1Cor 5:5 é prova da perdibilidade, e não da imperdibilidade da salvação???



"Seja entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus." (1 Coríntios 5:5)

(Antes que digamos qualquer outra coisa, deixemos bem claro que assumiremos que todos os crentes sabem que a Bíblia ensina que cada pecado não confessado e não abandonado, de um verdadeiro crente, é castigado aqui mesmo na terra, e o é de modo muitíssimo doloroso. Nenhum crente deve pensar por um só segundo que vale a pena ceder a um pecado, que a gratificação da carne valerá a pena, que o pecado e o seu castigo por Deus [já aqui na terra e durante a vida física do crente] são coisas que possam ser desprezadas. Nenhum "pecadão, pecado ou pecadinho" é coisa pequena. Nenhum pastor, igreja ou crente individual deve incentivar (ou tolerar sem repreender) nem mesmo 1 milímetro de pecado por 1 segundo, em si ou nos outros).




Em 1Co 5:5 nós sempre temos visto uma das maiores provas de que o verdadeiro salvo que caiu em pecado (mesmo com toda certeza indo ser terrivelmente punido aqui na terra por todos os seus pecados, e mesmo indo perder galardões eternos), em nenhuma circunstância e nenhum tempo poderá perder sua salvação eterna.
(Por favor, não deixe de ler cuidadosamente, por exemplo, "Provas De Que A Salvação É Incapaz De Ser Perdida - Uma Vez Salvo, Sempre Salvo", em  http://solascriptura-tt/SoteriologiaESantificacao/22-ImperdibSalvac-PROVAS-Helio.htm).

Mas os arminianos (todos os católicos, todos os pentecostais, e alguns irmãos "protestantes"), e até mesmo uns poucos que se chamam de calvinistas, pensam que a preservação da salvação do crente depende dele ser fiel acima de um certo nível (que nem eles nem ninguém sabe precisar qual é); ou, pelo menos, depende de, ao morrer, estar num certo nível (que nem eles nem ninguém sabe precisar qual é) de comunhão com o Senhor, tendo, num certo nível (...), se arrependido de e confessado todos os seus pecados, e tendo-os abandonado num certo nível (...) de totalidade e de definitividade.
Portanto, tais arminianos e calvinistas têm que distorcer 1Co 5:5, interpretando-o como que implicando que:

SE o incestuoso não tivesse se arrependido sozinho
OU ( SE Paulo e/ou a igreja não tivessem entregue o incestuoso a Satanás,
     E ( SE Satanás não cumprisse seu dever de destruir-lhe a carne,
         OU SE o incestuoso não se arrependesse ante tamanho castigo
       )
   )
ENTÃO o salvo incestuoso teria perdido a salvação que Deus lhe houvera dado.
 

(Geralmente os que mantém esta posição classificam os pecados em várias categorias, desde os "mortais" [os pecados que julgam mais horríveis e que pensam que nunca cometerão] até os  "veniais" (os pecados que julgam menores e que eles mesmos sabem que estão cometendo ou poderão chegar a cometer])



Examinemos esta posição. Note, como ponto de partida, que tal interpretação é absurda, pois leva a salvação a depender de obras (do pecador + de outros + do Diabo!)! Isto contraria frontalmente muitos versos, tais como:
8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. 9 Não vem das obras, para que ninguém se glorie; 10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. (Efésios 2:8-10)

Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo. (2 Timóteo 2:13)

Planejo em breve ler e estudar alguns comentários sobre este verso (não tenho este costume; usualmente, em casos como este, procuro só ler a Bíblia; mas vou abrir uma exceção).
Mas, antes disso, quero registrar como interpreto o verso. Como sempre, vou procurar tomar a Bíblia tão literalmente quanto possível (claro, à luz do contexto, das dispensações, da aceitação de linguagem figurada somente nas suas raríssimas ocorrências e com o sentido mais simples e óbvio), e comparando Escritura com Escritura.



1) Em primeiro lugar, note que há uma diferença entre:
- "Dia de CRISTO", também conhecido como "Dia do Senhor JESUS", quando Deus, imediatamente antes da 70a. Semana de Daniel, transformará em corpos glorificados os corpos de todos os verdadeiros salvos que estiverem vivos, e também ressuscitará os corpos de todas as pessoas que já morreram estando EM CRISTO (só os salvos da Dispensação da Igreja), e finalmente arrebatará todos os crentes pertencentes a um desses destes dois grupos, agora reunidos em um só grupo, para o Céu, para o Julgamento de Galardoamento dos Cristãos, a ser seguido pelas Bodas do Cordeiro;
- e "Dia do SENHOR", também conhecido como "Dia da Ira de JEOVÁ", quando Deus, ao final da 70a. Semana de Daniel, descarregará contra o Anticristo e a humanidade rebelde toda Sua ira acumulada, para depois começar o Milênio literal.
- (Maiores detalhes em livros de Escatologia tais como o excelente Manual de Escatologia, de Pentecost. Se não o tiver, pelo menos veja alguma coisa em http://solascriptura-tt/EscatologiaEDispensacoes/EscatologiaComVersos-CursoHelio.htm.)



2) À luz disto, o assunto de 1Cor 5:5 não é propriamente o de decisão entre salvação ou condenação eternas, mas sim o de algo que sucederá ao crente quando chegar o dia do Senhor Jesus Cristo (o Arrebatamento).



3) Por tudo isto, o verso ensina que Paulo determinou que o incestuoso fosse entregue a Satanás para destruição da carne, o que seria seguido, no futuro dia do Arrebatamento, pela salvação do seu espírito.
- Note que o "para que" do verso não implica que é a destruição da carne que causa a salvação do espírito. Não há uma relação de causa e efeito, mas sim de seqüência; a destruição da carne (ou arrependimento) deve ocorrer antes, a salvação do espírito deve ocorrer depois, mas a primeira coisa não causa a segunda, nem lhe é necessário. Ver antigos gramáticos do grego, endossados por gramáticos posteriores tais como Kühner, citado por T.S. Green.
- "Destruição da carne" pode implicar horrível morte física, possivelmente precedida por terríveis doenças, terríveis ferimentos, etc. (reais arrependimento + confissão + abandono do pecado, talvez evitem aquela prematura morte física).
- "Salvação do seu espírito" fala de, no Arrebatamento, a parte espiritual (alma+espírito) do incestuoso, que já estava eternamente salva e na presença do Senhor, também agora receber seu terceiro componente, o corpo físico, agora glorificado, imortal, incapaz de pecar, incorruptível!



4) Embora o verso não trate diretamente da salvação eterna mas sim de algo que sucederá ao crente (que estava em pecado) quando chegar o dia do Senhor Jesus Cristo (o Arrebatamento), seguramente aquilo que sucederá a tal crente implica que ele estava, está, e estará salvo. Eterna + total + definitivamente salvo! O crente verdadeiro pode sofrer terríveis conseqüências corporais se não se arrepender + confessar + abandonar um pecado, mas jamais, nem por 1 segundo, terá sua salvação em risco de 1 milímetro. Quem a deu e preserva é Deus!!! Aleluia! Aleluia!
(Não deixe de ler cuidadosamente http://solascriptura-tt/SoteriologiaESantificacao/22-ImperdibSalvac-PROVAS-Helio.htm).

5) Mesmo que você não aceite alguma letra minha, acima, permanece o fato que
a)  o verso:
FALA 100% de salvação e 0 % de perder salvação!

b) Nada implica que,por piores que fossem as fidelidades:
    de Paulo em determinar,
    da igreja em também determinar,
    de Satanás em cumprir a destruição da carne,
    e do crente em pecado se arrepender
                             + confessar
                             + abandonar o pecado,
deixaria de ocorrer, inexoravelmente:
    que DEUS determinaria e ocorreria a destruição da carne,
    depois ocorreria a salvação do espírito no dia do Senhor Jesus!!!



Oh, quanto minha alma exulta! Que tamanha salvação, que tamanho Deus, que tamanho Salvador!
Aleluia! Louvor ao Senhor! Gratidão ao Salvador e Preservador!



33 ¶ O profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! 34 Porque quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? 35 Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? 36 Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém. (Romanos 11:33-36)


Hélio de M. Silva, Out 2002.


 



Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SoteriologiaESantificacao/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )