Breves Respostas de Hélio a Perguntas de L.C. Sobre Divórcio e Recasamento





--- Ao amado irmão Hélio, boa noite!




Sei, através de seus e-mails, da sua super falta de tempo para responder e-mails, de modo que, se não puder responder-me este, fique à vontade, somente  gostaria que você encaminhasse o mesmo para o grupo, para algum irmão poder dar seu parecer sobre o que segue, e que deixou bastante triste:






+++ Comentário/Resposta de Hélio:  Caro irmão L.C.,

Vou tentar dar umas rápidas e sumárias palavras, mesmo correndo o risco (pela concisão das respostas) de ser mal interpretado por quem me acompanha a menos de 10 anos. Para isso não ocorrer, rogo que todos leiam os artigos em
http://www.solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/VidaAmorosa/index.htm, principalmente os de Londini, que são os artigos com que mais me identifico. Estes são os principais artigos sobre o assunto:

uma Abordagem Biblica para o Casamento e para o Divorcio - S. Montgomery   
Divorcio, estudo 1 - as Leis de Deus Contra Ele - V. Londini   
Divorcio, estudo 2 - o Perdao De Deus Para Ele - V. Londini   
Divorcio, estudo 3 - Pantanais Inrterpretativos sobre Divorcio Ou Recasamento - V. Londini   
Divorcio E Recasamento - R. Riffe   
Divorcio e Recasamento; Pastores Divorciados e Recasados - Helio   
Matrimonio, Separacao, e Divorcio - S. Montgomery    
Perguntas E Respostas Sobre o Divorcio - Helio     
Que Diz a Biblia Sobre o Divorcio - C. Gardner   
Marriage And Divorce -- Epp
Marriage, Divorce, And Remarriage -- Norman Jerome
ResumoCoy2.6 - Divórcio e Recasamento -- Hélio e Valdenira .
The Tragedy And Consequences Of Divorce -- Cloud



Mas SolaScripturaTT NÃO é um grupo “democrático” de “ampla troca de opiniões” mas, sim, uma newsletter quase que unilateral, um boletim quase de 1 só pessoa, que divulga estudos doutrinários na minha linha doutrinária e por mim escolhidos. É como uma editora de livros e artigos doutrinários por mim selecionados. Por isso, vou divulgar a todos seu pedido por opiniões, mas as respostas devem ser enviadas diretamente a si, irmão Luiz, apenas com um CC para solascripturatt@yahoogrupos.com.br, provavelmente eu só escolherei 1 ou 0 dessas respostas (se eu achar que estão na minha posição e acrescentam algo bastante importante aos artigos acima).







--- Esta tarde a Diretoria da Igreja Batista B. que sou membro (e diácono) esteve reunida, por minha solicitação, para saber a posição da mesma, com respeito à decisão do nosso pastor em querer aceitar como membro um casal de divorciados que estão na iminência de se casarem.

 

SITUAÇÃO DA IRMÃ QUE QUER SE CASAR DE NOVO:

Essa irmã (aproximadamente com 30 anos) namorou e se casou com um não-crente, contrariando toda a família e o próprio pastor (não o atual), que a orientaram incisivamente em não proceder assim, mas foi em vão: ela casou-se assim mesmo e, algum tempo depois, o marido a abandonou.





+++ Comentário/Resposta de Hélio: ela devia ter sido disciplinada quando se casou com o descrente, por que não o foi???

1 - Poderia esse casamento não ter sido "NO SENHOR", por ele não ser crente, e esse casamento não ter sido validado por DEUS, de modo que ela poderia se casar novamente, agora "NO SENHOR"?



+++ Comentário/Resposta de Hélio: TODO casamento civil (solene pronunciamento de promessa de eterna responsabilidade do casal um com o outro) é casamento aos olhos de Deus. O Senhor Deus não aceita esta desculpa “casei com descrente, portanto isso não foi casamento aos olhos de Deus” nem aceita esta outra “Quando eu casei e divorciei, eu não era crente, portanto, agora que sou nova criatura, Deus acha que aquele casamento não valeu, eu estou na posição ‘zerada’, como se ainda fosse uma virgem que nunca sequer namorou.”





2 - Ou ela, por ter assumido uma posição contrária ao ensino bíblico, ela sendo crente e casando-se com um não-crente, tendo sido abandonada por ele, mesmo assim não pode contrair um segundo casamento?





+++ Comentário/Resposta de Hélio: ela não deve contrair segundo casamento, este seria um ato, um pecado de ADULTÉRIO
(embora não seja correto dizer que o segundo casamento é um adultério CONTÍNUO, nem que ela continua casada com o ex-marido. Mesmo aos olhos de Deus, o antigo casamento está desfeito, o ex-marido é somente isto, EX-marido e não marido, e o segundo casamento, mesmo tendo começado com o terrível pecado de adultério, agora é um casamento aos olhos de Deus, as relações sexuais dentro deste segundo casamento são santas e não são adultério contínuo e devem continuar, os filhos não são bastardos, deve-se fazer tudo para protegê-los e a este segundo casamento, mesmo que começado como desobediência, pecado, e adultério. Veja os artigos de Londini e meus).





SITUAÇÃO DO RAPAZ QUE QUER SE CASAR COM A IRMÃ

Essa irmã novamente começou a namorar com outro não-crente, mas, acompanhando-a em nossos cultos,  ele veio a aceitar Jesus e se converter, e quer se batizar.



3 - E agora, como agir? Ele poderia ser membro da igreja? (Eu creio que poderia, mas não poderia se casar com a irmã divorciada).





+++ Comentário/Resposta de Hélio: este rapaz, mesmo nunca tendo se divorciado, estará cometendo ato, pecado de ADULTÉRIO ao se casar com a repudiada. Isto deve ser explicado a ele e a ela, lembrando-lhes que é uma coisa terrível um crente pecar deliberadamente. Ele só deve ser aceito para batismo e como membro se antes acabar todo e qualquer namoro com ela. Posteriormente, se voltarem a namorar e, pior, se casarem, ambos devem ser disciplinados (embora não seja correto dizer que o segundo casamento é um adultério CONTÍNUO, nem que ela continua casada com o ex-marido. Tanto aos olhos da justiça como, muito mais importante, aos olhos de Deus, o antigo casamento está desfeito, o ex-marido é somente isto, EX-marido e não marido, e o segundo casamento, mesmo tendo começado com o terrível pecado de adultério, agora é um casamento aos olhos de Deus, as relações sexuais dentro deste segundo casamento são santas e não são adultério contínuo e devem continuar, os filhos não são bastardos, deve-se fazer tudo para protegê-los e a este segundo casamento, mesmo que começado como desobediência, pecado, e adultério. Veja os artigos de Londini e meus)





De acordo com essa situação, eu entreguei ao pastor um estudo bem sério, mostrando que não existe possibilidade de um segundo casamento, pelo menos para essa irmã divorciada, estudo que, tanto o pastor, como toda a Diretoria, estão de pleno acordo, e unanimemente concordam com a minha posição, que é a Palavra do Senhor, ou seja, eles não deveriam se casar.





+++ Comentário/Resposta de Hélio: concordo plenamente contigo, irmão.





Porem, a posição do pastor é: "Eu prefiro ver a irmã casada, vivendo direitinho com seu novo marido, do que, se não aceitar essa situação, e também não aceitá-los como membros, correr o risco de ver essa irmã fora da igreja e "cair no mundão!", e tudo isso ele diz que aceita "POR AMOR!".

Ou seja, "POR AMOR" ele irá contra o ensino bíblico para demonstrar o  seu grande amor por ela, assim como Cristo ama a todos nós, pecadores, e como o demonstrou com a mulher adúltera!

 

Essa opinião foi aceita pela maioria da Diretoria da igreja, de modo que, com muita tristeza, estou decidindo deixá-la hoje mesmo, pois a conclusão do pastor foi a seguinte: eu poderia convocar uma assembleia e, caso o meu parecer fosse aceito pela igreja, ele aceitaria tal fato, mas imediatamente pediria demissão do pastorado e deixaria a igreja.

 

4 - Ora, penso eu: é melhor eu sair dessa igreja, do que o pastor, que tem o aval da Diretoria. Estarei errado assim procedendo?




+++ Comentário/Resposta de Hélio: Ora, irmão, como você é quem está defendendo uma posição bíblica, e o pastor está defendendo uma hipócrita não apoiada pela Bíblia, então você tem a OBRIGAÇÃO de não recuar, a luz não deve fugir das trevas, a verdade da falsidade, o certo e bíblico do errado e anti-bíblico. Que o caso seja julgado pela igreja como um todo, toda ela reunida em assembleia. Aja com firmeza mas com serenidade. Aparentemente há 90% de probabilidade de você sair derrotado, mas sairá com felicidade em seu coração, de que foi justo e fiel a Deus. Mas esteja preparado para a surpresa de ver a igreja ser mais fiel que imagina, o temor do Senhor cair sobre ela e ela tomar a posição da Bíblia e da verdade. Claro que o ideal seria o pastor se arrepender, pedir perdão, e continuar. Mas, se isto não ocorrer, pior para ele, não para sua vida espiritual, Luiz.





Ainda: temos um amado irmão como membro, que, devido problemas familiares, há uns 20 anos atrás desmanchou seu casamento, depois arrependeu-se, mas não foi possível um retorno, de modo que, até hoje, ele mantém sua aliança no dedo anular da sua mão esquerda, mantém sua fidelidade, e quando perguntado, ele responde com muita convicção que a sua esposa é a "Fulana de tal", ou seja, ele é exatamente o "eunuco que se castrou a si mesmo por amor à Palavra".

 

Daqui a alguns dias, essa igreja terá dois membros distintos: o que se mantém fiel ao seu casamento durante os 20 anos de separação, e a irmã que, com a conivência do pastor, é divorciada e se recasou! E eu não quero ser hipócrita de amar esse irmão, de verdade, e fingir que estou feliz com a irmã recasada e falsamente cumprimentá-la.

 

Infelizmente, temos aqui em São Paulo um pastor batista b. que, após alguns adultérios de sua esposa, separou-se e casou-se novamente, colocando antes seu cargo de pastor à disposição, porém a igreja decidiu mantê-lo no pastorado. Essa igreja cresceu e continua crescendo com a direção desse pastor, porém ele nunca mais foi convidado pela Convenção Batista  Bíblica a pregar em outras igrejas, etc.

Esse fato foi mencionado em nossa reunião, assim como o caso de Davi com Bate Seba, o caso de Abraão e Sara, etc. Ou seja, que Deus, por seu infinito amor, abençoa situações de casamentos ilícitos.

 

5 - O que poderia ser dito à respeito desse pastor e do grande crescimento de sua igreja?





+++ Comentário/Resposta de Hélio: se eu fosse pastor e se tivesse ocorrido comigo tal tragédia, eu preferiria me afastar do ministério, para não servir de pedra de tropeço a ninguém. Mas, na realidade, considero que tal pastor teve sua separação da esposa adúltera aprovada por Deus, e pode recasar, sem absolutamente nenhum pecado dele. Portanto, seria somente para não pôr tropeços a outros que eu não continuaria pastor. Mas, se noutra cidade do Brasil um pastor nessa situação, e sua igreja, decidem que não há perigo de escandalizar ninguém, e se decidem juntamente que ele pode continuar no ministério, eu não jogarei pedras sobre ele, apenas não serei membro de sua igreja, pois eu acho que há muitos católicos fervorosos e sinceramente enganados que se escandalizarão.





Algum irmão poderia me ajudar a responder essas 5 perguntas acima?





+++ Comentário/Resposta de Hélio: vou divulgar a todos seu pedido por opiniões, mas as respostas devem ser enviadas diretamente a si, irmão Luiz, com um CC para o solascripturatt@yahoogrupos.com.br, provavelmente eu só escolherei 1 ou 0 dessas respostas, se eu achar que estão na minha posição e acrescentam algo bastante importante aos artigos acima.


 

L.C.C.



************ MARÇO 2015 **********************

PERGUNTA DE LLLL:
Hélio, tenho ouvido acusações terríveis de P contra o senhor, com muito ódio acusando-o de ser um miserável divorcista a ser desprezado. Isso é verdade?


RESPOSTA DE HÉLIO:
Eu admiro e amo P como meu irmão e um grande homem de Deus, e gostaria muito de ainda gozar de sua amizade. Ademais, quanto ao divórcio, eu penso 100% igual a P no seguinte, que reconheço como o mais puro (e claro, explícito, indisputado) ensino da Bíblia:

0. Casamento é a troca das promessas (se homem e mulher as trocaram frente a Deus, ao juiz e à sociedade, e, imediatamente depois, antes da noite nupcial, um deles foi sequestrado e levado para um pais distante, 10 anos depois voltou e encontrou seu cônjuge com algum relacionamento com outra pessoa, isto é adultério, portanto não é a primeira relação sexual que define o casamento, são as promessas que fazem o casamento, e é a quebra das promessas que definem o adultério). Trocaram as solenes promessas ante Deus e juiz e sociedade? Então estão casados, mesmo se nunca lhes for permitido a noite nupcial, e mesmo se o homem já teve outra esposa.
1. Alguém casou? Digo que nunca, jamais, por motivo nenhum, deve pedir divórcio, pensar nisso já seria adultério (quebra da promessa) no coração e aos olhos de Deus;
2. Pensou em divorciar? Eu elevo a voz, em alta voz indignada ralho, repreendo e censuro severamente, admoesto, e digo o mesmo de 1;
3. Divorciou? Eu digo o mesmo, que já isso é adultério (quebra da promessa) e voto pela retirada do rol de membros da igreja, até que haja arrependimento e volta à esposa, que encorajarei com todas minhas forças;
4. Pensou eu recasar? Eu digo o mesmo de 3, ainda mais fortemente
5. Recasou (casou com outra pessoa)? Eu digo que isto foi horrível adultério (quebra da promessa) e eu voto pela retirada do casal do rol de membros da igreja (se eles ainda forem membros dela) até que haja arrependimento, ambos publicamente digam à igreja "pecamos miseravelmente, estamos arrependidos por termos tido este segundo casamento, fazer isso foi horrível adultério (quebra da promessa), que devemos fazer agora?"


A partir daqui (depois de ocorrido o divórcio e de ter havido o segundo casamento) penso um pouco diferentemente do que P pensa:

6. Acredito que o segundo casamento (os votos, as promessas) é (sim) casamento aos olhos de Deus. Começou como adultério, os dois levarão para sempre o adjetivo de adúlteros (tais como um assassino leva para sempre este adjetivo, mesmo que se arrependa e nunca mais mate nem mesmo uma mosca), mas não é adultério CONTINUADO e incessante, não é adultério a cada vez que mantenham relações sexuais, e não acredito que o segundo casamento deva ser desfeito através do novo pecado que seria o segundo divórcio. Certamente, nos dias do NT, existiram milhares de convertidos que tinham tido um casamento anterior, não é? Mas nunca vi, no NT, ordem para os homens recasados abandonarem suas segundas esposas e voltarem para a primeira, ou então viverem como eunucos.
7. O casal recasado e arrependido deve ser perdoado, mas deve procurar e ajuntar-se a OUTRA boa igreja (onde não esteja a ex esposa)
8. O casal recasado e arrependido de antes ter se divorciado e ter recasado, este casal onde o homem está vivendo bem com sua segunda esposa (sim, segunda esposa) pode adorar a Deus nos cultos da igreja, pode servi-Lo com seus dízimos e ofertas, pode evangelizar seus parentes e amigos, pode servir a Deus de várias maneiras, e o homem somente não pode, jamais nem sob nenhum disfarce, ser pastor, nem diácono, nem missionário, nem ter nenhum cargo de liderança na igreja.


Algum dia espero que possamos conversar pessoalmente, irmão LLLL. Mas esta é minha posição sobre o assunto do divórcio e segundo casamento.

Eu não tenho problemas em ter a maior amizade com salvos como P., nunca me afastaria dele apenas por causa de sua posição sobre o divórcio, só não posso trair o que penso se ele, por exemplo, algum dia viesse a me pedir apoio na decisão prática de deixar de falar e jamais receber em casa seu pai ou sua mãe ou filho ou sogro ou sogra, porque se divorciou e recasou. Nem lhe daria meu apoio se ele, a cada vez que avistasse seu pai ou mãe ou filho recasado, quisesse correr até ele e gritar "adúltero, adúltero, adúltero!" até a polícia vir para acalmar os ânimos.

Eu lamento profundamente que P. seja um proposital distorcedor de palavras e de fatos, ao viver dizendo que eu sou um divorcista, o que significa, segundo os dicionário "Pessoa que é favorável ao divórcio, faz rasgados elogios ao mesmo, considera-o um enorme bem a ser adquirido, e ardentemente promove campanhas para encorajá-lo." Eu não sou nada disso, como qualquer pessoa honesta pode ver do que resumi acima. Se P não quiser me presentear com sua amizade, pelo menos deveria deixar de tão indignamente distorcer fatos e minhas palavras, e de inventar pensamentos que eu nunca tive e palavras que eu nunca disse. Isso me bastaria.


Hélio.




 




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)



(retorne a http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ VidaAmorosa/

(retorne a http://solascriptura-tt.org/ VidaDosCrentes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )