UMA PALAVRA DE ÂNIMO AOS VIÚVOS






A perda do companheiro de muitos anos desencadeia uma árdua luta contra a dor e a solidão. Os viúvos carecem de ajuda para fazerem os ajustamentos necessários.


Para quem padece desta solidão os ajustamentos a fazerem-se tornar-se-ão mais fáceis se forem seguidas as linhas mestras seguintes:


1. Exprime a tua dor.

Não reprimas os teus sentimentos. Afinal o Senhor Jesus também chorou perante a perda de um amigo (João 11.32-36). Não receies nem te envergonhes de fazer o mesmo. Não reprimas tais sentimentos. 


2. Reconhece que a vida continua.

 O sol ainda se levanta e põe todos os dias. Cada novo dia está cheio de desafios. Há trabalho a ser realizado, amigos para servir, filhos para cuidar e nutrir, e uma centena de outras coisas que poderíamos nomear - simplesmente porque a vida continua. Quando David soube que o seu filho Absalão tinha morrido pensou abdicar do trono, mas aceitou a repreensão de Joab e continuou a cuidar de Israel como Deus lhe ordenara. Abandona os sentimentos de auto-comiseração e recomeça a viver.


3. Aceita o teu novo papel.

Sabemos que é difícil alguém ver-se na responsabilidade de fazer coisas que provavelmente nunca fez. Mas, difícil quanto possa parecer, encorajamos-te a reconheceres o teu novo papel na vida. Com a ajuda do Senhor aceita o desafio e desempenha-o com sucesso. Nenhuma pessoa certamente quererá que façam por si o que ela mesmo pode fazer. Os teus entes queridos congratular-se-ão ao verem que consegues tratar das coisas. Não são poucos os casos de mulheres de sucesso que nunca tendo feito nada, porque o marido fazia tudo, lançaram mãos à obra e surpreenderam tudo e todos.


4. Aproxima-te mais de Deus.

Quanto mais unida a pessoa era ao ente querido que partiu, mais sente a sua falta. As horas que antes passavam juntos agora são vazias e mortas. O tempo agora parece pesado. Mais do que nunca precisas de andar perto do Senhor, em tais circunstâncias. Será louca a pessoa que desprezar o conforto e recursos que o Pai Celestial pode providenciar em tais circunstâncias. Podes conseguir isso lendo a Bíblia, reclamando as suas promessas, meditando nas suas passagens maravilhosas e reconfortantes, reflectindo na bondade do Senhor. Determina não apenas ler e crer mas também obedecer e aplicar a Palavra de Deus à tua vida. Quando a dor te assaltar é altura de te aproximares de Deus pela avenida da oração. Fala ao Senhor dos teus sentimentos de solidão e do medo que jaz diante de ti. Deixa-te dominar pela honestidade. Expressa os teus ressentimentos e fala-Lhe dos teus desejos. Pede-Lhe que te guie. Provérbios 3.5,6 diz: «Confia no Senhor de todo o teu coração e não te estribes no teu próprio entendimento.
Reconhece-o em todos os teus caminhos, e Ele endireitará as tuas veredas». Outra forma te aproximares mais de Deus é tornares-te mais consciente da presença do Espírito Santo. Ele é chamado O Espírito de Verdade, e habita em todo o crente facultando-lhe discernimento e inteligência. É chamado o Espírito de poder, fortalecendo o filho de Deus no nascimento de cada novo dia. Ao tornares-te bem relacionado com este Hóspede celestial experimentarás um novo sentimento de confiança. Descobrirás recursos ilimitados de força espiritual para enfrentares as tribulações da vida. Lê João 14.16. Assistir aos cultos na igreja é outro factor de importância capital. Quando te ajuntas com o povo de Deus em louvor e adoração, descobres brotar de dentro de ti uma paz interior profundíssima. Ao teres comunhão com o povo de Deus desfrutas do conforto e bênção da comunhão Cristã. E aprenderás mais de Deus e da Sua vontade para a tua vida através do ministério da Palavra de Deus.


5. Reentra na sociedade.

É depois da fase inicial do choque, depois de cessarem os telefonemas e visitas iniciais que o grande teste começa. Porque estavam habituados a nadar com o ente querido desaparecido, têm tendência a temer enfrentar sós o mundo. Tendem a enclausurar-se em casa e fogem da multidão. Não deixes que as circunstâncias te desencorajem. Decide envolver-te com familiares e amigos, envolve-te na vida da igreja, vai a lugares com pessoas. Não pares! Quando te convidarem para almoçar ou jantar, aceita. Quando houver eventos especiais com a família ou a igreja, participa. No princípio parecer-te-á necessário ir contra a vontade, mas no fim verás ser gratificante. Na medida em que relaxares e desfrutares de tais ocasiões verás como a dor se dissipará. As cores da vida surgirão de novo diante dos teus olhos.

(Autor anônimo. Copiado da Igreja em Quinta do Conde, http://www.terravista.pt/ilhadomel/1657/, cmo@net.sapo.pt)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentesVidaAmorosa/
retorne a http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/
retorne a http://solascriptura-tt.org/solascriptura-tt.org/)