Desculpas Ecumênicas Para Jugos Desiguais


John R. Rice




“Novos Evangélicos” tentam encontrar razões bíblicas para se unirem com descrentes. Aqui, nós contestamos estas desculpas para a desobediência. Esta será uma mensagem bíblica explicando as Escrituras. Assim, a coisa apropriada para um crente honesto fazer é ler e, cuidadosamente e criticamente, ver se as Escrituras são citadas corretamente, e ver se elas são explanadas honestamente.

Há um grupo de crentes na América que se auto-denominam de "Novos Evangélicos."  Dr. Harold Ockenga de Boston diz  que ele forjou [criou e popularizou] o termo. As revistas "Christian Life" e "Christianity Today", como também o Seminário Fuller, e o Dr. Billy Graham são, nós supomos, os principais expoentes do "Novo Evangelicalismo."

O termo significa que eles têm inventado um novo tipo de evangelicalismo o qual não é tão ofensivo aos inimigos de Cristo e e inimigos da Bíblia, e assim eles esperam evitar muitas do opróbrio que sobreveio aos fundamentalistas de antigamente e aos evangélicos de antigamente pela maneira como eles defendiam a fé cristã histórica . Os Novos Evangélicos são a favor dos crentes bíblicos permanecerem nas denominações controladas pelos modernistas; unirem-se em associações ministeriais como um igual com aqueles que negam a fé, e com católicos, e com falsas seitas; e se unirem com pessoas modernistas, e neo-ortodoxas, e com falsas seitas, em campanhas de reavivamento, etc.

Agora, a Bíblia tem muitas declarações claras proibindo o crente de ter comunhão espiritual ou vínculos com pessoas descrentes.

“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.” -- Sal 1:1.

“E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as.” -- Efé 5:11.

“14 Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? 15 E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? 16 E que consenso tem o templo de Deus com os ídolos? Porque vós sois o templo do Deus vivente, como Deus disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. 17 Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, E eu vos receberei; 18 E eu serei para vós Pai, E vós sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.” -- 2Co 6:14-18.

“9 Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho. 10 ¶ Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. 11 Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras.” -- 2Jo 9-11.

Então o que nossos amigos "Novos Evangélicos" fazem? Eles tomam outras Escrituras e tentam cancelar estes claros mandamentos de Deus! Eles atacam o caráter e motivos de qualquer que defende a fé e se opõe à descrença moderna e se opõe a se tomar jugo em comum com descrentes! Eles tentam mostrar que Deus está abençoando tanto a contemporização deles, que nós devemos ter mal compreendido as Escrituras!

Aqui, tentaremos mencionar as principais desculpas fabricadas e usadas por aqueles amigos ecumênicos que desobedecem ao mandamento de Deus e se unem com descrentes em igrejas locais, em denominações, em associações ministeriais, em campanhas de reavivamento e em revistas cristãs,  falando no "Clube de Chicago Domingo à Noite", escrevendo no "Christian Century", etc.



1. ELES ARGUMENTAM QUE JESUS DISSE NA PARÁBOLA DO JOIO, "DEIXAI AMBOS CRESCEREM JUNTOS ATÉ A COLHEITA"

Dr Billy Graham no "Baptist Standard" do Texas estabeleceu o padrão [para este falso argumento], dizendo que a parábola do joio indicava que Jesus queria que tanto modernistas como fundamentalistas andassem juntos nas igrejas. Muitos outros têm copiado este falso ensinamento.

Jesus explicou a parábola do joio:

“38 O campo é o mundo; e a boa semente são os filhos do reino; e o joio são os filhos do maligno; 39 O inimigo, que o semeou, é o diabo; e a ceifa é o fim do mundo; e os ceifeiros são os anjos.”-- Mat 13:38, 39.

E Jesus, falando esta parábola, disse que os servos do homem que possuía aquele campo disseram a tal proprietário::

“28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres pois que vamos arrancá-lo? 29 Ele, porém, lhes disse: Não; para que, ao colher o joio, não arranqueis também o trigo com ele. 30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colhei primeiro o joio, e atai-o em molhos para o queimar; mas, o trigo, ajuntai-o no meu celeiro.”-- Mat 13:28-30

Assim Dr Graham, e outros que comungam com descrentes e com "clérigos" não convertidos, interpretam que estes versos significam que Jesus quer que tanto modernistas como fundamentalistas, tanto infiéis como crentes, cresçam juntos na igreja,  e que nós não devemos protestar contra o modernismo. 

Mas note como Jesus explicou a parábola: "O campo é o mundo," não a igreja. Não temos que matar os modernistas e expulsá-los deste mundo. Deixemos isto para os anjos de Deus. Mas não é esperado que tais "filhos do iníquo" estejam dentro das igrejas. Nem um só versículo justifica ter uma só pessoa na igreja, exceto na base da fé pessoal em Cristo como Salvador de acordo com a histórica fé cristã. Em Gálatas 1:8 e 9 qualquer que traz um Evangelho diferente deve ser amaldiçoado. Em 2 João, versículos do 9-11, somos claramente proibidos de receber tal pessoa em nossas casas ou púlpitos ou [mesmo] saudá-los.

Deixar os infiéis no mundo? Sim. Nós não devemos nos determinar e sairmos para matá-los. Deixemos isto para o tempo da colheita. Mas podemos chamar de crentes aos infiéis? Claro que não! Nenhuma interpretação honesta das Escrituras pode fazer Jesus ensinar que crentes e infiéis são os mesmos e que devem ser ligados juntos nas mesmas igrejas. .



2. “O NOVO TESTAMENTO DÁ MAIS ÊNFASE AO AMOR DO QUE À SEPARAÇÃO”

Assim o Dr Graham escreve em uma carta largamente espalhada onde ele diz que é "para não ser publicada." 

Agora, deixe-nos dizer francamente que amor fraternal é ensinado através da Bíblia; e que quanto à fé, esperança e amor, o maior destes é o amor. Mas é honesto e certo usar amor como uma desculpa para desobedecer o simples mandamento das Escrituras? Este é um velho artifício de Satanás através do qual ele tem preso muitas e muitas pessoas no pecado e à contemporização.

O pai que castiga com varinha a seus filhos e os faz prestar atenção, não os ama como deviam! O pregador que prega sobre inferno e julgamento está simplesmente com um propósito malvado; ele não ama as pessoas como devia! O castigo de morte para assassino  não é civilizado; esperam de nós amar os assassinos e estupradores e deixá-los soltos! Assim dizem aqueles que amam muito os modernistas mas não os fundamentalistas.

E assim nossos "Novos Evangélicos" argumentam que nós devemos amar os modernistas, dar-lhes tapinhas [amistosas, de cumprimento] nas costas, chamá-los para orar, dizer a eles que são bons crentes, enquanto eles cospem na Bíblia e pisam no sangue de Cristo!

Mas a Bíblia tem uma palavra muito clara sobre isto. “O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem.”
(Rom 12:9). Por que ser hipócrita sobre amor?

O que você pensaria sobre a sinceridade de um homem que insiste em dizer que ele ama sua esposa exatamente como Cristo amou a igreja, e que [ao mesmo tempo] ele ama uma prostituta exatamente tanto quanto sua esposa? O que você pensaria da sinceridade de um homem que solenemente afirma seu zelo santo por americanismo dos velhos tempos se ele diz que ele é igualmente à favor do comunismo? 

Não, há algumas coisas que são opostas. Se você quer se agarrar e unir àquilo que é bom, você deve odiar aquilo que é mau. Caso contrário, seu amor é fingido, é um "disfarce." O homem que ama o pés de milho odeia a erva daninha. Na criação de gado, no Texas, os homens que amam seu gado odeiam as larvas da mosca, os carrapatos, a febre do Texas que foi inimiga do gado. Um homem que é do céu é contra o inferno. Um homem que é da Bíblia é contra os inimigos da Bíblia. O homem que é pela histórica fé cristã é contra a infidelidade. É hipocrisia insincera fingir que pode ser de outra maneira. 

As Escrituras avisam:  “O que não faz uso da vara odeia seu filho, mas o que o ama, desde cedo o castiga.” (Prov 13:24). O amor verdadeiro lida com o pecado e castiga aqueles que amamos. Como o verdadeiro cirurgião, o amor o fará tirar fora o câncer que ameaça a vida de seu paciente. Como o verdadeiro pregador do Evangelho, o amor o fará avisar às pessoas contra o pecado. E Jesus disse “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” (Tia 4:4).

O tipo de amor que faz o povo ignorar os claros mandamentos de Jesus Cristo sobre separarmo-nos de descrentes é um tipo de  amor fraudulento. Nenhum crente bom deseja ser culpado para sempre, por usar aquele tipo de argumento para conseguir que as pessoas  façam o errado.

Eu creio que o tipo certo de amor para o antigo Bispo Pike, o infiel Bispo episcopal de São Francisco, teria sido avisá-lo solenemente que ele necessitava nascer de novo, que os rejeitadores de Cristo acordam no inferno. Não é verdadeiro amigo de um descrente aquele que dá-lhe tapinhas nas costas, chama-o de um bom cristão, convida-o para orar, diz a ele que ele está certo assim como está, e leva até ele homens sedentos, para que ele os "oriente" e arruíne a fé deles. Colocar amor contra e acima de Cristo e Seus mandamentos, e contra e acima o dever [para com Deus], é errado.



3. SOMOS ENSINADOS QUE AS BÊNÇÃOS DE DEUS EM GRANDES MULTIDÕES, POPULARIDADE, BUSCADORES-INQUIRIDORES, COBERTURA DE JORNAL PROVAM QUE OS CONTEMPORIZADORES ESTÃO AGRADANDO A DEUS

Deixe-nos dizer, primeiramente, que agradecemos a Deus por cada alma salva sob o ministério de alguém. Muitos são salvos sob o ministério de Oral Roberts, embora nós pensamos que algumas de suas doutrinas são erradas e seus cultos de cura enganam muitos, e causam dano. Mas nós estamos felizes por cada alma que ele ganha para Cristo.

Eu fiquei admirado quando um homem me disse como num cinema ele viu "O Rei dos Reis"  e foi convertido para Cristo por ele. Eu louvo a Deus por sua conversão, embora eu seja contra os filmes comerciais de Hollywood.

Quando Chuck Templeton trabalhou com o Conselho Nacional de Igrejas, ele conseguiu algumas pessoas salvas antes dele deixar o ministério, ter se divorciado de sua esposa e ter abandonado seu testemunho cristão. Eu estou feliz porque ele conseguiu  algumas pessoas salvas. 

Dr. Billy Graham tem pregado o evangelho para muitos e nós cremos que muitos têm sido salvos sob o seu ministério. Isto não significa que Deus está a favor de todos os métodos que ele usa, todas as citações que ele dá de  Karl Barth, Elton Trueblood, Reinhold Niebuhr, Albert Schweitzer e outros descrentes. Isto não significa que Deus favoreceu seu companheirismo e comunhão com o Bispo Pike, com Henry Van Dusen e com outras pessoas que não crêem na Bíblia e que são contra a histórica fé cristã.

No entanto, eu me alegro de que o Evangelho é pregado e eu estou contente por cada alma que é salva. Desejo que tenham havido muito mais almas salvas.

Mas as multidões, a popularidade, e os buscadores-inquiridores (claro, nenhum deles salvos, somente uma fração deles clamam ser) provam que Deus está de acordo com a contemporização do Dr. Graham? Não. Quantidade não prova a bênção de Deus.  

Se fosse assim, quando os católicos se juntam no Campo do Soldado em Chicago, em milhares, isto provaria que Deus os abençoa mais do que aos protestantes. Quando as Testemunhas de Jeová, anualmente, ocupam o Estádio Yankee em Nova Iorque, isto provaria que eles são melhores cristãos do que os crentes da Bíblia. O Conselho Nacional de Igrejas tem mais grandes nomes e mais promoção e publicidade do que as organizações de crentes bíblicos, mas isto não prova que Deus os tem aprovado. A Tribuna de Chicago tem um grande número e mais circulação do que A Espada do Senhor, mas eu não creio que isto prove que Deus está mais satisfeito com a Tribuna de Chicago do que com A Espada do Senhor.

Mas mesmo se cada pessoa que vem à frente como um buscador-inquiridor fosse salva, ainda não seria certo desobedecer o claro mandamento de Deus. Pedro pregou um grande sermão em Pentecostes e teve três mil salvos e foi um grande ganhador de almas.Todavia Paulo necessitou encará-lo abertamente e, publicamente, o repreendeu por causa da sua contemporização, como nós lemos em Gálatas 2:11-14. Ninguém se torna tão grande e popular e famoso que tenha o direito de desobedecer a Bíblia. E ninguém se torna tão semelhante a Deus que nenhum crente humilde tenha o direito de chamar a atenção para o que a Bíblia diz sobre se unir com descrentes. 



4.MAS OS FUNDAMENTALISTAS SÃO CHAMADOS DE "CIUMENTOS, INVEJOSOS, FARISEUS CRÍTICOS"

Considere que nós pobres fundamentalistas admitimos que somos frágeis e fracos como todos os outros mortais são. Considere que ao invés de nos defender, nós deixamos para o Senhor nos defender a Seu modo. Ele sabe como eu usei espaço [em jornais] no valor de 10 mil dólares, encorajando o Dr. Graham e o defendendo, nos dias em que Moody Monthly, Sunday School Times, e jornais da Convenção Batista do Sul não eram a favor dele (nem o eram os modernistas). Deus sabe como, por muitos anos, tenho orado fervorosamente, dia após dia, pelo Dr Billy Graham. Eu orei por Dr Charles E. Fuller e agora oro ainda por outros que dizem que "Deus tem ignorado os fundamentalistas" e os fundamentalistas são "fariseus", que nós somos "invejosos e ciumentos", e que nós "não nos importamos com a salvação das pessoas." Eu deixo Deus responder isto.

Deus sabe como o Dr. Bob Jones senior convidou o Dr. Graham para a Universidade Bob Jones e deu a ele um grau de honra e o ajudou em cada caminho possível.

Mas apenas suponha que todos nós fundamentalistas somos muito sentidos [e tremendamente errados em ciúme, inveja, etc.]. Mesmo assim, não é certo [você e nós] ainda obedecermos à Bíblia? Suponha que a defesa da fé da Espada do Senhor é apenas porque nós somos fariseus e hipócritas. Mesmo assim não seria certo ainda obedecermos o que a Bíblia manda contra se unir com descrentes? Alguém não seria ainda abençoado se ele “... não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.”, como Salmo 1:1 promete? Um crente não seria mais advertido a não receber alguém em sua casa ou a não saudar aquele que não permanece na verdade sobre Jesus Cristo como é ensinada na Bíblia?

É um velho, velho truque dos advogados mais desonestos (quando não têm razão, nem provas, nem argumentos significantes) tentar desacreditar as testemunhas que dão os fatos.

Mas mesmo se [ou quando] os Novos Evangélicos conseguirem que quase todo o mundo odeie os fundamentalistas e concorde que todos nós fundamentalistas somos hipócritas e fariseus e ciumentos e invejosos e que não amamos os pecadores, então os mandamentos de Deus ainda estarão na Bíblia, que é errado chamar um infiel de crente, e errado unir-se com descrentes.

Aqueles que acusam os fundamentalistas de serem fariseus e ciumentos e invejosos, freqüentemente, chamam nossa atenção para Lucas 9:49, 50, e Marcos 9:38 e 39. A última dessas passagens diz:

“38 E João lhe respondeu, dizendo: Mestre, vimos um que em teu nome expulsava demônios, o qual não nos segue; e nós lho proibimos, porque não nos segue. 39 Jesus, porém, disse: Não lho proibais; porque ninguém há que faça milagre em meu nome e possa logo falar mal de mim.” (Mar 9:38-39)

E assim eles sugerem que nós fundamentalistas proibimos todos os evangelistas ecumênicos de expulsar demônios. Ao contrário, eu não conheço um único homem fundamentalista que não fique feliz por um bêbado ser converter e infiéis se tornarem crentes. E eu não conheço nenhum fundamentalista que jamais criticou Billy Graham por conseguir que alguém se salve. Com certeza, eu não conheço. E eu regozijaria se ele expulsasse demônios em vez de tê-los sentados na plataforma e liderarem em oração. E eu não estou sendo brincalhão nem tampouco jogando com palavras porque em João 8:44 Jesus disse para as pessoas religiosas não convertidas: "Vós tendes por pai ao diabo . E novamente Ele lhes disse: "Vós fazeis as obras de vosso pai" (João 8:41).

Eu nunca soube de um modernista que se salvou em conseqüência do fato de estar na plataforma liderando em oração, ou do fato de ser chamado de irmão, ou de encaminharmos a ele inocentes buscadores-inquiridores jovens, para ele lhes arruinar a fé. Como não se consegue a conversão de um bêbado, bebendo com ele, assim também não se consegue a salvação de um modernista rejeitador de Cristo, chamando-o de crente.  



5. “NÃO TOQUEIS OS MEUS UNGIDOS", SOMOS LEMBRADOS

Uma das verdades abençoadas da Bíblia é que Deus toma cuidado de Seus pastores ungidos. Assim, os contemporizadores dizem que não deveríamos nunca criticar nenhum homem que Deus usa. Dois versículos são apropriados. No Salmo 105, versículos 14 e 15, Deus fala do tempo quando os filhos de Israel estavam no Egito e Ele disse: “21 A ninguém permitiu que os oprimisse, e por amor deles repreendeu reis, dizendo: 22 Não toqueis os meus ungidos, e aos meus profetas não façais mal.” (1Cr 16:21-22)

Sim, Deus cuida dos Seus. Ele reprovou faraó que teria morto Moisés e Arão e assim com os reis de Amaleque e Midiã e reis em Canaã. Para estes ele disse: "Não toqueis nos meus ungidos, e não façais mal a meus profetas". Os reis não devem matar os profetas de Deus.

Mas isto não significa, agora, que um profeta não deva ser submetido às Escrituras? Certamente que não? Isto significa que Paulo estava errado em reprovar Pedro abertamente quando este contemporizou, como lemos em Gálatas 2:11-14? Paulo estava errado em dizer: “Porque Demas me desamparou, amando o presente século, e foi para Tessalônica, Crescente para Galácia, Tito para Dalmácia.” (2Ti 4:10)?  Estava ele errado quando mencionou Figelo e Hermógenes como tendo se apartado dele (2Ti 1:15)? Não é próprio torcer um versículo para tentar fazê-lo contradizer um outro versículo, ou mudar o significado de um versículo pelo mau uso de um outro versículo.

Novamente, o termo "o ungido do Senhor" é usado em 1Sa 24:6. Davi, perseguido por Saul, teve uma chance de matar aquele rei mas não matou. “E disse aos seus homens: O SENHOR me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do SENHOR, estendendo eu a minha mão contra ele; pois é o ungido do SENHOR.” E novamente nos versículos 10 e 11 nós lemos:

“10 Eis que este dia os teus olhos viram, que o SENHOR hoje te pós em minhas mãos nesta caverna, e alguns disseram que te matasse; porém a minha mão te poupou; porque disse: Não estenderei a minha mão contra o meu senhor, pois é o ungido do SENHOR. 11 Olha, pois, meu pai, vê aqui a orla do teu manto na minha mão; porque cortando-te eu a orla do manto, não te matei. Sabe, pois, e vê que não há na minha mão nem mal nem rebeldia alguma, e não pequei contra ti; porém tu andas à caça da minha vida, para ma tirares.”

Davi estava certo em não matar Saul. Isto teria sido um assassinato.Segundo, Deus colocou Saul no trono [como rei] e somente Deus tinha o direito de tirá-lo.

Mas Davi altamente repreende o rei Saul pelo seu pecado, como ele entende. Ele disse: "... porque cortando-te eu a orla do manto, não te matei. Sabe, pois, e vê que não há na minha mão nem mal nem rebeldia alguma, e não pequei contra ti; porém tu andas à caça da minha vida, para ma tirares." E então ele disse: "Julgue o Senhor entre mim e ti, e vingue-me o Senhor; porém a minha mão não será contra ti." Assim, embora Davi não matasse o rei Saul, ele repreendeu o seu pecado. Hoje, os crentes devem fazer assim quando um outro crente peca.



6. O ARGUMENTO DE GAMALIEL: "DAI DE MÃO A ESTES HOMENS, E DEIXAI-OS, PORQUE, SE ESTE CONSELHO OU ESTA OBRA É DE HOMENS, SE DESFARÁ" 

Gamaliel era um fariseu não convertido. Deus o usou para livrar Pedro e João da morte. Mas este sábio homem disse uma coisa louca a qual alguns crentes citam como verdade do evangelho. Ele aconselhou os regentes a não matarem Pedro e João que tinham estado pregando. Ele disse:

“38 E agora digo-vos: Dai de mão a estes homens, e deixai-os, porque, se este conselho ou esta obra é de homens, se desfará, 39 Mas, se é de Deus, não podereis desfazê-la; para que não aconteça serdes também achados combatendo contra Deus.” -- Atos 5:38-39.

A Bíblia somente cita Gamaliel; ela não aprova sua declaração.

Assim as pessoas dizem que não é da nossa conta repreender pecado, desmascarar o modernismo. Devemos deixar para Deus tomar conta. Ele dizem que se o trabalho é de Deus, ele crescerá; se não é de Deus, ele falhará. Mas quando eles citam Gamaliel eles estão citando um homem ímpio, não o que o próprio Deus diz.

Não é verdade que, se um trabalho não é de Deus, "ele [logo] se transformará em nada." O movimento Ciência Cristã não é de Deus, mas ele não tem se transformado em nada. O movimento Testemunhas de Jeová não é de Deus, mas ele não tem se transformado em nada. O mesmo pode ser dito do Islamismo e  Catolicismo e Espiritismo. O mesmo pode ser dito do comércio com álcool, e da literatura pornográfica. É uma loucura e uma idéia não bíblica que nós devemos deixar as coisas sozinhas e se há alguma coisa errada com eles, então eles virão mesmas se destruirão.

Esta idéia de que a verdade nunca deve ser defendida e o errado nunca ser atacado é totalmente diferente do pleno ensinamento da Bíblia.

O Senhor Jesus nos ordenou “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores.”  (Mat 7:15). O jovem Timóteo foi ordenado: “Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor.” (1Ti 5:20). Paulo foi inspirado para escrever a Tito sobre alguns  "faladores, vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão... Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé" (Tito 1:10, 13). E Judas 3 nos diz para "batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos." Alguns seguem Gamaliel, mas seria muito melhor se eles seguissem a Bíblia.



7. SOMOS LEMBRADOS DO QUE JESUS DISSE: "NÃO JULGUEIS PARA QUE NÃO SEJAIS JULGADOS" 

Sim, aqui está uma declaração clara do Senhor Jesus, e é importante. Eu tenho escrito com detalhes sobre isto em um capítulo de A Ruína de um Cristão. Aqui, Jesus diz que existem certas razões porque não devemos julgar outros. Para começar, nós seremos julgados com o mesmo julgamento. Será medido para nós com a mesma medida. Jesus diz que algumas vezes nós vemos um argueiro no olho do irmão quando nós temos uma trave ou prancha em nossos próprios olhos.

E aqui parece claro que Deus está falando sobre julgamento a respeito do coração e das razões de um homem. E, em algum lugar, foi-nos dito. “Porém o SENHOR disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração.” (1 Sam 16:7). Eu não posso dizer quem é salvo e quem é perdido por olhar suas ações, porque eu não posso ver seus corações. Os outros apóstolos pensavam que Judas era um crente, sem dúvida, mas ele não era. Por outro lado, alguns muito provavelmente pensavam que Pedro, quando ele amaldiçoou e mentiu e negou Jesus e abandonou o ministério, era provavelmente não salvo. Longe de julgar motivos e o estado do coração, somos ordenados: "Não julgueis para que não sejais julgados."

No entanto, no mesmo capítulo o Senhor nos diz que há algumas pessoas que podemos julgar por causa de certos frutos  visíveis. Ele disse: “15 ¶ Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores. 16 Por seus frutos os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?” (Mat 7:15,16).

Quando um homem diz, ou escreve em um livro, que ele não crê no nascimento virginal de Cristo, em Sua divindade, em Sua ressurreição, na expiação [vicária] através de Seu sangue, então nós sabemos que ele não é salvo de acordo com João 8:23, 24, e 2 João, versículo 9:

“23 E dizia-lhes: Vós sois de baixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. 24 Por isso vos disse que morrereis em vossos pecados, porque se não crerdes que eu sou, morrereis em vossos pecados.” (Jo 8:23-24)

Todo aquele que prevarica, e não persevera na doutrina de Cristo, não tem a Deus. Quem persevera na doutrina de Cristo, esse tem tanto ao Pai como ao Filho.” (2Jo 1:9)

Há certos frutos pelos quais podemos saber que um homem não é salvo. Não é embriaguez, pois Noé e Ló e outros crentes beberam. Não é assassinato nem adultério, pois Davi e outros crentes foram culpados destes pecados. Mas o que não aceita Cristo como Ele clama ser, não pode confiar nele como um Salvador. Assim, quando o fruto de um homem é antagonismo aberto à fé cristã, rejeição de Cristo e da Bíblia, então ele não é salvo. E neste assunto de certos frutos externos quanto a doutrina, nós podemos julgar se um homem é um crente em Cristo ou é um falso profeta. E eu tenho direito e obrigação de não somente julgar falsos profetas, mas expô-los [publicamente].

Mas as Escrituras também ensinam claramente que há algumas questões de ações de crentes que somos para julgar pela Bíblia. Em 1 Coríntios 6:1-3 Paulo foi inspirado a escrever:

“1 ¶ Ousa algum de vós, tendo algum negócio contra outro, ir a juízo perante os injustos, e não perante os santos? 2 Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas? 3 Não sabeis vós que havemos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas pertencentes a esta vida?”


E no versículo 4 ele diz que nós devemos "Então, se tiverdes negócios em juízo, pertencentes a esta vida, pondes para julgá-los os que são de menos estima na igreja?" No verso 5 ele diz “Para vos envergonhar o digo. Não há, pois, entre vós sábios, nem mesmo um, que possa julgar entre seus irmãos?”

Assim, sobre questões de ação, certas ou erradas, onde os fatos são claros, crentes podem e são requeridos a julgar. Não podemos julgar o coração mas podemos julgar ações pela Palavra de Deus.

De fato, no capítulo precedente, falando sobre o homem que vivia em pecado com sua madrasta, Paulo disse: "Eu, na verdade ... já determinei," e disse a eles para expulsar o ofensor (1Co 5:3-5). E então Deus inspirou Paulo para declarar certas regras sobre comunhão e julgamento ou expulsar de nossa comunhão outros crentes (1Co 5:11-13).

Paulo estava errado por encarar Pedro abertamente em Corinto quando ele estava conduzindo Barnabé e outros a se desviarem por dissimulação, recusando comer com os gentios convertidos a fim de agradar os judaizantes (Gal 2:11-14)? Não. Concernente aos corações das pessoas, não podemos julgar e devemos ser muito cuidadosos sobre nossas opiniões, porque queremos que as pessoas sejam generosas conosco, também, sobre o que eles não podem saber e não podem ver em nossos corações. Mas sobre o certo e o errado, como claramente é ordenado na Bíblia, nós temos o direito de falar, e temos o direito de requerer na comunhão cristã as coisas verdadeiras que Deus requer.

Desta maneira, nenhum pregador está julgando o coração ou desobedecendo as Escrituras quando ele obedece o pleno mandamento “Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.” (2Ti 4:2).



8. “O ESPÍRITO SANTO TOMARÁ CONTA DOS CONVERTIDOS QUE ENVIAMOS PARA AS IGREJAS MODERNAS”

Pessoas que se desculpam a si mesmas por andar com descrentes e encorajar novos convertidos ou buscadores-inquiridores a se juntarem a igrejas onde o pastor não crê na Bíblia, ou em outros fundamentos da fé (eu digo para desculpar eles mesmos, aqueles que são culpados), dizem: " O Espírito Santo tomará conta destes convertidos."

Bem, o Espírito Santo guia todas as pessoas [realmente] salvas para fora da Igreja Metodista que tem bispos infiéis tais como o falecido [G. Bromley] Oxnam e outros?

É verdade que o Espírito Santo habita no corpo de cada crente, verdadeiramente nascido de novo. Mas o Espírito Santo não toma o lugar de um pastor.

Paulo voltou para as cidades onde ele tinha pregado: "Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé..." (Atos 14:22).

O concílio de apóstolos e anciãos em Jerusalém enviou uma carta dizendo aos gentios convertidos que eles não necessitavam ser circuncidados para cumprir a lei de Moisés. Eles não deixaram isto para o Espírito Santo.

Na Grande Comissão Jesus ordenou que os apóstolos e outros crentes deviam ir e fazer discípulos e batizá-los "ensinando a observar todas as coisas que eu vos tenho ordenado..." Não foi admitido que eles deixarem esta obrigação para o Espírito Santo.

Se é para o evangelista  deixar parte de sua obrigação, claramente ordenada, para o Espírito Santo, por que não deixa também o resto dela para o Espírito Santo?  Paulo foi um poderoso evangelista, mas quando ele veio para Mileto e chamou os anciãos de Efésios, ele os lembrou "Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar," e novamente: "Porque nunca deixei de vos anunciar todo o conselho de Deus." (Atos 20:20, 27). Então ele falou de lobos que apareceriam entre eles e disse: "Vigiai..." Homens são ainda ordenados e responsáveis para ensinar aos novos convertidos o que Deus disse para ensiná-los. E o trabalho abençoado do Espírito Santo não é uma boa desculpa para desobedecer o claro mandamento de Deus contra se unir com descrentes.



9. ELES NOS DIRÃO "PECADORES SE AFASTARÃO DE CRISTO POR CAUSA DA DISCÓRDIA ENTRE CRENTES"

Esta é uma velha, velha estória. Por todo o mundo, crentes pensam que você pode ganhar mais almas se você prega sobre céu mas nunca sobre inferno; se você prega sobre fé mas nunca sobre arrependimento! Ele pensam que você pode conseguir mais pessoas salvas se você nunca bate em seus filhos, se você nunca impõe, se você nunca ofende ninguém!

Por outro lado, todos os grandes ganhadores de almas através dos séculos -- de Savonarola até Wesley, Whitefield, Spurgeon, Moody, Torrey, Billy Sunday, Sam Jones e Bob Jones -- têm provado que a maior quantidade de almas tem sido salva pela pregação clara e afiada contra o pecado e  pelo abandono do pecado.

Quando Spurgeon se opôs, abertamente, ao movimento de down-grade (decadência ou desgraduação ou ladeira-abaixo) (modernismo) e finalmente deixou a União Batista da Grã-Bretanha e Irlanda, isto não o impediu de ganhar almas.

Não impediu Billy Sunday de ganhar almas o fato que ele lutou contra o tráfico de álcool, contra o mundanismo e modernismo.

Eu ouvi Gypsy Smith em Dallas virar-se com seus olhos faiscando e com santa indignação contra os preletores no púlpito da Primeira Igreja Batista em Dallas, Texas, onde ele foi convidado para um grande reavivamento, e dizer para eles: "Vocês não crêem no nascimento virginal de Cristo? Hipócritas! Saiam do púlpito!" 

Você pensa que D. L. Moody foi impedido de ganhar almas porque ele não se sentou na mesma plataforma com um pregador unitariano em um encontro sobre temperança?

Eu sugiro que o leitor pegue umas doze revistas evangélicas que nunca condenam o pecado, nunca lutam contra o modernismo, nunca nomeiam um contemporizador, e eu mostrarei mais cartas de pecadores perdidos salvos através do ministério da Espada do Senhor do que daquelas outras doze revistas que não se opõem ao pecado como nós.

É chocante como grandes multidões possam comparecer a uma tal campanha de reavivamento nestes dias e quando se acaba, há muito mais crimes, muito mais delinqüência infantil, muito mais divórcios. Infidelidade está muito mais forte do que nunca! As campanhas de reavivamento dos poderosos ganhadores de almas do passado, realmente mudaram as coisas. Eles limparam os governantes de cidades corruptas, fecharam bares, esvaziaram cadeias, dobraram a freqüência nas igrejas, fecharam as bocas de infiéis, dissiparam clubes infiéis desde Bradlaugh na Inglaterra até Ingersoll na América.

Se você quer ganhar almas, então agrade a Cristo em vez de a pecadores. Mesmo um pecador perdido sabe que um bom crente deve levantar-se por Cristo e pela Bíblia.

Deixe-nos, simplesmente, resumir toda a coisa. Tudo o que a Bíblia diz, nós devemos seguir. Ninguém deve fazer prevalecer um versículo contra outro e tentar cancelar um mandamento claro das Escrituras por uma interpretação retorcida de um outro versículo.

Eu estou convencido de que nós não necessitamos de "Novos Evangélicos" mas de antigos evangélicos que se levantem pela antiga verdade, com o fogo do velho tempo e as convicções do velho tempo.

Seguir um homem como um ídolo, certo ou errado, é pecado, e leva à mudança das Escrituras para justificar o pecado.


John R. Rice

(“Ecumenical Excuses for Unequal Yokes” por John R. Rice, em cerca de 1962, Sword of the Lord, P.O. Box 1099, Murfreesboro, TN 37130)


Traduzido por Valdenira N.M. Silva, jun 2004.




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )