Uma Comparação e Contraste Entre Israel e a Igreja


(A Comparison and Contrast Between Israel and the Church)

Pr. George Parsons

http://www.middletownbiblechurch.org/dispen/israelch.htm





A profecia encontrada em Daniel 9:24-27

(“24 Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santíssimo. 25 Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar, e para edificar a Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, haverá sete semanas, e sessenta e duas semanas; as ruas e o muro se reedificarão, mas em tempos angustiosos. 26 E depois das sessenta e duas semanas será cortado o Messias, mas não para si mesmo; e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra; estão determinadas as assolações. 27 E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.”)

é uma chave para a compreensão da era intermediária entre a história de Israel e a igreja. A história de Israel, começando com a reconstrução de Jerusalém [que ocorreu por decreto do rei Artaxerxes, 483 anos proféticos antes da cruz], até a segunda vinda do Messias, está incorporada às profecias das 70 semanas de Daniel. Sabemos que o Messias foi cortado (referindo-se à Sua morte violenta), após a 69ª semana, e sabemos também, pelo Livro do Apocalipse e outras passagens da Escritura, que a 70ª semana ainda está no futuro e é representada pelos sete anos finais, antes do Messias voltar à Terra. Entre a 69ª e a 70ª semanas, existe uma “lacuna” de aproximadamente 2.000 anos, durante a qual Deus tem edificado a Sua Igreja (Mateus 16:18: “E também Eu te digo que tu és uma pedra- pequena, e sobre a Rocha- grande estarei edificando a Minha assembleia, e os portões do inferno não prevalecerão- resistirão contra ela;” (LTT)) e visitado as nações, a fim de escolher o Seu povo, pois, Deus visitou os gentios, para tomar deles um povo para o seu nome”. (Atos 15:14).

É altamente significativo que esta profecia da 70ª. semana de Daniel, conquanto detalhando a história do povo de Deus, setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo (Daniel 9:24), nada tenha a dizer sobre um período da história, agora conhecido como perdurando dois milênios. Quando esta admirável “lacuna” ou “parêntese” é integrada à grande profecia cronológica de Daniel, o intérprete é forçado a distinguir duas histórias:

      1) a história declarada de Israel (490 anos) [490 anos entre o decreto de Artaxerxes e a 2ª vinda de Cristo (para iniciar o Milênio). Mas, aos 483 anos, por ocasião da semana da crucificação, o relógio profético de Israel foi posto em “Pause”, ainda restando 7 anos da profecia para serem completados, quando Deus a tirar do “Pause”];

      2) a não declarada história parentética da Igreja (de quase 2.000 anos).

Deus tem uma história ou programa distinto para Israel, bem como uma história ou programa distinto para a Sua Igreja. Os dois programas se harmonizam perfeitamente, sem interferir um com o outro, nem se sobreporem
[nem sequer 1 dia] no período de tempo. A história da Igreja estará em completo declínio, no período de tempo, após a conclusão da 69ª semana e antes do início da 70ª. semana. [O relógio profético de Israel sairá do “Pause” e voltará a correr para completar a 70ª semana, os últimos 7 anos da profecia de Daniel, aqui sobre a terra. E o relógio da Igreja será posto em “Pause” aqui na terra, com a retirada dela para a alcova nupcial espiritual, no céu, ao final da 70ª semana, voltar à terra com o seu Noivo em glória para, com e para Ele, reinar no Milênio.]
 
Distinções Vitais entre Israel e a Igreja - Os dispensacionalistas se distinguem dos não dispensacionalistas no sentido de que reconhecem as claras distinções bíblicas entre Israel e a Igreja. As seguintes distinções estão embasadas nos claros ensinos das Escrituras, quando interpretadas em sentido claro, normal e literal. Por exemplo, os não dispensacionalistas se horrorizam diante do pensamento de que os antigos sacrifícios de animais serão praticados no Reino Messiânico, mas isto foi o que os profetas do Antigo Testamento predisseram. [Para um estudo adicional, ver The Millennial Temple of Ezekiel 40-48 by Dr. John Whitcomb (An Exercise in Literal Interpretation]. Na tabela abaixo, o termo “Igreja” se refere à Igreja constituída de crentes nascidos de novo e não de meros cristãos professos, que não tenham uma vida com o Filho de Deus: Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida”.  (1 João 5:12). “E sabemos que já o Filho de Deus é vindo, e nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro estamos, isto é, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (verso 20).
 

Comparações e Contrastes entre Israel e a Igreja

ISRAEL

a IGREJA

1) Israel é uma nação escolhida por Deus e mantida pelas Suas promessas (Deuteronômio 7:6-9).
Nem todos os indivíduos nesta nação escolhida são salvos (Romanos 9:6; 11:28)


“6 Porque povo santo és ao SENHOR teu Deus; o SENHOR teu Deus te escolheu, para que lhe fosses o seu povo especial, de todos os povos que há sobre a terra. 7 O SENHOR não tomou prazer em vós, nem vos escolheu, porque a vossa multidão era mais do que a de todos os outros povos, pois vós éreis menos em número do que todos os povos; 8 Mas, porque o SENHOR vos amava, e para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão forte e vos resgatou da casa da servidão, da mão de Faraó, rei do Egito. 9 Saberás, pois, que o SENHOR teu Deus, ele é Deus, o Deus fiel, que guarda a aliança e a misericórdia até mil gerações aos que o amam e guardam os seus mandamentos.” (Dt 7:6-9)

“Não que a palavra de Deus haja faltado, porque nem todos os que são de Israel são israelitas;” (Rm 9:6)

 “Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais.” (Rm 11:28)

A Igreja é uma assembleia de crentes chamados para fora, os quais foram batizados no corpo de Cristo (1 Coríntios 12:13.
Cada membro do corpo de Cristo é salvo, embora haja multidões de cristãos professos que talvez não sejam salvos.
[Um dos primeiros sinais de conversão é o amor pelo estudo da Palavra de Deus].

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.” (1Co 12:13)

2) Israel traça a sua origem a Abraão, Isaque e Jacó (Jacó sendo o pai das doze tribos de Israel)

A Igreja traça a sua origem ao Dia de Pentecoste (Atos 2), quando os primeiros crentes foram colocados no corpo de Cristo.

“... ... 41 De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, ... 47 Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar.” (At 2:1-47)

[Hélio acredita que a Igreja teve seu início antes da cruz. Ver http://solascriptura-tt.org/EclesiologiaEBatistas/05InicioIgrejas-Helio.htm]

3) No programa de Deus para Israel, Suas testemunhas compõem uma nação. (Is 43:10)

Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim Deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.” (Is 43:10)

No programa de Deus para a Igreja, Suas testemunhas estão entre as nações. (Atos 1:8).

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” (At 1:8)

4) O programa de Deus para Israel será novamente centralizado numa cidade - Jerusalém (Mateus 23:37). Tanto durante a Tribulação (Mateus 24:15-20) como durante o Milênio (Isaías 2:1-5).

Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!” (Mt 23:37)

 “15 Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda; 16 Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; 17 E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa; 18 E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes. 19 Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias! 20 E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;” (Mt 24:15-20)

 “1 ¶ Palavra que viu Isaías, filho de Amós, a respeito de Judá e de Jerusalém. 2 E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do SENHOR no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. 3 E irão muitos povos, e dirão: Vinde, subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do SENHOR. 4 E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear. 5 Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz do SENHOR.” (Is 2:1-5)

O programa de Deus para a Igreja começou em Jerusalém e se estendeu aos confins da Terra (Lucas 24:47; Atos 1:8). A Igreja se identifica com o Cristo ressuscitado, não com qualquer cidade terrena [João 4:20-24].

“E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.” (Lc 24:47)

 “Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.” (At 1:8)

“20 Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em Jerusalém o lugar onde se deve adorar. 21 Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. ... 23 Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. 24 Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. (Jo 4:20-24)

5) A esperança e expectação de Israel era terrena, centralizada no estabelecimento do Reino do Messias predito pelos profetas (Jeremias 23:5-8; Isaías 2:1-5; 11:1-16).

“5 Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra. 6 Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA. 7 Portanto, eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que nunca mais dirão: Vive o SENHOR, que fez subir os filhos de Israel da terra do Egito; 8 Mas: Vive o SENHOR, que fez subir, e que trouxe a geração da casa de Israel da terra do norte, e de todas as terras para onde os tinha arrojado; e habitarão na sua terra.” (Jr 23:5-8)

 “1 ¶ Palavra que viu Isaías, filho de Amós, a respeito de Judá e de Jerusalém. 2 E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do SENHOR no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. 3 E irão muitos povos, e dirão: Vinde, subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do SENHOR. 4 E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear. 5 Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz do SENHOR.” (Is 2:1-5)

 “1 ¶ Porque brotará um rebento do tronco de Jessé, e das suas raízes um renovo frutificará. 2 E repousará sobre ele o Espírito do SENHOR, o espírito de sabedoria e de entendimento, o espírito de conselho e de fortaleza, o espírito de conhecimento e de temor do SENHOR. 3 E deleitar-se-á no temor do SENHOR; e não julgará segundo a vista dos seus olhos, nem repreenderá segundo o ouvir dos seus ouvidos. 4 Mas julgará com justiça aos pobres, e repreenderá com equidade aos mansos da terra; e ferirá a terra com a vara de sua boca, e com o sopro dos seus lábios matará ao ímpio, 5 E a justiça será o cinto dos seus lombos, e a fidelidade o cinto dos seus rins. 6 E morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará, e o bezerro, e o filho de leão e o animal cevado andarão juntos, e um menino pequeno os guiará. 7 A vaca e a ursa pastarão juntas, seus filhos se deitarão juntos, e o leão comerá palha como o boi. 8 E brincará a criança de peito sobre a toca da áspide, e a desmamada colocará a sua mão na cova do basilisco. 9 Não se fará mal nem dano algum em todo o meu santo monte, porque a terra se encherá do conhecimento do SENHOR, como as águas cobrem o mar. 10 ¶ E acontecerá naquele dia que a raiz de Jessé, a qual estará posta por estandarte dos povos, será buscada pelos gentios; e o lugar do seu repouso será glorioso. 11 E há de ser que naquele dia o Senhor tornará a pôr a sua mão para adquirir outra vez o remanescente do seu povo, que for deixado, da Assíria, e do Egito, e de Patros, e da Etiópia, e de Elã, e de Sinar, e de Hamate, e das ilhas do mar. 12 E levantará um estandarte entre as nações, e ajuntará os desterrados de Israel, e os dispersos de Judá congregará desde os quatro confins da terra. 13 E afastar-se-á a inveja de Efraim, e os adversários de Judá serão desarraigados; Efraim não invejará a Judá, e Judá não oprimirá a Efraim. 14 Antes voarão sobre os ombros dos filisteus ao ocidente; juntos despojarão aos do oriente; em Edom e Moabe porão as suas mãos, e os filhos de Amom lhes obedecerão. 15 E o SENHOR destruirá totalmente a língua do mar do Egito, e moverá a sua mão contra o rio com a força do seu vento e, ferindo-o, dividi-lo-á em sete correntes e fará que por ele passem com sapatos secos. 16 E haverá caminho plano para o remanescente do seu povo, que for deixado da Assíria, como sucedeu a Israel no dia em que subiu da terra do Egito.” (Is 11:1-16)

A esperança e expectação da Igreja é celestial, centralizada no glorioso aparecimento de Cristo, para arrebatar o Seu povo ao Céu (João 14:1-3; Filipenses 3:20-21; Colossenses 3:1-4; 1 Tessalonicenses 4:13-18).

“1 ¶ Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. 2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. 3 E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também.” (Jo 14:1-3)

 “20 Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, 21 Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.” (Fp 3:20-21)

 “1 ¶ Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. 2 Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; 3 Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. 4 Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.” (Cl 3:1-4)

 “13 ¶ Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. 14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. 15 Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. 16 Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. 18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” (1Ts 4:13-18)

6) O propósito e programa de Deus para Israel foi revelado no Antigo Testamento das Escrituras.

O propósito de programa de Deus para a Igreja NÃO foi revelado no Antigo Testamento; ao contrário, foi revelado pelos apóstolos e profetas do Novo Testamento (Efésios 3:5).

O qual noutros séculos NÃO foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas;” (Ef 3:5)

7) A história de Israel profetizada em Daniel 9:24 (as 70 semanas ou 490 anos) envolve sacrifícios de animais, e esses anos também incluirão o período da Tribulação. A história de Israel durante o Milênio também envolverá sacrifício de animais (Ez 43:27)

“E, cumprindo eles estes dias, será que, ao oitavo dia, e dali em diante, os sacerdotes oferecerão sobre o altar os vossos holocaustos e as vossas ofertas pacíficas; e eu me deleitarei em vós, diz o Senhor DEUS.” (Ez 43:27)

A história da igreja não envolve o sacrifício de animais. O sacrifício do Messias foi suficiente e feito uma única vez para sempre, e é comemorado [relembrado, não repetido!] por meio da Ceia do Senhor. [He 10:1,4,12,14; 1Co 11:24-25]
[
“1 ¶ Porque tendo a lei a sombra dos bens futuros, e não a imagem exata das coisas, nunca, pelos mesmos sacrifícios que continuamente se oferecem cada ano, pode aperfeiçoar os que a eles se chegam. ... 4 Porque é impossível que o sangue dos touros e dos bodes tire os pecados. ... 12 Mas este, havendo oferecido para sempre um único sacrifício pelos pecados, está assentado à destra de Deus, ... 14 Porque com uma só oblação aperfeiçoou para sempre os que são santificados.” (He 10:1,4,12,14)

“24 E, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto EM MEMÓRIA de mim. 25 Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, EM MEMÓRIA de mim.” (1Co 11:24-25)

]

8) A história de Israel profetizada em Daniel 9:24 (os 490 anos, incluindo também a Tribulação), envolve um só lugar no mundo, o templo em Jerusalém. O mesmo se aplica ao Milênio (Ezequiel Capítulos 40-48).

[Um comentarista [reformado], do qual Hélio não conhece o nome, escreveu: "O retorno da glória de Deus ao novo templo em Ez 43:1-12 é o clímax do livro. O contexto sugere que isso só poderá ocorrer depois que Israel for restaurada à sua Terra Prometida e for purificada. A ênfase está na santidade. Santidade não tem caracterizado Israel como um povo até então, e, de acordo com Ezequiel 36, Israel não poderia ser um povo santo em acordo com o padrão de Deus até depois de ter sido restaurada à Terra Prometida e purificada na Era Messiânica [o Reino Milenar do Messias]. Quando a glória de Deus retornar, ela permanecerá no meio de Israel para sempre (43:6-7). O desenvolvimento deste fator unificador na profecia de Ezequiel argumenta fortemente em favor de um cumprimento futuro dos capítulos 40-4.

“1 ¶ Então me levou à porta, à porta que olha para o caminho do oriente. 2 E eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do oriente; e a sua voz era como a voz de muitas águas, e a terra resplandeceu por causa da sua glória. 3 E o aspecto da visão que tive era como o da visão que eu tivera quando vim destruir a cidade; e eram as visões como as que tive junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto. 4 E a glória do SENHOR entrou na casa pelo caminho da porta, cuja face está para o lado do oriente. 5 E levantou-me o Espírito, e me levou ao átrio interior; e eis que a glória do SENHOR encheu a casa. 6 E ouvi alguém que falava comigo de dentro da casa, e um homem se pôs em pé junto de mim. 7 ¶ E disse-me: Filho do homem, este é o lugar do meu trono, e o lugar das plantas dos meus pés, onde habitarei no meio dos filhos de Israel para sempre; e os da casa de Israel não contaminarão mais o meu nome santo, nem eles nem os seus reis, com suas prostituições e com os cadáveres dos seus reis, nos seus altos, ... 10 Tu, pois, ó filho do homem, mostra à casa de Israel esta casa, para que se envergonhe das suas maldades, e meça o modelo. .... 12 Esta é a lei da casa: Sobre o cume do monte todo o seu contorno em redor será santíssimo; eis que esta é a lei da casa.” (Ez 43:1-12)
]

Durante a maior parte da era da Igreja, não existe um templo em Jerusalém. Nesta era, Deus manifesta a Sua glória nos crentes verdadeiros, tanto individual como coletivamente. Cada crente é designado de o templo do Espírito Santo, de Deus (1 Coríntios 3:16; 6:19-20; Efésios 2:21-22). Isto é realizado pela habitação do Espírito Santo em cada indivíduo nascido de novo.

“Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1Co 3:16)

 “19 Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 20 Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a Deus no vosso corpo, e no vosso espírito, os quais pertencem a Deus.” (1Co 6:19-20)

 “21 No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. 22 No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito.” (Ef 2:21-22)

9) A história de Israel profetizada em Daniel 9:24 (os 490 anos), envolve um sacerdócio limitado aos filhos de Arão, excluindo a maior parte dos israelitas. O mesmo se aplica ao Milênio, quando os sacerdotes de Zadoque (também descendentes de Arão) servirão no templo (Ezequiel 40:46; 43:19; 44:15).

“Mas a câmara que olha para o caminho do norte é para os sacerdotes que têm a guarda do altar; são estes os filhos de Zadoque, que se chegam ao SENHOR, dentre os filhos de Levi, para o servir.” (Ez 40:46)

 “E aos sacerdotes levitas, que são da descendência de Zadoque, que se chegam a mim (diz o Senhor DEUS) para me servirem, darás um bezerro, para oferta pelo pecado.” (Ez 43:19)

 “Mas os sacerdotes levíticos, os filhos de Zadoque, que guardaram a ordenança do meu santuário quando os filhos de Israel se extraviaram de mim, eles se chegarão a mim, para me servirem, e estarão diante de mim, para me oferecerem a gordura e o sangue, diz o Senhor DEUS.” (Ez 44:15)

Durante a era da Igreja, todo e cada crente verdadeiro é um sacerdote capacitado a oferecer sacrifícios espirituais ao Senhor (Hebreus 13:15; 1 Pedro 2:9; Apocalipse 1:6). Enquanto Israel teve um sacerdócio, a Igreja é um sacerdócio.

“Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome.” (Hb 13:15)

 “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;” (1Pe 2:9)

 “E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.” (Ap 1:6)

10) A história de Israel profetizada em Daniel 9:24 (os 490 anos), terminará {*} com a vinda do Messias à Terra, para estabelecer o Seu Reino.

{* Depois, claro, continuará no Milênio e na eternidade futura. Mas esta é outra e gloriosa parte da História}

A história da Igreja terminará {*} com o Arrebatamento dos crentes, quando a plenitude dos gentios haja entrado (1 Tessalonicenses 4:13-18; Romanos 11:25).

{* Depois, claro, continuará nas núpcias, no Milênio e na eternidade futura. Mas esta é outra e gloriosa parte da História}

“13 ¶ Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. 14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. 15 Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. 16 Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17 Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. 18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.” (1Ts 4:13-18)

 “Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, ATÉ QUE a plenitude dos gentios haja entrado.” (Rm 11:25)

11) Durante a história de Israel (os 490 anos de Daniel 9:24, que também incluem a Tribulação), a composição étnica do mundo é em duas partes, a humanidade está dividida entre judeus e gentios.  Esta divisão de todos os povos em judeus e gentios também se aplica àqueles que estarão no reino milenial com seus corpos naturais. Ex 33:16; Lv 20:26; 1Cr 17:21-22; Ef 2:11-12

“Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso não é por andares tu conosco, de modo a sermos separados, eu e o teu povo, de todos os povos que há sobre a face da terra?” (Êx 33:16)

 “E ser-me-eis santos, porque eu, o SENHOR, sou santo, e vos separei dos povos, para serdes meus.” (Lv 20:26)

“21 E quem há como o teu povo Israel, única gente na terra, a quem Deus foi resgatar para seu povo, fazendo-te nome com coisas grandes e temerosas, lançando as nações de diante do teu povo, que resgataste do Egito? 22 E confirmaste o teu povo Israel para ser teu povo para SEMPRE; e tu, SENHOR, lhe foste por Deus.” (1Cr 17:21-22)

 “11 ¶ Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; 12 Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo.” (Ef 2:11-12)

Durante a era da Igreja, do Pentecoste até o Arrebatamento, a composição étnica do mundo é em três partes. A humanidade esta dividida em judeus, gentios, e a Igreja de Deus (1 Coríntios 10:32),  sendo a Igreja composta de [ex-] judeus e [ex-] gentios unidos, em um só corpo (Efésios 2:15; 3:6).

“Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus.” (1Co 10:32)

 “14 ¶ Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, 15 Na sua carne desfez a inimizade, isto é, a lei dos mandamentos, que consistia em ordenanças, para criar em si mesmo dos dois um novo homem, fazendo a paz, 16 E pela cruz reconciliar ambos com Deus em um corpo, matando com ela as inimizades.” (Ef 2:14-16)

“A saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho;” (Ef 3:6)

12) Durante a história de Israel no mundo, deste o Sinai até [a cruz, e desde o Arrebatamento até] o Reino Milenial (excluindo a era da Igreja), será caracterizada por PRIORIDADE de Israel (isto é, Israel terá um papel principal, de liderança, como o povo escolhido de Deus.) Ver Dt 4:6-8; Is 43:10; Mt 10:5-6; Zc 8:23.

“6 Guardai-os pois, e cumpri-os, porque isso será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos, que ouvirão todos estes estatutos, e dirão: Este grande povo é nação sábia e entendida. 7 Pois, que nação há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o SENHOR nosso Deus, todas as vezes que o invocamos? 8 E que nação há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que hoje ponho perante vós?” (Dt 4:6-8)

 “Vós sois as minhas testemunhas, diz o SENHOR, e meu servo, a quem escolhi; para que o saibais, e me creiais, e entendais que eu sou o mesmo, e que antes de mim deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá.” (Is 43:10)

 “5 ¶ Jesus enviou estes doze, e lhes ordenou, dizendo: Não ireis pelo caminho dos gentios, nem entrareis em cidade de samaritanos; 6 Mas ide antes às ovelhas perdidas da casa de Israel;” (Mt 10:5-6)

 “Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Naquele dia sucederá que pegarão dez homens, de todas as línguas das nações, pegarão, sim, na orla das vestes de um judeu, dizendo: Iremos convosco, porque temos ouvido que Deus está convosco.” (Zc 8:23)

Durante a era da Igreja, o papel de Israel no mundo será caracterizado por IGUALDADE – Judeus e gentios unidos juntamente formando um só corpo com a missão de testemunhar do Cristo ressurreto (Cl 3:11; Gl 3:28).

Onde não há grego, nem judeu, circuncisão, nem incircuncisão, bárbaro, cita, servo ou livre; mas Cristo é tudo em todos.” (Cl 3:11)

 “Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.” (Gl 3:28)

13) Os judeus do sexo masculino eram circuncidados como um sinal da Aliança com Abraão [Gn 17:10-14]. [Adicionalmente], os judeus crentes eram circuncidados no coração [no seu sentido figurado, claro, não o órgão físico real (Jr 4:4).s

“10 Esta é a minha aliança, que guardareis entre mim e vós, e a tua descendência depois de ti: Que todo o homem entre vós será circuncidado. 11 E circuncidareis a carne do vosso prepúcio; e isto será por sinal da aliança entre mim e vós. 12 O filho de oito dias, pois, será circuncidado, todo o homem nas vossas gerações; o nascido na casa, e o comprado por dinheiro a qualquer estrangeiro, que não for da tua descendência. 13 Com efeito será circuncidado o nascido em tua casa, e o comprado por teu dinheiro; e estará a minha aliança na vossa carne por aliança perpétua. 14 E o homem incircunciso, cuja carne do prepúcio não estiver circuncidada, aquela alma será extirpada do seu povo; quebrou a minha aliança.” (Gn 17:10-14)

Circuncidai-vos ao SENHOR, e tirai os prepúcios do vosso coração, ó homens de Judá e habitantes de Jerusalém, para que o meu furor não venha a sair como fogo, e arda de modo que não haja quem o apague, por causa da malícia das vossas obras.” (Jr 4:4)

Os crentes desta dispensação [da Igreja] gozam de uma circuncisão interna feita [no espírito do homem, por Deus] não com mãos [humanas] (Cl 2:11; Fp 3:3). Nenhuma circuncisão física é requerida.

No qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo do corpo dos pecados da carne, a circuncisão de Cristo;” (Cl 2:11)

 “Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.” (Fp 3:3)

14) Israel estava sob a lei de Moisés como sua regra para viver.

A Igreja está sob a regra de “a nova criatura” (Gl 6:15-16).  Veja nosso estudo:  What is the Believer's Rule of Life?

15 Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. 16 E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus.” (Gl 6:15-16)

15) Judeus descrentes eram filhos físicos de Abraão, mas filhos espirituais do diabo (Jo 8:37-44).

“... 39 Responderam, e disseram-lhe: Nosso pai é Abraão. Jesus disse-lhes: Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão. 40 Mas agora procurais matar-me, a mim, homem que vos tem dito a verdade que de Deus tem ouvido; Abraão não fez isto. ... 43 Por que não entendeis a minha linguagem? Por não poderdes ouvir a minha palavra. 44 Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira.” (Jo 8:37-44)

Todo e cada (verdadeiro) crente em Cristo (quer tenha nascido judeu ou gentio) [mas, depois, sido convertido] é um filho [espiritual] de Abrão e um filho de Deus (Rm 4:11-12; Gl 3:26-29). Esta declaração não quer dizer que os crentes desta dispensação da Igreja são Israelitas. Veja nosso estudo The Use of the Term "Israel" in the N.T.

“11 E recebeu o sinal da circuncisão, selo da justiça da fé, quando estava na incircuncisão, para que fosse pai de todos os que creem, estando eles também na incircuncisão; a fim de que também a justiça lhes seja imputada; 12 E fosse pai da circuncisão, daqueles que não somente são da circuncisão, mas que também andam nas pisadas daquela fé que teve nosso pai Abraão, que tivera na incircuncisão.” (Rm 4:11-12)

 “26 Porque todos sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. 27 Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. 28 Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus. 29 E, se sois de Cristo, então sois descendência de Abraão, e herdeiros conforme a promessa.”
(Gl 3:26-29)

16) Israel devia observar o dia do sábado (Ex 20:8) [note que Dt 5:12-15 deixa claro que o sábado foi um sinal para os judeus, só para eles]. Vemos de novo a observância do sábado na Tribulação (Mt 24:20) e no Milênio  (Ez 46:1,3).

“12 Guarda o dia de sábado, para o santificar, como te ordenou o SENHOR teu Deus. ... 15 Porque te lembrarás que foste servo na terra do Egito, e que o SENHOR teu Deus te tirou dali com mão forte e braço estendido; por isso o SENHOR teu Deus te ordenou que guardasses o dia de sábado.” (Dt 5:12,15)

 “E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado;” (Mt 24:20)

 “1 ASSIM diz o Senhor DEUS: A porta do átrio interior que dá para o oriente, estará fechada durante os seis dias que são de trabalho; mas no dia de sábado ela se abrirá; também no dia da lua nova se abrirá. ... 3 E o povo da terra adorará à entrada da mesma porta, nos sábados e nas luas novas, diante do SENHOR.” (Ez 46:1, 3)

A Igreja deve ser diligente e fazer todo esforço para o mundo entrar no repouso de Deus. (He 4:9-11). Este é um dever diário. [E não precisa fazer diferença entre dias (Rm 14:5; Gl 4:10,11; Cl 2:16,17]

“Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente.” (Rm 14:5)

 “10 Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. 11 Receio de vós, que não haja trabalhado em vão para convosco.” (Gl 4:10-11)

 “16 ¶ Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, 17 Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” (Cl 2:16-17)

17) Membresia na nação de Israel tinha que ser por nascimento (descendência física) ou por se tornar um prosélito (um gentio que se converte ao judaísmo e passa a ser judeu)

Membresia na Igreja [local] tem que ser pelo novo nascimento efetivado [Jo 3:3] pelo ministério de Deus (1 Cor. 12:13), batizando no corpo de Cristo. [o batismo nas águas segue-se ao novo nascimento e o declara publicamente, não o causa. É evidência de salvação, não é causa dela nem pré-requisito para ela]

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” (Jo 3:3)

“Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.” (1Co 12:13)

18) Os judeus crentes de antes de Pentecoste, e os judeus crentes de durante a Tribulação, e os judeus crentes de durante o Reino Milenial, NÃO são membros do corpo de Cristo.

Os judeus crentes e os gentios crentes, desde Pentecoste até o Arrebatamento, ambos são um só, ambos são membros do corpo de Cristo.

19) O lugar de adoração de Israel está centralizado em Jerusalém (Daniel 6:10; João 4:20) e o mesmo acontecerá na Tribulação (Daniel 9:27) e no Milênio (Isaías 2:1-5).

Esta divisão de todos os povos em judeus e gentios também se aplica àqueles no lugar de adoração em Israel, centralizado em Jerusalém (Daniel 6:10; João 4:20) e o mesmo acontecerá na Tribulação (Daniel 9:27) e no Milênio (Isaías 2:1-5).

“Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de JERUSALÉM), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.” (Dn 6:10)

 “Nossos pais adoraram neste monte, e vós dizeis que é em JERUSALÉM o lugar onde se deve adorar.” (Jo 4:20)

 “E ele firmará aliança {*} com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício {*} e a oblação {*}; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.” (Dn 9:27)
{* isto indica o templo de Jerusalém reconstruído}

 “1 ¶ Palavra que viu Isaías, filho de Amós, a respeito de Judá e de Jerusalém. 2 E acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do SENHOR no cume dos montes, e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. 3 E irão muitos povos, e dirão: Vinde, subamos ao monte do SENHOR, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do SENHOR. 4 E ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear. 5 Vinde, ó casa de Jacó, e andemos na luz do SENHOR.” (Is 2:1-5)

O lugar de adoração da Igreja é “onde estiverem dois ou três reunidos em Meu Nome, aí estou eu no meio deles ” (Mateus 18:20; João 4:21-24). Cristo está no meio de cada uma de Suas [verdadeiras] Igrejas (Apocalipse 1:13,20).

“Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” (Mt 18:20)

 

 “21 Disse-lhe Jesus: Mulher, crê-me que a hora vem, em que nem neste monte nem em Jerusalém adorareis o Pai. 22 Vós adorais o que não sabeis; nós adoramos o que sabemos porque a salvação vem dos judeus. 23 Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. 24 Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4:21-24)

 

 “13 E no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro. ... 20 O mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete castiçais de ouro. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais, que viste, são as sete igrejas.” (Ap 1:13,20)

 

20) Israel é comparada à ESPOSA de Jeová, geralmente como uma esposa INFIEL (Oséias).

A Igreja é a amada NOIVA de Cristo (2 Coríntios 11:2; Apocalipse 19:7-8), a qual será apresentada, um dia, como gloriosa e sem mácula (Efésios 5:27).

“Porque estou zeloso de vós com zelo de Deus; porque vos tenho preparado para vos apresentar como uma VIRGEM PURA a um marido, a saber, a Cristo.” (2Co 11:2)

 “7 Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória; porque vindas são as bodas do Cordeiro, e já a sua esposa se aprontou. 8 E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.” (Ap 19:7-8)

 “Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, SEM MÁCULA, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível.” (Ef 5:27)




Pr. George Parsons


http://www.middletownbiblechurch.org/dispen/israelch.htm


Traduzido por Mary Schultze, em 24/05/2012.

 


Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em BibliaLTT.org, com ou sem notas).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de 
http://solascriptura-tt.org)



(retorne a http://solascriptura-tt.org/ EscatologiaEDispensacoes/ 
retorne a http:// 
solascriptura-tt.org/ )