OS BATISTAS REGULARES E O PRAGMATISMO

Pr Emidio de Souza Viana

 

Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas” II Tm 4:3-4;

“Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição de homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo” Cl 2:8.


“Desde o nascimento da Igreja, os cristãos têm combatido erros doutrinários, movimentos centrados no homem e várias heresias” (Martin & Deidre Bobgan, Manipulando os Cristãos Através de Grupos, Ed Actual RS). A infiltração do erro tem sido a sutil tática de satanás para desviar a Igreja do propósito central que é a glorificação do nome do Senhor Jesus através da obediência à sua Palavra, e a fiel proclamação do evangelho redentor de nosso Senhor. Nesses últimos dias é bem perceptível o engano que o inimigo tem semeado no meio evangélico na construção de um falso evangelho, e de uma proclamação do “evangelho” travestida através da filosofia do pragmatismo. Ao olharmos a história eclesiástica podemos ver muitos “ismos” Gl 1:6-9.

Legalismo
. “A crença de que a lei (ou diversas provisões da mesma) deve ser observada como base soteriólogica, no lugar da justificação pela fé”. ( R.N. Champlim, J.M. Bentes; Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia; Ed. Candeia; SP);

Gnosticismo. “Conhecimento secreto obtido através de experiência mística”. ( Martin & Deidre Bobgan; Manipulando os Cristãos Através de  Grupos; Ed. Actual RS). Negava a real humanidade do Senhor Jesus;

Modernismo. Movimento que é sinônimo aproximado de liberalismo. Abraça com afeto a chamada alta crítica;

Neo-evangelicalismo. É caracterizado pelo desprezo à doutrina, estão no meio termo entre os fundamentalistas e os liberais. Não possuem um sistema doutrinário definido. Rejeita o Fundamentalismo e se aproxima do liberalismo;

Pragmatismo, que é o objeto de nosso estudo.



A importância desse estudo nos convencerá de que, como Batistas Regulares temos a necessidade de estudarmos e aplicarmos mais cuidadosamente a fé que uma vez foi dada aos santos. Não podemos achar que alguma doutrina é periférica recebendo pouca atenção ou até mesmo passando por cima em determinadas situações. A doutrina não pode ser atenuada. Toda doutrina é fundamental, a Igreja está edificada sobre o fundamento doutrinário dos apóstolos Ef 2:20-22. Ela é a coluna e firmeza da verdade I Tm 3:14-15.



I – ORIGEM DO TERMO PRAGMATISMO
Do grego “prágma”: Obra, coisa, feito, realização, fato, matéria;

Esse termo não foi cunhado em nosso meio como o termo Fundamentalismo que surgiu no debate teológico. O seu surgimento ocorreu no campo filosófico. O chamado pragmatismo teve em Charles Sanders Peirce (1839-1914) e William James (1842-1910) seus fundadores históricos, mas viu em John Dewey(1859-1952) seu principal representante na primeira metade do século XX, enquanto Richard Rorty e Hilary Putnam foram seus herdeiros mais destacados nos últimos anos”. (BLACKBURN, S. Dicionário Oxford de Filosofia; trad. Desidério Murcho e tal. - Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997);

“Embora cada um deles desenvolvesse elementos distintos no pragmatismo, suas idéias fundiram entre si, tornaram-se profundamente arraigadas nas universidades e afetaram muitos campos de pesquisa, notavelmente a psicologia, a religião e a educação”. (Enciclopédia Histórico-Teológica da Igreja Cristã, Ed. Vida Nova Vol. III).


II – DEFINIÇÃO DO TERMO PRAGMATISMO
“Princípio e filosofia que consiste em validar e aprovar um método usado para atingir um determinado objetivo através da constatação dos resultados alcançados, ou seja: se der certo, é bom. Aplicação jesuíta: O fim justifica o meio”. (O Pragmatismo Desenfreado da Convenção Brasileira. Artigo na internet);

“A minha verdade não é, necessariamente a verdade de outrem; o que funciona no meu caso não é o que funciona, necessariamente, no caso de outrem. O pragmatismo, pois, é UTILITARISTA, que defende a visão de que a bondade é a qualidade de promover a maior felicidade para o maior número de pessoas. (Dr. Greg L. Bahnsem; Vocabulário Filosófico; Virtual;
O que temos visto no meio evangélico, expressa muito bem a essência dessa filosofia. John MacArtur em seu livro: COM VERGONHA DO EVANGELHO, destaca um capítulo, Pragmatismo: Modernismo Reciclado? Ele afirma: “Estou convencido de que o pragmatismo apresenta precisamente a mesma sutil ameaça para a Igreja em nosso tempo que o modernismo representou há quase um século”. (John MacArtur; COM VERGONHA DO EVANGELHO, Ed Fiel, SP);

“O modernismo, apesar de ter abraçado a alta crítica e a teologia liberal, esse movimento não se apresentou como um ataque frontal à pureza doutrinária da teologia ortodoxa”. (John MacArtur; COM VERGONHA DO EVANGELHO, Ed Fiel, SP);

“O modernismo mais antigo mostrava-se preocupado com a unidade interdenominacional” (John MacArtur; COM VERGONHA DO EVANGELHO, Ed Fiel, SP);

Acima da doutrina estava o “amor”;

A doutrina foi atenuada tornando-se um assunto periférico, o importante era a unidade;

John MacArtur acrescenta ainda no referido livro: “A maioria dos evangélicos hoje tende a comparar a palavra "modernismo" com a negação completa da fé. É frequentemente esquecido que o alvo dos primeiros modernistas simplesmente era tornar a igreja mais "moderna", mais unificada, mais relevante, e mais aceitável para uma cética era moderna”. (John MacArtur; COM VERGONHA DO EVANGELHO, Ed Fiel, SP);

Nas palavras de William James e Francis Schaeffer, “O pragmatismo aborda o conceito de que o sentido de tudo está na utilidade ou efeito prático que qualquer ato, objeto ou proposição possa ser capaz de gerar. Uma pessoa pragmática vive pela lógica de que as idéias e atos de qualquer pessoa somente são verdadeiros se servem à solução imediata de seus problemas. Nesse caso, toma-se a verdade pelo o que é útil naquele momento exato, sem consequências”. (William Jamese Francis Schaeffer; Wikipédia Portal de Filosofia . Internet);

“Posto deste modo, o Pragmatismo espalhou-se com facilidade pela cultura americana, e foi além até outras culturas e povos”.(William James e Francis Schaeffer; Wikipédia Portal de Filosofia. Internet);

“Garantir a paz individual, através de uma situação confortável na qual não há preocupações com os princípios de certo e errado é uma corrente que descreve bem o estado pragmático do ser humano”.
(William James e Francis Schaeffer; Wikipédia Portal de Filosofia. Internet);

“A verdade relativa, tomada por base no que se está vivendo ou necessitando no momento resume o que seja Pragmatismo...”.
(William James e Francis Schaeffer; Wikipédia Portal de Filosofia. Internet);

O que foi abordado por William James e Francis Schaeffer conceituando o que é a filosofia do pragmatismo, vem frontalmente contra princípios absolutos da Palavra de Deus;

Na visão do pragmático a verdade é algo individual: o que possa ser de interesse a alguém pode passar a ser destrutivo ou prejudicial a outrem.


III – AÇÕES DO PRAGMATISMO NO MEIO CRISTÃO

“Almejar influenciar o mundo para Cristo.É este o objetivo das cruzadas ecumênicas de Graham. É o objetivo dos artistas de rap e rock cristão. É o objetivo dos princípios para o crescimento das igrejas...”;
Almeja edificar uma grande igreja. Em 1986, Carl Henry avisou, “a grandeza numérica está a tornar-se numa epidemia infecciosa” (“Confessions of  a Theologian”, pg. 387);

Isto explica a popularidade impressionante de pastores visivelmente bem sucedidos como Bill Hybels e Rick Warren. Este tipo de pragmatismo também caracterizou um grande segmento do movimento das igrejas Batistas Fundamentalistas. Nos anos 70, o objetivo foi atingido criando-se uma atmosfera excitante com “dias especiais,” campanhas promocionais agressivas...;
As coisas que não se enquadravam no objetivo tais como forte ensinamento bíblico, refutação clara do erro que implica a nomeação (chamar pelo nome) dos falsos mestres influentes, uma ênfase na separação eclesiástica foram omitidas ou menosprezadas, porque “não faziam a igreja crescer.” Não é uma mudança dramática sair-se deste tipo de pragmatismo para aquele de Rick Warren ou Bill Hybels nos anos 90. (David Cloud, Internet).
“Queremos libertar o cristianismo de gozar apenas um lugarzinho nas fronteiras da cultura dominante e colocá-lo no meio da corrente da vida moderna” (Harold Ockenga);

Promover mudanças e quebra de paradigmas, onde a doutrina deixa de ser o sustentáculo da igreja. Muitas igrejas estão unidas não pela doutrina, mas pela prática, especialmente o estilo litúrgico;  

Modernizar a igreja de maneira que ela seja atraente;

Promover um tipo de “evangelho” que apresenta atrativos, buscando impressionar os participantes através de muita versatilidade.
  Teatro;
  Dança;
  Evangelismo na base de entretenimento;
  Coreografia;
  Conjuntos musicais;
  Cânticos com letras destituídas de teologia Bíblica;
  Mensagens psicologizadas;
  Literatura descentralizada da Palavra de Deus. O culto é centrado no participante, por isso deixar o pecador numa situação confortável é a meta;
  Assimilar prática mundana na tentativa de atrair pessoas do mundo;
  Pastores assumindo funções políticas;
  Compartilhar o púlpito com pessoas descrentes para palestras.

“... Muitos cristãos parecem completamente inconscientes, senão poucos dispostos a enxergar que sérios perigos ameaçam a Igreja, vindo de dentro. No entanto, se a história nos ensina alguma coisa, ela ensina que as agressões mais devastadoras contra a fé sempre começaram com erros sutis que surgem dentro da Igreja”. (John MacArtur; COM VERGONHA DO EVANGELHO, Ed Fiel, SP);

Ao contemplarmos a Palavra de Deus percebe-se que tais dispositivos mundanos são contrários ao caráter santo do evangelho de nosso Senhor Rm 12:2; Tg 4:4; I Jo 2:15-17.



IV – AMEAÇAS E AÇÕES DO PRAGMATISMO NO MOVIMENTO BATISTA REGULAR

Uma igreja que assimila a filosofia do pragmatismo começa a se descaracterizar flexibilizando a Palavra de Deus e atenuando doutrinas, como resultado vem:


A perda da identidade histórica do movimento;

Olhar para as co-irmãs que se mantêm fiéis à Palavra de Deus e a identidade histórica do movimento como anacrônicas ou fora de época;

O pastor que defende os mesmos princípios que foram defendidos pelos nossos antecessores é taxado de legalista. É bom de fato saber o que é um legalista para não se desvirtuar o sentido da palavra. Ver a introdução;



Infelizmente para nossa tristeza muitos pastores e igrejas não estão enxergando essa realidade;

Quem conhece o movimento Batista Regular, sabe das mudanças que têm ocorrido em nosso meio.

O surgimento do movimento Batista Regular no nosso país aconteceu em um contexto de repúdio ao erro. Não podemos deixar de lado essa realidade que nos foi outorgada;

Qualquer um que olhar as atas das primeiras associações pode chegar à seguinte conclusão: A Associação das Igrejas Batistas Regulares do Brasil nasceu num contexto de batalha pela preservação da sã doutrina. Em 1955, no primeiro congresso oficial da Associação das Igrejas Batistas Regulares do Brasil, o Pr. Carlos Matheus expôs sobre o seguinte tema: “Qual a Tarefa de Nossa Associação Nacional na Base de Cooperação”. Os assuntos abordados foram:

Separação Rm 16:17-18;
União na verdade III Jo 1-4 ;
Doutrina dos apóstolos Ef 2:20-22;
Inspiração da Bíblia II Tm 3:16;
Divindade de Cristo I Tm 3:16;
Sangue de Cristo;
Não cooperação com o pentecostalismo;
Bom testemunho.

(Primeiro livro de atas da AIBREB).

Um dos maiores perigos que ameaçam as igrejas que estão sendo influenciadas pela filosofia do pragmatismo não é a pregação do erro, mas a verdade que está sendo negligenciada. Principalmente a doutrina da separação bíblica;

Spurgeon, em seu sermão pregado em 11 de setembro 1859 no Púlpito da Rua do Novo Parque, em Londres (New Park Street Pulpit), disse: “Quantos danos têm sido causado às almas dos homens por homens que só tem pregado uma parte e não todo conselho de Deus” (Iain H. Murray; Spurgeon Versus Hipercalvinismo, Ed. Pes, SP)



Perguntas para nossa reflexão:

Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular compartilhar o púlpito com pessoas descrentes para palestras sobre: Aborto, drogas, doenças sexualmente transmissíveis, criminalidade etc. Isso aconteceu na cidade de Mossoró RN? (Fonte Internet). Sabemos que o púlpito é o local onde deve emanar todo conselho de Deus At 20:27-30;
Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular promover “evangelismo” na base de entretenimento: Pantomima e teatro. (Fonte Jornal de Apoio) Gl 5:13.

A mensagem não pode deixar de ser loucura para o mundo. Não precisamos da aprovação do mundo na apresentação do evangelho I Co 1:23;

O verdadeiro evangelho sempre será o poder de Deus para a salvação do perdido.

Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular apoiar grupos ou conjuntos que promovem shows evangélicos, apoiar o ecumenismo e o neo-evangelicalismo? Vejamos como exemplo o grupo Logos:


Grupo formado por componentes de várias denominações.

Paulo Cezar, Nilma e Douglas Bello são membros da Igreja Evangélica Congregacional RJ;

Vagner, Fábio Lumpere, e Márcio: Assembleia de Deus Nova Iguaçu RJ;

Edimar de Oliveira. Igreja “Batista” Lagoinha MG;

Leandro Perdoma, Igreja Batista do Rio de Janeiro RJ;

William Perdoma, Igreja Pentecostal Nova Vida.
Grupo que se apresenta em qualquer igreja que se diz “evangélica”;

Grupo que promove shows. Veja o que diz o líder do grupo em uma entrevista respondendo sobre o estilo musical: “ Não posso negar que temos sido tentados a mudar. Hoje há muito Show e muito trabalho para promover este, aquele ou aquela instituição mas para o Senhor mesmo... Nestes Shows (temos participado de alguns), somos muito tentados a deixar de ser o que somos, e a deixar de fazer o que fomos chamados a fazer. Parece que se disputa no palco, quem consegue alvoroçar mais o povo. O pior de tudo é que as vezes nos enganamos, pensando que este "IBOPE" é o sinal de nossa aprovação como servos, e certamente não é...” ! (Site do Grupo Logos; Internet)

Grupo que promove ritmo sincopado. (Ver clipe).



Como ignorar a recomendação da santa Palavra do Senhor em Rm 16:17-18?

Em sete de outubro de 1888 Spurgeon, diante da luta pela preservação da sã doutrina, disse: “Eu tenho me separado claramente daqueles que erram na fé bem como daqueles que se associam com eles”;

“Devemos resistir à tendência de sermos absorvidos nas modas e modismos do pensamento humano”. (John MacArtur, Jr ,Princípios para uma Cosmovisão Bíblica);

O trejeito do mundo não pode fazer parte da agenda litúrgica da Igreja do Senhor.

Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular convidar pastores de denominações contrarias aos nossos distintivos?

Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular usando na liturgia cânticos de grupos e cantores do neo-evangelicalismo?

O livre curso que têm as músicas da Ana Paula Valadão com seus “atos proféticos” em muitas igrejas Batistas Regulares;

Mostrar o livro do Pastor Evaldo de Morais “A Verdadeira Adoração Em Face Da Adoração Extravagante”.

Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular fazer uso de coreografia na adoração?

Qual será nosso sentimento ao contemplarmos uma igreja Batista Regular se envolver em política?

Qual será o nosso sentimento ao contemplar uma igreja Batista Regular procurando articular a sua doutrina e prática em termos da cultura e do pensamento contemporâneo?

Isso faz parte dos traços distintivos da teologia liberal;

A doutrina da separação bíblica não pode ser atenuada em nome do amor, não podemos esquecer que o amor sempre esteve ligado à verdade II Jo1-2.

Qual será o nosso sentimento ao contemplar uma igreja Batista Regular usando instrumentos nocivos a verdadeira adoração, tais como: Guitarra, contrabaixo, bateria?

Qual será o nosso sentimento ao contemplar uma igreja Batista Regular usando a Bíblia na Linguagem de Hoje e a NVI?
CONCLUSÃO:

A Bíblia não pode ser flexibilizada para adaptar a mensagem ao mundo atual;

Por que procurar parecer com o mundo para atrair o mundo?

Por que tentar fazer da igreja uma entidade inclusivista, pluralista, e socialmente aceitável ao mundo?

“A busca pela aprovação do mundo é nada mais, nada menos que adultério espiritual” (John MacArtur, Jr. Princípios para uma Cosmovisão Bíblica);

Não há como compatibilizar a Igreja de Jesus Cristo e o mundo Tg 4:4.

O Neo-evangélico afunila a sua mensagem, concentrando-se apenas numa porção de todo o conselho de Deus At 20:27;

Um pregador Neo-evangélico pregará contra o pecado e o erro de uma forma genérica e light, mas não com a clareza de todo conselho de Deus. Ele irá dizer que se opõe a muitos erros, mas peca em algumas doutrinas especialmente a da separação bíblica;

Herdamos, de nossos pais na fé, um legado inquestionável. Doutrina fiel à Palavra de Deus;

Qual será o legado que a próxima geração vai herdar de nossa parte?

O nosso tema:
Quem fomos? É fácil definir o nosso passado, é somente olhar a nossa história.

O que somos? Hoje paira uma preocupação com a identidade do grupo.

Recordem a associação de 1989. O irmão ainda reprovaria as mesmas questões pelas quais foi necessária a expulsão do neo-evangélico do nosso meio? 

Estamos convivendo com balidos estranhos em nosso meio como foi mostrado nas perguntas para nossa reflexão I Sm 15:13-14.

E como seremos? Se a nossa postura seguir a prática da filosofia do pragmatismo o grupo estará lado a lado com o neo-evangelicalismo, não podendo ser mais chamado de fundamentalista. Isto é inconcebível com a fé histórica do movimento.

Precisamos crescer? Claro que sim, mas não podemos buscar a solução em fontes filosóficas que vão contra os absolutos de Deus;

O verdadeiro Batista Regular não atenua a doutrina da separação. O verdadeiro fundamentalista não se esquece que os cinco pontos que foram defendidos pelos nossos irmãos, surgiram pela necessidade de separação do erro teológico. Alguém que diz que é fundamentalista, mas não é separatista, é pseudo fundamentalista;

O nosso único objetivo deve ser obedecer a Deus e a sua Santa Palavra.



Bibliografia:

Manipulando os Cristãos Através de Grupos, Martin & Deidre Bobgan, Ed Actual RS;

Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia; R.N. Champlim, J.M. Bentes; Ed Candeia; SP;

BLACKBURN, S. Dicionário Oxford de Filosofia; trad. Desidério Murcho e tal.. - Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997;

Vocabulário Filosófico. Dr. Greg L. Bahnsem;

COM VERGONHA DO EVANGELHO John MacArtur; Ed Fiel, SP;

A Wikipédia Portal de Filosofia. Internet;

Davidd Cloud, Artigo, Internet;

Primeiro livro de atas da AIBREB;

Spurgeon Versus Hipercalvinismo, Ed. Pes, SP;

Site do Grupo Logos; Internet;

Princípios para uma Cosmovisão Bíblica John MacArtur, Jr; Livro Virtual.





Pastor Emidio de Souza Viana E-MAIL emidio@contilnet.com.br **(68) 3228-1925 Res 3223-1917 Ig 8402-8772 Cl



apresentado na:
XXVIII AssembleIA GERAL DAS IGREJAS BATISTAS REGULARES DO BRASIL - NATAL RN AIBREB, MAIO de 2009

 

 

 


 

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )