Era O Velho Testamento Somente De Consoantes? Foram Suas Vogais Adicionadas Pelos Massoretas?


Que Tal Se Descobrirem O Manuscrito Original Da Bíblia, E Ele Diferir Uma Palavra Do Texto Massorético E Do Textus Receptus?

Hélio Menezes



Resposta:

1. COMO PROMETEU, DEUS NÃO SÓ INSPIROU COMO TAMBÉM PRESERVOU A BÍBLIA. PRESERVOU PERFEITAMENTE, JOTA POR JOTA, TIL POR TIL!

(1Cr 16:15; Sl 12:6-7; 19:7-8; 33:1; 100:5; 111:7-8; 117:2; 119:89,152,160; 138:2b; Is 40:8; 59:21; Mt 4:4; 5:18; 24:35; Lc 4:4; 16:17; 21:33; Jo 10:35b; 16:12-13; 1Pd 1:23,25; Ap 22:18-19):

Lembrai-vos perpetuamente da Sua aliança e da palavra que prescreveu para mil gerações;  (1Cr 16:15) (Note: ainda não chegamos a 300 gerações desde Adão!)

As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes.    Tu AS guardarás, SENHOR; desta geração AS livrarás para sempre.  (Sl 12:6-7) (“As” (referindo-se às palavras de Deus) e “os” (referindo-se aos crentes fiéis) são, ambas, traduções perfeitamente possíveis! (Gramaticalmente, "as" é melhor, pronomes usualmente se referem ao mais próximo antecedente que lhes casa!) Até mesmo por segurança, temos que crer AMBAS as doces alternativas! Louvado seja Deus por elas! E não descarte, não jogue no lixo nenhuma delas!)

As obras das Suas mãos são verdade e juízo, seguros todos os Seus mandamentos.    Permanecem firmes para todo o sempre; e são feitos em verdade e retidão.  (Sl 111:7-8)

Lámed. Para sempre, ó SENHOR, a Tua palavra permanece no céu.  (Sl 119:89)

Acerca dos Teus testemunhos soube, desde a antigüidade, que Tu os fundaste para sempre.  (Sl 119:152)

A Tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos Teus juízos dura para sempre.  (Sl 119:160)

Inclinar-me-ei para o Teu santo templo, e louvarei o Teu nome pela Tua benignidade, e pela Tua verdade; pois engrandeceste a TuaPALAVRA acima de todo o Teu nome.  (Sl 138:2)      (Note, em todos estes versos: "palavra", não "conceitos gerais")

Seca-se a erva, e cai a flor, porém a palavra de nosso Deus subsiste eternamente.  (Is 40:8)

Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de TODA a PALAVRA que sai da boca de Deus.  (Mt 4:4, cf. Lc 4:4)      (Note que, como não temos os originais, cada palavra destes tem que ter chegado perfeitamente preservada às mãos de cada fiel, para que vivamos!)

Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido.  (Mt 5:18) (O NT é melhor e mais glorioso que a Lei!  [2Co 3:8,7; He 7:22; 8:6] Portanto, também quanto ao NT, Deus garante que nenhuma sua letra jamais sucumbiu!)

O céu e a terra passarão, mas as Minhas palavras não hão de passar.  (Mt 24:35, cf. Lc 21:33) 

E é mais fácil passar o céu e a terra do que cair um til da lei.  (Lc 16:17) (O NT é melhor e mais glorioso que a Lei!  [2Co 3:8,7; He 7:22; 8:6] Portanto, também quanto ao NT, Deus garante que nenhuma sua letra jamais sucumbiu! )

... (e a Escritura não pode ser anulada),  (Jo 10:35b)

Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre.  (1Pd 1:23)

Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.  (1Pd 1:25)

Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro;    E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.  (Ap 22:18-19)

(livro http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes/NVI-PqContBibTrad-Completo.doc)

 

2. TÃO MARAVILHOSA PRESERVAÇÃO (PERFEITA, INCESSANTEMENTE EM USO POR FIÉIS, NA TERRA) TEM QUE TER SIDO ATRAVÉS DO TEXTO MASSORÉTICO (O VELHO TESTAMENTO) E ATRAVÉS DO TEXTUS RECEPTUS (O NOVO TESTAMENTO)


Prova:

A perfeita, providencial preservação de cada tracinho de cada palavrinha que Deus ditou às mentes das pessoas que escolheu para escreverem a Bíblia:

a) sendo perfeita, tem que ter sido CONTÍNUA;

b) sendo para NOSSO proveito, tem que ter sido aqui na terra, em uso real e ativo, uso ativo incessante, pelos fiéis (isto elimina a multinacional organização romanista-papista-mariólatra); Pv 22:20-21 (começar do verso 17) é passagem chave: "20 Porventura não te ESCREVI excelentes coisas, acerca de todo conselho e conhecimento, 21 Para fazer-te saber a CERTEZA das PALAVRAS da verdade, e assim possas responder palavras de verdade aos que te consultarem?” Isto ensina que as palavras de Deus foram ESCRITAS, escritas sob o perfeito domínio de DEUS, escritas para que quem as lê possa SABER a CERTEZA das PALAVRAS da verdade (2Tm 2:15), assim podendo oferecer as PALAVRAS de verdade àqueles que o consultarem!!! Isto exige que foram escritas as EXATAS, exatas PALAVRAS, não apenas os "conceitos principais" (vagamente), de DEUS, e elas foram preservadas INCESSANTEMENTE e de modo PERFEITO, absolutamente PERFEITO, aqui na TERRA, em USO INCESSANTE pelos crentes FIÉIS (não por Roma). Não faz o menor sentido alguém dizer que crê que a Bíblia foi e está sendo e será sempre preservada perfeita, porém tal perfeição sempre se restringiu, restringe, e restringirá apenas à guarda da Bíblia no terceiro céu, não ao seu uso sobre a terra! Que proveito teria isto para nós?!... Ora, a Bíblia foi primariamente dada por Deus para proveito NOSSO (aqueles que vivem sobre a terra), não dos anjos e dos salvos que já estão na glória! Rom 15:4; 2Ti 3:16-17. Quem precisa de médico são os doentes, não os sãos!

c) portanto, tão maravilhosa preservação de cada e toda palavra da Bíblia (perfeita, e incessantemente em uso por fiéis, e sobre a terra) tem que ter sido através do Texto Massorético (o Velho Testamento) e através do Textus Receptus (o Novo Testamento), pois nada mais satisfaz estes critérios (a) e (b) simultânea, incessantemente, sobre a terra!

(livro http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-Traducoes/NVI-PqContBibTrad-Completo.doc)




3. A NOSSA FÉ SE FUNDAMENTA TOTALMENTE E SOMENTE NA BÍBLIA, NÃO EM PSEUDO-FATOS, NÃO EM ARQUEOLOGIA, NÃO EM PSEUDO-ERUDITISMO, NÃO EM PSEUDO-CIÊNCIA.



Você e eu, crentes na Bíblia, cremos infinitamente na mais perfeita inspiração e preservação de cada mais pequenino traço, de cada letra de cada palavra da Bíblia em Hebraico (T. Massorético) e em Grego (T. Receptus).

- Cremos assim, infinitamente, por causa das inúmeras promessas explícitas de Deus registradas na Bíblia (vide acima). As palavras da Bíblia eternamente conservada em uso nos bastam, não precisamos de 1 mm fora delas.
- Creríamos assim, infinitamente, mesmo que fosse unicamente por causa das inúmeras promessas explícitas de Deus registradas na Bíblia, e mesmo que não houvesse nenhuma prova documental, pois não precisamos de 1 mm delas para crer o que Deus disse.
- Creríamos assim, infinitamente, mesmo se aparentemente houvesse milhares de pseudo-provas contrárias A CADA UMA E TODAS as palavra da Bíblia (e nenhuma prova documental a favor de nenhuma palavra da Bíblia). Quem daria a menor importância para tais pseudo- provas (tão falsas, tão contrariadoras da Bíblia)? Quem gastaria seu precioso tempo com elas?

Você e eu, crentes da Bíblia, cremos não apenas na perfeita inspiração como também na PERFEITA PRESERVAÇÃO da Bíblia. Esta preservação, sendo perfeita, tem que ter sido das palavras INTEIRAS (consoantes e vogais, pois ambas eram seguramente pronunciadas em cada pregação da Bíblia); o uso dessas palavras escritas tem que ter sido um USO REAL e PRÁTICO, e não um uso fictício ou virtual ou nenhum (Se uma "preservação" de cada palavra fosse feita através de uma mídia física escondida numa caverna secreta ou existindo somente no céu, então isto não seria preservação perfeita coisa nenhuma, pois, durante muitos séculos e até milênios, teria deixado todos os crentes com um texto inferior, à espera do super-gênio dos pseudo super-eruditos modernos, eruditólatras que supostamente surgiram para socorrer o coitadinho de Deus que deixara suas palavras serem corrompidas sobre toda a face da terra, um Deus que ou não tem o poder de cumprir seu juramento de preservar de forma perfeita suas palavras , ou não teve o desejo de fazer isto, seja como for nos enganou miseravelmente, prometendo o que não faria. Um Deus terrivelmente impotente, ou terrivelmente maldoso, ou terrivelmente mentiroso).

Portanto, sem dependermos de pseudo-provas ou contraprovas, sem lhes darmos nenhum valor, cremos que as mesmas palavras inteiras (consoantes e vogais, cada letrinha e sinalzinho de cada uma de todas as palavras) ditadas por Deus à mente de Jó, por exemplo, cerca do ano 2000 Antes de Cristo, estavam perfeitamente preservadas e em uso diário pelos crentes fiéis nos anos 1900 Antes de Cristo, e nos anos 1800, 1700, 1600, 1500, 1400, 1300, 1200, 1100, 1000, 900, 800, 700, 600, 500, 400, 300, 200, 100 Antes de Cristo, e nos dias de Cristo e seus apóstolos (escritas em Hebraico, nada da mitológica Septuaginta ou LXX, tal teoria não passa de  fraude), e nos anos 100 Depois de Cristo, 200, 300, 400, 500, 600, 700, 800, 900, 1000, 1100, 1200, 1300, 1400, 1500 Depois de Cristo. Depois de Gutenberg ter inventado a imprensa de tipos móveis e ter, em 1452, impresso o primeiro livro (a Vulgata de Jerônimo) por esse tal processo, então, em 1517, em Veneza, Bomberg publicou o texto perfeito do Velho Testamento em Hebraico, conhecido como "Bíblia Rabínica", pela primeira vez usando impressão ao invés de copiar à mão. Daí em diante, este texto perfeito impresso do Velho Testamento em Hebraico (também conhecido como Texto Massorético de Ben Chayyim) e o texto perfeito impresso do Novo Testamento em Grego (também conhecido como TR ou Textus Receptus) passaram a servir de única e total base para as traduções de TODAS as Bíblias de TODOS os crentes fiéis (somente existem tais salvos dentro das mais fiéis fileiras anabatistas ou das mais fiéis fileiras reformadas- protestantes, não na 
organização romanista-papista-mariólatra.), de TODAS as igrejas locais individuais, de TODAS as denominações em TODAS as línguas de TODOS os países alcançados pelo Evangelho. Portanto, esta é a prova definitiva: Como todos os verdadeiros salvos e fiéis sobre a face da terra usavam somente traduções fiéis derivadas do Texto Massorético e do TR, em 1522 (Bíblia de Lutero), 1523, 1524, 1525, 1526 (Tyndale), 1527, etc., 1611 (King James Bible), 1681/1753 (Almeida), etc., então o Texto Massorético e o TR são a pura e perfeita e única Palavra de Deus, e suas fiéis e literais traduções são também a pura e perfeita e única Palavra de Deus.

Portanto, ainda mesmo que escavações achassem 1000 toneladas de papiros e pergaminhos antiqüíssimos, que a pseudo ciência até mesmo atestasse que eram os originais escritos pelas mãos de Moisés, etc. até pelas mãos do apóstolo João, mas tivessem algumas diferenças em relação ao Texto Massorético e ao TR, não vacilaríamos por 1 segundo, nosso coração não bateria 1 só batida em falso, desprezaríamos totalmente tudo isso, bocejaríamos de tédio, daríamos de ombros, e continuaríamos crendo que Deus cumpriu 100% o que jurou: Preservar perfeitamente cada letra de sua palavra (portanto, esta preservação perfeita foi contínua e ininterrupta e foi em uso real pelos fiéis; conseqüentemente, esta preservação perfeita foi através do texto Grego e Hebraico usado como base para as traduções quando somente um tipo delas havia, depois da invenção da imprensa (1522 até recentemente)).

Repetindo, por ênfase:
- Se um manuscrito do livro de Gênesis fosse achado e datado de 1451 Antes de Cristo, e altíssimos estudiosos me dessem toda a convicção que ele tinha a assinatura de Moisés e a assinatura de 100 escrivãos de cartórios da época atestando a autenticidade da assinatura de Moisés, e houvesse um filme mostrando Moisés escrevendo o manuscrito, e o filme fosse atestado pela NASA e FBI e CIA e KGB e Gestapo etc., mas o manuscrito dissesse que Deus criou o universo através da Evolução, que não houve Adão, nem pecado original, etc., ou mesmo se o manuscrito somente diferisse do Texto Massorético em algumas dezenas de sinalzinhos e de letras e de palavras ... -- então eu reconheceria imediatamente que todo este manuscrito era falso e lhe daria tanto valor quanto dou a um ovo gorado: nenhum valor;
- Se um manuscrito do livro de Apocalipse fosse achado e datado de 96 Depois de Cristo, e altíssimos estudiosos me dessem toda a convicção que ele tinha a assinatura de João e a assinatura de 100 escrivãos de cartórios da época atestando a autenticidade da assinatura de João, e houvesse um filme mostrando João escrevendo o manuscrito, e o filme fosse atestado pela NASA e FBI e CIA e KGB e Gestapo etc., mas o manuscrito dissesse que Cristo não nasceu de uma virgem, que não derramou seu sangue na cruz, que não morreu pagando nossos pecados e em nosso lugar, que há muitos caminhos para o céu, etc., ou mesmo se o manuscrito somente diferisse do TR em algumas dezenas de sinalzinhos e de letras e de palavras ... então eu reconheceria imediatamente que todo este manuscrito era falso e lhe daria tanto valor quanto dou a um fósforo usado: nenhum valor;
- Se corporalmente me aparecesse alguém que clamasse ser um anjo do Senhor (hoje, todos os místicos que apregoam tais experiências são notavelmente grandessíssimos mentirosos, e eu de modo nenhum creio que isto seja necessário nem ocorra hoje, já temos tudo de que precisamos, na Bíblia), estando eu bem alerta, e me dissesse que Cristo não é 100% Deus nem 100% homem, que há salvação fora do derramamento do seu sangue na cruz, que Cristo não voltará corporalmente para arrebatar sua igreja e, depois, para reinar 1000 anos, etc., ou mesmo se este que clama ser um anjo de Senhor somente diferisse do TR em 1 só sinalzinho de 1 palavra, eu reconheceria imediatamente que este anjo é falso e lhe daria tanto valor quanto dou a uma passagem de trem já usada: nenhum valor;
- Se, estando eu bem alerta, corporalmente me aparecesse alguém que clamasse ser o próprio Senhor Jesus Cristo (hoje, todos os místicos que apregoam tais experiências são notavelmente grandessíssimos mentirosos, e eu de modo nenhum creio que isto seja necessário nem ocorra hoje. Até que venha o Arrebatamento, já temos tudo de que precisamos: a Bíblia, sendo por nós lida, e o Espírito Santo em nós nos ensinando), e ele me dissesse que a Bíblia não foi plena e inerrável e infalível e verbalmente inspirada, assoprada cada letra por Deus, e que não foi perfeitamente preservada por Ele incessantemente a cada segundo depois de ter sido dada, preservada perfeitamente e em uso real por seus fiéis, ... -- então eu reconheceria imediatamente que este cristo é falso e lhe daria tanto valor quanto dou a uma bolha de sabão estourada: nenhum valor.
- Se eu soubesse hebraico e grego ainda melhor que Português, e se o maior arqueólogo do mundo, crente fiel, me dissesse: "Hélio, veja estas 2 caixas. Uma, de 100kg, contém todos os restos dos autógrafos dos 66 livros da Bíblia, escritos pelas próprias mãos de Moisés, Mateus, João, etc. Foram desenterrados e ajuntados este ano, estão bastante estragados, mas estão completos e mais ou menos legíveis. Valem muitos bilhões de reais. A outra caixa, de 1kg, tem uma cópia comprada na livraria da esquina, cópia impressa este mês, com a tinta ainda fresquinha, do Texto Massorético transmitido por Ben Chayyim e do Textus Receptus transmitido por Scrivener, valendo, juntas, pouco mais de 50 reais. Qual dessas caixas você quer de presente, para seu uso pessoal, não podendo repassar a nenhum museu, a ninguém?", eu responderia sem pestanejar: "Ora, o meu Senhor Deus nunca deu a menor importância à mídia física em que suas palavras seriam gravadas, mas sim às palavras elas mesmas. Ele jurou conservá-las perfeitamente, portanto o conteúdo dessas duas caixas é absolutamente igual, sem diferença de nenhuma letra nem sinalzinho. Para que eu quereria as santas palavras de Deus em tão pesados e incômodos 100kg de manuscritos emborolados? Rogo-te que me dês as palavras de Deus perfeitamente preservadas na forma dos livros da caixinha leve."

A palavra de Deus está perfeitamente preservada nos Texto Massorético e Textus Receptus (e nas fiéis traduções de ambos), por que os modernos críticos textuais e quase todos os modernos seminários e tantos modernos pastores não aceitam isto??? Como pode uma mente salva gastar preciosas horas procurando "restaurar" a Palavra de Deus??? (oh absurdo dos absurdos, como ela se pudesse ter sido temporariamente anulada ao menos em algumas partes e aspectos!) Tudo já está assentado, nos mínimos tracinhos de letra e mínimos sinais!!! O cânon (reconhecimento oficial de uma verdade sempre crida desde o início) no aspecto 1, o aspecto quanto a quais são os livros que compõem a Bíblia, foi fechado nos primeiros séculos do Cristianismo, e o cânon (novamente, reconhecimento oficial de uma verdade sempre crida desde o início) no aspecto 2, o aspecto de quais são as exatas palavras que compõem a Bíblia em Hebraico e em Grego, foi fechado, encerrado, concluído, congelado, fixado imutavelmente desde o século 16. Por que a descrente Crítica Textual não desiste de tentar alterar o inalterável???!!! 

Sei que está escrito, em Deuteronômio 13: 
1 ¶ Quando profeta ou sonhador de sonhos se levantar no meio de ti, e te der um sinal ou prodígio,
E suceder o tal sinal ou prodígio, de que te houver falado, dizendo: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los;
Não ouvirás as palavras daquele profeta ou sonhador de sonhos; porquanto o SENHOR vosso Deus vos prova, para saber se amais o SENHOR vosso Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma.
Após o SENHOR vosso Deus andareis, e a ele temereis, e os seus mandamentos guardareis, e a sua voz ouvireis, e a ele servireis, e a ele vos achegareis.
E aquele profeta ou sonhador de sonhos morrerá, pois falou rebeldia contra o SENHOR vosso Deus, que vos tirou da terra do Egito, e vos resgatou da casa da servidão, para te apartar do caminho que te ordenou o SENHOR teu Deus, para andares nele: assim tirarás o mal do meio de ti.

Aplicando eu estes princípios às perguntas do título deste artigo, é como se Deus estivesse me dizendo:

Quando alguns (ou milhares de) papiros ou manuscritos se levantarem no meio de ti, e te derem todas as aparentes provas de que são autênticos e mais antigos (ou mesmo os próprios autógrafos!) e forem elogiados por todos os eruditólatras da moda,
E suceder que tais papiros ou manuscritos tenham diferenças (por menores que sejam) em relação ao Texto Massorético e ao Textus Receptus;
Não darás a menor importância às palavras daqueles papiros ou manuscritos recém aparecidos; porquanto o SENHOR vosso Deus vos prova, para saber se amais o SENHOR vosso Deus com todo o vosso coração, e com toda a vossa alma.
Após o texto hebraico e grego preservado pelo SENHOR vosso Deus e usado logo após a invenção da Imprensa, após as palavras de tais textos andareis, e a elas temereis, e aos seus mandamentos guardareis, e a sua voz ouvireis, e a elas servireis, e a elas vos achegareis.
E aqueles papiros ou manuscritos recém aparecidos destruirás na tua mente, pois falara rebeldia contra o SENHOR vosso Deus, que vos tirou da terra do Egito, e vos resgatou da casa da servidão, para te apartar do caminho que te ordenou o SENHOR teu Deus, para andares nele: assim tirarás o mal do meio de ti.


4. QUANTO AO MITO DO HEBRAICO ESCRITO NÃO TER (OU JAMAIS USAR) VOGAIS, ANTES DOS MASSORETAS:


Esta teoria de que originalmente o idioma Hebraico escrito não tinha vogais, jamais usava vogais, é absolutamente ridícula, talvez a coisa mais ridícula que já foi dita em todos os tempos.

Prova 1: Desafie os membros de sua lista que porventura descrêem que Deus pode ou quis preservar suas palavras perfeita e incessantemente. Pergunta-lhes: Você entende a linha abaixo (em "Português antes dele ter vogais"), tão simples e tão curtinha:

sttrdqrgnlmntdmhbrcscrtntnhvgsjmssvvgsbsltmntrdcltlvzcsmsrdclqjfdtmtdsstmps.


Não entendeu? Tente mais 1 hora. Ainda não entendeu? Tente mais 1 mês. Ainda não entendeu? Tente mais 1 século. Ainda não entendeu??!?!...

Desistiu? Quer ver a solução? Esta linha é puro português, e é a repetição do que foi escrito imediatamente acima dela (Esta teoria de que originalmente o idioma Hebraico escrito não tinha vogais, jamais usava vogais, é absolutamente ridícula, talvez a coisa mais ridícula que já foi dita em todos os tempos), foi o mais simples teste que pude conceber, bastava você ter olhado 1 centímetro acima e entenderia tudo.

Prova 2:  Desafie os membros de sua igreja ou seminário ou todos que conhece pela internet, e que porventura descrêem que Deus pode ou quis preservar Suas palavras perfeita e incessantemente: Pergunte-lhes como diferenciar o tempo e o modo do verbo nestas palavras abaixo:

"amo" ou "amei" ou "ama" (3a. pessoa do presente do indicativo) ou "ama" (2a. pessoa singular do imperativo) ou "amou" ou "ema" ou "má" ou "mó" ou "Omo" (sabão) ou "mi" ou "me" ou "mé" ou "um" ou "uma" ou "em", etc.

se escrevermos apenas

"m"?


Impossível? Sim, totalmente impossível, mesmo para o homem mais inteligente do mundo, dispondo de séculos, auxiliado por todos os computadores do mundo!

Destas 2 provas imediatamente acima, todos que têm ao menos 1 neurônio no cérebro podem imediatamente vislumbrar que é evidente que estes fatos ilustrados não são exclusivos do Português, ao contrário, se aplicam a TODAS as línguas e dialetos existentes (ou que em algum tempo existiram) sobre a face da terra, desde que a escrita seja baseada em algum tipo de alfabeto (alfabetos ajudam a sabermos pronunciar uma infinidade de palavras a partir de umas poucas letras, usando regras muito simples). Não há, nunca houve, nem nunca haverá, nem sequer poderia haver, nenhuma linguagem de escrita alfabética e que seja uma linguagem que possa ser por todos escrita e lida e entendida, em qualquer domínio de conhecimento, e que não use vogais ao ser escrita.

Prova 3: Desafie os 100 maiores professores de Hebraico nos seminários cristãos do mundo (e que ensinem que havia um Hebraico inicial, escrito sem vogais nem sinais equivalentes a elas), e desafie também os 100 melhores rabinos de Israel. Dê-lhes um trecho de 100 consoantes hebraicas formando um texto (importante: nenhum deles poderá conhecer de memória nenhuma partezinha do texto, sugiro que você tome as consoantes de um trecho escondido de um desconhecido jornalzinho esportivo do dia, em Hebraico) e dê-lhes 100 anos para tentarem descobrir o que o trecho dado diz, e nenhum deles descobrirá.

5. E QUANTO AOS MANUSCRITOS DO MAR MORTO, SEM VOGAIS? NÃO PROVAM QUE O VELHO TESTAMENTO ORIGINALMENTE FOI ESCRITO SEM VOGAIS, ATÉ O DIA EM QUE OS MASSORETAS FIZEREM UMA INTERPRETAÇÃO PARTICULAR E INTRODUZIREM VOGAIS (COM FALHAS)?

2Pedro 1:20 Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.
21 Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.
1 ¶ E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.
2 E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.
3 ¶ E por avareza farão de vós negócio com palavras fingidas; sobre os quais já de largo tempo não será tardia a sentença, e a sua perdição não dormita.

Em primeiro lugar, nunca devemos esquecer que, quando (muitas décadas atrás) os Manuscritos do Mar Morto foram descobertos e enquanto não começaram a ser divulgados, todos os modernos críticos textuais vibravam na expectativa de que encontrariam enormes, espetaculares diferenças entre eles e o Texto Massorético. Mas, depois, tiveram a maior desilusão de suas vidas, pois os manuscritos do Mar Morto que já chegaram a ser divulgados até agora são um retumbante atestado à exatidão do T. Massorético.(Semelhantemente, quando, muitas décadas atrás, os antiqüíssimos fragmentos papiros do Novo Testamento, um deles do ano 75 Depois de Cristo, foram descobertos e enquanto não começaram a ser divulgados, todos os modernos críticos textuais vibravam na expectativa de que encontrariam enormes, espetaculares diferenças entre eles e o Textus Receptus. Mas, depois, tiveram a maior desilusão de suas vidas, pois tais papiros se revelaram ser um retumbante atestado à exatidão do Textus Receptus e à corrupção do texto alexandrino).  As diferenças entre os manuscritos do Mar Morto e do Texto Massorético são extremamente raras (não lembro agora onde li, anos atrás, mas, se não me falha a memória, entre eles há apenas, em média, a diferença de apenas 1 letra em cada 6000 letras!) e quase sempre insignificantes.

Em segundo lugar, a existência de manuscritos sem vogais DE MODO NENHUM significa que houve um tempo em que o padrão era se escrever hebraico sem vogais, para todos os usos imagináveis

O Pr. Pedro Almeida escreveu:
"A ausência dos sinais vocálicos em manuscritos antigos como os do Mar Morto pode ser atribuída a causas tais como economia de tempo ou de espaço no processo da reprodução. Muitos judeus [Hélio comenta: provavelmente todos os escribas e fariseus, todos os levitas [mais ainda os sacerdotes e todos os professores das sinagogas]] sabiam extensas partes [Hélio comenta: provavelmente muitos escribas, sacerdotes, etc., sabiam TODO o Velho Testamento] de cor. Talvez tomassem como óbvio o conhecimento das vogais. Já se citou que adolescentes sabiam "cantar"  toda a Torah decorada sem perder uma só letra! Reconheço que os Essênios não fossem lá ortodoxos...(recusavam o culto em Jerusalém - Jesus não fez isso)  mas tinham temor..."

Eu comento:
- Quando eu tinha de comprar do meu bolso transparências para escrever e dar aulas de Ciência da Computação aos meus alunos da UFPB, então, por economia, eu escrevia "tb" em lugar de "também", "v." em lugar de "você", "q." em lugar de "que", "tlgm" em lugar de "telegrama", "plvr" em lugar de "palavra", etc., e eu entendia perfeitamente ao ir lendo e ir explicando detalhadamente. Mas, nas apostilas que eu tornava disponível aos meus alunos, tudo era escrito em verdadeiro Português entendível por todos, com todas as vogais e consoantes. Esta apostila era o padrão. O padrão tinha que existir para possibilitar que eu mesmo tirasse minhas eventuais dúvidas, ao ler o texto com abreviações.

- Uma vez que minha esposa sabe Salmo 23 de cor, ela pode facilmente entender
    "Slm23SNHRmpstr,ndmfltr.Dtr-mfzmvrdspsts,g-mmnsmntgstrnqls. ..." 
como significando: "Salmo 23: O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. ...". Mas note 4 coisas: a) Este entendimento de texto consonantal só é possível porque Valdenira tem, leu repetidamente e sabe de cor (ou quase de cor) o texto original, e usa o texto consonantal somente como lembrete no caso de eventual pequena dúvida, ao estar declamando o texto. b) A escrita sem vogais se justifica se tiver que ser feita numa mídia cara e/ou difícil de encontrar, portanto de pequeno tamanho, por exemplo, a parte interna de um anel de ouro para minha esposa, papiros e pergaminhos para judeus pobres. c) É muito mais fácil se errar copiando o texto sem vogais (Mar Morto) do que copiando o texto com vogais (usado pelos ricos, reis, escribas, sacerdotes, profetas, etc., do Velho Testamento, e usado pelos Massoretas, depois de Cristo). d) A escrita sem vogais somente é admissível porque há um padrão escrito em verdadeiro Português entendível por todos, com todas as vogais e consoantes. O padrão tem que existir para possibilitar que o leitor tire eventuais dúvidas.

- Em 1979, Rizpá, um egípcio islamita radical a quem tentei evangelizar (oro por ele neste instante) disse-me em tom de superioridade que todos os islamitas zelosos como ele sabiam TODO o Alcorão decorado. Muito surpreso, perguntei-lhe como isto era possível, e ele respondeu que os judeus zelosos também sabiam todo ou quase todo o Velho Testamento decorado, porque ambos, judeus zelosos (acho que ele se referia aos judeus ortodoxos, aqueles que sempre usam preto, os homens tendo cachinhos de cabelo?) e islamitas zelosos, treinavam suas criancinhas tenras, horas a fio a cada dia, durante muitos anos, recitando em voz alta as suas escrituras. Perguntou-me, espantado, se eu nunca tinha visto no cinema criancinhas muçulmanas e judias, de famílias realmente totalmente devotas às suas religiões, sentadas em grandes salas, executando um trabalho manual como costurar sapatos, etc., ao mesmo tempo balançando seus corpos para frente e para trás, ritmicamente, enquanto recitavam suas escrituras, sendo corrigidos por rígidos professores. Bem, uma vez que isto ainda hoje acontece, mesmo com perdidos judeus e perdidos muçulmanos, pode-se muito bem aceitar que muitos (senão todos) os judeus zelosos sabiam decorado todo ou quase todo o Velho Testamento, tornando possível que pobres se contentassem com um manuscrito "econômico" e sem vogais, pois havia um manuscrito com todas as vogais e consoantes, possibilitando que os leitores tirassem suas eventuais dúvidas.

O Pr. Pedro Almeida escreveu:

Notemos algo muito interessante (que não é exatamente igual mas se aplica muito parecidamente): Muitas inscrições em GREGO (por exemplo, o Mosaico de Madaba - ano AD 500) também não tinham os acentos (incluindo o Codex Sinaiticus!) Que tal essa?! Por isso vamos admitir que Grego não tinha acento antes? Não!

Hoje em dia, escritos públicos em Hebraico em Israel também não possuem sinais vocálicos... Será que isso pode apagar os sinais vocálicos anteriores? Não! 

Eu também creio que a ausência de registro arqueológico (dos sinais vocálicos) não prova a inexistência deles, especialmente se é um fato ou doutrina ensinados na Bíblia!

Pedro Almeida escreveu ademais:

Somente com um determinado grupo de consoantes, as variações de significado são muito grandes para termos ensinos dogmáticos necessários. Exemplos (tirados de Strong): 
 
la     pode ser: 1- êil (Deus); 2- él (preposição para); 3- ál (não). Sem vogal não dá para saber (o argumento do contexto é muito fraco) 

rsa      pode ser: 1- asher (pronome relativo o qual, os quais, o que...); 2- esher (felicidade); 3- ashur (verbo indo, passo)

Pedro Almeida escreveu também:

A consoante Jota ( y ), a menor letra do alfabeto hebraico, a qual Jesus Cristo citou na doutrina da preservação, por exemplo, tem som de vogal! Exemplos: dia: Yom (pronúncia: eeôma); José: Yosef (pronúncia:eeôsséf). Com isso eu quero provar o seguinte: 

Se os sons das vogais não precisaram ser preservados por escrito - nunca - porque uma consoante ( 
y ) com som de vogal foi preservada? De acordo com a teoria das vogais serem apenas tradição oral, o Jota ( y )  não teria  razão de existir... Mas existe! Creio que o jota foi preservado com som de vogal e as vogais também foram preservadas e resgatadas pelos Massoretas. 



Por que os descrentes na Bíblia não podem crer que as palavras de Deus foram originalmente escritas como palavras perfeitas, completas, inteiras, portanto sempre tiveram as consoantes e as vogais por Deus ditadas e pelos escritores (Moisés, etc.) registradas, foram sempre preservadas de forma perfeita (ininterrupta e sem erros) pelos fiéis de Deus, mesmo se algumas pessoas tenham escrito Bíblias sem vogais nem sinais a elas equivalentes, seja lá por qual motivo for???

Continua perfeitamente válido o que Dr. Thomas M. Strouse escreveu em "SCHOLARLY MYTHS PERPETUATED ON REJECTING THE MASORETIC TEXT OF THE OLD TESTAMENT", vejamos alguns trechos:

...

MYTH NUMBER 2: BIBLICAL HEBREW, AS A CONSONANTAL TEXT ONLY, EVOLVED FROM THE CANAANITE LANGUAGE.

This myth has two components, namely that the consonants only were originally inspired and this Hebrew consonantal text evolved from the Canaanite [xiii] language. Since the theory or implementation of evolution is not an option for the Bible believing Christian, the latter component cannot be affirmed. This view denies the perfect preservation of God's Words and therefore must assume the evolution of the Hebrew language. Those who are so enamored with the scholarship that assumes evolutionary principles are legitimate within Biblical criticism [xiv] would accept, without Biblical authority, that all languages including Hebrew evolved. Old Testament scholars and Hebrew grammarians constantly claim that Hebrew is a derived language.
...

The former component that assumes that the inspired Hebrew text contained only the consonants and that the vowels (and consequently the pronunciations) were passed on through oral tradition is unbiblical and wrongheaded. [xix] This view maintains an insufficient position on the perfect preservation of the Hebrew text. The Bible is replete with divine promises of the preservation of the Lord's Words (e.g., Pss. 12:6-7, 119:111, 152, 160; Mt. 4:4, 5:18, 24:35, etc.). Consonants are not words. Words include consonants and vowels. The Bible declares that "every word of God is pure" (Prov. 30:5-6) and these pure Words are complete Words with consonants and vowels. When the Lord God spoke the heavens and earth into existence He used Words (Gen. 1:3). When the Lord gave His commandments to Moses He wrote Words on the tablets (Ex. 34:1; cf. 20:1 ff.; Dt. 10:2). When the prophets, such as Amos, saw God's revelation, they wrote Words (cf. Amos 1:1; Obad. 1:1; Hab. 1:1). None of these examples, as well as scores of others, allows that God's revelation was in the form of consonants only.
...
The denial of the perfect preservation of the Hebrew OT text carries with it several specific ramifications. One such ramification will be explored. Since God has not preserved His OT Hebrew text, the argument goes, the current MT is an inferior Hebrew text to the supposed "proto-Hebrew" text. [xx] ...
...
The Lord Jesus Christ put His full approval on the Hebrew text He had preserved unto Himself (Mt. 4:4). Since evolution is not true and there was no consequent proto-Masoretic Hebrew text from which the current one evolved, ...
[xxiii]

...

 

 

6. EM RESUMO:

1. Em todos os dias desde Moisés, Deus preservou todas as suas palavras da forma mais absolutamente perfeita, e em uso prático e diário pelos verdadeiros fiéis.

2. A tão maravilhosa preservação (perfeita, incessantemente em uso por fiéis, na terra) de cada palavra de Deus tem que ter sido através do T. Massorético e do T. Receptus, pois somente eles foram usados para traduzir todas as Bíblias usadas pelos verdadeiros crentes, por séculos após a invenção da Imprensa.

3. A nossa fé se fundamenta totalmente e somente na Bíblia, não em pseudo-fatos, não em arqueologia, não em pseudo-eruditismo, não em pseudo-ciência.

4. A teoria que todas as Bíblias não tinham vogais antes de surgirem os Massoretas, e que estes falivelmente interpretaram segundo seus caprichos e acrescentaram vogais, contraria frontalmente a Bíblia quanto ao ponto 1, acima. Contraria todas as 3 verdades axiomáticas (1, 2, 3) acima. E contraria os mais simples experimentos lingüistas. Portanto, tal teoria é o mais ridículo e trágico mito do mundo.

5. Há muitas explicações perfeitamente plausíveis que explicam a existência de versões "econômicas", sem vogais, dos manuscritos hebraicos desde sua origem dados com vogais e preservados em uso com vogais, em versões padrão, completas, mais caras.



Hélio

 




Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla as gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-PreservacaoTT/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)