Dando Seu Testemunho Pessoal


TEXTO [base do sermão]: Atos 26:1-32<<Não leia tudo>> LEIA vs. 16-18


Bob Zemeski


(traduzido por Paulo Eládio, nov.2014)




INTRODUÇÃO:

Em Atos 26 nós temos o testemunho de salvação de Paulo, seu chamado ao ministério e a defesa de sua fé perante Agripa. É similar em natureza ao que ele proclamou nas escadas do castelo romano em Jerusalém dois anos antes. Ao fazer isso, Paulo “pressionou” Agripa, procurando levá-lo a uma decisão concernente a Cristo. Infelizmente, Agripa esquivou-se do testemunho de Paulo e, fazendo isso, rejeitou uma oportunidade de receber a Cristo.

Esse discurso do apóstolo Paulo leva apenas cerca de 4-5 minutos para ler.Pode ser um pouco mais longo quando colocado no contexto de um diálogo, MAS dar o nosso testemunho não deveria levar mais do que 5 minutos; de preferência deve ficar em torno de 3. Falando de forma geral, eu acho que esse é em média o tempo que devemos usar. Depois de dar os detalhes mais importantes, você pode encurtar ou ser mais detalhado quando a oportunidade de testemunhar se apresentar.

Talvez você sinta que não tem um GRANDE testemunho. Louve ao Senhor se você foi salvo; se salvo quando muito jovem ou se salvo de uma vida seriamente pecaminosa quando mais velho, você tem um testemunho. É um testemunho em que outros estariam interessados, especialmente para saber como você veio a Cristo.

Mesmo que não tenha sido salvo de um passado terrível, você tem sim um testemunho a dar aos perdidos. MAIS AINDA, nós temos o dever de dar um testemunho claro para sermos testemunhas aos não salvos da maravilhosa graça de Deus mostrada a nós em nossa salvação.

I.                POR QUÊ VOCÊ DEVERIA PREPARAR UM TESTEMUNHO PESSOAL


 
 
A.     Somos instruídos, pelas Escrituras, a assim fazer
 
& Palavras de Jesus em Atos 1:8: ...Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas...”
 
& O apóstolo Paulo instruiu a igreja de Colossos aAndar com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.(4:5-6)
 
& O apóstolo Pedro nos aconselha em 1 Pedro 3:15: Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,”
 

& O apóstolo João disse em 1 João 1:3: O que vimos e ouvimos, isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco...”
 
 

B. Um testemunho pessoal prende a atenção do público ou indivíduo. (Cristo usou frequentemente esse método.)

1.   Os não salvos podem discordar de você, e eles podem discutir a Palavra de Deus, mas não é provável que discutam seu testemunho. É difícil discutir um testemunho pessoal dado com um coração sincero.
 
2.   Um testemunho pessoal é poderoso, e a outra pessoa fica quase impotente para refutar ou argumentar contra um bem dado testemunho pessoal de salvação.
 
3.   Você tem audiência cativa enquanto compartilha com os perdidos. Seu testemunho não tem o propósito de manipulação, mas o de compartilhar o que Cristo fez em sua vida.
 
 
 
 C.               Seu testemunho pessoal o ajuda a compartilhar sem ser ofensivo.
 
1.   Você pode ser muito positivo e compartilhar os fatos sem ser ofensivo.
 
a.    Tentar convencer o perdido de sua necessidade de salvação quando houve pouca ou nenhuma cultivar dessa pessoa pode ser muito difícil.
b.    No mínimo, um testemunho de salvação bem dado pode ser deixado com a pessoa. Deus pode usar a verdade poderosamente mostrada que vem de um testemunho pessoal.
 
 
2.    A verdade comunicada, sem ofensa, pode ser compartilhada desta maneira, mesmo quando sabemos que a Palavra de Deus pode ofender.
 
 
  
D.               Um testemunho pessoal deve ser claro e glorificar a Deus.
 
1.   Conte como Deus usou uma tragédia, um culto especial, uma conversa, um amigo, um pai etc., para trazê-lo a Cristo.
 
a.   Concentre-se no que Deus Fez e como você veio a Ele para salvação.
b.   Relate sua alegria e as bênçãos em receber o perdão de Cristo.
c.   Ao fazer isso, não se concentre em você, ou no que você está fazendo. Compartilhe o que Ele fez e está fazendo.
 
2.   Compartilhe como, desde o dia em que você foi salvo, Ele tem mudado você – trazendo novos desejos, novas alegrias, paz, e sentido à vida. (Ninguém pode discutir uma vida transformada. Esta é uma demonstração de Deus trabalhando.)
 
 
 
E.       Um testemunho pessoal deve incluir quatro questões básicas.
1.   Fato – Eu vim a me dar conta de que sou um pecador que não poderia me salvar e como isso me impactou.
2.   Fato – Eu descobri que Cristo era o substituto divino que morreu em meu lugar pelos meus pecados.
3.   Fato – Eu pus minha confiança e dependência em Cristo. Fui salvo pela fé apenas, à parte de qualquer obra ou graça que eu poderia ter de meu próprio mérito.
4.   Fato – Eu estou certo de minha salvação em Cristo, confiante em Suas promessas.
 
 

II.       SEU TESTEMUNHO PESSOAL DEVE ENFATIZAR ESTAS COISAS.


 
A. Religião não salva e igrejas não podem salvar.
 
1.   Muitas pessoas não têm um propósito em viver. Compartilhe a verdade de que você passou da morte para a vida.
2.   Compartilhe que você não se reformou ou evoluiu para uma pessoa religiosa, mas foi transformado.
 
 
 
B.  Compartilhe que você depositou sua confiança na pessoa de Cristo.
 
1.   Você é diferente agora. Problemas e dificuldades ainda estão aí, e você ainda é um pecador, mas Cristo é seu e Ele trouxe muitas mudanças para o bem.
2.   Deixe saberem que você está confiante que vai para o céu e que sua convicção é baseada na Palavra de Deus e na obra completa de Cristo na cruz.
 
 
 

III.    SEU TESTEMUNHO PESSOAL DEVE SEGUIR O PADRÃO BÍBLICO – Atos 26:1-32

 
A. Considere-se abençoado por ter um testemunho para compartilhar! – vs. 1-2
 
1.   Apesar de Paulo estar em um lugar difícil na época, ele manteve uma atitude positiva, e regozijou-se pela oportunidade que Deus lhe deu para compartilhar sua fé. 1 Pedro 3:15 – “Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,”
2.   Compartilhar nossa fé deveria ser uma bênção, não um fardo. A palavra “feliz” no verso 2 significa “supremamente abençoado; afortunado”
 
 
 
B. Respeite seu ouvinte – vs. 3
 
1.   Embora Paulo tenha sido objeto de um “jogo de empurra” político, não obstante, com felicidade ele aproveitou a ocasião para não só defender sua causa, mas também para levar o nome de Jesus diante de um rei, como Jesus predisse em Atos 9:15.
2.   Não fale “de cima” com as pessoas, trate-as com respeito e elas provavelmente vão tratá-lo da mesma forma.
3.   Apesar do rei Agripa ter sido considerado um “expert” em questões judaicas, Paulo sem dúvida era ainda mais, mesmo assim ele não menosprezou o conhecimento que Agripa tinha, nem tentou debater com ele ou fazê-lo parecer um tolo.
Seja mais interessado em ganhar uma alma do que em ganhar uma discussão.
 
 
 
C. Comece do início, e conte sobre seu passado – vs. 3-11
 
1.   Paulo rogou por paciência (vs. 3) e começou a contar sobre sua vida como um jovem, “desde a mocidade” (vs. 4).
2.   Ele deu credibilidade ao seu relato mencionando que sua vida é um livro aberto para a nação judaica. Seu pedigree como judeu foi bem substanciado.
3.   Em referência a seus acusadores e antagonistas, ele mencionou que eles “Sabendo de mim desde o princípio (se o quiserem testificar)verificariam o que ele dizia. (vs. 4-5)
a.    Ele falou do seu passado religioso – vs. 5
b.    Ele enquadrou os apuros que encarava como sendo “pela esperança da promessa que por Deus foi feita a nossos pais ... Por esta esperança” ele era acusado pelos judeus. Essa promessa é a de que o Messias viria, sofreria, morreria, e ressuscitaria dos mortos – vs. 6-7
c.     Ele antecipou algumas possíveis objeções e tentou respondê-las – vs. 8-9
d.    Ele deu conta de sua raiva e pecaminosidade pessoais, aprisionando, perseguindo e condenando à morte os crentes em Jesus de Nazaré – vs. 10-12
e.    Note que ele não entrou em muitos detalhes sobre suas ações enquanto viajava por “cidades estranhas” (vs. 11) em perseguição aos crentes – Ele assume seu pecado sem glorificá-lo.
 
 
 
D. Fale de sua conversão – vs. 12-18
 
·         Quando você creu em Cristo? Onde você estava?
·         O que o levou àquele momento? Quem falou com você sobre isso?
·         O que você sentiu na época? Como você foi salvo?
 
 
 
E. Fale sobre o que ocorreu depois da salvação – vs. 19-23
 
1.   Paulo testemunha a todos – a “pequenos e grandes” – como Cristo mudou sua vida. Ele foi transformado de um perseguidor para um pregador do evangelho.
2.   Ele até mesmo falou de algumas das dificuldades que essa nova vida trouxe, até do risco de morte – vs. 21. Não tenha medo de falar sobre o preço de se tornar um cristão.
3.   Note também, que sua mensagem é baseada na Escritura e como ele interpõe o evangelho com ela no vs. 23.
 
 
 
F.  Prepare-se para interrupções diabólicas – vs. 24-26
 
1.   Note como Paulo lidou com a interrupção de Festus, firmemente, mas polidamente.
2.    Note que ele não se desviou da conversa com Agripa, que voltou a ser o foco de sua atenção no vs. 26.
 
 
 
G. Puxe a rede – vs. 26-27
1.   Ninguém pode se dizer pescador sem nunca ter posto uma isca num anzol ou lançado uma linha nas águas. Em Mt 4:19 encontramos que Jesus nos chamou para sermos “pescadores de homens”.
2.   MAS com certeza nenhum homem que se diz pescador pensa que os peixes vão se fisgar sozinhos e depois se içar sozinhos para a praia ou o barco.
3.   É preciso paciência, habilidade e prática para aprender a fisgar e puxar um peixe; e mais ainda com homens.
a.    LEMBRE-SE: apenas compartilhe sua experiência, não tente impressionar. É o seu testemunho e sua estória pessoal, sobre sua experiência pessoal, a ser contada em suas próprias palavras, com o propósito de ajudar outra pessoa a crer ou ao menos entender eventos chave de seu relacionamento com Cristo.
1)    Não tente usar termos técnicos ou teológicos. Generalize e fale com o pessoal de forma que alguém com 12 anos de idade possa entender. Fazendo isso, mais pessoas podem se identificar com o que você está dizendo.
2)    Inclua coisas com que seus ouvintes possam se relacionar, usando humor natural e assuntos de interesse geral. (DICA: casa, emprego, entes queridos, jogos)
3)   Conte o suficiente sobre si mesmo para ajudar os outros a se colocarem em seu lugar. Evite confundir detalhes.
b.    E com certeza FOQUE em Cristo, não em você mesmo.
c.    O lugar mais fácil para começar a compartilhar sobre seu relacionamento com Cristo é a igreja, entre outras pessoas que tiveram a mesma experiência ou experiências similares.
4.   Depois de você pôs a isca no anzol e jogou a linha, não tenha medo de puxar o anzol e perguntar aos outros se eles gostariam de confiar em Cristo.
 
 
 
H. Lembre-se, mesmo Paulo não teve sucesso em todas as ocasiões – então não fique desanimado! – vs. 28-31
 
1.   Em resposta, talvez em tom desapontado, Paulo indicou que ele queria [muito] que todos os que o ouviram naquele dia fossem como ele – salvo e conhecedor do Senhor, com exceção de suas correntes de prisioneiro.
2.   Agripa não foi persuadido e não creu, mas Paulo não tomou [isso] como [ofensa] pessoal, e desejou o bem a ele e aos outros que ouviram a conversa.
3.   Mesmo que Agripa não tenha crido naquele dia, parece que ele saiu com alguma simpatia para com Paulo.
4.   Talvez ele tenha crido em outra ocasião (apesar de as Escrituras não sugerirem isso), ou quem sabe outra pessoa na sala naquele dia tenha sido impactada pelas palavras de Paulo. Nunca saberemos.
 
Vs. 32 – “E Agripa disse a Festo: Bem podia soltar-se este homem, se não houvera apelado para César.” A exibição tinha terminado. Os dignitários tinham ouvido Paulo. Sua curiosidade estava satisfeita. Todos eles se levantaram e debateram entre si. Eles piamente comentaram que Paulo não tinha feito coisa alguma digna de morte, muito menos de estar preso. A hipocrisia nisso tudo é que tanto Festo quanto Agripa tinham autoridade e influência para garantir a liberdade de Paulo. Nenhum deles teve a integridade para fazer isso.
 
 
 
Bob Zemeski


(traduzido por Paulo Eládio, nov.2014)







Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Ide/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )