“E o ‘se perseverar’, de Mt 10:22? É na Dispensação das Assembleias! Há Perda de Salvação!”




“E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.” (Mateus 10:22 ACF)



1) A solução correta para este problema é que o verbo "4982 sozo" pode significar várias coisas, segundo o contexto em que seja usado. Usando o dicionário da OLB (Online Bible), e o de Strong, e o de Thayer, e o de Nave, e todos que tenho em papel ou no computador, posso resumir o significado de "4982 sozo" assim:
   (  salvar (físicamente; ou salvar espiritualmente, no sentido técnico bíblico, de salvação eterna);
      conservar seguro (física, ou espiritualmente);
      resgatar do perigo ou destruição (física, ou espiritualmente);
      curar de doença, restituir a saúde, tornar inteiramente são (fisicamente);
   ),
e o contexto imediato (um versos acima e outro abaixo) deste verso (ou o contexto de todo o parágrafo vv. 16-31), é de sofrimento FÍSICO, o contexto de morte ou vida FÍSICAS:

(16 ¶ Eis que, *Eu*, vos envio como ovelhas para dentro do meio de lobos; sede, pois, prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.
17 Atentai- e- cautelai-vos, porém, para- longe- dos homens {*}; porque eles {*} vos entregarão aoS sinédrioS, e, nas sinagogas deles, vos açoitarão; {* os religiosos e poderosos, em Israel}
18 E até à presença dos governadores, e também dos reis, sereis conduzidos por causa de Mim, para servirdes de testemunho a eles, e aos gentios.
19 Quando, porém, vos entregarem, (então) que vós não ansieis com cuidados sobre como (ou o que) faleis, porque naquela mesma hora vos será concedido o que falareis.
20 Porque não sois, *vós*, aqueles que estarão falando, mas o Espírito do vosso Pai, o Qual estará falando em vós.
 
21 E o irmão entregará à morte o seu irmão, e o pai (entregará à morte) o seu filho; e os filhos se levantarão contra os seus pais- e- mães, e os farão morrer.
22 E sereis odiados por todos, por causa de o Meu nome; aquele, porém, que tem pacientemente- suportado até ao fim, *ele*, será livrado.
23 Tão logo, portanto, vos persigam nesta cidade, fugi para outra; porque, em verdade, vos digo: Que de modo nenhum vós acabeis de percorrer as cidades de Israel sem que o Filho do homem venha.


24 Não é o discípulo mais do que o (seu) professor- mestre, nem o escravo é mais do que o seu senhor.
25 Basta ao discípulo que seja como o seu professor- mestre, e ao escravo que seja como o seu senhor. (Portanto,) se ao Senhor- da- casa chamaram de Beelzebul, de quanto muito mais chamarão os Seus domésticos?
26 Portanto, não os temais; porque nada há tendo sido encoberto que não será revelado, nem (nada há) oculto que não será conhecido.
27 O que vos digo na treva, dizei-o na luz; e o que escutais ao ouvido, pregai-o sobre os telhados.
28 E não temais por causa daqueles que estão matando o corpo e não podem matar a alma; temei, porém, muito mais, Àquele que pode fazer perecer dentro do Inferno tanto a (vossa) alma como o (vosso) corpo
29 Não são dois pardais vendidos por um assarion? E nenhum de entre eles cairá sobre a terra sem o consentimento do vosso Pai.
30 De vós, porém, até mesmo os cabelos da cabeça, todos eles, tendo sido contados estão.
31 Não temais, pois! Mais valeis, *vós*, do que muitos pardais.
) (Mt 10:16-31 LTT),


Portanto, o único entendimento correto é que "será salvo", no v. 22 da ACF, significa "será livrado” (das prisão, torturas, e iminência de cruel morte, FÍSICAS).

Mesmo o verbo usado na tradução da ACF e da KJB sendo "será salvo", todas as muita dezenas de pastores batistas e reformados que já ouvi ou li em 38 anos (todos eles não arminianos, e profundo estudiosos, e coerentes com todo o ensino da "salvação só pela graça, e ela só através da fé (bíblica, no Cristo da Bíblia), sem ajuda de obras" e “uma vez [realmente] salvo, para sempre salvo”) sempre, sem nenhuma exceção ou hesitação, incisivamente pregaram que "é óbvio, claro e ululantemente evidente" que a única interpretação correta para "será salvo", aqui, significa “será salvo das prisão, torturas, e iminência de cruel morte FÍSICAS”. Mas eu prefiro a tradução que já deixa isto um pouco mais claro:

E sereis odiados por todos, por causa de o Meu nome; aquele, porém, que tem pacientemente- suportado até ao fim, *ele*, será livrado. (Mt 10:22 LTT)



2) Mas se você quiser mesmo teimar que

“o verso tem que significar que os 12 apóstolos, mesmo eles (e todos os crentes, mesmo da atual dispensação das assembleias), se viessem, até mesmo por 1 segundo sequer, a não perseverar 100% perfeitos na fé e sem pecar, pregando com toda coragem enquanto, de todas as piores e mais cruéis formas possíveis, seriam perseguidos, pressionados, torturados e mortos nos seus futuros ministérios pós Pentecostes, certamente perderiam a salvação eterna, “

então pode lhe ser ponderado, irmão, que, mesmo na impossível hipótese de que o verso tratasse de salvação eterna e não de libertação física, ainda assim haveria 2 explicações possíveis:

2.a) Mesmo se você crer (como eu) que as assembleias locais começaram já nos dias do ministério terrestre do Cristo e não somente no Pentocostes pós ressurreição, deve ser notado que havia, nos 3 anos do ministério do Cristo na terra, uma superposição: a Dispensação de Israel ainda estava plenamente em efeito (a imediata inauguração do reinar milenar sendo ofertada a Israel se ela em peso cresse e recebesse Jesus como o Messias, embora a onisciência de Deus soubesse que isso não ocorreria, conforme Seu decreto) e, em paralelo, a Dispensação das Assembleias Locais já existia em sua pequeníssima e incipiente forma, havendo pelo menos uma assembleia, a primeira, a qual tinha Cristo como seu pastor fisicamente presente, todos os membros reunindo-se regularmente (só que itinerantemente, mudando de local a cada dia), praticando as ordenanças de submersão (Jo 3:26; 4:1-2) (administrada somente aos que já tinham crido e pedido, At 8:36-39) e da Ceia do Senhor (Mt 26:26-30), disciplinando seus membros com mesmo modo como hoje (Mt 18:15-20), com pregação e ensino e edificação dentro e fora da reunião, evangelizando, ganhando almas, enviando missionários, etc. (Até mesmo tendo um tesoureiro (risos))
Portanto, nos 4 evangelhos e em Atos, às vezes as palavras se referem primordialmente à Dispensação das Assembleias, às vezes à Dispensação de Israel. Em Mt 10:16-31, note as palavras “sinédrio” e “sinagogas” (v. 17), “Israel” (v. 23), etc. É mais que claro que todo o parágrafo (vv. 16-31) se refere, primordialmente, à Dispensação de Israel e não à Dispensação das Assembleias. E (embora em todas as dispensações “a salvação sempre é somente pela graça, somente através da fé no Cristo da Bíblia, sem ajuda das obras”), ocorre que, nas dispensações diferentes da atual, Deus, para benefício dos homens que observam de fora alguém que alega ser um crente, determinou que uma determinada obra, feita uma vez na vida, servisse de comprovação ou não, expressão da genuinidade ou não daquela fé, a qual demonstração nos diria se aquela alegada fé era verdadeira (portanto salvadora) ou não. Ver http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/HaSalvacaoPorMisturaFeObras-Helio.htm. Todos os 12 apóstolos (inclusive Judas Iscariotes) pareciam exatamente iguais, igualmente pregavam, igualmente viam pessoas sendo convertidas nas suas pregações, igualmente faziam os sinais e maravilhas exclusivos dos 83 apóstolos e discípulos (ver 2Co 12:12) (não fora assim, todos imediatamente saberiam que o traidor era Judas, quando Cristo, na última ceia com Seus doze, disse que um deles o trairia; todos diriam “Ah, é Judas, eu bem que desconfiava, ele não era exatamente igual a nós no pregar, no ter convertidos, no fazer sinais e milagres.”). Mas Judas, no o um seu instante crítico, não deu a evidência da genuinidade de sua fé (evidência exigida por Deus, no Seu o um instante decidido, para benefícios dos outros homens) os outros onze a deram, no o um instante e de a uma forma decidida por Deus. Mesmo assim, Judas não perdeu a salvação, ele apenas deu a prova externa de que nunca a teve internamente, em razão de nunca a sua fé ter sido verdadeira e no Cristo da Bíblia.

2.b) Muitas e muitas vezes, as palavras de um mesmo verso têm uma dupla aplicação, uma para o presente imediato, outra profética, para o futuro (em algum bom livro de hermenêutica literalista, portando dispensacionalista, veja a “Lei do Duplo Cumprimento das Profecias”, ou a “Lei da Aparente Proximidade de Dois Picos de Montanha, com um Vale Invisível entre eles”. Ou veja resumo em http://solascriptura-tt.org/Ide/ComoEstudarInterpretarBiblia-Longo-Helio.htm e http://solascriptura-tt.org/EscatologiaEDispensacoes/EscatologiaComVersos-CursoHelio.htm). Portanto, na linha de tempo sequencial por Deus designado para Israel, na profecia das 70 semanas de Daniel (como se fosse uma fita VHS somente sobre Israel, suas 70 semanas), o minuto primeiro da 70ª Semana de Daniel (que será a Tribulação que ainda não começou, mas está iminente) segue-se imediatamente depois do último minuto da 69ª Semana (que foi em torno da crucificação e ressurreição do Senhor). Portanto, Mt 10:22, profeticamente, refere-se à iminente 70ª Semana de Daniel e não aos apóstolos. Ainda uma vez, assim, não se aplica direta e rigorosamente à atual Dispensação das Assembleias, mas sim à transição entre a anterior (Dispensação das Assembleias) e a seguinte (Dispensação do Reinar Milenar). Portanto, vale integralmente o que acima dissemos. Isto é: Embora, em todas as dispensações “a salvação sempre é somente pela graça, somente através da fé no Cristo da Bíblia, sem ajuda das obras”, nas dispensações diferentes da atual [portanto, na 70ª Semana de Daniel, a Tribulação], Deus, para benefício dos homens que observam de fora alguém que alega ser um crente, determinou que uma determinada obra, feita uma vez na vida, servisse de comprovação ou não, servisse de expressão da genuinidade ou não daquela fé, a qual demonstração nos diria se aquela alegada fé era verdadeira (portanto salvadora) ou não. Ver http://solascriptura-tt.org/SoteriologiaESantificacao/HaSalvacaoPorMisturaFeObras-Helio.htm. Na Tribulação,
- Se, no julgamento dos indivíduos gentios, ao final dos 7 anos da Tribulação, os homens virem no corredor de execuções de um presídio do Anticristo um homem que alega tê-lo rejeitado e crido biblicamente, e teve a oportunidade de socorrer algum dos 144.000 varões judeus virgens (os pequeninos irmãos do Cristo, perseguidos de morte ou no corredor de execuções) e o fez, sabendo que o próprio ajudador seria morto por causa disso, então todos que virem ou lerem sobre isso saberão que aquela alegada fé é, sim, verdadeira, Mt 25:31-40. Se, ao contrário, um homem alega ter crido biblicamente, mas pediu e tem a marca do Anticristo sobre sua testa ou mão direita, e teve a oportunidade de socorrer algum dos 144.000 varões judeus virgens, os pequeninos irmãos do Cristo, perseguidos de morte ou no corredor de execuções, no presídio, mas não o fez, então todos que virem ou lerem sobre isso saberão que aquela alegada fé não é verdadeira. (Mateus 25:41-46 ACF).

Seja como for, a suspeita do título desse artigo não é verdadeira.





Hélio de Menezes Silva, set.2012.



Só use as duas Bíblias traduzidas rigorosamente por equivalência formal a partir do Textus Receptus (que é a exata impressão das palavras perfeitamente inspiradas e preservadas por Deus), dignas herdeiras das KJB-1611, Almeida-1681, etc.: a ACF-2011 (Almeida Corrigida Fiel) e a LTT (Literal do Texto Tradicional), que v. pode ler e obter em http://BibliaLTT.org, com ou sem notas.



(Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SoteriologiaESantificacao/
retorne a http://solascriptura-tt.org/)