Trata de teologia, Deus, sua existência, o Pai, sua natureza e atributos, a Trindade Jeová, todo amoroso, onipotência, onipresença, onisciência, eternidade, soberania trindade, decretos



2. TEOLOGIA

(A DOUTRINA DE DEUS)

- “Deus é o infinito e perfeito espírito no qual todas as coisas têm origem, preservação e finalidade.” “Deus é espírito, infinito-eterno-imutável em Seu: ser, sabedoria, poder, santidade, justiça, bondade, e verdade.”

-Teologia é a disciplina que estuda Deus e Suas obras. Note que ela se distingue da Ética (defina), mesmo da Ética Cristã; da Religião (exteriorização do meu relacionamento com Deus); e da Filosofia (tentativa de conhecer todas as coisas só pelo uso da observação e da razão, sem partir de Deus e Sua Palavra, e nunca podendo trazer ninguém a Cristo 1Co 1:21 (1Co 2:6-8).    [1]

- Teologia é incontornável: Mesmo quem se recusa a formular suas crenças teológicas tem doutrinas (= ensinos) consideravelmente definidas, ainda que grosseiríssimas. Isto é inevitável, devido ao instinto sistematizante do intelecto, que não se contenta com uma mera acumulação de fatos, mas busca organizá-los num sistema. Assim, é indispensável o estudo da Teologia com nosso mais alto esforço, para nos assegurarmos de que nossa Teologia é a certa, sã.

- Teologia é necessária para o crente: Por causa da penetrante descrença e heresias desta época 1Pe 3:15b (Lc 18:8; Ef 4:14); Porque Deus não quis nos dar as Escrituras em forma sistematizada (Mt 13:11-13), deixando a nós o estudá-las e sistematizá-las 2Tm 2:15; Para desenvolver em nós o caráter de Cristo (só crendo certo é que podemos viver certos) (Ef 4:13); Para podermos servir ao Senhor efetivamente (2Tm 4:2; Tt 1:9).

2.1. DEUS EXISTE

2.1.1. A EXISTÊNCIA DE DEUS É ESTABELECIDA PELA RAZÃO [2] [3]

a. Argumento da “Intuitividade” ou “Crença Universal Rm 2:15 [14-16]; 1:19-20 (Rm 1:19-23,28,32; Jó 32:8; At 17:28-29): 1) A Crença na existência de Deus é universal; é também necessária (no sentido de que é a “posição normal do pêndulo”: qualquer desvio dela é temporário e contra nossa natureza); portanto, esta crença é intuitiva, inata; não é mero resultado de tradições, educação, raciocínio acurado e educado (“Eu sempre soube que Ele existe, somente não sabia Seu nome!” Helen Keller); 2) Portanto, a crença na existência de Deus foi colocada no coração do homem; 3) Só Deus poderia fazê-lo; 4) Logo Deus existe.

b. Argumento da Causa-e-Efeito: Todo efeito tem uma causa apropriada (He 3:4). Portanto: 1) O poder, a inteligência, o propósito evidentes na natureza exigem e provam que Deus existe e que tem infinitos poder, inteligência e propósito; 2) O fato do homem ser uma pessoa e ser moral, exige e prova que Deus existe e que é a perfeição do saber, do sentir, do decidir, e do bem.

Poderíamos dividir o argumento da causa-e-efeito em 4:

- Argumento Cosmológico (da causa do universo), embutido em He 3:4: 1) A 2a. Lei da Termodinâmica diz que a entropia do universo sempre aumenta (o caos e desordem do universo aumentam, sua energia disponível diminui); Daí: Se o universo fosse eterno, sua energia utilizável, na eternidade passada, teria que ter sido infinita, o que é impossível; Logo o universo teve origem; 2) No universo, todo efeito tem que ter tido uma causa apropriada; 3)Logo o universo é o efeito de uma causa sem causa ,transcedente (fora do universo e  em tudo seu superior ): Deus.

-Argumento Teleológico (da causa da ordem e propósito no universo) Sl 19:1-3; Rm 1:20 (Sl 8:3-5; 94:9; Rm 1:18-23): 1) A ordem e propósito num sistema  implicam inteligência e propósito na sua causa; 2) Há assombrosa ordem e propósito no universo (o “ateu” Galeno criou “hino” de louvor a Deus, ao dissecar anatomia humana; Isaac Newton tapou a boca de “ateu” ao deslumbrá-lo com miniatura do sistema solar e dizer “não teve designer”;...); 3) Logo, o universo tem um designer transcedente, um originador e mantenedor das suas leis, inigualavelmente inteligente e com propósito: Deus.

- Argumento Ontológico (da causa da idéia de Deus): Todo homem, mesmo que sufocada e vagamente, tem a idéia de um Deus infinito e perfeito (At 17:21-23 [“ao Deus desconhecido”]; Rm 1:18-20); Esta idéia, por ser infinitamente superior ao homem e ao universo, neles não pode ter se originado; Logo ela só pode ter se originado em Deus, que existe e é infinito e perfeito.

- Argumento Antropológico ou da Causa da Moral Rm 2:14-15 (Gn 39:9 [José e a esposa de Potifar]; Sl 32:3-5; 38:1-4; Ec 12:14; Mq 6:8; Rm 1:19-32; 2:14-16): Uma voz insilenciável  fala incessantemente à consciência, exige-lhe obediência e assevera de um Juiz que punirá cada desobediência [“Não fora esta voz ... e eu seria ateu” cardeal Newman]; Esta voz sobre a consciência não é nem imposta pelo indivíduo nem pela sociedade (freqüentemente lhes é contrária!); Portanto, existe alguém que fala à nossa consciência, que é bom, justo juiz, senhor, autor e mantenedor de uma lei moral permanente, absoluta e mandatória: Deus.

c. Argumento da “Congruência” ou “Harmonia com os Fatos”: Se um postulado é o único que (ou, de longe, o que mais ) se harmoniza com (e explica) uma série de fatos, então ele é crido e tomado como verdadeiro (exemplo: a teoria subatômica). A existência de Deus é a única (ou, de longe, a melhor) explicação para a: crença universal na Sua existência, nossa natureza moral e mental, nossa natureza religiosa, os fatos e as leis do universo. (ateísmo, panteísmo, agnosticismo, etc. não provêm uma explicação adequada, nem satisfazem nosso coração). Portanto, Deus existe, é bom e santo, e todo-poderoso.

[4]

2.1.3. A EXISTÊNCIA DE DEUS É ASSUMIDA (!) PELA REVELAÇÃO: Gn 1:1 (Sl 14:1; 94:9-10; Is 40:12-31; He 11:6)

2.2. A NATUREZA DE DEUS (REVELADA POR SEUS ATRIBUTOS)

- Nossa razão, mesmo imperfeita, já nos ensinou muito sobre os atributos de Deus.

- a natureza, de um modo que deixa o homem sem desculpas Rm 1:20, prega que  Deus é : glorioso Sl 19:1; bom At 14:17; eterno e poderoso Rm 1:20;

- Aprendamos, agora, da Sua Palavra, perfeita:

2.2.1. OS ATRIBUTOS NATURAIS DE DEUS

a. Deus é [a] Vida: Jo 5:26 @ (Jr 10:10-15; At 14:15; 17:25; 2Cr 16:9; Sl 94:9-10). Deus é a fonte de toda a vida 1 Ts 1:9 (Jr 10:10-16; Ha 2:18-20).

b. Deus é Espírito, incorpóreo, invisível, sem substância material, sem paixões ou partes físicas, portanto livre de todas as limitações temporais. [5] Jo 4:24 @ . No V.T.: Dt 4:15-20,23 (Is 40:25; Ex 20:4). No N.T.: Lc 24:39 (1Tm 1:17; Cl 1:15; At 17:22-29; At 14:8-18).

c. Deus é Pessoa, existência dotada de autoconsciência e autodeterminação [plano para futuro]. De intelecto [poder de pensar], sensibilidade [poder de emoções e sentir], e volição [poder de decidir, vontade].

c.a. Tem Nomes de Pessoa: Ex 3:14 (Jo 8:58): “EU SOU” = “Eu sou o que sou” --> auto-suficiência + soberania absoluta + imutabilidade.

Os nomes de Deus dizem-nos que Ele é pessoa, e ensinam-nos muitos dos Seus atributos:

ADONAI

Senhor  (=dono-controlador-provedor » KURIOS)

Merece obediência Gn 24:3,7,12; Js 5:14 (Aplic.: Ml 1:6; Jo 13:13; dá-nos provisão Fp 4:19)

EL

O Poderoso e Majestoso

Gn 1:1; Sl 19:1

ELOHIM

Plural de “El”, aludindo à Trindade

Gn 1:1 (verbo singular!)

EL ELION

O Poderoso Altíssimo, Sumamente Poderoso

Cuida de tudo, cuida pelos filhos Gn 14:22

EL OLAM

O Poderoso Eterno

Nunca cansa de cuidar dos Seus Is 40:28-31

EL ROI

O Poderoso que Vê

Nunca esquece nem deixa de cuidar dos Seus  @ Gn 16:13

EL SHADAI

O Todo-Poderoso

Cuida dos Seus, como mãe a bebêzinho @ Sl 91:1; Gn 17:1

YAHWEH (JEOVÁ)

O Eterno e Auto-existente (“Eu Sou”)

Gn 2:4. O Deus do pacto @

JEOVÁ ELION

O Auto-existente Altíssimo

Deus dos deuses, exaltado, elevado, transcedente Sl 7:17;47:2

JEOVÁ JIRÉ

O Auto-existente Proverá

Gn 22:13-14. Cordeiro substituindo Isaac @

JEOVÁ MIKADISKIM

O Auto-existente vos Santifica

Ex 31:13. Dá remissão, preserva, santifica @

JEOVÁ NISSI

O Auto-existente Nossa Bandeira

Conduz, lidera, faz-nos mais que vencedores Ex 17:15 @ (Aplic.: Sl 20:7).

JEOVÁ RAA

O Auto-existente Meu Pastor

Sl 23:1 (Sl 95:7). Guarda, guia, nutre... @

JEOVÁ ROPECA = JEOVÁ RAFA

O Auto-existente Nos Sara

Ex 15:26. Recostura @

JEOVÁ SABAOTE

O Senhor dos Exércitos

1 Sm 1:3; Is 6:1-3. Poder e governo (homens, estrelas, anjos)

JEOVÁ SHALOM

O Auto-existente Nossa Paz

Jz 6:24. Paz com e de Deus... @

JEOVÁ SHAMÁ

O Senhor está Presente

Ez 48:35. Presença pessoal! @

JEOVÁ TSIDEKENU

O Auto-existente Nossa Justiça

Jr 23:6 Justiça imputada @ (Aplic.: 1Co 1:30)

c.b. Tem Pronomes de Pessoa (masculinos, não neutros): Sl 116:1-2; Jo 17:3.

c.c. Tem Características e Propriedades de Pessoa: Provê Sl 104:27-30. Cuida 1Pe 5:6-7. Conhece Jo 10:15. Entristece-se Gn 6:6; Ef 4:30. Ira-se 1Rs 11:9. Odeia Pv 6:16. Tem zelo (ciúme, cuidado) Dt 6:15 @. Ama Jo 3:16; Ap 3:19 @. Decide Jo 6:40. É amigo Jo 15:15; He 4:15-16.

c.d. Mantém Relações de Pessoa com o Universo e com os Homens: É o:

-Criador (poder eterno e infinito) de tudo: Gn 1:1 (Gn 1:26; Jo 1:1-3; Ap 4:11); [6]

-Preservador de tudo (em contínua relação pessoal) He 1:3 (Cl 1:15-17) (isto refuta o Deísmo);

-Benfeitor de todas as vidas Mt 10:29-30 (1Rs 19:5-7; Sl 104:27-30; Mt 6:26; At 17:28; Tg 1:17);

-Governante e Dominador das atividades humanas Rm 8:28 @ (Gn 39:21; 50:20; Sl 75:5-7; 76:10; Dn 1:9);

- Pai de Seus filhos Gl 3:26 (Jo 1:11-13; He 12:5-11).

d. Deus é Tri-Uno (3 pessoas em 1 só Deus) [7] Consoantes à Bíblia, cremos em (e adoramos) 1 só DEUS, que em substância e natureza é 1, único, indivisível e sem similar, mas que, ó infinito mistério, é também 3 pessoas (o Pai, o Filho, e o Espírito Santo) eternamente: co-iguais, inter-existentes; inter-constituídas; inter-relacionadas; não separáveis mas não confundíveis; em concorde união e comunhão; as mesmas em substância mas distintas em subsistência. O Filho foi “gerado eternamente” pelo Pai Jo 1:14, o Espírito “procede eternamente” do Pai e do Filho Jo 14:16,26; 15:26.

d.a. Deus é 1 Só: A razão diz que há 1 só Deus, pois Ele é Todo-Poderoso, Todo-Suficiente, Auto-Existente, é Toda a Perfeição. A Revelação diz o mesmo, que há 1 Só Deus: Dt 6:4 (Dt 4:35; Is 43:10; 44:6-8; 45:5-6; 46:9; Mc 10:18; 12:29; Ef  4:4-6; 1Tm 2:5; Tg 2:19).

d.b. Deus é 3 Pessoas (Pai, Filho, e Espírito Santo): [8]

-No V.T.: a Tri-Uni-Divindade é expressa diretamente Is 48:16; 61:1-2. É insinuada em Sl 2:6-9 (Sl 2:1-9; 45:6-8; 110:1-5; 63:9-10; Zc 2:10-11; At 13:33); O Espírito Santo é aludido na criação Gn 1:2; O Anjo do Senhor (Cristofania) é distinguido de Deus e identificado como Ele Gn 22:11-12 (Gn 21:17-18; 16:7-10,13). Deus tem nome plural “Elohim” (com verbo singular, em Gn 1:1, etc.!). O “UM” de Dt 6:4 é “achad”, que é uma unidade plural em Gn 2:24, nunca a Bíblia usando “yacheed” [o “UM” absoluto] para Deus! Ele tem pronomes pessoais plurais Gn 1:26 + Is 40:14 + Gn 1:27 (Gn 1:27; 3:22; 11:7; Ec 12:1; Is 6:8; 54:5).

-No N.T.: a Tri-Uni-Divindade é expressa mais explicitamente 1Jo 5:7 (Textos Recebidos!). É vista na comissão apostólica Mt 28:19-20; na bênção apostólica 2Co 13:13-14; no batismo de Jesus Mt 3:16-17; no Seu ensino Jo 14:16,26 (Jo 16:7-10); no ensino de Paulo 1Co 12:4-6 (At 20:28; Ef 4:4-6). Sumário do N.T.: O Pai é Deus Rm 1:7 (1Pe 1:2; Jo 6:27,44-46; Gl 1:1); O Filho é Deus He 1:8 (Is 9:6; Jo 1:1; Jo 10:28; At 20:28; 1Tm 3:16; Ti 2:13); O Espírito Santo é Deus At 5:3-4 (Hb 9:14).

e. Deus é AUTO-Existente (portanto transcedente), causador incausado, sem início. [9] Jo 5:26 (Ex 3:14 [“Eu Sou”]; At 17:24-28; Rm 11:36; 1Tm 6:15-16).

f. Deus é  Eterno, sem princípio nem fim, não limitado pelo tempo (mas autor e consciente dele e da sua seqüência) Gn 21:33 (Ex 3:14; Dt 33:27; Sl 90:2; 93:2; 102:11,12,24-27; Is 44:6; 57:15; Jo 8:56-58; He 1:1-12; 2Pe 3:8; Ap 1:8).

g. Deus é Imutável, porque o Perfeito não muda na Sua natureza, atributos e conselhos (decretos). Mas Ele sente e age, só que sempre em coerência com Sua natureza e caráter, imutáveis. Ml 3:6 (Nu 23:19 + He 6:17-18; 1Sm 15:29 e Sl 102:26-27; 2Tm 2:13; He 13:8; Tg 1:17). [10]

h. Deus é Onisciente, conhece perfeita e simultaneamente, e como em um eterno “agora”, todas as coisas que são Rm 11:33 (Dt 29:29; Sl 147:4-5; Is 40:28). [11] Deus conhece: nosso coração @ 1Jo 3:20; Tudo o que acontecerá At 15:18 (Is 46:9-10; At 2:23); tudo que aconteceria em todas as circunstâncias possíveis (1Sm 23:12; Mt 11:23); O plano total dos séculos Ef 1:9-12 (Pv 5:21; Rm 8:28-30; Ef 3:4-9; Cl 1:25-26); O bem e o mal Pv 15:3 (Ml 3:16); Os homens Pv 5:21 (Ex 3:19; 2 Rs 7:1-2; Sl 33:13-15; 41:9; Sl 69:5; Jr 1:5; Mt 10:30; 20:17-19; At 3:17-18; Gl 1:15-16; He 4:13; 1Pe 1:2; 1:20 + Mc 13:32); tudo na natureza, toda estrela, todo passarinho Jó 37:16; Sl 147:4; Is 42:9; Mt 10:29-30; Os feitos do homem Sl 139:2-3; Jr 16:17; As palavras do homem Sl 139:4; os pensamentos e imaginações do homem 1Rs 8:39; 1Cr 28:9; Sl 44:21; 139:2,4,11,13; Lc 16:15; Rm 8:27; 1Jo 3:20; as  necessidades e tristezas do homem Ex 3:7; Mt 6:32.

i. Deus é Onipotente, tem todo o poder, pode fazer acontecer tudo que deseje Mt 19:26 @ (Gn 17:1; 18:14; Ex 6:3; Jó 42:2; Sl 93:3-4; 115:3; Jr 32:17; Ap 19:6). [12] Aplic. Fp 4:13. Deus domina sobre: a natureza Gn 1:1-3 (Sl 33:6-9; 107:25-29; Na 1:3-6); a experiência humana Gn 39:2-3,21; Ex 7:1-5; Sl 75:6-7; Dn 1:9; 4:19-37 (Sl 76:10; Lc 12:13-21; Jo 17:2; At 17:28; Tg 4:12-15); os anjos Dn 4:35 (He 1:13-14); os demônios Jó 1:12 (Jó 2:6; Lc 22:31-32; Tg 4:7; Ap 20:2).

j. Deus é Imenso e Infinito: enche e ultrapassa todo o espaço (1Rs 8:27; Is 66:1; Jr 23:23-24).

k. Deus é Onipresente: imanente, simultaneamente presente em todos os locais Sl 139:7-10 @ (Jr 23:23-34; Mt 18:20; At 17:24-28). No presente tempo: a presença, o trono e a glória de Deus se manifestam de forma toda especial e plena no [3o.] Céu Jo 20:17 (1Rs 8:30; Mc 1:9-11; Jo 14:28; Ap 21:2-3,10,22-23; 22:1,3). Deus Filho manifestou-se na terra Jo 3:13 e agora está no Céu At 7:56; Ef 1:20. Deus Espírito Santo manifesta-se: na natureza Gn 1:2; Sl 104:30; em todos os crentes @ Jo 14:16-17,19-20,23; Rm 8:9; e junto aos descrentes Jo 16:7-11.:

l. Deus é Auto-Suficiente: não precisa de nada nem de ninguém Sl 50:10-12.

m. Deus é Sábio: 1Tm 1:17; Jd 1:25.

n. Deus é Soberano sobre tudo e todos: 1Sm 2:6-8; 1Cr 29:11-12; Ap 4:11.

o. Deus é Incompreensível: Jó 11:7-9; Rm 11:33.

p. Deus é Inescrutável: Rm 11:33.

2.2.2. OS ATRIBUTOS MORAIS DE DEUS

a. Deus é Santo, exaltado sobre tudo, inteiramente separado de todo o mal e tudo que conspurca Lv 11:44 @ (Ex 15:11; Lv 11:43-45; Dt 23:14; Jó 34:10), absolutamente perfeito, puro e íntegro em Sua natureza e caráter 1Jo 1:5; Sl 99:9 (Is 57:15; Ha 1:13; 1Pe 1:15-16). Aplic. He 12:28-29; 1Pe 1:15-16. A santidade de Deus é o Seu atributo mais exaltado e destacado, que governa todos os demais! Is 6:3; Ap 4:8. São santos: o Pai Jo 17:11, o Filho At 3:14 (Is 41:14) e o Espírito Santo Ef 4:30. Deus odeia o pecado Ha 1:13 (Gn 6:5-6; Dt 25:16; Pv 6:16-19; 15:9,26); deleita-se naquilo que é santo e reto Pv 15:9 @ (Lv 19:2; 20:26); não ouve, antes Se separa do pecador Is 59:1-2 @ (Ef 2:13; Jo 14:6); liberta o piedoso arrependido, fazendo-o frutificar 1Pe 2:24 (Rm 8:1-4; 6:22). A santidade de Deus: revela a negritude de nosso pecado Jó 42:5-6 (Is 6:5); exige arrependimento + expiação (por sangue!) antes do perdão He 9:22; 10:19; Ef 1:7 (Cl 1:14); exalta a graça e o amor remidor de Deus Rm 5:6-8; (Jo 3:16); causa-nos reverência e temor He 12:28-29 (Ex 3:4-6; Is 6:1-3).

a.a. Portanto, Deus é Reto e Justo: É reto no que é e faz (Sl 89:14), e ao impor lei e exigências retas Sl 145:17 (Ed 9:15; Sl 116:5; Jr 12:1; 17:25;); É justo por executar as penalidades impostas pelas Suas leis Sf 3:5 (Dt 32:4; Sl 119:137-138). a retidão e justiça de Deus manifestam-se nos Seus infalíveis: amor à retidão e indignação contra o pecado Sl 11:4-7; punição dos perversos e injustos Dn 9:12,14 (Gn 6:5,7; Ex 9:23-27; 34:6-7; Sl 5:4-6; 2Co 12:5-6; Ap 16:5-6); perdão ao arrependido-crente 1Jo 1:9 @; cumprimento de Sua Palavra e  Suas promessas aos que Lhe pertencem Ne 9:7-8; libertação e defesa de Seu povo Sl 103:6 (Sl 129:1-4); recompensa aos justos-em-Cristo He 6:10 @ (Jo 6:29; 1Co 3:11-15; 2Tm 4:8; 2Jo 8); propiciação para perdoar o pecado e justificar aquele que exercer fé no substituto Rm 3:24-26 @.

b. Deus é Amor: 1Jo 4:8 @ (Ef 3:19; 1Jo 4:16); dá-Se (Jo 3:16; Tg 1:15), desejando, buscando e deleitando-se no melhor interesse das Suas criaturas Rm 5:8 (Mt 5:44-45; 1Jo 3:16-17; 4:7,8,16).

- Deus ama: Seu Filho Mt 3:17 (Mt 17:5; Lc 20:13; Jo 17:24) (amor original e desde a eternidade); Aos unidos ao Seu Filho  Jo 16:27 @ (Jo 14:21,23); A cada ser humano Jo 3:16 @ (1Tm 2:3-4; 2Pe 3:9); aos “mortos no pecado” Rm 5:6-8; @ (Ez 33:11; Ef 2:4-5); A Israel Dt 7:7-8; Is 49:15; Jr 31:3; À Igreja Ef 5:25-32; A quem contribui com alegria 2 Co 9:7.

- O amor de Deus se manifesta em: O sacrifício do Seu Filho Jo 3:16 (1Jo 4:9-10); Levar-nos a arrepender Rm 2:4; Perdoar os arrependidos-crentes Is 55:7; Guiar e proteger os amados-obedientes Dt 32:9-12 @ (Dt 33:3,12; Is 48:14,20-21); Castigar-para-o-bem Seus filhos He 12:6-11 @; Afligir-Se por Seus filhos Is 63:9 (Is 49:15-16).

- Matizes do amor de Deus: infinitos: Deleitar-se-na-aprovação Sf 3:16 (Mt 17:5); Compadecer-se  da aflição Is 63:9; Íntima e profunda afeição Jo 17:23; @ Lc 6:35; Is 55:7 (Sl 32:10; 86:5).

b.a. Portanto, Deus é Misericórdia e Graça: É misericordioso ao cancelar as penalidades merecidas e aliviar os angustiados Sl 103:8 (Dt 4:31; Sl 62:12; 86:15; 103:8-17; 145:8-9; Jn 4:2); É gracioso ao por amor em ação e conceder bênçãos àqueles que só merecem o contrário, mas arrependeram-se e creram Ef 2:8-10 (Sl 111:4; 116:5; At 20:24,32; Rm 3:24; 5:20; 11:6; 2Co 9:14; Tt 2:11; He 4:16; 1Pe 2:3; 4:10; 5:10). Aplic. 1Jo 4:7-8.

-A lei e a graça contrastadas (C. I. Scofield):

A  Lei

a Graça

Deus proíbe e exige Ex 20:1-17

Deus roga e concede 2Co 5:18,21

Ministério de condenação Rm 3:19

Ministério de perdão Ef 1:7

Condena Gl 3:10

Redime da condenação Gl 3:13; Dt 21:22-23

Mata Rm 7:9,11

Dá vida, vivifica Jo 10:10

Fecha todas as bocas perante Deus Gl 3:19

Abre os lábios para louvá-lo Rm 10:9-10; Sl 107:2

Põe intransponível distância entre o pecador e Deus Ex 20:18-19

Trás o culpado aos braços de Deus Ef 2:13

Olho por olho, dente por dente” Ex 21:24

“... a qualquer que te ferir na face direita, volta-lhe também a outra” Mt 5:39

Faze, e viverás” Lc 10:28

Crê, e viverás” Jo 5:24

Condena totalmente o melhor dos homens Fp 3:4-9

Justifica gratuitamente o pior Lc 23:34; Rm 5:6; 1Tm 1:15; 1Co 6:9-11

É um sistema de provação Gl 3:23-25

É um sistema de favor Ef 2:4-5

Apedreja todos os adúlteros Dt 22:21

Nem eu tampouco te condeno...” Jo 8:1,11 (T. Recebidos!)

A ovelha morre pelo pastor 1Sm 7:9; Lv 4:32

O pastor morre pela ovelha Jo 10:11 @

- A misericórdia e a graça contrastadas:

a misericórdia

a graça

 

perdoa

justifica

1Tm 1:13; Rm 3:24 (Ex 34:7)

remove a culpa e a pena

imputa a justiça

Pv 28:13; Rm 4:5

salva da perdição, e do inferno

provê uma nova natureza, o o Céu

Sl 6:4; Ef 2:8-10

liberta

transforma

Lc 10:33,37; Tt 2:11-12 (Ef 4:22-23).

c. Deus é Verdadeiro e Fiel: Dt 7:9; Sl 36:5; 89:1-2; Lm 3:22-23; Jo 17:3; Tt 1:1-2; He 6:18 // Gn 8:22; Sl 119:90; Cl 1:17 // Js 23:14; 2Sm 7:12-13 // 2Co 10:13 // Sl 119:75; Hb 12:6 // 1Jo 1:9 // Sl 143:1 // 1Co 1:8-9; 1Ts 5:23-24; 2Ts 3:3 // 1Sm 12:22; 2Tm 2:13.

d. Deus é Luz: 1Jo 1:5,7; 2Co 4:6.

e. Deus é Bom, bondoso: Sl 23:6; 107:8; Rm 2:4.

2.3. AS OBRAS DE DEUS

2.3.1. NA CRIAÇÃO

a. Em Deus foram criadas todas as cousas, visíveis e invisíveis: Cl 1:16.

b. Deus criou os céus e a terra: Gn 1:1; [13]

c. De modo todo especial, Deus criou o homem, Adão, do pó da terra: Gn 2:7.

2.3.2. NA PRESERVAÇÃO (Deus preserva, mantém e sustém tudo que trouxe à existência)

a. NEle tudo subsiste: Cl 1:17.

b. Ele preserva todas as coisas: Os homens e animais Sl 36:6. O caminho dos Seus santos Pv 2:8. O céu e seus exércitos, a terra, mares, e tudo que neles há Ne 9:6.

2.3.3. NA SUA PROVIDÊNCIA (Deus antevê, guia, dirige e governa todos os eventos para os Seus santos propósitos): Tudo Sl 103:19. O universo Js 10:12-14 (parou o sol); Sl 147:16-18. Os animais e plantas Jn 1:17 (a baleia); Mt 6:30,33 (os lírios do campo). As nações Sl 66; Dn 2:21. O Homem [14] Ex 10:27 (Faraó); Sl 75:7. O crente Sl 4:8; 1Co 10:13 (o escape das provações).

2.4. O DECRETO (CONSELHO) DE DEUS

O decreto (conselho) de Deus é o eterno e infalível propósito ou plano pelo qual Ele tem declarado fixas todas as coisas.

O decreto de Deus abrange Sua vontade eficaz e Sua vontade permissiva. Dentro do Seu plano soberano, Deus deu ao homem a liberdade de escolher, este é responsável por suas decisões (Jz 21:25; At 2:23).

Seu decreto é eterno Sl 33:11. Sábio Sl 104:24. Livre (sem obrigação interna ou externa, mas em harmonia com Sua natureza) Is 40:13-14 (Sl 135:6). Eficaz (tudo que Deus decretou acontecerá): Is 14:24,27. Traz glória a Si mesmo Ap 4:11.

Aplic: Podemos descansar no Seu poder e promessas! Rm 8:28-32.

2.4.1. O PLANO DE DEUS EM RELAÇÃO AO UNIVERSO E AOS HOMENS: O Plano de Deus cobre tudo e todos: Sl 46:10; 119:89-91; Is 14:26-27; 46:10-11; Dn 4:35.

Cobre nossa salvação Ef 1:4,5,9,11; Os tempos e limites da habitação da raça humana At 17:26; A extensão da vida humana Jó 14:5,14; Sl 139:16; As boas obras do crente Ef 2:10; Fp 2:12-13; O mal que Deus torna em bem Gn 50:20; O Reino de Cristo Sl 2:6-8; Mt 25:34.

2.4.2. O PROPÓSITO DE DEUS EM RELAÇÃO À REDENÇÃO  Ver capítulo Soteriologia.

2.5. DEUS O PAI

a. Os relacionamentos como Pai. [Em ordem crescente,]  Deus o Pai é o:

-Pai da Criação: somos geração dEle At 17:29; Ml 2:10; tudo é dEle e para Ele existimos 1Co 8:6.

-Pai de Israel: Seu primogênito Ex 4:22; por Ele adquirido e estabelecido Dt 32:6.

-Pai dos Redimidos: Jo 1:12; Gl 3:26; 1Jo 3:1-2; abençoando-os com todo tipo de bênção espiritual Ef 1:3-6.

-Pai de Jesus Cristo, O tendo chamado Filho amado Mt 3:17, ressuscitado e assentando à Sua direita Ef 1:20.

b. As  obras do Pai . Ele é o: Autor do Decreto: Sl 2:7. Autor da Eleição: Ef 1:4. Enviador do Filho: Jo 8:18. Disciplinador dos Seus filhos: He 12:10


Igreja Batista Fundamentalista de Campina Grande

Instituto Bíblico

Trabalhos para casa, da disciplina Teologia (a Doutrina de Deus). Prazo = 31.08.97.

Prof: Hélio de M. Silva. Aluno (a): _____________________________________; Nota:____.

Seja nosso alvo (dos professores e seu) aprofundar o seu entendimento da Palavra de Deus, mudar sua vida, fazê-lo crescer, e habilitá-lo a melhor servir a Deus no ministério que Ele lhe confiar. Para melhor aproveitamento, basta que você assista a todas as aulas e dedique 1/2 horinha, todo dia, à leitura de todos os versículos, estudo das lições e realização das tarefas, sempre pedindo a iluminação do Espírito Santo.

1a. Tarefa: Escolha uma das letras (a, b, c) abaixo:

a) Escreva cartinha a conhecido que não crê em Deus, demonstrando-lhe Sua existência. Basta UM argumento, bem explicado.    OU

b) Escreva cartinha a alguém, mostrando-lhe que a crença “Deus é tudo e tudo é Deus” é erradíssima, e que Deus é pessoal.                    OU

c) Escreva cartinha a T. Jeová ou judeu, amorosa mas convincentemente explicando-lhe a Trindade.

2a. Tarefa:

a) Dê curta definição dos atributos de Deus que mais lhe impressionaram.

b) Qual o principal atributo de Deus, governando todos os Seus outros atributos? Por que? Explique e prove a Santidade de Deus.

3a. Tarefa:

a) Resuma os decretos de Deus. Ou refute os principais erros sobre a Trindade.

b) Resuma as obras do Pai. Ou refute a Teoria da Brecha.

c) Como lidar com “Rejeições intelectuais ao cristianismo”? Cite versículos, dê exemplos.

d) Você leu TODOS os versos deste estudo?

Quais foram os que coloquei em local errado?

Quais foram os que deviam ter sido sublinhados como mais forte no grupo, ao invés do que sublinhei?


Igreja Batista Regular do Cristo Redentor

Instituto Bíblico

Trabalhos para casa, da disciplina Teologia (a Doutrina de Deus).

Prof: Hélio de M. Silva (226-5219). Aluno (a): ____________________________________; Nota:____.

Seja nosso alvo (dos professores e seu) aprofundar o seu entendimento da Palavra de Deus, mudar sua vida, fazê-lo crescer, e habilitá-lo a melhor servir a Deus no ministério que Ele lhe confiar. Para melhor aproveitamento, basta que você assista a todas as aulas e dedique 1/2 horinha, todo dia, à leitura de todos os versículos, estudo das lições e realização das tarefas, sempre pedindo a iluminação do Espírito Santo.

1a. Tarefa (prazo = 09.10.97): Escolha uma das letras (a, b, c) abaixo:

a) Escreva cartinha a conhecido que não crê em Deus, demonstrando-lhe Sua existência. Basta UM argumento, bem explicado.    OU

b) Escreva cartinha a alguém, mostrando-lhe que a crença “Deus é tudo e tudo é Deus” é erradíssima, e que Deus é pessoal.                    OU

c) Escreva cartinha a T. Jeová ou judeu, amorosa mas convincentemente explicando-lhe a Trindade.

2a. Tarefa (prazo = 16.10.97):

a) Dê curta definição dos atributos de Deus que mais lhe impressionaram. E

b) Qual o principal atributo de Deus, governando todos os Seus outros atributos? Por que? Explique e prove a Santidade de Deus.

3a. Tarefa (prazo = 23.10.97):

a) Resuma os decretos de Deus. Ou refute os principais erros sobre a Trindade. E

b) Resuma as obras do Pai (ou refute a Teoria da Brecha). E

c) Como lidar com “Rejeições intelectuais ao cristianismo”? Cite versículos, dê exemplos.

Bônus: São optativos, tomam tempo, mas lhe firmarão mais e podem lhe dar mais 1 ponto para a sua nota:

a) Você leu TODOS os versos deste estudo?

b) Quais foram os que coloquei em local errado?

c) (na sua opinião, após muita ponderação) Quais foram os versos que deviam ter sido sublinhados como mais forte no grupo, ao invés do que sublinhei?



[1]- A possibilidade da Teologia decorre: Da revelação (geral e especial) de Deus (ver capítulo Bibliologia); e das qualidades mentais (i.é....) e espirituais (i.é....) que Deus doou ao homem.

- O vasto país da Teologia divide-se em 4 grandes regiões:

a. Teologia Exégetica: Estuda detida comparativa e profundamente cada sentença de cada verso da Bíblia. Inclui Hermenêutica, Linguagens Bíblicas, Arquelogia, etc.

b. Teologia Histórica: Estuda a origem, desenvolvimento, difusão e atual estado da religião verdadeira, e das falsas. Inclui História da Bíblia, História [de grupos] de Igrejas, H. das Missões, H. das Doutrinas, etc. Pode ajudar à Teologia Exegética.

c. Teologia Sistemática: A rainha das disciplinas. Sistematiza os resultados da sã Teologia Exegética. Inclui Apologética, Polêmica, Ética Bíblica, etc.

d. Teologia Prática: Aplica os resultados das outras 3 teologias à regeneração, santificação, edificação e o servir dos homens. Inclui Homilética, Organização e Administração de Igrejas, Evangelismo, Missões, Educação Cristã, etc.

[2] Estudemos esta seção objetivando conhecer o que a razão humana diria, se fosse convertida e sadia; e, também, o que diz, sendo falha. Estudemos tudo à luz de 1Co 1:21 (1Co 2:6-8).

[3] Deus é espírito, porisso não devemos esperar “provas científicas” de Sua existência e natureza. Assim, apresentaremos “apenas” evidências enormemente corroborativas, para que Ele seja aceito pela fé e pela mente espiritual. O peso destas evidências acumula-se sinergisticamente: uma delas, sozinha, pode ser insuficiente, mas o peso de todos elas, juntas, é esmagador.

[4]    2.1.2. Vãs filosofias e cultos: POSIÇÕES ANORMAIS E PECAMINOSAS SOBRE DEUS:

a. ATEÍSMO: Há 3 tipos de ateus: Ateu dogmático: “Deus não existe, não quero nem considerar o assunto”; Ateu na prática: “talvez Deus exista..., mas toda religião é fraude...., viverei ignorando o assunto”; Ateu virtual: “Sim, acredito em Deus, mas é impessoal, é a força da....”

- O ateu é: Tremendamente infeliz Is 57: 20 ou 21; Contrário à sua própria natureza (o ateu virtual testifica disso, ao adotar uma abstração tentando satisfazer sua natureza), portanto instável; Extremamente arrogante Sl 10:4. Dogmatizar que Deus não existe é clamar ter o conhecimento de todas as coisas, inteligências, espaços e tempos!

b. AGNOSTICISMO: “Não sei se Deus existe, ninguém pode estar certo de nada, especialmente de Deus, logo viverei ignorando o assunto”. O agnóstico também é tremendamente infeliz, instável e arrogante (a humildade de “somente reconheço humilde e mais lucidamente que todos, que ninguém pode saber se Deus existe” é falsa, é arrogante “não me dobrarei a reconhecer as conclusivas evidências de Deus”).

c. PANTEÍSMO (= Monismo): “Deus é tudo e tudo é Deus; todas as coisas são meros aspectos, modificações ou partes de Deus”. Os 5 principais tipos de panteísmo são:

-Materialismo Panteístico: “Deus é o universo; este é impessoal e só material, é eterno e vida gera-se espontaneamente.” Isto viola a 2a. lei da Termodinâmica, todos os fatos científicos.

-Hilozoísmo ou Panpsiquismo: “Cada partícula de matéria tem um princípio de vida, uma pequenina alma-mente [para muitos, a realidade final]. Deus é só um nome para a alma-mente do universo.”

-Neutralismo: “Só existe uma substância neutra, que é aparente ora como matéria, ora como mente. Deus é só um nome para a totalidade dessa substância.”

-Idealismo: “A realidade  final é: a) minha mente [então o universo só existe na minha mente, só eu existo!]; ou b) uma mente infinita, que pode ser impessoal ou pessoal.”

-Misticismo filosófico: “Após muito esforço místico-moral... (Oh o nirvana!), descubro que eu e Deus, o universo inteiro, somos um só. Desaparece a noção de ‘eu e os outros’, ‘interior e exterior’, etc. Todos e tudo somos um.”

Panteísmo é inaceitável porque:

-Viola os argumentos de causa-e-efeito, vistos acima;

-É determinístico, enquanto que nossa consciência grita que somos livres e responsáveis pelos nossos atos (porisso punimos criminosos...);

-Destroi as bases da moral, implicando que não existe pecado, errado, condenação, etc., violando nossa consciência (Rm 2:15). Crer que Deus [também] é mau foi que levou pagãos a honrarem o mal!

-Torna religião impossível: se eu sou Deus, como adorar e servir a mim mesmo?!...

-Deífica e envaidece o homem, tornando-o [parte de] Deus.

-Contraria a realidade concreta: o universo que não se auto-mantém tem que ter tido um início; ferro não demonstra nenhuma vida nem alma; não há pensamento sem pensador; etc.

d. POLITEÍSMO: violenta a razão: como poderiam existir 2 deuses todo-poderosos? Como poderiam cada um ser a origem, o mantenedor e o fim de todas as outras coisas?... A única explicação para o politeísmo é a de Rm 1:22-24 (1:18-32).

e. DUALISMO: “O mal só tem 2 explicações alternativas: o bem (Deus) e o mal são co-eternos e Deus não quer/pode eliminar o mal; ou Deus é/criou/cria o mal. Em ambos os casos, só podemos torcer para que Deus evolua e domine/elimine o mal.” Explicar o mal não é fácil, mas a solução não é o dualismo ...; que coração confiaria em (e se satisfaria com) tal deus? Como ter certeza de seu triunfo final? -- A solução é o que a Bíblia ensina!...

f. DEÍSMO: “Deus ‘deu a partida’ em tudo e retirou-se para não mais interferir.” Um deus desses não satisfaz o coração mais que nenhum deus existindo! Deísmo não pode explicar as profecias e fatos científicos na Bíblia, nem os milagres testemunhados, nem as respostas a orações.

NOTA SOBRE “REJEIÇÕES INTELECTUAIS DO CRISTIANISMO”: Elas não devem ser [sempre] encaradas como problemas intelectuais legítimos, pois [quase] sempre não passam de pretextos cujas bases são: a verdadeira mensagem da Bíblia é desconhecida/rejeitada (por causa de influências/doutrinações, quer sejam externas ou autoimpostas [em esperança de escape de Rm 1:18-20]); orgulho Sl 10:4; Jo 5:40-44; amargura e revolta; impureza moral.

-Um bom caminho: “Se eu provar (de modo que você não possa replicar) que a Bíblia é verdadeira, você aceitará Cristo?... Não?... Então fica patente que o problema está no seu coração, não na Bíblia, não nela não poder satisfazer sua cabeça!”

-Fujamos de 2 extremos: extremo anti-intelectualismo 1Pe 3:15; extremo pró-intelectualismo 1Co 1:21 (1Co 1:17-19). Partamos sempre e só da FÉ; mas  usemos a razão e o verdadeiro saber (só para explicar a fé e defendê-la do falso saber).

[5] -“O homem foi criado à imagem de Deus” (Gn 1:26) --> ambos são seres pessoais; semelhança triúna; semelhança intelectual e moral (1Ts 5:23; Cl 3:10; Ef 4:24).

- “Mãos, pés, olhos, etc. de Deus” (Sl 102:25; Na 1:6; 1Rs 8:24; Jó 34:21; 1Pe 3:12) --> antropomorfismos (termos da linguagem necessariamente finita e imperfeita do homem, usados para tentarmos compreender o Infinito).

Definição de Antropomorfismo da parte de Deus: "Uma vez que Deus formou Adão do pó da terra e soprou o sopro da vida para dentro de suas narinas, fazendo-o na Sua própria imagem e semelhança, Deus faz-Se conhecer às suas criaturas na semelhança delas {*}, como se Ele vestisse as formas e qualidades deles, quando, de fato, eles vestem a semelhança dEle {**}." A.B. Caneday, em Beyond the Bounds - Open Theism And The Undermining of Biblical Christinity, page 161.
{* Embora, às vezes, na Bíblia, Deus atribua a Si mesmo termos próprios do homem finito e imperfeito (por exemplo: lembrar, descansar, arrepender-Se, mudar, mãos, olhos, ouvidos, braço, etc.), devemos entender que Ele faz isso somente para melhor O compreendermos, mas, na realidade, Ele sempre foi, é, e será o Deus infinito e perfeito}
{** Por causa da nossa queda em Adão, essa semelhança é ainda mais parcial e imperfeita que originalmente era possível entre o Criador e Suas criaturas}

- “Homens viram a Deus (Gn 32:30; Ex 24:10; 33:18-19,21-23; Jz 13:22; Is 6:7) e nenhum homem nunca viu nem pode ver a Deus (Ex 33:20; Jo 1:18; Cl 1:15)”--> Os 1os. versos falam da manifestações  de Deus, os 2os. da Sua essência, que é espírito, invisível. O espiritual pode se manifestar visivelmente Jo 1:32 (Jz 6:34; At 2:1-4) em teofanias  (manifestações temporárias de Deus). O  Anjo do Senhor (diferente de “um anjo do Senhor”) aparece em Gn 16:7-10 (v. 13 identifica-O como o SENHOR!) (Gn 21:17-18); e em Gn 22:11-12; e em Gn 18:17-23 (19:27; Jo 8:56); e em Jz 2:1-2. “O Anjo do Senhor” era o Verbo antes da Sua encarnação definitiva Jz 13:18 + Is 9:6 (Ml 3:1; Jo 8:56), não aparecendo depois dela Mt 1:20 (28:2; Lc 2:9; At 8:26; 12:7,23).

[6]  Vide nota sobre Criacionismo x Teoria da Brecha, na seção sobre as obras de Deus, abaixo.

[7]  Refute: o Sabelianismo (= trindade modal = 3 meros modos de manifestação de 1 só pessoa); o Swedenborgianismo (= 1 deus com 3 frações, nenhuma delas deus completo); o Triteísmo (= 3 deuses, politeismo).

[8]  Não há boa ilustração para a Trindade: o espírito, alma e corpo do homem; as 3 dimensões do espaço; as 3 dimensões LMT da Física; etc.

[9] Refute os teólogos que escreveram: “Deus é Sua própria causa, Sua origem, e Seu criador.”

[10] -“Deus se arrependeu” Jn 3:10 = termos da linguagem necessariamente finita e imperfeita do homem, usados para tentarmos compreender o Infinito. A nós, parece que Deus mudou, mas foi Nínive que mudou, Deus apenas, coerente com Seus atributos imutáveis, não castigou os arrependidos.

-“Se arrependeu o Senhor” Gn 6:6 = explicação similar à acima.

[11] Não confundamos “conhece” com “sempre predestinou e sempre faz acontecer”. Não confundamos “vontade efetiva” com “vontade permissiva” ( nem esta com “vontade melhor”).

[12] Deus não pode fazer o que é incoerente com Sua natureza (Ele não pode: mentir, pecar, etc.), nem com a natureza das coisas dentro do Seu plano (Ele não pode fazer: uma pedra maior que Ele; que o que aconteceu não tenha acontecido; etc.).

[13] A Teoria da Brecha ensina que Gn 1:1 relata a criação original da terra, habitada pelos anjos durante muitos milhões de anos, quando se formaram as camadas geológicas, e que, depois da queda de Lúcifer e seus anjos, Deus tornou a terra “sem forma e vazia”, v.2., daí em diante Gn 1 relatando a REcriação da terra.

A Teoria da Brecha deve ser veementemente rejeitada: 1) Historicamente, ela só surgiu após o aparecimento e as pressões das teoria da evolução e das camadas geológicas, para tímidamente achar-lhes uma acomodação teológica. Mas o entendimento normal e natural de Gn 1 sempre foi que, à altura da criação ainda no seu 1o. dia, a terra ainda era sem forma e vazia. A prova de que este é o único entendimento normal e natural é que foi o único, o unanimamente mantido por  todos os judeus e cristãos, sempre, até o recente aparecimento daquelas miseráveis teorias e da podridão do modernismo teológico, etc. 2) Cientificamente, quando restringimo-nos a fatos (de experiências e observações diretas, não teorias e suposições!), há muitos fatos que se alinham com a criação como históricamente entendida do relatado de Gn, nem um sequer que prove o contrário!... 3) Teologicamente, ao 6o. dia ainda não havia pecado na criação Gn 1:31, demolindo completamente a T. Brecha! 4) Conclusão: Há cerca de 6000 a 10000 anos atrás, Deus criou, do nada, tudo que existe Ex 20:11, em 6 dias literais, ficando a terra e o universo físico plenamente maduros, aparentando ter bilhões de anos para certas teorias. Os anjos foram criados no 1o. dia, antes de tudo o físico Jó 38:4-7. Lúcifer e seus anjos caíram (Is 14:12-15; Ez 28:11-19), depois do 7o. dia [alguns dias? meses? anos?].

Correção aos brechistas: a)  “Sem forma e vazia”, de Gn 1:2, não tem que significar julgamento, mais naturalmente refere-se a espaço sem vida, vazio Jó 26:7; Dt 32:10; b) “Trevas”, de Gn 1:2, pode ser algo bom (Sl 104:20, 24), aqui é simplesmente a ausência de luz física; c) hayetha, de Gn 1:2,  é traduzido “era” em 258 das 264 ocorrências no Pentateuco! ver também Jn 3:3;  d) “Criou” (bara) de Gn 1:1 e “fez” (asah) de 1:7 são usadas como sinônimos: 1:21 (bara) +15 (asah); 1:26 (asah) + 27 (bara);  e) “Enchei” (male), de 1:28, mais naturalmente significa encher, não reencher Ex 40:34; 1Rs 18:33; Sl 107:9.

 

[14] Quanto ao pecado do homem, Deus não tenta ninguém a pecar Tg 1:13; mas pode: impedir o pecado Gn 20:6 (Abimeleque e Sara); limitá-lo 2Ts 2:6-7 (o mistério da iniquidade); direcioná-lo Gn 50:20 (José); permití-lo At 14:16.



(retorne à PÁGINA ÍNDICE de SolaScripturaTT / TeologiaPropriaTrindade)