É ERRADO "BRIGAR" POR ESTILOS DE MÚSICA CRISTÃ?
 

David Cloud



Reimpresso em 21 de fevereiro, 2006 (primeiramente publicado em 8 de junho de 2003) (Fundamental Baptist Information Service).

Em janeiro deste ano, Jack Graham, presidente da Convenção Batista do Sul, disse que é errado "Ficar todo nervosinho a respeito dos tipos e os estilos da música" na igreja.  Falando na Conferência Evangelística do Mississippi em Tupelo, Graham disse:  "Eu não me importo se você está cantando música Gospel do Sul [dos Estados Unidos], hinos clássicos ou canções contemporâneas no louvor e na adoração -- se ela for sobre Jesus, eu me animo com ela" (AgapePress, 31 de janeiro de 2003). Ele disse que está cansado de "guerras [a respeito de estilo] de adoração" e que esta é a hora de parar de debater a respeito de estilos de música e os de adoração.

Aparentemente, Graham não teria nenhum muro de separação com respeito à música Isto é, todo e qualquer estilo de música é igualmente bem-vindo].  O único perigo que ele vê é o perigo da divisão [de igrejas e denominações].

Eu tenho algumas perguntas para o Pastor Graham:


Não devemos nós analisar qual "Jesus" ou qual "espírito" ou qual "evangelho" a música está apresentando (2 Cor. 11:1-4), e ao estarmos fazendo assim, isto [quase sempre] não cria divisões e perturbações nas igrejas?  Você está dizendo que tais divisões e perturbações são erradas, mesmo que a Bíblia nos ordene a fazer exatamente essa coisa?

Como a Bíblia contém muitos avisos contra o mundanismo, é errado para o povo de Deus tentar aplicar aqueles avisos à música?  Isso [quase sempre] não resulta em debates e mesmo em divisão?  São tais debates e divisão errados, mesmo que seja a Bíblia, ela mesma, que contenha aqueles avisos?

Similarmente, como a Bíblia contém muitos avisos sobre a apostasia do fim dos tempos, é errado o povo de Deus aplicar aqueles avisos a o campo da música cristã?  E tal aplicação não resulta [quase sempre] em debates e mesmo em divisão?  São tais debate e divisão errados, então, mesmo que seja a própria Bíblia que contenha aqueles avisos?

E, como a Bíblia diz, nós temos que fazer uma distinção entre aquilo que é espiritual e aquilo que é carnal, aquilo que é santo e aquilo que não é santo. É então errado o povo de Deus procurar aplicar uma importante verdade bíblica à música? Eu tenho mais uma pergunta. Se um pregador, tendo orado sobre isto e estudado o assunto seriamente, for convencido que Deus o tem conduzido a tomar uma posição contra certos tipos de música que acredita serem erradas e prejudiciais ao testemunho de Cristo e à pureza das igrejas, deve ele manter sua boca fechada meramente por a causa da paz e para agradar àqueles que pensam que área de música não é uma área em questão [ou não deve ser questionada, para assim se manter uma falsa paz, falsa porque covarde e antibíblica]?


Se alguém conhece Jack Graham, por favor transmita-lhe estas perguntas e rogue-lhe que as responda.




Distribuído por Way of Life Literature's Fundamental Baptist Information Service,
http://www.wayoflife.org/fbis/subscribe.html.  


Traduzido por Valdenira N.M. Silva, fev. 2006.
 




Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ LiturgiaMusicaLouvorCulto/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )