto correspondia a este segundo passo. Ele consistia em o marido tomar e levar sua esposa para a casa dele (que ele tinha construído ou adquirido) ou para a casa de seu pai (Mt 1:24).
"E José, despertando do sono, fez como o anjo do Senhor lhe ordenara, e recebeu a sua mulher;" (Mt 1:24 ACF) Usualmente isto era feito à noite, aproximadamente 1 ano após o primeiro passo. Acontecia então a consumação do casamento através da união física do esposo com sua esposa, na primeira noite deles juntos na casa dele ou do seu pai.

O terceiro passo era a ceia de casamento, uma grande festa com um grande banquete, para que os convidados que já tinham sido chamados e vindo e se ajuntado. Uma vez [usualmente na mesma semana] que o casamento havia sido consumado pela noiva e noivo, os convidados do casamento faziam a festa e se alegram por sete dias. Assim, a ceia de casamento durava uma semana (Jz 14:17)
 "E [ela] chorou diante dele os sete dias em que celebravam as bodas; sucedeu, pois, que ao sétimo dia [Sansão] lho declarou, porquanto [ela] o importunava; então ela declarou o enigma aos filhos do seu povo." (Jz 14:17 ACF),
e corresponde à expressão "ceia das bodas do Cordeiro" em Ap 19:9.
"E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus." (Ap 19:9 ACF)




À luz do que foi visto, as seguintes analogias podem ser percebidas entre as três etapas dos costumes matrimoniais judaicos e o casamento de o Cristo coma Sua Noiva, constituída dos verdadeiros salvos, retirados de entre as igrejas locais:


O primeiro passo (casamento firme e irrevogavelmente oficializado, mas não consumado) já está ocorrendo durante a presente dispensação das igrejas locais e envolvendo todos aqueles que realmente creram de modo Bíblico no Cristo da Bíblia (portanto, crendo literalmente em todas doutrinas dela), recebendo-O como seu único e suficiente Salvador, Senhor e Deus (2Co 11:2).
"Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma virgem pura a um marido, a saber, a Cristo." (2Co 11:2 ACF)

O segundo passo ocorrerá quando, no futuro iminente, Cristo levará os verdadeiros salvos de entre as igrejas locais, para fora deste mundo e até à casa de Seu Pai no céu, quando Ele vier para glorificá-los depois de arrebatá-los ou ressuscitá-los (Jo 14:2-3; 1Ts 4:13-18). Esta consumação é chamada de "as bodas do Cordeiro".
"2  Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. 3  E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também." (Jo 14:2-3 ACF) "13 ¶  Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. 14  Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. 15  Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. 16  Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17  Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. 18  Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras." (1Ts 4:13-18 ACF)

O terceiro passo, após o arrebatamento dos salvos de entre as igrejas, é chamado de "a ceia das bodas do Cordeiro" e ocorrerá com os convidados do casamento , que já terão sido chamados e ajuntados.
"E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus." (Ap 19:9 ACF)




A ceia (o banquete nupcial), correspondente ao Milênio e ocorrerá NA TERRA e após a Revelação de Cristo (após Sua vinda para a terra, tocando-lhe com os pés). Por que cremos assim, você pergunta? Porque, interpretada a Bíblia literalmente, vemos que um perdido poderia tentar participar furtivamente da ceia, e isto seria impossível se ela fosse realizada no céu:

    "2 O reino dos céus é semelhante a um certo rei que celebrou as bodas de seu filho; 3 E enviou os seus servos a chamar os convidados para as bodas, e estes não quiseram vir. 4 Depois, enviou outros servos, dizendo: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado, os meus bois e cevados já mortos, e tudo já pronto; vinde às bodas. 5 Eles, porém, não fazendo caso, foram, um para o seu campo, outro para o seu tráfico; 6 E os outros, apoderando-se dos servos, os ultrajaram e mataram. 7 E o rei, tendo notícia disto, encolerizou-se e, enviando os seus exércitos, destruiu aqueles homicidas, e incendiou a sua cidade. 8 Então diz aos servos: As bodas, na verdade, estão preparadas, mas os convidados não eram dignos. 9 Ide, pois, às saídas dos caminhos, e convidai para as bodas a todos os que encontrardes. 10 E os servos, saindo pelos caminhos, ajuntaram todos quantos encontraram, tanto maus como bons; e a festa nupcial foi cheia de convidados. 11 E o rei, entrando para ver os convidados, viu ali um homem que não estava trajado com veste de núpcias. 12 E disse-lhe: Amigo, como entraste aqui, não tendo veste nupcial? E ele emudeceu. 13 Disse, então, o rei aos servos: Amarrai-o de pés e mãos, levai-o, e lançai-o nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes." (Mt 22:2-13)

    "E disse-me: Escreve: Bem-aventurados aqueles que são chamados à ceia das bodas do Cordeiro. E disse-me: Estas são as verdadeiras palavras de Deus." (Ap 19:9)





Maiores detalhes em artigos e livros tais como:
- http://www.ifca.org/home/140001498/140001500/VOICE97-JanFeb.pdf - The Marriage and Marriage Supper of the Lamb - Dr. Renald Showers;
- Usos e Costumes dos Tempos Bíblicos - RalphGower - Livro de 355 páginas, Casa Publicadora das Assembleias de Deys, 2002.




Hélio de Menezes Silva,

set. 2013.


Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de 
http://solascriptura-tt.org)



(retorne a http://solascriptura-tt.org/ EscatologiaEDispensacoes/ 
retorne a http:// 
solascriptura-tt.org/ )