O Mormonismo e o Batismo Pelos Mortos

                                                       
                               Pr. Airton Evangelista da Costa

 




“Se não há ressurreição, que farão aqueles que se batizam pelos mortos? Se absolutamente os mortos não ressuscitam, por que se batizam por eles?” (1 Co 15.29)
. Este é o versículo usado pelos mórmons para justificar o batismo por procuração.

         "Problema: Paulo disse: "Que farão os que se batizam por causa dos mortos?" Isso parece dizer que, se alguém se batiza por uma pessoa morta, então esse morto é salvo. Mas isso está em total conflito com o claro ensino das Escrituras de que todos – que têm idade suficiente para entender – têm de crer por si mesmos para serem salvos (Jo 3.16; Rm 10.9-13; cf. Ez 18.20).

         "Solução: Essa é uma passagem obscura e isolada. Não é sábio basear nenhuma doutrina numa passagem assim. Antes, deve-se sempre usar as passagens claras das Escrituras para interpretar as que não são claras.

         “A Bíblia é enfática na questão de que o batismo não salva. Somos salvos pela graça mediante a fé, não por obras (Ef 2.8-9; Tt 3.5-7; Rm 4.5). Além disso, nada podemos fazer para obter a salvação para outra pessoa. Cada um tem de pessoalmente crer (Jo 1.12). Cada pessoa tem de fazer a sua livre escolha (Mt 23.37; 2 Pe 3.9).

         “Os eruditos têm diferentes opiniões ao que Paulo quis dizer nessa passagem. As seguintes interpretações são possíveis:

         “Alguns crêem que Paulo esteja se referindo a uma prática herética que havia entre os coríntios, que tinham ainda muitas outras falsas crenças (cf. 1 Co 5; 12). Com efeito, Paulo estaria dizendo: “Se vocês não acreditam na ressurreição, por que então se empenham na prática de se batizarem pelos mortos? Vocês são inconsistentes em suas próprias (falsas) crenças”. Os que entendem assim pensam que, por ser tal prática – o batismo pelos mortos – tão obviamente errada, Paulo nem precisou condená-la de modo explícito. Observam ainda que Paulo disse que “eles” (subentendido [em "aqueles"]) se batizam por causa dos mortos; ele não disse que “nós” nos batizamos pelos mortos (v.29).

         “Como era comum no tempo do NT a pessoa ser batizada assim que recebia o Evangelho, o batismo era um sinal de sua fé em Cristo; portanto, Paulo estaria dizendo: “Por que ser batizado, se não há ressurreição? Por que batizar para ficar morto?Pois mais tarde ele diz que se não há ressurreição, então “comamos e bebamos, que amanhã morreremos” (v.32)”.

         “Qualquer que seja a correta interpretação, não há razão para acreditar que Paulo estivesse contradizendo o seu claro ensino feito em outras partes da Escritura, ou o ensino de toda a Bíblia, segundo o qual é patente que cada pessoa tem de, por sua livre vontade, receber ou rejeitar o dom gratuito de Deus, que é a salvação”
(Notas extraídas do Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e “Contradições” da Bíblia, de Norman Geisler e Thomas Howe, Mundo Cristão, 4ª. Edição, p. 469-71).




         A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias,  conhecida como Igreja dos Mórmons, criada por Joseph Smith, ensina e pratica o batismo dos mortos, em que uma pessoa viva é batizada no lugar de uma falecida. É o batismo por procuração, sem consentimento do falecido.  Acreditam que o morto foi evangelizado no mundo espiritual, aceitou a Cristo e necessita do batismo para ser salvo. Apresentam como base para tal doutrina o versículo acima analisado (1 Co 15.29), e também a recomendação de Jesus: “Quem crê e for batizado será salvo”.



         Vejamos mais algumas impropriedades de tal ensino:

1 – Se o Evangelho continua sendo pregado no mundo dos mortos, todos os que estão num lugar de tormentos, por não haverem crido em Jesus, receberão, creio, de bom grado a Palavra. Conclui-se que todos serão salvos. Então, o inferno teria sido feito só para o diabo e seus anjos. Ora, a Bíblia ensina que muitos pecadores irão para o fogo eterno (Mt 25.41).

2 – Quando um mórmom se batiza em lugar de um morto, não está consciente de que este aceitou a Palavra. Se houver o batismo de um morto pagão, haverá uma dupla heresia, pois somente os que crêem devem ser batizados. Como podem adivinhar que o morto aceitou o Evangelho? Essa é uma situação delicada para os mórmons: se entendem que TODOS os mortos podem ser batizados, entendido está que TODOS aceitarão a salvação. Tal hipótese contraria Mateus 7.23; 13.41,42; 25.41; 2 Pe 2.9; Ap 20.5,15; 21.8 e outras referências.

3 – Nenhuma indicação há da prática desse esdrúxulo batismo na igreja primitiva. Ora, deveria haver uma clara instrução do Senhor Jesus sobre o assunto. Todos os batismos registrados na Bíblia são de pessoas vivas. Nenhum morto foi batizado nos tempos apostólicos.

4 _ Se Jesus continuasse mesmo insistindo com os pecadores no além, Ele não teria poder para tirar dos tormentos os que O aceitassem? Teria que esperar que pecadores aqui na terra providenciassem o “batismo pelo morto regenerado?”. Ao confirmar que o ladrão na cruz subiria para o céu, Jesus teria se esquecido do batismo?  Se o batismo pelos mortos fosse pra valer, referido ladrão não poderia entrar no paraíso antes de cumprir tal ordenança. Porém, Jesus disse: “Hoje estarás comigo no paraíso” (Lc 23.43).

5 – Jesus disse: "E, quando ele viver [o Espírito Santo, o Consolador] convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo; mas, quando vier aquele, o Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir” (Jo 16.7-13). Considerando-se que há dois mil anos o Cristianismo não pratica o batismo por procuração, é admissível que o consolador tenha falhado em Sua missão de nos conduzir à verdade? É possível admitir que a Igreja de Cristo, detentora da Verdade, tenha deixado milhões de mortos ficarem sujeitos ao fogo do inferno por causa da falta de batismo? Podemos admitir que somente os mórmons tenham recebido revelação de tamanha importância? Quase 500 milhões de evangélicos em todo o mundo, afora mais de um bilhão de católicos, não souberam interpretar a Bíblia?



 

O mormonismo é uma religião cristã?


         Para sabermos se o Espírito Santo está com os mórmons convém examinarmos outras doutrinas da referida igreja:

Trindade
: Com base em Mateus 3.16-17, o mormonismo ensina que o Pai, o Filho e o Espírito Santo são três personagens ou deuses separados.
Refutação: A Bíblia diz que os três são UM (1 Jo 5.7-8, afora dezenas de outras passagens).

Jesus Cristo: [O mormonismo] Declara, com base em Salmos 2.7, que Jesus, como os demais seres, nasceu por meio da procriação espiritual, filho de pais celestes (Princípio do Evangelho, 1986).
Refutação: A Bíblia diz que Jesus é eterno (Jo 1.1; 8.58; Ap 22.13, afora dezenas de outros versículos que falam de Sua divindade (Provas da Divindade de Jesus- Ler mais...).

Palavra de Deus:
[O mormonismo] Declara que a Bíblia... “não é a própria verdade, senão um livro de texto que ensina a verdade... não devemos considerar o livro de texto como absoluto em todos os detalhes” (Princípio Divino, parte I, capítulo III, seção V, p.7).
Refutação: A Bíblia contém o suficiente para ganharmos a salvação (Jo 20.3-31), e é
“divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, redargüir, corrigir, instruir em justiça, para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra” (2 Tm 3.16-17; v. Jo 17.17; Mt 22.29; v. Is 40.8; 1 Pe 1.25). Referida Igreja coloca o Livro do Mórmon no mesmo nível da Bíblia Sagrada, tal como fazem os Testemunhas-de-Jeová com relação à Tradução do Novo Mundo.

Humanização de Deus: [O mormonismo] Declara que Deus tem um corpo físico, já que aos homens foram criados à sua imagem (Doctrines of Salvation, Joseph Fielding Smith, 1975, 1.3).
Refutação:  Jesus declarou que Deus é Espírito (Jo 4.24). Como tal, não tem carne e osso (Lc 24.39). A Divindade não se confunde com a Criação. O diabo enganou Eva dizendo que ela seria igual a Deus.



         Vejam mais:

         Deus -
[O mormonismo declara que] “O próprio Deus já foi como somos agora – ele é um homem exaltado, entronizado em céus distantes! (...) ele já foi um homem como nós; (...) o próprio Deus, o Pai de todos nós, habitou sobre uma terra (...)” (Joseph Smith, citado por Hoekema em The Four Major Cults, em O Sermão King Follet, págs. 336 e 367). (Dicionário de Religiões, Crenças e Ocultismo, George A. Mather, p. Editora Vida, 2000, p. 310-311).

         A doutrina mórmon ensina que o homem, em sua marcha rumo à perfeição, tornar-se-á um deus. Compara-se ao ensino do Movimento Nova Era e à doutrina espírita da reencarnação, segundo a qual todos os homens serão perfeitos.

         Batismo pelos mortos - “Esta doutrina, peculiar aos mórmons, é descrita no livro Doutrina e Convênios como necessária para a salvação das almas dos que morreram antes da restauração da verdadeira igreja, em 1830 (128:5). Curiosamente, a facção Igreja Reorganizada não pratica o batismo pelos mortos, outra razão pela qual os mórmons de Salt Lake denunciam seus oponentes do Missouri como condenados e corruptos junto com as demais igrejas falsas do mundo. O batismo em favor de uma pessoa que já morreu deve ser realizado no templo e ser testemunhado por no mínimo três pessoas (Doutrina e Convênios, 128:3). Devido ao fato de que são feitos registros meticulosos de tais batismos e porque a igreja é compelida a guardá-los para o futuro, o Mormonismo acumulou o mais completo registro genealógico do mundo. Uma pessoa que pesquisa sobre a história de sua família, pode ser bem-sucedida, quando o faz na Biblioteca Mórmon ou nas bibliotecas das Alas, espalhadas por todo o mundo” (Ibidem, p. 314-315).

         Mormonismo e Maçonaria – Os eruditos acham que os rituais do templo de Joseph Smith foram copiados da Maçonaria. O próprio Smith tornou-se maçom em 1842, juntamente com 1.200 mórmons. Por exemplo, “os cinco pontos de comunhão” da Maçonaria são adotados pelos mórmons no cerimonial do templo. São os seguintes: MAÇONS: Ele (candidato) cresce no que se chama de cinco pontos de comunhão. Isso é feito quando você coloca o lado de dentro de seu pé direito no lado de dentro do pé de alguém para quem vai dar a palavra, e o lado de dentro de seu joelho no dele. Encoste o lado direito de seu tórax contra ele, as mãos esquerdas nas costas um do outro e a boca na orelha direita dele (somente nesta posição você tem permissão para empenhar a sua palavra) e sussurre a expressão mahhah-osso (...) também é dito a ele que esta mensagem significa medula do osso” (Ibidem, p. 315).

         Fui maçom e devo dizer que nos templos da Maçonaria usa-se ritual semelhante, que serve, dentre outras coisas, para identificar o verdadeiro maçom, permitindo ao visitante o ingresso na Loja.  Além dos toques específicos – pés, joelhos, mãos, tórax – é sussurrada a palavra, uma senha conhecida unicamente pelos membros ativos. Se a senha do semestre for “alegria”, um deles dirá a primeira letra “A”; o outro dirá “L”; o outro,  “E”, e assim até o término da palavra. Pode ser que tenha havido alguma mudança, pois me ausentei da Maçonaria há mais de vinte anos.

         O Mormonismo e o Espiritismo – Um determinado mórmon apresentou o seguinte argumento: “Muitos sonham com seus antepassados que direta ou indiretamente no sonho deixam transparecer a necessidade que têm do batismo e, por já terem crido plenamente em Jesus, falta-lhes apenas a ordenança. Mas, como já expliquei em outras ocasiões, o batismo é feito a todos, se este terá o alcance necessário sempre dependerá da aceitação plena de Cristo como Salvador e Redentor por aquele a quem o batismo foi realizado”.

         Parece-me nebulosa essa explicação, ou a minha luz não consegue alcançá-la. “Sonhar com os mortos” e julgar que eles falam através dos sonhos é admitir que os mortos de algum modo se comunicam com os vivos. Tal convicção se aproxima do Espiritismo. Pelo que entendi, os mórmons batizam o maior número possível de parentes falecidos, na esperança de que estes tenham morrido em Cristo, mas não podem ter certeza disso, a menos que admitam a comunicação com pessoas falecidas. A experiência se sonhar com os mortos não é comum aos cristãos. Se tal prática fosse um meio aprovado por Deus, certamente  milhões de cristãos sonhariam com seus entes queridos, pois o desejo de Deus é que todos se salvem. Por que nós, os evangélicos, não recebemos essa comunicação em sonhos? Não creio que esse expediente tenha sido revelado somente aos mórmons, e somente os mórmons sejam os beneficiários. Convém dizer aos mórmons que o diabo é o mestre da mentira e do embuste. Se não andarmos segundo os princípios básicos da palavra de Deus, abriremos espaço em nossas mentes para heresias destruidoras.


 Vejam o argumento abaixo, de outro mórmon:

         “Tenho tido diversas
experiências espirituais nesta área e não posso negar o que tenho visto, sentido e conhecido. Espero, poder, se o Sr. me permitir é claro, poder mostrar a respeito do fato do bandido ter ido para o Paraíso “ou mundo dos Espíritos”. Na verdade o trabalho lá é muito grande, pois estima-se que aproximadamente 70 bilhões de pessoas já viveram nesta terra. Assim, aqueles que aceitam o Evangelhos lá, são batizados aqui, por alguém que tenha um corpo - homem batizando homem e mulher sendo batizada pelas mulheres.

         Essa doutrina tem mais afinidade com o Espiritismo do que com o Cristianismo. Jesus nunca recomendou o batismo de falecidos. Ao contrário, na parábola do rico e Lázaro (Lc 16.19-31), Ele apresenta uma situação irreversível do rico, em tormentos.  Pelo clamor que o rico faz a Abraão (v.24) e pela resposta recebida (vv. 25-26), não se vislumbra nenhuma possibilidade de salvação para aquele pecador:  “Está posto um grande abismo entre nós e vós”. Tal sentença coloca em xeque a doutrina do batismo pelos mortos com vistas à salvação. Há realmente um grande abismo entre a doutrina mórmon e a doutrina cristã.  Leiam mais esse ensino de Jesus:

        
“Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anos” (Mt 25.41). Jesus referiu-se a pessoas que em vida não foram obedientes à Sua palavra. Pelo raciocínio do mormonismo essas almas deveriam ser batizadas, pois com certeza Jesus lhes pregaria o Evangelho. Os mórmons correm o sério perigo de cometer – e já cometeram – o grave pecado de batizar falecidos que seguirão depois para o inferno. Para que obtenham perdão, precisam apresentar a Deus sincero arrependimento pelos batismos já realizados e abolir de vez tal prática.

        
Indagado sobre como podem saber se determinado morto está necessitando de batismo, um mórmom me respondeu: “Não julgamos, apenas obedecemos à ordem explicita de Cristo sobre essa sagrada ordenança. Se ela terá efeito para a qual se propõem isso será entre quem a recebeu e o Senhor”. Essa explicação não poderia ser mais nebulosa. Ora, só se batizam os que crêem. Jesus não mandou batizar qualquer um.

         Há uma declaração na Bíblia bastante concisa, objetiva e clara:
“E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo, depois disso, o juízo...” (Hb 9.27). Na verdade, após a morte o pecador fica à espera de julgamento. Em tormentos ou em paz, a sua situação é irreversível (v. Lucas 16.19-31). O rico da parábola estava arrependido, mas o seu tormento seria para todo o sempre (Ap 20.10). Nem batismos por procuração, nem velas de sete dias, nem procissões, nem promessas são capazes de alterar esse estado de condenação eterna.

         Vejamos outras doutrinas estranhas, respectivas referências e meus comentários entre colchetes: http://www.carm.org/Portugues/mormonismo_doutrinas.htm

01. O verdadeiro evangelho foi perdido na terra. O Mormonismo é a sua restauração, Mormon Doctrine, by Bruce R. McConkie, p. 635. Eles ensinam que existiu uma apostasia e que a verdadeira igreja deixou de existir na terra [Uma das características das seitas é autodenominar-se detentora da verdade. A mesma coisa acontece com o grupo Testemunhas-de-Jeová e com o Espiritismo. Todavia, a verdade é Cristo e a Sua palavra é a verdade].

02. Nós precisamos de profetas hoje, da mesma maneira que no Antigo Testamento, Mormon Doctrine, p. 606 [Mas Jesus disse que a Lei e os Profetas duraram até João Batista (Lc 16.16). A partir de João, iniciou-se uma nova dispensação. Ele foi o introdutor da era messiânica].

03. O Livro de Mórmon é mais correto que a Bíblia, History of the Church, 4:461 [Os TJ também afirmam que a verdade está na Tradução do Novo Mundo; os espíritas dizem que está no Evangelho Segundo o Espiritismo, e assim por diante. Mas Jesus disse que a verdade está nas Escrituras - Mt 22.29; Jo 17.17].

04. Não existe salvação fora da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Mormon Doctrine, p. 670 [Catolicismo, espiritismo e Testemunhas-de-Jeová dizem a mesma coisa. Jesus afirmou que quem nele crê não será condenado – Jo 3.18].

05. Existem muitos deuses, Mormon Doctrine, p. 163. Existe uma deusa mãe, Articles of Faith, by James Talmage, p. 443 [Jesus disse que “o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor – Mc 12.29].

06. Deus foi um homem em um outro planeta, Mormon Doctrine, p. 321 [A Bíblia diz que Jesus é Deus – Jo 1.1,2,14].

07. Depois de você tornar-se um bom mórmon, você tem potencial para tornar-se um outro deus, Teachings of the Prophet Joseph Smith, pages 345-347, 354 [Foi com essa palavra que o diabo, a antiga serpente, enganou Adão e Eva: “Sereis como Deus” – Gn 3.5].

08. Deus, o Pai, tem um pai (Orson Pratt in The Seer, page 132; Um dos propósitos do The Seer era "elucidar" a doutrina mórmon, The Seer, page 1, 1854) [Se Deus tem um pai, então Deus não é o Criador. Quem é [que] criou Deus?].

09. Deus, o Pai, tem um corpo de carne e ossos, Doctrine and Covenants, 130:22. Deus tem a forma de um homem, Joseph Smith, Journal of Discourses, Vol. 6, page 3. [Jesus disse que Deus é Espírito, e que Espírito não tem osso nem carne – Jo 4.24; Lc 24.39].

10. Deus é casado com a sua esposa-deusa e tem filhos espirituais, Mormon Doctrine p. 516 [Blasfêmia contra a Pessoa do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo].

11. Nós fomos gerados primeiro como bebês espirituais no céu e então nascemos naturalmente na terra, Journal of Discourse, Vol. 4, p. 218 [A Bíblia diz que Deus formou “o homem do pó da terra, soprou o fôlego da vida em suas narinas, e o homem foi feito alma vivente” – Gn 2.7].

12. O primeiro espírito que nasceu no céu foi Jesus, Mormon Doctrine, page 129 [A Bíblia diz que o Filho é eterno – Jo 1.1,2,14].

13. O Diabo nasceu como um espírito depois de Jesus "na manhã da pré-existência" Mormon Doctrine, page 192 [“Manhã da pré-existência é um termo vago. A Bíblia nos ensina que o diabo era um anjo de luz que se rebelou contra Deus e foi expulso do Céu. E Jesus não nasceu; Ele é eterno].

14. Jesus e Satanás são espíritos irmãos, Mormon Doctrine, p. 163 [Blasfêmia contra nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Pode o mormonismo ser uma Igreja verdadeiramente cristã só porque se diz Igreja de Jesus Cristo? Em que sentindo o diabo e o Filho são irmãos?].

15. Um plano de salvação era necessário para as pessoas na terra. Então, Jesus e Satanás apresentaram cada um o seu plano, e o plano de Jesus foi aceito. O Diabo quis ser o salvador da humanidade para "anular a identidade dos homens e destronar a deus." Mormon Doctrine, page 193; Journal of Discourses, vol. 6, page 8 [Mais uma afirmação sem nexo, sem comprovação bíblica, que merece nossa completa repulsa].

16. Deus teve relações sexuais com Maria para produzir o corpo de Jesus, Journal of Discourses, Vol. 4, p. 218, 1857 [Blasfêmia].

17. O sacrifício de Jesus não é suficiente para limpar-nos de todos os nossos pecados, Journal of Discourses, Vol. 3, p. 247, 1856 [Blasfêmia. A Bíblia diz que o sangue de Jesus nos lava e purifica de todo o pecado, e que o Seu sacrifício foi único, suficiente e completo para remissão de pecados – At 20.28; Rm 5.9; Ef 1.7; 1 Jo 1.7].

18. As boas obras são necessárias para a salvação, Articles of Faith, p. 92 [A Bíblia diz o contrário - Ef 2.8-9. Tal afirmação é uma tentativa de anular a obra redentora de Jesus].

19. Não existe salvação sem aceitar Joseph Smith como um profeta de Deus, Doctrines of Salvation, Vol. 1, p. 188 [Blasfêmia. A Bíblia afirma que devemos confiar em Deus, e que a salvação decorre exclusivamente de nossa fé em Jesus Cristo – Jo 3.18; Rm 10.9; Ef 2.8-9. Quem depositar a sua confiança em Joseph Smith e em suas doutrinas está caminhando para o fogo eterno: “Maldito o homem que confia no homem – Jr 17.5].  

20. Batismo pelos mortos, Doctrines of Salvation, Vol. II, p. 141. Esta é a prática de alguém batizar-se em lugar de alguém, não-mórmon, que já tenha morrido [Sem amparo nas Escrituras].  

 


    
O que é exigido de um adepto para se tornar um mórmon? Eis a resposta do grupo:

      “Mas existem princípios da igreja que devem ser seguidos e são baseados no que a Bíblia ensina, por exemplo, não roubar, não matar, etc... É mostrado a este novo adepto antes do seu batismo todos estes princípios que, aceitando-os prazerosamente, este será então bem-vindo à nossa Igreja” (www.edeus.org/port/Perg02RElBR.htm#Mórmons).

     
Ora, a Bíblia não se resume nos dez mandamentos. Para que o homem seja salvo precisa crer sinceramente que Jesus Cristo,  o Verbo encarnado, morreu por nossos pecados, ressuscitou ao terceiro dia, e que não há salvação para quem não crê nEle (Jo 3.18; Rm 10.9). O que está dito acima, com relação aos adeptos, é uma meia verdade.



Sites recomendados:

http://www.carm.org/Portugues/mormonismo_doutrinas.htm
http://www.cacp.org.br/indexmormo.htm

http://www.irr.org/mit/Portuguese/ilusao1.html
http://www.irr.org/mit/Portuguese/ilusao1.html



Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Seitas/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )