Calvinismo 2.
U - Incondicional Eleição - Hélio


Hélio de Menezes Silva, abr.2017,

parcialmente adaptando a partir John F. Parkinson A Fé dos Eleitos de Deus, cap. 1,

e de David Cloud em http://www.wayoflife.org/database/calvinisms_proof_text.html


***********************************************


Hélio começa mostrando como
o calvinismo faz com que Deus seja o AUTOR DO PECADO!


"…
Portanto, devemos concluir que Deus preordenou o pecado". (Sproul, Eleitos de Deus, Pg 22).

"
Deus não só viu de antemão a queda do primeiro homem e nela a ruína de sua posteridade, mas também por seu próprio PRAZER [!!!] a ordenou." (Calvino, João. Institutas da Religião Cristã. Livro III, cap. 23, Seção 7).

"Embora sua perdição de tal maneira dependa da predestinação divina, a causa e a substância dela (perdição) estão ambas neles (homens) […]. Portanto, o homem cai porque assim o ordenou a providência de Deus; no entanto, cai por falha sua." (Calvino, João. Institutas da Religião Cristã. Livro III, cap. 23, Seção 8).

"
Claramente foi da vontade de Deus que o pecado entrasse neste mundo, caso contrário ele [o pecado] não teria entrado, pois nada acontece, exceto o que Deus eternamente decretou. Além disso, houve mais do que uma mera permissão, pois Deus só permite coisas que realizam o seu propósito." (Pink, A.W. The Sovereignty of God, p. 162).

"
Nem mesmo a obra do pecado parte de qualquer outra pessoa a não ser Deus." (ZWINGLIO, Ulrich. On the Providence of God).

"O pecado é um dos eventos "quaisquer" que "acontecem", os quais são todos "decretados" [por Deus] ". [W.G.T. Shedd, Calvinism: Pure and Mixed, p. 32]

"Nada acontece contrário ao seu decreto. Nada acontece por acaso. Até o mal moral, que ele abomina e proíbe, ocorre "pelo determinado conselho e presciência de Deus." [W.G.T. Shedd, Calvinism: Pure and Mixed, p. 38-39]

"
Todas as coisas, incluindo até mesmo as ações malévolas dos homens perversos e dos demônios – são trazidas à existência de acordo com o PROPÓSITO eterno de Deus." [JG Machen, conforme citado por Laurence Vance em O Outro Lado do Calvinismo, p.254 .

"
É até bíblico dizer que Deus preordenou o pecado. Se o pecado estivesse fora do plano de Deus, então nem uma única questão importante da vida seria governada por Deus." Edwin H. Palmer, The Five Points of Calvinism, p. 82]

"
Predeterminação significa o plano soberano de Deus, pelo qual Ele decide tudo o que está a acontecer em todo o universo. Nada neste mundo acontece por acaso. Deus está por trás de tudo. Ele decide e faz com que todas as coisas aconteçam. Ele não está sentado à margem pensando, e talvez temendo, o que vai acontecer a seguir. Não, Ele predeterminou tudo "segundo o conselho da sua vontade" (Efésios 1:11): o movimento de um dedo, a batida de um coração, o riso de uma menina, o erro de um datilógrafo – até mesmo o pecado" [Edwin H. Palmer, The Five Points of Calvinism, p. 24-5]. http://deusamouomundo.com/calvinismo/abandone_o_calvinismo/, legitimamente, disse que, se isso fosse verdade, se poderia acrescentar "cada ação do estuprador durante o abuso de uma menina, a sutura dos seios das mulheres para que não amamentassem seus bebês até que eles morressem de fome (em Auschwitz), a desobediência aos mandamentos divinos, cada ação de tortura contra os cristão perseguidos, os assassinatos, o adultério, etc…"


*******************************

Agora, Hélio reproduz parte da resposta de http://cristianismounderground.blogspot.com.br/2015/02/porque-deus-nao-pode-ser-o-autor-do.html à terrível acusação calvinista, acima, contra o caráter de Deus


POR QUE DEUS NÃO PODE SER O AUTOR DO PECADO?




. 1) Deus não Pode Produzir o Pecado
A bíblia nos relata que Deus é absolutamente perfeito, no livro de Deuteronômio:

"Ele é a Rocha, cuja obra é perfeita, porque todos os seus caminhos justos são; Deus é a verdade, e não há nele injustiça; justo e reto é."   Deuteronômio 32.4

No livro de Samuel, nos é dito que: "O caminho de Deus é perfeito, e a palavra do Senhor refinada; e é o escudo de todos os que nele confiam." 2 Samuel 22:31

E o livro de Salmos nos diz: "O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam." - Salmos 18:30

Portanto, concluímos que Deus não pode nem realizar, nem produzir o pecado.

Uma declaração interessante do nosso Senhor Jesus, é a seguinte: "Sede vós, pois, perfeitos, com o é perfeito o vosso Pai, que está nos céus" Mateus 5.48.

Entendemos com esses versículos que o Ser Perfeito (DEUS), não pode agir de forma imperfeita. Além disso, notamos no livro de Gênesis que o mundo que Deus criou, e tudo o que ele continha, era "muito bom" (Gn 1.31)



2) Deus não Pode Promover o Pecado

Além disso, Deus não pode estimular o pecado; Pois Ele é completamente SANTO e não pode endossar o pecado de forma alguma. O profeta Habacuque nos diz:
"Tu és tão puro de olhos, que não podes ver o mal e a vexação não podes contemplar" (Hc 1.13).



2.1  Deus não pode nos tentar a pecar:

"Ninguém, sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal e a ninguém tenta". (Tg  1.13).



3.      Deus Pode Permitir o Pecado

Nos pontos anteriores percebemos que Deus não produz, nem promove o pecado. Mas nesse ponto destacamos que Deus permite o pecado. Em Sua vontade permissiva, e isso Ele o faz pois respeita o livre-arbítrio dos seres humanos, e a lei da colheita ["você colhe o que plantou" Gl 6:6-8]. Além disso, ao permitir a ocorrência do pecado, Deus cumpre os propósitos dEle.

Um exemplo clássico, é sobre José e seus irmãos, relatado no livro de Gênesis, onde Deus permitiu que os irmãos de José, ao lhe venderem como escravo, pecassem a fim de que todo o Israel fosse salvo, além de cumprir a Sua promessa de trazer o Messias por intermédio do Seu povo escolhido para proporcionar a salvação para a humanidade (Gn 12.3). A Bíblia relata que José reconheceu o propósito da vontade permissiva de Deus, quando disse aos seus irmãos: "Vós bem intentastes mal contra mim, porém Deus o tornou em bem, para fazer como se vê neste dia, para conservar em vida a um povo grande" (Gn 50.20).

Um exemplo interessante, citado por Norman Geisler em o seu segundo volume de Teologia Sistemática, é que: "Quando, nos Estados Unidos, os pais permitem que um filho adolescente use o carro da família, eles estão dando vazão a um mau potencial (o da desgraça), mas é necessário fazer concessões à possibilidade da transgressão para o bem maior do adolescente, a fim de que aprenda a ser responsável e adquira habilidades ao volante."

Aqui percebemos que Deus nos dá a liberdade, e assim também nos permite que a nossa atitude seja um ato em potencial não só para o bem, mas também para o mal, para que assim nós possamos ser responsáveis por nossas atitudes e aprendamos a ter responsabilidade. Acreditamos que os que nos permite a possibilidade do mal seja o livre-arbítrio que nos foi concedido pelo ETERNO. Lembrando a lei da colheita (você colhe o que você planta) , todo ação tem uma reação, toda nossa atitude tem uma consequência, e isso depende de nós, pois quando praticamos as escolhas erradas e falhamos, enfrentamos as consequências dos nossos erros; E sabemos que nosso Deus utiliza as nossas falhas e erros para nos fortalecer.
Notamos isso, no livro de Hebreus, onde o autor nos relata:

"E, na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela" (Hb 12.11).

O apóstolo Paulo e Tiago consideravam que Deus permite o mal a fim de produzir resultados. Vejamos o que Paulo diz em sua carta ao Romanos: "E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações, sabendo que a tribulação produz a paciência; e a paciência, a experiência; e a experiência, a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nosso coração pelo Espírito Santo que nos foi dado." (Rm 5.3-5)

Tiago teve a mesma perspectiva:

Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações, sabendo que a prova da vossa fé produz a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma. (Tg 1.2-4).

Portanto, percebemos, diante dessas exposições, que não temos motivos coerentes com os atributos divinos revelados nas Escrituras, para se acreditar e ensinar que Deus é o autor do pecado, seja como criador ou executor, como afirmam alguns teólogos calvinistas/deterministas. E [percebemos] que essas declarações são heréticas.


********************************


Eu, Hélio, tal como me esforcei para explicar em http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/Clv15-Calvinismo.U.DecretoEEleicaoNaoPSalvacaoMasDeSalvoPBencaos-Helio.htm e na tradução de http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/Clv15-Calvinismo.U.PorQueDeusNaoElegeuCalvinistas-DHump.htm , acredito que:

Não Há [Arbitrária e Caprichosa] Eleição [de Perdidos] Para Salvação [ou Reprobação] Eterna, [por isso]

    Não Há [Arbitrário E Caprichoso] Decreto de Deus Para Eleição [de Perdidos] Para Salvação Eterna.

        [Mas, Sim, Há] Decreto E Eleição Dos Salvos, Para Outras Bênçãos E Serviços.

 


Mas, apesar do que eu transmiti nos artigos acima, agora, para efeito de raciocínio, não vou tomar aquela posição. Portanto, para fins de argumentação, por favor assuma, faça de conta que também eu tomo a posição de que a salvação referida em 1Ts 2:13 refere-se à salvação eterna. Somente para fins de argumentação, OK?

Há crentes, com argumentos não enormemente inferiores aos dos calvinista, que defendem a posição de que a eleição foi incondicional, foi arbitrária e caprichosa, foi para salvação eterna (já por isso discordo deles) ou para reprobação eterna (idem), foi feita antes da fundação do mundo, mas que tal eleição incondicional foi CORPORATIVA (não individual), mas Deus INDIVIDUALMENTE chama a todo homem e lhe liberta e habilita o arbítrio para poder entender, poder crer (ou não) para dentro do Cristo, poder receber (ou não) ao Cristo. A analogia seria mais ou menos assim:
<<<< Há dois navios com títulos "1 - ELEITOS E PREDESTINADOS PARA O INFERNO" (corporativa eleição e predestinação para o inferno) e "2 - ELEITOS E PREDESTINADOS PARA O CÉU" (corporativa eleição e predestinação para o céu e a salvação eterna). Todos os homens nascem no navio 1 porque todos são de natureza pecaminosa, portanto com toda justiça merecem a condenação eterna no terrível inferno. Se morrerem antes de alcançarem a idade da "consciência- razão- capacidade- de- escolher- ou- não- a- salvação" serão por Deus retirados do navio 1 (para irem para o céu). Cristo emparelha o navio 2 junto ao navio 1, e convida "Vinde a mim, TODOS os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei." Mt 11:28. Uma vez que, com toda sinceridade, Deus chama a todos, obviamente a todos que chama capacita a entenderem e escolherem crer ou descrer na parte da Palavra que lhes foi revelada. A maioria, depois de entender o chamado, quando ele chega ao seu clímax, o evangelho, vai escolher permanecer no navio 1 e irá para o inferno eterno. Alguns poucos, depois de entender o clímax do chamado, vão escolher crer e receber, e irão para o navio 2, de onde nunca poderão ser arrancados ou se arremessar para fora, lá são preservados pelo Salvador, e todos, finalmente, irão para a eterna companhia de Deus. Portanto, Deus corporativamente elegeu, predestinou dois navios, uma para o inferno e outro para o céu, mas dá a cada homem, individualmente, a escolha do navio em que quer ficar na eternidade. >>>>. Mais detalhes sobre a eleição corporativa em
http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/DoutrinaEleicaoCorporativa-AL.htm.

Nas argumentações que se seguirão neste livro não vou tomar esta posição da eleição corporativa. Portanto, por favor, assuma, que eu creio que a salvação referida em 1Ts 2:13 é a salvação eterna e INDIVIDUAL, não corporativa.

Agora, prossigamos para procurar provar que:

a eleição (assumindo-se que foi feita em base individual, de um em um crente, antes da fundação do mundo, e para a salvação eterna dos eleito), foi feita:

(a) em consequência lógica de Deus ter antevisto, ter visto com antecedência, ter pré-conhecido quem creria e receberia o Cristo,
ao invés de
(b) o crer do homem ser consequência lógica e cronológica da eleição por Deus.


Em outras palavras, procuraremos provar que a ordem lógica (não necessariamente cronológica) foi:

Deus PRECONHECEU (viu de antemão) cada ser humano que creria ==>
    Deus o ELEGEU
        Deus o PREDETERMINOU quanto fronteiras ==>
            Deus o CHAMOU ==>
                o homem CREU (= ficou dentro de o Cristo, obedeceu e O recebeu e ao Seu sangue) ==>
                    o homem foi TORNADO FILHO (= salvo = regenerado = tornado nova criatura de Deus = separado pelo Espírito Santo)


Eu, Hélio, daqui em diante, resumo e adapto de David Cloud em http://www.wayoflife.org/database/calvinisms_proof_text.html

David Cloud:
"De acordo com esta doutrina [calvinista], Deus soberanamente [incondicionalmente, arbitrariamente {NOTA *}, caprichosamente {NOTA **}] elege quem será salvo e quem não será salvo, e esta eleição não tem nada a ver com nada que o pecador faça [a qualquer tempo], inclusive exercer fé no evangelho [em Cristo]." http://www.wayoflife.org/database/calvinisms_proof_text.html

NOTA *: "arbitrariamente" significa, nos dicionários: "de um modo que só depende da escolha ou da vontade, a qual não necessariamente segue uma lógica/ motivos/ propósitos/ critérios/ modos que realmente existam ou que tenham sido anunciados e que se possam perceber e entender. Ou é uma vontade que somente segue um motivo/ propósito primordialmente para seu próprio bem, ou prazer, ou glória."

NOTA **: "caprichosamente" significa, nos dicionários: "de um modo que só depende da vontade súbita, impensada e infundada, (certamente sem ter nenhuma lógica/ motivo/ propósito/ critério/ modo anunciados e que se possam perceber e entender)."


    Hélio: por tudo que tenho lido dos mais famosos defensores calvinismo, na realidade ele ensina que ", desde a eternidade passada, Deus arbitrariamente {NOTA *} [ou mesmo caprichosamente {NOTA **}] DECRETOU [sem nenhuma condição requerida] quem Ele regeneraria e salvaria (sem isso ser consequência dEle pré-conhecer se a pessoa viria ou não a crer, no futuro), decreto de tal modo que, em consequência da regeneração e salvação, imediatamente depois o homem sofresse radical mudança em sua vontade (como se ele fosse um robô 'reprogramado') e, somente por isso, passasse a crer."

João Calvino: "Chamamos de Predestinação ao decreto de Deus pelo qual Ele determinou em Si mesmo o [destino eterno] que Ele gostaria [teria prazer!] que se tornasse o de cada indivíduo da humanidade, pois eles não são todos criados com um destino semelhante: mas a vida eterna é preordenada para alguns, e a condenação eterna para outros." Institutes of the Christian Religion, Book III,  chap. 21.

Confissão de Westminster III.II-IV,VII: "Pelo decreto de Deus, para a manifestação de Sua glória, alguns homens e anjos são predestinados para a vida eterna, e outros são preordenados para a morte eterna. Estes anjos e homens, assim predestinados e preordenados, são particularmente e imutavelmente designados; e seu número é tão certo e definido que não pode ser nem aumentado nem diminuído ... Quanto ao resto da humanidade, Deus teve SATISFAÇÃO em, de acordo com o insondável conselho de Sua própria vontade (pela qual Ele estende ou retira a misericórdia conforme se agrade [de fazê-lo] para a glória de Seu poder soberano sobre as Suas criaturas), não olhar para eles, e os ordenar à desonra e à ira por causa do pecado deles, para o louvor de Sua justiça gloriosa."

    Cânones de Dort, 1.7:
"Eleição é o imutável propósito de Deus, pelo qual, antes da fundação do mundo, Ele tem, por mera graça e segundo o Seu beneplácito de Sua própria vontade, escolhido dentre toda raça humana, ... um certo número de pessoas para a redenção em Cristo ..."

David Cloud: "Note-se que a eleição soberana [incondicional, arbitrária {NOTA *}, caprichosa {NOTA **}] é [nas declarações acima] acompanhada pela doutrina gêmea da soberana reprobação (incondicional, arbitrária {NOTA *} e caprichosa {NOTA **} predestinação para condenação) dos não eleitos.

Calvino enfatizou isso como se segue:
'[Deus] dedica à destruição quem Ele tem prazer [em fazer isso].
- Eles são predestinados à morte eterna sem qualquer demérito em si próprios [relativamente aos outros homens], apenas pela vontade soberana [incondicional, arbitrária {NOTA *}, caprichosa {NOTA **}] dEle.
- Ele [Deus] ordena todas as coisas através de Seu conselho e decreto, de tal maneira que alguns homens nascem devotados, desde o ventre [de suas mães] à morte [eterna] certa [e inescapável], para que o nome dEle [de Deus] seja glorificado na destruição deles ...
- Deus escolhe quem Ele quer para que sejam seus filhos,
- enquanto Ele rejeita e reproba (predestina para condenação) aos outros.'
(Institutes of Christian Religion, Book III, chap. 23)]



REFUTAÇÃO PELA BÍBLIA (tomada sob a regra de ouro da interpretação literal):

PRIMEIRAMENTE, alicercemo-nos nas GRAMÁTICAS E DICIONÁRIOS feitas por gregos imparciais: relembremos que

o verbo grego {G4267
προγινώσκω proginosko (pronunciado como pro-ǰiy-nō'-skō)} (distorcido pelos calvinistas em Rm 8:29; 1Pe 1:20) somente, unicamente pode significar "perceber de antemão, saber com antecedência, conhecer desde bem antes, ver previamente, antever, ter a presciência":

    Admitimos que o verbo hebraico {03045 yada} (e mesmo o seu correspondente verbo grego {G1097 γινώσκω ginosko (pronunciado como ǰiy-nō'-skō)), que usualmente significa "conhecer", pode, às vezes, muito raramente, em contexto óbvio, significar "relacionar-se de modo muitíssimo profundo", como em Mt 1:25 (
"E não A CONHECEU até que ela deu à luz o filho dela, o primeiro- nascido; e (José) chamou o nome dEle [de] JESUS."). No entanto, quanto ao idioma grego, quer em todas as ocorrências no NT como também em todos os escritos gregos a ele contemporâneos, SEMPRE, sem nenhuma exceção, o significado do verbo PRÉ-conhecer {4267 προγινώσκω proginosko }, usado em At 26:5 ("de antemão conhecendo-me") e em 2Pe 3:17 ("de antemão sabendo"), etc., distorcido pelos calvinistas em Rm 8:29; 1Pe 1:20, não tem nenhum imperativo teológico (exceto se isto for preconcebido e desejado, e for imposto, numa eisegese (pões tua doutrina para dentro do texto) ao invés de exegese (tiras para fora do texto o que será tua doutrina) a não ser o único da sua base léxica: "pré-conhecer" sempre significa "saber previamente", "conhecer o fato de antemão".
    Semelhantemente com o substantivo {4268
prognwsis = "pré-conhecimento"}, usado em 1Pe 1:2.
   
Comprove tudo isso em "The Meaning Of ΠΡΟΓΙΝΩΣΚΩ ("To Foreknow")", Thomas R. Edgar, http://www.galaxie.com/article/7521.
   
Eu pagaria um chocolate a quem me mostrasse um exemplo (na Bíblia ou na literatura grega (religiosa ou secular) da época neo-testamentária, alguma sentença tal como "desmanchou o noivado quando soube que a noiva havia pré-conhecido outro homem"), onde indiscutivelmente pré-conhecer e pré-conhecimento têm que ter outro significado que não seja "saber de antemão".



EM SEGUNDO LUGAR, ajuntemos Rm 8:29-30 + Jo 1:12 + 2Co 5:17 + 1Pe 1:2 para aprender uma coisa extremamente importante sobre a ordem, a sequência dentro da salvação:

Rm 8:29-30  29 Porque, aos [homens] a quem Ele (o Deus) pré-conheceu {G4267 προγινώσκω proginosko}, também os predeterminou- quanto- fronteiras (do lote eterno) [para serem] conformados à apresentação- físico- corporal de o Seu Filho, a fim de ser Este (o Seu Filho) [o] primeiro- nascido entre muitos irmãos.  
30
E, aos [homens] a quem Ele (o Deus) predeterminou- quanto- fronteiras (do lote eterno), a estes também chamou;
e aos que chamou, a estes também declarou justos; e
aos que declarou justos, a estes também glorificou.
 LTT

A ordem da salvação, parcialmente vista aqui, inclui:
Deus preconheceu (viu de antemão) ==> Deus predeterminou quanto fronteiras ==> Deus chamou ==> Deus declarou justos ==> Deus glorificou.

Jo 1:12 A tantos, porém, quantos O receberam, Ele (o Palavra) deu a estes [a] autoridade para ser[em] [tornados os] filhos de Deus, (a deu) àqueles [que estão] crendo  para dentro de o nome dEle (o Palavra),  LTT
A ordem da salvação, parcialmente vista aqui, inclui:
homens receberam o Cristo (grupo equivalente aos que creram) ==> homens tornados filhos de Deus.

2Co 5:17 Assim que, se algum homem [está] dentro de [o] Cristo, uma nova- e- diferente criatura [é]  [ele]: as [coisas] velhas [] passaram, eis que têm sido feitas novas todas as coisas.  LTT
A ordem da salvação, parcialmente vista aqui, inclui:
homem ficar dentro de o Cristo ==> homem ser regenerado (tornado uma nova criatura).

1Pe 1:2 (eleitos) como resultado do pré-conhecimento de Deus ([o] Pai), N[A] santificação de [o] Espírito (Santo), EM CONSEQUÊNCIA D[a] obediência e aspersão d[o] sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas!
A ordem da salvação, parcialmente vista aqui, inclui:
Deus preconheceu (viu de antemão) ==> Deus elegeu
o homem obedeceu (= creu = recebeu a e aspersão do sangue do Cristo) ==> o Espírito Santo separou para Si (= salvação)

Juntando tudo, a ordem da salvação, parcialmente vista nessas 4 passagens, inclui:

Deus PRECONHECEU (viu de antemão) cada ser humano que creria==>
    Deus o ELEGEU
        Deus o PREDETERMINOU quanto fronteiras ==>
            Deus o CHAMOU ==>
                o homem CREU (= ficou dentro de o Cristo, obedeceu e O recebeu e ao Seu sangue) ==>
                    o homem foi TORNADO FILHO (= salvo = regenerado = tornado nova criatura de Deus = separado pelo Espírito Santo) ==>
                        Deus o DECLAROU JUSTO ==>
                             Deus o GLORIFICOU.




EM TERCEIRO LUGAR, a Bíblia ensina que há, sim, uma (e uma só, indispensável e suficiente) condição para salvação: exercer FÉ, CRER (crer tudo que a Bíblia diz, particularmente tudo sobre o Cristo, recebendo-O como o único, total, definitivo e pessoal Salvador e Senhor (dono e controlador) e Deus):

    ***
1Pe 1:2 (eleitos) como resultado do pré-conhecimento de Deus ([o] Pai), N[A] santificação de [o] Espírito (Santo), EM CONSEQUÊNCIA D[a] obediência e aspersão d[o] sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas!
[este verso ensina não a ordem calvinista (primeiro eleição arbitrária e caprichosa, depois, em consequência disso, salvação obrigatória como em um robô, depois fé), mas, sim, ensina que Deus anteviu, preconheceu algo futuro em nós (muitos versos mostram que isso foi responder ao capacitador chamado de Deus com fé, o recebimento da oferta da graça], em consequência disso foi que Ele nos elegeu antes da fundação do mundo.]

   
*** Lc 7:50 Disse Ele, porém, à mulher: "A tua FÉ [] tem salvado a ti; vai tu para dentro d[a] paz."
[este verso ensina não a ordem calvinista (primeiro eleição arbitrária e caprichosa, depois, em consequência disso, regeneração obrigatória como em um robô programado, depois fé), mas, sim, ensina que é a fé no Cristo que leva à salvação pela graça de Deus (tal fé é consequência da [e não pode haver sem fé na] Palavra de Deus, claro).]

    *** Ef 2:8 (Porque por- operação- da graça (de Deus) sois [aqueles] (já) tendo sido salvos, por meio da FÉ). E isto não [é] proveniente- de- dentro- de vós mesmos, [é] dom de Deus,

[Primeiramente, uma nota sobre o que significa a palavra "isto", acima:
Ef 2:8 "E ISTO...": apesar de uma dificuldade gramatical (em grego, o pronome "isto" é neutro e "fé" é feminino!), Cambridge Bible for Schools and Colleges, Erasmus, Beza, Bengel, etc. [erradamente] arrazoam que "isto" que é dom de Deus se refere à fé (alguns deles justificam-se com o fato que Jesus é o autor e consumador da fé, em He 12:2, mas este verso [de Hebreus] parece muito mais se referir à Fé no sentido do corpo total da doutrina bíblica; a defesa melhor é que a expressão "e isto" usualmente adiciona um conceito novo, e o faz com impacto e força, e isso casa com "isto" ensinar que a fé é dada por Deus; obviamente, depois disso, não é Deus que crê em lugar do homem, uma impossibilidade: É o próprio homem que exerce fé, uma vez habilitado por Deus);
- Calvino, Clarke, http://www.middletownbiblechurch.org/reformed/godgift.htm e outros (inclusive Hélio) arrazoam que "isto" (neutro) significa a ideia principal da sentença, "a salvação pela graça", não a fé propriamente dita (feminina, em grego).
Calvino escreveu: "
E aqui temos de fazer uma advertência contra um erro muito comum na interpretação desta passagem. Muitas pessoas restringem a palavra dom apenas à fé. Mas Paulo está reafirmando o sentimento anterior. O que ele quer dizer não é que o dom de Deus é a fé, mas que a salvação nos é dada por Deus, ou que a obtemos pelo dom de Deus." Notas de rodapé sobre Ef 2:9 em John Calvin, Commentaries on the Epistles of Paul to the Galatians and Ephesians, Calvin’s Commentaries, traduzidos por William Pringle (repr., Grand Rapids: Baker, 1984), 21:227–28.]

[Em segundo lugar, um nota sobre "POR MEIO DA FÉ": dar à minha fé a menor fração de átomo de mérito na salvação, é como dar festas de gratidão ao pó do caminho que os pés do herói pisaram quando veio gloriosamente me salvar! Toda glória e mérito são somente dEle, o meu Salvador, nada restando para o mero e vil caminho por onde Ele passou.]

[Em terceiro lugar, este verso ensina não a ordem calvinista (primeiro eleição arbitrária e caprichosa, depois, em consequência disso, salvação obrigatória como em um robô, depois fé), mas, sim, que é a fé no Cristo que leva à salvação pela graça de Deus (tal fé é consequência e não pode haver sem fé na Palavra de Deus, claro).]



    Calvinista:
"Deus, na Sua soberania, pode fazer absolutamente tudo (até mesmo o maior mal!) que Ele quiser. Se quisesse, Ele poderia ter usado uma roleta de jogos para escolher quem salvaria, ou poderia ter escolhido através de brincar de 'uni-do-ni-tê ... o escolhido foi você', ou poderia ter mandado fazer uma lista dos homens numa certa ordem (ou, melhor, numa ordem aleatória), pensar num número secreto N (digamos, 137), depois ir contanto na lista e escolhendo para ser salvo 1 a cada N homens. Ele tem todo o poder e direito de arbitraria e caprichosamente escolher perdidos até mesmo da forma que pareça mais arbitrária e caprichosa, poder e direito para mudá-los como a um robô, qual perdido poderá dizer que isso é injustiça, que ele merece ser e quer ser salvo, que Deus é injusto para com ele?"
   
    RESPOSTA:
Há muitas coisas que o Deus onipotente e soberano não pode fazer:
Ele nunca pode estar errado, nunca pode mentir, nem falhar, nem negar a Si mesmo, nem pecar, nem fazer uma pedra tão grande que Ele não possa levantar, etc. Enfim,
Deus não pode fazer nada que é contrário à Sua natureza, ao Seu caráter, e ao que Ele mesmo revelou ou prometeu na Sua Palavra.
   
    A questão não é se Deus é soberano: Ele o é, tem TODO o direito e pode fazer TUDO sobre tudo e sobre todos: eu também creio nesse poder e direito.
A questão é
a) se Deus, na Sua soberania, fez escrever na Bíblia que primeiro, antes da fundação do mundo, Ele INCONDICIONAL, ARBITRÁRIA E CAPRICHOSAMENTE elegeu alguns homens para, bem depois e em consequência disso, Ele regenerar e salvar eternamente (por agora, não abordemos os detalhes, a ordem lógica e cronológica de como Deus salva),
ou
(b) se Deus, na Sua soberania, fez escrever na Bíblia que primeiro, antes da fundação do mundo, Ele elegeu alguns homens PORQUE ANTEVIU (preconheceu, viu de antemão) a CONDIÇÃO , a saber, que eles iriam crer (por agora, não abordemos os detalhes, a ordem lógica e cronológica em os homens creem) (como as letras da Bíblia dizem e eu creio). E tudo isso não diminui a soberania dEle.
A Bíblia, sem dúvidas, tem escrito que a eleição por Deus decorreu dEle ter antevisto fé, releia Rm 8:29-30 + Jo 1:12 + 2Co 5:17 + 1Pe 1:2 para aprender uma coisa extremamente importante sobre a ordem, a sequência dentro da salvação. Depois, veja mais versos em que o convite de Deus é oferecido a TODOS (quem crer será salvo e, em consequência disso, tem sido antevisto, foi eleito e predestinado antes da fundação do mundo); Mt 11:28; Jo 3:16; Jo 7:17; Jo 7:37; Jo 12:32; Rm 8:29-30; At 17:30; 1Tm 2:3-4; 2Pe 3:9; Ap 22:17

Mt 11:28 Vinde até Mim, TODOS [vós] os [que estais] arduamente- trabalhando e tendo sido sobrecarregados, e *Eu* vos darei descanso.
Jo 3:16
Porque de tal maneira amou Deus ao MUNDO que ao Seu Filho, o [Seu] unigênito , deu, a fim de que TODO aquele (homem) [que está] crendo  para dentro dEle (o Filho) não se faça perecer, mas tenha [a] vida eterna.
Jo 7:17
Caso ALGUM- QUALQUER homem deseje fazer a vontade dEle, conhecerá a respeito da [Minha] doutrina: se ela é proveniente- de- dentro- de Deus, ou [se] *Eu* falo proveniente- de- junto- de Mim mesmo.
Jo 7:37
E, no último dia, o grande [dia] da festa (dos tabernáculos), Jesus tinha-se posto em pé, e clamou, dizendo: "Caso QUALQUER HOMEM tenha sede, venha até Mim, e beba.
Jo 12:32
E Eu, depois que  Eu for levantado para- fora- da terra, a TODOS [os homens]  estarei atraindo até Mim mesmo."
Rm 8:29-30
 29 Porque, aos [homens] a quem Ele (o Deus) pré-conheceu , também os predeterminou- quanto- fronteiras (do lote eterno) [para serem] conformados à apresentação- físico- corporal de o Seu Filho, a fim de ser Este (o Seu Filho) [o] primeiro- nascido entre muitos irmãos.  
30
E, aos [homens] a quem Ele (o Deus) predeterminou- quanto- fronteiras (do lote eterno), a estes também chamou;
e aos que chamou, a estes também declarou justos;
e aos que declarou justos, a estes também glorificou.

1Tm 2:3-4
 3 Porque isto [é] bom e agradável aos olhos de o nosso Salvador, Deus ,  4 O Qual deseja TODOS [os] homens ser[em] salvos e, para dentro do pleno- conhecimento d[a] verdade, vir[em].
2Pe 3:9
Não retarda o Senhor a [Sua] promessa, tal- como alguns por tardia [a] têm; mas Ele é de- longa- paciência para conosco, NÃO DESEJANDO ALGUNS SE FAZER[EM] PERECER, mas [desejando] TODOS a[o] arrependimento vir[em].
Ap 22:17
E o Espírito (Santo) e a noiva (Me) dizem: 'VEM TU !' E [TODO] AQUELE [que O está] ouvindo, que diga: 'VEM TU !' E [TODO] AQUELE [que está] tendo sede, VENHA ELE; e [TODO] AQUELE [que está] querendo, RECEBA ELE a água d[a] vida, de graça.

A Bíblia, sem dúvidas, tem escrito que Deus amou e deseja salvar a todos os homens,
tem escrito que todo homem é chamado por Deus,
tem escrito que Deus quer salvar a todos os homens.
Portanto, todos os homens podem ser salvos, ao serem chamados e capacitados por Deus.
A eleição, antes da fundação do mundo, foi consequência lógica de Deus ter antevisto quem creria e receberia, ao invés do crer do homem ser consequência cronológica da eleição por Deus.
Crer e ser salvo estão disponíveis a todos os homens (ao serem chamados e capacitados por Deus), e não apenas a uns pouquíssimos eleitos.



Hélio de Menezes Silva, abr. 2017

 



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SoteriologiaESantificacao/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)