A Palavra de Deus Não Mais Reina Sobre Nós; Nós Reinamos Sobre Ela


(Extraído de GENERATIONAL SIN: To the Elders of the Duncanville Bible Church)


Wilbur N Pickering, ThM PhD




Um certo número de semanas atrás, o nosso pastor, a partir do púlpito, fez uma reforma no texto de 1 Coríntios 8:3. Em vez de "Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele. (KJB, ACF)", ele sugeriu que talvez deveríamos ler "se alguém ama a Deus, ele é conhecido todos" [isto significa: "se alguém ama a Deus, tal homem é conhecido por todos"]. Uma vez que nenhum texto grego impresso tem o que ele sugeriu, eu me senti levado pelo Senhor a avisar ao pastor de que tal processo não era aconselhável (Apocalipse 22:18-19). Sua resposta foi que eu devia estudar o comentário de Gordon Fee em 1 Coríntios, que foi a fonte para o que ele tinha feito. O comentário de Fee em 1 Coríntios 8:2-3 fornece um exemplo extraordinariamente flagrante da idolatria [idolatria à genialidade de homens] a que me referi. Considere:

O correto texto de 1 Coríntios 8:2-3 , como atestado por cerca de 95 % dos manuscritos gregos, diz o seguinte :

2  ei <1487> de <1161> {MAS SE} tiv <5100> {ALGUEM} dokei <1380> (5719) {PENSA} eidSenai <1492 atestado por 86% dos manuscritos> (5760) {TER CONHECIDO} ti <5100> {ALGUMAM COISA,} oudepw <3764> ouden <3762> {NADA AINDA} egnwken <1097> (5758) {TEM ELE CONHECIDO} kaywv <2531> {SEGUNDO} dei <1163> (5904) {CONVÉM} gnwnai <1097> (5629) {SABER

3  ei <1487> de <1161> {MAS SE} tiv <5100> {ALGUÉM} agapa <25> (5719) ton <3588> {AMA} yeon <2316> {A DEUS,} outov <3778> {ELE} egnwstai <1097> (5769) {É CONHECIDO} up <5259> {POR} autou <846> {ELE:}

O texto eclético atualmente em voga, sendo seguido por NIV, NASB, LB, etc., é baseado em um punhado de testemunhas egípcias e lê assim:

2  ei <1487> {COND} tiv <5100> {X-NSM} dokei <1380> (5719) {V-PAI-3S} egnwkenai <1097> (5760) {V-RAN} ti <5100> {X-ASN} oupw <3768> {ADV} egnw <1097> (5627) {V-2AAI-3S} kaywv <2531> {ADV} dei <1163> (5904) {V-PQI-3S} gnwnai <1097> (5629) {V-2AAN}
3  ei <1487> {COND} de <1161> {CONJ} tiv <5100> {X-NSM} agapa <25> (5719) {V-PAI-3S} ton <3588> {T-ASM} yeon <2316> {N-ASM} outov <3778> {D-NSM} egnwstai <1097> (5769) {V-RPI-3S} up <5259> {PREP} autou <846> {P-GSM}

Os pontos em questão [diferenças entre o Texto Majoritário e o Eclético] estão sublinhados. É o texto eclético que Fee usa como ponto de partida e tem o prazer de chamar de "texto padrão". Se Fee tivesse aceito e reconhecido o texto correto, ele dificilmente poderia ter escrito como ele fez. (Mas, para isso ele teria de rejeitar tudo o que foi ensinado sobre o assunto da Crítica Textual do Novo Testamento). Mas ele não estava satisfeito mesmo com seu texto padrão -- ele se propôs fazer-lhe uma reforma por omissão em três lugares (ver a página 367), e ele faz isso com base em um único MS grego, P46 . Seu texto seria:


Ei tij dokei egnwkenai ))) ( oupw egnw kaqwj dei gnwnai) Ei de tij agapa ))) ))) ( ou`toj egnwstai ))) ))) )

O papiro P46 contém a maior parte das epístolas de Paulo, e é geralmente datado em cerca de 200 dC (o que torna o nosso mais antigo MS existente e que contém este capítulo (1Co 8)). Foi descoberto nas areias do Egito cerca de 85 anos atrás (1930) e a opinião acadêmica parece concordar que ele foi produzido no Egito. Em tal momento (ano 200 dC), a "igreja cristã" no Egito incluía pelo menos onze grupos heréticos que foram tão bem definidos que eles tinham nomes - Valentinianos, Basilidianos, Marcionitas, Peratae, Encratitas, Docetistas, Haimetitas, Cainitas, Ofitas , Simonianos e Eutiquitas. Mas a força dominante em toda a comunidade "cristã" [no Egito] era o gnosticismo. O texto do P46 em 1 Coríntios 8:2-3 é simplesmente uma invenção gnóstica que ficou enterrada nas areias do Egito durante 17 séculos, mas que Fee se propõe ressuscitar e apresentar ao mundo como a Verdade de Deus!

Agora, vamos analisar o procedimento de Fee. Ele começou com um texto grego eclético baseado em menos de 5% dos manuscritos gregos existentes (cerca de 700 manuscritos, aqui em 1 Coríntios). Não contente com isso, ele propõe três omissões com base em um (apenas um!) MS grego contra todos os outros MS gregos (cerca de 700) evcontra cada versão antiga, incluindo MSS e versões egípcios (exceto que a 3ª omissão também é encontrada em dois outros MSS). Note que ele não discute a evidência; não há nenhuma tentativa de explicar por que ou como cada MS (exceto P46) e versão vem a ser um erro aqui. Todo o seu argumento é em termos de considerações subjetivas, a respeito do que ele pensa que 'se encaixa no contexto'. Em outras palavras, Fee está elevando seus próprios processos mentais acima da Palavra de Deus. Ele, Gordon Fee, é quem vai determinar o que é a redação original do texto sagrado, com base em sua própria imaginação. Isso é idolatria [no caso, idolatria a si mesmo, à sua genialidade]; idolatria perversa [idolatria no seu maior e mais perigoso grau].

Agora, considere as implicações disto para a doutrina da inspiração das Escrituras. Se Fee está correto, então a forma de 1 Coríntios que os vários Concílios da Igreja canonizaram está errada. Se a Igreja canonizou o texto errado, como sabemos que ela sequer estava certa em canonizar o livro (1 Coríntios )? Não só isso, a Igreja Universal usou e preservou o texto errado ao longo dos séculos [Hélio repudia a teoria de que há na terra uma igreja universal e invisível, e diria "as igrejas locais usaram e preservaram ..."]. Martinho Lutero não poderia saber o que o texto correto de 1 Coríntios foi -- ele (o texto em si, não necessariamente enterrado nas areias do Egito (de acordo com Fee)). Nem poderia qualquer outra pessoa, a qualquer momento entre 300 e 1930 dC -- de acordo com Fee, a leitura verdadeira tinha desaparecido do conhecimento da Igreja. Cada um e todos os tradutores e estudiosos, em 1900, simplesmente não podiam saber o que a verdadeira leitura era -- ela não existia. Não só isso, como é que sabemos que um novo papiro, vamos chamá-lo de P201, não vai ser descoberto amanhã, o qual vai ter uma variante em um ponto onde até agora não há uma concordância de 100 %? E o que é que vai impedir Fee de nos dizer que essa variante é realmente a leitura original? Em outras palavras, se Fee está certo, então não temos certeza e nunca poderemos ter certeza sobre o que é o verdadeiro texto das Escrituras. Então, em tal situação, por que se preocupar tentando falar sobre um texto inerrante? E não vai qualquer alegação sobre a inspiração se tornar relativa?

O tratamento que Fee deu a 1 Coríntios 8:2-3 é apenas um exemplo extremo de uma mentalidade que permeia nossas igrejas. As margens de NIV e NASB estão cheias de notas que minam a confiança na integridade do texto : "alguma MSS antigos omitem ... ", " muitas autoridades antigas leem ... ", "as mais antigas e melhores [na realidade, são as piores] testemunhas ..."; para não mencionar os colchetes no próprio Texto [a Bíblia] e que transmitem ao leitor [a ideia de] que o material entre os colchetes "certamente não é genuíno" . Por que eles fazem isso? Porque eles estão seguindo um texto eclético, e os editores daquele texto o construíram com base em critérios subjetivos, por sua vez baseados em falsos pressupostos. Mas nem sequer um só daqueles editores acreditava que a Bíblia é a infalível Palavra de Deus -- de fato, eles imputaram erros e contradições sobre o texto deles. Por acaso não se qualificariam eles como "filhos da desobediência" (Efésios 2:2)? Se assim for, isso significaria que eles estavam abertos à interferência satânica em suas mentes. Se alguém pensa que Satanás deixaria passar essa oportunidade de corromper o texto sagrado, então ele realmente não acredita naquilo que a Bíblia diz sobre o nosso inimigo!
...
Tornou-se [hoje] difícil realmente ensinar uma lição da Escola Dominical -- pode haver seis versões diferentes na sala e começamos a discutir os vários textos e suas traduções; não há nenhuma autoridade para fazer uma escolha; ninguém sabe ao certo o que a palavra de Deus é! As notas de rodapé, além das diferenças entre as versões (muitas vezes significativas), minaram a confiança das pessoas na integridade do texto. Se o pregador faz uma reforma no Texto, a partir do púlpito, a confusão é ainda mais agravada. A autoridade das Escrituras tem sido prejudicada. Poucos têm a confiança necessária para se levantar e dizer: "Assim diz o Senhor!" O resultado prático é que sempre que algum ensinamento da Escritura torna-se inconveniente, por razões pessoais ou culturais, simplesmente se fala arrodeando-a de longe, se dá uma explicação cancelando-a, ou simplesmente se dá de ombros e se a despreza completamente [como se ela não existisse ou não tivesse autoridade]. Inquestionável obediência ao sentido normal do texto é agora irremediavelmente fora de moda! Afinal, hoje em dia, é a nossa razão e nossa lógica (temperada pela nossa conveniência) que é a autoridade final, o árbitro final -- a Palavra de Deus não mais reina sobre nós; nós reinamos sobre ela (à la Fee).




Wilbur N Pickering, ThM PhD.

Primeiramente escrito em 1989, revisto em 2014.



Tradução de Hélio de M.S.




Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ Bibliologia-PreservacaoTT/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )