Adventistas do Sétimo Dia:
A “Igreja do Fim” ou o Fim da Igreja?


Pr. Miguel Ângelo Luiz Maciel


 
 
“E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.” – Apocalipse 12:17
 
 
 

0.    Introdução

Um jovem, uma escolha, uma “Igreja”[1]. A capa da revista adventista apresenta sutilmente a própria igreja do sétimo dia como a “Esperança Para as Grandes Cidades”[2]. Ao mesmo tempo em que um jovem universitário, russo e negro, aparece ao lado dos dizeres “Escolhi o Sábado”[3] – sábado aqui escrito com letra maiúscula e em bastante destaque.
 
Para os desavisados, inclusos os que não se importam em averiguar a verdade a respeito da seita da qual fazem parte, não são evidentes e nem sequer notadas, as tentativas de minimizar o racismo propalado por seus fundadores e a evidente substituição do Senhor Jesus Cristo como Salvador, pelo sétimo dia que salva, arrastado por todas as doutrinas embasadas em um arminianismo craso e descabidamente dissimulado.
 
Embora apresentem um discurso que levaria qualquer crente verdadeiro, mas pouco interessado em confrontar as heresias sabatistas, a acreditar que eles são inofensivos por fazerem afirmações tais como: “temos hoje 66 livros na Bíblia, contendo todo o conhecimento necessário para a salvação[4] ou “em Seu sofrimento (referindo-se a Cristo), morte e ressurreição, Deus  proveu o único meio de expiação do pecado humano, de modo que os que aceitam essa expiação pela fé possam ter vida eterna[5], suas doutrinas são completamente contrárias às Sagradas Escrituras e ao cristianismo bíblico.
 
Este pequeno estudo tem por objetivo demonstrar, através da Bíblia, os falsos ensinos sabatistas a respeito do remanescente que deverá enfrentar a grande tribulação dos últimos dias. Que Deus abençoe a todos os que lerem estas linhas dando-lhes verdadeiro discernimento espiritual.
 
 

1.    A Igreja do Fim?

Para não perdermos muito tempo e irmos direto ao assunto, enumeremos rapidamente algumas doutrinas básicas dos adventistas, que se apresentam como a “Igreja do Fim”. Os adventistas afirmam que:
 
i.       A Bíblia é revelação de Deus, mas a verdade se perdeu com o passar dos séculos.
 
ii.     “A estratégia de Satanás” foi criar “muitas igrejas falsas: A prostituta e suas filhas – Apocalipse 17”[6].
 
 
iii.   “O plano de Deus” se resume a “uma igreja verdadeira: a mulher virtuosa de Apocalipse 12”[7].
 
iv.   “Com o objetivo de restaurar a verdade Deus estabeleceu uma igreja que deveria cumprir a missão descrita em Isaías 58:12”[8] (restaurar a guarda do sétimo dia, o sábado cerimonial judaico no meio cristão gentílico).
 
v.     “Deus restaurou a verdade (a guarda do sábado) por meio da Sua Igreja”[9] (os próprios adventistas).
 
vi.   Para a restauração da Igreja do fim, Deus convocou Ellen Gould Harmon (depois que se casou com James White, tornou-se Ellen Gould White), para ser a profetisa do fim dos tempos.
 
vii.  O selo de Deus é o sábado velho testamentário.
 
viii.  O Espírito de Profecia são os escritos “proféticos” da Sra White.
 
ix.   Atualmente Jesus Cristo está observando os que guardam o sábado e os que guardam o domingo, em um santuário celestial, para complementar a salvação somente dos que são obedientes em guardar o sábado.
 
x.     O sábado é o selo de Deus, o domingo a marca da besta.
 
xi.   A tribulação começará com um “Decreto Dominical”. Quando isso acontecer, a porta da graça será fechada e somente os adventistas fiéis serão salvos.
 
xii.  Os adventistas fiéis serão perseguidos por se recusarem a deixar de guardar o sábado durante a grande tribulação.
 
Os ensinos básicos acima apresentados (restauração da verdade perdida, uma igreja verdadeira estabelecida por Deus nos últimos dias, um grupo perseguido por suas crenças exrtra-bíblicas, um fundador ou fundadora detentor da última mensagem dada por Deus, ou profeta próprio) são muito semelhantes em seu âmago aos ensinos apresentados pelas Testemunhas de Jeová, pelos Mórmons, pela Ciência Cristã e muitos outros, com uma ou outra modificação descritiva.
 
Podemos afirmar, de modo bem direto, sem a casca bem disfarçada de suas publicações bem trabalhadas, que fica evidente para qualquer diligente estudante da bíblia que há algumas contradições diretas de seus ensinos mirabolantes com a Palavra de Deus. Por exemplo, podemos questionar:
 
i.      Se a verdade foi perdida ao longo dos séculos e a igreja de Deus naufragou, então Jesus Cristo mentiu, contradizendo-se em Mateus 16:18, pois segundo o Senhor a igreja prevaleceria ao longo dos tempos até a consumação dos séculos - Mateus 28:20.
 
ii.     Se o selo de Deus é o sábado estabelecido para os judeus, então Paulo mentiu, contradizendo-se em Efésios1:13, quando apresentou o Espírito Santo como o selo de Deus.
 
iii.   Se Jesus Cristo precisa complementar a salvação, então Ele mentiu, quando na sua morte afirmou que o sacrifício estava consumado - João 19:30, isto é, que tudo o que deveria ser feito para a salvação foi realizado.
 
iv.   Se a porta da Graça se fechará e apenas os adventistas fiéis ganharão a sua própria salvação, obedecendo preceitos da Lei mosaica, então Paulo mentiu em todas as suas epístolas (veja como exemplo Gálatas 5:4 e Efésios 2:8-9), onde afirmou categoricamente que a salvação nunca ocorre pela guarda da Lei mas sim pela Graça.
 
v.     Se o adventista se salvará por guardar a Lei, então observar apenas os 10 mandamentos contradiz toda a Bíblia, que reconhece todo o Pentateuco como a Lei de Deus (II Crônicas 34:14; Neemias 8:8; Lucas 24:44; João 1:17, 10:34; Atos 13:39);
 
vi.   E, finalmente: Se os adventistas são a Igreja do Fim então devemos rasgar vários textos da Bíblia, inclusive Apocalipse 22:18-19, invalidando assim todas a Sagradas Escrituras.
 
Vamos um pouco mais fundo em uma das doutrinas adventistas, verificando a interpretação que fazem de Apocalipse 12, onde afirmam que a profecia se refere a eles como a mulher que dará a luz ao messias e ao remanescente.
 
 

2.    O Fim da igreja?

O livro que está sendo utilizado para as campanhas “evangelísticas” dos adventistas em 2009[10], apresenta mais detalhadamente a doutrina de que são a “igreja remanescente”. O capitulo 9 do livro tem como título “Uma Estranha Perseguição”. Vejamos algumas declarações do Sr Bullón.
 
Segundo o autor após a idade média “um grupo de cristãos voltaria a ser perseguido por sua insistência em obedecer à Bíblia e somente á Bíblia” [11]
 
Como Satanás levou a raça humana por um caminho de mentira, atualmente “existe um grupo de pessoas que estuda a Bíblia e não se deixa enganar[12] .
 
Segundo as explicações dadas pelo Sr Bullón, em Apocalipse 12 a  “mulher perseguida é um símbolo da igreja de Deus[13], e a “obstinação desse povo perseguido está relacionada principalmente com um assunto que a imensa maioria considera um detalhe tolo[14] e que Apocalipse 12:17 refere-se à “igreja dos últimos dias[15], a “igreja do tempo do fim[16].
 
Essa igreja do fim teria um selo, que a identificaria com Deus e a diferenciaria dos enganos de Satanás. Ainda mais, “por trás do selo de Deus está o desejo de se salvar[17] e “estão o Pai, o Filho e o Espírito Santo[18]. Qual seria o selo de Deus, então? Então categoricamente diz que “a Bíblia afirma que é o sábado[19] enquanto apresenta a marca da besta como sendo o domingo.
 
Se você é um adventista e está lendo este texto, deve estar muito eufórico, pois crê piamente nestas doutrinas. Acredita de todo coração que sua salvação está garantida se permanecer fiel à “Igreja Remanescente”, não é mesmo?
 
Saiba que eu compreendo sua euforia. Eu mesmo já cri, durante muito tempo, nesta armadilha. Antes de minha conversão também acreditava que se “apostatasse” da “igreja do fim dos tempos” perderia a salvação. Dou Graças a Deus que o Senhor Jesus Cristo me abriu os olhos e me deu a vida eterna pela Graça, sem as obras da Lei – cerimonial ou moral como queira, embora a Lei seja uma só -  (Por favor, leia Efésios 2:8-9).
 
Oro para que ocorra o mesmo com você. Por favor, sei que será difícil continuar por causa da revolta que você sente no coração ao ver tudo que você acredita ser confrontado. Eu também entendo isso, me sentia assim todas as vezes que alguém me apresentava as doutrinas bíblicas que são contrárias às interpretações adventistas. Era como uma espada enfiada em meu coração (Hebreus 4:12).
 
Sejamos sinceros, se os adventistas estivessem certos, durante séculos o mundo contemplou o fracasso da igreja de Cristo e Satanás triunfou sobre a igreja de Cristo. E se a interpretação dos adventistas de Apocalipse 12 está correta, isto representara o fim da igreja estabelecida por Cristo, invalidando assim todo o Novo Testamento, fazendo dos escritos de Ellen White substitutivos para toda a Bíblia!
 
Isto tudo é mais que heresia, é BLASFÊMIA!
 
 

3.    Quem é a mulher de Apocalipse 12?

Se você não é adventista deve estar estupefato. Não é para menos, podemos resumir assim:
 
i.      Os adventistas crêem que podem garantir a salvação guardando o sábado;
 
ii.     Os adventistas crêem que, se deixarem a igreja, perdem a chance de se salvar – ou a salvação que julgavam ter sendo fiéis à guarda do sábado;
 
iii.   Os adventistas crêem que a única solução para o mundo é a conversão de todos os demais crentes para suas fileiras – guardando o sábado;
 
iv.   Os adventistas crêem que, todos aqueles que não guardam o sábado não poderão se salvar.
 
Toda esta problemática interpretação pode causar arrepios se pensarmos mais demoradamente nas conseqüências de suas reivindicações. Homens como Charles H. Spurgeon, D. Martin L. Jones e outros tantos defensores da verdade que creram apenas em Cristo para salvação estariam perdidos, pelo simples fato de não terem feito parte das fileiras adventistas. Tais homens, que confrontaram os falsos ensinos relacionados à seita, não teriam acesso à porta da Graça e, de dentro do santuário celestial, Jesus Cristo teria ficado sem qualquer ação, já que toda a salvação dependia de um “detalhe tolo”, a guarda do sábado.
 
Um verdadeiro ABSURDO!
 
Se atentarmos para a linha de interpretação de Apocalipse 12, também encontramos vários problemas antes de partirmos para um exegese mais acurada, a saber:
 
i.      Se a mulher representa a igreja adventista, formada em meados do século 19, como poderia ela ter “dado à luz” ao messias, claramente identificado no versículo 5? Foi Jesus que fundou a Sua igreja e não o contrário.
 
ii.     Se a igreja adventista dará a luz ao messias, então Jesus Cristo não é o verdadeiro messias, pois ele veio 18 séculos antes dos adventistas existirem. Logo, os adventistas ainda estariam esperando o nascimento do messias, e a igreja estaria sentido as dores do parto conforme o versículo 2. Será que os adventistas não estão na verdade esperando outro (anti) Cristo?
 
iii.   Se a igreja adventista é a mulher e voa para o deserto, como farão os adventistas que moram na América do Sul e em outros países que não possuem desertos? Deverão tomar um avião durante a perseguição em direção a um deserto? Podemos imaginar as empresas fazendo promoções das mais diversificadas (desculpe, não resisto ao comentário hilário). Qualquer deserto serviria? Qual deserto os adventistas deveriam procurar?
 
iv.   Se a igreja adventista é alvo da guerra do dragão, mas o dragão faz guerra ao “remanescente da sua semente” conforme o versículo 17, então não fica claro que somente os que nasceram adventistas, em famílias adventistas, seriam perseguidos, excluindo todos os que não são descendentes de adventistas?
 
Caro amigo adventista, não fica claro que a interpretação está totalmente fora de contexto, destituída de uma linha cronológica correta, fora do literalismo com que devem ser tratadas as Sagradas Escrituras?
 
Se os adventistas estão claramente enganados, ludibriando multidões, quem seria a mulher de apocalipse 12? É o que procuraremos responder no item seguinte.
 
 

4.    Igreja ou Nação?

Neste ponto podemos fazer as devidas correções quanto á interpretação dada pelos adventistas para Apocalipse 12, com um comentário bem resumido do mesmo.
 
v.1a “E viu-se um grande sinal...”
 
A palavra no grego para sinal é shmeion (semeion), que tem o sentido de símbolo. Respeitando o literalismo da Bíblia, a mulher é um símbolo.  Este grande sinal que aparece no céu tem um sentido espiritual. Sem discernimento podemos dar à mulher qualquer sentido que pudermos imaginar: Maria, Ellen White, Jerusalém, a igreja adventista, etc. Precisamos seguir a exegese para não nos tornarmos arbitrários.
 
v.1b “...uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos seus pés,e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça”.
 
Comparando a Bíblia com a própria Bíblia não erraremos. Estes detalhes fazem referência ao sonho de José em Gênesis 37:9.
 
E teve José outro sonho, e o contou a seus irmãos, e disse: Eis que tive ainda outro sonho; e eis que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam a mim.”
 
As estrelas não podem ser os apóstolos, pois seguindo a linha do tempo, a mulher ainda geraria o messias. Portanto, a mulher não simboliza a igreja fundada por Cristo, muito menos a igreja adventista que arrogantemente se identifica com ela.
 
A mulher é símbolo de uma nação, como em Ezequiel 23:2.  Indubitavelmente a mulher de Apocalipse 12 é a nação deISRAEL. As doze estrelas são as doze tribos de Israel. A continuidade do capítulo confirma isto.
 
v.2 “E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar á luz.”
 
É inegável que há um resumo de todo o Velho Testamento, de tudo aquilo que Israel teve de passar aguardando o Messias. O período de escravidão no Egito, a peregrinação no deserto, a conquista da terra prometida, os juízes, os reis, a nação dividida, o cativeiro, a destruição do templo, o retorno e a reedificação dos muros e do segundo templo, os impérios dominantes, a sujeição sob Roma. Não há dúvida alguma que foi esta a nação que deu à luz ao Messias que foi assunto ao céu (v.5).
 
v.17 “E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo.”
 
A Bíblia claramente faz distinção entre a dispensação da Igreja de Cristo e o tempo determinado em que Israel voltará a ser restaurado. O capítulo 11 da Epístola de Paulo aos Romanos nos fornece mais que suficiente instrução quanto a este fato. Israel permanecerá endurecido até que o tempo dos gentios se complete (Rom. 11:25). Isto ocorrerá com o arrebatamento da igreja de Cristo (todos os salvos) descrito em I Tess. 4:17, quando a apostasia no meio cristão se completar (a negação completa de que Jesus é o Cristo) e revelar o homem do pecado (II Tess. 2:3), o anticristo.
 
Não há qualquer elemento bíblico que impeça a clara distinção entre a Igreja e a nação de Israel. O versículo 17 de Apocalipse 12 nos diz claramente que os perseguidos são os descentes remanescentes de Israel e não os adventistas. Os 144 mil são da tribo de Israel (Apoc. 7:4). Quando o Templo for reconstruído e o sacrifício ritualístico restabelecido, a igreja de Cristo (todos os verdadeiramente salvos) já terá sido arrebatada, pois a perseguição é para os judeus, a angústia é de Jacó (Jeremias 30:7) são para os filhos do povo de Daniel, os judeus (Daniel 12:1).
 
Então tudo o mais na profecia de Apocalipse 12 não fica fora do contexto. A revelação de Deus é perfeita. A mulher não é a igreja adventista, graças a Deus! Glória ao Senhor!
 
Cabe enfatizar que, se o Anticristo vai estabelecer uma aliança com o povo judeu, é muito provável que ele estabelece um “Decreto Sabático”, promovendo, apoiando e estabelecendo o Sábado como dia de descanso oficial e não um “Decreto Dominical”, algo que frustraria seus planos de reconstruir o Templo com o auxílio e o apoio da nação de Israel.
 
 

5.    Conclusão

Evidentemente, utilizando de uma tendenciosa interpretação, isolando textos, rejeitando as dispensações, tomando para si o papel de “mártires” incompreendidos, os adventistas conseguem perverter a clareza da Palavra de Deus.
 
Tudo isso acontece ao mesmo tempo em que negam uma averiguação mais diligente de sua própria história e de suas doutrinas, produzindo uma verdadeira lavagem cerebral característica de qualquer seita.
 
Sob o disfarce de um cristianismo mistificado nas interpretações da sua própria profetisa, Ellen G. White segundo a qual teve “aproximadamente 2.000 visões e sonhos proféticos[20], continuam perpetuando heresias contrárias às Sagradas Escrituras.
 
Vale ressaltar que, durante todo o tempo em que permaneci na seita jamais tomei conhecimento de sequer uma (apenas uma) das propaladas milhares de profecias e sonhos da Sra White, que houvesse se cumprido.
Muito pelo contrário, soube de muitas falcatruas, distorções, alterações, plágios, engodos, e toda sorte de proselitismo criminoso, mentiroso e fraudulento. Mesmo com sinceridade de coração aliada a uma contínua cegueira espiritual, fui impedido de aceitar um confronto sincero com a verdade bíblica durante muito tempo. Não faça o mesmo! Seja diligente e Deus te esclarecerá! (Atos 17:11)
 
Além de várias profecias da Sra White que falharam muitas outras foram contraditadas, pois ela teve de voltar atrás com sua palavra. Lembrando que para um profeta ser considerado falso ele precisa apenas de uma (apenas uma) profecia que não tenha se cumprido. A Sra White, além de não possuir sequer uma profecia que tenha se cumprido, profetizou sobre absurdos que jamais se cumpriram, como por exemplo:
 
i.      Que Jesus Cristo voltaria em seu tempo, profecia publicada em “O Testemunho de Jesus”, página 108 e em “Primeiros Escritos”, página 15. Depois acabou se contradizendo em “Mensagens Escolhidas”, Volume I, página 76 e “Testemunhos Seletos”, Volume II, página 359.
 
ii.     Que ocorreria um nova Guerra Civil Americana, profecia publicada em “Testimony for the Church”, Volume I e “Testemunhos Seletos”, Volume II, página 359.
 
iii.   Que haveriam pessoas vivendo em Saturno - inclusive Enoque, profecia publicada em “Primeiros Escritos”, páginas 96 e 97, edição de 1967. Lembrando que Joseph Smith, dos Mórmons, profetizou que haveriam pessoas vivendo na lua – inclusive Adão.
 
“E se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor falou? Quando o profeta falar em nome do Senhor, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é a palavra que o Senhor não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.” – Deuteronômio 18:21-22
 
 

6.    Um apelo final sincero

Caro(a) leitor(a) adventista, não há nada que o homem possa fazer para salvar-se. Nenhuma igreja pode prover essa salvação. Um dia, tudo o que eu acreditava e amava veio abaixo. Minha fé adventista foi derrubada pela doutrina bíblica da salvação pela graça. Deus precisou de apenas dois versículos para fazer a obra (Efésios 2:8-9) e, atualmente como pastor, continuo me deliciando e me maravilhando na plena e completa revelação de Deus contida na Bíblia,a Palavra de Deus.
 
Saiba que você não terá uma segunda chance se vier a morrer confiando no deus que salva os adventistas, o Sábado! Isso mesmo. Para os adventistas Jesus Cristo apenas abriu uma porta que logo se fechará, mas o que realmente salva os adventistas é a guarda do Sábado. Para os adventistas que conheci (talvez até mesmo para você) eu estou perdido, por confiar unicamente e apenas em Cristo para minha salvação, sem as obras da Lei e rejeitar as doutrinas adventistas.
Mas saiba é justamente isso o que a Bíblia diz que cabe ao homem, arrepender-se e crer em Cristo (João 3:16, 11:25-26; Romanos 10:4; I João 5:5 e 10).
 
Quanto ao sábado, veja o que as escrituras dizem: Jesus Cristo não guardava o sábado, antes o quebrantava! Por isso os judeus o odiavam e desejavam matá-lo!
 
“Por isso, pois os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.” – João 5:18
 
“Então alguns dos fariseus diziam: Este homem não é de Deus, pois não guarda o sábado.” – João 9:16a
 
Você consegue compreender? Jesus Cristo jamais seria adventista! Leia as Epístolas de Paulo aos Romanos e aos Gálatas, com um coração contrito espiritualmente, e com toda humildade ore para que o Espírito Santo lhe mostre a salvação bíblica e lhe liberte das garras desta terrível seita. Terrívle por que se veste de pele de ovelha, mas não passam de lobos devoradores (Mateus 7:15). Seita por que acrescenta às Escrituras ensinos que não estão contidos nela, diminuindo o sacrifício de Cristo e acrescentando obras para salvação.
 
Na Bíblia, o Espírito Santo é também chamado: Espírito de Deus (Êx. 31:3; Jó 33:4), espírito de Sabedoria (Deut. 34:9), espírito do Senhor (Juízes 14:6; I Samuel 10:6; I Reis 18:12), espírito de conselho, de conhecimento, de inteligência (Isaías 11:2), espírito de virtude (Lucas 1:17), espírito de profecia (Apocalipse 19:10). Este Espírito Santo é dado a todos os crentes, no momento da salvação (Romanos 5:5), para nos selar (II Coríntios 1:22; Efésios 1:13), nos ensinar e nos guiar em toda a verdade (João 16:13).
 
Creia em Jesus Cristo, arrependendo-se de seus pecados e recebendo-O como Seu Único e Suficiente Salvador.  Ou então creia no sábado, no dia santo como tua tábua de salvação para juízo investigativo. Embora nada disso esteja na Bíblia.  Se confiares no sábado para te salvares, Jesus Cristo não te é suficiente (Hebreus 7:25).
 
Mas, se confiares totalmente em Cristo, estarás livre da Lei e de nada te servirá o sábado judaico.  Ninguém poderá te condenar (Romanos 8:1)
 
Que Deus te abençoe.




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Seitas/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )