Evangelismo Pessoal (“um-a-um”)
ou
Cultos Evangelísticos?

(título original: “Soul-winning vs. Evangelism”)


Nós, os Batistas, temos sido influenciados e temos comprado dos Protestantes e dos não- denominacionalistas a idéia de que a melhor [praticamente a única] maneira de haver salvação de almas é [cada membro da igreja convidar e] trazer pessoas para um culto de pregação evangelística [usualmente tal ocorre nos cultos principais, nos prédios das igrejas, a todos os domingos à noite e, mais ainda, em grandes campanhas evangelísticas que envolvem a igreja ou muitas igrejas de diferentes convicções, reunidas num só local], onde um pastor (ou missionário ou evangelista ou pregador) lhes pregará o Evangelho [somente o Evangelho, nenhuma doutrina mais!..] tão fortemente que praticamente eles [os descrentes] serão puxados por cordas invisíveis para percorrerem o corredor [e virem à frente se ajoelhar e se entregar a Jesus]


As ordens de Deus para ganharmos almas pessoalmente usualmente envolvem a palavra “ide” e nos estão dizendo que, ao invés de simplesmente repousar esperando que os perdidos venham até a nossa igreja, nós mesmos devemos IR LÁ FORA e conseguir que pessoas perdidas sejam salvas:

Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;” (Mt 28:19 ACF)
 “E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” (Mc 16:15 ACF)
 “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.” (Sl 126:6 ACF)

Deus nos diz, em Salmo 126:6, que, se formos lá fora pregar o Evangelho, retornaremos com nossos “molhos”. Ora, [claramente] esses molhos provavelmente já estão prontos, foram semeados e regados e protegidos e colhidos e até amarrados em molhos não por nós mesmos mas por outros antes de nós.

Bem, não estamos dizendo que convidar e trazer não salvos para a igreja seja uma coisa pecaminosa [má em si mesma, má e malignamente contrária a Deus, mas declaramos que] há várias razões pelas quais isto não deve ser nossa metodologia principal.

1. Então o pastor é o único que tem a alegria de pregar o Evangelho e de ganhar almas

2. As pessoas da igreja não serão alimentadas espiritualmente se elas estão constantemente ouvindo somente mensagens de salvação a cada domingo pela manhã [no Brasil, cada domingo à noitinha].

3.A igreja começará a se tornar mundana com seu estilo e música para acomodar todas as pessoas perdidas que ela está buscando trazer para dentro de suas portas. Isto é exatamente o que está acontecendo nas igrejas por toda a América

 


Temos sido enamorados pela imagem de algumas cruzadas ecumênicas de Billy Sunday onde centenas estão vindo à frente e inundando a “trilha de pó de serragem de madeira” e supostamente conseguindo salvação, quando o método de Deus tem sempre sido ir para fora, pelas estradas e fronteiras, e pregar o Evangelho de casa em casa. Jesus estava constantemente ganhando pessoas para o Senhor, uma a uma, não em reuniões gigantes. Em suas grandes reuniões (por exemplo o Sermão da Montanha) Ele prega mais a respeito do viver cristão e contra o pecado, do que uma mensagem evangelística.

Durante anos os pregadores têm interpretado mal a história relatada em Atos 2, e têm feito declarações tais como, “Pedro pregou, e 3000 pessoas foram salvas e batizadas.” Em meu sermão, este domingo pela manhã, eu provei conclusivamente que nada poderia estar mais distante da verdade, e que Pedro estava somente falando para uma percentagem pequena daqueles que foram salvos. Havia119 outros ganhadores de almas pregando o Evangelho e conseguindo salvar pessoas em pelo menos 17 línguas diferentes! 3000 pessoas não “desceram ladeira a baixo pelo corredor da igreja e subiram à plataforma”. Ao contrário, 3000 pessoas foram ganhas para o Senhor por 120 ganhadores de almas que FORAM até onde os perdidos estavam. (Aqui está o link se alguém está interessado em ouvir o sermão que conclusivamente prova este ponto:

http://www.faithfulwordbaptist.org/page5.html

O título do sermão é “Evangelismo Pessoal (um a um) versus Cultos Evangelísticos na Igreja” (“Soul-winning vs. Evangelism.”) )


Se voltássemos ao método BATISTA de evangelismo pessoal (ganhar almas pessoalmente, um evangelista para um evangelizado) ao invés do método PROTESTANTE de cultos evangelísticos, teríamos mais e maiores multidões sendo salvas, e cada um de nós teria a alegria [de participar na salvação de almas], e talvez as igrejas novamente começariam a ter um sabor tal e qual o de uma igreja, e não tal e qual o do mundo.






 

Sinceramente,

Pastor Steven L Anderson
Faithful Word Baptist Church
http://www.faithfulwordbaptist.org




Tradutora: Valdenira Nunes de M. Silva.
 




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Ide/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )