Usando uma fita nos olhos.






Imagine certas situações; um homem amarrado na prancha com uma fita nos olhos, pronto para ser jogado ao mar e morrer.
Imagine alguém com uma fita nos olhos querendo atravessar uma grande rodovia com trânsito incessante, certamente irá em direção à morte.

Agora pense nos crentes de hoje com uma fita nos olhos, não enxergando as armadilhas do ardiloso diabo, produzirá apostasia, frieza e falta de amor para com o Deus todo poderoso.



Mas pastor, porque imaginar alguém com uma fita nos olhos e em situações assim tão dramáticas?

E eu respondo: Não é esta a situação dos crentes em sua maioria hoje? Não estamos vivendo no período da Igreja chamada Laodicéia, conforme o relato de João ao escrever Apocalipse 3.14-22?



Participei de uma reunião com alguns pastores que hoje não têm mais as convicções bíblicas, fundamentalistas e conservadoras, e nesta reunião, tratando do assunto”Ordem de culto”, anotei todas as ponderações mencionadas naquele instante, e um por um argumentei os assuntos colocando o que a Bíblia diz sobre as práticas que estão ocorrendo no meio das Igrejas Batistas.

No final, ao sair, um pastor já antigo chegou para mim e disse:  --- “Pastor estou admirado da forma como o irmão tratou o assunto e quero dizer que tenho a mesma posição que o irmão!”.

Naquele momento meu coração doeu, porque eu sei que ele não está enxergando as práticas que tem como pastor e como Igreja, pois difere totalmente do que eu creio e debati na reunião. Foi neste momento que pensei “este amado irmão está com uma fita nos seus olhos, não enxergando o que está acontecendo, e o que ele mesmo está fazendo”.



Deus, quando fala da Igreja de Laodicéia, Ele diz:
Apocalipse 3.15 – Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!

Vejam, meus amados, esta é a situação que está entrando dentro das Igrejas Batistas, pessoas mornas, na definição de Aurélio, e eu peguei (dentre todas) duas que são: "Frouxo e insípido" ou "que não tem sabor", e este é exatamente o momento que a Igreja está vivendo. Existe uma frouxidão enorme dentro da Igreja quanto ao relacionamento com o pecado, ele está sendo tolerado e até praticado por líderes e membros sem nenhuma preocupação de receber juízo de Deus, parece que estão cegos!

A disciplina não está mais sendo exercida pela Igreja sobre seus membros.
Jó 19.29 diz: “Temei vós mesmos a espada; porque o furor traz os castigos da espada, para saberdes que há um juízo”.

E existe uma característica: Não existe diferença mais entre os crentes, os cultos estão sendo uniformizados, se for na Assembleia de Deus e na Quadrangular como em uma Igreja Batista, não encontrará mais diferença, está ocorrendo o Ecumenismo prático, e ninguém faz nada, acham que isto é normal, anormal seria o contrário, seria até falta de amor se pregássemos a separação eclesiástica.

I Pedro 1. 15: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, 16  porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.



Veja o que menciono; diaconisa; pastora, apóstola, profetisa. Antes eram somente os pentecostais que tinham estas práticas. E agora?

I Timóteo 3.1-2  Esta é uma palavra fiel: Se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja. Convém, pois, que
o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;

Atos 6.3 Escolhei, pois, irmãos, dentre vós,
sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.

Timóteo 2:12  Não permito, porém, que
a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio.

Não parece que estão com a fita nos olhos?



2 Coríntios 9:2 “porque bem sei a prontidão do vosso ânimo, da qual me glorio de vós, para com os macedônios, que a Acaia está pronta desde o ano passado, e o vosso zelo tem estimulado muitos”.

Zelo = 1. Afeição ou dedicação, cuidado, desvelo ardente, por alguém ou por algo.
2. Vivo ardor a serviço de Deus.



Hoje não há nenhuma preocupação dos crentes quanto à prática dos cultos, li em uma material de propaganda de uma Escola Teológica que nestes últimos dias, Deus revelou o ministério da dança nas Igrejas e para capacitar os membros a dançaram para Deus estavam oferecendo cursos na Escola de Teologia, será isso bíblico??????????

Onde está o zelo do crente, aquele zelo de Deus refletindo na vida do salvo, que foi resgatado da condenação eterna, libertado da escravidão do pecado, tornou-se um peregrino e forasteiro aqui neste mundo.

Números 25:11  Finéias, filho de Eleazar, filho de Arão, o sacerdote, desviou a minha ira de sobre os filhos de Israel, pois zelou o meu zelo no meio deles; de modo que no meu zelo não consumi os filhos de Israel.

 Só neste verso encontramos três vezes a menção da palavra “zelo”, bem significativo quando percebemos que devemos ser zelosos das coisas de Deus.



Estamos em um período que os crentes zelosos têm que se manifestar, deve haver confronto, simplesmente porque neste confronto poderemos livrar a muitos do juízo de Deus. Devemos ter este pensamento, devemos confrontar a todos que estão desejosos de sucesso a qualquer preço, infectando a Igreja de Jesus com o mundanismo e imoralidades.

Logicamente quem se posicionar como crente zeloso, não vai ser alvo de elogios da maioria que está alinhada no modernismo, haverá críticas, pressões, até mesmo isolamento, mas, não importa, devemos pensar como os apóstolos que declararam:
Atos 5:29  Porém, respondendo Pedro e os apóstolos, disseram: Mais importa obedecer a Deus do que aos homens.

Não pense que era fácil servir a Deus com fidelidade nos tempos apostólicos, a maioria morreu martirizada.(decapitado, crucificado, queimado...) veja o que o escritor de Hebreus diz:
Hebreus 11.36  E outros experimentaram escárnios e açoites, e até cadeias e prisões. 37  Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos a fio de espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados 38  (homens dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.

Será meu amado, que esta multidão de crentes pelo mundo, e no Brasil estão enxergando a Bíblia como ela se revela? Veja Igrejas que têm o nome de Batista e nos seus cultos existe:



1-Louvor mundano (Rock, Rap, Hip-Hop, Jazz, Samba, Pagode).Veja o contraste com a Bíblia:

Efésios 5:19  falando entre vós com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração,



2-Dança, alguns dizem que é coreografia; mas aonde, na Bíblia, encontramos o povo adorando a Deus com coreografias?

Recebi um artigo que reflete minha opinião sobre a dança na Igreja e estou reproduzindo em partes, o autor é o Pastor Ludgero Bonilha Morais que diz:

Início - Muito comum em grupos carismáticos, o uso deste recurso em seus cultos; dança de louvor, ou melhor, o requebro, o meneio, o trejeito. Recorrem aos textos do Velho Testamento, onde supostamente encontram suporte bíblico para esta prática.

O vocábulo “dança” é uma das possíveis traduções da palavra grega "paizo" e seus correlatos, bem como da palavra "shireh" da língua hebraica. São elas comumente traduzidas por: “agir como criança”, “brincar”, “dançar”, “gesticular”, “zombar”, “imitar”. É relacionada com o substantivo "paidía" ou "paidiá" trazendo sempre a idéia de “jogos eróticos”.

"Paizo" tal como foi usada pelos gregos, muito comumente denota este verbo, “falta de seriedade com alguma coisa em termos de atitude ou conduta”. Significa também, “saga levianamente tratada ou inventada”, “gesticular”, “zombar”, “ridicularizar”, “lascívia”, “libertinagem”, “licenciosidade”, “tolice” e “estupidez”.

No contexto do Velho Testamento e da Septuaginta, a brincadeira encontra expressão na natureza religiosa e cúltica dos jogos de danças no mundo oriental primitivo e antigo. Os deuses eram venerados por meio de jogos e danças. No culto do mundo ao redor do Velho Testamento e do Novo Testamento encontramos muitos jogos e danças como meio de expressar a religiosidade.

Encontramos também no Velho Testamento danças por ocasião das celebrações de vitória (Ex. 15:20; Jz 11:34). Duas razões juntas, para a manifestação pela dança. A primeira, a demonstração da alegria pela vitória alcançada. A segunda, uma tremenda zombaria pelo inimigo derrotado. Dançar como expressão de escárnio era algo que, de fato, ofendia os brios do inimigo. Quanto a isso tem muito a dizer o Dr. W. O. E. Oesterday em seu elucidativo livro “The Sacred Dance” (1923). Estas celebrações são encontradas especialmente nos contextos de guerra, tal como, por exemplo, I Crônicas 13:8; 15:29; e II Samuel 6: 14. De acordo com o articulista no dicionário teológico de Kittel, a manifestação “mais festiva foi a dança diante da arca, relatada em II Samuel 6:14-16”, também num contexto de vitória de guerra. Por ocasião da festa da colheita haviam manifestações de dança, como registra Juizes 21:21. Estas manifestações eram sempre de uma dança harmoniosamente desenvolvida por um grupo, a qual narrava uma história. Eram manifestações legítimas do folclore. Há que se fazer uma distinção entre a dança como expressão artística e o requebro sem arte, que tem como intenção carnal, dar evidência às curvas do corpo e destaque às suas partes eróticas.

Nos Salmos cúlticos (26:6; 42:4; 149:3; 150:4) aparece a palavra "shireh". Estes contextos nos fazem lembrar as procissões promovidas pelo povo, rumo ao templo. No templo, o culto era o mais impeditivo possível. Os que entravam no átrio eram somente os sacerdotes, dentre esses somente o sumo-sacerdote adentrava ao santo dos santos. Do “auditório” não se ouvia nenhum som de louvor. Os cantores, ministros do canto, entoavam os louvores (estes eram também sacerdotes). Ao povo em geral não se lhe era dado o direito de pisar o átrio. Os homens tinham o seu espaço, as mulheres outro mais atrás, os gentios atrás do muro. (Jesus revela sua indignação no templo, pois, o lugar dos gentios estava ocupado pelos vendedores. Jesus afirma, então, que aquela casa será chamada “casa de oração para todos os povos”). Sendo assim, se o povo não participava da “cerimônia” propriamente, encontraram eles uma maneira de expressão, e esta foi no “caminhar para o templo”. Ajuntando a multidão, engrossando a procissão, cantavam salmos. Os salmos cúlticos se reportam a isso, e a palavra acima mencionada é assim traduzida “andarei”, “passava eu com a multidão do povo”, “com adufes e harpa”, “com adufes e danças”. Somente o Salmo 150:4, em algumas versões, a palavra "shireh" é traduzida por dança. Nas passagens escatológicas encontramos as seguintes traduções para a mesma palavra: Jeremias 31:4 “dança”; 30:19 “júbilo”; e Zacarias 8:5 “brincarão”.

Outras passagens são encontradas, a saber: I Reis 18:26; onde lemos a referência ao “manquejar” dos profetas ao redor do altar de Baal. Em Juizes 16:25-27 que narra o infortúnio de Sansão, quando é trazido para o palácio. Ali a palavra é traduzida por “divertir”, “escárnio”. Em Êxodo 32:6, o povo de Israel, recém liberto do cativeiro egípcio, dança diante do bezerro de ouro. Ilustrativas são as passagens de Gênesis 21:9 e 26:8. A primeira fala de Ismael que “caçoava” (ridicularizava) de Isaque, o que provoca em Sarah uma profunda indignação. A passagem seguinte ilustra o porque desta indignação, pois em 26:8 esta palavra é traduzida por “acariciava”. É Isaque, agora casado, acariciando Rebeca. O motivo da indignação, portanto, estava no fato de Ismael ridicularizar Isaque com meneios, trejeitos, passando-lhe a mão, dançando ao seu derredor. No livro do profeta Isaías este sentido vem ainda mais à luz. No capitulo 3, verso 16 há uma descrição daquelas mulheres que com disposição frívola “andam a passos curtos” (a mesma palavra é aqui usada). Seus meneios e trejeitos, passos afetados, com intenção de minar a moral do povo.

No Novo Testamento a palavra "paízo" ocorre somente em I Coríntios 10:7, fazendo citação do Velho Testamento em Êxodo 32:6. É o repudiar de todo culto pagão. Aqui está relacionado com a idolatria. O texto de Êxodo se refere a uma dança cúltica. Como em Gênesis 26:8; 39:14-17, a palavra que ali aparece tem um sentido erótico. Assim pode ela denotar, tanto idolatria como licenciosidade cúltica: freqüentemente com ela associada. Tertuliano, em De Jejunio, fala seis vezes do Lusus Impudidus, se referindo ao acontecimento narrado em Êxodo 32:6, descrevendo aquela manifestação, portanto, como danças vergonhosas. Para os crentes de Corinto, também, a diversão das festas sacrificiais era uma grande tentação à idolatria.

Se a palavra "paizo" é encontrada uma única vez, sua correlata "empaizo" é encontrada mais vezes. Seus significados são: “jogar”, “dançar ao redor”, “caçoar”, “ridicularizar”, “iludir”, “defraudar”. Esta palavra pertence ao grupo das usadas para “depreciação” ou “ridicularizar”, “levantar o nariz”, “balançar a cabeça”, “bater as mãos como sinal de insulto ou escárnio”, “fazer brincadeiras”. Deriva de “arrogância”, “mostrar superioridade”, “hostilidade” e “aversão” (Gn. 19:14; Is. 28:7 e seguintes).

O Verbo "empaizein" ocorre somente nos evangelhos sinóticos. Sua primeira ocorrência se dá em Mateus 2:16, quando Herodes é enganado pelos sábios, que ao invés de voltarem por Jerusalém, deixam-no a esperar. Em Lucas 14:29, encontramos a parábola do construtor imprudente que é ridicularizado por seus circunstantes pelo fato de não poder levar a cabo o término da construção.

Todas as outras passagens se referem a Jesus Cristo. Na predição de sua paixão a encontramos Mateus 20:19; Marcos 10:34 e Lucas 18:32. Ali esta palavra é sempre traduzida por “escarnecer”. Também na história de sua paixão, cumprindo suas próprias predições – Marcos 15:16-20, e Mateus 27:27-31. O ato dos soldados colocando uma coroa de espinhos, um manto de púrpura, saudando-o, golpeando-o com um caniço, cuspindo e curvando-se diante dele – constitui o escárnio. O texto de João 19:1-3 usa esta palavra para descrever o incidente como um todo. É o espetáculo. Mateus 26:67-68, Marcos 14:65 e Lucas 22:63-65 tem sua contra partida em Jeremias 51:18, pois os ídolos são objetos de escárnio “obra ridícula”. Assim tratavam a Cristo, representando um macabro bailado ao seu derredor. Este Jesus que arroga ser Deus, não é outra coisa nesta sanha diabólica senão “obra ridícula”. É o inferno que se levanta contra o Ungido de Deus. Cristo em sua agonia é a ridícula personagem da coreografia satânica.

Mas ali, quem de fato, estava sendo exposto ao vexame, era a “antiga serpente”. Três dias depois o drama se conclui e os bailarinos do “dragão” perdem o ritmo. A “cabeça da serpente” está esmagada.

Outros textos onde a palavra aparece são os seguintes: Hebreus 11:36 (escárnio); 11:26 (prazeres transitórios); Judas 18 (escarnecedores - andando) e II Pedro 3:3 (escarnecedores... com escárnios. Andando).


Concluímos, afirmando que, não há uma referência sequer que no culto do Novo Testamento tenha havido manifestação da dança cúltica. Nem mesmo na Igreja dos Pais Apostólicos, e nem ainda na Reforma Protestante do Século XVI. Interessante! Por que não? Pelo menos por quatro razões:


Primeiro
, a dança era um costume pagão e procurou-se na Igreja Apostólica evitar qualquer associação. O princípio da associação deveria ser levado em conta. Não somente aquilo que era mal, mas também tudo aquilo que pudesse se parecer com o mal. Se fizesse o povo lembrar dos cultos pagãos dos quais muitos crentes eram egressos, evitar-se-ia!

Em segundo lugar
, pelo fato, que foi deixado em relevo por Paulo aos Coríntios. A dança tentava-lhes a idolatria, abria-lhes as portas à licenciosidade e dava vazão ao erotismo. Nada de dança, a Igreja de Jesus é uma comunidade de separados, chamados à pureza e à santidade!

Em terceiro lugar
, porque o culto do Novo Testamento é adjetivado como “Logikem Latria” (culto racional), ou melhor, supra-sensual [acima daquilo qque atinge os sentidos]. Não necessitamos mais dos recursos visuais externos. Nosso culto é em espírito e em verdade. A palavra usada por Jesus Cristo em sua conversa com a mulher samaritana é significativa. Várias são as palavras que poderiam ser traduzidas pelo vocábulo “verdade” na língua grega. A palavra, no entanto, usada por Jesus, não se contrapõe à idéia de “mentira”. A palavra é contraposta, sim, a “símbolo”, “tipo”, “figura”; recursos estes usados no culto do Velho Testamento. Arrependimento era o “por cinzas na cabeça, vergonha era simbolizada pelo” rasgar das vestes “submissão era o” orar com o rosto em terra “, a remissão dos pecados se dava pelo” derramar do sangue de animais “, etc. Nosso culto hoje não necessita destas figuras, pois, é um culto supra sensual, a” verdade “anteriormente apresentada por símbolos encontra sua expressão. Jesus! Quem tem Cristo adora” em espírito e em verdade ““.

Em quarto lugar
, e mais importante que tudo mais, o culto no Novo Testamento não permita a manifestação de “dança sagrada” pelo fato de que toda dança, meneio de corpos, requebro, fazia lembrar o escárnio de Cristo. O Dicionário Teológico do Novo Testamento de Kittel afirma: “Seja o fato dos soldados aqui estarem observando um costume (religioso), específico, ou seguindo práticas do sacrifício persa, por exemplo, ou estarem simplesmente expondo o suposto rei dos judeus ao ridículo, é muito difícil ter qualquer certeza. Contudo, é certo de que este escárnio se dava num contexto de dança e drama. Um show, um espetáculo, um ato público civil e religioso. A dança cúltica fazia os crentes da Igreja Apostólica lembrarem-se da horripilante coreografia desenhada ao derredor do Salvador”. Fim
 



3- Pode-se até achar que minha posição é arcaica, antiquada, retrógrada, mas não vejo na Escritura apoio a que os homens usem roupas unisex e as mulheres roupa de homem, principalmente nos cultos a Deus, antes a Palavra de Deus nos dá instruções claras quanto ao vestir.

1 Timóteo 2:9  Que do mesmo modo as mulheres
se ataviem = vestir-se  em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos precioso.

Deuteronômio 22:5  Não haverá
trajo= vestes roupa de homem na mulher, e não vestirá o homem veste de mulher; porque qualquer que faz isto abominação é ao SENHOR, teu Deus. (Isto não vale mais para nossos dias, ou vale?)



 4- Existe hoje nos cultos uma irreverência terrível, mais parece um salão de fraternidade do que um templo de adoração ao GRANDE E TODO PODEROSO DEUS DOS EXÉRCITOS, que é em primeiro lugar SANTO, SANTO, SANTO, será que isso não nos dá uma idéia da reverência que devemos ter, não só na nossa vida diária como também quando nos apresentamos a Deus para adoração?

Habacuque 2:20  Mas o SENHOR está no seu santo templo; cale-se diante dele toda a terra.

Zacarias 2:13  Cale-se, toda a carne, diante do SENHOR, porque ele despertou na sua santa morada.

Isaías 6. 1 No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séqüito enchia o templo. 2  Os serafins estavam acima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobriam o rosto, e com duas cobriam os pés, e com duas voavam. 3  E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. 4  E os umbrais das portas se moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça.




 5-  A utilização de instrumentos que levam os crentes a deixarem de adorar a Deus com a razão e passam a manifestar-se emocionalmente nos cultos, com choros, histerias, risos, rolar pelo chão, palmas tanto ritmadas como esporádicas.

Romanos 12:1  Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional.

1 Pedro 2:2  desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos,
o leite racional
, não falsificado, para que, por ele, vades crescendo,



6- O maior tempo hoje está sendo dedicado ao louvor e não ao estudo e pregação da Palavra de Deus. O povo não tem muita paciência hoje em ouvir mensagens. Provavelmente teriam muita dificuldade em participar dos cultos nos tempos do apostolo Paulo!

Atos 20:9  E, estando um certo jovem, por nome Êutico, assentado numa janela, caiu do terceiro andar, tomado de um sono profundo que lhe sobreveio durante o extenso discurso de Paulo; e foi levantado morto.

As mensagens profundas e longas são retiradas, pois preferem sanduíches em lugar de uma refeição.



7- E por fim começaram a eliminar do vocabulário as palavras, como pecado, ira de Deus, inferno, justiça, separação, e muitas outras palavras que segundo esta nova forma de pregação, espanta o ouvinte, eles querem ganhar as pessoas e não perdê-las.



Será que você que está lendo este artigo pode identificar algumas destas coisas na sua Igreja? Hoje não existe isenção em nenhuma Igreja, se não formos zelosos com o zelo de Deus, seremos atropelados pela história, como alguns dizem pelo mundanismo, satanismo e todos os ismos que estão por ai.

Por esta causa, vejo que o diabo está cegando as pessoas para não verem o que está acontecendo, estão todos com fitas nos olhos, acreditando que está tudo maravilhosamente bem, só que não está; o ministério da iniqüidade está cada vez mais se expandindo e nós temos que lutar, combater o bom combate segundo as regras estabelecidas por Deus em Sua Bendita Palavra.

João 12:40  Cegou-lhes os olhos e endureceu-lhes o coração, a fim de que não vejam com os olhos, e compreendam no coração, e se convertam, e eu os cure.

2 Coríntios 4:4  nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus.



Meu amado, o verdadeiro crente é separatista, santifica-se para o Senhor Jesus Cristo, não ama este mundo, mas o vindouro que está para herdar juntamente com todos os salvos e estaremos para sempre com o Senhor. Por isso a Bíblia diz: “O mundo não é digno destes crentes”. Hebreus 11.38

1 Coríntios 6:19  Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos?

1 João 2:15  Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.

1 João 2:16  Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.

1 João 2:17  E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

2 Timóteo 4:8  Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda.

Hebreus 11:38  homens dos quais o mundo não era digno, errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.



Irmãos estamos no momento de decisão, ou somos fiéis até o fim, ou seremos levados pelos ventos de doutrina humana ou diabólica, sem condições de retornar depois, pois fica muito difícil voltar. Deus faz o apelo para retornar, mas sabemos que muitos não retornarão.

Apocalipse 2:5  Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.

As Igrejas Batistas atuais
estão descaracterizadas, é uma realidade que se pode provar. As bases da fé batista ruíram e o modernismo está sendo inserido dentro das Igrejas e mudando a natureza, o sentido, a existência da mesma.

Veja como se fala muito dos dons espirituais, a pneumatologia ensinada hoje é totalmente contrária aos princípios doutrinários batistas iniciais.A forma de culto (liturgia) baseado no emocional das pessoas. A grande preocupação com números a qualquer custo. A escatologia também está mudada, pouca ênfase na volta de Cristo, porque? A resposta é que se alguém estiver esperando a volta de Cristo Jesus não se envolverá com os negócios desta vida, da maneira como está sendo ensinada nos dias de hoje que devem se envolver, buscar a prosperidade, a saúde perfeita, a união entre o santo e o profano.

Minha preocupação, neste momento da vida da Igreja, é fazer despertar pastores e crentes que estão com estas fitas  nos olhos, para que peçam a Deus a misericórdia de poderem ver novamente. Entenderem como o pecado é danoso na vida do crente e da Igreja de Jesus Cristo, e coloquem-se novamente nas fileiras dos crentes fiéis, que batalham pela fé, que não amam ao mundo, e que por conseqüência de sua fidelidade e amor a Deus, não são dignos deste mundo.

Existem muitos pastores que estão na indecisão (em cima do muro) e existem outros que para se manter no poder apóiam a maioria, mesmo que esta maioria esteja apostatando da fé. É o sucesso a qualquer preço. Mas será que são realmente bem sucedidos? O sucesso é para os homens ou para Deus?

Meus irmãos, as Igrejas Batistas são por natureza histórica: Fundamentalistas, Bíblicas, Conservadoras na prática, e Separatista e santa na Escatologia.


Retorne ao Senhor, mesmo que isto signifique a perda de prestigio e notoriedade na denominação. Mesmo que sua igreja torne-se pequena aos olhos humanos, mas que ela seja grande aos olhos de Deus! [nem sempre uma igreja grande é uma grande igreja]


Veja o que Deus fala para a Igreja de Filadélfia (segundo a história a igreja que viveu no auge do cristianismo bíblico):

Apocalipse 3. 8 –13  8  Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.  9  Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus e não são, mas mentem, eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo.10  Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. 11  Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. 12  A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. 13  Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.



Será que não podemos fazer a diferença nos nossos dias? Meus amados, podemos fazer a diferença sim,  Deus nos capacita para sermos a luz do mundo e o sal da terra, para diferenciarmos o certo do errado, o santo do profano, a vontade de Deus da vontade do mundo e de seu governador o diabo; diferenciar a Igreja de Deus da Igreja apostata. Podemos (na dependência de Deus) exortar os salvos, que se arrependam e vivam nas primeiras obras.



Que Deus nos abençoe e nos guarde até a Sua gloriosa volta.  Maranatha, ora vem Senhor Jesus. Apocalipse 22.20



 

Jorge Antônio Gameiro

    Correspondência                                                Página na Internet

 jagameiro@ig.com.br                                - http://infogameiro.tripod.com.br/igreja

 

Meu texto Bíblico: II Timóteo 4.1-5 : Conjuro-te, pois, diante de Deus e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino,que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina.Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério.
 




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )