Graves Problemas Doutrinários em Algumas [17?] das 95 Teses de Lutero




A maioria dos crentes de hoje, sem jamais ter examinado bem as famosas 95 teses de Lutero, assume que todas elas foram corretíssimas e elogiáveis denúncias dos erros e heresias do romanismo. Eu mesmo ouvi e li isso muitas vezes. Hoje, alertado por um artigo de Solano Portela, pela primeira vez fui examinar de perto as 95 teses, e vi que assumir aquilo estava a anos luz da verdade, pois algumas das 95 teses de Lutero realmente têm respaldo bíblico e combatem as heresias da mãe das prostituições, a igreja Católica Romana, mas algumas outras teses têm gravíssimos problemas doutrinários, chocam-se frontalmente contra a Bíblia, são mera herança e contaminações provindas do romanismo:



A) Lutero faz referência ao Purgatório (sem esboçar nenhuma, a mais leve contestação à esta heresia, portanto ele a aceitava) em 12 das suas teses, as de números 10, 11, 15, 16, 17, 18, 19, 22, 25, 26, 29, e 82. Por exemplo, a tese 29 reza “Quem disse que todas as almas no PURGATÓRIO desejam ser redimidas? Temos exceções registradas nos casos de SÃO Severino e SÃO Pascal, de acordo com uma lenda sobre eles”.



B) No romanismo, santos são definidos como: pessoas mortas (de preferência como mártires, quanto mais tiverem sofrido melhor) que viveram uma vida exemplar na terra; e a quem a Igreja Católica determinou que asseguradamente estão com Deus; e que têm tamanho saldo positivo de boas obras sobre más obras, que podem emprestar parte de seus créditos aos pecadores que a ele apelarem como medianeiros, os quais, em função do crédito tomado emprestado e das intercessões do santo, poderão ter seus pedidos ouvidos por Deus, e boa parte de seus pecados perdoados; um bom santo deve ter sido o autor de milagres; pode-se e deve-se invocar mortos, se eles tiverem sido declarados santos, por Roma. Bem, Lutero, na tese 29 acima vista, chama homens de "Santo" (ou "São"), na acepção romanista.



C) Na tese 75, Lutero chama Maria de "mãe de Deus", sendo óbvio que Lutero considera que um pecado contra Maria é maior do que um pecado contra toda e qualquer criatura. É evidente que Lutero, na expressão “mãe de Deus”, tem o conceito católico da expressão, que concede a Maria uma posição especial e um poder sobrenatural, muito acima dos concedidos a todos os demais seres humanos, mesmo os maiores profetas e apóstolos e “santos”. Diz a Tese 75– “É loucura considerar que as indulgências papais têm tão grande poder que elas poderiam absolver um homem que tivesse feito o impossível e violado a própria MÃE DE DEUS.



D) Quatro teses (77, 5, 6, 9) deixam claro que Lutero considera a instituição do papado, a figura do Papa, como perfeitamente válidas, e que Lutero acreditava na sucessão apostólica, sendo cada Papa o legítimo sucessor do primeiro Papa, que teria sido Pedro, cada Papa passando o bastão ao seu sucessor, numa cadeia sem quebras. Por exemplo, a tese 77 diz “É blasfêmia contra SÃO Pedro e contra o PAPA dizer que São PEDRO, se fosse o PAPA ATUAL, não poderia conceder graças maiores [do que as atualmente concedidas].



Ver também
http://www.rapidnet.com/~jbeard/bdm/exposes/luther/general.htm (ah se alguém traduzisse isto para eu publicar...)
http://www.rapidnet.com/~jbeard/bdm/exposes/luther/martin.htm (idem)




Hélio de Menezes Silva







Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ PessoasNosSeculos/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )