A QUESTÃO FUNDAMENTAL A RESPEITO DA MÚSICA CONTEMPORÂNEA DE ADORAÇÃO [MMC, Música Cristã Contemporânea]

(THE FUNDAMENTAL ISSUE WITH CONTEMPORARY WORSHIP MUSIC)


David Cloud, July 2013


(trechos de http://www.wayoflife.org/index_files/paul_chappell_misses_fundamental_point.html)


... ... ...


A questão fundamental não é que não há uma grande variedade de estilos musicais aceitáveis e que não há uma grande elemento de "gosto pessoal" em música sacra. Eu certamente não nego isso. Eu gosto de uma ampla gama de música sacra desde Hale & Wilder até à Marshall Family, desde os hinos protestantes antigos e sóbrios que podem ser ouvidos no Tabernáculo Metropolitano em Londres até aos hinos dos nativos de Nepal e que não soam como nenhum hino ocidental.

A questão fundamental não é se a igreja usa guitarras ou um pandeiro ou um banjo, ou se as pessoas batem palmas, ou se elas são “ordeiras e não barulhentas” ou “desgovernadamente barulhentas”.

A questão fundamental não é a forma como os cantores seguraram um microfone. Aspectos de performance e de estilos de canto são importantes, mas eles não são o problema fundamental.

A questão fundamental não é se a música foi escrita por batistas [refiro-me a batistas verdadeiros, bíblicos, sadios, exemplares].

A questão fundamental não é nem mesmo o quanto ou que tipo de síncope é aceitável dentro dos limites da música sacra ou que tipo de sequências de acordes produzem que tipo de resposta nos adoradores. Aspectos de síncope e de sequências de acordes e outros aspectos da estrutura da música são importantes e devem ser estudados e analisados pelo povo de Deus, mas esta não é a questão fundamental.

A questão fundamental é que a música de adoração contemporânea representa o fim dos tempos, [a galopante tendência para] uma "igreja" unificada mundial com todas as suas apostasias e heresias e os perigos espirituais, e aqueles que estão se envolvendo com esta música em particular estão construindo pontes para um mundo mais perigoso. Essas são pontes que serão atravessados por indivíduos, famílias e igrejas.

A questão fundamental é que o uso da música contemporânea é um terreno escorregadio para longe das fortes convicções bíblicas.

Isso não pode ser refutado. Nós documentamos isso com quase 500 páginas de informações no livro The Directory of Contemporary Worship Musicians, e nas apresentações de vídeo The Transformative Power of Contemporary Praise Music and The Foreign Spirit of Contemporary Worship Music, e temos disponibilizado gratuitamente tudo isso no web site da Way of Life. Esta informação foi recolhida durante um período de 40 anos desde que fui confrontado pela primeira vez com a MCC quando eu era um jovem cristão nos meus 20 e poucos anos e comecei uma vida inteira de estudo da questão, com muita oração.

Muitos homens têm emitido este aviso.

Ernest Pickering: "Talvez nada precipita um deslizamento em direção ao Neo-Evangelicalismo mais do que a introdução de Música Cristã Contemporânea. Ela conduz inevitavelmente a uma descida gradual em outras áreas até que a igreja inteira é infiltrada por ideias e programas alienígenas quanto à posição original da igreja" ( The Tragedy of Compromise: The Origin and Impact of the New Evangelicalism, Bob Jones University Press, 1994 [“A Tragédia do Fazer Concessões: Origem e Impacto do Neo-Evangelicalismo”].

Gordon Sears: "Quando o padrão de música é abaixado, então o padrão de vestimenta também é abaixado. Quando o padrão de vestimenta é abaixado, então o padrão de conduta também é abaixado. Quando o padrão de conduta é abaixado, então o senso de valor a ser dado à verdade de Deus é abaixado " (Songfest Newsletter, Abril de 2001).

Victor Sears: "Bons batistas fundamentalistas e outros que recusam os ensinamentos da multidão carismática sobre línguas, sinais, milagres, e assim por diante agora estão cantando suas músicas em nossas igrejas e preparam o nosso povo para o mundo, a carne e o diabo. Este movimento é o novo cavalo de Tróia... para amortecer nossas igrejas em relação à verdade espiritual " (Baptist Bible Tribune, 1981).

Frank Garlock: "Se uma igreja começa a usar música gospel acabará por perder todos os outros padrões" (culto na capela da Bob Jones University, 12 de março de 2001).

Quando se trata de pontes construídas a partir de igrejas bíblicas e levando à MCC, a influência é apenas em uma direção [mão única]. Igrejas bíblicas que pedem emprestado e usam músicas de louvor contemporâneas não influenciam o mundo da MCC. Essa multidão não tem nenhuma simpatia com o que defendemos. Eles estão entediados com a nossa música e não têm interesse em nossa posição. Eles acham que os nossos padrões são tolos e ultrapassados, na melhor das hipóteses. Eles desprezam [a doutrina da] separação [bíblica]. Eles até mesmo a consideram uma heresia farisaica.

Na direção oposta, muito definidamente, crentes na Bíblia são influenciados pela multidão da MCC quando eles (os crentes) constroem pontes naquela direção. Podemos ver isso em cada lado ao longo dos últimos 20 anos ou mais. A aceitação da música contemporânea tem sido o coração e a alma de cada exemplo em que uma igreja anteriormente do tipo separatista bíblica e que cria [literal e conservativamente] na Bíblia mudou sua postura. Talvez exista uma exceção, mas eu não sei de nenhuma. Temos muitos exemplos documentados do desabamento de separatismo entre os batistas Fundamentalistas, disponíveis como um e-book gratuito de www.wayoflife.org . [http://www.wayoflife.org/free_ebooks/collapse_of_separatism.php , http://www.wayoflife.org/free_ebooks/transformational_power.php e http://www.wayoflife.org/free_ebooks/path_from_ib_to%20shack.php]

A razão para isto é que música de culto contemporâneo (MCC) não é apenas música. Mesmo quando suas letras são bíblicas e seu ritmo de rock é atenuado, tais músicas representam uma filosofia de [um tipo de] cristianismo que agressiva [ou traiçoeira e sutilmente] se opõe a [tudo] que as igrejas biblicistas representam, em oposição a uma firme e inabalável posição doutrinária, em oposição à separação estrita do mundo, em oposição à separação eclesiástica .

Eu nunca ouvi falar de uma igreja batista [fundamentalista] independente tornar-se luterana por cantar "Castelo Forte" de Lutero, ou tornar-se metodista por cantar hinos de John Wesley, mas sei de MUITAS que desceram ladeira abaixo pelo caminho da filosofia contemporânea por ouvirem música de adoração contemporânea.

Os escritores dos antigos hinos protestantes [estamos reconhecendo a diferença entre reformados dos batistas] não representam um movimento que foi agressivamente oposto ao cristianismo biblicista, separatista, e do modelo bem antigo. Mas a multidão da adoração contemporânea da forma mais definida representa tal movimento. Os antigos protestantes não representaram a [horrorosa] “Igreja” do fim dos tempos (a “Igreja” em comunhão com Roma), mas a música de adoração contemporânea o faz da forma mais definida.

Dan Lucarini, autor de Why I Left the Contemporary Christian Music Movement: Confessions of a Former Worship Leader (“Por Que Eu Deixei O Movimento De Música Cristã Contemporânea: Confissões De Um Ex-Líder Da Adoração”, diz:

"NINGUÉM DEVE NEGAR O PODER DA MÚSICA PARA FAZER PROSELITISMO! Pastores em particular, devem defender os seus rebanhos [separando-o para longe] de falsos ensinos, heresias e “coceira nos ouvidos” que trazem sensualidade mundana para dentro da congregação; você está certo ao apontar com que facilidade isto entra em uma igreja através da música de adoração. PARECE MAIS SENSATO RECUSAR O USO DO QUE PARECE SER UMA MÚSICA PERFEITAMENTE BOA, EM VEZ DE DAR ALGUMA HONRA E UMA APARÊNCIA DE ENDOSSO AO COMPOSITOR E SUA MISSÃO" (Dan Lucarini, e-mail, 24 de maio de 2009).



MÚSICA DE LOUVOR CONTEMPORÂNEA E A ERA DA INTERNET

Estamos vivendo na era da tecnologia do final dos tempos, o que significa que não se pode mais usar canções e hinos sem os ouvintes serem capazes de entrar em comunicação com os autores com grande simplicidade. Sim, mesmo 30 anos atrás [anos 70], não era possível entrar em contato com facilidade e ser influenciado por autores de música cristã, mas isso mudou drasticamente com a Internet.

Agora, se as pessoas em uma igreja que [real, literalmente, em cada palavra] crê na Bíblia começarem a ouvir músicas de Jack Hayford ou MercyMe ou Graham Kendrick ou Stuart Townend ou Darlene Zschech ou Keith Getty, músicas ouvidas em "forma atenuada [da sensual música do mundo]" em muitas igrejas que creem na Bíblia hoje, [então, pouco depois,] tais pessoas podem facilmente procurar por aquele grupo ou indivíduo na web e entrar em contato íntimo com eles - não só com sua música (interpretada no estilo do "real" rock and roll ao contrário das versões “atenuadas” tocadas e cantadas em igrejas que estão apenas começando a se envolver com música de adoração contemporânea), mas também com a sua filosofia ecumênica / carismática / de “uma só igreja mundial”.

... ... ...

A questão fundamental em relação à música é que imprudentes pontes [filosofia ecumênica / carismática / de “uma só igreja mundial”] estão sendo construídas por homens que deveriam ser mais prudentes e sábios.

Por outro lado, agradeço ao Senhor pelos muitos pastores que estão resistindo à maré e não seguem a multidão. Reproduzo abaixo um dos muitos testemunhos que tenho recebido de pastores que têm escrito para mim ao longo dos últimos anos:

"Eu aprecio especialmente o seu foco sobre as origens da MCC e o resultado daquilo em que ela se tornou. Você está certo em dizer que a MCC tem o mesmo espírito que levou à apostasia do final dos tempos. “Não haja muros de separação, haja unidade e unicidade” é o seu grito. Tenho notado até mesmo na nossa igreja que, quando um jovem começa a ouvir MCC, então a [doutrina bíblica da] separação e a busca por normas e padrões parecem bobagem para eles. Eles começam a amoldar-se a toda a mentalidade MCC e eu tenho notado como eles ficam entediados e aborrecidos com a pregação da Bíblia [pelo menos em certos assuntos]. Felizmente, há jovens aqui que desejam fazer o certo e conhecer os perigos do MCC, principalmente por causa do seu trabalho sobre este assunto. Obrigado. Isto tem sido um grande incentivo e ajuda para mim como um Pastor. "




David Cloud

(traduzido por Valdenira N.M. Silva, julho.2013)