A Pior Heresia de João Calvino:

Que Cristo Sofreu
Queimando No Inferno de Fogo

[Em 2ª Expiação]




Hélio de Menezes Silva, 2017.





O Credo Apostólico, inventado pelo catolicismo, versão Gaulesa de 650 dC (a que mais tempo foi usada sem alterações, por católicos e reformados), é:

Creio em Deus Pai, Todo-poderoso, Criador dos Céus e da terra.
Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso Senhor,
o Qual foi concebido pelo poder do Espírito Santo;
nasceu da virgem Maria;
padeceu sob Pôncio Pilatos,

foi crucificado, morto e sepultado;
desceu ao INFERNO *,
ressurgiu dos mortos ao terceiro dia;

subiu ao Céu;
está sentado à direita de Deus Pai Todo-poderoso,
donde há de vir para julgar os vivos e os mortos.
Creio no Espírito Santo;
na santa Igreja católica;
na comunhão dos santos;
na remissão dos pecados;
na ressurreição do corpo;
na vida eterna.
Amém.

* - Através dos séculos, há inúmeras versões significativamente diferentes do assim chamado Credo Apostólico, invenção da igreja católica, que diz que foi dada forma por Santo Atanásio de Alexandria no século IV, daí também ser chamado de Credo Atanasiano, mas não existem manuscritos daquela época https://pt.wikipedia.org/wiki/Credo_de_Atan%C3%A1sio e https://en.wikisource.org/wiki/Creeds_of_Christendom/Apostles'_Creed.
-Versões com "desceu ao inferno" (em latim, "descendit ad inferna" ou "descendit ad inferos" ou "descendit ad infernum") foram adotadas em muitos séculos, em muitos países, por muitos grupos, tanto católicos como reformados. O livro Early Christian Creeds, de J.N.D. Kelly, reproduz pelo menos 4 versões do credo, em diferentes países e séculos bem antigos, contendo "desceu ao inferno" (pags. 174, 177, 179, 369, 370): a Antiga Versão Romana, do ano 150 dC; a versão adotada (não criada) pelo monge Tyrannius Rufinus (340/345–410) como parte do "credo de Aquileia"; a versão de Venantius Fortunatus (antes do ano 600); a versão gaulesa (do ano 650), que praticamente tornou-se a definitiva. Mais detalhes em "Commentary on the Apostles' Creed", http://www.newadvent.org/fathers/2711.htm (site católico) e em "Descendit at Inferna, ...", do presbiteriano Heber Carlos de Campos, http://www.mackenzie.br/fileadmin/Mantenedora/CPAJ/revista/VOLUME_IV__1999__1/Heber.pdf.




************************* Hélio vai começar resumido e adaptando de http://www.calledtocommunion.com/2009/09/john-calvins-worst-heresy-that-christ-suffered-in-hell/
(cuidado, o autor disso, Dr. Taylor Marshall, é reformado que voltou ao catolicismo romanista. A grande maioria dos 22 autores do site é de católicos que vieram de igrejas reformadas.)


Referindo-se ao Credo Apostólico [na versão Gaulesa, que adotou], Calvino escreveu:

"Mas, além do Credo [Apostólico], devemos buscar uma exposição mais segura da descida de Cristo ao inferno: e a Palavra de Deus nos fornece uma [exposição] não somente piedosa e santa, mas repleta de excelente consolo. NADA teria sido feito [efetivando salvação] se Cristo tivesse suportado somente a morte CORPÓREA. A fim de Se interpor entre nós e a ira de Deus e satisfazer o Seu juízo justo, era necessário que Ele [Cristo] sentisse [todo] o peso da vingança divina. Por isso, também foi necessário que Ele se engajasse [sofresse], por assim dizer, de perto com os poderes do INFERNO e os horrores da MORTE ETERNA.

"Nós recentemente citamos a partir do Profeta [Isaías 53], que
"o castigo que nos traz a paz [estava] sobre Ele, e pelas Suas pisaduras fomos sarados", que "Ele foi moído por causa das nossas iniquidades", que "Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades", [versos] que intimam que, como um patrocinador e fiador dos culpados e, por assim dizer, sujeito à condenação, Ele [o Cristo] assumiu e pagou TODAS as penalidades que deviam ter sido exigidas deles [dos homens culpados], excetuando-se apenas que as dores da morte não O puderam conter [depois de 3 dias e 3 noites]. Por isso, não há nada estranho em ser dito que Ele [o Cristo] desceu ao inferno [de sofrimento condenatório], visto que Ele suportou a morte que é infligida aos ímpios por um Deus irado. É frívolo e ridículo objetar que desta forma a ordem é pervertida, sendo absurdo que um acontecimento [ter descido ao inferno] que precedeu o sepultamento [os instantes entre a morte e sepultamento] deva ser colocado [no Credo] depois dele [o sepultamento]. Mas, depois de explicar o que Cristo suportou à vista do homem, o Credo adequadamente acrescenta o julgamento invisível e incompreensível [de modo que a cruz como julgamento visível não foi suficiente. Cristo sofreu [queimando] dentro do inferno ...] que ele suportou diante de Deus, para nos ensinar que não só o CORPO de Cristo foi dado como o preço da redenção [na cruz], mas que havia um preço maior e mais excelente - que Ele suportou em Sua ALMA as torturas [no inferno] de um homem condenado e arruinado. [Assim, depois de sofrer no corpo, sobre a cruz, a alma de Cristo sofreu torturas dos condenados, no inferno.]" (Calvin, Institutas 6:10, https://www.ccel.org/ccel/calvin/institutes.iv.xvii.html.)
[tudo que está entre colchetes são explicações minhas, de Hélio, para facilitar o entendimento, mas acredito que são explicações justas, honestas, nem mesmo Calvino discordaria delas, nem nenhum calvinista de hoje]



************************* Agora, Hélio traduz de https://en.wikipedia.org/wiki/Harrowing_of_Hell (Tormentos do Inferno):

[1] "
João Calvino expressou sua preocupação de que muitos cristãos "nunca consideraram seriamente o que é ou o que significa que fomos redimidos do julgamento de Deus. Contudo, esta é a nossa sabedoria: devemos sentir o quanto a nossa salvação custa ao Filho de Deus ". A conclusão de Calvino é que "a descida de Cristo ao INFERNO era indispensável para a EXPIAÇÃO dos cristãos, porque CRISTO SUPORTOU A PENA PELOS PECADOS DOS REDIMIDOS." [Aqui, o artigo Harrowing_of_Hell diz estar citando o Center for Reformed Theology and Apologetics (Centro de Teologia Reformada e Apologética).]
[2] "
Calvino opôs-se veementemente à noção de que Cristo [desceu como vitorioso e] libertou prisioneiros [do inferno], ao contrário [da verdade] de VIAJAR AO INFERNO A FIM DE COMPLETAR OS SOFRIMENTOS ´[expiatórios] DELE" (o artigo Harrowing_of_Hell apresenta esta sentença como sendo o sumário do pensamento de Calvino em Institutes of the Christian Religion, Book 2, chapter 9, sections 8-10. Hélio leu tudo, achou Calvino meio confuso, escorregadio e contraditório, mas achou que o sumário pode ser considerado suficientemente honesto e justo),




************************* Finalmente, Hélio esboça uma breve REFUTAÇÃO ao ensino de Calvino e do artigo "Harrowing_of_Hell", de que Cristo foi ao inferno de fogo para ali queimar no fogo e sofrer a morte eterna, completando Sua obra expiatória [em uma espécie de segunda expiação]:

1. A tipologia da expiação no Velho Testamento sempre aponta para UMA ÚNICA expiação por Cristo ao derramar todo o Seu sangue na cruz do Calvário, pois a expiação no VT sempre foi tipificada somente através de um único derramamento de todo o sangue da vítima animal macha imaculada, num único momento, a Páscoa. Nada foi necessário depois, nem além, do derramamento de todo o sangue.
Defender a necessidade de uma segunda obra expiatória do Cristo, feita queimando e sofrendo dentro do inferno de fogo, é negar a suficiência da cruz, do sangue, e da morte de o Cristo.


1. Versos apontando que o sofrimento expiatório de Cristo, nos substituindo, nos salvando, foi na CRUZ, somente na cruz, e que Cristo não teve que sofrer queimando no inferno de fogo:

    Jo 19:30 E, quando Jesus tomou o vinagre, disse: ESTÁ CONSUMADO. E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

    Cl 2:14 Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, CRAVANDO-A NA CRUZ.
[Toda a obra expiatória e redentora foi terminada na CRUZ]

   
Is  4 Verdadeiramente *Ele* tomou sobre Si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre Si; e nós O reputávamos por GOLPEADO, FERIDO de Deus, e oprimido. 5 Mas Ele foi TRASPASSADO por causa das nossas transgressões, e MOÍDO por causa das nossas iniquidades; o castigo- corretivo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas PISADURAS fomos sarados.  6 Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu próprio caminho; mas o SENHOR fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos. (LTT)

   
Lc 23:43 E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no PARAÍSO.





2. Defesa contra deturpação de versos por quem quer forçar que a cruz não foi suficiente; que a expiação por Cristo em nosso favor, lá, não bastou; que foi indispensável Cristo fazer uma 2ª expiação, sofrendo a morte eterna, queimando do inferno, para, só assim, poder nos salvar:

    Mt 12 40 Pois, assim como esteve Jonas dentro do ventre da baleia [durante] três dias e três noites, assim estará o Filho do homem dentro do coração da terra [durante] três dias e três noites.
O Cristo ficou 3 dias e 3 noites (isto é, do pré-alvorecer da quinta-feira até o do domingo) no coração (o centro) da terra, com a porta do túmulo fechada, mas isto não implica que foi dentro do sofrimento da condenação do inferno de fogo.

    Ef 4 9 (Ora, isto, "Ele ascendeu", que é, senão que também Ele desceu, antes (disso), para dentro das partes mais baixas da terra
O Cristo "desceu" não meramente "para dentro da terra", mas sim "para dentro das partes mais baixas da terra", o seu centro (para lá estar 3 dias e 3 noites), mas isto não implica que foi dentro do sofrimento da condenação do inferno de fogo.

Sl 16 10 Pois não deixarás a Minha alma no inferno, nem permitirás que o Teu Santo veja corrupção.
A alma do Cristo não ficou para sempre no "Hades = Sheol = inferno" (lugar da habitação dos mortos, que então tinha 2 compartimentos eternos e inescapáveis (um o paraíso dos salvos, outro o local de sofrimento dos perdidos) Lc 16:19-31, e agora, atualmente, só tem 1 compartimento (de sofrimento).

E o corpo do Cristo não conheceu a menor corrupção.

Mas o verso não implica que o Cristo foi para dentro do sofrimento da condenação do inferno de fogo, cremos que Ele manteve-se no inferno bem aventurado, o seio de Abraão, mesmo que tenha pregado aos salvos "Vencí! Paguei vosso resgate, vou vos levar para o céu", e mesmo que tenha proclamado aos perdidos ao longe (homens, e demônios já no Tártaro), "Vencí! Chorai vossa justa condenação inescapável".

1Pe 3:18-20  18 Porque também [o] Cristo, de uma só vez por todas, por causa d[os nossos] pecados padeceu, [o] justo em- lugar- d[os] injustos, a fim de que nos levasse a Deus; em verdade, tendo [Jesus] sido feito morrer n[a] carne, mas havendo [Ele] sido vivificado pelo Espírito (Santo);  19 Em Quem (o Espírito Santo), também, [o Cristo], aos espíritos em prisão, havendo ido, pregou, 20 [Àqueles homens] havendo descrido- desobedecido  noutro tempo, quando, de uma [] vez por todas, anelantemente- esperava a longanimidade de Deus n[os] dias de Noé, [enquanto] [estava] sendo preparada uma arca (para dentro da qual [arca] poucas (isto é, oito) almas foram salvas, (flutuando) por instrumentalidade da água).  LTT-ComNotas
- O Cristo "pregou" (proclamou, sem exigir a ideia de oferta de 2ª oportunidade!) julgamento aos espíritos em prisão.
- Se estes "espíritos em prisão" (com não acredito) são demônios que já hoje estão no Tártaro 2Pe 2:4 e Jd 1:6 [por terem tentado corromper a carne humana e assim impedir a prometida encarnação do Cristo? Gn 3:15; 6:1-4]), então esta pregação de o Cristo será apenas a proclamação de derrota final deles, e poderia ter o título: "Vocês falharam! Queimem para sempre, lembrando disso!". Mas a população deste Tártaro, depois da ressurreição de o Cristo, ainda é a mesma de antes, seus demônios lá sofrem crucialmente aguardando o Julgamento Final de todas as coisas, no Trono Branco, para serem, então lançados no Lago de Fogo, para sempre
- Se estes "espíritos em prisão" são (como acredito) aqueles homens havendo descrido- desobedecido na pregação de Noé, então esta pregação de o Cristo será apenas a proclamação de derrota final deles, e poderia ter o título: "Vocês falharam! Vocês deviam ter crido na pregação de Noé, e a obedecido. Queimem para sempre, lembrando disso!"
- Em qualquer das 2 últimas hipóteses, o Cristo depopulou a metade do Hades que abrigava o paraíso e todos os salvos do VT e que já que haviam morrido Lc 16:19-31. Uma vez que o débito deles já tinha sido efetivamente pago ao tempo em que o Cristo desceu ao centro da terra, eles puderam entrar no 3º céu 2Co 12:2.

-
    1Pe 4 6 Porque para isto também a[os] (que, então, estarão) mortos foram as boas- novas (o evangelho) (dantes) proclamadas, com o propósito de que fossem (os crentes) julgados, na verdade, segundo os homens, (ainda estando os crentes) na carne , mas [re]vivessem (segundo Deus) em [o] Espírito.

Mesma explicação de 1Pe 3:18-20



Hélio de Menezes Silva, 2017.



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SoteriologiaESantificacao/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)