A DIFERENÇA ENTRE A BOA E A MÚSICA



A Diferença Entre a BOA e a MÁ Música
[a música independente dos sentidos das palavras]

(
The Difference Between Good And Bad Music)

Por Alan Ives

http://www.biblebelievers.com/Ives1.html




(Hélio não sabe bem ... Eu gostaria muito, por favor, que alguém que soubesse tomasse este arquivo html e o transformasse num html.5 com todos os links para vídeos e áudios reduzidos somente a midi e mp3 e tornados embutidos (embeded) neste arquivo, com a vantagem que persistiriam depois dos links morrerem algum dia, e ficariam muito mais fáceis e rápidos de ser executados. Cada link viraria um “Clique aqui para ouvir”. Valdenira.)

 

Alan Ives é um homem de Deus e um músico cristão. Junto com sua esposa Ellen, ele produziu alguns excelentes álbuns de música para o povo de Deus. Alan conhece a música. Ele é altamente treinado tanto em estilos seculares como em estilos de música cristãos. Antes da sua conversão, ele tocou em uma banda de rock and roll. Os Ives gastam muito de seu tempo viajando pelas igrejas, pregando a Palavra de Deus e ministrando na música. Eles são da Wyldewood Baptist Church  de Oshkosh, Wisconsin (Pastor Randy King). A seguinte mensagem foi transcrita a partir de um áudio em cassete. Você pode entrar em contato com os Ives diretamente escrevendo para Concord & Harmony, 328 Rosalia Street, Oshkosh, Wisconsin 54901. Seu telefone de casa é (414) 231-4807.

 






Nós vamos tentar dizer e explicar [o mais precisamente] qual a diferença entre a boa e a má música, especialmente se as palavras [dela já] são OK. Como posso discernir se a música [em si, sem as palavras] é sensual ou não? Se ela é espiritual ou carnal? [O começo da resposta começa no fato de que] Eu estou lembrando de um irmão de minha idade [que é muito meu amigo e é um exemplo, muito dedicado a Deus, mas] que não sabia nada sobre música, e ele me disse:

"Quando leio minha Bíblia, quando oro, quando escuto a pregação, o Espírito Santo ensina e ministra para mim e me conforta, repreende, instrui, me corrige – em qualquer coisa que eu precise. [Não entendo como ele faz isso, nem sei dos pormenores,] mas eu posso [com toda certeza bíblica] dizer que o Espírito Santo de Deus está trabalhando em mim.". E ele disse: "Quando alguém canta uma canção, eu espero que o Espírito Santo faça a mesmíssima coisa através desta música." Eu tinha cantado um arranjo de blues de "No One Ever Cares For Me Like Jesus” [Cantor Cristão 122, “Vou contar-vos o que penso de meu Mestre ... Sempre cuidará de mim, meu Mestre ...”  http://www.joyfulnoisemusic.com/midi/congregation_hymns/jhv3/115_no_one_ever.mid Note a diferença para quando se instila 1% de veneno de baterias em ritmo de dança (mesmo lenta e suave), síncope, leves dissonâncias, truques e floreios. “só 1%” http://www.etsga.org/Dr.%20Bob%20Strum-No%20One%20Ever%20Cared%20For%20Me%20Like%20Jesus.mp3] , e ele disse: "Nunca cante isto [desse modo] novamente na igreja."

Isso foi há anos atrás. Este homem dificilmente poderia tocar a mais simples melodia do mundo, na gaita, mas ele me disse isso, e eu prometi a ele que eu nunca iria cantar essa música daquela forma novamente. Este jovem homem é responsável por toda a sua família vir para Cristo. E por todo o tempo que eu o conheço, ele todos os dias tem passado um tempo a sós com o Senhor e colocado o Senhor à frente de qualquer amizade que ele tenha com outra pessoa.

Quando todos nós terminarmos de estudar a Bíblia neste culto, se muita coisa ainda estiver confusa (bem, eu tentarei tornar tudo simples; mas, se estiver confuso...) você pode sempre pedir socorro ao Senhor. Diga:

"Espírito Santo, ensina-me: Esta canção é 100% boa, ou há algo ruim nela?"

Se você tem uma dúvida, pergunte ao Senhor. "Provai os espíritos" é o que 1 João 4:1 diz: "se eles são de Deus." Você vai ser capaz de dizer [se a música é 100% boa, ou não]. Algumas músicas são tão ruins que você vai saber imediatamente que você não deve ouvi-las. Outras são mais difíceis de dizer. Eu ainda tenho dúvidas sobre certas canções que ouço. Há algumas canções que parecem ter uma boa mensagem, mas algo não parece certo. Queremos ser sensíveis ao Espírito Santo, portanto, se há algo [mesmo “somente” 10% ou 1%] de errado na música, nós não queremos cantá-la.

1. TENHA CUIDADO!

Vejamos 1 Pedro 5:8-9. “8 ¶ Sede sóbrios; vigiai; porque o Diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; 9 Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo.” (ACF). Esta é uma mensagem para os cristãos. Devemos ser cuidadosos, porque, embora Satanás não possa levar um filho de Deus para o inferno -- e louvamos a Deus por isso -- ele pode levar um filho de Deus para quase toda outra parte, se o deixarmos.

Eu nunca vou esquecer de algo que o grande pregador R.G. Lee disse no meio de uma mensagem que ele estava pregando sobre aquele homem gadareno enlouquecido, possuído pelo Diabo. Ele falou de como Cristo expulsou os demônios e os enviou para os porcos. Lembro-me dele pregando com muito fervor: "O Diabo vai viver em mim se eu deixá-lo, o Diabo vai viver em você, se você deixá-lo, mas se você chutá-lo para fora, ele irá rastejar pelo chão para algum sujo e nojento porco, e irá se sentir em boa companhia. E isso mostra que a segunda escolha do Diabo é um porco."

Eu nunca esqueci disso. Eu logo pensei que, se eu deixar meu corpo, meu espírito, e os meus pensamentos serem um lugar que acolhem as coisas que Satanás gosta de ter ao seu lado, que bagunça e sujeira eu me tornarei. Eu não gosto nem mesmo de pensar no que eu poderia me tornar. Este livro [a Bíblia] diz que o meu corpo é o templo do Espírito Santo, e eu quero ser exatamente isso [eu anelo ser o mais puro e santo templo, que mais agrade a Deus]. Deus diz que eu devo ser santo, e eu quero que o meu corpo seja santo. Eu quero ser assim, e o Espírito Santo dentro de mim anela que eu seja assim, e também deseja que você seja desse jeito.

É um pensamento incômodo. Quando eu penso em demônios enchendo um porco e quão sujo isto é, eu penso: Por que eu jamais iria querer estar perto de qualquer coisa que poderia ser do agrado de um porco? Agradeço a Deus porque, algum dia, seremos libertos do corpo desta morte, e nós não vamos estar perto de nada que seja sujo ou imundo. Você me pergunta “Não está você se autojustificando, Alan? Não está querendo comprar sua salvação pensando que você é justo o suficiente? Não está se julgando melhor do que os outros?” Não, é o Espírito Santo, dentro de nós, Quem nos diz que nós queremos coisas que sejam santas e puras [toda honra e glória são dEle]. Eu [de mim mesmo] nunca tive, de jeito nenhum, esses desejos antes de ser salvo, mas, agora, eu tenho [continuamente dados pelo Espírito Santo, toda honra e glória são dEle. Eu apenas sou movido, “arrastado” por Ele, e Ele é Quem opera.]

Na área de música, sou cuidadoso porque, num certo tempo, ela tragou-me [arrastou-me para longe de tudo que é puro e santo e perfeito]. O Diabo tinha o meu testemunho e assim ninguém pensava que eu era salvo. Por dois anos, ninguém poderia imaginar [pela minha música e carnalidade] que eu era um salvo. Por causa do pecado, o Diabo pode tragar nosso testemunho.

Então, devemos ser sóbrios e vigilantes, tome nota disso. Alguém pode dizer: "Mas isso soa como uma coisa cansativa." Bem, talvez seja, mas o que ela produz no final é liberdade em Cristo e muita alegria. Vale a pena estar sempre com olhos aguçados para perceber e evitar problemas e... a música é uma área de problemas.

2. MÚSICA PARA MARCHAR VERSUS MÚSICA PARA DANÇAR

 

O Diabo é nosso adversário. Ele é contra nós porque ele é contra Deus. Esta é a base da [sua] guerra contra o tipo de música para marchar. Deus tem nos dado uma maravilhosa música para marchar, mas o Diabo diz: "Se isso é o que Deus quer, então, eu sou contra", e o Diabo coloca uma ênfase sobre uma batida oposta da marcha musical. A música para dançar e a música para marchar são diretamente opostas, porque as batidas básicas delas são opostas. Sim, há outras coisas envolvidas, as quais nós vamos examinar, mas o Diabo é adversário de tudo o que Deus quer. Se Deus impulsiona para o bem, o Diabo arrasta para o mal. Se Deus diz: “Vá à igreja e ouça a Bíblia!”, o Diabo diz: “Vá para qualquer lugar e ouça outra coisa!” [E assim por diante.] Eu acho que isto é óbvio para as pessoas que têm ido à igreja por um tempo suficientemente longo.

Há uma diferença básica. A música para marchar tem a batida forte no um e no três. É UM, dois, TRÊS, quatro, UM, dois, TRÊS, quatro. [ouça, por exemplo, a marcha preferida da Marinha
http://www.4shared.com/mp3/ni-kXJjY/Cisne_Branco__Banda_de_Msica_d.html] Música para dançar tem a batida forte no dois e no quatro, É: um, DOIS, três, QUATRO, um, DOIS, três, QUATRO. [ouça, por exemplo http://www.portaltere.com/mid2/aquareladobrasil2.mid] Você pode ouvir este velho tarol da bateria tocando essa diferença [tarol é um tambor de diâmetro mediano e pouca altura, pequeno, de tom muito agudo, com cordas metálicas na membrana inferior, e geralmente fica ao lado na bateria de tambores].

A música do tipo para marchar é a música do soldado. Nós vamos descrever algo militar, se usamos o ritmo para se marchar. Se usamos o ritmo para se dançar, vamos retratar algo que é o oposto da marcha, algo sensual. Este é um elemento básico da música.

Temos que provar [testar] todas as coisas e reter o que é bom (1Tes 5:21). Uma vez que encontramos boa música, precisamos ficar com ela, e devemos abominar o que é mau. Efésios 5:10 nos diz para provar [experimentar, sentir o sabor] o que é aceitável ao Senhor. Eu quero que a minha música seja aceitável ao Senhor. Eu quero que Ele se agrade dela.

Somos espírito, alma e corpo, e Deus nos deu a música para nos abençoar no espírito, alma e corpo. Eis como ela se encaixa: Existem apenas três partes na música [a música em si, sem as palavras], porque Deus fez a música, e Ele fez a música para ser uma bênção para o homem. 1Tessalonicenses 5:23
- “... e todo o vosso (1) espírito, e (2) alma, e (3) corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo.” Tudo o que somos é afetado pela música.



3. MELODIA, HARMONIA, E RITMO

Como isso se aplica à música?
Como isso funciona?

1) O espírito lida com nossos pensamentos, e, particularmente, nossos pensamentos para com Deus. Se você não é salvo, o seu espírito está morto, e você não está pensando em Deus. Vai ser necessário alguém lhe falar sobre o Senhor para fazer você sequer começar a pensar sobre Ele [o verdadeiro Deus, o Deus triúno da Bíblia, o verdadeiro Salvador, da verdadeira Palavra de Deus, a verdadeira salvação]. Jesus disse a Seus discípulos: "... as palavras que eu vos disse são espírito e são vida" (Jo 6:63). Nas palavras de Deus há vida. É assim que temos a vida eterna: nascemos de novo através da semente incorruptível. Isso tem a ver com as coisas espirituais.

Tome a melodia, uma das [três] partes da música [a música em si, sem as palavras]. Melodia é para o nosso espírito. É para nos capacitar a ter comunhão com Deus. Se eu cantarolar [ou assobiar] baixinho... "Jesus Keep Me Near the Cross," [Cantor Cristão 289: “Quero estar ao pé da cruz, ... Sim, na cruz, sim, na cruz, sempre me glorio...”,
http://www.cyberhymnal.org/htm/n/e/nercross.htm] sem qualquer ritmo particular ou qualquer harmonia, eu estou elevando louvor ao Senhor. Essa canção é uma oração. Eu posso ajudar o meu espírito ao cantar uma melodia. Qualquer pedaço de música que tem uma melodia decente, apesar de não ter harmonia ou ritmo, pode ser utilizado para ter comunhão com Deus. Você pode pensar sobre o Senhor em seu espírito. Isso é o que é melodia.

2) Vamos falar da nossa alma. É aí onde estão os nossos sentimentos, emoções e afetos. Em nossa alma temos atitudes e sentimentos sobre as coisas que pensamos em nosso espírito. Você diz: "O que é isso?" Por exemplo, se eu digo "mãe", então, juntamente com o pensamento, que vem do seu espírito, você tem um sentimento na sua alma. Você diz: "Ah, minha mãe, que pessoazinha meio fora de moda e exigente!” ou você diz: "Ah, minha amada mãe, essa é a melhor coisa que já existiu!", ou talvez você tenha algo entre essas duas coisas. Se eu digo: "espinafre!" ou "óleo de fígado de bacalhau”, ou “jiló”, ou “mastruz", isso evoca um sentimento, um sabor mesmo. "Chocolate". "Circo". Você tem um sentimento, uma emoção de que vem junto com o pensamento. Isso é o que a alma é. Sua capacidade de gostar ou não das coisas é abrigada em sua alma. Isso é o que lhe dá a sua personalidade, basicamente - o que você gosta e não gosta, e como você reage a todas essas coisas.

Harmonia, diferentemente da melodia, é para a alma. Um monte de músicas evangélicas é escrita em tons maiores, pois eles são brilhantes e alegres. Como crianças na escola primária, muitos de nós já fomos ensinados que os acordes maiores são alegres, e os acordes menores são tristes. Se eu tocar uma série de acordes menores no piano, logo você estará muito oprimido e triste. Os acordes menores retratam tristeza. Não há nada de errado com acordes menores em si mesmos, mas devem estar presentes de forma equilibrada [como há boas receitas que usam só um pouco de amargo, lembro de polvilharmos algumas doces sobremesas com um pouquinho de pó de casca de toronja que minha avó fazia. Mas o amargo era pouco, e o doce o dominava]. Se vamos falar sobre como nosso Salvador era um homem de dores e experimentado no sofrimento, podemos querer usar alguns acordes menores - mas desejamos não o constante uso deles. Você precisa misturá-los e equilibrá-los com outros tipos de acordes.

Se eu cantar "There Is A Land That Is Fairer Than Day" [Cantor Cristão 508 “Eu avisto uma terra feliz ... Vou morar, vou morar, nessa terra celeste por vir!...”, http://www.joyfulnoisemusic.com/midi/congregation_hymns/jhv3/115_no_one_ever.mid] em um tom maior, o céu soa como um lugar maravilhoso. Mas se eu mudar isso para um tom menor –- conservando o mesmo ritmo e melodia -- todo o céu de repente não soa como um lugar tão feliz e maravilhoso. A única coisa que eu tenho que mudar para efetuar esse estado emocional diferente é a harmonia.



4. PINTANDO O TEXTO (através da música)

 

Meu avô tinha um primo que [no tempo do cinema mudo] tocava piano no cinema. Tudo o que ele fazia era assistir aos filmes mudos e tentar adequar, casar o piano ou a música de órgão com o que estava acontecendo no filme. Não havia palavras, todos os sentimentos e emoções que tinham que ser expressos eram expressos a partir do piano. Com certeza, havia um homem com cara de mau e com grosso bigode que queria casar com uma bonita senhora muito jovem, com o cabelo longo e loiro. Ela não queria nada com ele, portanto ele a sequestrou e disse... ou ela casava com ele ou ela morreria e, nesse momento, veio o bonito herói, que era o homem por quem a moça bonita estava muito apaixonada. O herói era grande e forte, e era um bom rapaz. Ele estava indo para salvar a bonita moça de Harry Lata de Óleo. Antes do filme terminar o vilão sempre descobre o que fazer - se ele não pode tê-la, então o trem vai parti-la ao meio. Ele então a amarra nos trilhos. O herói não pode resgatar a heroína até que ele pegue o cara mau, porque o bandido está mantendo-o longe de salvar a mocinha. Tudo isso está acontecendo sem palavras. Tudo foi construído apenas pelo acompanhamento do piano. Em algum lugar, então, o cara mau persegue o cara bom para tentar jogá-lo no precipício, e aí você tem a “música de perseguição”. É em um tom menor porque não é uma coisa feliz, e a “música de perigo e tragédia” vai crescendo rapidamente e cresce cada vez mais furiosa com a progressão da cena. Em seguida, eles mostram a ferrovia e o trem que está chegando cada vez mais perto da heroína, e o pianista tem algo chamado de um acorde de sétima completamente diminuída [por exemplo (C, E, G, B). O acorde mais feio e dissonante em http://www.duke.edu/web/mus065/lt7-c.mid], e ele continua aumentando o acorde meio tom a cada momento, para aumentar a tensão. É um tipo assustador de acorde, e que, também, é tocado cada vez mais furioso. Então, de repente, aparece a cena que mostra onde a mocinha está, e a “música de perseguição” recomeça. Então, volta a cena onde está a mocinha na estrada de ferro, e a música, neste momento, está num tom ainda mais alto, e mais furiosa. Depois volta à cena da perseguição ao herói e, em seguida, volta à cena da heroína na estrada de ferro. O ritmo da música aumenta a cada tempo, construindo o drama no coração do público.
Isto é chamado entre os músicos de “pintura de texto”. É pintar um quadro com melodias, harmonias e ritmos, de propósito, para afetar a forma como as pessoas respondem a alguma coisa. Há um monte de pessoas que fazem dinheiro assistindo à programas de televisão e escrevendo música para fundos musicais. Quando eu era menino, eu desligava o som quando eu assistia a filmes de terror na televisão, e então eles não eram mais assustadores. Pense em um cara cuidando de seu próprio negócio e andando por um beco escuro (Ninguém explica por que ele está andando por um beco escuro, provavelmente porque ele não raciocina bem!) sozinho à noite. Como background [fundo musical], você ouve um acorde menor crescendo em intensidade, e você, por causa da música, sabe que algo ruim está para acontecer a qualquer momento. Se você desligar o som, o efeito está arruinado. É a música que constrói o drama, que pinta a imagem. Estes músicos estão pintando um quadro por trás desse filme, e isso é um grande negócio. Eles manipulam os sentimentos das pessoas através de acordes, melodias e ritmos. Com todas as peças de música do compositor [com a enorme coleção que têm em sua cabeça: de notas, timbres, sons, acordes, efeitos, e truques], na sua palheta ele as mistura e pinta imagens. Ele pode até mesmo olhar para uma pintura e escrever uma canção. Ele pode olhar para o mar e as nuvens e escrever uma música sobre isso. Ele pode olhar para uma adolescente e escrever “Iracema, a virgem com os cabelos mais negros do que a asas da graúna." Ele pode olhar para as estrelas e escrever sobre todos os planetas. O compositor pinta um retrato musical de algo que ele vê ou sente.

A coisa mais nobre que se pode fazer é tomar as Escrituras e colocá-la na música da forma mais adequada [mais agradável a Deus], pintando um quadro correto e adequado.


5. A BELEZA DA SANTIDADE


Queremos olhar para os Salmos, por um momento. Salmo 29:1-2 -
“1 Dai ao SENHOR, ó filhos dos poderosos, dai ao SENHOR glória e força. 2 Dai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade.” (ACF). Este Salmo manda que adoremos ao Senhor na beleza da santidade. Parte do culto [isto é, da adoração] é louvar e cantar. O que, então, este Salmo quer dizer?

Mesmo quando eu ainda estava na igreja metodista, muito antes de ser salvo, ouvi a ordem
adorai o SENHOR na beleza da santidade, e eu pensei: "O que é isso?"

Antes de tudo, o nosso Deus é santo, e Ele disse que a definição é que bela é toda pessoa que vive santamente [para Deus]. Nenhuma jovem é bonita (não importa quão bonita ela possa ser considerada por seu rosto), se ela não vive santamente [para Deus]. Nenhuma coisa que o homem já criou (não importa o quão genialmente ela foi projetada pelo mais genial artista projetista e quão bem ela foi executada pelo mais hábil artífice) é uma bela obra de arte, se não foi feita para ser santa [para Deus]. Beleza e santidade andam juntas.

Agora, isso também é verdade, quando se trata de música e tocar instrumentos. Cada instrumento foi feito para ser tocado de um modo bonito. Deus deu a música aos judeus. Deus deu ao rei Davi a habilidade de fazer instrumentos, e a comunidade judaica de hoje, embora os judeus sejam inimigos do Evangelho, ainda tem uma particulazinha do que o Rei Davi teve. Muitos dos [melhores] músicos clássicos são judeus. Se você quer saber como um violino deve ser tocado, [vá à orquestra sinfônica do seu estado e] escute um homem judeu tocar. Se você quer ouvir como um oboé deve soar, [vá à orquestra sinfônica e] escute um homem judeu tocar este oboé.

Os músicos clássicos se esforçam para tocar com os tons mais bonitos que podem em seus instrumentos. Agora, é triste dizer, algumas das músicas que são escritas por eles não são músicas santas, e não importa o quão bem eles toquem, ela sai um pouco estranha. Mas se você quer saber como uma trombeta deveria soar, escute o tocador solista da primeira cadeira de uma orquestra. Essas pessoas são tão exigentes que eles são demitidos se eles vacilarem uma única e mais breve notinha em uma gravação ou concerto. Há quinze, vinte, setenta, setenta e cinco, cem pessoas esperando na fila para tentar tomar o seu lugar. Eles não se atrevem a vacilar em uma única nota sequer. Na realidade, alguns deles são demitidos em ensaios, se não tocarem bem o suficiente [se não forem velozes o suficiente em aprender a ser perfeitos].

Eu gostaria de dizer que nós podemos encontrar esse padrão de excelência entre os cristãos e dizer: "Isto é como uma voz deve soar”, ou “isto é como uma corneta barítona deve soar, isto é como um clarinete baixo deve soar, isto é como uma flauta deve soar ". Eu não tenho certeza de que podemos encontrar esta dedicação e esse padrão de excelência [na música cristã de hoje] [como têm, por exemplo, os músicos da New York Philharmonic ou Berlin Symphony Orchestra]. Às vezes, os cristãos se esquecem de que Davi era
"brilhantemente- hábil em tanger- um- instrumento- de- cordas" [1Sm 16:18, LTT], e nos esquecemos de colocar em prática o que Davi fez.

Hoje, quase não ouço um saxofone tocado bem. Nós quase não ouvimos as pessoas cantarem direito. Como é que isto pode ocorrer? Porque as pessoas não apreciam as coisas que são santas. Toda apreciação pela beleza vai embora direto pela porta juntamente com a falta de apreciação pelo que é santo. Depois disso, se alguém canta [ou toca] com um tom [ou técnica] pobre [ou não 100% espiritual, pura e santa], ninguém parece se importar.

Coisas belas [criadas por Deus] são belas porque foram feitas para ser um retrato das coisas santas. Agora tudo o que o homem tenta fazer bonito não é santo [em si mesmo], mas é pelo menos uma pintura de coisas santas. Nós temos que louvar o Senhor na beleza da santidade.

[As coisas bonitas que o homem faz, sendo uma pintura das coisas santas,] dizem-nos que o Espírito Santo que habita em nós é santo, por isso é que tais coisas são uma imagem de beleza. O Espírito Santo, Deus, que habita com o homem - ele é [a definição] de beleza pelo e para o Senhor.

A Sagrada Escritura, a perfeita Palavra de Deus, é uma perfeita imagem de beleza. O que este Livro faz por minha alma, por meus pensamentos, por minha vida, e por todos ao meu redor, é incrível e maravilhoso. Ele é santo, e é belo.

O santo matrimônio, como nós o chamamos, é suposto ser santo. Hebreus 13:4 diz:
“Venerado seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; ...” (ACF). O casamento é uma coisa linda. É uma imagem de santidade. A Bíblia diz: "Maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela" (Efésios 5:25 ). A Bíblia me diz que devo ser fiel a ela, não importa o que aconteça. A Bíblia me diz que devo amá-la, cuidar dela, zelar por ela, apegar-me a ela, ter-lhe em altíssimo valor, sabendo que ela é vaso mais frágil. E se ela me deixa triste, que é exatamente o que a igreja faz a Jesus Cristo por muitíssimos modos, mas se eu a amo ainda, este é um belo retrato de como Cristo nos ama como Sua noiva. Além disso, a esposa pode ser uma imagem de uma igreja que é obediente a Cristo, se ela é obediente a seu marido, e se ela o reverencia. Isso é o que Deus quer que aconteça em um casamento, de modo que esta é uma bela imagem de algo muito maior do que apenas nós dois nos tornando uma só carne – [é uma imagem] de Cristo e Sua igreja. O matrimônio deve ser santo.

Isto diz algo sobre a maneira como devemos adorar ao Senhor. Deve haver somente pura beleza no nosso canto, fluindo a partir das profundezas do nosso espírito e da alma, de modo que o que chega até fora deve ser agradável ao Senhor e deve ser uma bela imagem das coisas santas. TODA a música [cada e toda parte dela: letra, melodia, harmonia, ritmo] deve nos lembrar [somente] da santidade do Senhor.

Fui a Pittsburgh, Michigan, (para tocar em uma orquestra), e fiquei espantado no quão relaxado eu estava no tocante à música. Em todos os instrumentos, eles não permitem que [mesmo um jovem aprendiz] se toque mal nem sequer uma nota. Eles não podem pegar um instrumento e tocar um "dó" apenas por diversão [e de brincadeira e negligentemente]. Os professores não permitem. Cada nota que se toca deve ser pura [e perfeita]. É claro que há errinhos [involuntários] que cometemos [particularmente em novas músicas], mas o irmão Rick Town nunca deixaria uma nota com uma pontinha “azeda” ser tocada de propósito ou em tom de brincadeira. Ele disse: "Não! Todas elas [as notas] têm que se constituir no [mais perfeito e puro] louvor ao Senhor." Ele estava procurando realizar algo de mais belo e perfeito possível ao ser humano no tocar, de modo a mostrar a santidade do Senhor.

Isto é parte de “pintar o texto” – extrair da voz ou do instrumento o mais puro e perfeito som, as mais corretas e puras e perfeitas notas, de modo a pintar um perfeito retrato da santidade e pureza do Senhor.

Voltemos ao Salmo 66:1-2.
“1 Celebrai com júbilo a Deus, todas as terras. 2 Cantai a glória do seu nome; dai glória ao seu louvor.” (ACF). “1 Celebrai com júbilo a Deus ...” significa que nossa música deve ser alegre, com júbilo. Isso significa que devemos colocar verdadeiro [santo, puro] júbilo na música. Nós podemos pintar uma imagem de [profunda, sincera, santa e pura] alegria. "2 ... fazei glorioso o Seu louvor." (LTT) significa que a música deve ser honorável. De alguma forma, devemos retratar a honra do Senhor na música. " fazei glorioso o Seu louvor.". Não é dito que isto é pintura de texto, mas isso é sobre o que Deus está falando. Está dizendo que quando louvamos a Deus, este louvor deve ser glorioso. Deve vir do coração, em primeiro lugar, e, se isso acontecer quando nós levantamos nossas vozes e quando tocamos nossos instrumentos, devemos fazer o nosso melhor esforço para trazer glória ao nome do Senhor. Podemos pintar um retrato de um Salvador glorioso se cantarmos e tocarmos bem.

Isso nos diz algo mais. A música pode ser desonrosa; a música pode ser ingloriosa, e é isso que está acontecendo, hoje, na sua maior parte [da música das igrejas.]


6. RITMOS BONS E RITMOS MAUS


Eu disse que iríamos falar sobre ritmo. Há bons ritmos e maus ritmos. Eu quero lhe mostrar mais algumas coisas sobre pintura de texto. Pense em “How Firm A Foundation”
[“Que firme alicerce, ó santos do Senhor,/ Tereis pela fé em Jesus, o Salvador! / O Mestre querido vos há de guiar, / Ó vós que por Cristo viveis a lutar." (http://www.cyberhymnal.org/htm/h/f/hfirmafo.htm. [Sei que há noutro local bem honrado e tradicional, cantada em português, mas não achei. Alguém pode me ajudar com um link?] Em inglês começa assim: "Que firme alicerce, ó santos do Senhor, é edificar sua fé sobre a Sua Palavra excelente." Se eu tocar esta música com um toque de gaiatice, de "Jingle Bell", com um monte de notas altas e sem muito cuidado e respeito pelo original, as emoções tornam-se conflitantes com a majestade das palavras [escutem Ives ... Também escutem http://www.lutheran-hymnal.com/contemp/rk427.mid ou http://www.youtube.com/watch?v=JXvxiWmx2io]. Não serve. A música tradicional para esse canto, por outro lado, é profunda, intensa, forte, e pinta um quadro adequado de um alicerce extraordinariamente firme. Esta é a pintura de texto. É por isso que a música é tocada com um completo, rico, alto, arranjo que dá a ideia de inexcedível solidez [desde os alicerces mais profundos]. A música está falando sobre a Sua excelente Palavra, sobre as coisas inabaláveis de Deus, por isso é tocada com grande majestade e poder.

Considere [a 4ª estrofe de] o hino [398 do Cantor Cristão,
http://www.cyberhymnal.org/htm/i/t/i/itiswell.htm] "Sou feliz": “A vinda eu anseio do meu Salvador; / Em breve virá me levar / Ao céu, onde vou para sempre morar / Com remidos na luz do Senhor!” Em inglês equivale a “Ó Senhor, apressa o dia quando a fé será vista, as nuvens serão enroladas como um pergaminho, a trombeta ressoará ..." Aqui o hino está falando de trombetas e da vinda do Senhor, e nesse ponto da música existe realmente uma fanfarra [instrumentos de sopro tocados expressando a maior das alegrias, em algazarra] tocada no teclado [digital]. Isso é pintura de texto. Todas as notas que o pianista toca têm um significado. O momento, as notas, o ritmo - tudo tem significado. Mas gostaria você de colocar fanfarra no ponto da música que diz: “Embora me assalte o cruel tentador / E ataque com vis tentações,”? Ninguém quer alegremente saudar a vinda do Diabo. Não, a fanfarra é para o Senhor.

Poderíamos pensar em muitas músicas para ilustrar isso. Vamos considerar “Crown Him With Many Crowns," [
http://www.cyberhymnal.org/htm/c/r/crownhim.htm]", que é tocado em forma de marcha muito realesca, como na corte de um rei, porque estamos falando da realeza do Senhor. Da mesma forma, "I Sing the Mighty Power of God" [http://www.cyberhymnal.org/htm/i/s/isingthe.htm] é sempre cantada com um completo, profundo som que move [nosso coração].

E se eu for falar da paz de Deus? Considere, por exemplo, "Peace, Peace, Wonderful Peace." ["Paz, paz, maravilhosa paz.",
http://www.cyberhymnal.org/htm/w/o/wonpeac2.htm]. Você vai notar que as teclas são tocadas de leve e suavemente, de uma maneira tranquila e delicada. Por quê? Para descrever a paz que o Senhor nos dá. Você não iria tocá-la com uma batida pesada, você não tocaria no estilo de jazz pois tocando assim iria arruinar a beleza da música! Se você conhece as palavras de alguma música - se é paz, se é meditação, se é alegria, se é a grandeza do Senhor - então, olhe para o que está sendo mostrado através da música [em si, sem as palavras].

O que acontece quando as pessoas tomam os hinos antigos e acrescentam algo a eles que não faz parte deles? A imagem está arruinada. Considere o hino
Who can cheer the heart like Jesus ... All that thrills my soul is Jesus; He is more than life to me.["Quem pode alegrar o coração como Jesus ...Tudo que emociona a minha alma é Jesus, Ele é mais do que a vida para mim." http://biblestudycharts.com/SH_All_That_Thrills_My_Soul.html] A música tradicional apresenta uma imagem de quietude, de alegria, de alegria espiritual, de permanente relação adorável entre o crente e o seu Salvador. Por outro lado, quando essa bela canção é colocada com uma batida moderna, a imagem fica arruinada.

O santo relacionamento entre o cristão e Cristo não pode ser representado com a música do amor sensual do mundo. Hoje eles estão tentando colocar a música sensual dos anos sessenta em “All that thrills my soul is Jesus “, e ela não funciona! Alguém está pintando um quadro inferior à bela imagem do Senhor, Aquele que é o único que pode verdadeiramente alegrar a alma de um homem. Eles estão, assim, fazendo zombaria disto.

Vamos encarar [a verdade, os fatos]. As coisas que essas bandas dos anos sessenta [Jimi Hendrix; Rolling Stones; Frank Sinatra; The Beach Boys ; Ray Charles; Ike & Tina Turner; Elvis Presley; …] cantavam nos traziam namoradas que geralmente não duravam mais do que um par de semanas ou meses. (Não há nada na Bíblia apoiando ter uma namorada, ou ter encontros, ou ter casos, ou uma relação estável, isto é apenas um [mau] modismo americano). Ao usar [o tipo de] a música dos anos sessenta com um hino antigo, eles [os atuais compositores cristãos] colocam tudo o que volúvel, sensual, amor-doentio, animalesco, as coisas inferiores do mundo “All that thrills my soul is Jesus." [contraste http://www.jesus-is-savior.com/sounds/Hymns/allthatthrillsmysoul.mid  contra alguma versão rock/ country/ jazz/ rag]. Seu amor não é volúvel; Seu amor não é sensual, não é assim! E esses ritmos, tão inofensivos como algumas pessoas parecem pensar que eles são, não são inofensivos.

Considere o boogie, e os blues (que são apenas o boogie abrandado). Estes são ritmos muito semelhantes; apenas a velocidade é diferente. O ritmo de blues é encontrado nas baladas antigas. Centenas de músicas foram escritas para este ritmo "eight to the bar" (nome de uma banda de boogie dos anos 40 e 50. “oito até a barra” significa tocar duas vezes mais rápido, com duas notas em cada batida, oito em cada compasso]. Você já ouviu falar de " I Am Weak But Thou Art Strong" [originalmente:
http://www.cyberhymnal.org/htm/j/u/justaclo.htm] tocado com uma batida de boogie? [Não é boogie, é mais lento, mas é mau: http://www.youtube.com/watch?v=Z2VG5tzYm6E. Note a ênfase nos tempos 2 e 4, ao invés de 1 e 3. Note que dá vontade de dançar, mais do que marchar. Note a bateria, a batida, a síncope, ] É o jazz, estilo gospel/ [country] do sul. É o boogie. É um ritmo de dança. Músicos do gospel do sul têm destruído muitos dos hinos da fé usando esse ritmo de jazz.

Quando você coloca a ênfase na batida errada, [tudo] se torna música para dança, e apela para a sua carne, e alguém pode vender mais discos para você, porque sua carne gosta! Os ritmos apelam para a sua carne, e as pessoas que fazem os discos sabem disso. Eles não querem apelar para os cristãos espirituais que estão andando com o Senhor, eles querem apelar para as pessoas que não andam com o Senhor, porque eles sabem que o número dos que se consideram “cristãos” mas não andam com o Senhor é muito, muito maior do que o número dos que realmente querem e pagam o preço e conseguem andar com Ele. E às pessoas que fazem os discos mais importa vender mais discos. Eles ganham a vida estudando o que as pessoas estão fazendo, e se há uma coisa que sei, é que a maioria dos que se dizem “cristãos” não estão andando com o Senhor.



7. O EFEITO BOLA DE NEVE


Mais cedo ou mais tarde, os cristãos devem se livrar do tipo errado de música, ou ela vai levá-los para o caminho errado. Há bons cristãos que escutam, algumas vezes, a música errada; mas, depois que eles são instruídos, se eles continuam ouvindo isso e gostando, sei que algo não está certo. É uma forma de descobrir onde eles estão. [Depois de ser instruído e exortado,] você não pode [continuar a] alimentar-se da música carnal, e levá-la para dentro de si, sem que você seja carnal [e queira alimentar sua carnalidade].

Aqueles que tentam testemunhar às pessoas compreendem o poder da música rock, ou do barulhão da televisão, ou de alguma outra coisa acontecendo no fundo que os tira para longe daquele espírito de estar preocupado com a alma de alguém. Isto ocorre porque o apelo [dessas coisas] é para a carne, para afastá-lo do Espírito e ficar na carne. A Bíblia diz:
“... Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” (Gl 5:16 ). Se você não anda no Espírito, então você vai cumprir os desejos da carne, e a Bíblia diz que "havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado, e o pecado, quando é consumado, gera a morte" (Tg 1:15).

Eu não me importaria, nem um pouco, sobre nadinha disso [a assim chamada CCM = Contemporary Christian Music; ou MCC = Música Cristã Contemporânea; ou a MPC = Música Popular (alguns dizem Prá- pular) Cristã; ou “MCD = Música Cristã para Dançar”; ou Gospel Music; ou Música Cristã Sertaneja; ou Country Gospel Music; etc.] se isso não causasse danos a mim, nem a você [nem ao bom nome de Cristo, nem ao progresso do evangelho e ao engrandecimento, crescimento e pureza do Reino de Deus]... mas isso causa! Isso causa. Isso sempre causa! É que isso pode parece ser inofensivo quando os ritmos sensuais são um pouco disfarçados. Isso leva você a desejar ritmos mais sensuais, exatamente como qualquer outra coisa que é má e que vicia. Isso cria apetites sensuais. Isto acontece em cada área da vida. Se você toma um pequeno gole de cerveja [a cada fim de semana], logo você irá tomar dois, três. Você começa bebendo somente vinhos, logo avança para os bebidas mais fortes. Na cena de drogas, as pessoas começam somente com a maconha e o haxixe, logo passam a drogas mais pesadas. É uma progressão, como expressa na sequência de palavras da Bíblia:
"Terrena, animal, e diabólica" (Tg 3:15 ). Um pouquinho do mal até chegar a muito mais mal. A Bíblia adverte aos cristãos a permanecerem longe de falatórios vãos, “porque produzirão maior impiedade.” (2Tm 2:16 ). O pecado, as coisas más, as coisas não boas, aumentam em progressão geométrica, aumentam aceleradamente a cada dia. É o efeito bola de neve. Você coloca uma pequena bola de neve no topo da colina e a empurra um pouco [somente almejando que ela desça 1 metro da montanha], e em breve ela vai rolando cada vez mais veloz e cada vez mais para baixo, cada vez mais ajuntando a si mais e mais neve, e logo você tem um completo boneco de neve, ou uma avalanche, ou qualquer outra coisa muito maior do que a bola de neve com que você começou. É um efeito bola de neve quando se trata de seu corpo gostar de certos ritmos que servem para despertar suas paixões. [Se você começar com 1 kg, fatalmente chegará a 1 tonelada algum dia, talvez 10.000 toneladas de uma avalanche]

O Diabo usa uma progressão para chamar as pessoas para longe de Deus e da santidade. Não havia quase ninguém da minha geração dos anos sessenta que iria cantar uma música sobre a adoração ao Diabo. Por uma questão de fato, no final dos meus anos de rock, mesmo eu não sendo salvo, era uma coisa difícil para mim cantar canções que mencionavam o Diabo. Eu não conseguia entender o que os Rolling Stones estavam fazendo ao cantar em louvor ao Diabo. Eu pensei: "O que isso tem a ver com hambúrgueres e batatas fritas e meninas e praias e Coca-Cola e surf e Woodies?" Não imaginava, até depois que eu fui salvo e comecei a ler a Bíblia e descobri que o Diabo tem tentado fazer com que todos o adorem. E ele leva cada geração tão baixo quanto ele pode [depois vem a geração seguinte para ele a levar ainda mais baixo].

Quando você muda o ritmo, você tende a mudar o estilo de como uma pessoa canta. Se você toma “I Was Sinking Deep In Sin” ["Eu, perdido pecador / Longe do meu Jesus / ... / Cristo me amou, e me livrou / O Seu imenso amor", Cantor Cristão 46, originalmente
http://www.hymntime.com/tch/htm/l/o/v/lovelift.htm] e a toca com um fundo musical de boogie e blues [pequena amostra em http://www.cduniverse.com/search/xx/music/pid/1418563/a/Love+Lifted+Me.htm], você se sente como se estivesse cantando com um [sensual] estilo Elvis Presley. É difícil tocar ritmos carnais e cantar espiritualmente.

Dos três aspectos da música, é o ritmo que deve ser o menos importante. É o espírito que é o mais importante. Música de dança é principalmente para o corpo. Não é algo que agrada aos pensamentos e espírito. Não é algo que, realmente, apela aos sentimentos.


8. SÍNCOPE

Outro tipo de ritmo é o sincopado.

[Nota da Tradutora: Na realidade, síncope não é um tipo de ritmo, mas um veneno que pode ser adicionado a todos os ritmos. Veja este resumo em Wikipédia:
      “Na música, síncope inclui uma variedade de ritmos que são, de alguma forma, inesperados, que fazem um melodia ou parte dela se tornar fora da batida e do tempo [normal e esperado]. Mais simplesmente, síncope é um termo geral para "perturbação ou interrupção do fluxo regular de ritmo": "É colocação de tensões rítmicas ou ênfases rítmicas onde eles normalmente não ocorrem" .
A síncope é usada em muitos estilos musicais, e é fundamental em estilos como jazz ragtime, jump blues, funk, reggae, rap, música de dança progressiva eletrônica, rock, metal progressivo, breakbeat, drum'n'bass, samba, baião , ska, e dubstep. "Toda música de dança faz uso de síncope e ela, muitas vezes, é um elemento vital que ajuda a juntar as faixas de música [de uma coleção, de modo que a dança não para entre uma música e a seguinte]". Sob a forma de uma contra-batida [backbeat], síncope é usada em praticamente toda a música popular contemporânea.”
http://en.wikipedia.org/wiki/Syncopation
      Uma contrabatida ou contratempo [backbeat], é uma ênfase na batida sincopada "off" [isto é, que devia ser não enfatizada]. Em um ritmo simples 4/4, elas são as batidas 2 e 4.
http://en.wikipedia.org/wiki/Beat_(music)#Backbeat

Este é o tipo de música chamado de Rumba com a acentuação [a ênfase, a batida forte] somente um pouquinho fora da batida, assim ela tende a balançar. E quando a música constantemente balança e põe a acentuação fora do tempo, é sensual. Elvis Presley costumava fazer isso em todas as suas canções. O conjunto “Pedro, Paulo e Maria” também usou a Rumba, mas eles tocavam mais lento e em volume mais baixo. É o mesmo sincopado, o mesmo “eight to the bar”, do ritmo boogie. Ele apela para as pessoas porque é sensual. Os grupos de surf da costa oeste na década de sessenta usavam os mesmos ritmos, só que tocavam mais alto e mais rápido. Era o mesmo tipo de música de dança sincopada, e aumentou o apelo sexual da música. À medida que os anos passaram, a música ficou mais alta, mais rápida e mais complexa em alguns casos, mas é o mesmo tipo básico de batida.

Se alguém já ouviu tocar um grupo africano de tambores, ele vai entender que os músicos americanos de rock estão apenas apreendendo os ritmos africanos.
Na África, os pagãos são capazes de tocar "poli-ritmos." Poli, é claro, significa muitos. Eles têm todos esses tambores e outros instrumentos de percussão, instrumentos de ritmo, fazendo todos os sons diferentes, e eles podem ouvi-los. Eles podem fazer um ritmo com os seus pés, outro ritmo [um pouco diferente] com o seus troncos, um pouco mais com seus braços, e um pouco mais com os seus dedos e pulsos, alguns mais com suas cabeças, e eles podem dançar seis ou sete ritmos diferentes ao mesmo tempo. É uma coisa incrível; no entanto, tudo é sensual, é tudo para agradar e mover- excitar a carne; e está tudo criado por sua capacidade de ouvir e colocar em seus corpos os ritmos de dança que foram criados especificamente para fazer os seus corpos se moverem de tal forma que não são pudicas [recatadas, castas, com pudor, puras]. Eles fazem o corpo se mover para chamar a atenção para as partes do corpo de uma forma que é inadequada [são sem pudor, despertam a lascívia, o desejo sexual ilícito].

Isso é tudo o que está acontecendo no cenário do rock hoje. Eles estão recuperando alguns desses ritmos africanos. E, claro, os adoradores de Satanás têm apenas aumentado os amplificadores até o grau mais elevado, e muitos deles não sabem mais, musicalmente, o que eles estão fazendo. Eles estão apenas fazendo muito barulho. Alguns deles não estão, na verdade, tocando os acordes; não há sequer qualquer harmonia ou melodia lá, apenas um monte de barulho. Não há nada para o espírito, nada para a alma, é tudo para o corpo [para a carne]. Agora, temos a música Rap. O que aconteceu com a melodia? Ela se foi. O que você não sabe é que eles estão fazendo este tipo de coisa na África há milhares de anos, e há gravações disto. Às vezes, eles vão continuar por horas. Você fala sobre maratonas de dança! Eles dançam até que desmaiam e caem possuídos por demônios, e então eles voltam a si e dançam novamente.

O que temos na América é um bando de jovens que são tão controlados pelo Diabo que, quando você tenta falar com eles a respeito do Senhor, eles não podem ouvir ou entender você por causa da música que corre em fúria dentro deles. Eles estão tão controlados por uma música má que eles não podem pensar sobre a sua alma e seu espírito.
Os grupos de rock gospel de hoje não são todos barulhentos. Existem variações porque o Diabo sabe que tipo de música você gosta e tenta alcançá-lo com o seu tipo de música. Há, realmente, alguma música barulhenta para quem gosta desse tipo, e há alguma música não tão barulhenta para quem gosta da mais tranquila.

Pense assim: De um lado você tem Deus, e no extremo oposto você tem o Diabo. O Diabo se opõe a tudo o que tem a ver com Deus e quer chamar as pessoas para longe de Deus e da santidade. Como ele faz isso? Ele trabalha por graus, por uma progressão. Veja o que acontece. Idealmente, todo mundo deveria estar mais do lado de Deus, cantando, louvando-O, buscando-O, temendo-O, encontrando benefício com Ele, agradando-O e servindo-O. É assim que todo mundo deveria ser. Deste lado temos a música que é santa e pura, música que trata com a natureza espiritual do homem.

Agora, vamos dizer que adicionamos um pouco de ritmo sensual para uma canção que era 100% espiritual. Nós fazemos isso apenas um grau de distância da música verdadeiramente espiritual, santa. Ela vai apelar para um monte de “cristãos”. Então nós temos alguma outra música que realmente é boogie, mas nós a chamamos de Gospel Sulista, e que irá agradar a muitos cristãos. Eles tentam se desculpar, dizendo que “a diferença é apenas o estilo [uma levíssima diferença de sotaque e não de caráter. É apenas o estilo de música das minhas raízes culturais, do meu povo, da minha meninice. Por que temos que sempre ser escravos de um só estilo de música, ainda mais de um outro povo e tempos, o estilo da Europa dos século 16 a 19?”] [Respondamos:] Não, não é [apenas uma levíssima diferença de sotaque e não de caráter]!!! É boogie woogie, mas alguns cristãos ainda pensam que é OK. Depois, há a MCC, Música Cristã Contemporânea, que soa como se estivesse sendo cantada em uma boate [algo para estimular fornicação]. É claro que [a MCC] é um grande negócio $ hoje, e está mais longe ainda de pintar um quadro adequado de nosso Senhor.


9. ALCANÇAR OS JOVENS ATRAVÉS DE SUA PRÓPRIA MÚSICA?

Depois, há aqueles que usam a música "rock cristão". Eles dizem: "Eu acredito que nós podemos alcançar os jovens, se apenas tocarmos o tipo de música deles." Eu não acredito nisso, porque antes de eu ser salvo, fui ouvir um rock and roll por um grupo que cantava canções sujas no sujo ritmo de rock and roll, mas eram canções que também tinham palavras falando sobre o Senhor Jesus. Você sabe o que eu disse? Como um músico do rock and roll, eu disse: "O que eles estão fazendo tocando minha música? Eles são cristãos! [Não deviam estar tocando do modo sujo que eu toco, mas no modo que eu esperaria deles]". Eu [conhecia o mal de perto e de dentro e intimamente, e] tinha bastante bom senso que me impedia de [me auto- enganar e] acreditar que eles estavam fazendo algo bom. Sim, eu fui ao show, mas eu não gostei [fiquei surpreso, chocado, indignado]. E todos eles tinham cabelos compridos e gordurosos. Havia um cara [muito diferente], um cara de grande altura e que se levantou com uma Bíblia no final do concerto e pregou. Seu cabelo era cortado acima de suas orelhas, e você sabe o que? A ele eu ouvi. Depois eu não quis falar com nenhum dos membros da banda imunda. Eu senti que eles eram piores do que eu era. Eu apenas olhei para eles e pensei: "[Se um dia eu chegar a ser convertido e a crer e passar a ser um crente,] eu não quero ser assim." Eu falei com o cara alto e, apesar de eu não ter sido salvo naquela noite, fiquei um pouco impressionado e fui para casa naquela noite e conversei com minha mãe sobre o que aconteceu. Foi apenas um ou dois anos mais tarde que fui salvo.

Eu não compro esta ideia de que temos que ser parecidos e tocar nossa música como o mundo, a fim de alcançá-los. Se você está tentando trazer pessoas para Cristo, você tem que mostrar-lhes que o Senhor é diferente do mundo, e Ele é. Ele é santo, e este mundo é profano. A música rock cristã não pinta uma imagem correta do Salvador. Foi aquele cara, com seu cabelo curto e vestido a caráter, [com palavras e modos muito diferentes deles] quem pintou um quadro mais adequado do Senhor, e eu estava disposto, pelo menos, a falar com ele.

[No início da descida da ladeira,] você tem uma música que é cantada e tocada por supostos cristãos, mas não é música cristã [começou a afastar-se 1 metro, que é pouco em relação a 1000m, mas é sinal que a corrente da âncora se partiu, o barco vai pouco a pouco ser levado pela correnteza]. Amy Grant fez um pouco disso [no Brasil, eu diria: Vencedores por Cristo dos anos 70, Elo e Logos dos anos 80, etc.]. Eles chamam isso de “música-ponte, música para a travessia”. Ela cantou uma música com um dos cantores do grupo de rock Chicago.      [Anos] depois, você tem o usual country/sertanejo, e rock and roll, e grande banda de música, e boogie woogie, e tempo do rag, e todo o resto. E fica pior e pior e pior. Finalmente, você tem a música do heavy metal, e eis que, de repente, estamos adorando o Diabo. Ninguém chegou lá com um pulo [único, súbito e gigantesco]. Não, é uma progressão. O Diabo quer que nos conectemos em qualquer lugar ao longo dessa linha, e o fluxo sempre se move para longe de Deus e da santidade. [É a esteira rolante que leva do absolutamente santo para o absolutamente carnal. Primeiro imperceptivelmente, depois mais visivelmente. Depois de subir nela, você não precisa fazer mais nada, basta ficar parado e será levado na direção do terreno, animal, e diabólico]

Onde é que o Diabo tem conectado você com ele, hoje? Eu vou ouvir qualquer coisa que Deus vai permitir, mas se [não tenho 100% de certeza que] Deus sumamente aprova isso como Seu melhor [com máxima alegria e aprovação de Sua parte], eu não quero isso. Eu sei que se eu for ouvir a música que é mesmo um grau fora do padrão de Deus, o Diabo vai me tentar para cair para dois graus fora, depois três, depois quatro, depois cinco. O Diabo não descansa, ele simplesmente continua. "Por que você apenas não muda aqui um pouquinho?"

Certa vez, um pastor me disse: "Você sabe, aqueles crentes negros [americanos, com toda a música pagã africana trazida para dentro das suas músicas Gospel] realmente estão com tudo! Por que você não coloca alguns desses ritmos em sua música? Com sua voz e seu talento ...". Eu pensei: "Para trás de mim!" Eu não disse isso [e não completei o versículo “para trás de mim, Satanás!”], mas eu só balancei a cabeça [dizendo que não]. O evangelista que estava lá disse: " Irmão Ives, nunca deixe decair [o padrão de] a sua música"

Eu olho para a minha música, e às vezes, eu me pergunto, "Estou eu um grau fora [do caminho para a perfeição que Deus quer que seja o caminho que todo crente se esforça para caminhar, no mais célere ritmo que puder]? Estou dois graus fora? Estou apenas me enganando, Senhor?" Eu quero estar no que é certo. [Eu quero o supremamente bom, o melhor, não o bom, não o usual, não a moda.]

Algumas pessoas dizem: "Por que você faz da batida o fator decisivo [para aceitarmos ou guerrearmos contra uma execução musical?]" [Respondo que é] Porque a batida controla o resto, controla a harmonia e a melodia, e o ritmo é o único elemento da música para o qual posso [mais facilmente] encontrar, dentro e fora da Bíblia, como e onde desenhar uma [bem definida, e clara, e fina] linha divisória [1mm para fora dela é totalmente mau e inaceitável, 1 mm para cá dela é totalmente bom e aceitável]. Se alguém diz que a batida não é o lugar para decidir [se uma música (de boa letra e boa identificação com compositor e divulgador) é boa e aceitável], então não há outro lugar [para se decidir].


[Nota da Tradutora: Não tive ainda tempo de pensar nas razões técnicas e práticas, e possivelmente escrever uma profunda explicação que excede meus (poucos) conhecimentos da matemática e fisiologia da música. Mas, depois de ponderar e orar anos e anos sobre o assunto, o Espírito Santo que habita em mim me faz ousar ter duas sólidas convicções sobre os outros 2 dos 3 componentes da música em si (sem palavras):
      A melodia tem que ser simples, direta, sem "enfeites do presente século", sem nenhum apelo à carnalidade.
      A harmonia também tem que ser simples, direta, sem "enfeites do presente século", sem nenhum apelo à carnalidade. A grande maioria das músicas na igreja deve ser em tons maiores (mesmo que tenham uns raros acordes menores, onde, raramente a letra exige a expressão de profunda tristeza). Devemos quase que somente usar consonâncias, com poucas 7ªs (a menos má das dissonâncias), mesmo assim obrigatoriamente "resolvidas" logo em seguida (isto é, a sequência de acordes logo chegue à consonância esperada, um acorde de tônica que forme uma cadência perfeita). Jamais usar nenhuma trítona (acordes que causam muito má tensão emotiva/ na alma. Cada trítona  tem espaço de 3 tons = 6 semitons entre 2 das suas notas, por exemplo Fá-Si. A pior trítona é 4ª aumentada, a segunda pior é a 5ª diminuída. Todas as outras diminutas também formam trítonas, são ruins, mas não tão ruins, e talvez (talvez) possam ser usadas super-raramente, desde que a frase, o compasso que as contém, imediatamente as "resolvam."]

Alguns dizem: "Eu não gosto do volume." Bem, a Bíblia diz para fazer um barulho alto ao Senhor. Você não pode usar o volume para decidir se a música é boa ou não.

Algumas pessoas dizem: "Eu não gosto da velocidade da música." Não há nada na Bíblia que indique quão rápido ou quão devagar se deve cantar uma canção (assumindo-se, é claro, que se cante não tão rápido que não se consiga entender as palavras nem se pensar sobre o que você está dizendo.)

Alguns dizem: "Eu não gosto de nenhuma bateria." Há baterias em uma tradicional banda militar marchando [e elas são OK]. Há címbalos altos e altos sons de címbalos no Salmo 150. Há adufes na Bíblia. Você não pode descartar instrumentos de percussão só porque ritmos errados podem ser tocados neles. Ritmos errados podem ser reproduzidos em um piano, também. Piano éum instrumento de semi-percussão, e assim é o violão [acústico], porque as cordas são golpeadas. Assim também é o cravo, assim são os sinos. O único lugar para traçarmos a linha divisória [entre música aceitável e não aceitável, sem considerarmos as palavras] é o lugar do ritmo.

[Nota da Tradutora: Discordo completamente:
- Em primeiro lugar, na adoração DIRETA a Deus, no Templo, só podiam ser usados harpa e lira, instrumentos de cordas que só podem ser tocados tangendo uma corda de cada vez. Outros instrumentos (de sopro e de percussão) somente podiam ser usados nas festas cívicas (como Israel era uma Teocracia, as festas cívicas também continham louvores a Deus pela vitória que dera sobre os inimigos, mas eram festas cívicas e não exclusivamente de adoração DIRETA a Deus, no Templo. Címbalos eram usados como metrônomo. Ver:
Autoriza Sal 150 Tambores, Rock, Dancas E Tudo que agrade à carne e ao mundo? -- Helio 
Baterias, ou não? Todo Tipo de Instrumentos, ou não? todo tipo de Musica, ou não? (resumo da minha posição) -- Helio
A Música Santa Na Igreja -- Hélio. 
Brass, Strings, and Percussion Instruments In Worshiping In The Church -- Cloud. 
Eze28:13 Não Justifica Tambores E Sax-Jazz Na Igreja -- Hélio. 
Metais, Cordas e Percussão, na Igreja? - Metropolitan Tabernacle 
Não Palmas, nem Ritmos e Instrumentos Dançantes, nem Música Tipo Carismáticos - Hélio, 1999 
- Em segundo lugar, uma analogia: Todos sabemos que no céu e com nossos corpos glorificados, os homens não casarão nem as mulheres serão dadas em casamento, seremos como os anjos de Deus, mas sabemos que anjos são do sexo masculino e a Bíblia não diz que mulheres virarão homens no céu, nem que seremos todos assexuados, somente diz que não casaremos, não nos reproduziremos; portanto, no Milênio, quando, com nossos corpos glorificados estivermos reinando sobre a terra para nosso Salvador e Senhor, se houver necessidade um homem glorificado e uma mulher glorificada que nunca se tinham visto antes poderão dormir no mesmo quarto e até na mesma cama de uma pousada, e nada de mal acontecerá, pois pecado será uma impossibilidade para eles. Mas, hoje, com nossos corpos passíveis de pecado, e para evitar a aparência de pecado, nunca deverão nem andar sozinhos a menos de centenas de metros um do outro. Semelhantemente, talvez no Milênio se pudesse usar um tambor num culto a Deus num edifício, como se usa em algumas peças clássicas tocadas pelas orquestras sinfônicas. Mas, hoje, meus 38 anos como crente envolvida no ministério de música de igrejas, meu observar de tragédias em igrejas batistas que, numa geração, passaram de farol de luz para podridão de atum podre, na área de música, me dão a certeza de que colocar uma bateria (quer de couro e metal, ou escondida dentro de um teclado digital, ou dentro de ”playbacks”) numa igreja e pedir aos jovens que só a toquem como tocariam no Milênio e na orquestra sinfônica, é como eu deixar em um lugar baixo 1kg de alcatra para degelar e pedir a meu cachorrão Boxer (Punch) que não o coma enquanto eu vou às compras... A tragédia é certa!

Você diz: "Eu não gosto do estilo que eles estão usando." Respondo: É o ritmo que causa esse estilo.

Você diz: "Eu não gosto dos acordes que estão tocando." Respondo: Eles estão tocando os acordes porque casam bem com o ritmo [o ritmo pede por eles].

Você diz: "Eu não acho que as pessoas devam bater palmas." Respondo: A Bíblia diz:
"Batei palmas, todos os povos." (Sal 47:1 ). Depende de como você bate palmas: se você bate nas batidas um e três, ou se você bate nas batidas dois e quatro!

[Nota da Tradutora: Discordo completamente: Palmas durante o culto a Deus em reunião da igreja, palmas acompanhando o ritmo de uma música e reforçando seu apelo para dança, sempre são muito más, pois sempre incentivam à dança [e identificam com carnalidade, pentecostalismo, shows gospel, e outros erros terríveis]. Agora, bater palmas em aplauso, sem ritmo, sem sincronismo, mas como expressão de puro e santo júbilo, fora dos edifícios da igreja, são OK. Palmas em aplauso por seu filho ganhar um prêmio, chegar de longa viagem; palmas ao ver um soterrado ser salvo por um heroico bombeiro; etc. Ver
É Certo Levantar as Maos Na Hora do Louvor? -- R.P. Mendes 
A Música Santa Na Igreja -- Hélio. 
Bater Palmas E As Escrituras -- LMorais
Danca Liturgica -- LBMorais
Danca Na Biblia -- SBacchiocchi
Danca Nas Igrejas -- DCloud
Não Palmas, nem Ritmos e Instrumentos Dançantes, nem Música Tipo Carismáticos - Hélio, 1999 
V. Nunca Ouve Canta Musica Secular -- Helio
]

Escusado será dizer, claro, que as palavras de uma canção devem estar certas. Devem ser aquelas que nós checamos com a Bíblia. Mas, além disso, é o ritmo da música que determina se ela está certa ou errada.

Espero que você entenda isso. Quando você ouve ritmos sensuais mundanos em uma canção, apenas remova-a [imediata e completa e definitivamente. Desligue o som, remova do computador, destrua o CD ou DVD, levante-se com firmeza e afaste-se do prédio da igreja, etc.]. Tais ritmos não vão ajudar [seu crescimento, sua vida espiritual, seu testemunho].


10. MÚSICA É UMA VOZ E DEVE DAR UM SOM CORRETO

Em 1 Coríntios 14, o apóstolo Paulo faz referência à música enquanto explica o que é certo e errado sobre a nossa forma de falar, e se devemos ou não falar em idiomas [de países estrangeiros, portanto desconhecidos à maioria dos crentes presentes, portanto simples tentativa de imitar os dons exclusivos dos 83 apóstolos e discípulos escolhidos por Cristo corporal e pessoalmente visível]
“7 Da mesma sorte, se as coisas inanimadas, que fazem som, seja flauta, seja cítara, não formarem sons distintos, como se conhecerá o que se toca com a flauta ou com a cítara? 8 Porque, se a trombeta der sonido incerto, quem se preparará para a batalha? 9 Assim também vós, se com a língua não pronunciardes palavras bem inteligíveis, como se entenderá o que se diz? porque estareis como que falando ao ar. 10 Há, por exemplo, tanta espécie de vozes no mundo, e nenhuma delas é sem significação.” (1Co 14:7-10 )

O versículo 7 diz que mesmo um tubo de órgão ou uma harpa devem ser tocados distintamente. Quanto mais notas erradas você emitir, menos os ouvintes poderão dizer que música você está tocando. Se eu tocar "Jesus Loves Me" [ http://www.hymntime.com/tch/htm/j/e/s/jesuslme.htm, Cantor Cristão 542: “Cristo tem amor por mim, ... Ama os meninos, ama as meninas, Jesus, o Salvador”] e começar faltando notas, você pode não ser capaz de dizer o que eu estou tocando. A voz já não é distinta. Queremos atingir a nota certa, no tempo certo, ou ninguém vai saber o que estamos tentando dizer com a música.

O versículo 8 menciona o som incerto. Se você não tem certeza da nota certa, se você não canta ou toca com o espírito certo, ninguém está realmente certo de que tipo de som você está fazendo, e eles não vão se juntar à sua causa. Eles não vão acreditar no que você canta ou toca. Eles devem saber o que realmente você está tentando dizer. Quando se trata da música do soldado de Deus, ninguém vai se reunir à causa de Cristo e vai ganhar almas, se você está cantando uma música com uma mensagem [as palavras, a letra] de salvação de almas, porém com o tipo de música [melodia, harmonia e, principalmente, ritmo], por trás da mensagem, que é associada como o espírito do mundo, [que diz:] "Deleite-se ao máximo no seu próprio prazer. Seu prazer é o que importa. Deixe os outros pra lá. Viva sua vida e deixe os outros viverem as deles." Deleitar-se ao máximo no seu próprio prazer é o caminho natural do pecador. Você não pode ter uma mensagem mista [a letra tentando elevar o espírito a Deus, a música agradando à sua carne].

Quem iria querer desperdiçar o seu tempo cantando uma música que não reúne todos para a causa de Cristo? Por que cantar [1 segundo de] música gospel, se ela está tão longe do ideal para o céu? Os únicos outros motivos são o dinheiro, a popularidade, a fama - estes não são motivos nada bons. Deus vai dizer: "Madeira, feno e palha, ó crente.”

O versículo 9 diz que a mensagem deve ser ”bem inteligível”, isto é, "fácil de ser compreendida." Se minha música fica muito complicado com tantas vozes, muito em breve ninguém vai saber o que estou dizendo. Se o volume [ou mesmo a floreada técnica instrumental, etc.] sobrepujar ou ofuscar o canto [ou mesmo se a floreada técnica vocal sobrepujar a mensagem das palavras na sua simplicidade, etc.], ninguém vai saber o que estou tentando dizer. Se eu tocar um arranjo que foi feito para o piano e troco muitas notas de maneira que os ouvintes não possam dizer qual a música que eu estou tocando, o que é que eu estou fazendo de bom? Precisamos ter cuidado para que o que estamos tentando dizer seja fácil de ser entendido. Nem todas as pessoas são um gênio da música. Um cristão precisa ter certeza, antes de tudo, de que a mensagem chegue de forma que as pessoas vão entender facilmente que você está exaltando o Senhor Jesus e falando de Seu sacrifício no Calvário que está disponível para que todos possam ser salvos. A música em si [sem as palavras], e a técnica vocal, precisam ser [muito] simples [e puras].

O versículo 10 diz que cada voz tem significação. Isto é verdade para a música. Cada grupo ou banda está tentando dizer algo. Algumas pessoas dizem: "A música não diz nada, ela apenas existe por si mesma." A palavra "significação" quer dizer “expressar algo, expressar uma mensagem através de sinais ou símbolos.” Cada música que você ouve está tentando dizer alguma coisa. Quando a música toca, é fato que simboliza algo. Ela pinta um quadro. Pessoas que tocam uma música [considerando-se a música em si mesma, sem as palavras] estão dizendo algo através do jeito de tocá-la: "Esta declaração é aquela com que eu concordo." A música sempre lhe diz para fazer alguma coisa. Ela o irá incentivar e levar a uma ação, seja esta boa ou má. A música [em si mesma, sem as palavras] sempre vai significar algo, sempre irá dizer alguma coisa de forma muito forte, mesmo que implicitamente. Ela não vem fora e diz explicitamente: "faça este mal; faça este mal." Ele sempre fala fortemente, mas implicitamente: "Sinta-se desta forma sobre isso, pense nisso dessa forma." Sem vir a público e falar explicitamente, ela o atrai e empurra e arrasta para você seguir um certo caminho. A música [em si mesma, sem as palavras] é importante, ela tem um forte significado e uma influência quase que irresistível.

Nunca deixe ninguém lhe dizer: "Ora, é apenas música [, nada mais]!" Isso é o que todos os roqueiros gospel dizem. Isso é o que a Stryper [banda pioneira de rock heavy-metal cristão, de 1983] diz sobre sua música. "É apenas música, portanto isso não significa nada." Sim, ela significa. Toda música [em si mesma, sem as palavras] é uma voz no mundo, e ela não é sem significação. Toda música [em si mesma, sem as palavras] certamente quer dizer alguma coisa. O que a Música Cristã Contemporânea [carnal, dançante, que atrai multidões e dá muita fama e dinheiro, etc.] quer dizer, se você quer ser suficientemente franco e verdadeiro para admitir claramente, é que você pode ser um cristão e viver tão sujo quanto você quiser. Essa é a maneira mais simples e verdadeira com que você pode resumir toda a questão. Se você conhecesse a vida dessas pessoas [todos os roqueiros gospel mais famosos e ricos, e Ives se refere a todos os que ele conhece, nos USA], você não iria querer imitá-los, você não iria segui-los, e você nunca iria receber qualquer ajuda espiritual a partir deles, se você pudesse vir a encontrá-los ou conhecê-los. Eles estão lá fora ganhando dinheiro, levando o seu dinheiro e enganando você, porque você acha que há algo lá que é cristão, - mas não há.

Se eu cantasse rock gospel, eu ficaria envergonhado diante de meus professores da universidade que me ensinaram muito mais e muito melhor do que isso. Eles sabiam a diferença entre as vozes que estão no mundo. Eles sabiam que os sons devem ser puros, e que a música deve conter beleza. Os compositores clássicos, mesmo os que não foram salvos, diziam que a música era para o refrigério da alma e para retratar as coisas enobrecedoras da vida. Nossa música cristã deve ser compreensível para as pessoas que a ouvem. A melodia deve ser clara, e a harmonia e o ritmo devem pintar um retrato de Cristo.

Se usarmos ritmos sujos, harmonias sujas e melodias sujas, não estaremos pintando um quadro adequado de Cristo. Se usarmos os ritmos sensuais e as harmonias que o mundo usa hoje, então, em vez de pintar um quadro do Cordeiro puro e imaculado de Deus, vamos pintar um Cristo pervertido e fornicário. O que fazemos com a nossa música é muito importante.

Deixe-me ler um poema, e eu terminarei. Que tipo de Cristo é retratado pela música que você ouve? Como e o que você pensa de Deus, quando você ouve a música que você ouve?

Retratos de Jesus, pelos homens feitos, são muitos, eu os ouvi,
Mas nenhum deles pode se comparar ao encontrado na Palavra de Deus.
Meu Salvador, nenhum artista tem retratado com justiça,
Mas grandes são os versos de Deus, a verdade ali exibida.

É ali que vejo Jesus no madeiro do Calvário,
O Cordeiro de Deus uma vez por todas abatido em meu lugar.
Suas pisaduras para a minha cura, Suas feridas pagando o meu pecado,
O sangue lá Ele derramou
Mais alvo que a neve me tornou.


A agonia suportada em seu corpo naquele dia
Foi o peso de minhas iniquidades retiradas.
E levadas foram as minhas transgressões;
Ali Ele me fez puro pelo perfeito desígnio de Deus.
Filho de Deus sem mancha, sem pecado, sem culpa
No monte Gólgota Ele carregou a maldição e a vergonha.
Ali, Aquele que era justo em meu lugar foi morto
Para de graça me dar a justiça que eu não poderia ganhar.
Nas pinturas nenhuma limpeza para o pecado posso encontrar;
Nenhum descanso para o meu espírito, nenhuma paz para minha mente,
Mas ali, na tela da Escritura, eu vejo
Meu Salvador, meu Resgate, que morreu para me salvar.


Esforcemo-nos para que a nossa música seja pura como as palavras de Deus e pinte um retrato de um Cristo Maravilhoso e Salvador que derramou Seu sangue para que nossos pecados terríveis pudessem ser perdoados. Eu amo o Senhor. Ele me mudou completamente, e eu quero que a minha música, e a música de todos os cristãos, façam com que os homens saibam de um Cristo que é muito puro, muito maravilhoso





Alan Ives

Traduzido e adaptado por Valdenira Nunes de Menezes Silva, a partir de
http://www.biblebelievers.com/Ives1.html


_______________________________________________________________________________________





Mesmo se não der para você entender todo inglês (eu mesmo estou ficando enferrujada e não pego muitas palavras), ouça, gratuitamente,
http://beemp3.com/download.php?file=11031042&song=A+BIBLICAL+LESSON+IN+MUSIC . Alan Ives faz ótimas demonstrações, tocando vários pedacinhos de conhecidos hinos, cada pedacinho entoado de várias maneiras diferentes, ficando mais que claro que as mesmas notas, a mesma harmonia, o mesmo ritmo, as mesmas palavras, podem ser tocadas com harmonias e, particularmente, ritmos, maneiras variando desde extremamente carnais até aceitavelmente santas.

Depois, eu vou procurar comprar alguns downloads pagos (embora baratos) demonstrando a diferença entre a música cristã muito ruim, a ruim, a quase boa, e a totalmente boa. Estão no em
http://www.wayoflife.org/publications/video/music_for_good_or_evil.php, o download dos 3 DVDs fica por US$ 18.00 (R$ 40.00)



Todas as citações bíblicas são da  (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As  e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de
http://solascriptura-tt.org)


(retorne a http://solascriptura-tt.org/
LiturgiaMusicaLouvorCulto/
retorne a http://
solascriptura-tt.org/ )