Os Distintivos ou Os “Indistintos” Doutrinários dos Batistas Regulares?


As gotas de veneno que assolam o movimento.



Miguel Ângelo L Maciel



 

Olhando para uma caixa de veneno para ratos, vê-se a descrição de que 99,99% do conteúdo não fariam mal a ninguém. Apenas 0,01% é o conteúdo de veneno ali constituído para realizar a morte quase que instantânea. Certo pastor, falando a respeito da contaminação da doutrina, usou a ilustração de um prato saboroso e suculento de comida para uma pessoa faminta. Bastaria um fio de cabelo atravessando o mesmo para que se perdesse por completo o sabor e o prato fosse rejeitado.

Seria diferente com as Doutrinas defendidas desde o início da era cristã? Acaso uma pitada de “fermento não pode levedar toda a massa?” (Mat 16:11-12; Marc 8:15; 1 Co 5:6-9; Gal. 5:9).

Revisados, aprovados e publicados em 2003 pela Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil, os Distintivos Batistas Regulares apresentam vários ataques diretos às formas de doutrina e prática defendida pelos fundamentalistas bíblicos e históricos do movimento, como pequenas gotas de veneno nas Doutrinas Fundamentais. Vejamos alguns poucos exemplos:



1.° Distintivo – Bibliologia: A Autoridade e Infalibilidade da Palavra de Deus ,página 8, apresenta as seguintes citações:


- - -      “...cada palavra de toda a Bíblia, nos manuscritos originais, é a Palavra de Deus.” (ênfase minha) – página 8.


Comentário: Podemos perceber aqui a presença do veneno contra o qual o Fundamentalismo cristão vem lutado desde meados do século XIX, com o surgimento da Teologia Liberal e da Alta Crítica. É este o argumento de todos os liberais apóstatas e hereges que atacam a Palavra de Deus. Este é por certo um ataque sutil, mas claramente perceptível, à Doutrina da Preservação defendida pelos Fundamentalistas.


- - -      “Todo o seu conteúdo é a verdade...”


Comentário:  Todo os seu conteúdo? Onde fica a posição fundamentalista de que a Bíblia é a verdade revelada de Deus palavra por palavra (Inspiração Plenária e Verbal) e não apenas em seu conteúdo? Isso é abrir margens para a livre interpretação e para o Criticismo Teológico.


- - -      “No final do século XIX, surgiu o liberalismo teológico, que rejeitou várias doutrinas fundamentais do cristianismo, inclusive da inspiração e da inerrância bíblica”.  – página 9.


Comentário: Não vemos aqui nenhuma referência á Alta Crítica e nem á Doutrina da Preservação, sem a qual jamais poderíamos crer que a Palavra de Deus é eterna. (Salmos 119:89); Estariam, pois os Batistas Regulares aceitando todas as versões como corretas? A resposta vem a seguir.


- - -      “Rejeitamos qualquer tentativa de se estabelecer uma versão das Escrituras como sendo a única aceita pela igreja.” – página 9.


Comentário: Poderíamos parar por aqui, pois somente neste “Indistinto” posicionamento doutrinário, temos uma concordância com todas as versões adulteradas tais como Almeida Atualizada, NVI, Bíblia na Linguagem “Horrenda” (ou seria de hoje?), todas baseadas no corrupto Texto Crítico. Isto não é uma descrição de Distintivo Doutrinário. É a aberta inclusão do movimento na aceitação das heréticas traduções corrompidas e um ataque frontal ao Texto Tradicional.


Meus caros, era minha intenção fazer um trabalho detalhado sobre os que foi publicado, mas, sinceramente não vejo necessidade, pois somente no primeiro distintivo verificamos qual distante tal publicação se encontra do Fundamentalismo Histórico. Tal texto compromete toda a luta pela fé (Judas 3) que vem sido travada há mais de 100 anos, joga no lixo todas as defesas teológicas sobre o assunto e abre espaço para todo tipo de texto corrompido nos púlpitos.


Somente para mencionar outros pontos poderíamos destacar alguns outros pontos de terrível contradição contra os fundamentos da fé:


 - - -       Na página 10, 2° Distintivo – Teologia – A Pessoa e a Obra de Deus, menciona-se que “Deus é santo, justo e amor”, sem que haja nenhuma referência à Ira de Deus. (João 3:36)

 

 - - -       Na página 19, 6° Distintivo – Antropologia e Hamartiologia – A Natureza e Queda do Homem, menciona-se o “arminianismo radical” dando a idéia que o “arminianismo brando” (se é que existe) pode ser tolerado.


 - - -       Na página 44, 19° Distintivo – Prática Eclesiástica – A Disciplina Eclesiástica, menciona-se que não há na Bíblia “uma lista de pecados merecedores de disciplina”. Quer dizer que, uma vez que não há menções de cinemas, discotecas, motéis, etc na Bíblia, então afundar-se nisso de forma alguma significa andar de forma inconveniente ao crente em conformidade com a Doutrina? Abre-se uma enorme brecha para o mundanismo.


 - - -       Na página 46, 20° Distintivo – Prática eclesiástica – O Culto Cristão, menciona-se: “não se deve introduzir práticas ou estilos musicais mundanos tais como expressões corporais irreverentes ou uso indevido de instrumentos musicais...”. O que isso quer dizer? Que pode-se praticar louvorzão desde que não se dance igual o Michael Jackson? Que se pode usar baterias e guitarras desde que não seja muito alto? Abre-se enorme espaço para a Música Cristã Contemporânea. 


Que tristeza! Que falta de posicionamento! Que avalanche de permissividade doutrinária! Que avassaladora indeterminação da prática cristã se procura estabelecer com a verdadeira doutrina! Seria isso mero pragmatismo? Ou apenas falta de comprometimento com os valores Bíblicos e históricos?


Durante muitos anos fui um perdido pecador, entre os adventistas. Dou graças a Deus pela conversão e por ter Ele me dirigido a aprender com homens, irmãos, pastores verdadeiramente fundamentalistas entre os Batistas Regulares. Mas como é triste ver [em alguns líderes batistas regulares de hoje] tanta falta de coragem em negar tais heresias e práticas que os igualam aos apóstatas modernistas, pragmáticos e liberais. São claras tentativas de não se diminuir em número, de atrair mais adeptos, de amenizar a pregação bíblica.


Estaria o movimento se tornando uma denominação apenas? Não creio que Deus tenha me chamado á salvação para fazer parte de outra seita! Onde estão os defensores da verdade? Por que não estabelecem uma contraproposta para tão grandes lacunas, pelo menos? Por que ninguém se levanta ? Por que ninguém diz nada? Seria Deus um Deus permissivo e não cumpridor de Suas promessas? Onde estão os verdadeiros Fundamentalistas?


Que Deus os levante para a Defesa da Fé que UMA vez por todas foi dada aos SANTOS (Judas 3).



Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )