Ninguém se embriague, se drogue com álcool;  o crente seja totalmente abstêmio de álcool, vinho, cerveja, toda bebida fermentada ou destilada; os oficiais pastores e diáconos também sejam totalmente abstêmios de qualquer glutonaria ou excesso, mesmo com puro suco de uva



Crentes: Nenhum Álcool.
Oficiais: Nenhuma Glutonaria.

Hélio de M. Silva, cerca 1997.




a. É ponto pacífico que a Bíblia veementemente condena ao menos a embriagues, o excesso do vinho alcoólico (vide c.a). E que os vinhos alcoólicos da época podiam estar sendo bebidos com baixíssimo teor de álcool.



- Meu amado irmão em Cristo e grande amigo, Waldemar Janzen [muito respeitado como perito e consultor em Engenharia de Processos e como escritor de artigos cristãos], consultou José Henrique Invitti, descendente de tradicionais produtores de vinho da região da Serra Gaúcha, desde a adolescência trabalhando na vinícola da família, hoje Engenheiro Químico de Processos especialista e com grande experiência na área, morando em Recife, e ele nos esclareceu que o teor alcoólico dos vinhos das uvas não muito doces da Palestina antiga podia ser tão baixo quanto somente uns 2% [menos que cerveja, que varia de 3 a 8%].
Ora, mesmo que o teor alcoólico fosse algo maior, digamos uns 4%, isto ainda seria bem menos que os modernos vinhos [de modernas uvas cuidadosamente selecionadas e tratadas para serem muito doces [mesmo assim tendo seus mostos adicionados de açúcares] e para resultarem em uns 8% a 14% de álcool], e seria muitíssimo menos que bebidas destiladas, que têm uns 40 ou até mesmo 60% de álcool!
Note que 100ml (meio copo) de vinho de teor 2% equivalem a apenas 25ml (2 colheres de sopa) de cerveja de teor 8%, 14ml (1 colher de sopa) de vinho seco de teor 14%, 3,3ml (3/4 de colher de chá) de aguardente de teor 60%, 2ml (1/2 colher de chá) de álcool.
Além de tudo, alguns historiadores nos dizem que os judeus mais nobres e religiosos consideravam grosseria beber vinho [mesmo o não alcoólico!] sem antes dissolvê-lo em 3 a 20 volumes de água !...

- Craig Alan Myers, em http://www.brfwitness.org/WAW/wine.htm (site da Brethren Revival Fellowship), escreve: "O vinho mais comum na Bíblia era de um terceiro tipo, o qual era produzido através da fervura de suco de uva até que se concentrasse formando um grosso xarope. Isto permitia que fosse preservado, numa época em que refrigeração ainda não era conhecida. A palavra que o Novo Testamento usa para este tipo de vinho é OINOS, e ela simplesmente significava "suco de uvas". Aquele xarope seria reconstituído pela adição de água, de modo a se tornar uma sã e deliciosa bebida , ou seria usado como se fosse um mel a ser espalhado sobre pães e bolos. Não era alcoólico, ou, na pior das hipóteses, era praticamente não alcoólico. Mesmo o vinho forte (alcoólico) feito nos tempos bíblicos era diluído em água até mesmo numa proporção de 1 parte de vinho para 20 partes de água, antes de ser bebido. [Mesmo] se alguém assumir que o vinho naturalmente fermentado pudesse chegar ao teor de 11 porcento de álcool, [e assumir que] o mais forte vinho normalmente consumido nos tempos bíblicos era misturado [somente] em uma proporção de 1 parte de vinho para 3 partes de água, mesmo assim aquele vinho teria um teor alcoólico máximo de cerca de 2,75 porcento. Este é muitíssimo diferente do vinho comumente consumido hoje em dia. Portanto, o vinho dos tempos bíblicos não pode ser comparado com o vinho [fortemente alcoólico] não diluído comumente usado hoje."

- A pergunta é: A Bíblia realmente leva o crente zeloso a evitar até mesmo 1 gota de vinho alcoólico fraquíssimo e super-diluído? Ou permite uma quantidade limitada (digamos, ½ copo, contendo 2g de álcool puro?), em ocasiões super especiais?...

b. Pelo menos hoje e na nossa cultura, Rm 14 incontrovertidamente não deixa 1mm de espaço para um crente (que realmente queira servir e obedecer a DEUS o melhor que puder!) beber sequer 1 gota de qualquer bebida que contenha álcool na menor das proporções. Caso encerrado!

1 ¶ Ora, quanto ao que está enfermo na fé, recebei-o, não em contendas sobre dúvidas. 2 Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes. 3 O que come não despreze o que não come; e o que não come, não julgue o que come; porque Deus o recebeu por seu. 4 Quem és tu, que julgas o servo alheio? Para seu próprio senhor ele está em pé ou cai. Mas estará firme, porque poderoso é Deus para o firmar. 5 Um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias. Cada um esteja inteiramente seguro em sua própria mente. 6 Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus. 7 Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si. 8 Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor. 9 Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos. 10 Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo. 11 Porque está escrito: Como eu vivo, diz o Senhor, que todo o joelho se dobrará a mim, E toda a língua confessará a Deus. 12 De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus. 13 Assim que não nos julguemos mais uns aos outros; antes seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escándalo ao irmão. 14 Eu sei, e estou certo no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda. 15 Mas, se por causa da comida se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu. 16 Não seja, pois, blasfemado o vosso bem; 17 Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. 18 Porque quem nisto serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens. 19 Sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros. 20 Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escándalo. 21 Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça. 22 Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. 23 Mas aquele que tem dúvidas, se come está condenado, porque não come por fé; e tudo o que não é de fé é pecado. (Romanos 14:1-23)

Ora, com toda certeza beber bebida alcoólica, mesmo "moderadamente", poderá escandalizar ou fazer tropeçar ou enfraquecer ou dar aparência do mal a pelo menos uma pessoa. Caso encerrado! (Mais explicações na carta ao final deste artigo)

Daqui em diante, veremos que os crentes de um país e época hipotéticos, onde toda a sociedade visse o álcool como elogiável e necessário, e a abstinência total como vergonhosa e má, também não poderiam beber sequer 1 gota de álcool.


c. Bebidas alcoólicas só são obtidas artificialmente, com muito labor e perícia do homem; resultam de degeneração; fermento simboliza pecado.


Na natureza bruta e selvagem encontramos amêndoas, grãos e frutos já prontos para serem colhidos e imediatamente consumidos ou serem armazenados para consumo dentro de dias ou meses. Mas a fermentação etílica (produzindo álcool) das frutas doces super-maduras e caídas no chão sempre é seguida pela fermentação acética (resultando em vinagre), de modo que o álcool só existe por pouco tempo, num transiente para o apodrecimento e a degeneração finais. Por isso, jamais se ouviu falar de que grupos de homens entravam numa região desabitada com o objetivo de lá encontrar bebida alcoólica já pronta para ser colhida e imediatamente consumida, ou ser envasada para consumo dentro de dias ou meses. Quer em escala artesanal ou industrial, é apenas com muito labor e perícia do homem que se consegue bebida alcoólica chegar aos copos. O processo de produção exige que, depois de encerrada a fermentação etílica, imediatamente retiremos toda a levedura e envasemos o intoxicante líquido etílico sem nenhuma contaminação (melhor ainda se também for sem a presença do oxigênio), para que não ocorra a fermentação acética e transforme todo o álcool em vinagre. Deus criou a papoula (e a uva), não a heroína (e o vinho alcoólico): foi a maldade humana que tomou a bênção da primeira e a transformou na maldição da segunda. Um cacho de uva (ou um copo do seu suco) na sua mesa provém de Deus, mas um copo de vinho etílico (mesmo que somente 1 vez na vida) não provém de Deus, e serve ao Diabo.

Note que Flavius Josephus e a História mostram que os povos antigos sabiam conservar sucos por dezenas de anos, através de 5 métodos [1] .

Note que até os anos 1600 dC (!), quase toda a uva da Palestina era transformada em suco não alcoólico, que era conservado por esses métodos!


d. - oinos (Grego) = YAYIN (Hebraico) = designação genérica para todo líquido direta ou indiretamente proveniente da uva.
Pode designar: suco fresco de uva (semelhante a Gen 40:11); suco de uva, conservado e sem álcool; vinho alcoólico (fermentação etílica); ou vinagre (fermentação acética).


d.a. - Há muitos textos mostrando OINOS e YAYIN como tremendamente maus: Prov. 4:17; 23:29-30; // Isa 56:12; 28:7; Hab 2:5; // Deut 32:24,33; Prov. 23:31-33; Sal 58:4; 115:3; Jó 6:4; Ose 7:5; Hab 2:15; // Isa 5:22; 1Cor 6:10; // Sal 60:3; 75:8; Isa 51:17,22; Jer 25:15; Apo 14:10; 16:19.

Porque comem o pão da impiedade, e bebem o vinho da violência. (Provérbios 4:17 ACF)

29 ¶ Para quem são os ais? Para quem os pesares? Para quem as pelejas? Para quem as queixas? Para quem as feridas sem causa? E para quem os olhos vermelhos? 30 Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando vinho misturado. (Provérbios 23:29-30 ACF)

Vinde, dizem, trarei vinho, e beberemos bebida forte; e o dia de amanhã será como este, e ainda muito mais abundante. (Isaías 56:12 ACF)

Mas também estes erram por causa do vinho, e com a bebida forte se desencaminham; até o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos pelo vinho; desencaminham-se por causa da bebida forte; andam errados na visão e tropeçam no juízo. (Isaías 28:7 ACF)

Tanto mais que, por ser dado ao vinho é desleal; homem soberbo que não permanecerá; que alarga como o inferno a sua alma; e é como a morte que não se farta, e ajunta a si todas as nações, e congrega a si todos os povos. (Habacuque 2:5 ACF)

Consumidos serão de fome, comidos pela febre ardente e de peste amarga; e contra eles enviarei dentes de feras, com ardente veneno de serpentes do pó. (Deuteronômio 32:24 ACF)

O seu vinho é ardente veneno de serpentes, e peçonha cruel de víboras. (Deuteronômio 32:33 ACF)

31 Não olhes para o vinho quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. 32 No fim, picará como a cobra, e como o basilisco morderá. 33 Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. (Provérbios 23:31-33 ACF)

O seu veneno é semelhante ao veneno da serpente; são como a víbora surda, que tapa os ouvidos, (Salmos 58:4 ACF)

Mas o nosso Deus está nos céus; fez tudo o que lhe agradou. (Salmos 115:3 ACF)

Porque as flechas do Todo-Poderoso estão em mim, cujo ardente veneno suga o meu espírito; os terrores de Deus se armam contra mim. (Jó 6:4 ACF)

E no dia do nosso rei os príncipes se tornaram doentes com frascos de vinho; ele estendeu a sua mão com os escarnecedores. (Oséias 7:5 ACF)

Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro! Ai de ti, que adiciona à bebida o teu furor, e o embebedas para ver a sua nudez! (Habacuque 2:15 ACF)

Ai dos que são poderosos para beber vinho, e homens de poder para misturar bebida forte; (Isaías 5:22 ACF)

Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. (1 Coríntios 6:10 ACF)

Fizeste ver ao teu povo coisas árduas; fizeste-nos beber o vinho do atordoamento. (Salmos 60:3 ACF)

Porque na mão do SENHOR há um cálice cujo vinho é tinto; está cheio de mistura; e dá a beber dele; mas as escórias dele todos os ímpios da terra as sorverão e beberão. (Salmos 75:8 ACF)

Desperta, desperta, levanta-te, ó Jerusalém, que bebeste da mão do SENHOR o cálice do seu furor; bebeste e sorveste os sedimentos do cálice do atordoamento. (Isaías 51:17 ACF)

Assim diz o teu Senhor o SENHOR, e o teu Deus, que pleiteará a causa do seu povo: Eis que eu tomo da tua mão o cálice do atordoamento, os sedimentos do cálice do meu furor, nunca mais dele beberás. (Isaías 51:22 ACF)

Porque assim me disse o SENHOR Deus de Israel: Toma da minha mão este copo do vinho do furor, e darás a beber dele a todas as nações, às quais eu te enviarei. (Jeremias 25:15 ACF)

Também este beberá do vinho da ira de Deus, que se deitou, não misturado, no cálice da sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. (Apocalipse 14:10 ACF)

E a grande cidade fendeu-se em três partes, e as cidades das nações caíram; e da grande Babilónia se lembrou Deus, para lhe dar o cálice do vinho da indignação da sua ira. (Apocalipse 16:19 ACF)

d.b - Há outros textos onde OINOS e YAYIN são imensamente bons: Num 18:11-13; Nee 10:37,39; 13:5,12; Lev 2:11 + Exo 23:18 implicam que fermento era proibido como oferta; Gen 27:28,37; Deut 7:13; 11:14; Prov. 3:10; Isa 24:7; 65:8; Juiz 9:13; Joel 3:18; Sal 104:14,15; Zac 4:7 + Sal 4:7;// Isa 55:1; Sal 104:15; Jui 9:13; Cant 7:9; Prov. 9:2-4; Lam 2:11-12 // Mat 26:26-28; Mar 14:22-24; 1Cor 10:16.

11 Também isto será teu: a oferta alçada dos seus dons com todas as ofertas movidas dos filhos de Israel; a ti, a teus filhos, e a tuas filhas contigo, as tenho dado por estatuto perpétuo; todo o que estiver limpo na tua casa, delas comerá. 12 Todo o melhor do azeite, e todo o melhor do mosto e do grão, as suas primícias que derem ao SENHOR, as tenho dado a ti. 13 Os primeiros frutos de tudo que houver na terra, que trouxerem ao SENHOR, serão teus; todo o que estiver limpo na tua casa os comerá. (Números 18:11-13 ACF)

E que as primícias da nossa massa, as nossas ofertas alçadas, o fruto de toda a árvore, o mosto e o azeite, traríamos aos sacerdotes, às cámaras da casa do nosso Deus; e os dízimos da nossa terra aos levitas; e que os levitas receberiam os dízimos em todas as cidades, da nossa lavoura. (Neemias 10:37 ACF)

Porque àquelas cámaras os filhos de Israel e os filhos de Levi devem trazer ofertas alçadas do grão, do mosto e do azeite; porquanto ali estão os vasos do santuário, como também os sacerdotes que ministram, os porteiros e os cantores; e que assim não desampararíamos a casa do nosso Deus. (Neemias 10:39 ACF)

E fizera-lhe uma cámara grande, onde dantes se depositavam as ofertas de alimentos, o incenso, os utensílios, os dízimos do grão, do mosto e do azeite, que se ordenaram para os levitas, cantores e porteiros, como também a oferta alçada para os sacerdotes. (Neemias 13:5 ACF)

Então todo o Judá trouxe os dízimos do grão, do mosto e do azeite aos celeiros. (Neemias 13:12 ACF)

Nenhuma oferta de alimentos, que oferecerdes ao SENHOR, se fará com fermento; porque de nenhum fermento, nem de mel algum, oferecereis oferta queimada ao SENHOR. (Levítico 2:11 ACF)

Não oferecerás o sangue do meu sacrifício com pão levedado; nem ficará a gordura da minha festa de noite até pela manhã. (Êxodo 23:18 ACF)

Assim, pois, te dê Deus do orvalho dos céus, e das gorduras da terra, e abundância de trigo e de mosto. (Génesis 27:28 ACF)
Então respondeu Isaque a Esaú dizendo: Eis que o tenho posto por senhor sobre ti, e todos os seus irmãos lhe tenho dado por servos; e de trigo e de mosto o tenho fortalecido; que te farei, pois, agora, meu filho? (Génesis 27:37 ACF)

E amar-te-á, e abençoar-te-á, e te fará multiplicar; abençoará o fruto do teu ventre, e o fruto da tua terra, o teu grão, e o teu mosto, e o teu azeite, e a criação das tuas vacas, e o rebanho do teu gado miúdo, na terra que jurou a teus pais dar-te. (Deuteronômio 7:13 ACF)

Então darei a chuva da vossa terra a seu tempo, a temporã e a seródia, para que recolhais o vosso grão, e o vosso mosto e o vosso azeite. (Deuteronômio 11:14 ACF)

+ E se encherão os teus celeiros, e transbordarão de mosto os teus lagares. (Provérbios 3:10 KJB)

Pranteia o mosto, enfraquece a vide; e suspiram todos os alegres de coração. (Isaías 24:7 ACF)

Assim diz o SENHOR: Como quando se acha mosto num cacho de uvas, dizem: Não o desperdices, pois há bênção nele, assim farei por amor de meus servos, que não os destrua a todos, (Isaías 65:8 ACF)

Porém a videira lhes disse: Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, e iria pairar sobre as árvores? (Juízes 9:13 ACF)

E há de ser que, naquele dia, os montes destilarão mosto, e os outeiros manarão leite, e todos os rios de Judá estarão cheios de águas; e sairá uma fonte, da casa do SENHOR, e regará o vale de Sitim. (Joel 3:18 ACF)

+ 14 Faz crescer o capim para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para Ele fazer sair da terra o pão, 15 E o suco de uva que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem. <03196 yayin> pode ser qualquer líquido direta ou indiretamente derivado de uvas. O contexto de toda a Bíblia, e contexto local, e a santidade do verdadeiro autor das Escrituras, o Espírito Santo de Deus, aqui exige que o sentido seja o de suco puro recém espremido (como em Gn 40:11) , ou o de suco não fermentado e conservado por qualquer um de vários processos conhecidos ("pasteurização", fumos de enxofre, fervura e evaporação até se tornar grosso xarope, etc., com envasilhamento estéril e hermético), mas não o sentido de vinagre, nem o de vinho alcoólico. De qualquer modo, quer alcoólico ou não, o líquido proveniente da uva somente devia ser usado misturado em 3 a 20 partes de água. Ler o livro "Bible Wines: or, The Laws of Fermentation and Wine of the Ancients" - William Patton. (Salmos 104:14-15 LTT)

Quem és tu, ó grande monte?
Diante de Zorobabel tornar-te-ás uma campina; porque ele trará a pedra angular com aclamações: Graça, graça a ela. (Zecarias 4:7 ACF)

Puseste alegria no meu coração, mais do que no tempo em que se lhes multiplicaram o trigo e o mosto. (Salmos 4:7 ACF-2007)

+
Ó vós, todos os que tendes sede, vinde às águas, e vós, que não tendes dinheiro, vinde, comprai, e comei; sim, vinde, comprai, sem dinheiro e sem preço, suco de uva e leite.. (Is 55:1 LTT)

E o mosto que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem. (Salmos 104:15 ACF)

Porém a videira lhes disse: Deixaria eu o meu mosto, que alegra a Deus e aos homens, e iria pairar sobre as árvores? (Juízes 9:13 ACF)

+ E o teu palato como o melhor suco de uva para o meu Amado, que se escoa suavemente, e faz com que falem os lábios dos que dormem. (Cant. Salomão 7:9 LTT)

+ 2 Já matou os seus animais- vítima e misturou o seu suco de uva, e já ordenadamente- preparou a sua mesa. 3 Já enviou as suas criadas, (através delas) está convidando desde as alturas da cidade, clamando:
4 "Quem quer que seja simples, volte-se para cá." Aos faltos de senso diz:
+ 5 "Vinde, comei do meu pão, e bebei do suco de uva que tenho misturado. (Prov 8:2,5)


11 Já se consumiram os meus olhos com lágrimas, turbadas estão as minhas entranhas, o meu fígado se derramou sobre a terra por causa da destruição da filha do meu povo; pois desfalecem o menino e a criança de peito pelas ruas da cidade.
+ 12 Ao desfalecerem, como feridos, pelas ruas da cidade, ao exalarem as suas almas no regaço de suas mães, dizem-lhes: Onde está o trigo e o suco de uva? (Lam 2:11-12 LTT)


26 ¶ E, quando comiam, Jesus tomou o pão, e abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. 27 E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; 28 Porque isto é o meu sangue; o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados. (Mateus 26:26-28 ACF)

22 E, comendo eles, tomou Jesus pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. 23 E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho; e todos beberam dele. 24 E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado. (Marcos 14:22-24 ACF)

Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é porventura a comunhão do corpo de Cristo? (1 Coríntios 10:16 ACF)



d.c - Conclusão de (c.a) e (c.b): Ou a Bíblia é totalmente inconsistente, ou as 1as. passagens se referem ao venenoso vinho alcóolico, e as 2as. só ao abençoado suco não fermentado da uva!!! [2]


e. Um sacerdote não bebia vinho quando ia ao santuário (Lev 10:8-11); Somos sacerdócio santo (1Ped 2:5-12), somos o próprio templo do Espírito Santo de Deus (1Cor 3:16-17); Conclusão incontornável: não podemos beber nada alcoólico!

8 ¶ E falou o SENHOR a Arão, dizendo: 9 Não bebereis vinho nem bebida forte, nem tu nem teus filhos contigo, quando entrardes na tenda da congregação, para que não morrais; estatuto perpétuo será isso entre as vossas gerações; 10 E para fazer diferença entre o santo e o profano e entre o imundo e o limpo, 11 E para ensinar aos filhos de Israel todos os estatutos que o SENHOR lhes tem falado por meio de Moisés. (Levítico 10:8-11 ACF)

5 Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo. 6 Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido. 7 E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, A pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina, 8 E uma pedra de tropeço e rocha de escándalo, 9 Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 10 Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia. 11 Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais que combatem contra a alma; 12 Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem. (1 Petro 2:5-12 ACF)

16 ¶ Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 17 Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. (1 Coríntios 3:16-17 ACF)


f. Um rei não bebia (Pro 31:4-7); Somos reis e príncipes-juízes (Apo 1:4-6; 1Cor 2:14-16); Conclusão incontornável: não podemos beber nada alcoólico!

4 Não é próprio dos reis, ó Lemuel, não é próprio dos reis beber vinho, nem dos príncipes o desejar bebida forte; 5 Para que bebendo, se esqueçam da lei, e pervertam o direito de todos os aflitos. 6 Dai bebida forte ao que está prestes a perecer, e o vinho aos amargurados de espírito. 7 Que beba, e esqueça da sua pobreza, e da sua miséria não se lembre mais. (Provérbios 31:4-7 ACF)

4 João, às sete igrejas que estão na Asia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; 5 E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, 6 E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém. (Apocalipse 1:4-6 ACF)

14 Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido. 16 Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo. (1 Coríntios 2:14-16 ACF)



f. Ver estudos sobre “Assuntos Cinzentos”, por exemplo em http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/Cinzentas/SeraQueDevoFazerIsto-Helio.htm. Beber bebida alcoólica não passa em todos os 11 peneiras indispensáveis

(na realidade, não passa em nenhuma dessas peneiras, mas bastaria não passar em somente 1 delas):

1) Trará isto toda honra e glória a Deus? Somente glória e honra a Deus? Com toda certeza?
2) Poria Cristo o Seu próprio nome nisto? Estarei eu representando-O dignamente? Posso eu agradecer e pedir a bênção de Deus nisto? 
3) Fez Cristo isto? (ou tenho eu absoluta certeza de que o faria?) 
4) Gostaria eu que Cristo me encontrasse nisto, ao vir me arrebatar para Si?
5) Ganharei eu recompensa por isto, no Bema, o Tribunal de Cristo para galardoamento dos salvos? 
6a) Estou eu lembrado de que o Espírito de Deus habita em mim? De que Ele estará no meio do que estarei fazendo? 
6b) Estou eu absolutamente certo de que isto deleitará, muito agradará ao Espírito de Deus que habita em mim? 
7) É isto apropriado para um filho do Rei? 
8) Tenho eu certeza de que estou semeando para o Espírito e não para a minha carne? E não para o mundo? 
9) Irá isto, sem dúvida alguma, influenciar positivamente o descrente e/ou o meu irmão mais fraco? Ou há uma ponta de risco de escandalizar ao menos um deles? 
10) Sinceramente, ante Deus, tenho eu absoluta certeza sobre o assunto, ou tenho eu, ainda, uma pontinha de dúvida? 
11) Tenho eu certeza de que isto não dará a ninguém a APARÊNCIA de que estou pecando? 





Análise de 1Tim 3:2-3 (Convém , pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma [só] mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar; (3) não dado ao vinho):


- “Vigilante” (NEPHO) realmente significa ser abstêmio, ser [sempre] livre da influência de intoxicantes, ser [sempre] de mente alerta e vigilante, ser sóbrio, comedido, temperante.

- “Sóbrio” (SOPHRONA) realmente significa ser [sempre] de mente sã, prudente, em controle próprio.

- “Não dado ao vinho”:
-- O caráter do vinho não é mencionado, nem dito único, nem condenado!...  Por que não entendê-lo como não alcoólico, como emblema de bênção, de conforto e de abastança? Que motivos secretos você tem? Por que querer que este vinho seja o venenoso, o intoxicante, o contendo droga animalizante, o que altera o controle dos sentidos, mente, carne, e alma?...

-- A Bíblia uniformemente condena o excesso sensual [3] (mesmo com o que é de natureza absolutamente benéfica, como o bom alimento) e condena o gasto excessivo, acima das posses, com coisas caras e evitáveis (idem).

-- Podemos perfeitamente entender “não dado ao vinho” como Deus ordenando que o pastor, o exemplo para o rebanho, não deve ser dado, não seja obcecado e dominado pelos prazeres sensuais do bom comer coroado com o puro e caríssimo suco de uva, Deus tolerando com tristeza que nem todo outro crente seja um exemplo nesta área.
Mas como nem de longe entender que este vinho é o alcoólico, que o pastor não deve ser dado a ele, mas que aos demais crentes  é tolerado que sejam dados ao vinho alcoólico??? Se o vinho daqui fosse mau e os crentes não pastores pudessem se intoxicar embriagando-se com ele, a ordem de Deus seria em tudo análoga a Deus dizer que o pastor tinha que ser homem de uma só mulher, mas os outros crentes podiam ter muitas mulheres!...
O vinho ao qual os pastores de 1Tim 3:3 não devem ser dados, é o puro suco de uva, fresco ou preservado, não fermentado.







Análise de 1Tim 3:8 (Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância;):


Além das 3 explicações, logo acima, para “Não dado ao vinho” (releia-as), temos:

- A ênfase pode ser posta na palavra muito, de “não dado a muito vinho”. Isto posto, podemos muito bem entender que “vinho” se refira ao puro suco de uva, Deus ordenando que o diácono não se exceda neste líquido benéfico e delicioso, pois isto seria gula, seria mau exemplo para o rebanho, e, sendo bastante caro, poderia desequilibrar e comprometer seu salário e sua família. Deus toleraria com tristeza  que os demais crentes não sejam um exemplo perfeito nesta área. Mas como poderíamos nem de longe entender que “vinho” se refira ao vinho alcoólico, Deus ordenando que o diácono não se embriague e se intoxique muito com a terrível droga do álcool (só poderia se etilizar “um pouco”...), deixando margem aos demais crentes muito se embriagarem e intoxicarem com tal veneno que, direta ou indiretamente, relaciona-se com 1/3 de todas as mortes [e outras terríveis tragédias]???!!!... Se o proibido foi a grande quantidade (“muito”) do que é mau (se o vinho em pauta foi o alcoólico), então poderíamos ser cobiçosos de ganância não exatamente torpe, poderíamos ser dissolutos desde que não muito, poderíamos adulterar desde que não muito, etc! Não, álcool está fora de questão. O vinho do qual os diáconos de 1Tim 3:8 podem usar mas não se excederem, é o puro suco de uva, fresco ou preservado, não fermentado.




Em resumo:

Um resgatado pelo Senhor não deve se drogar com sequer 1 gota de vinho ou outra qualquer bebida alcoólica. De todos os crentes Deus deseja, e dos pastores e diáconos exige, que não se excedam no desejar e no comer e beber mesmo dos mais puros e totalmente benéficos alimentos, sucos, etc., pois isto lhes faria sensuais glutões, seria mau exemplo e mau testemunho, e poderia desequilibrar e comprometer seus salários e suas famílias. Também se deseja de todos os crentes e se exige dos pastores e diáconos não terem relação alguma com o comércio dessas bebidas.





Wines in the Bible, or the Fermentation Laws”, de William Patton, apresenta profundíssima e detalhada análise científico-técnica, histórica, gramatical e exegética do assunto, analisando todos os versos onde aparecem palavras relacionadas com vinho.



Carta resposta a um irmão:

Tolera Rom 14 vinho, vestes e ritmos do mundo, etc.?




Caro irmão em Cristo ________.

Muito obrigado por seu email, seu interesse em meu bem espiritual, Deus o abençoe por isto.

Olhe, o que eu quis dizer sobre Rom 14 talvez fique mais fácil se eu explicar assim:

X vivia numa ilha em que nem sequer se conhecia nem se ouvia falar da existência de vinho, cerveja, ou qualquer outra bebida com o menor teor de álcool. X veio para o Brasil de hoje. Logo ao chegar, ouviu a Palavra de Deus e, de modo bíblico, recebeu Cristo como seu Salvador e Senhor. Começou a ler e meditar a Bíblia profundamente, tornou-se membro de uma firme e viva igreja, começou a crescer em conhecimento e espiritualidade, e também começou a observar com discernimento a nossa sociedade pecaminosa. Passou-se o tempo. Ele nunca tinha sequer pensado em provar bebida alcoólica, nunca tinha aprendido a gostar de álcool. Tudo que queria era agradar a Deus, e nenhum gosto pelo álcool se punha no caminho obstaculando agradá-Lo. Agora, na festa de aniversário do seu bom e amigável chefe de trabalho, com a presença de descrentes e de crentes, X foi convidado a "socializar-se e alegrar seu coração tomando vinho". Que deverá fazer?  Sinceramente, eu digo que não tenho a menor sombra de dúvidas que Rom 14 o deverá levar a recusar o álcool. Preste atenção ao menos no que enfatizei neste capítulo da Palavra de Deus:


13 ... seja o vosso propósito não pôr tropeço ou escândalo ao irmão. ...15 Mas, se por causa da comida se contrista teu irmão, já não andas conforme o amor. Não destruas por causa da tua comida aquele por quem Cristo morreu. 16 Não seja, pois, blasfemado o vosso bem; 17 Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. 18 Porque quem nisto serve a Cristo agradável é a Deus e aceito aos homens. 19 Sigamos, pois, as coisas que servem para a paz e para a edificação de uns para com os outros. 20 Não destruas por causa da comida a obra de Deus. É verdade que tudo é limpo, mas mal vai para o homem que come com escândalo. 21 Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça. 22 Tens tu fé? Tem-na em ti mesmo diante de Deus. Bem-aventurado aquele que não se condena a si mesmo naquilo que aprova. (Romanos 14:13-23)


Ora, na atual sociedade do Brasil (na realidade, em toda sociedade que já existiu), ninguém jamais se contristará e tropeçará e será espiritualmente prejudicado por X não beber; mas, se ele beber, sempre haverá o risco de, em alguma ocasião, vir a contristar e ofender a consciência e fazer tropeçar pelo menos UMA pessoa (pior ainda se ela for descrente ...). Então, se realmente X somente quiser agradar a Deus (a Deus somente, e não a seus próprios prazeres) e se somente almejar glorificar a Deus e contribuir para o bem real e eterno do seu próximo (dele somente), INCONTROVERTIDAMENTE X preferirá abdicar de seu "direito" a um prazer, mesmo se este for lícito.

Há muitos crentes que parecem muito espirituais ao tentar usar Rom 14 na direção oposta? Que argumentam que não devemos dizer a X que não está agindo sumamente bem e está arriscando prejudicar outras pessoas? Que lhe dizer isto seria contristá-lo e ofender sua consciência e fazê-lo tropeçar e prejudicá-lo espiritualmente? Que lhe dizer isto seria roubá-lo de um direito inalienável? Que tudo que ele deve fazer é assegurar e usar seus direitos ao máximo, sem se importar 1 milímetro com o bem espiritual e eterno de ninguém? Perdoe-me a franqueza, mas vejo que tentar usar Rom 14 na direção de "quem quiser que se lixe" é no mínimo tolice espiritual e é provavelmente feia desonestidade, cruel egoísmo, e cega carnalidade.

Rom 14 me ordena renunciar a tudo que pode vir a prejudicar meu próximo, nunca pode ser usado no louco sentido oposto de me tolerar gozar alguma coisa que causa prazer a MIM mesmo que arrisque fazer perecer meu próximo.

Para finalizar: Nos meus 28 anos de vida após ser salvo com 30 anos, uma das coisas de que mais amargamente me arrependo advém do fato de um dos mais queridos amigos meus, Adrian Werheim, nunca mais realmente me permitiu lhe falar de Cristo, depois que eu aceitei participar de um vinho raro para o qual ele convincente e insistentemente me convidava há meses ... Deus permita que você que agora me lê não venha a ter tristeza semelhante à que eu tenho, quando me lembro do mal que fiz, minha feia desonestidade, cruel egoísmo, e cega carnalidade. Também choro por dentro ao lembrar um pastor (que nunca pregava contra vinho e, secretamente, indulgia nele) ter seu ministério destruído e sua igreja dividida. E ao lembrar de uma querida igreja sendo dividida em 4 pedaços, por um grupo que não quis renunciar introduzir ritmos e estilos mundanos nos cultos. 

Seu irmão e servo em  Cristo,

Hélio.







[1] O método que nos é mais familiar era o pôr o suco em garrafões (de cerâmica, metal, etc.), aquecer em banho Maria e, depois, lacrar hermeticamente (com rolha fervida e com cera derretida), sem ar. Odres de couro também podiam ser tratados com fumaça de enxofre e usados para viagens.

[2] Responda: por que muitos teimam que vinho é sempre alcoólico na Bíblia?... (um contra-exemplo perfeito: em Gen 40:11, Faraó toma é suco de uva espremida na hora. Quase nenhum egípcio provava álcool, mas todos eles deliciavam-se com suco de uva não fermentado, quer fresco, quer conservado).

[3] Existiam pessoas que, nos festins, se empanturravam com as melhores iguarias, até não poderem mais, depois iam para fora e provocavam-se vômitos para esvaziarem os estômagos, somente para então poderem se empanturrar novamente... Deus condena a glutonaria, o comer em excesso e somente por culto ao prazer sensual. Deus condena a gula e o glutão. Pena que isto seja tão negligenciado pelos crentes e pela pregação de hoje...

 

(retorne à PÁGINA ÍNDICE de solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/Cinzentas/)