As Decisões do Concílio de Nicéia não Foram Inteiramente Bíblicas Quanto à Trindade.

O Verbo foi GERADO (Teve Origem) Pelo Pai?
O Espírito Santo PROCEDE (Teve Origem) do Pai?





O Concílio de Nicéia foi convocado principalmente com o fim de rejeitar as heresias arianas (negação da divindade de Cristo, etc.), e muitos e muitos crentes de hoje consideram que as decisões de Nicéia foram inteiramente bíblicas.

A verdade é que as decisões de Nicéia não foram inteiramente bíblicas quanto à divindade de Cristo e quanto à Trindade. As palavras de Nicéia foram cuidadosa e matreiramente escolhidas para agradarem ambos os lados da questão: a metade não ariana dos cristãos se alegraria vendo naquelas palavras a afirmação da divindade de Cristo e do Espírito Santo, e a afirmação da doutrina da Trindade, um só e indivisível Deus quanto à Sua natureza e substância, mas com três pessoas nEla, eternas, divinas, não confundíveis uma com as outras. E a metade ariana dos cristão poderia ficar consolada com o fato que Nicéia afirmou que:


A) o Filho (como não se qualifica que foi somente Seu corpo, isto se aplica a Ele como um todo) foi GERADO pelo Pai (mesmo que isto foi na eternidade passada, significa que houve um ponto ainda mais longínquo nela, onde só havia o Pai, e este gerou a pessoa completa do Filho, portanto Este foi criado pelo Pai, o Filho não é realmente eterno tanto quanto o Pai, etc.); e

B) o Espírito Santo PROCEDE do Pai (mesmo que isto foi na eternidade passada, significa que houve um ponto ainda mais longínquo nela, onde o Pai existia mas não o Espírito Santo, e Aquele gerou Este, portanto o Espírito Santo foi criado pelo Pai, não é realmente eterno tanto quanto o Pai, nem mesmo tanto quanto o Filho, etc.)



A posição correta, a única que se harmoniza com toda a Bíblia e que vem sendo mantida ao longo dos séculos pelos crentes não influenciados por Roma, é interpretar os versos Sl 2:7; At 13:33; He 1:5;5:5 segundo o comentário que se segue:

Hebreus1:5 Porque, a qual dos anjos Ele (Deus) jamais disse: "Tu és o Meu filho; Eu, hoje, Te tenho gerado."? E, outra vez: "Eu Lhe serei por Pai, e Ele Me será por Filho."? (LTT)

Comentário: O Verbo eterno
(a Palavra eterna), a 2a. pessoa da Trindade, é Deus eterno (Jo 1:1), realmente eterno, sempre existente, sem princípios de dias, jamais criado nem gerado; mas recebeu CORPO humano perfeito somente ao ser este (o corpo) GERADO pelo Espírito Santo dentro de Maria num dia específico, quando a Palavra eterna passou a ser o FILHO UniGÊNITO de Deus. Sempre que a Bíblia fala da geração do Filho, refere-se somente à GERAÇÃO do seu CORPO.

e interpretar João 15:26 segundo o comentário que se segue:

João 15:26 Mas, quando vier o Consolador, a Quem Eu de ao lado do Pai vos enviarei, a saber, Aquele Espírito da verdade (Que vem de ao lado do Pai), Ele testificará a respeito de Mim (LTT).

Comentário: O fato de ser dito que o Espírito Santo vem de ao lado do Pai não significa, de modo nenhum, que foi CRIADO, GERADO pelo Pai, mas, somente, que por Ele foi ENVIADO. Comprove isto vendo todos os versículos que comprovam que o Espírito é eterno, portanto sem princípio de dias, Ele nunca foi criado nem gerado, sempre existiu, eternamente.





Hélio, 2008.



 


As ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB) e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ TeologiaPropriaTrindade/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )