ANA: UMA MÃE DEDICADA A DEUS

1 Samuel 1





E para esta manhã, veremos..

Bem, como vocês sabem, na semana passada nós terminamos 1 Timóteo e minha esposa disse-me: "Você não está começando 2 Timóteo, neste próximo domingo, está? Você necessita, realmente, falar sobre as mães, no Dia das Mães." Ela sempre procura conseguir isto no Dia das Mães. E eu respondi: "Bem, eu não tenho feito isto por alguns anos." Ela me disse: "Sim, há sete anos atrás você falou sobre Ana e eu acho que você deveria fazer isto, outra vez, neste Dia das Mães." E então eu concordei: "Sim, querida, eu farei isto." E é isto o que eu estou indo fazer esta manhã, e eu faço-o não sem... não com nenhuma relutância, mas alegremente e feliz. Sete anos atrás eu dei uma olhada no perfil de uma mãe dedicada a Deus, perfil que encontramos na vida de Ana. Isto foi há muito tempo atrás e eu necessitei refrescar minha memória para relembrar a história inteira, na verdade, para recordá-la, e eu, outra vez, fiquei entusiasmado e emocionado sobre os possibilidades do que nós podemos aprender deste assunto maravilhoso

Abram suas Bíblias em 1Samuel capítulo 1...1Samuel capítulo 1. Jay disse que, em 1914, o Congresso Americano identificou o Dia das Mães como uma espécie de feriado para nosso país, mesmo que já caia no domingo [para não se perder um dia de trabalho], não realmente um feriado oficial, mas, uma vez que tem o selo de aprovação do governo através de um ato formal do Presidente do país, sua observância deveria ser mantida. Cerca de seis anos antes disto, em 1908, a senhorita Anna Jarvis, do Estado da Filadélfia, celebrou o primeiro Dia das Mães por iniciativa própria, querendo comemorar a memória de sua mãe. E, acreditando que outras pessoas gostariam de compartilhar de seus sentimentos, começou uma campanha através da nação, realmente uma campanha de amplitude nacional, para conseguir do país inteiro estar alerta à necessidade de instituirmos o Dia das Mães. E finalmente, seis anos mais tarde, o Congresso confirmou isto pela assinatura do presidente, e agora o Dia das Mães é de âmbito nacional e é uma tradição, uma herança. Este fato alcançou, além de nossa nação, também outras nações do mundo

 
Se você voltar em nossa história para a parte inicial deste particular século XX, você pode ler alguns tributos muito interessantes escritos para as mães. Se você começar a examinar e escolher algumas destas coisas que foram escritas no Dia das Mães, em tempos variados, você começará a compreender como as pessoas pensavam e sentiam sobre a maternidade, naqueles dias

Eu encontrei algo interessante, escrito por um homem chamado W.L. Caldwell, escrito em 1928. Escute o que ele disse sobre a mãe típica. "Bem, nós podemos parar para render-lhe honra, pois, depois de Jesus Cristo, a mãe é o melhor presente de Deus para os homens. Era ela que compartilhava sua vida conosco quando nossos membros não eram ainda formados, ela andou no vale da sombra da morte para que nós pudéssemos ter a luz da vida. Em seus braços estavam o depósito de nosso alimento e o macio colchão para nosso repouso. Lá nós nos aninhávamos na hora da dor, lá estava o playground de nosso divertimento infantil. Aqueles mesmos braços transformaram-se, mais tarde, em nosso refúgio e fortaleza [cidade forte]. Era ela quem ensinava nossos pés de bebê a caminhar e nos levantava para cima sobre os lugares ásperos. Suas benditas e abençoadas mãos manejavam a agulha dia e noite para fazer nossa roupa. Ela pôs o livro sob nosso braço, e nos levou fora, e nos acompanhou, e nos fez começar a ir para a escola. Mas, e isto é o melhor de tudo, ela ensinou nossos lábios de bebê a balbuciarem o nome de Jesus, e foi a primeira que nos contou a história maravilhosa do amor do Salvador."

E então ele prosseguiu, dizendo: "O orgulho da América são suas mães. Há mães más, do passado, como Jezebel. Há mães contrárias à natureza que vendem suas crianças para o pecado. Há pecados amaldiçoados e mães que abandonam [ou cuidam mal de] seus filhos, para quem sua maternidade é a exposição de sua vergonha. Eu estou contente em crer entretanto, que há comparativamente poucas, nesta classe [de más mães],". Fim da citação

Poucas? Poucas mães descrentes e infiéis? Poucas mães manchadas pelo pecado? Poucas mães que causam vergonha? Bem, talvez poucas em 1928, mas não tão poucas hoje em dia. Qual é o [atual] estado da maternidade na América? As mães são ainda o orgulho desta terra?

Eu encontrei algo mais que foi escrito como um tributo à mãe, nas décadas passadas. Era mais ou menos assim: "A jovem mãe colocou seus pés no trajeto da vida. 'O caminho é longo?', ela perguntou. E seu guia disse: 'Sim, e o caminho é árduo, e você estará velha antes que você alcance o fim dele, mas o fim será melhor do que o começo.' Mas a jovem mãe estava feliz e não acreditava que qualquer coisa pudesse ser melhor do que estes anos. Assim, brincou com seus filhos e colheu flores para eles ao longo do caminho e banhou-se com eles nos claros córregos. E o sol brilhou neles e a vida era boa e a jovem mãe chorou [de alegria], 'Nada, jamais, será mais encantador do que isto.' E então a noite veio e a tempestade e o trajeto era escuro e as crianças agitaram-se com medo e frio, e a mãe os atraiu para junto de si e os cobriu com seu manto e as crianças disseram: 'Ó mãe, nós não estamos com medo, pois você está perto e nenhum dano pode nos sobrevir.' E a mãe disse: 'Isto é melhor do que o brilho do dia, pois tenho ensinado a meus filhos a CORAGEM.'

"E a manhã veio, e havia um monte adiante, e as crianças escalaram e ficaram cansadas, e a mãe estava cansada. Mas, todas as vezes, disse às crianças: 'Um pouco de paciência e nós estaremos lá.' Assim, as crianças escalaram e, quando alcançaram o alto, elas disseram: 'Nós não poderíamos ter tido sucesso sem você, mãe.' E a mãe quando repousou naquela noite, olhou acima, para as estrelas, e disse: 'Este é um dia melhor do que o de antes, pois meus filhos aprenderam FORTALEZA com a presença da dureza. Ontem eu dei-lhes coragem, hoje, tenho-lhes dado fortaleza.'

"E, no dia seguinte, vieram nuvens estranhas que escureceram a terra, nuvens de guerra e ódio e maldade. E as crianças andaram às apalpadelas e tropeçaram e a mãe disse: 'Olhai para cima, levantai vossos olhos à luz.' E as crianças olharam e viram acima das nuvens uma glória eterna e esta as guiou e as trouxe além da escuridão. E, naquela noite, a mãe falou sobre Jesus e, [ao final] disse [em oração, sozinha]: 'Este é o melhor dia de todos, pois eu tenho mostrado DEUS a meus filhos.'

"E os dias se passaram e as semanas e os meses e os anos. E a mãe tornou-se velha e era pequena e curvada. Mas as crianças estavam altas e fortes, e andavam com fé e coragem. E, quando o caminho era árduo, eles a levantavam, pois ela era tão leve quanto uma pena. E finalmente, eles chegaram a um monte e, além do monte, puderam ver uma estrada brilhante e largos portões da ouro. E a mãe disse: 'Eu alcancei o fim de minha jornada e agora eu sei que o fim é melhor do que o começo, pois meus filhos podem andar sozinhos, pois eles andam com Deus.' E os filhos disseram: `Você andará sempre conosco, mamãe, mesmo quando você tiver atravessado os portões para ficar com o Salvador.' E eles a puseram de pé e cuidaram dela enquanto ela seguia sozinha e os portões se fecharam atrás dela. E disseram: 'Nós não mais podemos vê-la, mas ela está ainda conosco; uma mãe como a nossa é mais do que uma memória, ela é uma presença viva.' "

É um bonito tributo , não é? [Pena que] não parece [mais] se encaixar [muito bem] na América [de hoje,] de 1987. Certamente não se encaixa com os milhões de abortos, com mães que assassinam seus filhos [dentro de seus próprios ventres]. Certamente, não se encaixa com alguns milhões que divorciam, abandonando [ou não dando a mínima importância ao melhor para] os seus filhos. Não se encaixa com o fato que quase um quarto de todos os bebês são ilegítimos, de modo que não têm um lar nem uma família do tipo [que Deus tem] planejado que eles fossem. Certamente, não se encaixa com milhões de crianças violentamente espancadas, vítimas da raiva de suas mães

Caldwell, aquele que eu citei anteriormente, disse também que "Nenhuma nação é maior do que suas mães, porque elas são as fazedoras de homens." Ele está certo, você sabe. Ele está certo. Elas são as fazedoras de homens. Paulo escreveu a Timóteo e disse: "Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos..." 1 Timóteo 2:15. O que ele quis dizer? Ele quis dizer que o papel na salvação, a virtude, a tarefa, o objetivo das mulheres é educar filhos dedicados a Deus. Enquanto, por um lado, a mulher pode carregar um estigma por ter liderado a queda no Jardim do Éden, por outro lado ela inverte esse estigma quando toma a iniciativa e firme empenho na produção de uma geração dedicada a Deus, através da influência espiritual dela para com os seus filhos

Mas tudo isto parece tão fora de moda e tão irrelevante às mulheres que têm decidido que o papel real de uma mulher é uma carreira. De fato, eu penso que a única coisa que realmente permanece do Dia das Mães é o comercialismo. Certamente este dia não está sendo promovido e perpetuado pelos que amam as mães, mas está sendo promovido e perpetuado por amantes do dinheiro. A maternidade, em nossos dias, tem sido abertamente devastada. É zombada. O casamento é desacreditado. Pessoas se esquivam de suas responsabilidades parentais. [Milhões de] crianças são massacradas pelo aborto. Mães exercitam o egoísmo em seu trabalho e em seus divertimentos, [sofregamente] buscando preencherem suas próprias satisfações, com pequenas olhadas na direção de seus filhos, aos quais elas amplamente ignoram

Mas o padrão de Deus não mudou. E é conveniente que demos uma outra olhada no que Deus pensa ser a maternidade: o mais alto chamado que uma mulher sempre conhecerá. As mulheres dedicadas a Deus, disse Paulo a Tito, devem ensinar às mulheres mais novas a realmente amarem seus maridos, realmente amarem seus filhos, serem castas, puras, guardiãs do lar. Uma viúva a ser posta na lista [de incapazes a quem a igreja ajuda], de acordo com 1 Timóteo 5:10, foi uma que se dedicou a criar os seus filhos muito bem, que produziu uma geração dedicada a Deus. Este tem sido sempre o padrão de Deus. Este é o projeto para as mulheres.

[Quais os exemplos de boas mães, na Bíblia?] Tudo começou com Sara, a qual foi um presente de Deus para Abraão, Sara um modelo da fé, Sara um modelo de obediência, Sara que deu um filho tarde na vida e, mesmo assim, demonstrou a fé e a santidade de vida que faz do casamento e da maternidade aquilo que tem que ser. Houve o exemplo de Raquel cujas últimas palavras, antes que sua vida saísse de seu corpo, foram ao dar à luz um de seus filhos o qual chamou de Benjamim, uma criança que foi resultado da dor. Houve Joquedebe, mãe de Moisés e de Miriam, que lutou pela vida dessa criança de tão boa aparência e que era justa diante de Deus. Débora, chamada por Deus de "uma mãe em Israel." Rute, espírito doce e delicado que amou e sacrificou e foi abençoada para ser a mãe de Obede, que gerou Jessé, que gerou Davi, de cuja semente o Messias veio. E houve Isabel, essa doce e graciosa mãe do maior profeta que jamais viveu, João, o Batista. Naturalmente houve Maria, mãe de nosso Senhor

Mas, quando o Bíblia detalha a honra devida a uma mãe, não mais detalhe é dado sobre qualquer uma do que é dado sobre Ana. Nós a encontramos em 1 Samuel 1. Ana, seu nome fala de sua beleza, significa graça e certamente ela é o emblema da graça da feminilidade. Ela tornou-se uma mãe através da sua fé. Ela primeiramente aparece em 1 Samuel como uma mulher sem filhos. Então ela se torna uma mãe, a mãe de um dos maiores homens que já andou na terra, Samuel. E, à medida que você vê a importância do nascimento de Samuel, você nota o perfil de uma mãe dedicada a Deus

Quando o livro começa estamos no período dos juízes. Não há nenhum rei em Israel ainda. É tempo de desordem, é tempo de confusão. É a época em que Israel está vulnerável aos Filisteus. É a época em que os israelitas são debochados moralmente. É a época em que sua religião está mais fria. E é a época de se levantar um grande homem e tomar a liderança da nação, um período de degeneração religiosa, de aflição política. Com a morte de Sansão, o país foi dividido e ficou sem liderança. Os Filesteus estavam ganhando vantagem. O sacerdócio era corrupto. Os escândalos morais eram excessivos entre a família dos sacerdotes. A nação estava fraca. A nação estava impotente. E, o pior de tudo, o versículo 1 do capítulo 3 diz que a Palavra do Senhor era rara naqueles dias e as visões eram infrequëntes. Deus mesmo não tinha nada a dizer. A nação necessitava de um grande líder, um grande homem. E Deus necessitava de uma grande mulher {*} para dar forma a esse grande homem. E Samuel, um dos maiores homens que já andou aqui na terra, era não somente o produto do trabalho de Deus mas o produto de uma mãe dedicada a Deus. E ela deu à sua nação e ao mundo o maior legado que uma mulher poderia dar, uma criança dedicada a Deus. {* Nota da Tradutora: melhor seria ter dito "Deus iria tornar grande uma mulher"}

O versículo 1 começa, "Houve um homem de Ramataim-Zofim, da montanha de Efraim," que é em torno do Monte Efraim,  "cujo nome era Elcana, filho de Jeroão, filho de Eliú, filho de Toú, filho de Zufe, efrateu. E este tinha duas mulheres: o nome de uma era Ana, e o nome da outra Penina. E Penina tinha filhos, porém Ana não os tinha." Ele era casado com duas mulheres, Penina e Ana. Ana, a propósito, significando graça, era um nome oriental comum

Enquanto nós somos introduzidos nesta história, eu quero que notemos três coisas, que traçam o perfil de uma mãe dedicada a Deus. Ela tinha um bom relacionamento com o marido. Ela tinha um real relacionamento celestial. E ela tinha um bom relacionamento no lar. Estas três coisas se sobressaem e a modelam para nós

[1 - Um Muito Bom Relacionamento com o Marido]


Primeiramente, vamos considerar seu bom relacionamento com o marido. E eu posso dizer que este é o ponto de partida muito essencial para que você compreenda. O mais importante relacionamento em uma família que está educando filhos dedicados a Deus, não é o relacionamento entre os pais e os filhos, é o relacionamento entre a mãe e o pai. O que você comunica a seus filhos por seu relacionamento cônjuge domina o pensamento dos seus filhos. Eles estão aprendendo sobre relacionamentos humanos com vocês dois. Estão aprendendo sobre virtude, estão aprendendo sobre pecado. Estão aprendendo sobre amor. Estão aprendendo sobre perdão. Estão aprendendo sobre simpatia. Estão aprendendo sobre compreensão. Estão aprendendo sobre compaixão. Estão aprendendo sobre virtude. Estão aprendendo sobre honestidade e integridade. Estão prestando atenção e, a longo prazo, muito mais importante do que seu relacionamento com seu filho, é o relacionamento que você tem com seu cônjuge que é projetado para seu filho. E assim, bem no início, a Palavra do Deus é clara em nos falar sobre o relacionamento entre Ana e Elcana

Agora, antes de tudo, deixe-me dizer que este não era um relacionamento perfeito. Assim, senhoras, vocês entendam que vocês não são casadas com um homem perfeito. Isto é um fato. Eu quero que você compreenda o que as Escrituras dizem. Ana foi casada com um polígamo. Agora, eu não sei [com certeza] como isto se adaptaria a você como uma mulher, mas eu posso supor. E eu também posso lhe dizer que a situação não era melhor para Ana do que seria para você: ter uma rival em casa, ter uma outra esposa na sua casa. E, o pior de tudo: a rival estava produzindo filhos e filhas, e Ana não tinha nenhum, e assim ela era a esposa infrutífera e improdutiva, que não podia dar a seu marido aquilo que seu coração mais anelava dar

Ele não era um homem perfeito. O fato dele ser um polígamo indica sua imperfeição. Mas compreenda isto, esta era uma época primitiva e poligamia era parte da cultura humana, nunca um projeto de Deus, nunca. O projeto deixado por Deus é que UM homem e UMA mulher deixem seus pais, se juntam para toda a vida, e se tornam uma só carne... [Este é o projeto,] desde Gênesis até sempre. Mas na sociedade humana era normal a poligamia. E quando a verdade de Deus veio à sociedade humana, a poligamia era tão espalhada, que demorou a desenraizá-la. É como um missionário que vai hoje a um campo estrangeiro, prega o evangelho a uma civilização de pessoas e percebe que aquelas pessoas se voltaram para Cristo mas estão envolvidas com todos os tipos de relacionamentos polígamos no casamento, necessitando de uma ou mais gerações para serem normalizados. Era assim no mundo antigo

E, assim, Elcana criou para Ana uma situação muito difícil. Nós não sabemos os detalhes, mas pode ser que ele se casou com Penina por causa da esterilidade de Ana, a fim de produzir uma geração que pudesse,então, possuir sua herança. E, assim, isto tornaria a dor mais profunda porque Penina veio fazer nessa união o que Ana não poderia fazer. Não era um relacionamento perfeito, mas, mesmo assim, [tinha muito de] bom, [muito de] direito. Deixe-me mostrar-lhe porquê

Antes de tudo, eles compartilhavam em ADORAÇÃO [adoravam em total comunhão]. Agora este homem, Elcana, o versículo 3 diz, que ele ia de sua cidade, anualmente, adorar e sacrificar ao Senhor dos Exércitos, em Siló. Não significa que ele ia uma vez por ano, significa que a cada ano ele ia. De fato, ele ia pelo menos três vezes ao ano: na Festa das Cabanas, na Festa das Semanas, e na Festa dos Tabernáculos - estas festas tinham que ser comemoradas. Em Deuteronômio, capítulo 6, eu acho, e versículo..deixe-me ver, capítulo 16, eu creio, e versículo 16, explica a prescrição. Três vezes ao ano, sim era a Festa do Pão Asmo, a Festa das Semanas e a Festa das Cabanas. O homem tinha que ir ao lugar da adoração. Neste tempo particular, em 1 Samuel, o lugar da adoração era em Siló porque aquele era o lugar onde a arca da Aliança se achava antes que fosse transferida para Jerusalém. Então, pelo menos aquelas três vezes ao ano, todos os varões tinham que ir e fazer aquilo, que Elcana fazia. Ele era um homem de adoração. E ele ia e oferecia seu sacrifício ao Senhor

Nota-se, no versículo 3, que os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, e Eli sendo o sumo sacerdote, eram também sacerdotes do Senhor. Eles eram homens maus e eram o oposto de Elcana. Elcana era um homem dedicado a Deus e um verdadeiro adorador, e os filhos do sacerdote, os próprios filhos do sumo sacerdote, eram homens maus e ímpios, como veremos. Elcana era um homem adorador. Ana tinha um marido crente, vamos colocar desta maneira. Ela tinha um marido devoto. Ela tinha um adorador. Ele não era perfeito; era um polígamo. E isto era uma violação à lei de Deus e em qualquer momento que essa lei era violada sempre há conseqüências muito negativas e isto sempre produz dor e dor no coração. E eles tinham isto naquela família. Você pode acreditar. E Penina zombava nisto: que ela mesma tinha filhos e Ana não tinha nenhum. Mas apesar de tudo isto, Elcana era um homem que cria em Deus, um homem que adorava a Deus. Colocando tudo de modo simples: Ana tinha um marido crente. E este é o primeiro pré-requisito para criar filhos dedicados a Deus

Eu as incentivo, como eu sempre faço, jovens, quando vocês forem se casar, que casem com um crente [e, mais que isso, um crente] que [realmente] ama o Senhor Jesus Cristo, porque vocês necessitam dessa liderança espiritual. Ana tinha isto. E, apesar da dificuldade desse relacionamento polígamo, ela tinha um marido dedicado a Deus e que era um líder espiritual. Em contraste com Hofni e Finéias que, embora fossem sacerdotes e filhos do sumo sacerdote, eram tão carnais e vis e debochados como homens poderiam ser. E aqui está o primeiro aspecto então de um relacionamento certo entre um marido e uma esposa, eles adoram juntos. Adoram juntos. Básico...básico. A adoração deles [em total comunhão] é vital para projetar devoção a Deus a seus filhos. Eis porque, voltando para o Pentateuco, o primeiro conjunto de livros escritos, quando Deus estava estabelecendo as leis para Seu povo, no capítulo 7 de Deuteronômio, Ele disse: "Quando o Senhor teu Deus te houver introduzido na terra, à qual vais para a possuir, a terra de Canaã, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti..." e Ele nomeia as nações "... E o Senhor teu Deus as tiver dado diante de ti, para as ferir,totalmente as destruirás; não farás com elas aliança, nem terás piedade delas;" Escutem, então, isto, no versículo 3: "Nem te aparentarás com elas; não darás tuas filhas a seus filhos, e não tomarás suas filhas para teus filhos; Pois fariam desviar teus filhos de mim, para que servissem a outros deuses;" Fuja para o mais longe possível de casamentos mistos [moça crente verdadeira casada com rapaz que não é crente verdadeiro, ou vice-versa)

Próximo ao último capítulo de Josué, capítulo 23 e versículo 11, repetindo a mesma regra, "Portanto, guardai diligentemente as vossas almas, para amardes ao Senhor vosso Deus. Porque, se de algum modo vos desviardes, e vos apegardes ao restante destas nações que ainda ficou entre vós, e com elas vos aparentardes, e vós a elas entrardes, e elas a vós, sabei certamente que o Senhor vosso Deus não continuará a expulsar estas nações de diante de vós, mas elas vos serão por laço e rede, e açoite às vossas ilhargas, e espinhos aos vossos olhos; até que pereçais desta boa terra que vos deu o Senhor vosso Deus." Se você desobedecer e se casar [casamento misto], você vai perder tudo. Não faça isso. Esta mesma ordem é repetida mais tarde na história de Israel quando saíram do cativeiro para reconstruir [Jerusalém], a saber Esdras 9 versículos do 10 ao 15. Você vem ao Novo Testamento, em 1 Coríntios Paulo diz no capítulo 7: "Case somente no Senhor." Em 2 Coríntios 6:14, "Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque, que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas?" E como podem os pais, Efésios 6:4, educar seus filhos na doutrina e admoestação do Senhor se um deles for um descrente? Agora, graças a Deus, por Sua graça Ele pode sobrepujar o fato de você ter um marido descrente. Pode ser que quando você se casou você não fosse ainda uma crente mas depois você foi atraída para Cristo e seu marido não. Mas pode ser também que você se casou com um descrente sendo você já uma crente, sabendo o que estava fazendo, e Deus, na Sua graça, pode sobrepujar todas aquelas circunstâncias. Todavia, Seu propósito é que uma crente dedicada se case com um crente dedicado, para o bem da próxima geração

Voltando então, eles tiveram uma adoração compartilhada. Tão vital! O modo como você adora comunica volumes de informações a seus filhos. Vocês são fiéis? Vocês são fiéis vindo e reunindo-se com o povo redimido de Deus semana a semana? Vocês são fiéis para fazer da Palavra de Deus a prioridade de suas vidas? Vocês são fiéis a ponto da oração ter um lugar elevado na experiência espiritual de cada um de vocês? Vocês são fiéis a ponto de viverem o que vocês afirmam que vocês acreditam? Em outras palavras, a atitude da devoção espiritual de vocês está comunicando um tipo de cristianismo a seus filhos, e eles terão tempos difíceis a superar, se de fato o tipo de cristianismo de vocês for menos do que deve ser

Em segundo lugar, eles não somente tiveram um relacionamento correto no casamento por causa de adorarem juntos, mas em segundo lugar, eles compartilhavam AMOR. Observe o versículo 4: "E sucedeu que no dia em que sacrificava, dava ele porções a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos, e a todas as suas filhas. Porém a Ana dava uma parte excelente; porque amava a Ana." Pare nesse ponto

Ele não amava Penina. Esta é a implicação. Penina estava lá para gerar os filhos que Ana não podia ter. Penina estava lá para criar um futuro para sua família, sua herança. Mas Ana era a que ele amava e ele não fez nenhuma tentativa de esconder isso. E quando eles foram oferecer seus sacrifícios, eu não sei se você sabe como aquilo funcionava, mas eles iam oferecer ofertas de paz e ofereceriam a oferta lá, sobre o altar. O sacerdote deveria tomar uma pequena parte, a maior parte dela voltaria à família e eles teriam uma festa. E quando passava a festa, ele dava uma porção dobrada a Ana porque ela era a que ele amava. No oriente, este era um gesto que se fazia a um convidado de honra. Ela era a que tinha seu coração. E não era apenas o amor de emoção, era o amor de bondade e o amor de cuidado e o amor de sacrifício, o amor de honra. Ele a amou. E este amor era sua segurança. Homens, se vocês ainda não sabem, devem saber que a segurança de uma mulher está em seu amor por ela, não em sua conta no banco, não em uma casa enorme e lindíssima, não em uma mobília nova, não em um plano de aposentadoria. Uma mulher encontra segurança em seu amor, e este amor necessita ser demonstrado tão freqüentemente que nunca há necessidade de uma pergunta sobre ele. As pessoas querem saber, freqüentemente, porque as mulheres tendem a desconfiar de seus maridos e querem saber se eles têm alguma outra atração ou se são enganadas com alguma outra pessoa, e a razão disto é porque a segurança de uma mulher está profundamente enraizada no amor de seu marido. E era assim com Elcana e Ana. E ela era segura de seu amor porque ele sempre procurava demonstrar seu amor por ela de muitas maneiras e publicamente, assim como ele lhe fazia honrarias e agrados em frente de todos. Eles compartilhavam o amor e assim ela estava segura deste amor. E ela necessitava disto, acredite-me, porquanto ele tinha uma outra esposa. Agora, você não gostaria disso nem um pouquinho, da mesma maneira ela não gostava, e ela tinha necessitada dessa segurança do amor

Não é interessante como Deus em Sua providência equilibra as coisas? Ana tinha o amor de Elcana, e Penina, que não tinha seu amor, teve os filhos que Deus permitiu que tivesse, para receber amor deles. Deus foi gracioso com todo eles. Eles compartilhavam amor. Vital...vital em ser uma mãe piedosa, é compartilhar o amor de seu marido de modo que haja, ali, uma segurança, haja, ali, um calor, ali, uma confiança, ali, uma quietude. Nesse amor há a ausência de ansiedade e de frustração, de modo que a mulher possa dar de si mesma aos seus filhos e não sempre sentir que ela tem que ser uma rainha da beleza para ganhar a afeição de seu marido. Uma vez que o marido com seu amor recobre, envolve a esposa e lhe faz sentir segura, então ela pode doar-se a seus filhos sem ter que sentir que ela deve estar sempre lutando a penosa batalha para atrair seu marido

Em terceiro lugar, eles compartilhavam uma outra coisa. Compartilhavam SENTIMENTOS. Compartilhavam adoração. O relacionamento deles com Deus era comum. Eles compartilhavam amor e compartilhavam sentimentos. Vejam o versículo 6: "E a sua rival"... que é Penina... "excessivamente a provocava, para a irritar; porque o Senhor lhe tinha cerrado a madre." No fim do versículo 5, diz também, já pela segunda vez, que o Senhor tinha cerrado sua madre. O que se está tentando dizer é que não era problema de Ana, o Senhor é quem fez isto. O Senhor cerrou sua madre. E nisto Penina a atormentava,como você sabe, neste tipo de coisa: "Muito mau! Você não pode ter nenhum filho, Ana." Ela estava, apenas, cravando a faca! E isto acontecia ano após o ano, todas às vezes que Ana ia até a casa do Senhor. Penina a provocava e assim Ana chorava e não comia. Então, ela ia à grande festa. Elcana é delicadamente amoroso dando a ela uma porção dobrada. Mas ela não comia nada por causa de Penina que, do outro lado da mesa, realmente, a irritava nisto dela não ter filhos

A resposta... Eu não gostaria de estar na posição de Elcana, tentando unir estas duas mulheres. Mas Elcana, seu marido, disse a ela: "Ana, por que você chora? E por que você não come? E por que seu coração está triste? Eu não sou melhor do que dez filhos?" Eles compartilharam sentimentos. Gente, ele leu os sentimentos e não pontificou, ele fez uma pergunta: "Por que você está fazendo isto, Ana? Eu não tenho sido melhor do que dez filhos para você?"

Que coração complacente! Algumas de vocês, mulheres, estão anotando isto porque vocês querem lembrar aos seus maridos sobre estas coisas. Eu compreendo. Nós [maridos] podemos ser muito insensíveis, muito insensíveis. E nós podemos ser muito rápidos para darmos respostas imediatas a tudo, sem ouvir o coração. Não Elcana. Abençoado seja ele! Ele conhecia o conflito e sabia que o conflito era mais intensificado a partir do lado de Penina. E ele sabia que isto era profundo e doloroso, um difícil, um difícil lugar para Ana estar. E, assim, ele era terno e complacente e cuidadoso, e ele sentia os sentimentos dela no coração dele próprio

Por que isto é ser uma mulher dedicada a Deus? Eu direi a vocês. O solo é perfeito para produzir uma mãe dedicada a Deus. Ela tem um relacionamento perfeito com o marido. Eles compartilham da ADORAÇÃO, a dimensão mais profunda da vida humana. Eles compartilham do AMOR, talvez a dimensão seguinte mais profunda da vida humana. Eles compartilham de SENTIMENTOS, talvez a dimensão seguinte mais profunda da vida humana. Eles têm um relacionamento profundo. Eles caminham juntos na presença de Deus, um com o outro acima dos problemas da vida que envolvem outras pessoas

 

[2 - Um Muito Bom Relacionamento com Deus]


Em segundo lugar, à medida que você retrata esta mãe dedicada a Deus, ela tinha um relacionamento celestial perfeito. Nem todas as coisas eram certas entre ela e seu marido... e a propósito, não há, de maneira nenhuma, nenhuma indicação de algum conflito em sua união, nenhuma insinuação de algum conflito... e uma mãe dedicada a Deus cresce melhor no ambiente onde tem um marido amável, que sente juntamente com a esposa, de suporte amoroso e dedicado a Deus. Então, ela teve um relacionamento celestial correto. Ela sabia para onde ir com seu problema: direto ao Senhor [Deus]. E há diversas virtudes que vêm deste ponto.

Antes de tudo, ela tinha uma paixão pelo melhor do Senhor. Apenas use a palavra PAIXÃO. Ela tinha paixão pelo melhor do Senhor. O que nós queremos dizer com isto? Ela queria um filho. Ela queria um filho desesperadamente. Ela queria tanto um filho que chorava e jejuava. Seu coração estava quebrantado porque não podia ter um filho, mas ela não tinha um motivo egoísta, ela não queria um filho para dar vida às suas fantasias não cumpridas. Ela não queria um filho para se vestir como o Lord Fauntleroy e exibir-se. Ela não queria um filho para preencher necessidade dela própria por amor. Ela queria um filho para dá-lo a Deus. Ela queria um filho porque ela sabia que [um filho] era o melhor de Deus [que Ele reservava] ,para uma mulher. E embora Deus não chame todas as mulheres para se casarem (de acordo com 1 Coríntios 7 Ele dá a algumas mulheres a dádiva de serem felizes e realizadas solteiras), e apesar de haver épocas em que os próprios propósitos de Deus fazem uma mulher ou um homem serem estéreis de modo que nenhuma criança possa nascer, é ainda a norma, é ainda o presente de Deus, Seu melhor presente às mulheres: ... dar-lhes um filho. Filhos são, afinal das contas, uma herança do Senhor. E é Deus que abre o útero de uma mãe e faz seu coração regozijar

Ela desejou um filho porque queria o melhor da parte de Deus. Ela queria honrar e glorificar a Deus, e ela sempre soube que o melhor presente do amor de Deus dado a uma mulher é um filho. E o que estou dizendo a vocês é que uma mãe verdadeiramente dedicada a Deus não é uma mãe relutante, não é uma mãe que ache o filho um intruso, não é uma mãe que adia o nascimento de um filho para tão longe quanto possível de modo que o filho não atrapalhe sua programação [de vida], e não se torne perturbada ao descobrir que algum contraceptivo foi ineficaz. Uma mãe verdadeiramente dedicada a Deus, uma mulher com o coração de uma mãe, com um coração do jeito que Deus daria a uma mãe - um coração que anela por ter um filho... um coração que tem uma paixão por filhos, um coração que vê o filho como um [maravilhoso] presente de Deus, uma bênção especial de Seu amor, um cumprimento da intenção divina para mulheres e... certamente, uma esperança para que a geração seguinte levante uma semente dedicada a Deus. Uma mãe dedicada a Deus deseja ter um filho. E se ela não tem nenhum filho, ela chora. Não é um capricho. Não é um ato de auto-favorecimento egoísta para provar sua feminilidade, é que ela sabe que este é o melhor de Deus para as mulheres e que seu coração não está realizado

Esta semana, eu li a história de uma mãe que deu à luz um filho e o filho morreu. E ela estava se lembrando disso dez anos mais tarde, e disse que a tragédia não foi a morte da criança mas a tragédia foi a morte da maternidade. Ela pode se segurar, neste caso particular, pelo fato do filhinho ter ido para a presença de Deus. Mas ela teve que tentar se segurar, por um grande período de tempo, por causa dela não poder mais ser mãe. Este é o coração de uma mulher que anela profundamente ter um filho

Ana tinha esta característica: paixão pelo melhor de Deus. Depois, ela foi caracterizada pela ORAÇÃO. Ela sabia aonde ir, e olhem o versículo 9. "Então Ana se levantou, depois que comeram e beberam em Siló;" obviamente, talvez ela tenha comido um pouco por causa do amoroso incentivo de seu marido no versículo 8. Ela, agora, terminaria o que tinha que fazer em Siló. Eli, o sacerdote, estava sentado em um assento perto da porta do templo do Senhor. O sumo-sacerdote está no templo. Ela vai lá. Ela veio para o templo profundamente afligida. Sua alma estava amargurada, a Bíblia diz isto literalmente. E ela orou ao Senhor e chorou amargamente. Ela está rigorosamente arrasada ... arrasada. E ela fez uma promessa, um voto. "Ó Senhor" e ela foi fazer seu voto

Mas observe isto sobre esta mulher dedicada a Deus: Ela era uma mulher de ORAÇÃO. Esta é uma bonita característica. Ela compreendeu que Deus era a fonte de filhos. Ela compreendeu que somente Deus poderia alterar sua esterilidade. Sua virtude distintiva foi sua fé, fé constante. O versículo 12 diz: "E sucedeu que, perseverando ela em orar perante o Senhor..." Constante. Ela permaneceu lá. Ela ficou lá. Seu coração estava quebrantado. Ela estava deixando fluir suas orações. Este é o espírito da verdadeira oração. É um pouco de um aparte, mas, você sabe, nós temos que prescultar, temos que querer saber onde nossas compaixões estão realmente assentadas, porque nós oramos tão relutantemente. Eu vi... eu vi uma anúncio convidando- me, e a outros líderes de igrejas, para virmos a um Congresso Nacional de Oração em Washington, e orarmos para que Deus balançasse esta nação [para o bem]. E [o convite] dizia: "Venham ao Congresso de Oração. Ele reunir-se-á no Hyatt Regency [hotel de extraordinário luxo], destacados restaurantes, teatros, um spa." Eu pensei: "É isto! Vamos e oremos no Hyatt Regency no spa." É realmente muito triste! Apenas... talvez você possa reunir uma multidão para orar se o ambiente for de primeira classe, hum? Onde está o quebrantamento? Bem, Ana não tinha nenhum problema com isto. Ela não estava preocupada com o ambiente, seu coração estava quebrantado. Ela moveu-se quietamente no santuário de Deus e começou a derramar seu coração com honesta e clara fé, totalmente dependente de Deus e dada à oração. Ela sabia que era somente Deus quem teceria a vida no útero, como o Salmo 139 diz. Quem uniria as partes do corpo de uma mulher para que se transformasse finalmente em uma vida? Assim seu sofrimento voltou-se para a oração. Isto fala de seu correto relacionamento celestial. Ela sabia aonde ir com seus problemas

Em terceiro lugar, ela era uma mulher de PROMESSA. Não somente de paixão (sofrimento) e de oração, mas vocês poderiam olhar o versículo 3... desculpem-me, versículo 11? Ela fez um voto, uma promessa dizendo: "...Senhor dos exércitos! Se benignamente atentares para a aflição" Ela viu não ter filhos como uma aflição. "De tua serva, e de mim te lembrares..." Não significa que Ele não sabia quem ela era, mas ela diz lembre-se de mim no sentido do seu desejo de um filho. "E da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem..." eis aqui a promessa [, o voto que ela fez ao Senhor]... "ao Senhor o darei todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha." Esta pequena última parte era um voto de Nazireu descrito em Números 6:3 a 6. Se um judeu quisesse fazer um voto de total consagração a Deus, ele não cortaria seu cabelo, não teria nenhum interesse pela aparência física, não poderia beber vinho nem bebida forte, abster-se-ia de banquetes e celebrações e de tudo relacionado com estas coisas, vivendo uma vida austera, consagrada e centralizada em Deus. Muitos judeus fizeram um voto de Nazireu por um período de tempo curto. Três deles nas Escrituras foram Nazireus por toda a vida: Sansão, João (o Batista) e esta criança, Samuel. Toda a vida de cada um deles foi, totalmente, devotada e consagrada a Deus. De jeito nenhum, nenhuma indulgência pessoal. De jeito nenhum, nenhuma preocupação com a forma e aparência. Assim, ela prometeu a Deus: "Eu Te darei esta criança, eu quero apenas ser realizada como uma mãe, eu quero apenas suscitar um filho dedicado a Deus para dá-lo para a Sua glória. E se Tu o deres a mim eu dá-lo-ei de volta a Ti." Esta é sua promessa, de apresentar´[dar] seu filho a Deus. Esta é a essência de uma mãe dedicada a Deus. Enquanto orando por um filho, ela ora por este filho não por uma razão errada mas por uma razão certa, para então ela devolver este filho para Deus que foi de onde a criança veio. Esta é a essência de uma mãe dedicada a Deus... dar o filho a Deus, dar o filho a Deus

Minha mãe teve somente um filho e eu sou esse filho. Antes que eu nascesse, ela dedicou-me ao Senhor desde o nascimento e disse a meu pai que ela queria um filho que pregasse o evangelho. Isto é um legado maravilhoso! E isto pode não ser o que cada filho deve fazer, isto não é o que cada filho é para fazer, mas cada mãe dedicada a Deus dará esse filho ao Senhor para Ele fazer o que Ele quiser. O mesmo com uma filha. Assim Ana fez sua promessa

A próxima coisa que nós vemos sobre Ana é sua PUREZA. Eli era o sumo-sacerdote. Mas eu vou dizer-lhe uma coisa: ele era realmente um sumo-sacerdote fajuto. E também nada de bom poderia ser dito sobre sua capacidade de discernimento. "E sucedeu que, perseverando ela em orar perante o Senhor, Eli observou a sua boca." Sentando-se fora sobre o ... ele era um grande homem gordo. De fato, quando seus filhos morreram, ele ficou tão agitado que caiu da cadeira, quebrou o pescoço e morreu. Assim Eli estava sentado lá, prestando atenção a ela, e ela estava lá deixando fluir seu coração choramingando e chorando. E ela estava falando em seu coração. Não estava falando alto pois, como diz o versículo 13, apenas seus lábios estavam se movendo. Você já teve alguma vez essa experiência onde você, realmente, está falando em seu coração mas seus lábios estão se movendo, embora nem um som tenha sido ouvido?

Então Eli pensou que ela estava bêbada. Ele não está percebendo? Agora, eu não sei nada sobre minha percepção com relação a outras pessoas ou a Eli, mas eu lhe digo uma coisa, eu penso que eu sei a diferença entre um bêbado e uma mulher quebrantada em oração. Assim Eli decidiu representar o papel de espiritual. "E disse-lhe Eli: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti o teu vinho." E Ana, que é tão meiga, respondeu e disse: "Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte tenho bebido; porém tenho derramado a minha alma perante o Senhor. Não tenhas, pois, a tua serva por filha de Belial; porque da multidão dos meus cuidados e do meu desgosto tenho falado até agora." Isso nos diz um pouco sobre o beber vinho ou bebida forte, e a relação disto com considerar a mulheres como sem valor. Esta é uma atitude do Velho Testamento. Não me considere como uma dessas mulheres. "Eu tenho falado até agora movida pela minha grande preocupação e pela humilhação e provocação que me fazem." Então Eli, ouvindo uma resposta tão lúcida, respondeu e disse: "Vai em paz e possa o Deus de Israel conceder a petição que você pediu a Ele." O rogo de Ana foi um tipo de rogo suave, mas Eli confundiu-a como sendo bêbada. Não pense ser sua serva uma mulher sem valor nenhum... literalmente um filho de Belial, sem nenhum proveito. Um termo comum, a propósito, no Velho Testamento associado com a idolatria, Deuteronômio 13; rebelião, 1 Samuel 2; lascivos atos sensuais em Juízes 19 e 20; um termo usado para falar de arrogância e de estupidez em 1 Samuel 25 e mesmo assassinato em 1 Reis 21. Não pense que eu estou nesse grupo. Eu não sou esse tipo da pessoa. Ela era uma mulher virtuosa, como a mulher dos Provérbios 12:4 e 31:10, era uma mulher de virtude. Era uma mulher dedicada a Deus, ela era uma mulher pura

Então, o que nós aprendemos sobre esta mulher? Ela teve um relacionamento celestial perfeito. Teve um desejo pelo melhor de Deus. Orou a Deus com fé. Fez uma promessa a Deus e mostrou o motivo de seu coração. E agora nós encontramos sua pureza. Ela é uma mulher que, de modo nenhum, é associada com pessoas que são más

A próxima coisa que nós vemos como característica vem no versículo 18, eu amo isto. "E disse ela:... respondendo a Eli... Ache a tua serva graça aos teus olhos. Assim a mulher foi o seu caminho, e comeu, e o seu semblante já não era triste." Agora, ela podia comer e não estava triste. Você sabe porquê? Eu lhe direi porquê. Porque ela teve PACIENTE FÉ. Teve fé paciente. Ela entregou o problema a Deus, o que mais ela poderia fazer? Ela não estava a fim de permanecer frustrada. Esta é a fé verdadeira. A fé verdadeira não ora: "Ó Deus, aqui está meu problema, aqui está meu problema," depois caminha afastada em frustração total. Isto é realmente dúvida. A fé diz: "Está aqui, Deus," e caminha se afastando e não está mais triste. Isto é confiança. Eu confio em Ti. Esta é a marca de uma mãe muito dedicada a Deus, uma que confia totalmente em Deus. Ela lança seu problema sobre Deus e isto é o final [de todas as suas tristezas]. Ela se afasta. Ela come. Não está mais triste

Há uma outra coisa sobre esta mulher que eu tenho que lhes falar por um momento, [vejamos] os versículos 1 a 10 do capítulo 2. Ela não é somente uma mulher de paixão e oração e promessa e pureza e uma mulher de paciente fé, ela é também uma mulher... Eu amo isto... de LOUVOR. Quando Deus lhe deu o filho, qual foi sua resposta? Ana orou e disse, no versículo 1, "O meu coração exulta ao Senhor, o meu poder está exaltado no Senhor; a minha boca se dilatou sobre os meus inimigos, porquanto me alegro na Tua salvação. Não há santo como o Senhor; porque não há outro fora de Ti; e rocha nenhuma há como o nosso Deus." E ela continua falando assim até o versículo 10, com louvor, agradecimento, exaltação. Oh, esta é uma mulher de louvor. Esta é uma mulher com um coração agradecido. Quando Deus deu a ela aquele filho, ela expressou esse puro e insuplantável louvor que transborda para fora de uma alma agradecida. De fato, vocês deveriam ler estes dez versículos com cuidado porque são uma obra prima do louvor, com todos os tipos de elementos. Quase como o Magnificat de Maria, gravado em Lucas 1:46 a 55, onde ela diz: "A minha alma engrandece ao Senhor", e vai então para aqueles elementos maravilhosos do louvor na perspectiva do nascimento de seu próprio filho. Uma mãe dedicada a Deus é conhecida por seu louvor

Este é o teste padrão. Ela tem um relacionamento perfeito com seu marido, eles compartilham da adoração, eles compartilham amor, eles compartilham de um sentimento profundo. Ela tem um relacionamento perfeito com os céus. Suas paixões são as paixões de Deus. É uma mulher de oração. É uma mulher de fé. É uma mulher de pureza. É uma mulher de promessa. É uma mulher de louvor


 

[3 - Um Muito Bom Relacionamento no Lar]


E finalmente, ela teve um relacionamento perfeito no lar. Voltemos para o versículo 21 do capítulo 1, ela teve um relacionamento perfeito no lar. E isto é em referência ao filho no versículo 21, "E subiu aquele homem Elcana com toda sua casa, a oferecer ao Senhor o sacrifício anual e a cumprir o seu voto." Ele está em sua rotina e é um pessoa fiel. E ele junta a casa inteira, levanta-os e vai. O versículo 22, aqui nós chegamos ao ponto: "Porém Ana não subiu;" Ela não subiu. "Mas ela disse a seu marido: Quando o menino for desmamado, então o levarei."

Agora, espere um minuto. Isto é um par de anos, Ana. Três anos? Eu não sei exatamente quanto tempo Ana alimentou o pequeno Samuel, mas alguns anos certamente. "Eu não irei." Era somente cerca de duas ou três semanas de viagem, no mais tardar, para ir para lá e para estar lá por uma semana e, depois, viajar de volta. É menos de 320 km de distância de uma extremidade da Palestina à outra. Mas ela não iria, ela não iria de jeito nenhum. Por quê? Ela era dedicada ao filho. Quando Deus deu-lhe o filho, ela se dedicou ao filho

Voltando para o versículo 19, vamos ver como tudo começou [depois da oração de Ana]. Levantaram-se cedo pela manhã e adoraram ao Senhor. Marido e esposa adorando pela manhã, não é bonito? Juntos adorando ao Senhor. Eles retornaram para sua casa em Ramá, Elcana teve relações com Ana, a sua esposa, e o Senhor lembrou-se dela. E aconteceu, no tempo devido depois que Ana concebeu e deu à luz um filho, que ela o chamou de Samuel dizendo: "Porque, dizia ela, o tenho pedido ao Senhor," Samuel significa ouvido por Deus. E, gente, uma vez que esse filho veio, Ana disse: "Este é o filho da minha paixão, este é o filho do meu voto, eu não desprezarei meu tempo com esta criança. Eu não deixarei esta criança por diversas semanas. Eu não pegarei esta criancinha para ir juntamente conosco e torná-la inconfortável porque teríamos que andar todo o tempo. A criança precisa dormir e precisa da tranqüilidade do lar, da quietude de um ambiente protegido." Gente, tudo isto é bastante distante do que nós vemos hoje, não é? Mulheres tendo bebês e, um par de meses mais tarde, empurrando o bebê para alguma creche e se livrando do trabalho. Não Ana. Totalmente empenhada a ficar em casa até que a pequena vida esteja treinada, até que a pequena vida esteja cuidada e amada e tratada com carinho e instruída naqueles anos de formação quando 90% da personalidade é formada para sempre, querendo falar para este pequenino a respeito da verdade de Deus, preparando para o tempo quando o pequenino seria deixado no templo. A criança deveria ter, pelo menos, três anos de idade. Aqueles eram tempos muito importantes... tempos muito importantes, o pequenino aprendendo de sua mãe e amado por sua mãe

Nenhuma dúvida, ela tomou as regras de proceder de Deuteronômio e ensinou ao pequenino por todo o tempo as coisas do Senhor. Tão necessário! Dê a si mesma ao seu filho

Um homem chamado John Stiles foi uma criança como esta, resultado de uma mãe dedicada a Deus. Escute seus sentimentos. "Eu tenho adorado em igrejas e capelas. Eu tenho orado nas ruas. Eu tenho meu Deus e O tenho encontrado onde as ondas de Seu oceano batem. Eu tenho me ajoelhado na silenciosa floresta, na sombra de algumas árvores antigas, mas o mais amado de todos os meus altares era sobre os joelhos da minha mãe. Eu tenho escutado a Deus em Seu templo. Eu tenho captado Sua voz na multidão. Eu O tenho ouvido falar onde os britadores estavam estrondando e fazendo barulho, onde os ventos brincam suavemente nos altos da árvore, meu Deus tem falado comigo, mas eu nunca O ouvi mais claramente do que eu ouvi sobre os joelhos da minha mãe. As coisas em minha vida que são dignas foram nascidas no peito da minha mãe e viveram em mim pela maravilha do amor que sua vida expressou. Os anos que me têm trazido à idade adulta têm levado ela para longe de mim, mas a lembrança guarda de ficar demasiado longe dos joelhos da minha mãe. Deus, faz-me o homem da visão dela e remove-me do egoísmo. Deus, mantém-me sincero e fiel aos padrões dela e ajuda-me a viver para a abençoar. Deus, santifica a marca santa dos dias que se passaram mantem-me um peregrino para sempre ao altar que está sobre os joelhos da minha mãe."

Tal foi o testemunho de Samuel nos anos que Ana se dedicou a ele. Não há sobre a face da terra um mais alto chamado [e inspiração] na vida humana do que este tipo de chamado proveniente da devoção de uma mãe a seu filho. Ela não somente se dedicou ao filho, mas em segundo lugar, ela dedicou seu filho ao Senhor. Versículo 24, bem, realmente nós necessitamos ler o versículo 23, pois nós ainda não o lemos, "E lhe disse: Faze o que bem te parecer aos teus olhos; fica até que o desmames; então somente confirme o Senhor a Sua palavra. Assim ficou a mulher e deu leite a seu filho, até que o desmamou."

E então o fim do versículo 22 diz: "... então o levarei, para que apareça perante o Senhor, e lá fique para sempre." E ela dedica a criança desmamada a Deus. Assim o versículo 24: "E, havendo-o desmamado, tomou-o consigo, com três bezerros, e um efa de farinha, e um odre de vinho, e levou-o à casa do Senhor, em Siló, e levou-o à casa do Senhor em Siló, e era o menino ainda muito criança. E degolaram um bezerro e trouxeram o menino a Eli. E disse ela: Ah, meu Senhor, viva a tua alma, meu Senhor; eu sou aquela mulher que aqui esteve contigo, para orar ao Senhor. Por este menino orava eu; e o Senhor atendeu à minha petição, que eu lhe tinha feito. Por isso também ao Senhor eu o entreguei, por todos os dias que viver, pois ao Senhor foi pedido. E adorou ali ao Senhor."

Que cena! Ela não procurou nada dele [não procurou obter nenhum retorno, nenhuma futura vantagem do seu filho]. Ela procurou, não que ele tivesse alguma grande carreira em algum grande campo e ser famoso ou fazer muito dinheiro de modo que pudesse gabar-se dele. Ela procurou, não que ele devesse ser posto em uma situação onde ele pudesse se certificar que ele tinha bastante para cuidar dela em sua velhice. Não, ela deu essa criança para Deus. No entanto, ela nunca deixou cair sua responsabilidade por ele. Olhe o versículo 18 do capítulo 2. "Porém Samuel ministrava perante o Senhor, sendo ainda jovem, vestido com um éfode de linho." Em outras palavras, ele estava cingido como um sacerdote estaria vestido, mesmo sendo ele ainda um jovem. Sua vida inteira ele esteve ministrando diante do Senhor. "E sua mãe lhe fazia uma túnica pequena," versículo 19, "e de ano em ano lha trazia quando com seu marido subia para oferecer o sacrifício anual. E Eli abençoava a Elcana e a sua mulher, e dizia: O Senhor te dê descendência desta mulher, pela petição que fez ao Senhor. E voltaram para seu lugar. Visitou, pois, o Senhor a Ana, que concebeu, e deu à luz três filhos e duas filhas; e o jovem Samuel crescia diante do Senhor."

Realmente, ela nunca falhou em sua responsabilidade. Cada vez que ela vinha, ela vinha com uma nova túnica pequena para seu Samuel que crescia. Este é o resultado de uma mãe dedicada a Deus. E este é o critério - que você nunca deixa de ser mãe, não importa quão velhos seus filhos se tornem. Deus a abençoou. Eu desejo que nós tenhamos tempo para contrastar o resto da narrativa porque o resto do capítulo 2 até o capítulo 3 e o capítulo 4 é a tragédia pateticamente triste da família de Eli. Seus filhos eram fornicários. Morreram e ele mesmo caiu, como eu disse, e morreu. Foi uma cena feia e trágica. E o comentário da Escritura sobre Eli era que não poderia conter seus filhos de fazer o mal. E sua esposa nunca é mencionada. Eu não sei que parte ou participação ela tinha, mas estava bem longe do que Ana estava produzindo - um Samuel dedicado a Deus

Ser uma mãe dedicada a Deus envolve um relacionamento perfeito com o marido, um relacionamento celestial perfeito e um relacionamento perfeito no lar. Ana tinha tudo isto. Deus honrou tudo isto. E ela nos deu um modelo a seguir


 

[Aplicação]


Para terminar, deixe-me fazer-lhe algumas perguntas. O que isto nos diz e como nós o aplicamos? Antes de tudo, pergunte a você mesma se você é uma mãe dedicada a Deus. Você é uma mãe dedicada a Deus? Você está preparando-se para ser uma mãe dedicada a Deus? Você é, se você já tem idade, uma mulher de mais idade preparando mulheres mais novas a serem mães dedicadas a Deus? E aos homens eu digo: Vocês estão criando o ambiente em que a devoção da sua esposa dedicada a Deus possa ter o seu melhor efeito? E vocês estão criando os filhos que liderarão suas esposas a serem mães dedicadas a Deus? E a vocês, jovens, eu digo: Vocês estão honrando suas mães? Vocês estão obedecendo as suas mães? Se Deus lhes deu uma mãe dedicada a Deus, Ele deu o melhor dos presentes. Ninguém é perfeito, mas quando elas amam o senhor Jesus Cristo e passam isto para vocês, elas deram a maior coisa que poderiam dar. Você é agradecido? E há alguns que dizem: "Minha mãe não era dedicada a Deus." Você está orando por ela? Você está orando por ela e pedindo ao Espírito de Deus que de algum modo coloque você sob a influência de mulheres dedicadas a Deus que possam lhe mostrar as coisas que sua mãe nunca lhe mostrou?

A esperança para nossa sociedade, realmente, repousa na próxima geração que está nas mãos de mulheres dedicadas a Deus. Vamos nos curvar juntos em oração

Pai, nós Te agradecemos, esta manhã, pelo que Tu tens compartilhado conosco novamente, na liderança do Teu Espírito no ensino da Tua palavra. Nós estamos revigorados. Revigorados novamente para ver como claramente Tu nos tem dado o teste padrão para criarmos nossos filhos como uma geração dedicada a Deus. Abençoa as mães desta congregação. Perdoa-as, Senhor, como eu sei que Tu fazes pelas suas falhas, assim como Tu nos perdoas pelas nossas. Fortalece a todas elas. Aquelas que desejam ser mães, mantém-nas movendo-se para que possam, finalmente, estar, nesse lugar onde elas possam ser mães dedicadas a Deus. Quanto àquelas que, presentemente, são mães, que possam olhar para as virtudes que foram exemplificadas em Ana e fazer delas suas porções diárias. Quanto àquelas que estão além da idade em que criavam seus filhos, seus filhos já cresceram e se foram, que elas possam instruir as mais novas. E, Deus, nós oramos que Tu dês filhos às mulheres dedicadas a Deus, filhos que serão educados para se tornarem fortes, para andar com fé e coragem, para ainda educarem uma segunda geração que viverá para a Tua glória, se ainda Jesus demorar a voltar. Pai, neste final, nós oramos com gratidão, em nome de Cristo. Amém

 


Pr. John MacArthur
© 1997 Grace to You

Traduzido por Valdenira N.M. Silva, 2005




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)



(retorne a http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ ComFamilia/

(retorne a http://solascriptura-tt.org/ VidaDosCrentes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )