Versos sobre perdão por cristão, reinar dos céus, fermento, joio, e outros assuntos diferentes de salvação na dispensação da igreja, não afetam a imperdibilidade, certeza, firmeza, garantia, inabalabilidade, preservação, seguridade da salvação, uma vez salvo sempre salvo, salvação não pode ser perdida, é imperdível.

o. Esta passagem lida com certos [outros] assuntos, tais como o perdão cristão

Mat 18:23-35,21
[essas passagens em nada afetam a Imperdibilidade da Salvação, garantida por Deus]


Uma das regras básicas para se interpretar uma parábola é não tentar "colá-la em cada centímetro quadrado", o que significa que se deve evitar imaginar um grande significado espiritual em todo e cada minúsculo detalhe da parábola. [Em cada parábola, ou tipo, ou figura, ou símbolo, há apenas UMA mensagem de que podemos ter certeza, e ela é a mensagem mais básica e mais geral, de modo que nunca devemos ficar procurando fuçar ou adivinhar os significados das dezenas de detalhezinhos, ou arriscamos perder nossa sanidade mental e espiritual, e passar a crer e ensinar loucuras. Por exemplo, na parábola do julgamento das nações, a mensagem principal e segura, com a qual todos concordamos, é que, durante a Tribulação, alguns gentios arriscarão a vida pelo bem dos pequenos irmãos (os 144.000 e outros judeus convertidos) do Senhor, o Cristo, e por isso serão recompensadas por Deus entrando para Seu reinar, mas outros gentios nada farão pelos judeus convertidos, e, por isso, não entrarão para o reinar de Deus, serão lançados no inferno. Podemos confiar nesta mensagem principal. Agora, pregadores começaram a querer ser sabichões e pregaram analogias malucas com o fato das ovelhas terem 2 olhos, 4 patas, 2 narinas, 1 boca, 1 língua,  preferirem comer grama a arbustos, terem dois chifres mochos, terem 4 tetas, usualmente usarem chocalho, terem os cascos fendidos em dois, produzirem lã, etc.
Por exemplo, [porventura] deveríamos nós pressupor, de Mt 18:25, que a esposa e os filhos do homem serão enviados para o inferno por Deus, por causa do débito do pecado do marido? Este absurdo é rigorosamente refutado por Ezequiel 18:20 e por um grande número de outras passagens bíblicas. Deveríamos nós deduzir que as 4 patas das ovelhas representam ... ; cada olho das ovelhas representa ...; o pâncreas das ovelha representa ...
Uma vez me recomendaram um livro como o melhor do mundo, sobre o Tabernáculo. Mas, logo no primeiro capítulo, o autor disse que as iniciais Norte, Este, West, Sul (nesta ordem) das 12 tribos que ficavam guardando o Tabernáculo, conforme o livro de Levítico, formavam a palavra NEWS e eram a prova das boas novas (God NEWS), o evangelho, e daí ele começou a levantar um castelo de cartas de afirmações doutrinárias, eu  achei tudo  ridículo, particularmente porque a sigla usa uma ordem tão particular, e só faz sentido em inglês, não em hebraico nem grego. Daí, joguei o livro no lixo, e já tentei várias vezes ler outros livros sobre o Tabernáculo, mas todos viajam 99km corretamente e capotam em 1 dos 100km, e nunca mais li esses livros.

Na realidade, a chave para a parábola de Mat 18:23-35 é encontrada em notar que esta parábola responde à pergunta feita 2 versos antes, em Mat 18:21, onde Pedro pergunta a Cristo sobre quão frequentemente um cristão deve perdoar alguém. A mensagem principal, a única de que podemos ter certeza, é a de que devemos nos perdoar um aos outros, 7 vezes 70 = 490 vezes por dia, se preciso for., pois Deus nos perdoou 1 milhão de vezes, cada vez 1 milhão de vezes pior que o caso retratado na passagem.

   23 Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; 24 E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; 25 E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. 26 Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. 27 Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. 28 Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves. 29 Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. 30 Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. 31 Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. 32 Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. 33 Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? 34 E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia. 35 Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas. (Mateus 18:23-35)
(Ver NOTA, abaixo)
 

  
A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele. (Ezequiel 18:20)

   Então Pedro, aproximando-se dele, disse:
Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete? (Mateus 18:21)

 

NOTA DE HÉLIO: Note também que a parábola se refere especificamente à dispensação do "reinar dos céus", portanto não tem necessariamente que afetar a imperdibilidade da salvação na presente dispensação das igrejas locais.

"Reinar dos céus":
(a) A expressão "reinar dos céus", a ser diferenciada de "reinar de Deus" (ver abaixo), refere-se ao governo literal, físico, visível, de Cristo em Sua glória, como o Rei absoluto (primariamente sobre Israel, secundariamente sobre toda a terra), no Milênio. Portanto,
- O reinar dos céus pode ser associado ao Milênio. Foi definido em Dan 2:34-36,44-45; 7:23-27. É o reinar messiânico, Davídico, por mil anos (depois eterno), do Cristo literal e corporal, em toda a Sua glória, reinando física visível e literalmente sobre toda a terra, a partir de Israel (Jerusalém sendo a capital, também, do mundo).
 - Composição do reinar dos céus: (a) Com e para o Rei, estarão reinando (e todos já em corpos glorificados): a Noiva-Rainha (o conjunto de salvos, da dispensação das igrejas locais, somente dela), mais Davi. Os súditos serão (b) os salvos do Velho Testamento, desde Adão, Eva e Abel, passando por Enoque e Elias, até João (o submersor), com corpos já glorificados; e (c) os sobreviventes da Tribulação (todos crentes, salvos, inclusive os milhões de judeus convertidos), e aqueles que nascerem durante o Milênio (alguns terão coração descrente, mas não poderão exteriorizá-lo, até a revolta final), todos eles ainda sem o corpo glorificado, e ainda casando e tendo filhos.
(b) As seguintes parábolas, quer usando a expressão reinar dos céus ou reinar de Deus, enfatizam como estes reinar estão sendo preparados, durante a Dispensação das Igrejas Locais, e na 70ª Semana de Daniel: há o falso crente junto ao real, frequentemente tão parecidos que só Deus sabe quem são; e/ou há o fermento, sutilmente inoculado pelo Diabo, disfarçado mas terrivelmente corrompendo a massa:
- Passagens onde o crente falso está misturado com o real, e tão semelhante a ele:
   . "Nem todo que me diz Senhor, Senhor ... ." Mat 7:21;
   . Casas na rocha e na areia Mat 7:24-27; Luc 6:48-49;
   . Parábola do semeador e dos 4 solos Mat 13:01-09 (explicada em 18-23); Mar 4:3-9; Luc 8:5-8;
   . Parábola do joio e do trigo Mat 13:24-30 (explicada em 36-43);
   . Parábola da rede e dos peixes Mat 13:47-50;
   . Parábola das ovelhas e dos bodes Mat 25:31-46.
- Passagens onde o erro está misturado com a verdade, e tão semelhante a ela, contaminando-a:
   . Parábola do grão de mostarda Mat 13:31-32; Mar 4:31-32; Luc 13:18-19;
   . Parábola do fermento Mat 13:33; Luc 13:20-21.
(c) Os judeus têm a promessa de um reinar literal e físico, político (Dan 4:25,32; Mat 11:12), que o NT chama de reinar dos céus. Tal reinar pertence a Abraão, Isaque, e Jacó (Mat 8:11), portanto aos judeus, portanto só é referido em Mateus, que foi escrito para judeus. Mas Deus compartilhará o Seu reinar com a igreja local totalizada futura (Ap 20:4)
(d) O reinar dos céus foi descrito como estando chegado {1442 eggizo também significa achegado, próximo, ao alcance da mão} (Mat 3:1, etc.). Na Bíblia, a palavra "próximo" não é uma afirmação firme, absoluta, definida de que um fato vai ter que acontecer imediatamente, mas sim que nada conhecido ou predito necessita vir antes dele.
(e) João (o submersor) (ou João, o batista) foi o precursor do reinar que foi oferecido na pessoa de Cristo (Mat 3:1); Elias, a ser descido do céu, será o precursor do reinar que anunciará durante a Tribulação.

"Reinar de Deus":
(a) O reinar de Deus é a esfera, o conjunto de todos (homens salvos, anjos, e outras criaturas) que real e gozosamente se submeteram a Deus, crendo e obedecendo Sua Palavra, os homens sendo aqueles que já têm crido e aceito o Messias como Salvador único e completo, e como único e total Senhor e Deus.
- O reinar de Deus não tem aparência exterior, é no coração (Luc 17:20,21). Deve ser diferenciado do reinar dos céus (ver acima)
(b) As seguintes parábolas enfatizam como o reinar de Deus está sendo preparado: há o falso crente junto ao real, frequentemente tão parecidos que só Deus sabe quem são; e/ou há o fermento, sutilmente inoculado pelo Diabo, disfarçado mas terrivelmente corrompendo a massa:
- Parábolas onde o crente falso está misturado com o real, tão semelhante a este:
   . Casas na rocha e na areia Luc 6:48-49;
   . Parábola do semeador e dos 4 solos Mar 4:3-9; Luc 8:5-8.
- Parábolas onde o erro está misturado com a verdade, contaminando-a:
   . Parábola do grão de mostarda Mar 4:31-32; Luc 13:18-19;
   . Parábola do fermento Luc 13:20-21.

Sim, inegavelmente há semelhanças entre o reinar dos céus e o reinar de Deus; a condição para se entrar em um reinar são as mesmas para se entrar no outro (fé real em Deus e no Messias, realmente crendo cada palavra da Bíblia); os componentes dos 2 reinar são os mesmos; e o Rei é o mesmo. Mas também há algumas diferenças entre estes reinar e, a rigor, eles têm diferentes definições.

Quanto aos versos praticamente iguais em que o Espírito Santo escolheu usar "reinar dos céus" em Mateus e "reinar de Deus" em Marcos ou Lucas ou João, lembremos que Ele é incapaz de errar e também de não ser fiel, portanto as 2 expressões diferentes foram ditas por Cristo em diferentes instantes, sendo "reinar dos céus" registrada em Mateus, e "reinar de Deus" nos outros evangelhos.




Extraído do excelente livro Guide to the Bible, de H.L. Willmington. Traduzido por Valdenira Nunes de M. Silva, para seu esposo Hélio ensinar na sua igreja. Temos certeza de que o autor não fará objeção à tradução (sem fins lucrativos e para grande benefício de crentes que só leem português) desta pequena parte do seu monumental livro, mas não conseguimos seu endereço. Rogamos a quem o saiba que no-lo envie, para que possamos contatar o autor.


Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB), autêntica herdeira da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753) e traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma) como o Textus Receptus. Para começar a ter uma ideia da gravidade de muitas das MILHARES de deturpações de todas as modernas "Bíblias" alexandrinas (baseadas no Texto dos incessantes Críticos), em relação às Bíblias do TR, leia, por EXEMPLO, http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes/AAlmeidaAtualizadaExposta-Helio.htm
http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/ExpondoErrosNVI-Jun2000-Emidio.htm





(retorne a http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/ 00-Soteriologia-Curso-Helio-index.htm
retorne a http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)