'Christ'- Mass:
[Missa (de aniversário do nascimento de) 'Cristo']: “Dia Santo” Cristão e Bíblico, ou Feriado Pagão Romanista?

Teno Groppi

 


O Messias nasceu em 25 de dezembro? Não. É mais provável que Ele tenha nascido na Festa dos Tabernáculos, da Bíblia (ref: João1:14).

“E o Verbo se fez carne, e habitou [tabernaculou] entre nós, ... (Jo 1:14 ACF)

_________ _________ ________

“... Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho dos gentios, ... Porque os COSTUMES dos povos são vanidade ...” (Jr 10:1-3 ACF)


"O Natal [Christmas] está chegando! Realmente: mas o que é “Natal” [Christmas]? O verdadeiro termo não denota sua fonte? – “Missa [do aniversário do nascimento] de Cristo” – Portanto, é de origem romana, trazido do paganismo. Mas, alguém diz: Natal é o tempo em que comemoramos o nascimento do Salvador. É fato? E QUEM autorizou tal comemoração? Certamente não [foi] Deus. O Redentor disse a Seus discípulos para se “lembrarem” Dele em Sua morte, mas não há uma palavra nas Escrituras, de Gênesis ao Apocalipse, que nos diz para celebrarmos Seu nascimento...”

"Algum leitor cristão pode imaginar por um momento que quando ele/ela comparecer perante o Senhor irá se arrepender de ter vivido em “demasiada retidão” na terra? Há o mais leve perigo de Sua reprovação de algum dos Seus porque foram “muito extremados” na “abstinência de luxuria da carne, que guerreiam contra a alma” (I Pedro 2:11)? Podemos ganhar a boa vontade e boas obras dos religiosos mundanos hoje, por nossas transigências quanto aos “pequenos (?) pontos”, mas receberemos Seu sorriso e aprovação naquele dia? Oh, como devemos ficar mais interessados sobre o que ELE pensa e menos preocupados com o que mortais perecíveis pensam!”

"XMAS (Christmas [Natal])," by A.W. Pink www.swrb.com/ newslett/ actualNLs/ CHRISTMAS- AWPINK.htm

MAIS RECURSOS GRÁTIS SOBRE POR QUE CRISTO CONDENA O NATAL está em www.swrb.com/ newslett/ FREEBOOK/ holyday.htm
____________ _________ _________ _________ _________ _________ “Nem puritanos (na Inglaterra e Nova Inglaterra) nem presbiterianos confessos reconheceram os assim chamados dias “santos”. Os únicos dias especiais a serem reconhecidos pela igreja eram o Dia do Senhor e dias de jejum ou ações de graça, os últimos, convocados [apenas] por ocasião de significativos eventos da providência [divina]”.

"Não há autorização bíblica para cultos especiais ligados ao dia 25 de dezembro. Os templos deveriam ser em geral bem simples e sem enfeites, sem imagens ou decorações. A pregação pura da Palavra de Deus, a simples administração dos sacramentos e a adoração Escritural do povo reunido a Deus, fornecem todo o adorno necessário para nossos locais de assembleias. A fé vem pelo pregar, não por árvores verdes, luzes coloridas, alegorias de natal ou cenas de manjedoura com uma imagem idólatra do menino Cristo”.

“Enquanto um cristão pode sentir a hostilidade geral da atitude anti-cristã da ACLU [American Civil Liberties Union] e das empresas, na verdade, Cristo nunca esteve na Missa de Cristo”. “A missa é uma perversão idólatra da ordenança bíblica da Ceia do Senhor”.
Citações do Pastor J. Glenn Ferrell, 12 de Dezembro de 2006 www.theamericanview .com/forums/ showthread. php?t=1321
____________ _________ _________ _________ _________ _________ A Origem e Práticas de Natal: Cristãs ou Pagãs?
____________ _________ _________ _________ _________ _________ FERIADOS E CALENDÁRIOS RELIGIOSOS – UMA ENCICLOPÉDIA, 1993

25 de Dezembro Dia de Natal

Natal é o dia em que cristãos celebram o nascimento de Jesus Cristo. A igreja católica romana o designa como o dia de santa obrigação em que membros da igreja devem comparecer às missas.

Originalmente, o nascimento de Jesus era comemorado no oriente na Festa da Epifânia (6 de janeiro) mas, no ano 354, a Festa de Natal já havia sido adotada no ocidente e foi observada em 25 de dezembro. Desde o século V, muitas igrejas ortodoxas orientais celebraram a Natividade em 25 de dezembro; no entanto, algumas congregações orientais, chamadas “Antigos Calendaristas”, ainda usam o calendário Juliano e honram o nascimento de Cristo 13 dias mais tarde, em 7 de janeiro. A igreja armênia continua a celebrar o “Antigo Natal”em 6 de janeiro.

Como muitas tradições em torno do Natal, a seleção de 25 de dezembro como comemoração do nascimento de Jesus pode ser um exemplo da mistura de idéias cristãs com tradições pagãs que elas substituíram. 25 de dezembro era a data da observância “mítrica“ do nascimento do invencível sol”. Isto também coincidia com a Saturnália e o solstício de inverno, durante o período em que o mitraísmo era praticado em Roma. Já que aquele dia já era mantido como um feriado, os cristãos podem ter ajustado o simbolismo do dia, declarando-o o nascimento de seu “Invencível Filho”. Segundo eventos no Evangelho de Mateus, a data do nascimento de Jesus pode realmente ter ocorrido muito antes, durante o ano.
A palavra Natal (Christmas) significa a missa de Cristo e foi originada no século XI como um nome para sua festa. Era um dos feriados mais populares e celebrados na Europa durante a Idade Média. Durante a Reforma, porém, a celebração do Natal começou a declinar de importância. Reformadores reuniram simples argumentos doutrinários na tentativa de provar que a celebração do Natal não era Escritural.

Em alguns países, as reformas protestantes provocaram o banimento das celebrações natalinas. No período da Restauração, em 1660, porém, a celebração do Natal, como um feriado muito mais secular, foi revivido nesses países. Na Nova Inglaterra [Nordeste dos USA], o Natal permaneceu ilegal até meados do século XIX e em Boston, as aulas foram mantidas nas escolas públicas no Dia de Natal até 1870 e os alunos que faltassem à escola naquele dia eram punidos ou expulsos. A imigração em massa dos católicos irlandeses para a Nova Inglaterra provocou a re-instituição das celebrações natalinas.
____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ "Natal.", DICIONÁRIO DO CRISTIANISMO NA AMÉRICA, 1990

O costume dos europeus do norte e dos americanos de trocar presentes no Natal está possivelmente relacionado com as celebrações pré-cristãs [ocorrentes] no fim do ano. A celebração do Natal tem às vezes sido combatidas como pagãs pelos líderes religiosos. Os puritanos da Nova Inglaterra consideravam o Natal como uma idolatria “papista” e a Corte Geral de Massachusetts em 1659 aprovou um decreto contra sua celebração, embora a lei fosse rejeitada em 1681”.

____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ "Natal", A ENCICLOPÉDIA MUNDIAL DO LIVRO, Vol. 3, "C-Ch", 1997

"A primeira menção a 25 de dezembro como a data de nascimento de Jesus Cristo ocorreu em 336 d.C, num antigo calendário romano. A celebração desse dia como nascimento de Jesus foi provavelmente influenciada pelos festivais pagãos (não cristãos) mantidos naquela época. Os antigos romanos tinham celebrações de fim de ano para honrar Saturno, seu deus da colheita, e Mitra, o [sic] deus da luz...Como parte dessas celebrações, as pessoas preparavam comidas especiais, decoravam seus lares com folhas verdes e se reuniam com canções e troca de presentes. Esses costumes gradualmente se tornaram parte da celebração cristã”.

"No final dos anos 300, o cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano... A popularidade do Natal cresceu até a Reforma, um movimento religioso dos anos 1500. Deste movimento nasceu o Protestantismo. Durante a Reforma, muitos cristãos começaram a considerar o Natal uma celebração pagã porque incluía costumes não religiosos. Durante os anos 1600, por causa desses sentimentos, o Natal se tornou ilegal na Inglaterra e em partes das colônias inglesas na América”.

____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ "Natal", ENCICLOPÉDIA COLLIER, Vol. 6, 1992

"... A supressão da Missa durante a Reforma levou a uma aguda mudança na observância do Natal em alguns países. Na Inglaterra, os puritanos condenaram a celebração e, de 1642 a 1652, emitiram uma série de ordenanças proibindo todos os cultos e festividades nas igrejas. Este sentimento foi levado a toda a América pelos Peregrinos e foi só na onda imigratória de irlandeses e alemães que o entusiasmo pela festa começou a se espalhar através do país. Objeções foram deixadas de lado e as antigas tradições se reviveram entre os protestantes e católicos.

____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ "Natal," ENCICLOPÉDIA INTERATIVA COMPTON, 1997

A COROA DE NATAL

O uso de coroas verdes e guirlandas como símbolos da vida era um costume antigo dos egípcios, chineses e hebreus, entre outros povos. A adoração a uma árvore era uma característica comum das religiões entre os povos teutônicos e escandinavos do norte da Europa, antes de sua conversão ao cristianismo. Eles decoravam as casas e estábulos com ramos verdes no ano novo para expulsar demônios e muitas vezes fincavam árvores para os pássaros no inverno. Para esses europeus do norte, essa celebração de inverno era o período mais feliz do ano porque significava que o dia mais curto do ano- em torno de 21 de dezembro—tinha passado. Eles sabiam que os dias começariam a ficar mais longos e iluminados. O mês durante o qual ocorria essa festa se chamava Jol, de onde se deriva a palavra yule. Yule começou a significar Natal em alguns países.


A  ÁRVORE DE NATAL
Árvores e decorações. Os antigos festivais de inverno pré-cristãos usavam folhagens, luzes e fogos para simbolizar vida e calor em meio ao frio e escuridão. Esses costumes, como a troca de presentes, também persistiram.


A TROCA DE PRESENTES NO NATAL

A troca de presentes é um dos costumes mais antigos associados com o Natal. É realmente mais antigo que o próprio feriado. Quando a data do Natal foi estabelecida para cair em dezembro, isto ocorreu no mínimo em parte para concorrer com os antigos festivais pagãos que ocorriam em torno do mesmo período. Os romanos, por exemplo, celebravam a Saturnália em 17 de dezembro. Era um festival de inverno de folguedos e troca de presentes. E duas semanas mais tarde, no Ano Novo romano – 01 de janeiro, as casas eram decoradas com ramos verdes e luzes e eram distribuídos presentes às crianças e aos pobres. À medida que as tribos alemãs da Europa aceitaram o cristianismo e começaram a celebrar o Natal, elas também passaram a trocar presentes.


Excerto da Enciclopédia Interativa Compton Copyright © 1994, 1995, 1996, 1997 The Learning Company, Inc. Todos os Direitos Reservados.
____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ "Natal," A ENCICLOPÉDIA MUNDIAL DO LIVRO, Edição 1966

A ÁRVORE DE NATAL
Há várias histórias sobre a origem da árvore de natal. As pessoas da Escandinávia durante certo tempo adoravam as árvores. Quando se tornaram cristãs, elas tornaram as árvores verdes parte dos festivais cristãos.


O costume de decorar os lares e as igrejas com folhagens começou em tempos antigos. Os romanos trocavam ramos de árvores de folhagens por boa sorte nas Calendas (primeiro dia) de janeiro. Os ingleses assumiram esse costume no Natal.


A ÁRVORE DE NATAL
O costume de queimar o Juul (leia-se Yool) veio da Noruega e anglo-saxões. Eles queimavam um grande carvalho uma vez por ano para homenagear Thor, o deus do trovão. Depois dos noruegueses se tornarem cristãos, eles tornaram a árvore de natal uma parte importante das cerimônias cristãs. Os escandinavos adotaram a palavra yule para significar Natal. Na Lituânia, a palavra para Natal realmente significa a tarde da árvore. O tronco de natal se tornou igualmente importante na Inglaterra. O inglês considera boa sorte manter uma parte não queimada do tronco para acender a árvore de natal do próximo ano.


VISCO
O visco decora muitos lares nos EUA, Canadá e Europa no tempo de Natal. Ninguém sabe exatamente como o visco passou a ser associado com o Natal. Antigos sacerdotes celtas, chamados druidas, costumavam dar às pessoas raminhos da planta como um encanto. Centenas de anos depois, algumas pessoas na Europa o usaram em reuniões religiosas.


HISTÓRIA
Em  354 d.C., o bispo Liberius de Roma ordenou às pessoas que celebrassem em 25 de dezembro. Ele provavelmente escolheu essa data porque o povo de Roma já a observava como a Festa de Saturno, celebrando o nascimento do sol.



____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ AS APARÊNCIAS DA IGREJA CATÓLICA, 1917, p. 134, autor: John F. Sullivan
ALGUNS COSTUMES DE NATAL
"Quando damos ou recebemos presentes de Natal e penduramos árvores de natal em nossos lares e igrejas, quantos de nós sabem que estamos provavelmente observando costumes pagãos? Não desejamos afirmar que eles não sejam bons costumes, mas prevaleceram muito tempo antes das eras cristãs. Os romanos se presenteavam no dia de Ano Novo e nossa troca de presentes no Natal é uma sobrevivência dessa prática, assim como uma comemoração das ofertas dos magos em Belém. A árvore de natal, uma característica do Natal na antiga Inglaterra, remonta aos dias do pirata Norueguês. O azevinho, o visco e os ramos de folhagens nos foram dados pelos druidas. E mesmo nosso amigo o Papai Noel, esse misterioso benfeitor dos dias de nossas crianças, existiu de uma forma ou de outra muito tempo antes do cristianismo ter atribuído suas virtudes a São Nicolau, pois o deus Woden, na mitologia norueguesa, descia sobre a terra anualmente entre 25 de dezembro e 6 de janeiro para abençoar a humanidade.


Mas, embora pagãos, são costumes bonitos. Eles ajudam a nos inspirar com o espírito da “boa-vontade”, mesmo quando os sublimes cultos de nossa igreja  nos lembrem da “paz na terra” com que o bebê de Belém nos abençoou. Possa o espírito encher o coração de cada um de nós em cada dia de Natal!”

____________ _________ _________ _________ _________ _________ _________ Cristão, seja um buscador da verdade!


Aqui estão algumas fontes de informação sobre a verdadeira natureza do Natal [Christmas, a Missa (do nascimento) de Cristo]:


As Duas Babilônias - Por Alexander Hislop Capítulo III, Festivais- Seção I. “Christmas” e Dia de Nossa Senhora
www.sabbatarian. com/TwoBabylons/ Babylon3- 1.html

Por que observamos festivais pagãos? www.elijahscry. org/gpage2. html
A respeito do nascimento do Messias, a maioria dos estudiosos da Bíblias bem sabem que o Messias não nasceu em 25 de dezembro. Eles admitem livremente que esse era um feriado pagão e muitas fontes vão ainda mais longe ao admitir que era o nascimento de Mitra (também conhecido como Tamuz pelos babilônios e como “Esus” pelos druidas)- uma deidade pagã proclamada pelos seus seguidores como o salvador.


Dias Santos ou Feriados (holidays): Parte 2—Nascimento do Messias.pdf http://www.elijahsc ry.org/Download. html

Por que não mais celebramos o Natal David Alan Black www.daveblackonline .com/why_ we_no_longer_ celebrate_ chris.htm
"1.   Na Igreja primitiva não houve nenhuma celebração do nascimento de nosso Salvador... até a chegada de Constantino”.


Natal: Avançando a partir daqui - David Alan Black www.daveblackonline .com/christmas. htm
"1.   Escolha a Fé, Obedeça ao Senhor. Fazer alguma mudança em nossas vidas à base de que um recente entendimento das Escrituras, isto requer fé.”


Os FOGOS ESTRANHOS do NATAL www.touchet1611.org/ChristmasOutofChristintro. html"o Natal NÃO está na Bíblia!”
Papai Noel – O GRANDE IMPOSTOR
www.av1611.org/othpubls/santa.html
____________ _________ _________ _________ _________ _________ "Eu não observo o Natal [Christmas, a Missa (do nascimento) de Cristo] porque não acredito que seja um dia santo bíblico e cristão; nem [acredito] em suas origens, nem em boa parte de sua prática mundial, embora muitos cristãos erroneamente o vejam como um tempo de celebrar o nascimento do Messias. É ainda outro exemplo do cristianismo que era bíblico e foi poluído pelo ímpio fermento do catolicismo romano, que em si mesmo está enraizado no paganismo babilônico. É meu entendimento que o Salvador mais provavelmente tenha nascido em torno da Festa dos Tabernáculos (Levítico 23:24) que é celebrada conforme o calendário lunar judaico (bíblico), em torno dos modernos dias dos meses de setembro ou outubro.”



"E o Verbo se fez carne e habitou [tabernáculo] entre nós, ...” João 1:14, ACF

Steve Lefemine Dezembro 23, 2007

 

____________ _________ _________ _________ _________ _________ World Net Daily – Natal banido na América…por cristãos! 20 de dezembro de 2008
www.christianlifean dliberty. net/2008- 12-20-WND- Christmasbannedb yChristians. doc http://lefemineforl ife.blogspot. com/2008/ 12/world- net-daily- christmas- banned-in. html
Catolicismo Romano NÃO é Cristianismo Bíblico http://lefemineforl ife.blogspot. com/2008/ 04/roman- catholicism- is-not-biblical. html

Cinco Razões Por Que o Catolicismo Romano não é Cristianismo Bíblico  www.ianpaisley. org/tiara. asp?printerfrien dly=true

Evangelismo dos Católicos Romanos por um antigo padre Católico Romano: O website www.BereanBeacon. org é o ministério de um antigo padre católico Richard Bennett, objetivando estender-se para alcançar almas a fim delas serem salvas por Cristo.

O Papa Beijando o Alcorão www.deceptioninthec hurch.com/ popekiss. Aqui está uma foto do Papa no fim de uma audiência com o patriarca Raphael I do Iraque onde "o Papa se prostra diante do livro santos dos muslims, o Alcorão, a ele presenteado pela delegação e o beija, em sinal de respeito”.


"As Duas Babilônias – Romanismo e Suas Origens”, por Alexander Hislop (1916): www.chick.com/ catalog/books/ 0185.asp
"De onde vêm as práticas e crenças do Catolicismo Romano? Neste estudo clássico, publicado pela primeira vez há mais de oitenta anos, Alexander Hislop revela que muitos ensinamentos dos católicos romanos não se originaram em Cristo ou na Bíblia, mas foram adotados a partir da antiga religião babilônica pagã e que receberam nomes cristãos”.






Aqui, Lá ou No Ar! Teno Groppi
http://www.baptistlink.com/godandcountry/index.html





Traduzido por Jeanne Borgerth Duarte Rangel, 2009.

 

 


 

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )