Os Mecanismos para a Preservação das Palavras de Deus[i]




Por H. D. Williams, M.D.

Editor Associado,  DBS News



Os mecanismos para a preservação das Palavras de Deus estão registrados para nós em muitas passagens da Escritura. Muita gente se surpreende com este insight. Os mecanismos incluem meios literais assim como providenciais.

O primeiro passo da preservação foi “escrever” Suas Palavras EM UM LIVRO.
[Ex 17:4; 34:27; Nm 5:23; Dt 31:24; Js 23:6; Is 8:1; 30:8; Jr 30:2; Ap 1:19]. É muito interessante que a expressão “escrito no (ou neste) livro” ocorra 93 vezes.

Segundo: Suas Palavras são escritas em MUITOS LIVROS. [At 1:20; 7:42; 13:33; 15:15; 24:13; Mt 5:17; 23:35 ]

Terceiro: TODAS as Suas Palavras tiveram um comando para serem escritas.
[Ex 24:3,4; Dt 9:10; 27:3; Jr 30:2,4]

Quarto: CÓPIAS de TODAS as Suas Palavras tiveram que ser feitas. [Dt 10:2,4; 17:8; 27:3; Js 8:32; Jr 25:13; 36:2,28,32; 51:60; Sl 40:7; 102:12,18]

Quinto: as Palavras tiveram que SER LIDAS. [Ex 24:7; Dt 17:19; Js 8:34; 2 Rs 23:2;
2 Cr 34:30; Jr 36:6,10]. A palavra hebraica Kara, usadas em todas essas passagens também significa proclamar, publicar e pregar as Palavras.

Sexto: todas as gerações foram comandadas a MANTER (guardar, proteger, preservar, observar) as Palavras. [Ex 15:26; 20:5,6; Lv 18:4,5; Dt 29:9; 1 Rs 2:3;
2 Rs 17:13; 2 Cr 34:31; Nm 1:9; Ec 12:13; Ez 11:20; Dn 9:4; Jo 14:15,23]

Sétimo: todas as gerações foram comandadas a manter as Palavras EM SEUS CORAÇÕES. (*N.Tradutor)  [Dt 6:6-9; Pv 3:3; Sl 40:8; 119:11; Jr 31:33; Mt 28:18-20;
Jo 14:15,21]. Isto também significa entendê-las bem o suficiente para ensiná-las, especialmente às crianças.

Oitavo: os indivíduos deveriam reconhecer que, [referentes] às Palavras de Deus, são ESPECÍFICOS os mecanismos [de preservação] já apresentados e os seguintes. Isto deve ser especialmente reconhecido assim como os fatos bíblicos são reconhecidos e apreciados. [Ez 13:9; 24:2; 43:11; Dn 5:24,25; 9:13; Os 8:12;
Mq 2:5; Mt 21:13; Jo 12:6]

Nono: a frase “ESTÁ ESCRITO” ocorre 93 vezes na Bíblia e invariavelmente significa que as Palavras foram escritas no passado e ainda estão presentes agora e no futuro. [Dr. D. A. Waite, defendendo a Bíblia King, pp. 9-11; e o Kent Brandenburg, Editor, “Vós Devereis Mantê-Las”, David Sutton, p. 75-81]

Décimo: DEUS GARANTIU a preservação da aliança: SUAS PALAVRAS. [Ex. 24:7; Dt 7:9; 33:9; 1 Cr 16:15; Sl 12:6-7; 89:34; 105:8; Mt 4:4; 5:17-18; 24:35; 1 Pe 1:23-25]

Décimo Primeiro: O SENHOR JESUS CRISTO e o ESPÍRITO SANTO foram os meios dos homens receberem as Palavras, que foram registradas. [Jo 3: 31-33; 5:34; 7:38-39; 12:47-48; 14:17; 16:13-14; 17:8; 20:22; 2 Tm 3:15-17]

Décimo Segundo: “Deus deu a RESPONSABILIDADE da preservação do Velho Testamento a ISRAEL”. [“Vós Devereis Mantê-Las”, p.104]. [Gn 17:9,10; Ex. 20:6;
Dt 6:6-9; Is 26:2; At 7:38; Rm 3:1-2; 9:3-5]

Décimo Terceiro: No Velho Testamento, os santos tiveram que manter as Palavras NO TABERNÁCULO OU TEMPLO, seu lugar de adoração. [Dt 31:26; 34:30; 2 Rs 23:2]

Décimo Quarto: Na época do Novo Testamento, os membros das IGREJAS deveriam levar, manter (observar, proteger, guardar e preservar), ensinar, receber e reconhecer Suas Palavras. [Mt 28:18-20; Jo 10:27; 17:8; 14:21; 15:20;
1 Co 7:19; Gl 2:5; 2 Tm 2:24-26; Tt 3:10; 1 Jo 3:22-24; Ap 1:3; 14:12; 12:17; 22:7,9,18,19].

Décimo Quinto: nossa IGREJA LOCAL deve ser “o pilar e fundamento da verdade”.
[1 Tm 3:15]

Décimo Sexto: os crentes nas igrejas devem ser os mordomos das Palavras de Deus. [1Tm 1:11,18-20; 4:6-16; 1 Cr 4:1-2; Ef 3:9].[Muitos dos conceitos precedentes foram obtidos de “Vós Devereis Mantê-Las”.]

A era do Novo Testamento tem um modo ainda melhor para a preservação das Palavras de Deus do que nos tempos do Velho Testamento. Dr. Jack Moorman acrescenta sobre a preservação da Escritura da época atual, dizendo: “Assim como as glórias divinas do Novo Testamento são muito mais brilhantes que as glórias do Velho Testamento, assim a maneira pela qual Deus preservou o texto do Novo Testamento é muito mais fantástica do que a maneira pela qual Ele preservou o texto do Velho Testamento. Deus preservou o texto do Velho Testamento por meio de algo físico e externo, isto é, o sacerdócio de Arão. Deus preservou o texto do Novo Testamento por meio de algo interno e espiritual, isto é, o sacerdócio universal dos crentes”. [Dr. Jack Moorman, Estabelecido para Sempre, [DBS #1428] 1999, p. 62]

Sim, as igrejas, cheias dos santos crentes na Bíblia, são responsáveis por “manter” as Palavras de Deus. E elas fizeram isto. Tem havido muitas igrejas independentes, cheias do sacerdócio de crentes através dos séculos. Há muitos autores que discutiriam este fato e eles argumentariam que os indivíduos dentro das igrejas escreveram livros fraudulentos para contar outras ideologias que buscavam prevalecer.
[Bart Ehrman, Cristianidades Perdidas, p. 203-227]. A verdade sobre esses autores, porém, é que eles usam de especulação, teoria e evidência circunstancial. A verdade é que um crente que nasceu de novo ligado ao Espírito Santo, não poderia, em sã consciência mudar nem mesmo uma vírgula ou título da Escritura.

Tem havido uma presença contínua de igrejas independentes de crentes na Bíblia que têm preservado o texto. Muita evidência da existência dessas igrejas tem sido exposta em livros tais como de Aléxis Muston’s, “O Israel dos Alpes. Uma História dos Valdenses” publicada em 1875. Muston escreve: “nos primeiros séculos da era cristã, cada igreja fundada pelos discípulos de Cristo tinha sua unidade e sua própria INDEPENDÊNCIA. Eles eram unidos pela mesma fé, mas essa fé não era imposta por autoridade sobre ninguém” [p. 4]. Ele prossegue discutindo brevemente o conceito da formação da Igreja-Estado sob Constantino, mas reconhece a persistência das igrejas independentes. Ele afirma mesmo que Ambrosio  (339-397 A.D.) "não reconhece qualquer autoridade na terra superior à da Bíblia." [p. 5]. No século 6, Muston relata a história de nove pastores que se “separaram da Igreja Romana, ou ainda, solenemente renovaram o protesto de sua independência dela". [p. 7]. Ele cita um pastor no século 7, em Milão: “Para combater a opinião que o papa é o cabeça da igreja, ele dirige a atenção para o fato de que os Concílios de Nicéia, Constantinopla, Calcedônia e muitos outros foram convocados pelos imperadores e não pelo papa”.  [p. 8] Muston relata: “a resistência (à visão papal) também se tornou mais vigorosa nos séculos seguintes e pode ser rastreada até no século 12, quando a existência dos Valdois [Waldenses] não foi mais duvidada por ninguém”. [p.8]. Ele relata que “O próprio Reino da Lombardia foi solícito quanto à preservação de sua INDEPENDÊNCIA”. Ele diz: “assim, as DOUTRINAS que caracterizam a igreja primitiva (apostólica) e que ainda caracteriza a Igreja dos Vaudois nos dias de hoje (1870), nunca permaneceu sem um testemunho nos países habitados pelos Vaudois e, se os homens tivessem permanecido em silêncio, a BÍBLIA TERIA FALADO”. [p.9]. A Bíblia falou e a evidência para a preservação das Palavras de Deus se superou. As preciosas Palavras de Deus foram preservadas na era do Novo Testamento pelos mecanismos anunciados na Escritura e as igrejas independentes ainda honram, reverenciam, protegem, guardam e defendem as verdadeiras Palavras do Deus Vivo. A DEAN BURGON SOCIETY [Sociedade Deão Burgon] foi formada para dar assistência às igrejas para defender, guardar, proteger e manter as Palavras do Deus Vivo.

Durante os primeiros séculos, surgiram corrupções, mas as igrejas independentes ainda continuam a florescer. G.H.Orchard diz: “Durante o surgimento e crescimento dessas corrupções, as igrejas por três séculos permaneceram como foram formadas originalmente, INDEPENDENTES entre si e não estavam unidas por outra amarra que não a da caridade. [G. H. Orchard, Uma História Concisa dos Batistas, Capítulo 1, Seção III.4]. "Durante os primeiros três séculos, as congregações cristãs, em todo o Leste, subsistiram em corpos INDEPENDENTES e separados, não apoiados pelo governo, e conseqüentemente, sem nenhum poder secular sobre as outras”.[Orchard, Capítulo 1, Seção III.7].



No século 4, grupos de igrejas independentes se formaram para resistir à corrupção do poder centralizado, disciplina errada, doutrina errada e as influências filosóficas erradas dos neo-platonistas em Alexandria, Egito que levaram homens como Pantaneus, Ammonius Saccas e Orígenes, a rejeitarem as Escrituras tal como escritas. O centro Alexandrino de apostasia é muito parecido com a fonte dos manuscritos favoritos dos críticos textuais modernistas, o Vaticanus e o Sinaiticus. Os grupos independentes que se formaram para resistir a esses desvios da doutrina apostólica foram malignizados por Roma e chamados com desprezo de “Puritanos”.
[1]

G. H. Orchard diz: “um Novatus, de Cartago, vindo a Roma, se uniu a Novatio e seus esforços combinados foram atendidos com notável sucesso. É evidente que muitas pessoas já se viram em situações de abraçar a primeira oportunidade de se unir a igrejas CUJA COMUNHÃO ERA VINCULADA À ESCRITURA. Novatio se tornou o primeiro pastor do novo interesse e foi acusado do crime de gerar uma inumerável multidão de congregações de Puritanos em todas as partes o Império Romano; E ainda... essas igrejas floresceram no primeiro século... As igrejas assim formadas, sob um plano de estrita comunhão e rígida disciplina, obtiveram a ACUSAÇÃO [alcunha] de Puritanos. Eles eram O CORPO MAIS VELHO das igrejas cristãs, de que temos conhecimento e Uma Sucessão Delas, Provaremos, Continuou Até Os Dias De Hoje. O exemplo de Novatio teve uma poderosa influência e as igrejas puritanas surgiram em diferentes lugares, em rápida sucessão. Tão cedo quanto 254, esses DISSIDENTES (de Roma) foram acusados de terem infectado a França com suas doutrinas [Mezeray’s Hist., p. 4. Miln. Ch. Hist., c. 3, c. 13] o que nos ajudará nas igrejas albigensianas, onde a mesma severidade disciplinar é traçada [Allix’s Pied, c. 17, 156] e [por Roma] reprovada". [Orchard, Cap.2 Seção 1] (Todos as ênfases  são minhas).

A influência dessas igrejas independentes seria sentida na “Era das Trevas” e na Reforma. É bem conhecido o fato de que os homens da Reforma foram influenciados por membros das igrejas valdensianas. Foram as igrejas independentes valdensianas que forneceram os manuscritos que Erasmo et al. usaram para imprimir o primeiro Texto Tradicional ou Texto Recebido. A evidência da preservação dada por traduções em outros idiomas, lecionários, os escritos dos pais da igreja e manuscritos é enorme. Os independentes, das igrejas fiéis tem preservado, guardado e protegido as Palavras de Deus como comandado. Continuaremos? Ainda somos aptos a defender a Verdade CONTRA TODAS AS AMEAÇAS e, como diz meu Pastor, contra os GOLIAS?
  _________________________________________________________________
*Nota do Tradutor – (em francês savoir par Coeur – manter no coração = saber de cor) (????)



Traduzido por Jeanne Rangel (que agradece a revisão por Alexander da Silva Vasconcelos)



[1] N.R.: Precisamente, “os novacianos foi o primeiro grupo a ser chamado de catharis, ou seja, os puros. Isso devido a pureza de vida que levavam”. (STEFANO, G. Lições da História dos Batista, cap. V. acessível em http://geocities.yahoo.com.br/batistacatanduva )




[i] Tradução: Jeanne Rangel.
  Revisão: Alexander Vasconcelos



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-PreservacaoTT/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )