Deus e o casamento divórcio divorciado divorciada separação separado desquite desquitado recasamento recasado recasada adultério adúltero adúltera fornicação pastor diácono família filhos




                   Queridos amigos:



                   Nestes últimos meses, Deus nos chamou a atenção para a terrível fera do divórcio rondando e querendo atacar pessoas que amamos. Passamos muito tempo lendo a Bíblia, orando, e até gemendo e chorando. Agora, Deus nos pôs no coração  compartilhar o que Ele nos ensinou (a partir da Sua Palavra) com todos os casais mais queridos a quem temos acesso. OK?
                   Deus lhes abençoe.

                   Hélio e Nira

 

DIVÓRCIO e RECASAMENTO,
 à luz da Palavra de Deus

 



 

 0) Preliminares: definições bíblicas do significado de certas palavras:

- Prostituição é qualquer favor sexual entre um homem e uma mulher sem marido, feito por dinheiro ou por outras recompensas materiais.
- Fornicação, num sentido1, estrito, é qualquer favor sexual entre um homem e uma mulher sem marido, feito consensualmente, sem ser por dinheiro nem por outras recompensas materiais. Fornicação, num sentido2, mais amplo, é qualquer atividade sexual não permitida por Deus, na Bíblia (isto inclui fornicação num sentido restrito, adultério, prostituição, homossexualismo masculino e feminino (lesbianismo), bestialismo, etc.)
- Casamento não é o ato de o homem, quer por estupro ou por fornicação consensual, ter favores sexuais de uma mulher (virgem, ou viúva, ou divorciada, ou prostituta, ou que é fornicária com outros homens). Casamento é a solene promessa mútua (explícita ou tácita, usualmente ante testemunhas e formalmente), entre um homem e uma mulher, de serem esposo e esposa, formarem um casal, uma família, serem uma só carne, indivisivelmente, até que a morte os separe.
- Adultério é quebra (de uma vez por todas fica quebrada) dos votos de um casamento.
- Adulterar é desrespeitar (de uma ver por todas fica desrespeitado), é infringir (de uma vez por todas fica infringido) o pacto de um casamento.
- Adúltero é quem adulterou (isto é, desrespeitou [de uma ver por todas fica desrespeitado], é quem infringiu [de uma vez por todas fica infringido] o pacto do casamento (seja o casamento do adúltero, ou o da adúltera). Assim, como quem já cometeu um assassinato leva a pecha de assassino até o fim da sua vida, do mesmo modo quem já adulterou uma vez carrega a pecha de adúltero até o fim da sua vida. Assim, como a perda da virgindade (ou a amputação de um braço) é de uma vez para sempre, do mesmo modo o adultério. Adúltero é quem passou do estado de jamais ter adulterado, para o estado de já ter adulterado.


 

1) Que Diz DEUS a Quem Quer se Divorciar ou Recasar?
 

Gênesis 2:23,24 Então disse o homem: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne (a) ; ela será chamada varoa, porquanto do varão foi tomada. (24) Portanto deixará o homem a seu pai e a sua mãe, e unir-se-á à sua mulher, e serão UMA só carne.(a)

     a) O plano de Deus é o casamento ser indissolúvel. Quem se divorcia sofre como se dilacerasse seu próprio corpo.



Deuteronômio 24:1-4
1 Quando um homem (b) tomar uma mulher e se casar (c) com ela, se ela não achar graça aos seus olhos por haver ele encontrado nela coisa vergonhosa (d), far-lhe-á uma carta de divórcio e lha dará na mão, e a despedirá de sua casa.
 

   b) Note, em todos os textos deste estudo, e em toda a Bíblia, que Deus nunca expressamente declarou aceitar, mesmo com desgosto, que a mulher (mesmo que “inocente” e o marido culpado) se divorcie!!!... Talvez aceite- com- desgosto, como o faz para com o homem “inocente”, mas ninguém pode ter esta certeza!... A Bíblia também não trás nenhum exemplo de uma mulher crente se divorciando do seu marido, mesmo que mau. Então, sem preceito e sem exemplo bíblicos, o melhor é a mulher realmente crente ir pelo lado da segurança... Isto é, reconhecer que Deus pode nem sequer aceitar- com- desgosto que uma mulher se divorcie, por motivo algum!...

   c) Para o judeu, o casamento tinha duas fases: a primeira, já indissolúvel (exceto por pecado sexual da mulher) ia da pública- e- oficial troca de juras de “viverem juntos até a morte”, até o dia de irem morar juntos; a segunda fase ia daí em diante e também era indissolúvel (também exceto por pecado sexual da mulher). Compare Mt 1:18,19 (José e Maria estavam casados, mas não tinham coabitado).
 
 d) Que é esta “coisa vergonhosa”, o ÚNICO motivo expressamente aceito- mesmo- com- desgosto por Deus para o divórcio? (“Tolerado”, não ordenado! “Com desgosto”, não com aprovação e prazer!). Vejamos:

- Quanto aos dias de Israel: era um pecado na área moral-sexual, grave, mas bem menor que adultério, lesbianismo, bestialismo, etc., pois estes deviam ser punidos por apedrejamento. Alguns motivos válidos para o divórcio poderiam ser, por exemplo: “brincadeiras sexuais” da mulher com outro homem, antes do casamento; sexo anal ou oral; sadismo ou masoquismo ou qualquer outra perversão; permanente e injustificadamente recusar-se a ter sexo com seu cônjuge; ou exigir pagamento ou impor pesadas condições para isto; exigir posições acrobáticas ou humilhantes; durante o ato conjugal, sussurrar palavras de amor a outra pessoa, ou exprimir repulsa/ zombaria/ insulto, ou gritar imoralidades a plenos pulmões para ser ouvida a quilômetros; viver conversando pornografia, etc.
- Quanto aos dias de hoje, onde não há apedrejamento: não se refere ao homem ter “deixado de vibrar” pela esposa, não se refere à “incompatibilidade de gênios”, nem às dezenas de outras desculpas esfarrapadas e sem- vergonhas de hoje: refere-se a pecado grave na área moral-sexual. Além dos exemplos anteriores, podemos adicionar: adultério, lesbianismo, bestialismo, etc.
- Compare Mt 19:3-9, abaixo.

2 Se ela, pois, saindo da casa dele, for e se casar com outro homem,(3) e este também a desprezar e, fazendo-lhe carta de divórcio, lha der na mão, e a despedir de sua casa; ou se este último homem, que a tomou para si por mulher, vier a morrer;(4) então seu primeiro marido que a despedira, não poderá tornar a tomá-la por mulher, depois que foi contaminada; pois isso é abominação perante o Senhor. Não farás pecar a terra que o Senhor teu Deus te dá por herança. (e)

   e) Este trecho (1-4) é cheio de condicionais, e não está ordenando nem prazerosamente aprovando o divórcio, só está limitando o mal de uma prática da época: SE um homem descobrir “coisa vergonhosa” na sua esposa, SE ele não puder perdoá-la, e SE ele a repudiar, ao menos dê-lhe carta de divórcio, e saiba (aqui está o mandamento!) que, SE ela vier a ser divorciada ou se tornar viúva de casamento posterior, jamais poderá ser aceita por esposo anterior (aqui está o mandamento!).
 



Oséias 3:1-3
Disse-me o Senhor: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, e adúltera (f), como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles se desviem para outros deuses, e amem passas de uvas. (2) Assim eu comprei para mim tal mulher por quinze peças de prata, e um hômer e meio de cevada; (3) e lhe disse: Por muitos dias tu ficarás esperando por mim; não te prostituirás, nem serás mulher de outro homem; assim também eu esperarei por ti.                  Oséias 2:7, 14-16 Ela irá em seguimento de seus amantes, mas não os alcançará; buscá-los-á, mas não os achará (f); então dirá: Irei, e voltarei a meu primeiro marido, porque melhor me ia então do que agora (f)  (14) Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração. (f) (15) E lhe darei as suas vinhas dali, e o vale de Acor por porta de esperança; e ali responderá, como nos dias da sua mocidade, e como no dia em que subiu da terra do Egito. (16) E naquele dia, diz o Senhor, ela me chamará meu marido; e não me chamará mais meu Baal.(f)                 Oséias 14:8 Efraim dirá: Que mais tenho eu com os ídolos? Eu o tenho ouvido e isso considerarei; eu sou como a faia verde; de mim é achado o teu fruto.(f)

f) O ideal de Deus é o cônjuge inocente mostrar graça, perdão, misericórdia, compaixão, amor. Oséias tipificou este amor perdoador da parte de Deus, quando o Senhor o mandou procurar e casar com uma prostituta, ela, depois de certo tempo, começou a traí-lo repetida e nauseantemente, mas ele misericordiosamente cuidou dela nos seus terríveis sofrimentos, pacientemente a esperou e perdoou, até que ela realmente se arrependeu e aprendeu a amá-lo!
 



Malaquias 2:14-16.
Todavia perguntais: Por que? Porque o Senhor tem sido testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, para com a qual procedeste deslealmente sendo ela a tua companheira e a mulher da tua aliança.(15) E não fez ele somente um, ainda que lhe sobejava espírito? E por que somente UM? Não é que buscava descendência piedosa? Portanto guardai-vos em vosso espírito, e que ninguém seja infiel para com a mulher da sua mocidade. (16) Pois eu detesto o divórcio, (g) diz o Senhor Deus de Israel, e aquele que cobre de violência o seu vestido; portanto cuidai de vós mesmos, diz o Senhor dos exércitos; e  não sejais infiéis.

g) Esta é a chave de toda a questão: Deus ODEIA o divórcio, a quebra do juramento “até que a morte nos separe”. Como o homem tem o coração duro e não perdoa como Deus nos perdoa, Deus com desgosto DISCIPLINOU o divórcio já praticado pelo homem, para limitar seu mal. Mas amar & perdoar são os ideais perfeitos de Deus para os nossos casamentos, mesmo se nossos cônjuges nos traírem: Deus ODEIA o divórcio! Há algo mais claro do que isto???...
 



Mat 5:31-32.
31 Também foi dito (h): Quem repudiar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. (32) Eu, porém, vos digo que todo aquele que repudia sua mulher (b), a não ser por causa de infidelidade (i,k), a faz adúltera; e quem casar com a repudiada, comete adultério.(i,j)

h) Este é dito dos homens, não de Deus, de modo algum: “O homem que quiser, divorcie-se de sua mulher, por qualquer motivo que alegue, desde que lhe dê carta de divórcio, para ela também ficar livre para recasar.”

i) Deus somente expressou aceitar- mesmo- com- desgosto um divórcio iniciado por um homem cuja esposa esteja em grave pecado moral-sexual. Quanto ao recasamento, isto é, casamento após o divórcio:

- Somente no caso do homem ser totalmente inocente (como isto é raro!) e a mulher ser culpada de grave pecado moral-sexual, Deus aceita- com- desgosto que a parte inocente volte a se casar (mas não com esposa que ele já divorciou e foi depois de outro homem, ver [e]).

- Deus expressou não tolerar que a mulher culpada volte a se casar.

- Deus não expressou aceitar- mesmo- com- desgosto que a mulher divorciada e totalmente inocente (que coisa rara!) volte a se casar. Talvez aceite- com- desgosto, como para com o homem inocente, mas ninguém pode ter esta certeza. A Bíblia também não trás nenhum exemplo de uma mulher crente, mesmo injustamente divorciada pelo seu marido, voltando a se casar com outro homem. Então, sem preceito e sem exemplo bíblicos, o melhor é a mulher realmente crente ir pelo lado da segurança... Isto é, reconhecer que Deus pode nem sequer aceitar- com- desgosto que uma mulher divorciada se case com outro homem, estando seu ex-marido vivo!... Ademais, há o terrível risco de que Rm 7:3 (abaixo) também se aplique à mulher divorciada (mesmo que seja  absolutamente inocente), ninguém tem certeza de que não... Compare também 1 Co 7:39-40, abaixo.
 

j) Pela construção da frase, vemos que “comete adultério” não expressa algo contínuo {*}, exprime apenas um ponto no tempo, não que o recasamento é um adultério CONTÍNUO. Por isso, não podemos exigir que um recasado, crente ou não, interrompa seu atual casamento. {* Ver nota de 1Jo 3:9, na Bíblia LTT Anotada)


 

Mateus 19:3-12. 3 Aproximaram-se dele alguns fariseus que o experimentavam, dizendo: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? (h) (4) Respondeu-lhe Jesus: Não tendes lido que o Criador os fez desde o princípio [um] homem e [uma] mulher (a), (5) e que ordenou: Por isso deixará o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois UMA só carne?(6) Assim já não são mais dois, mas UMA só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não o separe o homem (a). (7) Responderam-lhe: Então por que mandou (g,h) Moisés dar-lhe carta de divórcio e repudiá-la?(8) Disse-lhes ele: Pela dureza de vossos corações Moisés vos permitiu (g,h) repudiar vossas mulheres; mas não foi assim desde o princípio. (9) Eu vos digo porém, que qualquer que repudiar sua mulher (b) , a não ser por causa de FORNICAÇÃO (k), e casar com outra, comete ADULTÉRIO; e o que casar com a repudiada também comete adultério. (i3,j). (10) Disseram-lhe os discípulos: Se tal é a condição do homem relativamente à mulher, não convém casar. (d)  (11) Ele, porém, lhes disse: Nem todos podem aceitar esta palavra, mas somente aqueles a quem é dado. (12) Porque há eunucos que nasceram assim; e há eunucos que pelos homens foram feitos tais; e outros há que a si mesmos se fizeram eunucos por causa do reino dos céus. Quem pode aceitar isso, aceite-o.

k) “Porneia”, em Grego, abrange qualquer pecado sexual: fornicação (mulher solteira), ou adultério (mulher casada), ou prostituição (mulher paga), etc.


 

Rom 7:3. De sorte que, enquanto viver o marido (n) , será chamado ADÚLTERA, se for de outro homem; mas, se ele morrer, ela está livre da lei, e assim não será adúltera se for de outro marido (i3) .
 

n) Isto se refere a um marido não divorciado dela. Se ele já tivesse se divorciado, não seria mais seu marido, mais sim seu EX-marido. Contrário ao que dizem os romanistas, o divórcio (mesmo sem justificativa, errado, pecaminoso) dissolve o casamento, de modo que, mesmo no V.T., a mulher divorciada casava de novo sem ser considerada adúltera e ser (por isso) apedrejada. Note que Jesus, em João 4, pronuncia que a samaritana tinha tido 5 maridos (fica implícito que através de divórcio de cada um e casamento com o seguinte) e agora vivia com um homem em fornicação, sem casar, portanto Ele reconheceu que as 5 primeiras uniões tinham sido casamentos, casamentos válidos!


 

I Coríntios 7:10-15, 27, 39-40. Todavia, aos casados, mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido; (11) se, porém, se apartar (l) , que fique sem casar, ou se reconcilie com o marido; e que o marido não deixe a mulher. (12) Mas aos outros digo eu, não o Senhor: Se algum irmão tem mulher incrédula, e ela consente em habitar com ele, não se separe dela. (13) E se alguma mulher tem marido incrédulo, e ele consente em habitar com ela, não se separe dele.  (m) (14) Porque o marido incrédulo é santificado pela mulher, e a mulher incrédula é santificada pelo marido crente; de outro modo, os vossos filhos seriam imundos; mas agora são santos. (15) Mas, se o incrédulo se apartar, aparte-se; porque neste caso o irmão, ou a irmã, não está sujeito à servidão; pois Deus nos chamou em paz. (27) Estás ligado a mulher? não procures separação. Estás livre de mulher? não procures casamento. (39) A mulher está ligada enquanto o marido vive; mas se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor. (i3) (40) Será, porém, mais feliz se permanecer como está, segundo o meu parecer, e eu penso que também tenho o Espírito de Deus.

l) Em Grego, o verbo está na voz passiva, devia ser traduzido “for apartada”. Na Bíblia, a mulher pode sofrer a ação do marido dela se apartando, mas nunca pode praticar a ação de se apartar, divorciar-se do marido!
m) Deus não tolera, mesmo com desgosto, que o CRENTE (homem ou mulher), mesmo que casado com descrente, tome a INICIATIVA do divórcio (exceto o marido [inocente] de esposa em grave pecado sexual).



 

2) Como Tratar um Divorciado? (mesmo que ele tenha, para sua infelicidade, desobedecido todas as instruções do Senhor).

 

2.1. Com amor.

João 4:10 Respondeu-lhe Jesus [à Samaritana]: Se tivesses conhecido o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe terias pedido e ele te haveria dado água viva. 1 Tessalonicense 5:14 Exortamo-vos também, irmãos, a que admoesteis os insubordinados, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos. 2 Timóteo 2:24,25 e ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente;(25) corrigindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade,

 

2.2. Se ele e seu cônjuge não tiverem feito recasamentos: aconselhá-los a se arrependerem, se perdoarem, reunirem-se.

Provérbios 10:12 O ódio excita contendas; mas o amor cobre todas as transgressões.
Oséias 3:1-3; 2:14-15; 2:16;14:8
(bem acima).
Exortá-los a, além de pôr em 1o. lugar o temor e a glória de Deus, em 2o. as suas felicidades reais e eternas, devem também pensar nos filhos. Não queremos dizer que bons e felizes casais que são também bons pais tenham total garantia de que seus filhos serão salvos, bons e felizes. Mas o pecado tem repercussões até a 3a. e 4a. gerações (Ex 34:7), e TODAS as pessoas que NÓS conhecemos e que são profundamente incapazes de um casamento feliz (ou que são homossexuais, lésbicas, sadoquistas, masoquistas, ou pervertidos em geral), são filhos de um casamento desfeito e profundamente infeliz, são filhos profundamente amargurados e que odeiam ao menos um dos pais. Que aproveita a você, pai ou mãe, ganhar “o mundo inteiro”, e ver seu filho perdido???

 

2.3. Se ele ou seu cônjuge estiver casado com outra pessoa: aconselhá-los a se perdoarem

Provérbios 10:12 (acima).

e a manterem seus atuais casamentos (Deus nunca ordenou que devam romper ou prejudicar o atual casamento. Em Grego, “comete pecado [contra a repudiada]”, de Mt 5:32 e 19:9 [acima] não está no tempo contínuo. O se recasar do homem culpado [ou da mulher em geral] foi um pecado, sem dúvida, mas manter o atual casamento não é um pecado contínuo!).

 

2.4. Se o divorciado se arrepender de todos os seus pecados:

a) Pode ser salvo, crendo. João 4:10,18, 42 Respondeu-lhe Jesus [à Samaritana] : Se tivesses conhecido o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe terias pedido e ele te haveria dado água viva. (18) porque cinco maridos tiveste, e o que agora tens não é teu marido; isso disseste com verdade. (42) e diziam à mulher: Já não é pela tua palavra que nós cremos; pois agora nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.

b) Pode ser batizado e ser membro atuante de uma igreja local. Se o divorciado demonstra arrependimento sincero, se não vive de modo que seria disciplinado se fosse membro da nossa igreja local, se foi salvo e aceito por Cristo, por que seria recusado por nós? Atos 8:36,37 E indo eles caminhando, chegaram a um lugar onde havia água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? (37) E disse Felipe: é lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.Ver 2.3b, acima. Mas note que o bom senso indica que, se A divorciou B sem ser por causa de fornicação (e foi disciplinado por isso), depois casou com C (e foi disciplinado por isso), depois se arrependeu e pediu perdão de verdade à igreja, então A+C devem procurar ser membros de igreja diferente da de B.

c) Só não pode ser pastor nem diácono. 1 Timóteo 3:2,12.É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar; (12) Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.




 

(retorne à PÁGINA ÍNDICE de SolaScripturaTT / VidaDosCrentes)