O Exército De Deus


II TIM 2:3,4

Conti,
membro da Igreja Batista Bíblica ESPERANÇA (independente), Pouso Alegre – MG, 2017.

Introdução:

Paulo ao escrever para Timóteo exorta-o dizendo como deve ser o comportamento do bom soldado que se alistou no exército de Deus. É esperado desse soldado firmeza para combater as falsas doutrinas, perseverar nas verdades contidas na Palavra de Deus através da pregação do Evangelho.

Todo cristão que realmente deseja levar a sua carreira a sério precisa deixar o seu coração ser transformado em uma cisterna, ou seja, um poço, reservatório que retenha as verdades contidas na Palavra de Deus. Pois o soldado que não retém a Palavra em seu coração, é como uma cisterna rota, que não conserva a doutrina do Senhor e nos tempos de batalhas não consegue perseverar.

Todo soldado quando se alista para servir a sua nação, ele passa por um período de treinamento para saber como deve se defender e também quais as estratégias que deve usar para defender sua nação.

Pertencermos ao exército de Deus significa que fazemos parte da nação celestial, sendo assim, devemos ser treinados como soldados dessa nação, pois a nossa batalha não é enfrentada com as armas desse mundo, mas sim com as verdades contidas na Palavra de Deus.

Paulo exorta Timóteo, a ser firme em sua decisão e também a orientar aqueles que estão sobre sua responsabilidade para serem bons soldados de Cristo. Ele deixa claro que o importante não é começar uma boa carreira como soldado, mas ser fiel até a morte. Sabendo, pois que a nossa recompensa não é deste mundo. Portanto, como soldados de Cristo é Ele quem nos recompensará.

 

 

 Nós somos soldados alistados para esta grande batalha espiritual.

I. ALISTAMENTO PARA O EXÉRCITO vs.4b

No nosso país há uma lei que diz que o serviço militar é obrigatório. O jovem ao completar 18 anos de idade, vai à junta militar da sua região, e alista-se. No dia marcado ele se apresenta na unidade militar designada, e, então dá-se início ao processo seletivo: o jovem vai ser submetido a vários exames, vários testes, como o de saúde (físico e mental), que vai escolher, vai definir os aprovados. O contingente inscrito é muito grande, mas através deste processo seletivo serão escolhidos os que vão incorporar para prestar o serviço militar.

Nosso Senhor também nos fez um chamado: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.
Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.
(Mt 11:28-30)

O nosso alistamento no exército de Deus acontece quando aceitamos a Jesus Cristo como nosso Salvador. Ao fazer essa decisão por Cristo, o nosso nome é colocado no livro da Vida, isto significa que fomos incluídos no exército de Deus.

 

Uma vez ingressado no serviço militar, o soldado será preparado para a guerra (I Jo 4:4), pois esse é o objetivo das forças armadas, elas existem para garantir a guarda e defesa da pátria, em toda a sua extensão territorial. O soldado também receberá armas e treinamento, e assim durante um certo período ele vai aprendendo (se alimentando Hb 5:13-14), obtendo experiências tornando-se apto, quer dizer, em condições de combater e defender, contra qualquer que seja. (I Tim 6:12)

Infantaria:  formada por soldados que podem combater em todos os tipos de terreno e sob quaisquer condições meteorológicas, podendo utilizar variados meios de transporte para serem levados à frente de combate. Sua principal missão é conquistar e manter o terreno, aproveitando a capacidade de progredir em pequenas frações, de difícil detecção e grande mobilidade. São aqueles que estão na linha de frente, basicamente no corpo a corpo com o inimigo: 

Paulo desde sua conversão até o fim de sua carreira lutou como um bom soldado infante lutou bravamente contra tudo que na época feria a palavra de Deus. Guerreou também pela divulgação do evangelho. Por conta deste grande amor pela obra de Deus, em muitas ocasiões foi perseguido correndo risco de vida (Atos 14:19-21 mesmo sendo apedrejado pelos judeus incrédulos de Icônio e Antioquia ele voltou nas cidades.), mas batalhou até o fim usando as armas certas (Ef 6.13-17);

Cavalaria: é a arma das forças terrestres que, antigamente se destinava ao combate a cavalo, em ações de choque ou de reconhecimento. Hoje em dia, são raros os exércitos que mantém forças de combate a cavalo. Mas no Exército do Senhor, nós voltaremos com Ele para peleja contra Satanás. (Ap 19:11-14)

Artilharia: É composto pelo grupo que utiliza armas de longo alcance. Ela apoia os combatentes dando suporte à distância. Que é representado na vida cristã como as orações (Col 4:12).

A vida de oração de Paulo era completamente equilibrada. Ele adorava a Deus e intercedia por Seu povo. Mesmo crendo que a igreja pertence a Deus, mesmo sabendo que cada uma daquelas igrejas para as quais ele escreveu estavam debaixo do cuidado de Deus, Paulo também compreendia que não deveria deixar de interceder em favor de cada uma delas. Ou seja, a soberania de Deus não anula nossa responsabilidade de orar!

Na Artilharia existe uma função municiadores (responsável por municiar), Irmão Hélio

Engenharia:  dá apoio às atividades de combate dos exércitos construindo pontes, campos minados, estradas, etc. se encarregando da destruição dessas mesmas facilidades do inimigo e aumentando o poder defensivo por meio de construção ou melhoramento de estruturas de defesa.

A engenharia também é responsável pelas orientações de tiro da Artilharia. Ela que dá as coordenadas

Comunicações: é a Arma do Comando que proporcionam as ligações necessárias aos escalões mais altos que exercerão a coordenação e o controle de seus elementos subordinados antes, durante e após as operações.

Também, irmãos, vos fazemos conhecer a graça de Deus dada às igrejas da macedônia;
Como em muita prova de tribulação houve abundância do seu gozo, e como a sua profunda pobreza abundou em riquezas da sua generosidade.
Porque, segundo o seu poder (o que eu mesmo testifico) e ainda acima do seu poder, deram voluntariamente.
Pedindo-nos com muitos rogos que aceitássemos a graça e a comunicação deste serviço, que se fazia para com os santos           (IICor 8:1-4)

II. ARTIMANHAS CONTRA O EXÉRCITO vs 4a

A nossa batalha é espiritual ( Ef 6:12) temos três inimigos: A carne; O mundo; O diabo.

Se conseguirmos servir ao Senhor em todas as armas acima citada, nós venceremos porque nosso Senhor Jesus Cristo, comandante, já nos deu a vitória.

•carne

Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar.
1 Coríntios 10:13

•mundo

Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo. João 16:33

Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. 1 João 5:4

Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus? 1 João 5:5

Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo. 1 João 4:4

•diabo

Nem mesmo um Arcanjo ousou a enfrenta-lo quanto mais nós que somos fracos.

Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda. (Jd 9)

Uma tática de guerra que o Diabo usa contra o exército de Deus é a infiltração. E é justamente o que tem acontecido em nossa época, a palavra de Deus vem sido distorcida (eles produzem um texto fora do contexto para criar um pretexto), estão entrando no rebanho do Senhor vários lobos com pele de cordeiro, e assim vai pela frente. Mas Jesus Cristo já nos advertiu dizendo que Ele não viria antes da apostasia.

•O que fazer contra? Diminuir o exército inimigo agindo como verdadeiros combatentes de Cristo (como atalaias de Cristo, Ezequiel 3:16:19)

 

O Diabo com tudo isso quer impedir que os homens conheçam a verdade pura.

 

Procura-se uma igreja que use a Bíblia Sagrada do jeito que era usada no passado não muito distante. Que use a Bíblia como revelação de Deus. Aliás, uma boa bíblia tradicional e FIEL. Que use a Bíblia acreditando nela. Confiando em seus escritos, linha por linha, letra por letra. Que creia em sua inerrância e em sua total confiabilidade. Que a use no púlpito, não por pretexto para eventos sociais, políticos ou comerciais, mas como a Palavra de Deus, revelação divina para todos os povos.

Procura-se uma igreja que tenha púlpito. Sim, porque o tablado das igrejas tem abrigado toda sorte de coisas, menos um púlpito. Lá encontram-se baterias, guitarras, pandeiros, atabaques, porta-microfones, câmeras, luzes, castiçais de Israel, óleos de Jerusalém, cartazes comerciais, "links" ao vivo para a TV e Internet, mas dificilmente se encontra um púlpito. Para aqueles que não estão familiarizados, púlpito é aquele móvel que os pastores antigamente usavam para colocar as suas bíblias e pregar a Palavra de Deus.

Procura-se uma igreja que cante hinos. Uma igreja que ainda ouse usar um "Cantor Cristão",Uma igreja que ouse cantar coisas que vão de encontro à música chamada "do momento", e ao encontro do coração de Deus, em adoração firmada em verdades da Palavra do Senhor, e não em palhas e restolhos de emoção fútil.

Procura-se uma igreja de gente renascida. Não reencarnada, pois reencarnação não existe (cf Hebreus 9.27). Mas uma igreja de gente que foi regenerada pelo novo nascimento, através de sua conversão a Cristo (Cf. João cap. 3 e II Co 5.17). Uma igreja que abre as portas para o povo do mundo, mas coloca um aviso: "o pecador é bem-vindo; o pecado não!". Uma igreja que tenha gente que leve a sério o que aprende, que pratique o que ouve ser pregado, que procure ser "luz do mundo" e "sal da terra", que manifeste as "virtudes daquele que nos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz". Uma igreja de gente que não fume. Gente que não beba álcool. Gente que não use drogas. Gente que não fale palavrões. Gente que não seja escravizada pelo entretenimento, que não toma a forma do mundo, mas que renova dia a dia o seu entendimento pela Palavra da Verdade. Uma igreja que não tenha receio de firmar posturas indigestas à maioria das outras igrejas, como exigir de seus membros uma vestimenta decente, um namoro moralmente aceitável, um casamento que possua "leito sem mácula", uma fraternidade construtiva, cidadãos cumpridores de seus compromissos, crentes honestos em suas transações. Uma igreja que pregue o que é certo e viva o que pregue.

Procura-se uma igreja que tenha pastor. Mas não um pastor do tipo "profissional da área religiosa", mas "profissional da área celestial". De preferência um pastor que não tenha especialização em vendas, "tele-marketing", venda de consórcios ou carnês do baú. Também não precisa ser especialista em análise de mercados e doutor em planos mirabolantes de crescimento de igreja. Procura-se uma igreja cujo pastor esteja mais interessado em pastorear cada um como um filho, do que contar cada um como um número. Que tenha apenas "bom sensus" de levar a sério o seu chamado de "ganhador de almas, amigo do rebanho, pregador da Palavra, intercessor em oração pela sua comunidade, porta-voz da sã doutrina, Um pastor que tenha cara de pastor, coração de pastor, postura de pastor, vida de pastor. Que use a Bíblia, não o "manual de igrejas do sucesso", ou quaisquer outras inovações evangélicas que estejam em alta. Procura-se um pastor que esteja de joelhos diante do Pai, pois é a única forma de não cair; um pastor que sorria com os que sorriem, chore com os que choram, que visite o pobre, e também o rico; que ame o bonito, e acolha também o feio; que se importe com a dor de um idoso e com a alegria de um jovem.              Um pastor que diga a verdade, pela Bíblia, doa a quem doer, sem, contudo, jamais perder a ternura. Um pastor que não busque a glória dos homens, mas a glória de Deus; que não esteja de olho nas recompensas terrenas, mas nas celestiais. Um pastor que saiba ser homenageado, rendendo glórias a Deus, e saiba também resignar-se quando for esquecido. Um pastor segundo o coração de Deus.

Procura-se essa igreja.

Aos que souberem do seu paradeiro, favor ligarem para os crentes de bom senso, notificando o achado. Talvez não restem muitas dessas por aí. E me avisem também, para que eu saiba para onde ir, se acaso precisar".

 

 

III. BOM SOLDADO vs 3

 

 Na nossa vida espiritual, como parte do exército de Deus, jamais podemos sair ao campo de batalha se o nosso General não for a nossa frente. Era comum no meio do povo de Deus, eles consultarem ao Senhor antes de saírem para uma guerra, pois queriam saber se o Senhor aprovava a ida deles, e se Deus iria com eles à guerra. Pois quando Deus aprovava a vitória era certa.

E nós? Será que estamos buscando a presença de Deus nos guiando em nossas batalhas do dia a dia?

(I Samuel 17:45)  Que as palavras e a intenção de Davi quando saiu contra Golias sejam as mesmas que queiramos para nossa vida!

Soldado que foge da guerra cai diante do inimigo (2 Sm 11.1-4)

 

 você deve ter percebido que o verso primeiro fala que aquele era um tempo em que os reis costumavam sair à guerra, ir para a batalha junto com seus exércitos. Mas, Davi apenas enviou seu General, e o texto ainda frisa que Davi preferiu ficar em Jerusalém. E consequentemente ficou para escrever a pior parte de sua história.

 

A conclusão disto é muito simples, sair para a batalha espiritual, não é uma opção aonde eu posso escolher se vou lutar ou não. Pois o nosso inimigo não dorme, não descansa, e não desiste de nos derrubar (1 Pedro 5.8).

Se Davi tivesse saído para a guerra, não teria cometido este adultério, e consequentemente não teria planejado a morte de Urias.

 

Guerra nos lembra que estamos em constante conflito, ou seja, não podemos nos distrair nem um minuto, senão os nosso inimigos nos apanham. Mas, no palácio, em casa, longe da batalha baixamos a guarda e nos tornamos alvos fáceis para cair nas tentações e ciladas do diabo.

Portanto não fujam da guerra, estejam sempre vigilantes, e prontos para o combate, para que possais resistir as astutas ciladas do inimigo (Efésios 6.11).

 

 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

O exército de Cristo deve ser regido e comandado pelo seu General que vai à frente de seu exército em suas batalhas, onde o sucesso para a vitória depende do empenho de cada soldado em fazer sua parte nas batalhas, e que não fujam da guerra. Pois nessa guerra só existem dois lados, um é de Jesus, e o outro... ver: (Mateus 12.30) 

De qual lado você está?



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Sermoes/
retorne a http://solascriptura-tt.org/ )