Calvinismo: Considerações Iniciais. Só Se Pega Por CONTÁGIO




 Hélio de Menezes Silva, abr. 2017,

adaptando a partir de Dave Hunt

https://www.youtube.com/watch?v=sta1AdENmNY  

[(saltar esses detalhes, no vídeo):
Eu, Hélio, confesso que tremo de medo de (e de indignação por ver) quem despudorada, entusiástica e furiosamente defende
- a matança de 6.000.000 de judeus nos campos de extermínio do holocausto nazista (https://pt.wikipedia.org/wiki/Holocausto ),
- o médico Josef Mengele [que fez "experiências médicas" levando milhares à morte com inimaginável sofrimento, veja (https://pt.wikipedia.org/wiki/Josef_Mengele)],
- o deputado Hildebrando Pascoal, que esquartejava suas vítimas com motosserra antes de matá-las (https://pt.wikipedia.org/wiki/Hildebrando_Pascoal).
- etc.
Por isso, embora eu não tenha problemas em conviver com crentes moderados que, bem intencionados mesmo que sem maior instrução, defendem o que chamam de "Doutrina da Soberana Graça de Deus" mas nunca usam os nomes de Calvino e Agostino, confesso que tenho muito trabalho em controlar meu medo e indignação ao ter que me dirigir e apertar a mão e sentar junto de quem leu todos os documentos irrefutáveis sobre os carácteres de Agostinho e Calvino (os quais inegavelmente foram crudelíssimos assassinos em série (!), monstruosos torturadores em série (!), malditos incentivadores das inquisições católica e protestante, se os dois pudessem teriam totalmente erradicado da face da terra todos os que cressem e pregassem muito contrário a eles), ...
mas não se envergonha deles, não os renuncia, não os pune com jamais usar seus nomes a não ser para censurá-los como torturadores e assassinos, antes os justifica com o maior entusiasmo, lhes dá toda razão, diz que discordantes têm que ser torturados e assassinados e, se possível, exterminados da terra, aos milhões.
- Uma senhora andou 100% desse caminho de decretar minha morte;
- Um pastor (11.04.2017) parou pouco antes disso, "somente" dando 100% de razão à torturas e mortes contra certos crimes, blasfêmias e heresias serem reinstaladas hoje, mas sem falar nomes de pessoas nem de denominações, e deixando tudo vago, a ser definido futuramente;
- Dezenas de calvinistas pararam no quilômetro em que, em êxtase, desculpam e exaltam Calvino e Agostinho como os mais santos cristãos que já viveram, mas refrearam suas línguas (não sei sobre seus corações) sobre se dever reestabelecer perseguições, torturas e assassinatos por certos "crimes contra a religião".

Mas, mesmo que você, nisto pecando, tenha fincado os pés para completamente ignorar/ dar fajutas desculpas/ entusiasticamente defender os nauseantes e revoltantes caracteres, vidas e desvios de Agostinho e de Calvino, prossigamos para analisar os frutos doutrinários dessas tão negras e sanguinárias almas ...]:



1.    O GRANDE PROBLEMA do calvinismo É: nenhum calvinista nunca, jamais, poderá ter absoluta e final certeza de que é um eleito [portanto, se vai para o céu e não para o inferno], até que chegue seu último segundo e ele possa pesar tudo e concluir que, neste instante final, estava suficientemente perseverando na fé e nas obras, estava com saldo positivo de obras de obediência contra os pecados de que teve tempo de se arrepender completamente.
Mas contraste com 1Co 3:13-15, particularmente v. 15.

   
1Co 3:13-15  13 De cada um a obra manifesta se tornará; porque o dia [a] declarará, porque dentro de fogo está- sendo revelada; e de cada homem a [sua] obra, de que tipo ela é, o fogo [a] testará. 14 Se de algum varão a obra (a qual ele sobre-edificou) permanece, galardão esse receberá. 15 Se de algum homem a obra será completamente- queimada, ele sofrerá perda; *ele mesmo*, porém, será salvo (todavia, de modo como que através d[o] fogo).

Há duas coisas que, nos 43 anos após minha salvação, têm me dado a maior surpresa e a maior tristeza no trato com muitos dos crentes (principalmente triplos e duplos doutores e pós-doutores, professores de seminários e pastores famosíssimos que querem agradar e liderar grandes organizações hierárquicas), isto é, muitos dos salvos pelo mesmo sangue do mesmo Salvador:
a) o ódio de ranger dentes e quase não se conterem de vontade de me estraçalhar, porque eu concordo com eles quando eles mesmos reconhecem que a bíblia deles tem muitos milhares de palavras adulteradas em relação aos manuscritos originais saídos das mãos dos escritores desde Moisés até João, mas discordo deles quando dizem que TODAS os manuscritos hoje sobreviventes em hebraico e grego, e TODAS as traduções da Bíblia, são imperfeitas, e que Deus não teve a capacidade de impedir muitos milhares de adulterações nos manuscritos, mas eu respondo que as minhas Bíblias ACF-2011, KJB-1611 e LTT são a absolutamente perfeita Palavra de Deus; e
b) o ódio de ranger dentes e quase não se conterem de vontade de me estraçalhar, porque eu digo que, uma vez que tenho certeza de que cri biblicamente em 20.07.1974, então eu tenho a mais absoluta certeza de que Deus me preservará salvo mesmo que eu caia no mais negro pecado (tal como assassinar e depois me suicidar para não ir para a prisão) e morra sem ter tempo de me arrepender e pedir-Lhe perdão. É neste ponto, que é ligado ao (mas um pouco diferente do) P (de Perseverança) dos calvinistas, justamente o ponto onde eu imaginava que a distância seria a menor entre nós dois, onde eu imaginava que eles até reconheceriam que minha posição bíblica traz mais glória a Deus que a deles (pois eu ensino que é de somente de Deus toda a glória por Ele nos preservar salvos depois que cremos, minha preservação está 100% nas mãos de Deus e 0% nas minhas e nas minhas obras). Ao invés de reconhecerem isso e até passarem para minha posição bíblica (que em nada afetaria suas letras T,U,L,I), eles ficaram furiosos com ela mais do que com todas as coisas, e dizem (nisso aproximando-se dos católicos e pentecostais arminianos) que não é somente Deus que tem que perseverar, mas, sim, são os salvos que têm que perseverar até o fim, senão isso seria prova de que nunca foram salvos, pois não foram eleitos desde antes da fundação do mundo. O argumento deles é meio traiçoeiro e escorregadio, mas, ao final, se perguntados diretamente, sem lhes deixarmos escorregar para fora, dizem que quem morrer em "certos pecados gravíssimos", sem arrependimento e confissão prévias, isto será sinal infalível de que ele nunca fez parte dos eleitos, portanto sempre esteve predestinado para o inferno.

   
O calvinista crê que, SE (e somente se) é que ele foi verdadeiramente eleito (mas só terá certeza disso se morrer perseverando! ...), então, e somente assim, estará eternamente salvo.



2.    Calvinismo é somente uma estrutura de crenças armadas e montadas com gênio intelectual muito impressionante, intimidando, deslumbrando, atraindo, fascinando, entorpecendo e parecendo ser o cúmulo da erudição, genialidade, santidade e espiritualidade, tais que eles expressam toda gratidão a Deus por serem calvinistas, e esta estrutura é adotada, varrendo-se para baixo do tapete as Escrituras contra ela, e se tenta mal representar (distorcer), reinterpretar e distorcer a Bíblia de maneira que ela passe a dizer o que o Calvinismo diz.
   
   
Calvinista diz: "Hélio, ó seu estúpido: calvinismo é muitissimamente complexo, profundo, místico, esotérico, misterioso, com mistérios incompreensíveis, só pode ser entendido por pouquíssimos salvos, depois de anos e anos de muito esforço e estudo! E com muita profundidade e espiritualidade, que você não tem, nem uma nem a outra coisa, seu crente inferior. O calvinismo exige que se apague e anule a mente, isto é muita humildade, como eu tenho. Oh, quanto me orgulho de minha humildade e espiritualidade!"
   
    Minha Bíblia ensina:
    2Tm 3:15
E que desde criancinha as sagradas EscrituraS tens considerado- e- conhecido, aquelas [que estiveram] podendo fazer-te sábio até à salvação através d[a] fé, aquela (fé) em Cristo Jesus.

Crianças têm entendido Jo 3:16, têm crido neste verso e têm sido salvas.
   
Porque de tal maneira amou Deus ao mundo que ao Seu Filho, o [Seu] unigênito , deu, a fim de que todo aquele (homem) [que está] crendo  para dentro dEle (o Filho) não se faça perecer, mas tenha [a] vida eterna.



3.    Calvinismo é uma doença que sempre foi contraída por CONTÁGIO através de outro calvinista.

Nenhum crente "comum", se apenas estudar a Bíblia 100 vezes em 50 anos, sem nem sombra de contato com (contágio por) calvinistas, jamais chegou nem chegará ao calvinismo.

(saltar esses detalhes, no vídeo):

    Na primeira metade de março.2017, eu, Hélio, enviei um pedido- convite- desafio a 3 grupos de debates de YahooGrupos (totalizando cerca de 5000 assinantes crentes, muitos deles pastores e professores de seminários). Na realidade, fui um pouco impreciso e tive que esclarecer meu pedido várias vezes, mas, somando tudo, a versão final que passei foi mais ou menos esta:


Reconheço que todo e qualquer ensino e crença, por mais estranho ou errado, já teve pelo menos uma (ou pouquíssimas) pessoa que o defendesse.
Também reconheço que, às vezes, no calor da pregação ou escrita, todos, uma única vez, podemos dizer alguma coisinha de algum modo de que, logo depois, pensando melhor, nos arrependemos, e nos corrigimos daí em diante.
Parto da verdade que todo ensino e entendimento que venha somente da Palavra de Deus e da iluminação do Espírito Santo, sem influência de homens, sempre chegou, chega e chegará à mente, coração e lábios de muitíssimos de seus servos fieis, em todos os séculos, espalhados sobre toda a terra.

0) Por isso, irmãos, por gentil e importante favor, poderiam me ajudar numa pesquisa histórica? O objetivo é saber se a teologia Agostiniana/ Calvinista (hoje chamada de TULIP), com todos os seus "vieses mais escondidos e duros", já era consistentemente [sem nenhum de seus inúmeros defensores contemporâneos nunca se arrepender e parar ou mudar] crida e ensinada por significativamente grande número de pregadores e grupos da mesma época deles, e isso ocorreu em todos os séculos, em variados países, por pastores que jamais tinham sido influenciados pelos ensinos de Agostinho e Calvino.

1) Por favor, vocês poderiam começar restringindo-se apenas aos verdadeiros crentes (de entre grupos tais como Waldenses desde o ano 150, Cátaros, Paulicianos, Albingenses, todos os grupos rebatizadores em geral, etc.), todos eles incessantemente combatendo todas as 41 heresias que começavam a nascer e que viriam a caracterizar o romanismo http://solascriptura-tt.org/Seitas/Romanismo/ListaHeresiasTradicoesAdotadasIgrejaCatolica1600Anos-LTesta.htm, e todos eles tendo vivido no período de
365 anos entre os anos 30 (crucificação de o Cristo) a 397 (Confissões, de Agostinho).

2) Já restringiram-se aos verdadeiros crentes entre 30 e 397 (portanto não influenciados pelo Agostinismo, que ainda não havia surgido), odiados e perseguidos pelo grupo maior e mais rico de igrejas (que viria a ser o catolicismo romano)?
Agora, por favor, irmãos, poderiam me enviar ou dar o link para palavras de alguns 10 ou 5 pastores/ escritores (em países e séculos muito diferentes) que, sem ninguém poder pôr dúvidas nisso, pregassem defendendo o equivalente a TODOS os 7 "vieses mais escondidos e duros" do TULIP do calvinismo que foi depois defendido por Calvino, Beza, Knox, Gill, etc. e, mais recentemente, A.W. Pink, Vincent Cheung, James White, John Piper, J.I Packer, R.C. Sproul Jr., Edwin Palmer, Paul Washer, etc.? Estes 7 "vieses mais escondidos e duros" do TULIP são:


2.1.      DEUS DETERMINA TODO O MAL. A soberania de Deus lhe força a determinar todos os detalhezinhos de todas das coisas boas e más, e Lhe impede de dar quaisquer graus de liberdades (por Ele definidas, delimitadas) a nenhum e a todos os homens;

2.2.      O HOMEM NÃO ELEITO SEMPRE SERÁ INCAPAZ de aceitar qualquer oferta do evangelho. Quando evangelizamos dois homens, e os dois ouvem com toda atenção, e um entende e crê, isto foi porque Deus determinou isso e o regenerou sem ele querer, o iluminou, capacitou e salvou, etc. O outro homem não entende nem crê, e isto foi porque Deus determinou isso, determinou que ele sempre fosse (ou continuasse sempre sendo) INCAPAZ de entender e crer.
Trocando em miúdos: mesmo sendo chamados a crer através da pregação do evangelho, Deus deixa um deles incapaz de entender e crer, e ao outro Deus muda o coração sem ele querer, o regenera e salva sem ele querer, só então, já mudado e salvo, ele poderá entender e crer;

2.3.      ELEIÇÃO NÃO POR ANTEVER NADA NO PERDIDO, MAS VEM ARBITRÁRIAMENTE {NOTA *} E CAPRICHOSAMENTE {NOTA **}, DE DEUS. Desde antes da fundação do mundo, Deus incondicional, arbitrária e caprichosamente ELEGEU e PREDESTINOU alguns poucos homens para serem regenerados-salvos, consequentemente crerem. Trocando em miúdos, o homem só entende e crê depois de ter sido salvo sem querer, e ele é salvo porque foi de antemão eleito de forma incondicional, arbitrária NOTA *} e caprichosa NOTA **}.

NOTA *: "arbitrariamente" significa, nos dicionários: "de um modo que só depende da escolha ou da vontade, a qual não necessariamente segue uma lógica/ motivos/ propósitos/ critérios/ modos que realmente existam ou que tenham sido anunciados e que se possam perceber e entender. Ou é uma vontade que somente segue um motivo/ propósito primordialmente para seu próprio bem, ou prazer, ou glória."

NOTA **: "caprichosamente" significa, nos dicionários: "de um modo que só depende da vontade súbita, impensada e infundada, (certamente sem ter nenhuma lógica/ motivo/ propósito/ critério/ modo anunciados e que se possam perceber e entender)."

2.4.      PREDESTINAÇÃO PARA A CONDENAÇÃO ETERNA, da grande maioria dos homens, determinada por nada que Deus tenha antevisto neles, mas tão somente pela arbitrariedade NOTA *} e capricho NOTA **} de Deus, desde antes da fundação do mundo.

2.5.      EXPIAÇÃO LIMITADA: o Cristo morreu por derramar todo Seu sangue na cruz em favor e em lugar de apenas uns poucos homens, os eleitos. Cristo não fez expiação, Seu sangue não foi derramado em benefício e em lugar de nenhum dos muitos outros homens. A expiação nunca foi disponível para os muitos, mas somente para os poucos eleitos;

2.6.      ELEIÇÃO (e chamado) IRRESISTÍVEIS. Ao chamar Seus eleitos, Deus os muda, gera de novo e salva, tudo sem eles quererem. Só depois, como novas criaturas e já feitos crer, então eles são feitos entender e são feitos crer.

2.7.      SANTOS PERSEVERAM. O eleito nunca morre em estado de tão longo e profundo e grave pecado (quão subjetivas essas palavras ...) de que não se arrependeu nem pediu perdão. Se morrer assim, é porque, desde a fundação do mundo, não foi um eleito.


    Três dias depois, ninguém havia respondido, eu enviei novo pedido, facilitando muito, pedindo por citações de 10 ou 5 pastores/ escritores pregadores (em países e e contextos muito diferentes), entre os anos 30 e 397, que pregassem defendendo o equivalente a
APENAS 2 (DOIS) dos "vieses mais escondidos e duros."

Pr. J., meu cortês amigo, apresentou cerca de 4 links para palavras de pastores/ escritores cristão anteriores a Agostinho. Com trabalho examinei os links e verifiquei que
a) realmente alguns daqueles antigos sermões usavam alguns versos hoje usados por calvinistas (como também por não calvinistas, eu prego todos os tais versos), mas tinham que ser recusados pois nenhum deles, nem de longe, clara e indisputadamente defendia nenhum dos 7 "vieses duros";
b) todos eles eram "pais da Igreja" (católica), tinham que ser recusados; e
c) todos eles introduziram/ defenderam várias das heresias que hoje caracterizam o catolicismo.
Por causa dessas 3 coisas, nem foi necessário checar se o "calvinismo" dos 4 links realmente existia no grau dos 7 vieses, e se foi consiste (inquestionável e nem nunca mudar).

FB enviou um html de um livro com muitas dezenas de citações de dezenas de "pais" (Barnabé, Clemente de Roma, Clemente de Alexandria, Inácio de Antioquia, etc.) de antes de Agostinho. Analisei e vi que nenhum defendia nenhum dos 7 "vieses duros". Em http://www.biblequery.org/Doctrine/Predestination/EarlyChristiansNotCalvinists.html vi que todos eles, na realidade, escreveram contra vários dos 7 vieses, portanto nenhum deles foi real e consistentemente calvinista. Ademais, cada um introduziu/ defendeu várias das heresias que hoje caracterizam o catolicismo.

Pr. NM enviou uma citação creditada a Ambrósio (bispo de Agostinho e a quem este tomou como modelo a ser imitado), e tal citação era aparentemente calvinista. Mas pesquisei e descobri que ela era apenas um resumo livre feito por Calvino, a partir de um resumo livre feito por Agostinho, a partir de ideias e palavras que ele reputava serem de Ambrósio. Até hoje, não descobri nem me informaram de nenhum local com as exatas palavras de Ambrósio. Talvez a citação foi: a) uma invenção/ exagero feita por Agostinho a respeito de Ambrósio, ou b) talvez a verdadeira fonte do calvinismo retrocedeu 1 pessoa e 1 década atrás, com o agravante que Ambrósio foi o pai/ propagador de 6 das piores heresias do catolicismo, quem confiaria num homem assim, quem o respeitaria e tomaria como autoridade e testemunha em qualquer assunto?

JS, aluno do amigo Pr. J, enviou uma lista muito simplificada de 57 livros de dezenas de "pais" pré-Agostinho, alegando que teriam ensinado TULIP. Mas eram apenas dados os nomes de autores e nomes de enormes livros ou capítulos, como eu poderia acessar cada um, traduzir e ler todo o enorme livro ou capítulo (em latim), para checar? Pedi que, por favor, JS me enviasse os textos exatos, as exatas citações palavra por palavra, mas adiantei que só me serviriam se o autor consistentemente (sem nunca mudar) defendesse pelo menos 5 ou 3 dos 7 "vieses duros". Achei 3 ou 4 das citações e mostrei que apenas usavam versos que hoje são usados por calvinistas (e também por nós, não calvinistas, eu as prego), mas de modo nenhum de maneira clara defendiam os 7 "vieses duros", e mostrei que, mesmo se o fizessem, eles não os defenderam consistentemente (sem nunca mudar, na vida deles), pois, dando-se somente um exemplo, o primeiro citado, Irineu de Lion, em http://www.newadvent.org/fathers/0103437.htm, ensinou o contrário do calvinismo, em muitos pontos, por exemplo, ensinou o livre arbítrio "
Da mesma maneira, assim, o Senhor, mostrando a sua própria bondade e indicando que o homem está [permanece] em sua própria LIVRE VONTADE e de seu PRÓPRIO PODER, disse a Jerusalém: "Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste! Eis que a vossa casa vai ficar-vos deserta.. Mt 23:37-38)"

JS enviou mais um e-mail, que achei que era confuso e repetia os mesmos erros, deixem-me dar somente um exemplo: para provar o "torcimento para um lado, viés muito duro" número 7 (O eleito nunca morre em estado de tão grave pecado ... de que não se arrependeu nem pediu perdão. Se morrer assim, é porque não foi um eleito), JS citou "11; Evitai as plantas venenosas que produzem frutos dignos de morte: se alguém provar tais frutos, irá ao encontro da morte: essas não são plantações do Pai. Se fossem, mostrariam os ramos da cruz e o fruto seria incorruptível" (Inácio, Epístola aos Tralenses, XI:1-2).
Ora, em primeiro lugar foi escondido o contexto anterior, que se refere a ATEUS "10. Se porém, como afirmam alguns que são ATEUS, isto é, sem fé, Ele só tivesse sofrido aparentemente – eles é que só existem aparentemente – eu por que estou preso, por que peço para combater com as feras? Morro pois em vão. Estaria então a mentir contra o Senhor."
A alegação de JS, usando apenas o v. 11, também passa longe de ser uma prova, pode estar se referindo a quem é hipócrita e fingiu salvação sem nunca ter crido, e também colide contra 1Co 5:5 (
Seja, este tal, entregue a Satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus.). Eu, quando estivesse pregando contra ateus e os falsos apóstolos da internet que extorquem dinheiro dos ingênuos, poderia dar o mesmo aviso de Inácio deu, sem eu nem Inácio termos o torcimento para um lado, viés muito duro calvinista número 7, eu e ele crendo que Quem garante e preserva nossa salvação é Deus, mesmo sendo nós fracos e se cairmos em pecado. O fato determinante de termos a salvação eterna, imperecível, é o de termos CRIDO em uma certa vez (e nunca se deixa de crer, mesmo que fraquejemos em obedecer como deveríamos, e mesmo que percamos gozo e galardões.)
Além de tudo, ah, por que darmos 1 segundo de atenção a quem defende salvação através de batismo e de obras? "
Que o teu batismo seja sempre o teu escudo, a tua fé [seja] um capacete, a tua caridade [seja] uma lança, a tua paciência [seja] uma panóplia. Deixa tuas obras serem depósitos, para que possas receber a soma que te é devida." (Ignatius, Letter to St. Polycarp, 6).
Tal como meu amigo Pr. J., afirmo que, sem exceção, todos os "pais da Igreja" foram hereges pelo menos em um mortalmente grave ponto, foram criadores e propagadores das horrendas heresias adotadas por Roma. Os homens que mantiveram doutrinas bíblicas sempre foram poucos, perseguidos, e Roma destruiu todos (ou quase todos) os rastos da existência deles e de suas palavras. Ou as adulterou, para incriminá-los.

   Depois, aos 5000 membros dos 3 grupos, fiz o mesmo pedido- convite- desafio acima, mas, agora, referindo-me a pastores/ escritores durante os
1139 anos entre 397 (Confissões, de Augustino) e 1536 (Institutas, de Calvino), que sempre estiveram de FORA do catolicismo romano e do catolicismo grego, sempre sendo por eles PERSEGUIDOS de morte por

- não se submeterem a tais hierarquias de pirâmide religiosas;
- por combaterem fortemente todas as 41 heresias do romanismo que levam todo padre ao inferno http://solascriptura-tt.org/Seitas/Romanismo/ListaHeresiasTradicoesAdotadasIgrejaCatolica1600Anos-LTesta.htm,
- por pregarem o verdadeiro evangelho da salvação somente pela graça, somente através da fé (sem obras);
- por somente aceitarem batismo de quem já havia crido (o que exclui criancinhas), e pregaram que batismo que não salva nem mantém, nem acrescenta graça;
- e por pedirem que os convertidos oriundos do catolicismo fossem rebatizados.
(os Waldenses desde ano 150 dC., Paterinos, Cátaros, Paulicianos, Arnaldistas, Albingenses, enfim, os melhores dentre os rebatizadores em geral)
que claramente (inquestionavelmente), consistentemente (sem nunca mudar) pregassem o equivalente a
TODOS os 7 "vieses duros" do calvinismo.

    Finalmente, três dias depois, ninguém havendo respondido, eu enviei novo pedido, facilitando muito, pedindo por citações de pregadores que pregassem defendendo o equivalente a
APENAS 3 ou 2 dos 7 "vieses mais escondidos e duros".
-- JS, aluno do amigo Pr. J, enviou uma lista de 23 livros de cerca de 8 autores de depois de Agostinho e de antes da Reforma e que teriam ensinado, cada um, pelo menos 1 dos 7 "vieses duros" do calvinismo, mas eu chamei a atenção dele para o fato que todos tinham estudado muitos anos em seminários católicos, levado vidas de padres ou frades/monges, portanto tinham sido muito influenciados pelo pensamento Agostiniano.

    Em 11.abril.2017, desisti de esperar, dei o assunto por encerrado. Seria um assunto interminável e exigiria muito trabalho e, ao fim, sei que não daria em nada considerado definido e definitivo por ambos os lados.


Por favor, não vamos nos alongar mais nesta inútil tentativa de se provar que todos os 7 "vieses duros" sempre foram a coisa mais visível nas pregações nas igrejas de antes de Agostinho, pois até os mais notáveis e honestos historiadores calvinistas reconhecem o contrário:

    Mesmo o notável estudioso calvinista e historiador, Loraine Boettner, admitiu:
"Esta verdade fundamental [calvinismo] do cristianismo [somente] foi vista claramente, pela PRIMEIRA VEZ, por Agostinho, o grande teólogo do Ocidente cheio do Espírito" http://graceonlinelibrary.org/church-history/calvinism-in-history-before-the-reformation-by-loraine-boettner/ .
 
    Pior que não haver um incessante e caudaloso Rio Amazonas desde o século 1, Tim Warner, em https://soteriology101.wordpress.com/2014/12/16/did-the-early-church-fathers-teach-calvinistic-doctrine/ escreve
   
"Antes dos escritos de Agostinho, A IGREJA SUSTENTAVA UNIVERSALMENTE QUE A HUMANIDADE TINHA UM LIVRE ARBÍTRIO.
    Cada homem era responsável diante de Deus para aceitar o Evangelho.
    Seu destino final, enquanto totalmente dependente da graça e do poder de Deus, também dependia de sua LIVRE ESCOLHA de
[um certo dia] SUBMETER-SE OU de REJEITAR a graça e o poder de Deus.
    Nos três séculos desde os Apóstolos até Agostinho, a Igreja primitiva não teve [defensor de] NENHUM DOS CINCO PONTOS do Calvinismo, nem mesmo um sequer.
    Os escritos da Igreja ortodoxa, durante OS PRIMEIROS TRÊS SÉCULOS, ESTÃO EM CONTRASTE COM AS IDEIAS DE AGOSTINHO E CALVINO.
    O HOMEM É PLENAMENTE RESPONSÁVEL POR SUA ESCOLHA para responder ao ou rejeitar o Evangelho:
     Esta foi considerada como a doutrina apostólica transmitida através dos presbíteros das igrejas locais que tinham sido ordenados pelos Apóstolos, e seus sucessores.
"

    e
CITA muitos dos primeiros "pais" [dos erros do Romanismo] escrevendo contrários ao que hoje se chama de TULIP! Confira no link acima.




EM RESUMO:

Calvinismo não flui da leitura da Bíblia, sempre é obtido por CONTÁGIO vindo de outro calvinista,
e é imposto forçando sua lógica aristotélica (pior ainda, partindo de premissas falsas) por cima do que a Bíblia diz, literalmente aceita nos seus "todos", "mundo", "todo aquele que quiser", "escolhei"
, "de antemão conheceu", etc.



Hélio de Menezes Silva, abr. 2017,

adaptando a partir de Dave Hunt

 



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SoteriologiaESantificacao/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)