O Céu Islâmico É Apenas Um Bordel?






         

        Quem busca nas religiões do mundo uma visão da eternidade no céu está apenas se lançando numa aventura sem esperança. O Cristianismo Bíblico é a única religião verdadeira, a única a oferecer uma vida feliz e digna neste mundo, com a esperança de uma gloriosa eternidade junto ao nosso Criador.

        “Para a liberdade Cristo nos libertou” (Gálatas 5:1) e devemos dar conta de nossos atos somente ao Pai Celestial, o Deus e Pai de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, o qual veio ao mundo para nos dar uma eterna garantia de salvação. Quem segue os ensinamentos da Palavra de Deus, que é a Verdade, ou seja, o próprio VERBO entregue em letras, (na língua de cada povo que O tem buscado), está andando na estrada certa, rumo à felicidade eterna. Todas as demais religiões do mundo mostram sinais de que foram criadas por mentes falhas, sem nenhuma garantia significativa e concreta de vida feliz na eternidade.

A mais cruel e triste de todas essas religiões é o Islamismo. Conquanto muitos líderes políticos e religiosos teimem em afirmar que o Islamismo é do bem e que Alá é o mesmo Deus dos judeus e cristãos, os fatos têm comprovado ser esta uma afirmação totalmente falsa. A falsidade do Islamismo pode ser facilmente comprovada pela  sua visão do céu.

Vamos dar uma olhada na teologia islâmica sobre o céu. Ele é apenas um bordel, onde as mulheres passam a eternidade servindo como escravas sexuais aos que mataram, em vida,  muito “infiéis”, principalmente judeus e cristãos. Uma mulher que abraça a religião de Alá deve ser totalmente ignorante do destino que a aguarda, após a morte, conforme a teologia islâmica. Por que iria ela desejar o posto de “esposa” entre as setenta e duas virgens, às quais o marido tem direito, no céu islâmico?

O falso profeta Maomé descreveu esse quadro da seguinte maneira: “A menor recompensa para os fiéis, que chegam ao paraíso, é uma habitação, onde 80.000 servos e 72 esposas, estão ao seu  serviço. Essa habitação é decorada com pérolas, rubis, águas marinhas e rubis, numa extensão que vai de Al-Jabiyyat até Damasco”  (Al-Rahman, conforme interpretado porIbn Kathir, falecido em 1373).

Vamos citar, resumidamente, algumas promessas do Alcorão:

“Quanto aos justos, de certo eles triunfarão. Deles serão jardins e vinhedos, e virgens de busto volumoso, para serem suas companhias, numa taça de prazer realmente transbordante. Eles se sentarão com belas virgens de olhos negros, tão castas como ostras guardadas na concha. Sim, eles se casarão com essas virgens lindas. Eles se deitarão com essas belas virgens, com as quais se  casarão, em macios divãs sobre rodas. Essas virgens serão tão preciosas como corais e rubis. Então, qual outro prazer o Senhor poderia recusar-lhes? Não só vão existir virgens em quantidade abundante, como também jovens moços, ávidos de serem devorados em deleites sexuais... Jovens de perpétuo frescor...”

Pelo visto, o bordel muçulmano inclui o mais abjeto pecado humano, que é o abuso de garotos adolescentes. Isso porque resumimos ao máximo as promessas descritas no Alcorão, a fim de poupar as inocentes mentes cristãs. Na Hadith, Maomé se estende, falando de virgens e garotos, promovendo um livre mercado sexual no paraíso islâmico. Bem ao gosto dos beduínos rudes e ignorantes.

O único provável mentor de tanta baixaria só poderia ser o príncipe das trevas, o anjo decaído, blasfemo e pornográfico, cujo nome é  Lúcifer. O famoso cantor Michael Jackson acaba de se “converter” a esta religião. Mas, por que não? Ele foi acusado de abusar de garotos, em seu luxuoso apartamento, nos Estados Unidos. Portanto, as promessas do Alcorão vêm a calhar com a sua mente corrompida pela fama, pela ânsia de prazer e pela vocação às esferas luciferianas.

        Quando nos detemos a comparar o céu islâmico com o céu criado para os filhos de Deus (angelicais e humanos), o qual é apresentado do Gênesis até o Apocalipse, não encontramos a menor semelhança entre os mesmos. O céu prometido pelo Pai aos que conhecem e amam o Seu Filho é uma sucessão de alegria, pureza, beleza e bênçãos eternas, onde todos nos uniremos, ajoelhados humildemente, diante do Cordeiro Santo,  para louvar e glorificar Aquele que deu Sua preciosa vida por nós. Jesus comenta com o Pai, em João 17:3, na Oração Intercessória: “E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”.

A Bíblia é o Livro mais belo, mais perfeito e mais santo,  que Deus escreveu, usando homens de vida irrepreensível, inspirados pelo Espírito Santo. Enquanto isso, o Alcorão é uma revista pornográfica, em cuja leitura o homem carnal e depravado se refestela, nos mais baixos instintos de sua natureza corrompida pelo pecado.

 

Mary Schultze, 23/11/2008 – www.cpr.org.br/Mary.htm

 Dados colhidos no texto “The Islamic Heaven: A Pornographic Brothel”, do Pr. Joseph Chambers)

 






Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Seitas/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )