Manuscrito 2427 [de Nestle Aland] - uma farsa


Evangelho Grego de Marcos,
Chicago MS 972,
Goodspeed MS 38,
Variante Gregory-Aland No. 2427 de Nestle-Aland
“Marcos arcaico".

[Resumido a partir de http://www-user.uni-bremen.de/~wie/TCG/Manuscript-2427.pdf . Não deixe de ver suas detalhadas fotos, provando a grosseira, chocante fraude! Traduzido em http://www.solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/Manuscrito2427DeNestleAland-UmaFarsa-ComImagens-MGross.pdf]




Descrição:

 

Pequeno Codex, 12 x 8 cm, 55 fólios, 20-22 linhas por página 
2 imagens frontais e 16 miniaturas.

 

História: (do relatório de R.W. Alisson)

 

- Comprado por John Askitopoulos certos anos antes de 1917. Em 1917 ele morreu.

- O MSS, juntamente com a sua colecção foi mantida dentro da casa de sua filha,

- Mrs. Kiosseoglou, e ali permaneceu até cerca de 1936.

- Em cerca de 1926 o Sr. Andre Xyngopoulos viu o MSS para dar uma apreciação.

- Em 1935 o sobrinho de Askitopoulos escreveu a Goodspeed e ofereceu o MSS para a venda.

- Em 1936 ou no início de 1937 o MSS foi enviado para Chicago.

                         

Indicações Gerais de uma origem posterior:

- Divisão de palavras

- Curiosas abreviaturas

- Interpontuação

- História desconhecida antes de 1917

- Layout único (somente Marcos, diferentes elementos iconográficos).

- Inacreditavelmente um bom texto, muito próximo do Codex Vaticanus.

 

Se ficar a forte impressão de que o escriba ficou na dúvida em como escrever o seu início. Na primeira parte ele varia suas abreviaturas e "experiências". Isto é assim para Καί, e o artigo, mas também para a “nomina sacra”. Somente depois de várias páginas que ele encontra seu estilo.

 

O escriba parece ser bem versado com o texto Bizantino, provavelmente, o texto ortodoxo. Parece que ele usou um texto extremamente perto de B/03, mas voltou para trás, às vezes, em seu texto familiar ortodoxos. 
A aparência do texto é como se ela tivesse escrito com pressa, não é bonito, parece um livro de mesa.

 

 

As iniciais não indicam parágrafos ou lições, mas são adicionadas simplesmente aqui e lá sem razão nenhuma. Um conspirador suspeitaria um código aqui. Aquelas iniciais têm sido adicionadas mais tarde. Pode-se ver separata na página oposta.

 

As imagens foram pintadas em primeiro lugar, veio então o texto. Talvez as imagens foram criadas por outra pessoa?

 

Há uns traços de um cólofon apagados no final do livro. R.W. Allison escreve: “… escrito em a cru, mão atrasada que possa ser datada em qualquer lugar apartir do dia 16 até o dia 18º DC.… O cólofon é demasiado distante para a decifração..”.

 

 

Prova de falsificação 
Dos mestres e investigadores avançados dos MSS (Collwell, Willoughby, Wikgren) ninguém levantou quaisquer dúvidas sobre a veracidade do MSS.

 

 

 

Em 1988, Mary V. Orna publicou um artigo em que ela revelou que o pigmento utilizado para o azul nas miniaturas era do azul prussiano, uma cor apenas inventada no século 18 DC. Ela então especula: "nenhum desses manuscritos tem uma genealogia que pode ser seguido antes de cerca de 1930, um fato que sugere que sua origem pode muito bem ter sido falsificada durante a onda de falsificações ateniense que entraram no mercado nos anos 1920”.

 

 

A amostra foi colhida a partir de uma área azul do verso da página 34:

 

 

 

Os resultados de Orna estreitou à data para algum lugar entre o século 18 e 20 DC, mas ainda poderia ter sido alguma cópia de um uncial velho ou perdido.

 

 

Em 2006, Magaret M. Mitchell iniciou uma nova fotografia digital do MSS e publicou uma colação nova, detalhada (NovT). Imagens de Alta resolução foram publicadas on-line.

 

 

Baseado nesta colação, finalmente, Stephen C. Carlson foi capaz de encontrar o exemplar de onde foi copiado o MSS. Foi da edição 1860 de Buttmann do NT Grego!

 

 “Westcott e Hort não foram os primeiros para se basear em um texto crítico, pela maior parte em Codex B.

Uns vinte anos antes, Philipp Buttmann (1860) publicou uma revisão do novo testamento grego baseado na edição de Mai do Codex Vaticanus (1857, 1859).

No evangelho de Marcos, o texto de Buttmann afasta-se do Codex Vaticanus em aproximadamente 90 unidades da variação, com que o MSS 2427 concorda mais de 80 vezes, exceto nos casos em que 2427 tem uma leitura singular."

 

Carlson anunciou primeiramente sua descoberta na reunião da SBL em Washington, 2006.

 

Outro erudito, Wieland Willker, foi verificar isso tudo e concordou com ele. 
Ele nos mostra provas do que encontrou

 

Buttmann vs 2427

 

Ele fui dó uma vez pelo texto, apresentando esta lista, que muito provavelmente não foi concluída.

 

Os acordos significativos de 2427 e Buttmann:

 

a)                Primeiro taxa indicações:

 

§                   2:15 Κα γνεται ν τ κατακεσθαι 2427

§                   2:26 λθεν 2427

§                   3:1 omitiu ν: κα __ κε 2427

§                   4:28 πλρης στος  2427

§                   7:9 omitiu κα λεγεν ατος 28, 2427

§                   9:11  τι para  τι

§                   14:2 μ ποτε para μποτε

§                   14:14 erro de parablepsis

§                   15:20 omitiu να σταυρσωσιν ατν 2427

 

b) evidência de suporte adicional:

 

§                   2:15-16   σαν   γρ   πολλοι· κα κολοθουν ατ      

                              γραμματες τν Φαρισαων . κα  δντες leitura de D, 0130vid, 2427

§                   2:21 τ πλρωμα τ καινν ωιτη D, f13, 28, 1424

§                   2:22 λλ ονον νον ες σκος καινος. omitido: D, 2427, it(a, b, d, ff2, i, r1, t), boms*, Tis, Bal

§                   4:34 δοις μαθητας ατο  1071, 2427

§                   6:22 aqui 2427 traz Byz (como Buttmann) τς θυγατρς ατς τςρδιδος

§                   14:24 τ τς διαθκης D, W, 0211, 2427

§                   16:10 κενη δ com C*, 2427

                         

 

 

Divergências significativas entre 2427 e Buttmann:

(para as quais não há explicação óbvia)

 

§                   1:3 2427 omite τοιμσατε τν δν κυρο

§                   1:42 2427: ξλθεν

§                   3:11 para  υἱὸς το θεο 2427 ηασ  θες

§                   3:33 2427 traz: τς στιν μτηρ μου κα δελφο μου;

§                   3:34 2427 omite: κκλ καθημνους

§                   4:31 2427 omite τν π τς γς

§                   4:33 2427 traz: ατος καθς λλει τν λγον καθς δναντο

§                   5:10 2427 traz μακρν τς χρας

§                   5:13 2427 omite τ πνεματα τ κθαρτα

§                   6:11 2427 traz ποδημτων for ποδν

§                   6:17 2427 omite Φιλππου 2427

§                   6:25 para μετ σπουδς πρς τ 2427 traz: μετ σπουδς λγει πρς τν βασιλα

§                   6:36 2427 traz o raro γρω para κκλω

§                   8:2 2427: μραις τρισν οκ χουσι (forma curta do que o Codex Vaticanus traz, assim como Buttmann)

§                   8:11 2427 omite ζητοντες παρ᾿ ατο σημεον π το ορανο

§                   8:19 2427 λγουσιν ατ· δδεκα.

§                   9:1 εσθε para εσν

§                   9:38 2427 omite διδσκαλε

§                   10:22  γρ πλοσιος σφδα (harm. com Lk 18:23)

§                   10:36 correção de 2427 com ποισαι para ποισω

§                   11:18 διδαχ 2427 omite ατο.

§                   12:17 2427 traz: τ το Κασαρος τ Κασαρι (harm. com  Mt 22:21)

§                   12:21 2427 κα πθανεν

§                   14:7 2427 omite ατος: δνασθε

§                   14:22 2427 traz Λβετε, φγετε com f13, 28, 1241, 1342, Maj

§                   14:31 2427 tem κραζον φορ λεγον

§                   14:47 2427 omite παισεν τν δολο το ρχιερως κα

§                   14:54 2427 omite κα θερμαινμενος

§                   14:70 W, 2427 omite κα γρ Γαλιλαος ει

§                   14:72 2427 omite κα νεμνσθη  Πτρος τ ῥῆμα

§                   15:9 2427 traz τ ον ποισω λγετε τν βασιλε τν ουδαων do verso 12

§                   15:36 2427 ομιτσ περιθες καλ μ

§                   16:14 2427 traz π τν νεκρν

                         

 

Erros de Parablepsis:

 

1. Para as seguintes omissões do erro do parablepsis é provávelmente veio da disposição do texto de Buttmann:

 

§                   2:27-28 σββατον· 28 στε κρις στιν  υἱὸς το νθρπου κα τοσαββτου. 2427 omite verso 28

§                   6:2 κα γενομνου σαββτου ρξατο διδσκειν ν τ συναγωγ, dois κα no final de duas linhas consecutivas

§                   8:12 2427 omite μν λγω μν, ε δοθσεται τ γενε τατ σημεον.

§                   12:30 2427 omite ξ λης τς καρδας σου κα ξ λης τς ψυχς σου

§                   14:14 2427 omite επατε τ οκοδεσπτ τι  διδσκαλος λγει· πο στινexatamente uma linha do texto de  Buttmann.  

 

2. As seguintes omissões podem ser devido as parablepsis, mas é improvável que este está influenciado pela disposição do texto de Buttmann:

§                   3:32 2427 omite κα ο δελφο σου κα α δελφα σου ξω ζητοσν σε (κα -κα ?)

§                   5:1 2427 omite ες τ πραν τς θαλσσης (ες - ες)

§                   7:21 2427 omite σωθεν γρ κ τς καρδας τν νθρπων (νθρπων -νθρπων)

§                   8:34 2427 omite κα ρτω α... - ατο κα α...?)

§                   10:29-30 2427 omite, τ. (29 γρος  - 30  γρος)

§                   13:28-29 2427 combina o verso 28c e 29 para: ... γινσκετε τι τ θροςγγς στν π θραις (γγς - γγς)

§                   14:58 2427 omite τι μες κοσαμεν ατο λγοντος (as duas τι são bastante longe de Buttmann, possivelmente)

 

 

Entre colchetes no Buttmann:

 

Ao que parece, 2427 omite do texto de Buttmann.

 

 1:2-3 não omitido

 6:48 não omitido

 7:3-4 omitido

 7:11 não omitido

 13:14 omitido

 

Possivelmente os colchetes inspirou o escriba a omitir as palavras, mas isso não é definitivo.

 

Conclusão: O suporte de 2427, de pelo menos 9 características únicas de Buttmann, pensa que é o suficiente para provar que 2427 tenha sido copiado de Buttmann. A probabilidade de que esses erros de acontecerem independentes é quase nula. Isto é ainda suportado por pelo menos 7 outras leituras muito raras ou pouco usuais em 2427 e que Buttmann concorda.

 
2427 mostra um lote único de leituras que não são suportadas por Buttmann. Em alguns casos, estas podem ser o ex-texto bizantino, mas na maioria dos casos, nenhuma explicação poderia ser encontrada. Eles são provavelmente apenas erros de descuido.

 

Mas, em que isso tem haver com Nestle-Aland? Ora, o documento supostamente prussiano é supostamente mais velho que o TR, e portanto, na análise textual tem mais peso que o famoso Texto Receptus, o que corrobora como reforço da desculpa para diversas modificações que foram introduzidas no Evangelho de Marcos, principalmente a omissão de parte do capítulo 16, e alterações em centenas de lugares.

 

É muito provável que inúmeros muitos outros manuscritos atualmente considerados como verdadeiros, que são supostamente mais velhos e misteriosamente concordam com os corruptos textos católicos de Sinaiticus e/ou Vaticanus, também possam ser frutos da mesma onda de falsificações, já que, a exemplo dessa falsificação, ficou desde 1937, até meados de 2006/07, ou seja, uns 70 anos sendo considerado verdadeiro perante “os maiores eruditos e especialistas do mundo” das “melhores e mais bem equipadas sociedades bíblicas”.

 

 

Bibliografia e Literatura relevante:

                        • R.W. Allison "Unpublished library report on the study of the archaic Mark in MS 972" (typescript draft, 30 pages) University of Chicago Library

                        • E.C. Colwell "An Ancient Text of the Gospel of Mark" The Emory University Quarterly 1 (1945) 65-75

                        • H.R. Willoughby "Archaic Crucifixion Iconography" Munera Studiosa 1946 (Hatch Festschrift) p. 123-144

                        • E.C. Colwell "Some unusual abbreviations in MS 2427" Studia Evangelica, Berlin,  1959, p. 778-792 

                        • M.V. Orna, ..., R.S. Nelson "Applications of Infrared Microspectroscopy to Art Historical Questions about Medical Manuscripts" Archaeological Chemistry 4 (1988) 270-288

                        • Margaret M. Mitchell and P.A. Duncan "Chicago's 'Archaic Mark' (MS 2427): A reintroduction to its enigmas and a fresh collation of its readings" NovT 48 (2006) 1-35

                        • Stephen C. Carlson "The Nineteenth-Century Exemplar of “Archaic Mark” (MS 2427)" SBL 2006 




Ver também:

http://en.wikipedia.org/wiki/Minuscule_2427


 




Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-PreservacaoTT/