“A Bíblia não é a inspirada, inerrante e historicamente verdadeira Palavra de Deus”.

Texto de Will Kinney



        A maioria dos cristãos modernos já não acredita que a Bíblia seja a inerrante Palavra de Deus.

Esta declaração, a princípio, parece chocante e muitos pastores e cristãos irão reagir, violentamente, afirmando acreditar que a Bíblia É a inerrante e infalível Palavra de Deus.

         Contudo, após um exame mais profundo, logo é possível descobrir que, quando eles se referem à BIBLIA INERRANTE, não estão se referindo a algo que realmente exista em parte alguma desta Terra. Eles estão falando de uma Bíblia [virtual e] mística, a qual existe apenas na sua imaginação, diferindo sempre uma da outra, para cada pessoa, em particular.

         Conforme um teólogo liberal afirmou em sua visão da obra de Harold Lindsell, “The Battle for Bible”, a única diferença verdadeira entre as posições conservadoras e as liberais sobre a Bíblia, é que os conservadores dizem que a Bíblia COSTUMAVA SER inspirada e inerrante, enquanto os liberais afirmam que ela NUNCA FOI INSPIRADA E INERRANTE. As duas posições concordam em que a Bíblia já não é inspirada ou inerrante. [NOTA DA TRADUTORA: Conservadores, aqui, tem o sentido (que consideramos nada elogiável) de não guerrear pela verdade mais pura, como os fundamentalistas, mas somente não ir na linha de frente da apostasia liberal, ir seguindo o mais atrás possível, meramente guardar tradições, conservar o status quo]

         Conforme o irmão Darryl Coats afirmou corretamente em seu artigo - “The Two Lies”:Se a Bíblia foi inspirada somente nos manuscritos originais, ninguém, em toda a história mundial, jamais possuiu uma Bíblia inspirada. Os autógrafos originais de Jó e os livros de Moises, já haviam desaparecido mais de mil anos antes que o primeiro livro do Novo Testamento fosse escrito; de modo que ninguém jamais possuiu uma Bíblica completa feita dos “originais divinos.” Também pessoa alguma jamais possuiu um Novo Testamento feito dos “originais inspirados”, porque esses originais foram distribuídos entre pouco mais de uma dúzia de pessoas e igrejas locais”.

         Deus disse, em Amós 8:11:
Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR.

O Senhor Jesus Cristo também declarou, em Lucas 18:8: Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?”

         O Apostolo Paulo referiu-se à vinda do Senhor Jesus Cristo e à nossa reunião com Ele, na 2 Tessalonicenses 2:3: Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição.

         O número de cristãos professos que não acreditam num tipo de Bíblia inspirada “para se apanhar com a mão e ler”, tem crescido no decorrer dos anos, desde que o dilúvio da múltipla escolha conflitante e contraditória das modernas versões da Bíblia começou a aparecer, há uns cem anos.

         Os testemunhos seguintes, sobre o caráter do ‘evangelicalismo’ de hoje, foram dados por líderes-chaves do ‘evangelicalismo’. A ironia é que exatamente esses homens fazem parte do problema que lamentam. Cada um deles tendo sido culpado de endossar as modernas versões da Bíblia.

MAIS E MAIS ORGANIZAÇÕES E INDIVÍDUOS, HISTORICAMENTE COMPROMETIDOS COM UMA ESCRITURA INFALÍVEL, TÊM ABRAÇADO E PROPAGADO A VISÃO DE QUE A BÍBLIA CONTÉM ERROS. Este movimento - distanciado da firme posição histórica - tem sido mais detectável entre os que se rotulam neoevangélicos. Esta mudança de posição com respeito à infalibilidade da Bíblia, está amplamente difundida e tem acontecido nas denominações evangélicas, nos colégios [e universidades] cristãos, nos seminários teológicos, nas casas publicadoras e nas sociedades eruditas”.
(Harold Lyndsell, ex-Presidente e Professor do Fuller Theological Seminary e editor emérito da Christianity Today, “The Battle for Bible”, 1976 - p20).

DENTRO DO EVANGELICALISMO EXISTE UM NÚMERO CRESCENTE QUE ESTÁ MUDANDO SUAS VISÕES SOBRE A INERRÁNCIA DA BÍBLIA, DE MODO QUE A AUTORIDADE FINAL DA ESCRITURA ESTÁ COMPLETAMENTE MINADA. Mas, isso está acontecendo muito sutilmente. Mas também, como a neve que margeia a estrada, as novas visões sobre a autoridade da Bíblia, muito ao contrário do que os neoevangélicos acreditavam até recentemente, percorrem um longo caminho. O que a princípio parecia ser uma pequena diferença, no final faz toda uma diferença do mundo. Comprometer a autoridade final da Escritura, mais cedo ou mais tarde afeta o significado de uma vida teologicamente cristã e de como vivemos na total amplitude da vida humana”. (Francis Schaeffer, “The Great Evangelical Desarters”,1983 - p. 44).

O método neutro do estudo da Bíblia conduz ao ceticismo com relação ao texto do Novo Testamento. Isto era verdade muito antes do dias de Westcott e Hort. Lá pelo início de 1793, Griesbach escreveu: “o novo testamento abunda em mais subtrações, adições e interpolações, propositadamente introduzidas, do que qualquer outro livro”. A visão de Griesbach foi compartilhada por J.P. . Hug, o qual, em 1808, adiantou a teoria de que, no século 2, todos os textos do Novo Testamento tinham se tornado extremamente degenerados e corruptos, e que todos os textos do Novo Testamento que sobreviveram e chegaram até nós não são nada mais que revisões editoriais deste texto corrompido. Em 1908, Rendel Harris, declarou que o texto do Novo Testamento, de modo algum havia sido estabelecido e se chegado à sua forma final, mas era “mais do que sempre, e talvez de forma final e sem remédio, não estabelecido. Dois anos depois, Com Beare deu sua opinião de que: “o último texto (do NT), se é que existiu algum que merecesse ser assim chamado, está irrecuperável”.

H. Greeven (1960), também reconheceu a incerteza do método neutro da crítica textual do Novo Testamento: “em geral”, diz ele, “tudo se limita a julgamentos da possibilidade; o texto original do Novo Testamento, conforme sua natureza, deve ser, e permanecerá sendo, apenas uma hipótese”.

Robert M. Grant (1963), adota uma atitude mais disparatada: “o principal objetivo do estudo textual do Novo Testamento permanece na recuperação do que os autores escreveram. Já sugerimos que alcançar esse objetivo é quase impossível”. Grant diz ainda que: “é necessário reconhecer que o texto original da Bíblia não pode ser recuperado. Cada crítico textual sabe que a semelhança do texto indica, de preferência, que temos feito pouco progresso na teoria textual de Westcott e Hort, que nós SIMPLESMENTE NÃO SABEMOS COMO FAZER UMA DETERMINAÇÃO DEFINITIVA SOBRE QUAL SEJA O MELHOR TEXTO; que não temos um quadro claro da transmissão e alteração do texto nos poucos primeiros séculos; e concordamos que o tipo de texto que Westcott e Hort e sua posição dominante é amplamente faltosa” (Eldon Epp, “Twentieth-Century Interlude in NT Textual Criticism Studies In The Theory and Method of New Testament Textual Criticism”, p. 87).

À medida que a Crítica Textual do Novo Testamento se move dentro do século 21, o que ainda resta de sua inocência vai ser destruída, pois nada mais é simples. A modernidade pode ter levado muitos a admitir que um objetivo no sentido de obter um único texto original do NT - ou pelo menos um texto o mais próximo possível desse original - seria atingível. Contudo, hoje, A REALIDADE E A MATURIDADE EXIGEM QUE A CRÍTICA TEXTUAL ENCARE OS FATOS PERTURBADORES E QUE NÃO PODEM SER RESOLVIDOS, PRINCIPALMENTE O FATO QUE O TERMO “ORIGINAL” TEM EXPLODIDO NUMA COMPLEXA E INIMAGINÁVEL ENTIDADE MULTIVALENTE. O que, porventura, as fronteiras oscilantes da crítica textual possam ter presumido, no passado, agora tem sido despedaçado, e os seus parâmetros têm se movido acentuadamente, não apenas para trás e para a frente, mas também para os lados, pois novas dimensões da originalidade emergem por trás das leituras variantes e de outros fenômenos do manuscrito” (E. Jay Epps, “The Multivalence of the Term ‘Original Text’ in New Testament Criticism”, Harvard Theological Review, 1999, vol. 92, No. 3, pp. 245-281; Este artigo é embasado em um jornal do Biblical Literature Annual Meeting, Orlando, Florida, Nov. 1998).”

Em seu artigo bem escrito, “The Two Lies[As Duas Mentiras], (http://av1611.com/kjbp/articles/coats-twolies.html, Daryl Coats, diz: “Se a Bíblia fosse inspirada somente nos manuscritos originais, ninguém hoje de certa saberia o que está ‘na Bíblia’ porque ninguém hoje em dia tem visto pelo menos um dos manuscritos originais. Não é de admirar que seja esta a atitude por trás de cada ‘bíblia’ inglesa, publicada depois de 1611. Podemos seguir apenas  o melhor julgamento dos eruditos competentes quando à mais provável reconstrução do texto original’, diz o prefácio da RSV, enganosa demais para definir exatamente  o que seja um ‘erudito competente’ para cortar através da linguagem dobre e admitir: ‘É isto que achamos que a Bíblia deveria ser’”.

A incerteza da erudição fica mais claramente evidente da 3ª. edição do Texto Grego do Novo Testamento da UBS, em cuja introdução ela declara:  “A letra A(próxima a uma passagem) significa que o texto está virtualmente correto, enquanto a letra B indica  a existência de um certo grau de dúvida referente à leitura selecionada para o texto” A letra C indica que existe um grau considerável de dúvida referente à leitura selecionada ou o aparato contém a leitura superior [Nota: A ‘leitura superior’ não é o mesma que ‘leitura correta’] para o texto. Aparentemente, os eruditos mudam suas mentes, a cada ano que passa, sobre quais as leituras genuínas; como, então, podemos explicar “as mais de duzentas mudanças” entre a segunda e terceira edições do “Texto do Novo Testamento Grego” da UBS?

George Barna, presidente do Barna Research Group,  registrou que um estudo explorando as crenças religiosas das doze maiores denominações na América, esclarece a tendência decrescente da tendência que tem acontecido entre as igrejas cristãs, nos anos recentes. O estudo descobriu que um número alarmantemente elevado dos membros de igrejas tem crenças muito afastadas do Cristianismo Ortodoxo.  SOMENTE 41% DOS ADULTOS PESQUISADOS ACREDITAVAM NA COMPLETA EXATIDÃO DA BÍBLIA. Apenas 40% acreditavam que Cristo é sem mácula de pecado e apenas 27% acreditava que Satanás seja real.

Entre os batistas pesquisados,
57% acreditavam que Jesus não tinha pecado,
44% não acreditava que a Bíblia seja totalmente exata e
66% não acreditava que Satanás fosse um ser real. Barna disse: “O corpo cristão na América está imerso numa crise de ignorância bíblica.”

A mensagem do Pr. Michael Youseff, no programa sobre a sua  obra ”Leading the Way” - O título da mensagem de hoje foi “A Bíblia, o Livro mais Importante do Mundo - Parte 2.

Em sua mensagem, ele deu estatísticas de uma pesquisa que foi conduzida. Eis o que esta pesquisa revelou:

85% dos estudantes dos maiores seminários teológicos na América não acreditam na inerrância da Escritura.

Este livro também mostra os resultado  de uma pesquisa feita por Jeffrey Haddon, em 1997, entre os 1.000 clérigos americanos indagados se acreditavam que a Escritura foi inspirada e é a inerrante Palavra de Deus em assuntos de fé, de história e de assuntos seculares:

85% dos episcopais,
87% dos metodistas,
82% dos presbiterianos,
77% dos luteranos americanos e
67% dos batistas ... disseram “NÃO”.

O Grupo de Pesquisa Barna registrou, em 1996, que  entre os adultos americanos, 85% acreditavam que “a Bíblia é totalmente exata e tudo nela pode ser recebido literalmente”.

“O suporte caiu entre esta pesquisa e outra feita em 2001. Barna registrou que: apenas 41%  dos adultos concordam, enfaticamente, que a Bíblia é totalmente exata em tudo que ela ensina”.

“Os estudantes de seminários, futuros pastores  e líderes na igreja, mostram pouco apoio quanto à inerrância da posição bíblica.  O que isso prenuncia sobre o futuro da igreja? Sem dúvida, conforme indicam os resultados da pesquisa feita em 1996 - para a de 2001 - O NÚMERO DE PESSOAS ACREDITANDO NA INERRÂNCIA DA BÍBLIA TENDE A DIMINUIR”.



Nenhuma Verdade Absoluta

         A explosão das versões modernas tem encorajado o estudante a apanhar e escolher suas leituras preferidas, tendo criado uma tendência a tratar displicentemente cada Bíblia e a considerar nenhuma delas, como sendo a Palavra de Deus.

         Sam Kobia, Secretário do Concílio Mundial de Igrejas, ENI 1-23-04: “Ter uma variedade de traduções disponíveis encoraja que a Bíblia seja lida de um modo plural e ecumênico. TER UMA VARIEDADE DE TRADUÇÕES DISPONÍVEIS É UMA PRECIOSA FERRAMENTA NA LUTA CONTRA O FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO” (Maiúsculas de Will Kinney).

         Um site novaerense popular,  que endossa todas as religiões do mundo, é chamado “Religious Tolerance”:

http://av1611.com/kjbp/articles/coats-twolies.html

[... 6 parágrafos saltados]
        
         O tipo de dança de sapateado comumente executada pelos que negam qualquer Bíblia, ou qualquer texto em qualquer língua, e que a Bíblia é a  infalível Palavra de Deus, é tipificada pela seguinte citação: “A inerrância se aplica aos autógrafos, não às cópias ou traduções da Escritura. Esta qualificação é feita porque verificamos que têm penetrado erros no texto, durante o processo de transmissão. Não se trata de um apelo a uma Bíblia que pessoa alguma jamais tenha visto  ou possa ver. Esta acusação falha, quando se leva em conta a natureza da crítica textual e o alto grau de certeza que possuímos referente ao texto original da Escritura.”

        
Ora, isso pode ser muito piedoso e bom, mas o fato inegável é que este erudito cristão está falando de uma Bíblia que pessoa alguma jamais viu ou pode ver. No que se refere à crítica textual deste cavalheiro, a chamada “ciência” é uma fraude gigantesca e uma patética piada atirada sobre os santos inocentes, os quais poderiam achar que esses homens, de fato, sabem o que estão fazendo. Tenho postado uma série de artigos sobre a crítica textual, os quais revelam a verdadeira natureza desta metodologia barata, no sentido de determinar o que Deus disse. Vocês podem acessar todas as partes destes estudos começando por http://brandplucked.webs.com/scienceoftextcrit.htm

Temos aqui alguns fatos retirados diretamente da Bíblia Sagrada. Ninguém precisa ser um erudito ou um estudante de seminário para captar o que a Bíblia diz sobre si mesma. Ela não poderia ser mais clara a respeito e usa preservação.

Salmo 19:7
-  “A lei do SENHOR é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do SENHOR é fiel, e dá sabedoria aos símplices”.

Isaías 40:8 - “Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente”.

Salmo 12:6-7 – “As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes”.  “Tu AS guardarás, SENHOR; desta geração AS livrarás para sempre’.
[traduzido da KJB]

Salmo 138:2 -  “Inclinar-me-ei para o teu santo templo, e louvarei o teu nome pela tua benignidade, e pela tua verdade; pois engrandeceste a tua palavra acima de todo o teu nome”.

Salmo 33:11 - “O conselho do SENHOR permanece para sempre; os intentos do seu coração de geração em geração”.

Salmo 119:152,160 - “Acerca dos teus testemunhos soube, desde a antiguidade, que tu os fundaste para sempre” ... “A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre”.

Mateus 5:17-18 - “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir”.  

(Mateus 5:18) -  “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido”.

João 10:35 -
“Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada).

Deus prometeu preservar as Suas palavras - EM UM LIVRO - aqui na Terra, até que passem os céus. Ele também fez com que possamos saber onde elas se encontram, hoje, ou então Ele teria mentido e perdido algumas dessas (palavras) e jamais teríamos certeza se, de fato, o que estamos lendo são as palavras de Deus.

         As palavras de Deus estão em um Livro. Consideremos os seguintes versos:

Isaías 30:8 -
“Vai, pois, agora, escreve isto numa tábua perante eles e registra-o num livro; para que fique até ao último dia, para sempre e perpetuamente”.

Salmo 40:7-8 - “Então disse: Eis aqui venho; no rolo do livro de mim está escrito. Deleito-me em fazer a tua vontade, ó Deus meu; sim, a tua lei está dentro do meu coração”.

Apocalipse 22:19 - “E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro”.

Creio que a Bíblia King James é a  inerrante, completa e perfeita Palavra de Deus, pelas seguintes razões:

1.) - O VT está embasado apenas nos textos massoréticos hebraicos, ao contrário da NASB, NIBV, ESV, Holman CBS e outras versões modernas, as quais, freqüentemente, rejeitam as leituras hebraicas [N.Tradutora: Seguindo a maior fraude da História, a Septuaginta]. Os oráculos do VT foram comissionados aos judeus e não aos sírios ou latinos.

Romanos 3:1-2 -
“QUAL é, pois, a vantagem do judeu? Ou qual a utilidade da circuncisão? Muita, em toda a maneira, porque, primeiramente, as palavras de Deus lhe foram confiadas”.    

O Senhor Jesus Cristo diz em Mateus 5:18: “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido”.

De modo que qualquer versão da Bíblia, tipo  NASB, RSV, ESV, NIV, NET, Holand Standard, etc., que rejeitem esses textos hebraicos, automaticamente se desqualificam como sendo as palavras do Deus vivo.

         Estas conflitantes versões dão números e nomes completamente diferentes, aos eventos históricos, nos mesmos lugares. Dêem uma  olhada na lista encontrada no princípio do primeiro artigo, aqui [N. Tradutora: Qual?
http://brandplucked.webs.com/nivnasbrejecthebrew.htm?]. Depois perguntem a vocês mesmos: “Se a Bíblia não é historicamente verdadeira e infalível, então, em qual ponto Deus começa a falar a verdade?”

        
O Livro do Senhor Deus é 100% verdadeiro, ou então ele é suspeito e passível de dúvida. Imaginem quem desejou questionar a Palavra de Deus? A mesma entidade espiritual que fez esta pergunta registrada em Gênesis 3:1, na Bíblia Sagrada:
É assim que Deus disse?” Todas as versões modernas rejeitam os textos hebraicos:

http://brandplucked.webs.com/nivnasbrejecthebrew.htm

http://brandplucked.webs.com/nivnasbrejecthebrew2.htm


2.) - Somente a BKJ é à prova de erro, mesmo com toda a posição contrária e a crítica dos corretores da Bíblia e da erudição moderna.  - Isaías 34:16 “Buscai no livro do SENHOR, e lede; nenhuma destas coisas faltará, ninguém faltará com a sua companheira; porque a minha boca tem ordenado, e o seu espírito mesmo as tem ajuntado”.

3.) -  Creio na soberania e providência do Deus Todo-Poderoso. Ele sabia de antemão como iria usar a BKJ, a fim de torná-la a Bíblia inglesa, a qual iria levar o Evangelho aos confins da Terra, durante o grande e moderno avanço missionário, dos anos 1700 aos anos 1950. A BKJ foi usada como base para centenas de traduções em línguas estrangeiras e o Inglês foi o único a se tornar uma língua verdadeiramente global, na história. A dívida dos tradutores nas línguas estrangeiras é mais claramente reconhecida no prefácio ao leitor, onde eles declaram em termos claros: “Verdadeiramente, bom leitor cristão, jamais pensamos, desde o princípio, que teríamos a necessidade de precisar fazer uma nova tradução, nem mesmo uma tradução má ou boa, MAS FAZER UMA MELHOR, OU ALÉM DE MUITAS BOAS, UMA PRINCIPALMENTE BOA, NÃO EXATAMENTE PARA SERVIR DE EXCEÇÃO CONTRA  O QUE EXATAMENTE TEM SIDO O NOSSO ESFORÇO, A NOSSA MARCA”.

         Os tradutores da BKJ também escreveram: “Nada é iniciado e aperfeiçoado, ao mesmo tempo, e os últimos pensamentos devem ser mais sábios: então, se construímos sobre o fundamento que veio antes de nós, e auxiliados por esses obreiros, esforçamo-nos para fazer melhor do que eles já fizeram tão bem... Se eles fossem vivos, iriam nos agradecer...  Esta brilhará com maior esplendor, agora enxugada e polida”.

Ver o artigo “Can a Translation Be Inspired?”

http://brandplucked.webs.com/translationinspired.htm

4.) - A BKJ é sempre a legítima testemunha, que nunca mente ou perverte a sã doutrina. O contrário acontece com todas as modernas versões inglesas, as quais pervertem a sã doutrina em muitos versos, comprovando, elas mesmas, que são falsas testemunhas da verdade divina.

Salmo 119:160 -
“A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre”.

Provérbios 14:15 - “O simples dá crédito a cada palavra, mas o prudente atenta para os seus passos”.

Por outro lado, todas as versões modernas, como a NASB, a NIV, a NKJV, a ESV, etc.,  contêm comprovados erros doutrinários. Ver o artigo: “No Doctrines Are Changed?”

http://brandplucked.webs.com/nodoctrinechanged.htm

5.) - Em cada oportunidade, a BKJ eleva a Pessoa do Senhor Jesus Cristo ao Seu merecido lugar, como sendo sem mácula [de pecado] e eternamente o Unigênito Filho de Deus, o Qual deve ser adorado por ser igual a Deus, o Pai.  Enquanto isso, todas as versões modernas omitem e rebaixam a Pessoa de Jesus Cristo, de várias maneiras, nos versos seguintes:

1 Timóteo 3:16
- “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Deus se manifestou em carne, foi justificado no Espírito, visto dos anjos, pregado aos gentios, crido no mundo, recebido acima na glória”.

João 3:13 - “Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu”.

Lucas 23:42 - “E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”.

1 Coríntios 15:47 - “O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o SENHOR, é do céu”. (Ver “The Only Begotten Son”  no site

http://brandplucked.webs.com/eternalonlybegottenson.htm

         A explosão das versões modernas tem encorajado o estudante a escolher suas leituras preferidas, tendo criado uma tendência a tratar a Bíblia com descaso, deixando de considerar qualquer uma delas como as decisivas palavras de Deus.

         A própria Bíblia profetisa que, nos últimos dias, muitos se desviariam da verdade e apostatariam  da fé (1 Timóteo 4:1). O Senhor Jesus Cristo indaga, em Lucas 18:8:
“Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?”

Em Amós 8:11, somos advertidos
: “Eis que vêm dias, diz o Senhor DEUS, em que enviarei fome sobre a terra; não fome de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do SENHOR”.



Texto de Will Kinney - “The Bible is Not the Inspíred, Inerrant and 100% Historically True Words of God”.

Traduzido por Mary Schultze, em 05/07/2011  www.maryschultze.com




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla as gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-PreservacaoTT/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)