As Divisões Entre as Denominações são DOUTRINÁRIAS



David Cloud

 


Uma das músicas-tema do movimento ecumênico é "Deus está destruindo as fronteiras entre as denominações."
 
Este foi um dos objetivos do [ecumênico] movimento Promise Keepers. [algo como “Guardiões da Promessa” ou “Cumpridores da Promessa”]. Na “Conferência Promise Keepers para o Clero”, em Atlanta, em fevereiro de 1996, os mais de 39.000 pastores [ali presentes foram instados a comprometer-se com o "Pacto de Atlanta", um dos pontos dos quais exorta os pastores a “ir além das barreiras raciais e DENOMINACIONAIS.” O fundador dos "Promise Keepers”, Bill McCartney, fez a seguinte declaração na conferência: "A contenção entre as denominações já foi longe o suficiente. [Somente] se a Igreja {*} algum dia chegar a estar junta, Deus Todo-Poderoso poderá conseguir seguir Seu caminho." {* por Igreja ele significa o conjunto de todos os que alegam Cristo, sobre toda a terra}
 
Este é um erro grosseiro, que ignora a apostasia do nosso tempo e a razão para tais divisões, bem como ignora os [claros e incisivos] mandamentos da Bíblia para nos separarmos do erro.
 

A Mentalidade "Ponhamos Abaixo as Muralhas que Separam as Denominações" Ignora a [Prevalência da] Apostasia


Este pensamento ["Ponhamos Abaixo as Muralhas que Separam as Denominações"] parece bom para esta geração  com comichão nos ouvidos (2 Timóteo 4:3-4), mas ignora a condição miseravelmente apóstata de um grande número de denominações. “3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; 4 E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (2Tm 4:3-4 ACF)


 
O líder evangélico Harold Lindsell deu este testemunho em relação às denominações:
 
"Não é injusto se fazer a observação que entre as denominações (tais como Episcopal, Metodista, Presbiteriana Unida, Igreja Unida de Cristo, Igreja Luterana na América, e Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos) NÃO HÁ UM ÚNICO SEMINÁRIO TEOLÓGICO QUE TOME UMA FIRME POSIÇÃO EM FAVOR DA INFALIBILIDADE DA BÍBLIA. E NÃO HÁ UM ÚNICO SEMINÁRIO ONDE NÃO HAJA DOCENTES QUE REPUDIAM UM OU MAIS DOS PRINCIPAIS ENSINAMENTOS DA FÉ CRISTÃ." (Harold Lindsell, Battle for the Bible, Zondervan, 1976, pp 145-146.)
 
"Apostasia" se refere à apostasia da fé verdadeira do Novo Testamento. [O conceito de que existe (e reina)] apostasia não é uma invenção da imaginação de um "fundamentalista", é uma doutrina bíblica. O Novo Testamento descreve dois rios de "Cristianismo”, separados e operando lado a lado, durante toda a era da igreja.
 
Primeiro, existem sólidas igrejas do Novo Testamento, contra a qual as portas do inferno não prevalecerão. [Os membros dessas igrejas locais] vão ser perseguidos, odiados, desprezados, mas eles vão continuar segurando, agarrados na fé-doutrina do Novo Testamento, século após século, até o retorno de Cristo. O Senhor Jesus prometeu a seus fiéis: “Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mt 28:20 ACF).
 
Em segundo lugar, há igrejas apóstatas, que irão aumentar em número e ficarem cada vez mais apóstatas com o passar dos séculos. Considere as seguintes passagens:
 
“29 Porque eu sei isto que, depois da minha partida, entrarão no meio de vós lobos cruéis, que não pouparão ao rebanho; 30 E que de entre vós mesmos se levantarão homens que falarão coisas perversas, para atraírem os discípulos após si.” (At 20:29-30 ACF)

“1 ¶ Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; 2 Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência; 3 Proibindo o casamento, e ordenando a abstinência dos alimentos que Deus criou para os fiéis, e para os que conhecem a verdade, a fim de usarem deles com ações de graças;” (1Tm 4:1-3 ACF)

“Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.” (2Tm 3:13 ACF)

“3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; 4 E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.” (2Tm 4:3-4 ACF)

“1 ¶ E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição. 2 E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade. 3 ¶ E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.” (2Pe 2:1-3 ACF)

“Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo.” (1Jo 4:1 ACF)

“3 ¶ Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da salvação comum, tive por necessidade escrever-vos, e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos. 4 Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.” (Jd 1:3-4 ACF)

As parábolas de Cristo em Mateus 13 descrevem o curso desta presente "era da igreja" e descreve uma progressão de apostasia. A parábola do fermento, em Mateus 13:33, por exemplo, descreve uma mulher colocando o fermento em três medidas de farinha, "até que tudo esteja levedado." Fermento na Escritura sempre significa pecado e erro (1 Coríntios 5:6.; Gal. 5:9).
“Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa?” (1Co 5:6 ACF)
Um pouco de fermento leveda toda a massa.” (Gl 5:9 ACF)
Assim, a parábola nos diz que o erro que foi introduzido por falsos mestres (ainda durante os dias dos apóstolos) irá aumentar gradualmente ao longo dos séculos até que todo o sistema religioso seja fermentado. O cumprimento final disto está em Apocalipse 17. [hoje talvez esteja 98% fermentado, então certamente estará 100% fermentado]
 
Outra passagem que ensina a mesma verdade é de 2 Tessalonicenses 2:7-8. “7 Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; 8 E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;”
O "mistério da iniqüidade" é que aquele programa do mal pelo qual o diabo está tentando corromper as igrejas de Jesus Cristo pela semeadura do joio e da apostasia. É associado com "Mistério, Babilônia, a Grande" em Apocalipse 17. O "mistério da iniqüidade" já estava operando na época de Paulo, e vai culminar com o surgimento do homem do pecado, o Maligno, o Anticristo, que assumirá o trono do mundo por um breve período. Fomos informados [na Bíblia] de que o culminar disso não vai ocorrer até pouco antes do retorno de Cristo, porque o maligno será destruído "pelo esplendor da Sua vinda." (2Ts 2:8)
 
[Sim, mesmo hoje,] nós estamos vendo o direto cumprimento destas profecias no meio do [aparente] "Cristianismo." [A apostasia] é claramente observada em corpos heréticos tais como a Igreja Católica Romana e a em [denominações] liberais (tanto com nome batista como com nome protestante [reformada]) que estão associadas com o Conselho Mundial de Igrejas [CMI] [ou WCC - World Council of Churches]. É também evidente no movimento ecumênico, que defende a unidade na diversidade, em detrimento da verdade bíblica, o qual [movimento ecumênico] está derrubando os muros de separação entre a verdade e o erro.
 
Modernismo e apostasia e terrível [espírito de] transigência e concessões têm permeado as principais denominações. Hoje, portanto, qualquer chamada para se romper barreiras denominacionais é um apelo para pormos debaixo do mesmo jugo a verdade e o erro, e é uma aberta e acintosa negação da doutrina da separação, [tão] ensinada na Bíblia.
 



A Mentalidade "Ponhamos Abaixo as Muralhas que Separam as Denominações" Ignora a Importância da Doutrina Bíblica


O esforço para "pôr abaixo as muralhas [definidoras, caracterizadoras e diferenciadoras] entre as denominações" também ignora o fato de que as diferenças denominacionais são em grande parte as diferenças doutrinárias, bem como o fato que a Bíblia exalta pureza doutrinária. A Escritura foi dada para doutrina (2 Tm 3:16):
“Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar {*}, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça;” (2Tm 3:16 ACF) {* ensinar é dar ensino, dar doutrina, é doutrinar}
 
Enquanto algumas divisões entre os cristãos são [somente e vergonhosamente] causadas pelo homem e desnecessárias, muitas outras divisões -- a maioria delas, na verdade -- são doutrinárias. [um lado ensina a verdade e outro lado ensina o erro, e verdade e erro são irreconciliáveis, não podem andar juntas, Deus ordena separação.] .
 
Em que, por exemplo, uma igreja Episcopal é diferente de uma igreja batista independente? A resposta é que elas têm doutrinas [muitíssimo] diferentes. Uma ensina a regeneração [salvação] através do batismo, a outra ensina que o batismo é apenas simbólico. Uma batiza bebês, a outra pratica batismo apenas de quem já creu [e voluntariamente, com seus próprios lábios, confessou sua fé e salvação, e pediu seu batismo]. Uma asperge, a outra mergulha. Uma delas tem um sacerdócio, a outra tem pastores e diáconos. Uma delas tem uma estrutura hierárquica da igreja; a outra pratica a autonomia de cada igreja [local]. Uma interpreta profecia alegoricamente e está trabalhando para estabelecer o reino de Deus sobre a Terra, outra interpreta profecia literalmente e está esperando pelo iminente retorno de Jesus Cristo. Uma permite que seus líderes e membros continuem ligados a todo tipo de heresia e imoralidade, a outra (em geral) prática o disciplinamento [em vários graus] e a separação [eliminação do rol de membros].
 
Qual é a diferença entre uma congregação da Assembleia de Deus e uma igreja batista independente? Novamente, é doutrina. Uma acredita que o batismo do Espírito Santo é subseqüente à salvação e é algo que o crente deve procurar e que sua manifestação é o falar em línguas, o outro acredita que o batismo do Espírito Santo ocorreu em Pentecostes e que cada crente [sem exceção] já foi batizado pelo Espírito Santo quando ele foi salvo. Uma acredita que os dons de sinais estão em operação hoje, a outro acredita que os dons de sinais foram dados [exclusiva e identificatoriamente] aos [13] apóstolos e [70] discípulos e cessou com a passagem deles. Uma acredita que o Espírito Santo "mata" as pessoas [derruba-as no chão, inconscientes, com se estivessem mortos], o outra, que "cair no Espírito" não é bíblico. Uma acredita que o dom de línguas está em operação hoje, a outra, que o dom de línguas tinha um propósito temporário e que cessou no primeiro século. Uma acredita que a salvação pode ser perdida, a outra, que a salvação está eternamente segura. Uma acredita que a unidade ecumênica é obra do Espírito Santo, a outra acredita que a unidade ecumênica é o trabalho do diabo.
 
Aqueles que pedem a quebra das muralhas entre as denominações estão ignorando essas seríssimas diferenças doutrinárias. Mas qualquer doutrina bíblica, a qual vale a pena acreditar, vale a pena que [de todo coração] lutemos por ela.
 
Quando Paulo escreveu a Timóteo para instruí-lo na obra do Senhor, ele não lhe disse para "diminuir a ênfase" e ignorar "as diferenças doutrinárias de importância não suprema" ou "não essenciais". Paulo solenemente instruiu o jovem pregador para permanecer absolutamente firme em [toda] a doutrina apostólica e não permitir que NENHUMA qualquer outra doutrina fosse ensinada.
 
“Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns, que não ensinem NENHUMA OUTRA DOUTRINA,” (1Tm 1:3 KJB, LTT)

“E as coisas que, entre muitas testemunhas, tu ouviste mim, ESTAS MESMAS (coisas) confia-as a homens fiéis, que serão idôneos- capazes para também as ensinarem a outros;” (2Tm 2:2 KJB, LTT)

Todo crente é instruído a “fervorosamente batalhar pela fé que de uma vez por todas foi dada aos santos.” (Jd 1:3 KJB, LTT). Não há, aqui ou em qualquer outro lugar nas Escrituras, a mais leve insinuação de que [ou espaço para que] alguma parte da fé cristã seja de tão pouca importância que possa [e deva] para ser desprezada [ou omitida, posta de lado] em benefício de uma ampla unidade.

A atitude ecumênica em relação à doutrina, e a pressão para "pôr abaixo as muralhas entre as denominações", não são bíblicos e devem ser [firmemente] rejeitados [e combatidos].
 
Aqueles que têm mais a perder com o chamado do ecumenismo para se eliminar [todas] as paredes entre as denominações são aqueles cuja doutrina é [firmemente] baseada na Palavra de Deus.

 



David Cloud


Traduzido por Valdenira N.M. Silva, maio.2012.

Hélio adicionou algumas explicações, dentro de colchetes [].

 

 

 


 

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )