“QUE VESTIREI?”


por Cathy Corle



Dedicado a Sra. Dianne McDonald, usada de Dios como servidora, animadora, y amiga de mucha, mucha gente como yo.

Publicado por Dennis Corle Evangelistic Assoc.
En este momento todavia está permitido copiar este libro. No se debe vender.
"Revival Fires" Publishing, R. D. 1 Box 940, Claysburg, PA 16625. USA.

Valdenira N. de M. Silva traduziu, em abr/2000.
Rua Buarque 198, João Pessoa, PB, 58045-160, Brasil. 83.226.5219. . Visite
http://solascriptura-tt.org/






No início do nosso ministério, meu esposo me animou a que pusesse, numa fita cassete, algumas mensagens para senhoras. Como eu não tinha muita facilidade em falar, e talvez nunca terei, ele teve que me pedir várias vezes até me convencer [a atender o seu pedido]. Finalmente, decidi começar e um dos temas foi o vestir das mulheres, que recebeu o título "What In The World Should I Wear?" (“AFINAL, QUE DEVO EU VESTIR, NESTE MUNDO?”) O Senhor havia confirmado este tema em meu coração através da Sua Palavra, e eu simplesmente queria compartilhar o que creio, compartilhar que eu tenho a responsabilidade, diante de Deus, de vestir-me de uma forma feminina e pudica, e que tudo isto é segundo a Bíblia. Várias mulheres me disseram que esta mensagem havia respondido suas perguntas e as ajudou a entender e firmar convicções bíblicas como jamais o haviam feito.

Uma dessas mulheres foi Dianne McDonald, que insistia para que eu publicasse esta mensagem, a fim de que outras mulheres a pudessem receber. Creio que eu não estava convencida de que tinha algo a dizer que alguém mais não pudesse dizê-lo melhor, mas cada vez que falava com Dianne ela me assegurava que muitas mulheres seriam ajudadas [pelo meu estudo] e que era preciso que eu fazesse algo mais com este material. Mas, com um tempo muito cheio, sempre viajando, e além de tudo sendo mãe, com a escola e a revista mensal, eu realmente não tinha tempo.

Há alguns meses, o Senhor pôs convicção em meu coração através de várias mulheres que conheço, e também através de umas igrejas onde este tema havia antes causado os maiores (e mais desnecessários) problemas. Eu disse ao Senhor que não sabia se eu podia ajudar, mas que eu faria minha parte. Então, nos quatro meses seguintes, submeti uma série de artigos ao periódico americano “Revival Fires” ("Fogos de Reavivamento"), contendo o mesmo material que eu havia estudado anos antes. Pedi ao Senhor que me ajudasse, fiz o melhor que pude, e os artigos foram publicados.

O interesse me surpreendeu. Depois de cada artigo, muita gente me escreveu pedindo cópias, outras pedindo permissão para fazer cópias para as mulheres em suas igrejas. Mulheres escreveram. Homens escreveram. Pastores escreveram. Pais de família escreveram. Falaram por telefone. Muita gente me surpreendeu ao dizer que [a mensagem] era exatamente o que suas igrejas, suas famílias e elas mesmas, estavam necessitando em suas vidas.

Muitas pessoas têm pedido este material em forma de livro e aqui está ele. Espero que seja de grande ajuda como tem sido para mim e, creio, para outros também. Porém, se o for, não se agradeça a mim, porque provavelmente [sem um bom empurrão] eu não teria conseguido pôr nada no papel. Agradeçam a uma beleza de mulher que sabe animar as pessoas para que façam o que provavelmente já sabem que o Senhor quer que façam, mas não têm a confiança para fazê-lo. Muito obrigada, Dianne.





“QUE VESTIREI?”



PARTE 1


Alguma vez já lhe perguntaram isto? Eu já me perguntei. Quero que vocês façam esta pergunta literalmente: “Como hei de me vestir?” “Há disponível, neste mundo, roupa que seja realmente apropriada para mim, [isto é] que agrade a Deus e com a qual poderei dar bom testemunho com minha aparência?” “Há roupa que dê glória a Deus quando me apresento diante das pessoas?“

Quero que você prometa diante do Senhor que vai aprender como ELE quer que você se vista e prometa que você vai obedecê-Lo. Não estou pedindo que se vista como EU digo que é correto ou apropriado; mas a desafio que prometa ao Senhor que, o que você vir na SUA PALAVRA, você vai aplicar, instantaneamente, a seu guarda-roupa. Prometa que você não vai desobedecê-Lo quando Ele lhe mostrar qual é a Sua vontade sobre como você se vestir. Nós, como mulheres, necessitamos da ajuda de Deus nesta área de nossa aparência, porque Sua Palavra diz que somos “epístolas viventes”, e que os ímpios nos olham para determinar sua opinião sobre o [verdadeiro] cristianismo. Isto nos mostra que é importante, sim, 'o como' nos vestimos, e que tudo está relacionado com 'o que' somos, por dentro.

Esta mensagem não é dada com espírito mau [amargo e briguento], nem de crítica; mas com a intenção de amar e ajudar as mulheres que desejam fazer o que é certo. Precisamos de um guia definido, não de regras feitas por seres humanos, nem de suas preferências; precisamos de uma norma que venha diretamente da Bíblia e que defina como DEUS deseja que as mulheres se vistam.

Há algumas mulheres que pensam: “Gosto da roupa que tenho e não vou trocá-la por nada, nem mesmo para [obedecer e agradar] o Senhor.” Esta atitude não as ajudará. Mas eu sei que há mulheres que estão na mesma situação em que eu me encontrava antes, que querem fazer o que é correto, mas que não estão seguras do que [exatamente] é correto na área do vestir.

Minha atitude era: “Eu não vou trocar minha maneira de vestir para estar de acordo com cada pessoa que cruza meu caminho com idéias diferentes da pessoa anterior. Mas se eu soubesse exatamente o que DEUS quer, eu o faria imediatamente, para agradá-Lo.”

Muitas pessoas me diziam que roupa eu deveria usar e que roupa não deveria usar; mas ninguém me dava uma boa razão bíblica para tirar minhas dúvidas, e isto fazia com que eu tivesse pouca confiança no que me diziam. Aprendi depois que o problema não era que tinham normas erradas; mas que tinham normas “herdadas”, [isto é, normas meramente] recebidas de outros. Não sabiam o porquê delas, nem em que lugar poderiam ser encontradas nas Escrituras; e tão pouco sabiam o que Deus [Deus mesmo!] disse sobre como vestir-se apropriadamente.

Para as mulheres que sinceramente desejam fazer o que é certo, e para as que fazem o que é certo pelas normas que “herdaram”, creio que esta mensagem pode ser de verdadeira ajuda para estabelecer normas definidas diretamente das Escrituras, acerca de como uma mulher deve vestir-se. Permita, hoje, que o Senhor responda sua pergunta: ”Que vestirei?”




DE QUE SE TRATA?


A Bíblia tem muito que dizer sobre o mundo e a vaidade mundana na vida do crente. I Coríntios 7:31 diz: “E os que usam deste mundo, como se dele não abusassem, porque a aparência deste mundo passa.” Aqui temos um ensino básico que podemos aplicar às normas de vestir. Diz-se, em essência, que não é mal USAR do mundo; é mal ABUSAR do mundo. Um vestido decente e na moda não é mal. O fato de ser atrativa não viola princípios bíblicos; mas devemos vestir-nos atrativamente de uma maneira que mostre ao mundo nossa feminilidade e não nossa sexualidade.

Algumas pessoas têm a falsa noção que o belo é mal, que as mulheres devem vestir-se de roupa feia, preta, enorme e horrível, devem prender todo o cabelo e não usar nenhuma maquiagem para não chamar atenção. Mas Deus não fez as mulheres para serem feias! A mulher foi um ato de Deus para coroar a criação e Ele a fez mais bela que todas as paisagens de sua criação, todas as formosas obras da natureza, feitas por Suas mãos.

Por isto, quero que as mulheres saibam que nosso propósito sobre normas de vestir não é que as mulheres não sejam atrativas, mas ao contrário [que sejam radiante belas e honrosas a Deus, aos anjos, ao seu marido]. Se determinada classe de roupa está na moda, não podemos assumir que ela é automaticamente boa ou má. Necessitamos examiná-la à luz de uma lista (que estamos agora ajuntando) de versos da Bíblia. Não é mal USAR do mundo, quando há algo que satisfaz a norma bíblica de vestir. É mal ABUSAR do mundo, vestindo-nos com certa roupa só porque está na moda. Viola a Palavra de Deus e danifica nosso testemunho diante do mundo.

Que “a aparência deste mundo passa”, sabemos bem. A moda passa tão rápido que a roupa que antes era considerada “absolutamente indispensável” agora já não está na moda. Há uns dez anos, ríamos das fotos de nossas mães e asseverávamos que ninguém nos veria com aquele tipo de roupa; mas agora mesmo usamos algumas dessas roupas. Sem dúvida, [amiga,] suas filhas verão o mesmo ciclo de modas em suas vidas, se o Senhor tardar em voltar. Mas enquanto os últimos dias se aproximam, o Diabo põe mais pressão sobre o mundo em geral, e as modas do mundo em particular. Hoje em dia, há a nosso alcance menos e menos roupa que agrada a Deus.

 Este era um problema nos dias do pregador Charles Spurgeon [mil oitocentos e tanto]. Em um sermão ele anunciou: “Londres recebe suas modas diretamente de Paris, e Paris as recebe diretamente do Inferno.” Ele estava declarando mais verdades do que talvez damos conta. A Bíblia nos diz várias coisas muito distintas e claras acerca do mundano. Quando uma mulher se veste de uma maneira que anuncia sua sexualidade ou promove uma imagem de unisex, escutamos pregadores referirem-se às suas roupas como roupas mundanas. O mundanismo quase sempre se refere ao pecado de participação em práticas identificadas com o mundo.

As Escrituras definem “o mundo” não como um globo, mas como o sistema dominado por Satanás. II Coríntios 4:4 identifica Satanás como “o deus deste mundo.” Então o mundo é o reino que Satanás pôs para levar a cabo suas práticas e propósitos, para alcançar suas metas. Ser mundano é conformar-se aos desejos do deus deste mundo, da mesma maneira que o crente se conforma aos desejos do Deus do céu. Isaías 14:12-14 define as metas de Satanás: Ele quis ser igual a Deus para eliminar o [verdadeiro] louvor a Deus e ganhar o louvor para si mesmo, e para reinar sobre a criação, tomando o lugar de Deus.

 Por que é que os pregadores que temem ao Senhor pregam contra o mundanismo? É porque as coisas mundanas e o pecado roubam a glória que realmente pertencem a Deus e à justiça. Por que há tantos filmes mundanos? Porque glorificam toda classe de pecado e o apresentam como o Diabo quer que seja visto, para que o pecado não mais nos pareça sobremodo mal e pecaminoso, e nos acostumemos com sua presença. Por que se considera mundana a música rock e a música sertaneja? Porque sem cessar incutem maus padrões nas pessoas, através de letras [e ritmos] maus que passam a formar parte do subconsciente e afetam suas decisões. Examine as perguntas e se dará conta que o mundanismo tem participação com o reino de Satanás, permitindo que o Diabo seja glorificado e seja posto em um lugar preeminente em nossas vidas. O mundanismo, então, é um ato que traz glória ao reino de Satanás, da mesma maneira que a obediência ao Senhor traz glória ao reino de Deus. O mundano promove o pecado, enquanto a obediência a Deus promove a justiça. Você diz: “Eu não sou uma má pessoa por causa da maneira como me visto. Não sou uma fanática.” No entanto, a Bíblia é clara, não deixa dúvidas ao declarar que não há uma posição intermediária em nenhuma área de nossa vida. Tiago 4:4 diz: “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Contestar a norma de Deus no vestir, é eleger o vestir que promove o pecado e que traz glória a Satanás. O Diabo tem um estilo de roupa feminina concebida para promover sensualidade, fornicação, homossexualidade e toda classe de práticas vis. Spurgeon realmente estava dizendo a verdade quando disse que Paris traz suas modas diretamente do Inferno! Temos recebido mandamentos rígidos sobre a nossa relação com este mundo. Estes mandamentos refletem o perigo que o mundo representa para nossa vida espiritual. “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.” (I João 2:15-17). Deus não nos disse que não devemos amar o globo terrestre, ou não apreciar esta terra. Ele nos estava dizendo que não devemos amar o reino de Satanás aqui [na terra], nem nada do que ele representa. Conheço mulheres que se colocariam contra Deus antes de se colocarem contra suas roupas anti-cristãs. Amam mais ao mundo de Satanás do que a Deus.

Romanos 12:2 diz: “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” Não devemos nos esforçar para nos conformarmos ao mundo e nem para sermos aceitos pela maneira de viver do mundo. O Diabo está pronto para nos pôr no seu molde e nos deixar com a forma sua ou do mundo. Deus nos dá a alternativa de nos transformarmos à imagem de Cristo, a mesma forma de transformação que faz com que uma [asquerosa] lagarta se torne uma [linda] borboleta. Mas eu não posso ser ambas as coisas. Devo primeiramente me colocar contra a tentação de conformar-me ao Diabo, antes de poder ser transformada para a glória de Cristo.

A vaidade mundana danifica nosso testemunho, traz vergonha ao Evangelho de Cristo, apaga nossa consciência à voz e obra do Espírito Santo, e, separando-nos de Deus, impede nossa comunhão com Ele e a resposta às nossas orações. Não podemos ignorar os resultados da vaidade mundana.




PARTE 2


I Timóteo 2:9-10 diz: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos, mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.” Traje honesto, nesta passagem, não se refere a uma característica [subjetiva, vaga e indefinível] da roupa, mas se refere a um tipo específico [objetivo, preciso e definível] de roupa. “KATASTOLE” é a palavra grega que é traduzida como traje honesto. A definição literal da palavra é “PEÇA DE VESTIR COMPRIDA E FROUXA”. É com isto que podemos reavaliar nosso guarda-roupa! A norma bíblica para se vestir, então, é usar somente peças de vestir COMPRIDAS e FROUXAS, que ESCONDAM o corpo e até os contornos de uma mulher, que são reservados para apreciação [somente] pelos olhos de seu esposo. Que é que esta classe de roupas inclui?

Primeiramente, não inclui calças compridas como roupa feminina[1]. Algumas igrejas e escolas permitem que as mulheres usem calças compridas para esportes e atividades físicas, pois acham ser mais decorosos do que vestidos ou saias; mas não há nada de decoroso em calças compridas. Não há maneira de esticar a regra bíblica de “algo de vestir comprido e frouxo” de modo a incluir calças compridas. Talvez sejam compridas, mas não são decorosas. O corpo de uma mulher não está completamente ESCONDIDO com uma calça comprida, está somente exibido em outra cor [e textura]. Toda a anatomia deve ser pudicamente escondida e coberta, por um KATASTOLE; as coxas e as curvas são especialmente enfatizadas pelas calças compridas [das mulheres de hoje].

Uma amiga minha me disse que sua decisão de limitar seu guarda-roupa a vestidos e saias foi o resultado de um estudo bíblico feito por e para mulheres. Todos os argumentos e razões da professora que fazia a demonstração foram em vão, até que disse: “Permitam-me demonstrar-lhes algo.“ Pediu às mulheres que fechassem seus olhos momentaneamente. Afixou na parede uma grande pintura de uma bonita mulher com castas e atrativas saia e blusa, pediu às mulheres que abrissem seus olhos, e então perguntou: “Qual é o ponto central da figura [e que primeiro lhes atraiu a atenção]? Onde os olhos se fixaram naturalmente?" Todas concordaram que seus olhos foram primeiramente atraídos pelo rosto da mulher.

 Novamente pediu que fechassem os olhos. Quando abriram seus olhos viram um pôster grande de uma mulher com camiseta de malha e calça jeans [ambas mais ou menos justas]. Ela disse: “Sejam honestas com vocês mesmas, e digam-me: onde primeiro fixaram seus olhos no pôster?" Muitas mulheres presentes se surpreenderam ao notar que a maioria dos olhos foram primeiramente atraídos para a área dos quadris e a área das curvas acentuadas, antes de notar o rosto da mulher. Se isto ocorre num grupo de mulheres, quanto mais seria num grupo de homens? Para a minha amiga Joetta, esta foi toda a “evidência” que necessitava.

Calças compridas são mencionadas na Bíblia várias vezes e são chamadas de calções. Nunca são associadas com roupa de mulher. Falando da roupa dos sacerdotes, a Bíblia diz: “Faze-lhes também calções de linho, para cobrirem a carne nua; irão dos lombos até as coxas. E estarão sobre Arão e sobre seus filhos, quando entrarem na tenda da congregação, ou quando chegarem ao altar para ministrar no santuário, para que não levem iniqüidade e morram; isto será estatuto perpétuo para ele e para a sua descendência depois dele.” (Êxodo 28:42-43). [Estes calções são roupa íntima masculina, usada por baixo de roupas compridas, ver contexto.] Você só encontrará calças ou calções relacionadas com roupa masculina.

Deuteronômio 22:5 diz: “Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, quem faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus.” O dicionário define a palavra abominação como “algo extremamente sujo e totalmente odiável.” As ações categorizadas nas Escrituras como abomináveis são as mais terríveis imagináveis, tais como homossexualidade, bestialidade, bruxaria e outras ofensas graves. Deus nos disse que Ele é assim: Ele tem [a mais extrema] repugnância pelas mulheres que se vestem com roupas de homens. Mas quem disse que calças compridas são roupas de homens? Deus disse. Ao contrário da maneira pela qual temos sido enganadas pelas artes, televisão, etc., a roupa dos homens e das mulheres NÃO eram iguais nos tempos bíblicos. Havia uma grande distinção entre suas roupas.

A maior diferença entre a roupa masculina de agora e a daquele tempo é [apenas] que aqueles homens se vestiam com roupas mais compridas e abundantes que a roupa usada pelos homens hoje em dia. Por cima de tudo, havia uma longa-túnica. Em algumas ocasiões [de trabalho] a suspendiam até os joelhos, porém quase sempre iam até bem mais abaixo. Sob ela, a roupa dos homens incluía um calção [como um bermudão ou ceroulão comprido e frouxo] e um cinturão especial. Quando um homem não estava trabalhando, procurava ficar com este cinto folgado, para sua comodidade.

 Quando começava a trabalhar ou se envolvia com alguma atividade agitada, levantava alguns centímetros da cintura de sua longa-túnica externa e prendia esta dobra de sua vestimenta no cinturão usado com este propósito.

Isto livrava seus pés de atrapalhos e [de se arrastar na] lama, enquanto trabalhava. Todavia, o homem tinha bastante roupa posta, porque se vestia com calções compridos, por baixo de sua longa-túnica exterior. De acordo com os versículos anotados, estes calções eram suficientemente compridos para cobrir as pernas desde os tornozelos até as coxas.[2]

Como resultado, todas as vezes que a frase ”cingir os lombos” é mencionada na Bíblia, é sempre se referindo somente aos homens [levantando um pouco as suas longas túnicas, para que não se arrastem no chão]. O Senhor mandou Jó cingir os lombos por duas vezes e especificou que era isto uma prática exclusivamente para os homen. Jó 38:3 diz: “Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu me ensinarás.” Jó 40:7 diz: “Cinge agora os teus lombos como homem; eu te perguntarei, e tu me explicarás.”

Esta frase nunca é usada referindo-se a uma mulher, não há nenhuma outra referência que sugira que calças são roupas que mulheres possam usar. A prática de vestir-se com calças compridas internamente e com uma vestidura externa que nem sempre chega à batata das pernas, ou de levantar [mesmo que temporariamente] a orla das vestes externas deixando à mostra as pernas ou mesmo alguns centímetros das coxas acima dos joelhos [ainda neste caso elas estariam cobertas pelos longos e largos calções], foi somente praticada por homens e somente aprovada para homens, de acordo com a Bíblia.

O que leremos adiante é do Dicionário Pictórico de Zondervan: “Alguns artigos de roupa feminina levavam até certo ponto o mesmo nome e a mesma fórmula básica que a do homem, mas havia suficiente diferença... para que, na aparência, a linha de demarcação entre o homem e a mulher fosse detectada facilmente.” Vemos então que, mesmo à distância, era facílimo distinguir se um indivíduo era homem ou mulher. Temos uma desculpa esfarrapada quando dizemos que é aceitável que uma mulher se vista como homem e que um homem se vista como mulher, se pensarmos que isto se fazia nos tempos bíblicos. Isto simplesmente não é verdadeiro [de modo algum].

Seguramente vocês já ouviram falar do cantor de rock-and-roll, “Boy George”. Ele é um cantor de rock que se veste com roupa de mulher, usa cosméticos, usa penteados femininos e se faz e fala como mulher, quando canta. Uma publicação o descreve como “O mesclador de gêneros dos anos oitenta”. Deus nunca teve a intenção de que os sexos fossem confundíveis e Ele deixa isto bastante claro em muitas passagens da Bíblia. O Senhor pôs diferenças específicas entre o homem e a mulher quanto à roupa e ao comprimento do cabelo, para que uma pessoa imediatamente possa ser identificada pela sua silhueta; e nos deu mandamentos diretos e incisivos para que mantenhamos estas diferenças. Pessoas como Boy George estão transgredindo abertamente os limites que o Senhor colocou. São abomináveis a Deus. Deuteronômio 22:5 diz: “Não haverá traje de homem na mulher, e nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus.”

A seguinte carta foi escrita à colunista Ann Landers:



"Querida Ana:

 Tua coluna no periódico faz um enorme bem. Há pouco tempo tocaste num tema que me ajudou tremendamente. Eu sou um desses homens que gostam de se vestir com roupa feminina. Um pouco antes de publicares a carta chamada “Esposa de Bobette”, minha esposa descobriu a roupa feminina que eu tinha [e mantinha bem] escondida. Ela ficou histérica acusando-me de ser homossexual e marcou uma audiência com um advogado, para nos divorciarmos. Depois de ver tua coluna no jornal, ela cancelou sua audiência com o advogado e marcou uma consulta com o doutor. Ela trouxe consigo a coluna escrita no jornal. O doutor disse é verdade que muitos travestis não são homossexuais. Eles têm prazer em vestir-se com roupa feminina, mas não têm desejos de envolver-se em atividades homossexuais. Alguns homossexuais são travestis, por isso toda esta confusão. Sabendo muito bem que eu não posso deixar meu vício, minha mulher sai de casa durante uma tarde por semana enquanto eu "brinco de ser mulher”. Prefiro estar só sem ser observado e ela respeita meus desejos. Sempre me asseguro de que as crianças estejam dormindo, fecho as cortinas e não respondo à campainha. Agora que posso levar a cabo meu pequeno “joguinho” com o conhecimento e aprovação de minha esposa, sinto-me 100% melhor. Meus nervos estão calmos e já não tomo mais tranqüilizante. Agradeço por ela ser tolerante.

Um admirador de Ana"




Seguramente, você reagiu igual a mim. Que nojo! Não podemos imaginar um homem tão pervertido e desordenado que se excita em vestir roupa feminina. Não podemos imaginar o nosso esposo, ou uma outra pessoa conhecida [como nosso pai ou pastor], entretendo esses pensamentos. Só o pensar nisto nos traz repugnância.

Parece lógico que Deus está tão repugnado com isto como nós. Deuteronômio 22:5 diz: “...nem vestirá o homem roupa de mulher; porque, qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus.” Todo o bom senso nos faz saber que isto desagrada Deus.

 Mas espere! Quem disse que os homens não devem vestir-se com vestidos? Como vocês sabem que vestidos são somente para mulheres? Penso que sabemos isto da mesma maneira que sabemos sobre o tamanho do cabelo: pelo que disse a Bíblia e pelo que a [própria] natureza nos ensina. Deus programou em nosso conhecimento instintivo que as saias ou KATASTOLES [“peça de vestir compridas e frouxas”] são roupa de mulheres e os homens não as devem usar. Concordamos com Deus que tal prática deve ser considerada uma abominação.

Siga a linha de pensamento de Deus, por um momento: "Por que é que um homem não deve vestir-se com um vestido? Ah, boa resposta: Porque vestido é roupa só para mulheres! Bem, se um homem não deve vestir-se com um vestido, como deve vestir-se? Ah, outra resposta perfeita: com calças! Então não significa isto que calças são roupa para homens? Se um vestido é exclusivamente roupa de mulheres, que classe de roupa pertence [exclusivamente] e caracteriza um homem, na nossa cultura?"

Eu já vi homens de saias... e, claro, seguramente nunca me acostumarei com isto. Mas falhamos em recordar que há 75 anos as pessoas se escandalizavam ao ver uma mulher com calças compridas, como se escandalizam hoje ao ver um homem com uma saia. Era comum assumir que uma mulher que se vestia com calças compridas era uma aberração, como também o é o homem que se veste com saias ou vestidos.

Por causa de tudo isto, reconhecemos que o Diabo pode nos enganar para aceitarmos qualquer classe de pecado, e este é o perigo secreto da televisão [e da pressão do mundo][3].

Nesta geração, estamos tão acostumadas a ver mulheres de calças compridas que isto já não nos parece anormal; e muitas mulheres, nos anos 90, têm usado calças compridas por toda a sua vida. Vivemos em uma geração em que as moças, muitas vezes, nem sequer têm vestidos! Mas Deus não mudou. Deuteronômio 22:5 diz: “Não haverá traje de homem na mulher ... porque qualquer que faz isto, abominação é ao Senhor teu Deus.” Deus tem a mesma repugnância hoje pelas mulheres que se vestem com roupas de homem, como tinha quando a Bíblia foi escrita.

As saias para homens estão sendo introduzidas no mercado da moda e talvez em poucos anos, no futuro, serão tão comuns e aceitáveis como as calças compridas para as mulheres. Em um programa de televisão, Phil Donahue entrevistou desenhistas de moda sobre o futuro das saias para homens. Vários modelos estavam vestidos com saias, incluindo mesmo o Sr. Donahue. Quando a entrevista se abriu para comentários da parte da audiência, as mulheres não tardaram em declarar sua repugnância por tão ofensiva prática. Donahue lhes respondeu: “Se é mau que homens se vistam com saias, então é igualmente mau que mulheres se vistam com calças compridas.” Mas mulheres que insistem em que homens não devem vestir-se com roupa feminina estão dia após dia usando roupas masculinas! [Mesmo mulheres crentes!] [Que absurdo!].

Releiamos Deuteronômio 22:5 [tradução literal]: "As roupas apropriadas a um homem não estarão sobre uma mulher, nem um homem vestirá a indumentária de uma mulher: porque abominação para Jeová teu Deus [é] qualquer um fazendo estas [coisas]." O mandamento de distinção na roupa é dirigida mais específica e rigorosamente a mulheres do que a homens. Os homens simplesmente não devem vestir-se com roupa feminina. [Mas, quanto à mulher,] Deus disse que ela não deve vestir-se tanto com o que pertence a um homem, quanto também ordenou que ela não pode vestir-se com qualquer coisa que pareça roupa usável por um homem. [Note também:] não é a roupa que é abominável a Deus, são as pessoas que se vestem com tais roupas. “...porque abominação para Jeová teu Deus [é] qualquer um fazendo estas [coisas]." Quando a Bíblia usa a palavra abominação significa que este é um pecado gravíssimo. Certamente este não é um caso menos sério.

Continue conosco na parte três, onde veremos mais a fundo as normas de vestir segundo as Escrituras. Espero que você seja sincera e submissa ao esquadrinhar a Palavra de Deus para responder esta pergunta: “Que vestirei?”




PARTE 3


Primeiramente, falamos sobre o que é o ser mundano, que é exatamente o oposto de ser aquilo que agrada a Deus. Sermos mundanos significa participarmos de qualquer prática que glorifica a nós mesmos e ao pecado, e facilita os planos do Diabo para nossa vida; assim como o sermos agradáveis a Deus traz glória a Cristo, exalta uma vida santa, e expressa submissão ao plano de Deus para nossa vida. A roupa mundana, então, é qualquer roupa que não glorifica a Deus por minha aparência; é aquela que se destaca pela sensualidade; ou se apresenta contra o plano de Deus, não mostrando diferença entre o homem e a mulher.

Examinamos Deuteronômio 22:5 e I Timóteo 2:9, que ensinam claramente que a roupa apropriada para uma mulher consiste em uma “traje honesto, com pudor e modéstia” (decôro). Era somente para homens o “cingir os lombos” (Jó 40:7) expondo suas pernas e a parte baixa das coxas, cobertas com calças. O frouxo e longo vestido da mulher era deixado solto e as calças nunca fizeram parte do guarda-roupa que Deus quis que as mulheres tivessem.

Pus-me a pensar: “Por que este tema é tão explosivo?” Já ouvi pastores pregarem contra a música do rock-and-roll e as pessoas traziam suas fitas cassetes e discos, e quebravam a todos eles. Já escutei pastores pregarem contra o álcool, pornografia, novelas, e toda classe de pecados vis, e nunca ouvi ninguém tentar justificá-los. Mas é só o pastor pregar contra as mulheres que vestem calças compridas, shorts, biquínis e saias curtas [e vestidos/blusas decotados, de alcinhas, justos, transparentes, de barriguinha de fora, ou "reveladores"], e logo explode uma guerra mundial. Igrejas já se dividiram, amigos já se separaram e a obra de Cristo tem sido danificada porque muitas mulheres insistem em dizer que não há nada de mais [nessas roupas da moda], enquanto Deus diz que há. Por que é assim?

Homens afeminados, libidinosos, mulheres masculinizadas e homossexuais, são certamente mais comuns hoje que em qualquer outro tempo desde Sodoma e Gomorra. No entanto, nunca ouvi falar de homens salvos insistirem em se vestir com roupa de mulher em igrejas que pregam a Bíblia. Nunca vi homens serem convidados para vir ao altar deixar suas saias. Não é verdade? Isto não é um problema para os homens de nossas igrejas. Mas as mulheres que não querem renunciar a suas calças compridas têm sido responsáveis por muitas divisões em igrejas. Milhares trocaram suas membresias (ou completamente deixaram de ir a qualquer igreja) porque as calças tinham uma âncora [inarredável, um lugar muito importante] em seus corações.

Muitas mulheres não se rebelariam contra a pregação de qualquer outro tema; mas teriam um ataque histérico se um pastor se levantasse e pregasse sobre Deuteronômio 22:5 dizendo que as mulheres não devem vestir-se com roupa de homem. É óbvio que o Diabo cravou fortes garras [tem uma forte influência] na vida de muitas mulheres [mesmo salvas], nesta área. A santificação [isto é, a separação do mundo] em nossas normas de vestir, trará mais problemas para uma igreja do que qualquer outra coisa. Pergunto-me, novamente: Por que este é um tema tão polêmico?

Ao estudar este tema durante vários anos e examinar mais sobre o que a Bíblia diz sobre este assunto, tudo ficou mais evidente. Quando Deus deu as diferenças entre o homem e a mulher, Ele elegeu a mulher para que vestisse vestido e tivesse o cabelo longo, os quais são mais femininos. Deus ordenou que os homens se vestissem com calças e que tivessem o cabelo curto, os quais são por natureza mais masculinos.

A Bíblia é tão clara que podemos distinguir plenamente o que é apropriado e natural, a menos que nós nos tenhamos programado contra os ensinamentos naturais que Deus colocou dentro de nós. I Coríntios 11:14 diz: “Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido?” A natureza nos diz que um homem deve ter cabelo curto e que o cabelo da mulher deve ser o oposto e deve distinguir-se facilmente do cabelo do homem.

As distinções que Deus exige haver entre um homem e uma mulher devem apontar plenamente para a diferença de posição que Deus espera para eles em Sua hierarquia de autoridade. I Coríntios 11:3 diz: “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.” Assim como o cabelo curto fala da posição e responsabilidade do homem, as calças, sendo identificadas como roupa masculina, se tornaram símbolos da autoridade do homem.

A hierarquia de autoridade era um detalhe muito pequeno no plano original de Deus. Quando não havia pecado, não havia perigo de conflitos referentes a vontades ou direções. Mas tão logo entrou o pecado no mundo, a necessidade de autoridade e comunhão vieram com ele. Imediatamente depois da queda, em Gênesis 3:16, Deus detalhou Seu padrão [para a humanidade]. “E à mulher disse: Multiplicarei grandemente a tua dor, e a tua conceição; com dor darás à luz filhos; e o teu desejo será para o teu marido, e ele te dominará.”

Dr. Charles Keen, em uma de suas mensagens sobre o lar, disse algo assim: “Gosto que meus filhos reconheçam quem é o cabeça da nossa casa. E eles percebem e aceitam que o papai é o cabeça e que a mamãe está abaixo de sua liderança. Mas quando os dois estão cheios do Espírito Santo e operam em amor e consideração de um para com o outro, são poucas as vezes nas quais é necessário que esta hierarquia seja acionada e visivelmente demonstrada. Uma união perfeita, aquela que Deus quis [originalmente] para o matrimônio, não necessitou [muito] de uma hierarquia de autoridade. Mas hoje, como pecadores, temos que ter esta regra de autoridade em nossos lares. [Mesmo que,] quando o nosso propósito e desejo for unido, haverá pouca demonstração (a um expectador externo) de quem manda e de quem é submisso. Este é o tipo de clima amoroso que quero ver no meu lar”.

Com o pecado, veio a necessidade de autoridade e de submissão, e a Bíblia é clara em declarar que o comprimento do cabelo (verdadeiramente feminil) de uma mulher é uma manifestação da sua entrega interior à autoridade de seu marido. Imediatamente, depois destes versículos, a Bíblia segue dizendo: “Portanto, a mulher deve ter sobre a cabeça sinal de poderio, por causa dos anjos...Ou não vos ensina a mesma natureza que é desonra para o homem ter cabelo crescido? Mas ter a mulher cabelo crescido lhe é honroso, porque o cabelo lhe foi dado em lugar de véu.” (I Coríntios 11:10,14,15). A palavra “poderio” significa “jurisdição”,”privilégio, direito de governar” [referindo-se a seu marido]. Então, o cabelo longo de uma mulher mostra o direito de seu esposo ser seu cabeça.

Estes versículos nos dão normas específicas sobe o comprimento do cabelo de uma mulher. "Mas quão curto é curto e quão comprido é comprido?" Estou certa de que já ouvi esta pergunta antes! O cabelo de uma mulher deve ser suficientemente comprido para ser considerado um véu ou "ter um tamanho que cubra". [Cubra o que? Bem,] quando o cabelo de uma pessoa cresce ultrapassando as fronteiras entre o couro cabeludo e a pele sem cabelos, qual é a primeira coisa que cobre? A orelha e o pescoço, certo? Para passar no exame de I Coríntios 11, o cabelo de uma mulher deve ter o tamanho suficiente para cobrir [totalmente] as orelhas e o pescoço; e o cabelo de um homem deve ser curto para não tocar as orelhas nem o pescoço.

Deus disse que uma mulher deve ter cabelo comprido. Primeiramente, é um símbolo externo de sua submissão voluntária a seu marido. Segundo, Deus nos disse que isto é por causa dos anjos. Talvez a questão do comprimento dos cabelos não pareça algo muito importante a outras pessoas; mas Deus disse que, na área espiritual, isto é muito importante, porque é observado por seres espirituais. Devemos concluir, então, que não só os anjos, mas também Deus e Satanás, observam o comprimento do cabelo de uma mulher e o significado que ele encerra.

Vejamos outra vez I Timóteo 2: “Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia ... A mulher aprenda em silêncio, com toda sujeição. Não permito, porém, que a mulher ensine, nem use de autoridade sobre o marido, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão.” (versos 9,11-14) Deus nos mostra a relação entre o cabelo da mulher e sua voluntária submissão à autoridade dada por Deus. E nos mostra outra vez a relação entre uma mulher usando roupa pudica por fora e sendo submissa a seu esposo por dentro. Imediatamente depois do mandamento para a mulher usar vestidos compridos e largos, se mostra outra vez a hierarquia de autoridade. Não somente nosso cabelo, mas também nosso vestido é um sinal exterior de nossa submissão interna a Deus e a nossos esposos.

Na parte dois, com a carta de um pervertido escrita a Ann Landers, mostrei qual é nossa resposta natural quando um homem se veste com roupa feminina. Ninguém nos ensinou: “Isto é mau! Isto é mau!” Ninguém teve que fazê-lo. Já sabemos que é mau. Tanto como a “natureza mesma nos ensina” sobre o comprimento do cabelo de homens e mulheres, assim também nos ensina que é tão mau para o homem usar vestido quanto é mau para a mulher usar calças compridas.

A Bíblia nos mostra a relação entre a submissão e a rebelião de uma mulher no modo de se vestir.

Calças compridas sempre têm sido símbolo do homem e de sua autoridade. Quando se procura um banheiro público, vê-se duas portas sem palavras nelas. Uma porta tem pintada a sombra de uma mulher com saia e a outra a sombra de um homem com calças. Isto lhe causa dúvidas? Faz com que você se detenha em frente à porta e pense: "Qual é qual"? Claro que não! Já sabemos, pois calças têm sido associadas a homens, através dos séculos. [Características e exclusivas dos homens]. Mesmo o mundo o sabe. [Infelizmente, hoje, porém,] se tomássemos esses símbolos seriamente [segundo o uso recente], necessitaríamos de apenas um banheiro porque quase todo o mundo se veste de calças compridas hoje em dia. (Isto chegará a ser algo muito comum: um só banheiro para mulheres e homens!).

Por muitos anos, tenho escutado pessoas dizerem isto: “Não há dúvidas sobre quem veste as calças compridas nesta família.” As calças são um símbolo da autoridade do homem. Quando uma mulher se veste com calças compridas, mostra em seu corpo uma mensagem sobre o que há em seu coração. A Sra. Libby Hanford fez uma declaração de extrema verdade e poder quando deu título a seu livro: “Tua Roupa Fala Por Ti.” [Amiga,] a roupa que você usa diz muito de você mesma. Quase todas as pessoas que você vê todos os dias não se detêm para  lhe falar, mas podem ler claramente a mensagem que você dá, pela maneira como se veste.

Então, que dizem suas calças compridas de você? “Eu sou meu próprio chefe. Eu tomo as rédeas, e meu marido ou meus parentes não têm nenhum direito de dizer-me o que fazer. Eu recuso obedecer à autoridade que Deus pôs sobre mim.” Isto é clara e simples rebelião. O primeiro pecado na História foi a rebelião. Satanás se exaltou a si mesmo contra Deus e caiu de sua grande posição no céu. Todo pecado que já se cometeu provém deste pecado.

O primeiro pecado da humanidade teve suas raízes na rebelião. O Diabo prometeu a Eva: “Sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.” Parte da tentação que fez Eva cair foi o desejo de ser como Deus, não em santidade mas em poder e autoridade. Satanás animou Eva a compartilhar o pecado da rebelião e nos anima na mesma direção. Eu nunca compreendi porque o pecado de vestir-se com roupa de homem era tão grande abominação quanto as mais horrendas ações imagináveis. Eu não entendi isto, até que me dei conta de que o pecado da rebelião era a base de toda a questão.

De acordo com tudo que temos estudado na Bíblia, a mulher que veste calça comprida é claramente um símbolo de rebelião. É por isso que esta moda é uma das ferramentas favoritas usadas pelo Diabo. Note bem: depois de popularizadas, as calças compridas não saíram mais de moda, o que é o normal para todo artigo de vestiário. Calça comprida para mulheres é uma das seleções favoritas de “roupa mundana” que o deus deste mundo quer que usemos, porque indicam claramente seu pecado favorito: a rebelião.

Muitas mulheres são rápidas para citar  I Samuel 16:7 "... o homem vê o que está diante dos seus olhos, porém o SENHOR olha para o coração." Sim, é verdade. Uma pessoa que se cobre por fora, vestindo-se corretamente, mas cujo coração está cheio de maldade, não pode enganar a Deus. Deus olha o coração, mas isto não significa que Deus está cego à aparência externa. A Bíblia é muito clara em dizer-nos que nossa aparência é importante, se não fosse assim estes versículos não se encontrariam em suas páginas. Também não esqueçamos que “O homem vê o que está diante de seus olhos.” As pessoas não podem ver nossos corações para saber o que há dentro, mas elas podem discerni-lo pelo que estão vendo por fora.

Quando um caçador vê um pássaro gordo, com um bico grande e amarelo que caminha para o lago, mata-o antes de saber que animal é? Não, não faz isto. Você diz: “Ali vai um pato.” Agora, como se pode captar tanta informação sem ter visto o que havia por dentro? Será que Deus nos fez de modo que (quase) tudo que está por dentro possa ser identificado pelo que se vê no exterior?

Um livro é reconhecido por sua capa. O que está escrito na capa dá uma idéia geral do que se encontra em suas páginas. Ninguém colocaria por título “Como Cozinhar” na capa de um livro cheio de plantas de casas. Da mesma maneira, o que está dentro do nosso coração está claramente refletido para fora através de nossas ações, nossas atitudes e também nossa roupa. Se sua roupa fala por você, então o que está ela dizendo ao mundo?




PARTE 4


Quão rápido a gente esquece! Quando se fala de normas bíblicas de se vestir, muita gente olha como se nunca se tivesse escutado tais coisas. Mas eu me lembro, durante meus tempos de escola pública, quando eu ia comprar roupa para a escola: significava ter que comprar vestidos! Ou saias! Eu estava no quinto ano quando permitiram às professoras e às alunas vestir calças compridas na escola. As mulheres que trabalhavam no banco que ficava no outro lado da rua, eram obrigadas a trabalhar com vestidos como o era em quase todos os empregos.

Desculpe-me, mas eu não sou tão velha. Isto sucedeu há apenas uns 20 anos! Isto era o mundo, as igrejas e tudo o mais. Mas se você mencionasse isto a alguém agora, o olhariam como se estivesse se referindo às trevas da Idade Média . Como é que em 20 anos partimos do ponto em que as mulheres se vestiam com vestidos e saias em público, até o ponto em que muitas mulheres da minha idade, e as mais jovens, não têm um só vestido em seus guardas-roupas?!...

É só uma coincidência que, durante o mesmo período, o nível de divórcios subiu, de modo que, de cada 2 casamentos, 1 resulta em divórcio, e, em alguns lugares, há hoje mais divórcios que casamentos? Não é por acidente que durante estes 20 anos temos experimentado o maior desmoronamento tanto do lar quanto do papel tradicional e bíblico de esposos e esposas, o que tem afetado até mesmo as famílias dos crentes. Há, agora, mulheres que têm uma carreira enquanto seus esposos se tornam “o Sr. Mamãe” e ficam em casa com os filhos. Em muitas famílias o esposo e a esposa têm trabalhos diferentes, vivem vidas independentes um do outro e deixam que outros cuidem de seus filhos ou permitem que se cuidem a si próprios.

Da mesma maneira em que as mulheres têm recusado autoridade sobre si, ao “usarem as calças compridas da família,” estão também usurpando esta autoridade e causando este grande desmoronamento. Agora vivemos numa segunda geração onde muitos homens adultos foram criados em lares onde a mãe usava as calças compridas da família — não só nas roupas — mas também na autoridade. Talvez você pense que isto não é de muita importância mas, de acordo com as normas bíblicas, deveria se declarar emergência nacional.

Falamos sobre as roupas que não são corretas mas por que não ver o que é certo? Se você é como eu sou, apesar do seu desejo de fazer o que é certo na área de vestir-se, tem perguntas que não têm respostas. Uma das perguntas que eu tive que enfrentar acerca deste tema em minha vida foi a seguinte: “Se Deus espera que nos vistamos como as mulheres se vestiam na Bíblia, por que é que não temos que nos vestir com vestidos que chegam até o chão? Por que é aceitável vestir-se com vestidos que só chegam até abaixo do joelho?"

I Timóteo 2:9 é a base bíblica para estas normas de vestir; diz que uma mulher deve vestir-se com roupa pudica (grego Katastole), uma roupa solta e comprida. Isto aprofunda uma distinção a notarmos —- COMPRIDA. Novamente alguém vai dizer: “Quão comprida é comprida e quão curta é curta?” O mundo não se preocupa de ser demasiado mundano, mas parece que “os crentes” estão se esforçando muito para não serem "crentes demais". Por que é que queremos nos vestir como o mundo se veste e nos convencer de que Deus aprova isto? O mundo chama uma mini-saia de mini e, de alguma maneira, pensamos que podemos modificá-la para que signifique maxi. A Bíblia define quando comprido é comprido? Há alguma referência sobre o tamanho do katastole?

Babilônia é chamada, no livro de Apocalipse, de “a mãe das prostituições.” Nos primeiros versículos de Isaías 47, há um comentário de como a Babilônia deixou sua virgindade e se tornou prostituta. Creio que se refere a uma nação ou um império, mas penso que tem importantes ensinos literais para mulheres.

“Desce, e assenta-te no pó, ó virgem filha de Babilônia; assenta-te no chão; já não há trono, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada 'a tenra' nem 'a delicada'. Toma a mó, e mói a farinha. Remove o teu véu, descalça os pés, descobre as pernas e passa os rios. A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio; tomarei vingança, e não pouparei a homem algum. O nosso redentor, cujo nome é o Senhor dos Exércitos, é o Santo de Israel. Assenta-te calada, e entra nas trevas, ó filha dos caldeus, porque nunca mais serás chamada senhora de reinos.” Isaías 47:1-5.

Note primeiro que ela deixou sua posição real para sentar-se no meio do pó. Perdeu o encanto da inocência e pureza. Quando deixou isto para trás, se pôs a trabalhar um trabalho físico muito pesado. Cortou seu cabelo ["Remove o teu véu"]. E o mais importante para nós aqui é que descobriu suas pernas, mais especificamente [parte de] suas coxas. Aqui vemos que, no progresso de virgem ao ponto de converter-se em prostituta, ela descobriu [parte de] suas coxas. Um dos versículos diz: “passa os rios.” Eu penso que isto significa que cruzou os limites naturais dados por Deus. Em descobrir suas pernas e [parte das] coxas, a Bíblia diz: “A tua vergonha se descobrirá, e ver-se-á o teu opróbrio”; As Escrituras também seguem dizendo que nunca mais se poderá falar dela como uma virgem [ou mulher honrada, "senhora de reinos"]. Há algumas poderosas lições nesta passagem. O principal que desejo destacar é que, para Deus, descobrir [parte de] as coxas é o mesmo que se desnudar. Se alguém recomendasse a uma mulher que fosse ao comércio nua, nós nos horrorizaríamos. No entanto, há muitas mulheres que são salvas e pensam que está bem se estão apenas 75% ou 80% nuas. Parece que não queremos nos vestir de uma maneira ofensiva ao mundo, mas não pensamos se isto está ofendendo a Deus ou não. A nudez inclui o descobrir [parte de] as coxas, então somente um vestido folgado e comprido passa no exame de Deus como sendo roupa pudica, roupa que DEVE cobrir o corpo e as pernas da mulher até abaixo dos joelhos. E eu acrescentaria que deve cobrir [tudo de] as coxas sempre: quando você está parada, sentada, caminhando, inclinando-se e qualquer outra coisa que você faça. Você não encontrará um vestido ou uma saia que [escassamente] cubra os joelhos e que possa cobrir uma mulher pudicamente todo o tempo. Vestidos e saias devem ter um comprimento EXTRA, para você poder viver sua vida tranqüilamente.

A Bíblia fala do “enfeite da prostituta. ”E eis que uma mulher lhe saiu ao encontro com enfeites de prostituta, e astúcia de coração.” (Provérbios 7:10). Você já parou para pensar que tipo de roupa ela usava? Que era o que mostrava a imoralidade de uma mulher para que um homem soubesse que estava "disponível"?

Uma mulher não podia sair em público com roupa curta [ou justa] o suficiente que revelasse seu corpo. Mas uma prostituta revelava seu corpo tendo aberturas na saia para mostrar suas pernas enquanto caminhava. Revelar as pernas a homens era como “propaganda”. Não havia nenhuma dúvida nas mentes dos homens de que aquele era o "uniforme de uma prostituta". Durante nossa vida, temos visto a moda de saias com aberturas, mas esta moda não é nada nova. Estamos na era em que quase todos os estilos de roupa que são populares, há tempos atrás eram propagandas de prostitutas, por isso não é surpresa descobrir que só uma pequena percentagem de moças das escolas públicas mantêm sua pureza sexual até chegar ao altar matrimonial.

Se a roupa pudica significa katastole (uma roupa folgada e comprida que cobre completa e sobejamente as coxas), então não inclui os shorts. Nem as mini-saias. E, definitivamente, não inclui os maiôs de duas peças, os biquínis. Então você diz: “Mas eu uso um maiô pudico, de uma só peça.” O fato de seu umbigo estar coberto não faz seu traje de banho ser pudico. Não existe esta coisa de um traje de banho de uma só peça ser pudico, a não ser que cubra do colo até os joelhos, folgado e comprido. Não tenho escutado sobre este assunto, e você?

Se você não se deita em seu quintal sem roupa nenhuma, tão pouco deveria deitar-se lá com maiô. Deixe-me dar um exemplo da pregação de meu esposo: muitas vezes, ele pergunta: “Você se chatearia em explicar-me porque necessita bronzear essa parte do corpo que não planeja mostrar?” Se você estava planejando vestir-se pudicamente, então também pode se vestir pudicamente enquanto toma sol, pois toda a parte do corpo que pensa mostrar estará bronzeada. Não é verdade? Se as mulheres americanas estivessem mais preocupadas com o caráter de cada uma, seu caminhar com Deus, seu matrimônio ou seus filhos, do que com o bronzeamento de sua pele, este país não estaria em tão mau estado. Estou segura de que você espera que eu troque de tema, vamos em frente.

As mulheres devem vestir-se pudicamente. Leia sua Bíblia no [sol do] verão e veja se pensa do mesmo jeito no [frio do] inverno. A Bíblia não muda a cada temporada como seu guarda-roupa. Muito menos ela muda de local para local. Deus diz a mesma coisa para [o calor de] Miami como o diz para [o gelo de] Alaska. “Mas faz calor lá fora.” Estou segura de que também fazia calor nos tempos da Bíblia, quando Deus disse que as mulheres se vestissem pudicamente.

Eu escutei meu esposo dizer: “eu não sou contra o estar nadando com o sexo oposto: eu sou contra a nudez com o sexo oposto.” O problema não é a água ou o esporte, é a falta de roupa. Em nossos acampamentos de crentes, temos um horário para que as mulheres nadem privadamente, depois um horário para os homens. Mas o mundo não nos faz esse favor. Talvez haverá oportunidades quando sua família irá nadar ou brincar na água, mas todos deverão estar vestidos com roupas normais e com a condição de que elas não se façam transparentes quando molhadas. [Digo mais:] Ainda que você esteja vestida pudicamente, proponha-se que nunca deve expor seu marido, seus filhos ou você mesma a um ambiente onde outras pessoas estão mostrando sua nudez. (Se você leva seu marido à praia ou à piscina para que contemple mulheres de maiô e biquíni, você tem um oco na sua cabeça!).

O pastor Bill Goddard, em um sermão, apresentou o tema do "pudor no vestir" da seguinte maneira: “Se uma mulher viesse cantar um especial aqui no púlpito e se apresentasse em trajes íntimos, vocês ficariam escandalizados e enojados. Mas vamos supor que ela chegasse à plataforma da igreja para fazer um solo especial usando apenas sua roupa íntima, e tivesse pintado flores ou raios sobre esta, para fazê-la mais apresentável. Seria isto agora aceitável? Mas [que tal] se trouxermos um caminhão cheio de areia, umas palmeiras e água bonita que pudesse rodeá-la enquanto canta um antigo e lindo hino da fé, vestida só com a roupa íntima decorada com flores? Agora estaria tudo bem, verdade? No entanto, se a transferíssemos para a [verdadeira] praia (com seus verdadeiros coqueiros, a areia e o mar), seria agora mais tolerável que ela representasse ao Senhor e cantasse para Ele vestida só com roupa íntima decorada com flores? Se não seria correto cantar hinos vestida desta forma, então não é correto fazer nenhuma coisa vestida – [ou, melhor dizendo,] desvestida -- desta maneira. Nosso trabalho é representar o Senhor em todo o tempo".

Das mulheres que não se atrevem a aparecer à porta com roupa íntima, muitas não têm problema em sair ao pátio ou à praia em traje de banho que cobre do mesmo jeito, ou menos. Como é aceitável ao mundo, muito de nós só nos preocupamos em agradar ao mundo e então fazemos como eles fazem, e não nos importa o que Deus chama de nudez.

Se a Babilônia cruzou os limites dados por Deus quando ela descobriu [parte de] suas coxas e suas pernas para serem vistas publicamente, então Deus tem um limite ou uma fronteira de pudor para nós também. A Bíblia impõe o limite de os vestidos ultrapassarem sobejamente os joelhos, para só assim prosseguirmos na prova de Deus, para uma roupa pudica.

Talvez você se surpreenda ao aprender que não é somente Deus, a Bíblia e os pregadores antigos que pensam que uma mulher que descobre suas partes [coxas, colo, barriga, costas, etc.] é despudorada.. Mary Quant, a estilista que desenhou a mini-saia, disse isto: “Sou eu a única mulher que quer deitar-se com um homem [estranho] [ainda] durante a tarde? Qualquer mulher fiel à lei pensava que tinha que esperar até que escurecesse. Bem, há muitas mulheres que não querem esperar até à noite. Eu fiz as mini-saias para que um homem possa olhar para você e dizer: ‘Aqui está uma mulher que me dá tudo que quero. O vestido me diz isto.' "

A mini-saia foi introduzida há 20 anos e se conheceu como a marca registrada da revolução sexual. O mundo está de acordo que mostrar [partes das] coxas é convidar à imoralidade.

A Bíblia diz que se um homem olha para uma mulher cobiçando-a, já cometeu adultério em seu coração. Mas quando uma mulher provoca tal atenção pela maneira como se veste (ou realmente não se veste), então ela está pecando tanto quanto ele. Ela também cometeu adultério, em seu coração.

Aqui há uma porção do sermão do Dr. Jack Hyles, “Mini-saias à luz da Bíblia”: “Você sabe que o atrair um homem expondo em demasia seu corpo é um [vil e derrotado] “atalho” para você ser [realmente] atrativa? Você sabe o que é que [real, e pura e duradouramente] atrai um homem? O doce mistério [da feminidade] de uma mulher. Quando você se descobre e trata de atrair um homem, estritamente por meio de seus sentidos físicos, você está usando um [vil e derrotado] “atalho” para atraí-lo, e isto ultrapassa a maneira [eficaz e bíblica] como se deve atrair. A Bíblia diz: 'incorruptível traje de um espírito manso e quieto' (I Pedro 3:4); este é o doce mistério sobre a personalidade da mulher. Eu penso que você deve ser bonita e deve ser atrativa [interna e exteriormente]. Esta é a maneira [bíblica] de merecer e ganhar a atenção. Mas o expor seu corpo para chamar a atenção é uma maneira de recebê-la sem trabalhar por ela [ e sem merecê-la e sem conservá-la]. Qualquer uma pode chamar a atenção se não usar roupa, mas Deus manda que você seja uma verdadeira dama para receber atenção em decorrência do doce mistério da sua feminilidade.” Esta não é somente a opinião de um grande pastor; mas de um homem que sabe como os homens são afetados pela nudez do corpo de uma mulher.

Que tal a parte superior do corpo: o peito, o busto, os ombros, [as costas, e  a barriguinha]? Qual é a posição da Bíblia quanto a estilos decotados, vestidos de verão, etc.? Não há dúvida alguma de que a parte central do corpo deve ser coberto. Em Gênesis 2 encontramos Adão e Eva, esposo e esposa, em um estado de inocência. Não conheciam o pecado, não tinham uma natureza pecaminosa, nem desejos maus. Quando pecaram e perderam sua inocência, imediatamente perceberam a necessidade de usarem roupa. “Então foram abertos os olhos de ambos, e conheceram que estavam nus; e coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais.”  (Gênesis 3:7). Mesmo que em estado pecaminoso, se deram conta da necessidade de cobrir-se. Então, com sua lógica humana, decidiram fazer roupas com folhas de figueira. Quando Deus interviu, os cobriu com “longas-túnicas de peles” (Gênesis 3:21). Eu me dou conta que isto mostra a diferença entre a justiça feita por homens e o derramamento do sangue inocente por nossos pecados, mas não estou assinalando a diferença entre as folhas da figueira e as longa-túnicas de peles. O que eu quero é que você note a diferença entre aventais e longa-túnicas.

Você já se pôs a pensar quanto cobre um avental? Não muito! A palavra, em hebraico, significa uma cobertura para os lombos, talvez como a tanga das culturas pagãs. (Provavelmente, cobria mais do que a roupa que as pessoas [de hoje] usam na praia). Adão e Eva, no pior momento espiritual deles, sentiram a necessidade de cobrir-se. Mas o que eles creram que era suficiente, não o era para satisfazer um Deus Santo: o Deus Santíssimo fez para eles longa-túnicas de peles. Quanto cobre uma longa-túnica? Consideravelmente mais do que um avental, sem dúvida alguma! Provavelmente cobria o corpo tanto quanto um manto. Cobria todo o tronco e tudo das coxas.

Note que Adão e Eva estavam sós naquele lindo e enorme jardim-horto. Não havia ali outros homens que cobiçassem a Eva se ela fosse ao comércio. A única Pessoa que vinha visitá-los era Deus. Mas [depois da queda], para que pudessem ter comunhão pessoal com Deus, este quis que eles estivessem suficientemente vestidos (com roupas pudicas). Isto significa, então, que Deus considera a roupa pudica importante em nosso caminhar com Ele? Eu penso que sim.

Temos um Deus Santo que não pode ter comunhão com o pecado. Ele pagou o supremo preço e deu Seu Filho para morrer em nosso lugar para que nossos pecados fossem perdoados e pudéssemos ter comunhão com Ele. Toda a razão da santificação [separação do mundo e do pecado, para Deus] em cada área de nossa vida não é que possamos nos gloriar em quão bons somos, nem em quanto [mal] não fazemos. O propósito é limpar nossas vidas de tudo que é ofensivo ao Deus Santo, para assim podermos ter comunhão conSigo e gozarmos em caminhar e falar conSigo. Como, uma vez, Adão e Eva o fizeram no jardim do Éden.

“Por isso saí do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E não toqueis nada imundo, e eu vos receberei; E eu serei para vós Pai, e vós sereis para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-Poderoso” (II Coríntios 6:17,18). Deus nos manda “saí do meio deles” (em vez de "saí do mundo"), porque é necessário que nos separemos do mundo para que possamos nos aproximar de Deus.

Mas não tem sentido você separar-se do pecado [usando roupas como as das freiras romanistas, cegamente perdidas sob seu peso] se você não tiver uma doce comunhão com Deus e caminhar com Ele. A separação do mundo sem comunhão com Deus assemelha-se: aos israelitas no castigo do deserto, onde não podiam ter a comida do Egito [tipo do mundo], mas também não tinham o leite e o mel de Canaã; a diariamente recebermos alimento, roupa e moradia, mas não o calor e o afeto de uma família que nos ame e receba nosso amor. Em outras palavras, é LOUCURA. A resposta não é abandonarmos as normas de santificação, mas sim cultivarmos nosso doce caminhar com Deus [além da nossa separação do mundo].

Esta é a razão pela qual algumas pessoas se revoltam contra as normas bíblicas e voltam ao mundo. Consideraram as normas bíblicas como uma carga desnecessária, em lugar de vê-las como um caminho para apartar-se mais do pecado e chegar-se mais a Deus. Temos que cuidar para que a vida cristã não seja tomada como [mero] “Não farás”; temos que nos dar conta de que o propósito de Deus ao querer que deixemos para trás o errado e as coisas de pouco valor, é para que Ele nos possa dar algo muito mais maravilhoso e satisfatório a nosso espírito. Não fique presa ao deserto; mas siga separando-se do mundo e se achegando a Deus.

Duas mulheres estiveram conversando sobre a grande diferença em seus estilos de vida, mesmo sendo as duas salvas. Uma era uma crente obediente a Deus e separada do mundo, que vivia e se vestia de acordo coma a Bíblia. A outra mulher claramente levava a marca do mundo e isto era evidente em sua roupa, seus divertimentos e todas as áreas de sua vida. Tinha tudo que pensava que queria mas estava muito triste e invejava a paz e o contentamento que via na vida da outra mulher. Depois de falar por um pouco, ela disse [à primeira]: “Sabe, eu daria o mundo inteiro para ter a paz, o contentamento e a felicidade que tu tens.” A surpreendente resposta foi esta: “Que coisa! Isto foi exatamente o que custou a mim.”

Que vestirei? Eu só devo vestir-me com roupa pudica e folgada; Só com o que cobre [todo] o dorso e [todas] as coxas; Só com o que é claro e distintivamente feminino [isto é, para uso exclusivo e característico das mulheres]; Só com aquilo que passa no exame de Deus como sendo “um vestido comprido e folgado.” Não permita que a moda, a influência do mundo, a conveniência, o dinheiro que gastou com seu guarda-roupa mundano, ou um espírito rebelde, façam desaparecer o desejo de obedecer a Deus sobre este assunto. Se o mundo oferece a você uma moda que se conforma ao guia bíblico de katastole, então podemos desfrutar este estilo de roupa “usando mas não abusando” do mundo. A meta principal é que agrademos ao Senhor.

Quando começamos este estudo, eu a desafiei a orar e a prometer a Deus que obedeceria tudo que fosse lido na Bíblia (aquilo que não fosse um regulamento de homens, mas que certamente fosse o que Deus quer) na área de vestimenta das mulheres. Agora é a hora de relembrar esta promessa e fazer decisões específicas e mudanças [na sua vida]. Espero haver apresentado claramente o que o Espírito Santo e meu esposo pacientemente me ensinaram da Bíblia sobre este tema, nos anos passados, e haver respondido à pergunta que você se fez: “Que vestirei?




POR FAVOR DESCULPE MINHAS DESCULPAS [respostas a possíveis desculpas esfarrapadas]


P. Calças compridas não são mais pudicas do que vestidos, [ao menos] para algumas atividades?

R. Não, não são. A intenção de Deus não foi somente esconder a pele, mas sim esconder, também, os contornos femininos do corpo da mulher, que são intensamente mostrados nas calças compridas.

P. Não é demasiado inconveniente e incômodo usar vestidos todo o tempo?

R. Primeiramente, a conveniência e o conforto não devem ser fatores determinantes para o que fazemos. Devemos basear nossas decisões no discernimento do que é bom e do que é mau. Além disso, te sentirás mais cômoda com a roupa que usas mais. Quando decidires vestir-te só com vestidos e saias, e com pudicas saias-calças, então serão cômodos para ti, e com o tempo não poderás jamais imaginar-te à vontade com calças compridas.

P. Não é “legalismo” ter regras para sabermos como vestir-nos?

R. “Legalismo” significa agregar algo ao plano da salvação. Se eu te estivesse dizendo que tinhas que te vestir com um vestido para ser salva, então eu seria uma legalista. Mas não é isto o que estou dizendo. Jesus disse: “Se tu me amas, guarda os meus mandamentos.” Se eu realmente amo ao Senhor, vou querer agradá-Lo. Isto é simplesmente um estudo bíblico sobre o que significa agradar e obedecer ao Senhor como Ele diz na Sua Palavra. Se tu pensas que uma mulher deve vestir algum tipo de roupa para sair em público, então tens normas de vestir. A diferença é que tu adquiristes tuas normas do mundo, e nós as adotamos da Bíblia.

P. Se eu obrigo minha filha a vestir-se conforme a Bíblia, não estou fazendo com que ela se rebele?

R. Não, não é a regra contra comer doces que te dá cáries. São as más práticas, e não as normas bíblicas de vestir, que promovem a rebelião e o pecado. O que devemos fazer é ensinar nossas filhinhas porque temos normas de vestir, mostrá-las o que a Bíblia diz e animá-las a obedecer a Deus porque querem agradá-Lo, não só porque mamãe e papai dizem que é necessário. Ao invés de atender à rebelião e deixar de lado a obrigação de fazer o bem, por que não expulsar a influência de fazer o mal? Talvez você esteja tendo problemas com uma filha adolescente porque você a permitiu se vestir de maneira imprópria durante muitos anos e agora, de repente, você quer que ela efetue uma profunda mudança. Ainda assim, o correto é correto, e Deus abençoa nossa obediência. Mas eu enfrentaria a situação com muita oração, como nas mais cruciais decisões da vida, e rogaria a Deus que Ele fizesse a mudança no coração para igualar as mudanças exteriores necessárias.

P. Uma vez que algumas coisas mencionadas no capítulo 22 de Deuteronômio tratam de leis cerimoniais em vez de leis morais, não é contrário às Escrituras usar o verso 5 como um argumento contra as mulheres que usam roupa de homem?

R. Não! Uma coisa que normalmente se faz quando não se quer obedecer um mandamento da Bíblia, é alegar que é uma lei cerimonial ou se trata de outra dispensação. No caso de Deuteronômio 22:5, muitas pessoas têm dito que o mandamento é inválido porque o versículo 9 proíbe que sementes de diferentes espécies sejam semeadas juntas, e o versículo 11 proíbe vestir-se com roupas que  misturem diferentes tipos de fio. Estas eram leis cerimoniais que tinham um significado, um ensino espiritual. As leis cerimoniais acabaram quando Jesus morreu e proveu a forma verdadeira do que estas “figuras” representavam.

Apesar disto, as mesmas pessoas que dizem que o mandamento de distinção entre a roupa do homem e da mulher não é válido para hoje, nunca mencionam que os versículos de 1-4 tratam de preguiça e egoísmo, os versículos de 6-8 tratam de pecados sexuais como o adultério, a fornicação e o incesto. Será que estes temas são tratados como leis cerimoniais só porque aparecem no mesmo capítulo em que se manda não misturar diferentes tipos de fios em uma roupa de vestir? Será que isto significa que aqueles atos agora são aceitáveis? Os versos 6-8 poderiam ser tão facilmente considerados como parte do contexto de lei cerimonial quanto o versículo 5, que diz que uma mulher não deve vestir-se com o que apropriado ao homem; mas eu nunca escutei tal argumento ser usado para justificar o adultério, a violência ou o incesto. Os críticos contextuais por alguma razão nunca parecem notar estes versículos.

A segunda razão pela qual estou segura que não é uma lei cerimonial é porque é assinalada como uma abominação. Alguns dos atos mais malvados imagináveis são chamados de abominação. Homossexualidade, bestialidade, incesto, idolatria e atos de blasfêmia são assinalados nas Escrituras como “abominação”, incluindo os homens e mulheres que se vestem com roupa que pertence ao sexo oposto.

 



[1] Nota da tradutora: Embora concordemos com a autora em tudo o mais, embora concordemos que a esmagadora maioria das calças compridas vendidas nas lojas e usadas pelas mulheres são extremamente pecaminosas e abominação ao Senhor, sentimos que temos que esclarecer que não estamos plenamente convencidas de que devem ser consideradas masculinas e abominações ao Senhor as saias-calças, os vestidos-calças, e algumas exceções de calças compridas, a saber, aquelas calças compridas que uma mulher faça (ou mande fazer) especificamente para usar em atividades físicas envolvendo abaixar-se, subir escadas, correr e o risco de rolar pelo chão, e que sejam:


(1) de tecido caracteristicamente feminino (exemplo entre muitos: veludo ou cetim cintilante rosa choque e grosso; nunca blue jeans, nem brim de soldado ou de operário, nem qualquer tecido-cor usável por um homem); e

(2) com estilos de corte e adereços caracteristicamente femininos (exemplo entre muitos: rendas e bordados de florzinhas); e

(3) longuíssimas (da cintura [alta] até pelo menos bem abaixo dos joelhos); e

(4) frouxíssimas (depois de passar por dentro da cintura, qualquer objeto deveria cair sozinho e muito facilmente, imediatamente).

[2] Nota da tradutora: traduzimos "tornozelos" literalmente. Mas, pelo que entendemos de Exo. 28:42-43, teríamos dito "estes calções eram suficientemente compridos para cobrir desde os lombos e a cintura, até toda a extensão das coxas, chegando aos joelhos (ou ultrapassando-os)."

[3] Ênfase adicionada pela tradutora.

 

(retorne à PÁGINA ÍNDICE de SolaScripturaTT / VidaDosCrentes / Comigo )