Casamento pela ou na Igreja? Como? De Quem? E os Divorciados?





PERGUNTA: Que fazer? Minha igreja batista (e todas as igrejas de que tenho ouvido falar, pelo menos num raio de 120km) casa divorciados!

RESPOSTA: Bem, infelizmente, até mesmo entre as 8 igrejas batistas regulares da minha cidade de João Pessoa, PB, sei de pelo menos 2 delas que já fizeram cultos de casamento de divorciados (mas, quanto às 4 igreja batistas de linha fundamentalista de que já fui membro desde que fui salvo em 1974, os seus pastores nunca fizeram nenhum culto de casamento de divorciados, dou graças a Deus por isso).




PERGUNTA: Mas o que é que VOCÊ, você mesmo, Hélio, pensa sobre o assunto?

RESPOSTA: Não importa o que eu penso, mas sim o que a Bíblia ensina, seja diretamente por preceito, seja por exemplo comendado por Deus, seja por dedução segura e ao lado da segurança e coerente com o contexto e com toda a Bíblia.

Primeiramente, se eu fosse pastor, NUNCA, jamais, casaria NINGUÉM:
Nas páginas do Novo Testamento, nunca li de casamento ser feito ser feito por pastor, nem pela igreja, nem numa igreja (nem mesmo nas páginas do Velho Testamento li de casamento ser feito por sacerdotes, nem por profetas, nem por rabinos, nem por nenhum religioso, nem no Tabernáculo, nem no Templo, nem mesmo em qualquer das sinagogas). Casamento na igreja é invenção de católicos.
Claro, casamento é uma instituição divina, sim. Mas é contratado (isto é, prometido solenemente entre os dois nubentes), na presença dos familiares e amigos das duas famílias, das testemunhas e dos anciões da cidade (hoje, o juiz, a justiça do país): Ver os casamentos de Isaque e Rebeca (que simplicidade!), de Sansão, o casamento do milagre de transformação de água em mosto, etc.
Quem não gostar dessa minha posição, cite-me livro e capítulo e versículo que seja direta e específica e frontalmente contra ela.

Em segundo lugar, o que é que eu faria seria, se eu tivesse sido chamado para ser pastor:

a) No caso de dois crentes, AMBOS sendo CRENTES mesmo (2Co 6:14), ambos membros da exata igreja que pastoreio, ambos virgens (isto exclui até viúvos, eles são tratados em (b)):
Eu mandaria que casassem somente no juiz, tivessem a lua de mel, vivessem juntos na casa deles, e, depois de algum tempo, no meio de um culto na IGREJA pregando sobre outro assunto, eu frisaria que NÃO há "casamento na igreja", leria alguns versículos da Bíblia e explicaria alguns pontos sobre o casamento segundo o plano de Deus, faria um agradecimento a Deus pelo perfeito exemplo do casamento deles, faria um pedido para Deus abençoar o casamento, e eles convidariam os presentes para um guaraná e bolo num salão de recepções (ou casa), FORA das dependências da igreja.

b) No caso de dois crentes, AMBOS sendo CRENTES mesmo (2Co 6:14), ambos membros da exata igreja que pastoreio, pelo menos um deles sendo não virgem por um motivo 100% permitido explicitamente pela Bíblia (homem que divorciou sua esposa por comprovada fornicação dela, ou viúvo, ou viúva):
Eu mandaria que casassem somente no juiz, tivessem a lua de mel, vivessem juntos na casa deles, depois de algum tempo convidassem somente pais e mães e irmãos de sangue, na CASA deles ou num ambiente FORA das dependências da igreja e muito privado e sem nenhuma propaganda, eu frisaria que NÃO há "casamento na igreja", leria alguns versículos da Bíblia e explicaria alguns pontos sobre o casamento segundo o plano de Deus, faria um agradecimento a Deus pelo perfeito exemplo do casamento deles, faria um pedido para Deus abençoar o casamento, e eles serviriam guaraná e bolo.

c) No caso de dois crentes, AMBOS sendo CRENTES mesmo (2Co 6:14), ambos membros da exata igreja que pastoreio, que fornicaram antes e já foram disciplinados pela igreja e sinceramente se arrependeram e pediram perdão publicamente à igreja, mas ainda estão sob disciplina:
Eu mandaria que casassem somente no juiz, tivessem a lua de mel, vivessem juntos na casa deles, depois deles sinceramente pedirem perdão a toda a igreja e esta terminar a disciplina deles então eles convidassem somente pais e mães e irmãos de sangue, e, na CASA deles ou num ambiente FORA das dependências da igreja e muito privado e sem nenhuma propaganda, eu frisaria que NÃO há "casamento na igreja", leria alguns versos e explicaria alguns pontos sobre o casamento segundo o plano de Deus, eu faria um pedido de MISERICÓRDIA a Deus pelo casamento deles, e eles serviriam um guaraná e bolo.

d) No caso de dois crentes, AMBOS sendo CRENTES mesmo (2Co 6:14), ambos membros da exata igreja que pastoreio, em que pelo menos um deles pecou por tomar a iniciativa ou provocar divórcio que não é 100% permitido explicitamente pela Bíblia, e já foi disciplinado pela igreja:
Eu mandaria que este membro da igreja NÃO casasse, procurasse reatar o casamento desfeito e, se não fosse mais aceito pelo ex-cônjuge, então vivesse em celibato pelo resto da vida.

e) Se eles não atendessem, ao contrário disso fossem e se casassem no juiz, seriam por isso disciplinados pela igreja. Se, depois de muito tempo, se arrependessem sinceramente e pedissem perdão à igreja, sinceramente proclamassem que prefeririam não ter feito nada que fizeram, então a igreja, se acreditasse na sinceridade deles e que a igreja não desagradaria a Deus, poderia aceitar que voltassem a ser membros, porém nunca podendo assumir posições de destaque na igreja, particularmente a de pastor e de diácono, e de professor de escola dominical, ou qualquer posição de liderança seja em que for. Nem eu nem a igreja faríamos nada que nem de longe pudesse parecer um "casamento na igreja". E o bom senso indica que, se A divorciou B sem ser por causa de fornicação (e foi disciplinado por isso), depois casou com C (e foi disciplinado por isso), depois se arrependeu e pediu perdão de verdade à igreja, então A+C devem procurar ser membros de igreja diferente daquela de B.



Quem não gostar de qualquer uma dessas minhas posições, cite-me livro e capítulo e versículo que seja direta e específica e frontalmente contra ela.





A minha posição sobre divórcio e recasamento está explicada em http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ResumoCoy2.6DivorcioRecasamento-HelioNira.htm . Repetirei somente o finalzinho (por favor leia todo o artigo, depois):

 

2) Como Tratar um Divorciado? (mesmo que tenha, para sua infelicidade, desobedecido todas as instruções do Senhor).


2.1. Com amor.

João 4:10 Respondeu-lhe Jesus [à Samaritana]: Se tivesses conhecido o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe terias pedido e ele te haveria dado água viva.
1 Tessalonicense 5:14 Exortamo-vos também, irmãos, a que admoesteis os insubordinados, consoleis os desanimados, ampareis os fracos e sejais longânimos para com todos.
2 Timóteo 2:24,25 e ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente;(25) corrigindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade,

2.2. Se ele e seu cônjuge não tiverem feito recasamentos: aconselhá-los a se arrependerem, se perdoarem, reunirem-se.

Provérbios 10:12 O ódio excita contendas; mas o amor cobre todas as transgressões.
Oséias 3:1-3; 2:14-15; 2:16;14:8 (bem acima).
Exortá-los a, além de pôr em 1o. lugar o temor e a glória de Deus, em 2o. as suas felicidades reais e eternas, devem também pensar nos filhos. Não queremos dizer que bons e felizes casais que são também bons pais tenham total garantia de que seus filhos serão salvos, bons e felizes. Mas o pecado tem repercussões até a 3a. e 4a. gerações (Ex 34:7), e TODAS as pessoas que NÓS conhecemos e que são profundamente incapazes de um casamento feliz (ou são homossexuais, lésbicas, sadoquistas, masoquistas, ou pervertidos em geral), são filhos de um casamento desfeito e profundamente infeliz, são filhos profundamente amargurados e que odeiam ao menos um dos pais. Que aproveita a você, pai ou mãe, ganhar “o mundo inteiro”, e ver seu filho perdido???

2.3. Se ele ou seu cônjuge estiver casado com outra pessoa: aconselhá-los a se perdoarem

Provérbios 10:12 (acima).

e a manterem seus atuais casamentos (Deus nunca ordenou que devam romper ou prejudicar o atual casamento. Em Grego, “comete pecado [contra a repudiada]”, de Mt 5:32 e 19:9 [acima] não implica adultério contínuo, nem repetido a cada ato sexual. O se recasar do homem culpado [ou da mulher em geral] foi um pecado, sem dúvida, mas manter o atual casamento não é um pecado contínuo!).

2.4. Se o divorciado se arrepender de todos os seus pecados:

a) Pode ser salvo, crendo.
João 4:10,18, 42 Respondeu-lhe Jesus [à Samaritana] : Se tivesses conhecido o dom de Deus e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe terias pedido e ele te haveria dado água viva. (18) porque cinco maridos tiveste, e o que agora tens não é teu marido; isso disseste com verdade. (42) e diziam à mulher: Já não é pela tua palavra que nós cremos; pois agora nós mesmos temos ouvido e sabemos que este é verdadeiramente o Salvador do mundo.

b) Pode ser batizado e ser membro atuante de uma igreja local. Se o divorciado demonstra arrependimento sincero, se não vive de modo que seria disciplinado se fosse membro da nossa igreja local, se foi salvo e aceito por Cristo, por que seria recusado por nós?
Atos 8:36,37 E indo eles caminhando, chegaram a um lugar onde havia água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? (37) E disse Felipe: é lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.Ver 2.3b, acima.

c) Só não pode ser pastor nem diácono.
1 Timóteo 3:2,12.É necessário, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma só mulher, temperante, sóbrio, ordeiro, hospitaleiro, apto para ensinar; (12) Os diáconos sejam maridos de uma só mulher, e governem bem a seus filhos e suas próprias casas.

 


(Ninguém se revolte contra nada (particularmente não me acuse de defender "adultério perpétuo") antes de ler o artigo inteiro! http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ResumoCoy2.6DivorcioRecasamento-HelioNira.htm )




Hélio.



Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)



(retorne a http://solascriptura-tt.org/VidaDosCrentes/ VidaAmorosa/

(retorne a http://solascriptura-tt.org/ VidaDosCrentes/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )