Disciplina e treino dos filhos pelos pais, instrução ensino encorajamento, advertência castigo correção repreensão vara, com amor consistência firmeza, contra pecado rebeldia desobediência



 

 

 

 

 

 

 

3. Sucesso como Pais

 

 

 

3.1. Disciplinando seu Filho

 

- Dt 6:6-8 (a responsabilidade do pai).6  E  estas  palavras,  que  hoje te   ordeno,   estaräo   no   teu  coraçäo;7  e as ensinarás a teus filhos, e delas  falarás  sentado  em  tua  casa e andando pelo caminho, ao deitar-te e ao levantar-te. 8  Também  as  atarás  por  sinal na tua mäo   e   te   seräo   por  frontais entre os teus olhos.

- Pv 31:10-31 (a honra dada à mãe). 10  Álefe. Mulher virtuosa, quem a pode achar?  Pois  o  seu   valor  muito excede ao de jóias preciosas.       11  Bete. O coraçäo do  seu marido confia nela,  e  näo  lhe  haverá  falta de lucro.       12  Guímel. ...26  Pê.  Abre  a   sua  boca  com  sabedoria,   e   o   ensino    da  benevolência está na sua língua.       28  Côfe. Levantam-se seus filhos,  e  lhe  chamam   bem-aventurada,  como também seu marido, que a louva, dizendo:       29  Reche. Muitas mulheres têm procedido  virtuosamente,  mas  tu  a  todas sobrepujas.       30  Chine. Enganosa é a graça, e vä é a formosura; mas a  mulher que  teme ao Senhor, essa será louvada.       31  Tau. Dai-lhe do fruto das suas mäos, e louvem-na nas  portas  as  suas obras.

- Pais, tenham por motivação ... o bem (!) do ... filho (!). Tenham-no como sua mais santa responsabilidade!

- Filhos, tenham por motivação o mais forte desejo e determinação para um futuro de pleno (!) e real (!) sucesso!

 

 

0. Etapas de Deus no Desenvolvimento da Criança Judaica

“Sketches of Jewish Social Life”, por Alfred Edersheim.

Idade

Nome hebraico

Ênfase significativa

0-2

anos

 

JELED

JALDE

JONEK

OLEL

GAMUL

NOVO NASCIDO

DÁ-SE PRAZER BRINCANDO COM AS MÃOS

CONCENTRA-SE EM MAMAR

BEBÊ PEDINDO PÃO

DESMAMADO

2-5

 anos

TAPH

UNIDO À SUA MÃE

Começa a trabalhar em memorização aos 2 ou 3 anos. É instruído pelos pais. Aprende a orar, tanto a sós quanto em público.

5-10

 anos

ELEM

FIRME E FORTE

Começa a ler a Bíblia. Aprende as leis de Deus, gravando-as na mente. Começa a acompanhar o cântico congregacional, louvando a Deus através da música.

10-13

 anos

NAAR

JOVEM SACUDINDO-SE PARA A LIBERDADE

Compreende que não aprende somente por aprender, mas para praticar. Da Bíblia, aprendeu leis civis e criminais, e sobre sexo. Aprendeu o sentido do sacrifício (perdão dos pecados). Aprendeu agricultura e/ou uma 1a. profissão, prática, manual.

13-15

 anos

BACHUR

JOVEM GUERREIRO; FRUTO DESENVOLVIDO E MADURO

Barmizvah  (aos 13 anos) = “filho do mandamento”.

Plenamente responsável por todas as suas ações. Estuda a Bíblia em profundidade. Começa a pensar em 2a. profissão, liberal (“curso superior”), e em adquirir os background e pré-requisitos necessários.

15-18

 anos

ESTUDO DO TALMUD

Estudo da História. Estudo, na Bíblia e História, das biografias e palavras dos grandes homens de Deus. Estudos para uma 2a. profissão, liberal (“curso superior”).

18-20

 anos

CASAMENTO

20-30 anos

CHAMADO E ATIVO, PROGREDINDO NUMA PROFISSÃO

30-40 anos

PLENO VIGOR, MÁXIMA PRODUÇÃO DE FRUTOS

40-50 anos

MATURIDADE DA RAZÃO

50-60 anos

CONSELHEIRO

60-70 anos

COMEÇO DA VELHICE

70-80 anos

EMBRANQUECIMENTO DOS CABELOS

80-90 anos

VELHICE  PLENA

 

90-? anos

IDADE DE SE ENCURVAR

 

 

1. Ensine e Treine seu Filho (Enxerte, Internalize a Verdade nele)

- Pv 22:6  Instrui o menino no caminho em que deve  andar,  e  até   quando  envelhecer näo se desviará dele.

- Pv 15:2 A língua dos sábios destila o conhecimento;  porém  a  boca  dos tolos derrama a estultícia.

- Sem instrução, seu filho, para começo de conversa, sentir-se-á desamado, rejeitado, e perdido (sem uma sólida base de referência para fazer boas decisões).

- Um professor usa duas maneiras básicas para instruir:

·       sendo e dando, ele mesmo, um exemplo (praticando o que ensina); e

·       eficazmente comunicando informações específicas (sabendo muito bem o que ensina, e ensinando muito bem).

- Falha em qualquer dessas duas maneiras de ensinar lhe levará a meramente “reagir aos erros” do filho!... Isto é trágico: seu filho, sem poder compreendê-lo, lhe achará exagerado e, pior ainda, inconsistente, e tornar-se-á inseguro, desanimado, desesperado, revoltado contra regras, autoridades, e Deus!

 

 

1.     Antes de tudo, conheça perfeitamente, você mesmo, os princípios de Deus. Esta é condição sine qua non!

2.     Ensine estes princípios (eles são a única e perfeita fundação para o real sucesso do homem!!). Ensine com todo o seu esforço e paciência. Sl 19:7a.  A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma;

3.     Seja uma ilustração viva (e, também, use outras vidas como ilustrações). Sl 19:7b  o testemunho  do  Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples.

4.     Dê orientação prática de como proceder em situações específicas, de problemas reais. Sl 19:8a. Os preceitos do  Senhor  säo  retos, e   alegram  o  coraçäo;

5.     Proveja discernimento sobre a natureza humana. Use bons livros de histórias e bibliografias já preparadas com este fim, com  “moral da história”.  Sl 19:8b o  mandamento do Senhor é puro, e alumia os olhos.  Pv 21:1 Como corrente de águas é o coraçäo do rei na mäo do  Senhor; ele  o inclina para onde quer. (ou Pv 22:3  O prudente  vê o perigo e esconde-se; mas os simples passam  adiante e sofrem a pena.)

6.     Desenvolva, no seu filho, responsabilidade pessoal. Sl 19:9a O temor do  Senhor  é  limpo, e   permanece   para   sempre;

7.     Ensine-o a discernir e a fazer sábias decisões. Sl 19:9b  os  juízos do Senhor säo verdadeiros e inteiramente justos.

 

 

2. Advirta seu filho (desobediente),  comunicando (!)  ao seu   espírito (!).

- A advertência tem por propósito: clarificar e re-enfatizar a instrução.

 

1- Evite punir injusta e precipitadamente (cedo demais):

·       Você forneceu instruções prévias, totalmente claras? Se não, instrua seu filho de novo, ou melhor (com máxima clareza!).

·       Ele realmente as entendeu perfeitamente? Se não, instrua-o de novo, e certifique-se que ele lhe entendeu 100%!

·       Você ouviu todas as explicações e determinou todos os fatos sobre a “desobediência”? Se não, faça-o. Pv 18:13 Responder antes de ouvir, é estultícia e vergonha.

·       Você está no Espírito? Se não, espere até estar, antes de advertir ou fazer qualquer outra coisa.

2- Não torne o obedecer mais difícil do que tem que ser. Ef 6:4a E  vós,  pais,  näo  provoqueis  à   ira   vossos   filhos,  [mas  criai-os na disciplina e admoestaçäo do Senhor].

3- Use o advertir como um meio para desenvolver amor e comunicação efetiva [1], comunicação alma a alma. Se você falhou em comunicar as instruções corretas, use a oportunidade para também se corrigir, e peça perdão ao seu filho (!), por suas falhas.

4- Apelar para consciência do seu filho ajuda a avaliar se sua desobediência foi:

·       consciente e proposital. Daí, determine se

·       você foi inconsistente (peça perdão);

·       você agiu fora do Espírito e mostrou má atitude (peça perdão);

·       você violou seu senso de justiça (peça perdão);

·       ou tudo é somente rebeldia do seu filho, totalmente injustificada.

·       falta de clareza e eficácia na instrução (re-instrua e clarifique ao máximo);

·       esquecimento próprio da criancice (seja paciente);

·       imaturidade própria da idade (não espere mais da criança do que o que ela pode lhe dar!).

5- Você consistentemente ensinou seu filho (aos 2 ou 3 anos já pode aprender!) e ele realmente aprendeu os 3 níveis de disciplina?

·       Instrução: você lhe diz o que fazer;

·       Advertência: você discute a desobediência com ele, para determinar se ou não foi consciente e voluntária;

·       Punição.

6- Se a desobediência é repetida depois de punida, não volte à mera instrução/advertência: puna mais (ver seção 4, abaixo; talvez você tenha que reavaliar qual a punição mais efetiva).

7- Sua consistência (cumprir o bem ou o “mal” que prometer) motivará seu filho a obedecer depois de ser advertido.

 

 

3. Corrija (Puna) seu Filho.

- Pv 29:17  Corrige a teu filho, e ele te dará descanso; sim, deleitará  o teu coraçäo.

 

1- Faça seu filho compreender que você tem a inescapável responsabilidade de corrigi-lo, pois você ama a Deus e a ele, mas que Deus, Deus amoroso, é a autoridade final que corrige através de você! Sl 139:1-10 1  Senhor, tu me sondastes, e me conheces.  2  Tu  conheces  o  meu  sentar  e  o   meu   levantar;  de   longe entendes o meu pensamento.3  Esquadrinhas  o  meu andar, e o meu deitar, e conheces todos  os meus caminhos.  4  Sem que  haja  uma  palavra  na  minha   língua,   eis   que,  ó  Senhor, tudo conheces.  5  Tu me cercaste em volta, e puseste sobre mim a tua mäo. 6  Tal conhecimento é maravilhoso  demais para mim;  elevado é, näo  o posso atingir. 7  Para  onde me irei do teu  Espírito, ou para onde fugirei da tua presença? 8  Se subir ao céu, tu    estás; se  fizer   no   Seol   a  minha cama, eis que tu ali estás também. 9  Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, 10  ainda ali a tua mäo me guiará e a tua destra me susterá.

2- Antes de corrigir seu filho, lembre que, através da correção, Deus objetiva formar na criança:

·       obediência (para que ele aprenda a responder às autoridades e a Deus.);

·       respeito (habilidade para relacionar-se com as pessoas);

·       responsabilidade (que resulta em senso de real segurança).

3- Nunca embarace ou corrija seu filho em frente de outras pessoas (exceto se publicamente desafiado por ele?) Mt 18:15 Ora,  se teu irmäo pecar, vai,  e repreende-o entre ti e ele só;  se te ouvir, terás ganho teu irmäo;

4- Antes de corrigir, estabeleça a responsabilidade do seu filho pela ofensa. Pergunte, de forma não acusatória: “Que é que você fez?” ou “Que é que você devia ter feito?”.[2]

5- Visualize os benefícios supremos (eternos) da correção Pv 13:24 Aquele  que  poupa a vara aborrece a seu  filho;  mas   quem   o  ama, a seu tempo o castiga.

·       A que idade começar a corrigir? Quando a criança começar a resistir à vontade dos pais (geralmente quando ela começa a engatinhar e por em perigo a si ou a objetos frágeis e valiosos).

6- Antes de punir, faça uma pausa-de-silêncio-e-reflexão-mútua, reganhando sua compostura, seu controle pelo Espírito, orando silenciosamente por você e seu filho, e comunicando sincero pesar pela ofensa.

7- Use um objeto neutro (uma sandália japonesa, etc., não a mão que acaricia) para punição física Pv 29:15 A vara e a repreensäo däo sabedoria; mas a criança   entregue  a si mesma envergonha a sua mäe.

8- Use a menor quantidade de punição necessária (e suficiente) para quebrar a vontade rebelde (o durão que não chora ou o sirene que escandolosamente denuncia a todo o bairro que está prestes a apanhar) Quebre a vontade rebelde do seu filho, sem lhe quebrar o espírito; amanse-o, sem esmagá-lo/humilhá-lo/aleijá-lo. Pv 20:30 30  Os  açoites  que  ferem  purificam  do   mal;   e   as   feridas penetram até o mais íntimo do corpo. Pv 22:15 A estultícia está ligada ao coraçäo do menino;  mas  a  vara  da  correçäo a afugentará dele.

9- Conforte seu filho depois de corrigi-lo. Reassegure-o do seu amor, esteja bem-disposto para conversar, para dar afeição e atenção.

10- Ajude seu filho a fazer reparação-restituição (e assim reganhar uma consciência limpa).

11- Depois de acalmar-se totalmente, avalie as atitudes suas e de seu filho, na correção.

12- Quem deve administrar correção:

·       Normalmente o pai, se estiver presente.

·       A mãe, quando o pai não estiver presente, ou quando a desobediência foi a uma instrução dada por ela, diretamente.

·       O pai e a mãe devem sempre se apoiarem um ao outro nas correções ao filho. (Se há discordância, deve ser discutida privadamente, depois).

·       O pai deve ajudar a criança a aprender a corresponder ao invés de reagir contra a mãe, e a mãe deve ajudar a criança a aprender a corresponder ao invés de reagir contra o pai. É absolutamente essencial, para o bem do filho, que cada um dos componentes do casal ame e honre profundamente ao outro, e também ensine o filho a amá-lo e reverenciá-lo, sempre, em tudo, e totalmente.

13- Desobediência intencional deve ser punida mesmo depois de pedido de perdão!!! Hb 10:26 26  Porque se voluntariamente continuarmos  no  pecado,  depois   de  termos recebido o pleno conhecimento da verdade,     näo   resta   mais  sacrifício pelos pecados.2 Sm 24:10:18 10  Mas o coraçäo de Davi o acusou depois de haver ele   numerado  o  povo; e disse Davi ao Senhor: Muito pequei no que  fiz;  porém  agora,  ó  Senhor, rogo-te que perdoes a  iniqüidade  do  teu  servo,  porque  tenho  procedido mui nesciamente.       11  Quando, pois, Davi se levantou pela manhä,  veio  a  palavra  do  Senhor ao profeta Gade, vidente de Davi, dizendo:       12  Vai,  e  dize  a Davi: Assim diz o  Senhor:   Três   coisas   te  ofereço; escolhe qual delas queres que eu te faça.       13  Veio,  pois,  Gade  a  Davi,  e   fez-lho   saber   dizendo-lhe:  Queres que te venham sete anos de fome na tua terra;  ou  que  por   três  meses  fujas diante de teus inimigos, enquanto estes te  perseguirem;  ou  que por três dias haja peste na tua terra? Delibera  agora,   e     que  resposta hei de dar àquele que me enviou.       14  Respondeu  Davi  a  Gade: Estou  em   grande   angústia;   porém  caiamos nas mäos do Senhor, porque muitas säo as suas  misericórdias; mas  nas mäos dos homens näo caia eu.       15  Entäo  enviou o Senhor a peste sobre Israel, desde  a  manhä até  o tempo determinado; e morreram do povo, desde Dä  até  Berseba,  setenta  mil homens.       16  Ora,  quando o anjo estendeu a mäo  sobre  Jerusalém,   para   a  destruir,  o  Senhor se arrependeu daquele mal; e  disse  ao   anjo   que  fazia  a destruiçäo entre o povo: Basta; retira agora a  tua  mäo.  E   o  anjo do Senhor estava junto à eira de Araúna, o jebuseu.       17  E,  vendo  Davi ao anjo que feria o  povo,  falou   ao   Senhor,  dizendo:  Eis  que  eu pequei, e   procedi   iniquamente;   porém   estas  ovelhas,  que fizeram? Seja, pois, a tua mäo contra  mim,  e   contra   a  casa de meu pai.       18  Naquele  mesmo  dia  veio Gade a Davi,  e   lhe   disse:   Sobe,  levanta ao Senhor um altar na eira de Araúna, o jebuseu.

 

 

14- Se a correção falhar, lembre que a necessidade que a criança tem de ser aceita e amada, incondicionalmente, é maior que a de ser corrigida pelos pais! Lc15:20-24 20  Levantou-se, pois, e foi para  seu  pai.   Estando   ele   ainda  longe,   seu   pai  o  viu,  encheu-se    de   compaixäo   e,   correndo,  lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.       21  Disse-lhe o filho: Pai, pequei  contra o céu  e  diante  de  ti;  já näo sou digno de ser chamado teu filho.       22  Mas o pai disse aos seus servos:   Trazei  depressa   a   melhor  roupa, e vesti-lha, e ponde-lhe um anel no dedo e alparcas nos pés;       23  trazei  também  o  bezerro   cevado   e   matai-o;   comamos,  e  regozijemo-nos,       24  porque este meu filho  estava   morto,   e   reviveu;   tinha-se  perdido, e foi achado. E começaram a regozijar-se.

 



[1] Comunicar eficazmente não é meramente dizer o que você pensa, mas sim apresentar fatos por meio das mais adequadas palavras (e dos mais adequados tom de voz, expressão facial, expressão corporal, ambiente, ocasião, lições objetivas, etc.), de maneira a outra pessoa realmente entenda o que você quer dizer. Comunicar bem exige muito empenho, mas como vale a pena!

[2] Evite perguntar “Você fez isto?” (incentiva a mentir) e “Por que você fez isto?” (incentiva a desculpar-se, por culpas nos outros).



(retorne à PÁGINA ÍNDICE de SolaScripturaTT / VidaDosCrentes)