Vantagens da Adversidade.

Esboço retirado de mensagem pelo Rev. Paul D. Friederichsen


(Escrito para conforto de outros, quando, como missionário ABWE nas Filipinas, ele e sua família ficaram num campo de concentração japonês desde o eclodir da II Guerra Mundial, e os prisioneiros quase morreram [ou morreram] de inanição ...)


 

2Cor 1:3-4 “3 ¶ Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e o Deus de toda a consolação; 4 Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.





 


Três fatos sobre adversidade: (1) é inevitável ; (2) é inavaliável; e (3) não é invencível.




 

1) ADVERSIDADE É INEVITÁVEL

Deus dirige uma "Escola de Adversidade", na qual muitas das lições são soletradas em lágrimas, suor, e sangue.
Deus tem decretado aflições para Seus filhos [para o bem deles].
O deserto ainda é o caminho para Canaã.
Getsemani precedeu a glória.

Lc 24:26 “Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na Sua glória?”

1Tm 1:16 “Mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, que sou o principal, Jesus Cristo mostrasse toda a sua longanimidade, para exemplo dos que haviam de crer nEle para a vida eterna.”

At 9:16 “E Eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo Meu nome.”

2Co 11:23-28 (Nossas dificuldades são somente um pelinho de espinho, em comparação):

“23 São ministros de Cristo? (falo como fora de mim) eu ainda mais:
em trabalhos, muito mais;
em açoites, mais do que eles;
em prisões, muito mais;
em perigo de morte, muitas vezes.
24 Recebi dos judeus cinco quarentenas de açoites menos um. 25
Três vezes fui açoitado com varas,
uma vez fui apedrejado,
três vezes sofri naufrágio,
uma noite e um dia passei no abismo;
26 Em viagens muitas vezes,
em perigos de rios,
em perigos de salteadores,
em perigos dos da minha nação, em perigos dos gentios,
em perigos na cidade, em perigos no deserto, em perigos no mar,
em perigos entre os falsos irmãos; 27
Em trabalhos e fadiga,
em vigílias muitas vezes,
em fome e sede, em jejum muitas vezes,
em frio e nudez.
28 Além das coisas exteriores, me oprime cada dia o cuidado de todas as igrejas.”

Todo trabalho para Deus tem oposição. Todo território de Satanás que invadimos é ferozmente defendido por ele.

At 14:21-22 “21 E, tendo anunciado o evangelho naquela cidade e feito muitos discípulos, voltaram para Listra, e Icônio e Antioquia, 22 Confirmando os ânimos dos discípulos, exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa entrar no reino de Deus.”


Ficar previamente advertido é ficar previamente armado:

1Ts 3:3-4 “3 Para que ninguém se comova por estas tribulações; porque vós mesmos sabeis que para isto fomos ordenados, 4 Pois, estando ainda convosco, vos predizíamos que havíamos de ser afligidos, como sucedeu, e vós o sabeis.”

Fp 1:29 “Porque a vós vos foi concedido, em relação a Cristo, não somente crer nele, como também padecer por Ele,”

1Pe 2:21 “Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.”
 


Ser filho e sofrer [para o bem] vêm juntos:

“Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho.” (Hb 12:6)

Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR o livra de todas.” (Sl 34:19)

“Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.” (Mt 10:16)

“Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.” (Jo 15:20)

“E disse aos discípulos: É impossível que não venham escândalos, mas ai daquele por quem vierem!” (Lc 17:1)

“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (Jo 16:33)
 

Embora as Escrituras plenamente nos informem que adversidades são inevitáveis, não precisamos deixar isto nos desencorajar, porque ... .




 

2) ADVERSIDADE É INAVALIÁVEL, DE VALOR INCALCULÁVEL

As melhores coisas da vida brotam do sofrimento:
Antes que as flores possam adornar nossos jardins, o solo tem que ser ferido (cavado) e as ervas daninhas arrancadas;
Antes que a bela estátua seja erigida, o mármore tem que ser cortado da montanha, serrado e esculpido a golpes de martelo no cisel.
Antes que a orquestra possa irradiar sua linda harmonia, os instrumentos têm que passar por cansativo processo de afinação. Antes que possa gozar de cura, o amargo remédio tem que ser aplicado.
Antes do dia da formatura, anos de estudo têm que ser passados.


Adversidade é de incalculável valor para nosso CARÁTER:

Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.” (Sl 119:71)
 

A adversidade nos leva ao coração da Palavra, e leva a Palavra para dentro do nosso coração. Adversidade não apenas nos faz aprender a Palavra de Deus, mas também nos faz guardá-la para sempre, no nosso coração.

Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.” (Sl 119:71)
Antes de ser afligido andava errado; mas agora tenho guardado a tua palavra.” (Sl 119:67)


É uma coisa conhecer a Bíblia, e outra coisa guardá-la e obedecê-la. Sofrimento é a escola da obediência.

“Ainda que era Filho, aprendeu a obediência, por aquilo que padeceu.” (Hb 5:8)
 

Nem filiação, nem quantidade nenhuma de santidade, nem de amor, nem de oração podem nos dispensar da escola da adversidade. Todavia, sofrimento não abala nossa filiação; ao contrário, ela é o maior de todos os mestres. Porque ela toca nosso íntimo, e varre para fora tudo que é vergonhoso, assim modelando nosso caráter e o aprofundando em santidade e retidão.

“10 Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade. 11 E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas depois produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.” (Hb 12:10-11)
 

Freqüentemente o Senhor tem que permitir que entremos em aflições, visando nos trazer de volta a Ele mesmo:

Andando eu no meio da angústia, tu me reviverás; estenderás a tua mão contra a ira dos meus inimigos, e a tua destra me salvará.” (Sl 138:7)
 

É no centro do desastre que Ele nos reaviva, não é lá que Ele nos falha. Temos nós um coração quebrantado e contrito, o qual Deus não irá desprezar?

Pedro nos mostra alguns dos mais notáveis resultados do sofrimento:

“E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus vos chamou à sua eterna glória, depois de haverdes padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá.” (1Pe 5:10)
 

Sofrimento nos faz ser aperfeiçoados, amadurecidos, plenamente equipados como um soldado para serviço útil. Sofrimento nos estabelece e fortalece para sermos firmes e poderosos para resistirmos ataques. Sofrimento nos firma, dando-nos, como a uma árvore, firme enraizamento em solo firme, de modo que não seremos movidos.

Uma árvore transplantada a cada semana não floresceria. Semelhantemente, adversidade é o processo usado para nos ajudar a nos tornarmos fixados em novos e permanentes e piedosos hábitos de vida. Este aperfeiçoamento em caráter também é referido em:

“3 Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. 4 Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.” (Tg 1:3-4)
 

Paciência é uma pérola somente encontrada no profundo mar das aflições.

Sofrimento edifica, constrói caráter:

Romanos 5:3, 4. “3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, 4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.”
 


Aqueles que O conhecem na comunhão dos Seus sofrimentos, são aqueles que são conformadas para a Sua semelhança:

“12 ¶ Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; 13 Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.” (1Pe 4:12-13)

“Porém ele sabe o meu caminho; provando-me ele, sairei como o ouro.” ( 23:10)

Sofrimento é a preparação para o servirmos [ao próximo] com simpatia [simpatia é sentir exatamente como se estivesse na pele do nosso próximo]

Adversidade não apenas nos prepara para o servirmos com simpatia, mas também nos faz frutíferos no serviço de salvação de pecadores:

“12 ¶ E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho; 13 De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares; 14 E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor.” (Fp 1:12-14)
 

A faca da adversidade é freqüentemente usada para cortar folhas e galhinhos supérfluos, que impedem a seiva doadora de vida de produzir o precioso fruto
 

“Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto.” (Jo 15:2)
 

Adversidade é não apenas de valor incalculável para nós nesta vida, para nosso caráter e conduta, mas também na nossa vida ainda porvir, para nossa capacidade para glória:

“Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso ETERNO de glória mui excelente;” (2Co 4:17)
 

Se nós apenas compreendêssemos a obra que nossas tribulações diárias realizam para nós, entesourando no céu um peso muito mais excedente de glória eterna, para nosso futuro deleite, nós não nos retrairíamos nem procuraríamos fugir a qualquer custo, nem desprezaríamos tais tribulações, ao contrário receberíamos bem tudo que Deus permite vir sobre nós

“17 ¶ E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. 18 Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” (Rm 8:17-18)

“Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;” (1Pe 1:7)

Quão freqüentemente, no entanto, mostramos um pervertido senso de valores, porque agimos como selvagens dando ouro em troca de bugigangas. Nosso Senhor nos aconselha comprarmos dEle ouro testado no fogo, para que possamos ser ricos.

Os crentes hebreus afligidos foram elogiados pela maneira pela qual eles sofreram a perda das coisas materiais dessa vida porque eles davam mais valor às coisas da vida por vir [eterna].

“Porque também vos compadecestes das minhas prisões, e com alegria permitistes o roubo dos vossos bens, sabendo que em vós mesmos tendes nos céus uma possessão melhor e permanente.” (Hb 10:34)




 

3) ADVERSIDADE **NÃO** É INVENCÍVEL

“35 Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? 36 Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. 37 Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.” (Rm 8:35-37)
 

Que grande arma secreta é regozijar!:

“Disse-lhes mais: Ide, comei as gorduras, e bebei as doçuras, e enviai porções aos que não têm nada preparado para si; porque este dia é consagrado ao nosso Senhor; portanto não vos entristeçais; porque a alegria do SENHOR é a vossa força.” (Ne 8:10)
 

Mas note que esta alegria não é mera exuberância bombeada [artificialmente] e que o mundo chama de alegria. É a alegria DO SENHOR; uma alegria proveniente do Senhor! Uma alegria por causa do Senhor, e no Senhor!

“Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.” (1Pe 4:13)

“Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações;” (Tg 1:2)

“Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo.” (Jo 16:33)
 


Porque:

“E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito.” (Rm 8:28)

Então nós somos mais que vencedores, porque temos plena garantia e segurança, certeza de vitória [final], através de toda a batalha.

“Retiraram-se, pois, da presença do conselho, regozijando-se de terem sido julgados dignos de padecer afronta pelo nome de Jesus.” (At 5:41)
 

Podemos regozijar no sofrimento por amor a Cristo, porque ele vem por determinação de Cristo e com o apoio de Cristo [a nós]

“... e com ALEGRIA permitistes o roubo dos vossos bens, ..." (ver Heb 10:32-35, particularmente verso 34).

“11 Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. 12 Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.” (Mt 5:11-12)

“E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,” (Rm 5:3)

“9 E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. 10 Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.” (2Co 12:9-10)

 

Note a ênfase em regozijar pelo profeta do Velho Testamento, estando sendo provado

“17 Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; 18 Todavia eu me ALEGRAREI no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação.” (Hc 3:17-18)
 

Paulo foi avisado dos sofrimentos que estavam à sua frente, mas note sua ênfase em regozijar:

“22 E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, 23 Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. 24 Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.” (At 20:22-24)
 

·         Foi do aprisionamento de José que veio a preservação de uma nação.

·         Foi do aprisionamento João que emergiu o livro de Apocalipse.

·         Foi do aprisionamento de Paulo que fluiu a mais alta revelação das Escrituras: as epístolas escritas na prisão.

·         Foi do aprisionamento de Bunyan que veio o segundo livro mais lido e amado pelos crentes "O Progresso do Peregrino".

Verdadeiramente, eles foram mais que vencedores, embora estivessem em cativeiro. Assim, semelhantemente, se nós meramente possuirmos [usá-las sem amá-las, nada mais que isto] nossas possessões, encontraremos que, embora adversidade seja inevitável, ela também nos é de valor incalculável, e que ela não é invencível, porque nós somos, literalmente ... “... mais do que vencedores, por Aquele que nos amou.” (Rm 8:37)



 




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)


(retorne a http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ ComDeus/

(retorne a http://solascriptura-tt.org/ VidaDosCrentes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )