Vergonhas de [alguns dos] Batistas REGULARES

Coisas de [alguns] Batistas Regulares de Hoje que Envergonhariam os Batistas Legítimos e Originais

(tais eram de linha fundamentalista e realmente crente na Bíblia do Texto Tradicional:
os 13 apóstolos, 70 discípulos, Paulo, Timóteo;
os melhores dos melhores grupos anabatistas através dos séculos (em Antioquia, Vale de Vaudois nos Alpes Italianos, etc);
Roger Williams, John Clarke, Gill, Spurgeon, Strong, Caroll;
os pais do movimento batista fundamentalista em geral (J. Frank Norris, “Fighting” Bob Shuler, Bob Jones (Senior), Harvey Springer, Noel Smith, Benjamin Franklin Dearmore, James Dearmore, William Aberhart, etc., nas décadas de 1920/1930/1940 [nos USA])
e dos Batistas Regulares em particular (William A. Ross (1935), Edward Guy McLain (1936), Carl Matthews (1944), Albert Johnson, Willard Stull, etc., nas décadas de 1930/1940/1950 [no Brasil] )




“Porquanto tudo o que em trevas dissestes, à luz será ouvido; e o que falastes ao ouvido no gabinete, sobre os telhados será apregoado.” (Lc 12:3 ACF)







Preâmbulo padrão: De modo nenhum nos envergonhamos da melhor face do movimento Batista Regular (particularmente nas suas primeiras décadas nos USA dos anos 1920 e 1930, e no Brasil dos anos 1940 e 1950), e de modo nenhum nos envergonhemos dos seus melhores herdeiros de hoje, e com eles mantenhamos a mais doce comunhão. Amamos e nos identificamos com os pioneiros Batistas Regulares, e com eles nos identificamos. Somos abençoados membros de uma IBR. Oramos pelo arrependimento, confissão, retratação, e restauração das pessoas e organizações que caíram em erro.



Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos: Obrigatoriamente têm que ter comprovação (idealmente citando [ipsis litteris] boletins, revistas, artigos, etc. oriundos das mãos dos denunciados; os originais ou fotos dos documentos devem ser para sempre guardados pelo denunciante e também devem ser enviados ao mantenedor desta página; só muito raramente, quase nunca, serão aceitos meros testemunhos, desde que sejam oculares e do próprio denunciante, acompanhados dos testemunhos oculares de pelo menos mais 1 ou 2 crentes acima de toda suspeita), enviando documento escrito, assinado e com firma reconhecida em cartório, juntamente com cartas de recomendação.
Devem haver versículos combatendo o erro.
Melhor nunca se enveredar por denúncias de pecados pessoais, mas principalmente denúncias de constantes, profundamente enraizados, renitentes desvios de DOUTRINA do líder ou de COMPORTAMENTO de TODA a igreja. Pecados pessoais geralmente só afetam uma só igreja local e devem ser disciplinados no âmbito dela, enquanto que desvios doutrinários e de comportamento de toda uma igreja são 10 vezes piores, pois contaminam mortalmente todas as igrejas "irmãs" que tenham contato com ela, e isto exige separação entre igrejas e igrejas, e/ou entre igreja e associação/ denominação estadual/ regional/ nacional/ internacional.


Exortação final padrão:
Se a massa levedada (a nível de igreja, ou de grupo estadual de igrejas, ou de grupo nacional, ou de seminário, ou de acampamento, ou seja o que for) ainda é menor que a massa não levedada, oramos que os fiéis amem mais a Deus e Sua santidade do que tudo o mais, e, em atitude de amor mas de muita firmeza, submersos em oração, tentem mais uma vez, arduamente, fazer o levedo "deslevedar", voltar a ser massa pura; se isso falhar, como é usual, então imediata e radicalmente expulsem o levedo da massa, esta é a ordem clara de nosso Senhor e Deus. Se a massa levedada (a nível de igreja, ou de grupo estadual de igrejas, ou de grupo nacional, ou de seminário, ou de acampamento, ou seja o que for) já é maior que a massa não levedada, oramos que haja uma DIVISÃO da mesma, portanto que a minoria mais fiel se aparte da maioria mais infiel. Isto é, se não pudermos fazer o fermento deixar de ser fermento, e se não pudermos expulsá-lo, então devemos nos afastar dele e mudar de nome. Toda nossa lealdade seja dada a Deus e somente a Ele.



 

Os Distintivos ou Os “Indistintos” Doutrinários dos Batistas Regulares?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Os Distintivos ou Os “Indistintos” Doutrinários dos Batistas Regulares?

 

As gotas de veneno que assolam o movimento.



Miguel Ângelo L Maciel



 

Olhando para uma caixa de veneno para ratos, vê-se a descrição de que 99,99% do conteúdo não fariam mal a ninguém. Apenas 0,01% é o conteúdo de veneno ali constituído para realizar a morte quase que instantânea. Certo pastor, falando a respeito da contaminação da doutrina, usou a ilustração de um prato saboroso e suculento de comida para uma pessoa faminta. Bastaria um fio de cabelo atravessando o mesmo para que se perdesse por completo o sabor e o prato fosse rejeitado.

Seria diferente com as Doutrinas defendidas desde o início da era cristã? Acaso uma pitada de “fermento não pode levedar toda a massa?” (Mat 16:11-12; Marcos 8:15; 1 Co 5:6-9; Gal. 5:9).
Revisados, aprovados e publicados em 2003 pela Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil, os Distintivos Batistas Regulares apresentam vários ataques diretos às formas de doutrina e prática defendida pelos fundamentalistas bíblicos e históricos do movimento, como pequenas gotas de veneno nas Doutrinas Fundamentais. Vejamos alguns poucos exemplos:



1.° Distintivo – Bibliologia: A Autoridade e Infalibilidade da Palavra de Deus ,página 8, apresenta as seguintes citações:


- - -      “...cada palavra de toda a Bíblia, nos manuscritos originais, é a Palavra de Deus.” (ênfase minha) – página 8.


Comentário: Podemos perceber aqui a presença do veneno contra o qual o Fundamentalismo cristão vem lutado desde meados do século XIX, com o surgimento da Teologia Liberal e da Alta Crítica. É este o argumento de todos os liberais apóstatas e hereges que atacam a Palavra de Deus. Este é por certo um ataque sutil, mas claramente perceptível, à Doutrina da Preservação defendida pelos Fundamentalistas.


- - -      “Todo o seu conteúdo é a verdade...”


Comentário:  Todo os seu conteúdo? Onde fica a posição fundamentalista de que a Bíblia é a verdade revelada de Deus palavra por palavra (Inspiração Plenária e Verbal) e não apenas em seu conteúdo? Isso é abrir margens para a livre interpretação e para o Criticismo Teológico.


- - -      “No final do século XIX, surgiu o liberalismo teológico, que rejeitou várias doutrinas fundamentais do cristianismo, inclusive da inspiração e da inerrância bíblica”.  – página 9.


Comentário: Não vemos aqui nenhuma referência á Alta Crítica e nem á Doutrina da Preservação, sem a qual jamais poderíamos crer que a Palavra de Deus é eterna. (Salmos 119:89); Estariam, pois os Batistas Regulares aceitando todas as versões como corretas? A resposta vem a seguir.


- - -      “Rejeitamos qualquer tentativa de se estabelecer uma versão das Escrituras como sendo a única aceita pela igreja.” – página 9.


Comentário: Poderíamos parar por aqui, pois somente neste “Indistinto” posicionamento doutrinário, temos uma concordância com todas as versões adulteradas tais como Almeida Atualizada, NVI, Bíblia na Linguagem “Horrenda” (ou seria de hoje?), todas baseadas no corrupto Texto Crítico. Isto não é uma descrição de Distintivo Doutrinário. É a aberta inclusão do movimento na aceitação das heréticas traduções corrompidas e um ataque frontal ao Texto Tradicional.


Meus caros, era minha intenção fazer um trabalho detalhado sobre os que foi publicado, mas, sinceramente não vejo necessidade, pois somente no primeiro distintivo verificamos qual distante tal publicação se encontra do Fundamentalismo Histórico. Tal texto compromete toda a luta pela fé (Judas 3) que vem sido travada há mais de 100 anos, joga no lixo todas as defesas teológicas sobre o assunto e abre espaço para todo tipo de texto corrompido nos púlpitos.


Somente para mencionar outros pontos poderíamos destacar alguns outros pontos de terrível contradição contra os fundamentos da fé:


 - - -       Na página 10, 2° Distintivo – Teologia – A Pessoa e a Obra de Deus, menciona-se que “Deus é santo, justo e amor”, sem que haja nenhuma referência à Ira de Deus. (João 3:36)

 

 - - -       Na página 19, 6° Distintivo – Antropologia e Hamartiologia – A Natureza e Queda do Homem, menciona-se o “arminianismo radical” dando a idéia que o “arminianismo brando” (se é que existe) pode ser tolerado.


 - - -       Na página 44, 19° Distintivo – Prática Eclesiástica – A Disciplina Eclesiástica, menciona-se que não há na Bíblia “uma lista de pecados merecedores de disciplina”. Quer dizer que, uma vez que não há menções de cinemas, discotecas, motéis, etc na Bíblia, então afundar-se nisso de forma alguma significa andar de forma inconveniente ao crente em conformidade com a Doutrina? Abre-se uma enorme brecha para o mundanismo.


 - - -       Na página 46, 20° Distintivo – Prática eclesiástica – O Culto Cristão, menciona-se: “não se deve introduzir práticas ou estilos musicais mundanos tais como expressões corporais irreverentes ou uso indevido de instrumentos musicais...”. O que isso quer dizer? Que pode-se praticar louvorzão desde que não se dance igual o Michael Jackson? Que se pode usar baterias e guitarras desde que não seja muito alto? Abre-se enorme espaço para a Música Cristã Contemporânea. 

Que tristeza! Que falta de posicionamento! Que avalanche de permissividade doutrinária! Que avassaladora indeterminação da prática cristã se procura estabelecer com a verdadeira doutrina! Seria isso mero pragmatismo? Ou apenas falta de comprometimento com os valores Bíblicos e históricos?


Durante muitos anos fui um perdido pecador, entre os adventistas. Dou graças a Deus pela conversão e por ter Ele me dirigido a aprender com homens, irmãos, pastores verdadeiramente fundamentalistas entre os Batistas Regulares. Mas como é triste ver [em alguns líderes Batistas Regulares de hoje] tanta falta de coragem em negar tais heresias e práticas que os igualam aos apóstatas modernistas, pragmáticos e liberais. São claras tentativas de não se diminuir em número, de atrair mais adeptos, de amenizar a pregação bíblica.


Estaria o movimento se tornando uma denominação apenas? Não creio que Deus tenha me chamado á salvação para fazer parte de outra seita! Onde estão os defensores da verdade? Por que não estabelecem uma contraproposta para tão grandes lacunas, pelo menos? Por que ninguém se levanta ? Por que ninguém diz nada? Seria Deus um Deus permissivo e não cumpridor de Suas promessas? Onde estão os verdadeiros Fundamentalistas?


Que Deus os levante para a Defesa da Fé que UMA vez por todas foi dada aos SANTOS (Judas 3).

 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: Miguel Ângelo L Maciel

Data da Denúncia: ...

Observação: ...


 

OS PADRÕES DE MÚSICA ACEITÁVEIS PELOS B.REGs TÊM DECAÍDO MUITO, E ESSA DECADÊNCIA FOI REFLETIDA NOS "DISTINTIVOS BATISTAS REGULARES" OFICIALIZADOS DESDE 2001.

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras Padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.): Na Assembleia Geral da Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil, realizada em janeiro.1999 em Manaus, os pastores Jonas Xavier Pessoa (relator) e Joanilson Azevedo Pinto apresentaram uma proposta para "Os Distintivos dos Batistas Regulares" que, na parte referente à música na igreja (páginas 25, 26 e 27, da proposta) era excelente. Infelizmente, um grupo fez tão forte oposição à proposta que ela foi toda rejeitada e nova comissão, mais liberal, foi criada para elaborar nova proposta que, na assembleia geral de 2003, foi aprovada. Compare a boa proposta original, com a que foi aprovada (todas as ênfases de sublinhado foram por mim acrescentadas):

 

PRÁTICA ECLESIÁSTICA - 14º DISTINTIVO [dos Batistas Regulares]


O LOUVOR BÍBLICO:


· Conceito Teológico

Universal e tecnicamente, a música compõe-se de Melodia, Harmonia e Ritmo. O que a Melodia é para o espírito, a Harmonia o é para a alma e o Ritmo o é para o corpo. A música sacra litúrgica que agrada a Deus é eminentemente melódica, secundariamente harmônica e o ritmo nela só existe, exclusivamente o necessário, para ordená-la e dar-lhe seqüência e pausa. Sendo o louvor a Deus de natureza e expressão espirituais, é necessário que lhe mantenha e conserve o elemento vital que é a melodia, em menos importância a harmonia e somente o exclusivamente necessário do ritmo.
O louvor bíblico, além de reverente é música espiritual, que deve conter uma letra que exalte e dignifique ao Deus Triuno, sendo portanto [tal letra] também espiritual, e nos seus conceitos e declarações doutrinárias deve ser primorosamente coerente com as Escrituras Sagradas. O uso de instrumentos de percussão ou de movimentos corporais para acompanhar a música sacra é desaconselhável quando não proibida pela sua própria natureza carnal (corpo). Condenamos qualquer outro tipo de estilo musical (mundanos ou secular) que realce o ritmo em lugar da mensagem bíblica e da melodia harmônica, inconvenientes e impróprias à música sacra. O louvor bíblico vem de um coração submisso ao Senhor porque dEle depende, e reconhece Sua Soberania (Maria em Lucas 1:46-55)
Consideramos que o louvor bíblico litúrgico não é um entretenimento, mas sim o exercício de uma ação espiritual que por sua vez requer uma preparação espiritual. Ele também prepara o crente ESPIRITUALMENTE para a mensagem da Palavra de Deus.

 

 
· Textos-Chaves
I Cr. 15:22 (competência); Sl. 33ss; 47:7; 69:30; 104:33,34 (suavidade introspectiva); Is. 25:1 ("...teus conselhos antigos fiéis e verdadeiros..."); 12:9b; 1Co. 14:15,26,33 (ordem); 2Co. 11:3 (sedução da apostasia na música); Ef. 5:18-20; Fp 4:8 (toda a letra musical deve estar enquadrada neste molde); Cl. 3:16; 1Ts. 5:22 (Aparência do mal); Hb. 5:14; 13:15; Tg. 1:27; 1Pe. 2:5

 


 · História
Já em 364 d.C. no concílio de Laodicéia, houve formal proibição do uso de certos hinos "Não autorizados" por sua irreverência e associação com a música mundana. Aristóteles dizia que "a música é a mais moral de todas as artes". É por isso que no Velho Testamento o povo de Israel evitou a pintura e a escultura dedicando-se mormente à música que louva ao Senhor.
Os apologistas do ritmo sincopado na música litúrgica invocam em especial partes dos Salmos como o 150. Mas cremos que o ritmo ali [Salmo 150] não tinha nada de carnal e mundano como conhecemos hoje no Brasil, especialmente porque estes ritmos advêm da influência sincretista, espírito-animista da África pagã. Prof. João W. Faustino diz que "O ritmo apela aos músculos e ao nosso físico alijando o espiritual". O Dr. Russel Norman Champlain chega a afirmar que "... o jazz, rock, samba, etc., penetrando em nossas reuniões e cultos, é um dos aspectos da apostasia da Igreja Evangélica Moderna".
A música mundana, com ou sem dança, excita as paixões animais e sensuais e está sempre ligada aos entorpecentes, ao deboche, à libertinagem, promiscuidade e rebelião juvenil, portanto associada ao pecado e ao mundo. Agostinho lá no século IV, nos fala: "... nem devemos ficar atrás do significado místico do tamborim e do saltério. No tamborim o couro é esticado; no saltério a tripa é esticada; nem em um nem em noutro a carne é crucificada... Quando sou tocado pela voz do cantor mais do que pelo conteúdo das palavras cantadas, confesso que pequei..." (Cit. Sheldd, Damy).

 


 · Divergência Denominacional / Herética
Rejeitamos a "música gospel" e assemelhadas (música cristã popular) pela vulgaridade, estilos mundanos, e a irreverência que manifesta em afronta a Deus,

 

Rejeitamos as músicas e letras nascidas dentro dos ministérios chamados "comunidades", pelo conteúdo respectivamente pobre, superficial, ritmo sincopado intenso, associado com a lentidão do pronunciamento de frases.

 

Rejeitamos as manifestações de ostentação de louvor como o lançamento de discos/cd's, shows de cantores, festivais de música cristã (com ênfase em caça talentos), e cultos no estilo "louvorzão", porque são umas das manifestações carnais e mundanas da música sacra contextualizada ao mundo.

 

Da Nova Era discordamos do uso da Música Sacra como uma espécie de musicoterapia (para combater males físicos e dores de cabeça, por exemplo) ligada à superstição.

 

Rejeitamos utilizar peças da hinódia católica tipo "Segura na Mão de Deus", e outras, em virtude do seu intrínseco humanismo e associação dúbia.

 

Pentecostais e neopentecostais - rejeitamos expressão corporal, palmas, guitarras, baterias, baixos, volume excessivo, cânticos intermináveis e o seu triunfalismo característicos.
 

 


COMENTÁRIOS
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): os padrões de música aceitáveis pelos Batistas Regulares têm decaído muito, e essa decadência foi refletida nos "Distintivos Batistas Regulares" oficializados desde 2001.

Data do Fato: 1999 e 2001.

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil

Perpetrante do Fato: Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil

Denunciante: Hélio de Menezes Silva

Data da Denúncia: novembro.2007.

Observação: ...


 

A Bíblia tem partes não inspiradas? Por exemplo, João 5:1-16 (o paralítico e o tanque de Betesda, que era agitado por anjo) é mera superstição judaica furtivamente introduzida na Bíblia?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em cerca de 2004, eu, Hélio de Menezes Silva, fui a uma escola bíblica dominical (ou culto de oração na quarta-feira à noite, não tenho certeza) numa igreja batista considerada de linha fundamentalista e regular, em JJJJ PPPP {*}. O pregador era o pastor da igreja, AAAA {*}, meu amigo pessoal, formado no Seminário Batista Regular de CCCC {*}, e hoje pastoreando outra IBR, em JJJJ PPPP {*}. Uma senhora presente, membro da igreja, fez uma pergunta surpreendentemente fora do assunto da pregação, a saber, o que o pastor pensava da passagem de João 5:1-16, onde é dito que de tempos em tempos vinha um anjo ao tanque de Betesda, agitava a água, e a primeira pessoa que lá entrasse era curada de qualquer enfermidade que tivesse.
Para minha mais profunda surpresa e tristeza, o pastor respondeu, rapidamente e em tom algo zombador, que aquilo era um absurdo, que nunca a Bíblia fala de nada nem de longe semelhante (nem antes, no Velho Testamento, nem depois, no Novo Testamento), e tudo era somente uma superstição judaica, pois alguns judeus eram muito dados a estórias de pura superstição, semelhantes às dos mais fantásticos e ridículos mitos de todos os povos, como a do Saci brasileiro. Em particular, havia muita superstição em relação aos anjos, como se vê nos livros apócrifos da Bíblia Católica.
Fiquei boquiaberto de surpresa, depois fiquei revoltado, indignado: o Pastor deveria ter notado que a Bíblia não diz que eram os judeus que diziam que aquilo ocorria, e que era idiota superstição. Ao contrário, foi o próprio Autor de cada palavrinha da Bíblia, o Espírito Santo de Deus, que fez a afirmativa das miraculosas curas através do anjo, e o Espírito Santo é infalível, jamais erra, e cada letra e acento da Palavra de Deus é a perfeita verdade, assoprada por Deus.
“2 Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. 3 Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água. 4 Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.” (Jo 5:2-4 ACF)
QUE VERGONHA CAUSARIA ESTE TIPO DE BATISTA, COMO PR. AAAA, AOS BATISTAS ORIGINAIS!

“Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus.” (Mt 22:29 ACF)
Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?” (Jo 3:12 ACF)


Só estou expondo esse fato porque desde 1996, quando vim morar em JJJJ PPPP {*} e procurar uma igreja para ser membro, inúmeras vezes procurei conversar e dei artigos e até 2 livros procurando aumentar a fé do Pr. AAAA (*} tanto na divina inspiração plenária- verbal- infalível- inerrável da Bíblia, quando a sua fé na sua mais absolutamente perfeita preservação, portanto preservação incessantemente em uso pelos crentes fiéis, portanto preservação não nas Bíblias do Texto Crítico (só se infiltraram entre "protestantes" após 1881), mas nas Bíblias fielmente traduzidas por equivalência formal a partir do Textus Receptus, e o Pr. AAAA {*} sempre tratou o assunto com total desdém, o que me deixou muito triste, quase deprimido. O desvio dele em Bibliologia não é um escorregão involuntário, ocasional e temporário, mas é constante, profundamente enraizado, renitente, impermeável à mais amorosa e paciente instrução (tenho visto a mesma coisa em quase todos os pastores que conheci e que vieram do seminário CCCC), por isso que o exponho aqui, como indício de um grave erro que parece estar cada década se enraizando mais nos nossos meios. Acredito que ele não seja um fingidor, portanto se orgulhará de sua posição ser tornada pública, ficará muito alegre com isso, não ficará com nenhuma raiva de mim, não tentará nenhuma vingança, pelo contrário, me agradecerá. Por outro lado, dou-lhe a liberdade de, se quiser, também me denunciar por eu considerar uma honra ser dito que eu creio literalmente em toda a Bíblia do TR, creio que Jo 5:1-16 é a pura Palavra inspirada por Deus, portanto é a pura verdade que um anjo de vez em quando agitava as águas do tanque de Betesda e a primeira pessoa que lá entrasse era curada de qualquer enfermidade que tivesse.
Hélio de Menezes Silva

 

 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): Negação da mais absolutamente perfeita inspiração e mais absolutamente perfeita preservação (providencial, por Deus) infalível e inerrável de cada traço de cada letra de cada palavra da Bíblia (o Texto Tradicional), de Gênesis a Apocalipse, em todo e qualquer assunto devendo ser cada palavra da Bíblia ser crida literalmente (claro, respeitados os contextos e as dispensações)

Data do Fato: Cerca de 2004

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: IBR na Paraíba

Perpetrante do Fato: Pr AAAA {*}

Denunciante: Hélio de Menezes Silva

Data da Denúncia: Nov.2007

Observação: {*} Sei que eu devia dar os nomes completos de todas as igrejas, seminários, missões, outras organizações, etc., e os nomes completos de todas as pessoas denunciadas. Mas sou tão entranhavelmente afeiçoado e devedor de favor e de amor a muitos dos denunciados, que já foram achegados amigos pessoais meus e da minha esposa e filhos, durante muitos anos, que me dói muito o coração para citar todos os nomes dos denunciados (com provas incontornáveis), e eu começo a entender porque Davi foi tão fraco e não quis fazer justiça e mandar apedrejar seu filho Absalão, etc. Por favor perdoem-me a fraqueza de esconder muitos dos nomes e endereços. Espero que somente AAAA, lendo, entenda (e, finalmente, se arrependa e volte à fé e prática ideais que encontramos na Bíblia).

 

Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares (GARBC) - De Separação para Inclusivismo

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares (GARBC)
- De Separação para Inclusivismo



Título em inglês: General Association of Regular Baptist Churches (G.A.R.B.C.) - From Separation to Inclusivism

-  A Bíblia ensina que temos que testar todos os ensinamentos (1Jo 4:1,6), expor aqueles que são falsos (Efé 5:11), confrontar e repreender seus falsos mestres  (Tit 1:9,13), e nos separar daquelas pessoas que persistirem nos falsos ensinos (Rom 16:17; Tit 3:10), para que, ao final, não sejamos desqualificados para o servir [[a Deus]]  (2Ti 2:20,21), ou, pior ainda, sermos identificados com os falsos ensinos e mesmo com seus falsos mestres (2Jo 10,11). Mas a G.A.R.B.C. [["General Association of Regular Baptist Churches", traduzível por "Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares"]], ao invés de separar-se, tem escolhido identificar a si mesma com uma vasta gama de falsos ensinos e falsos mestres.

   1 Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo. 6 Nós somos de Deus; aquele que conhece a Deus ouve-nos; aquele que não é de Deus não nos ouve. Nisto conhecemos nós o espírito da verdade e o espírito do erro. (1 João 4:1,6)
   E não comuniqueis com as obras infrutuosas das trevas, mas antes condenai-as. (Efésios 5:11)
   9 Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. 13 Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé. (Tito 1:9,13)
   E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. (Romanos 16:17)
   Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, (Tito 3:10)
   20 Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. 21 De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra. (2 Timóteo 2:20-21)
   10 Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. 11 Porque quem o saúda tem parte nas suas más obras. (2 João 1:10-11)

 

- G.A.R.B.C. (GARBC) foi organizada em 1932, depois de ter sido previamente conhecida como o ramo "radical e separatista" da Baptist Bible Union, a qual fora organizada em 1923 como parte de uma organização que tinha se separado da liberal Northern Baptist Convention [[Convenção Batista do Norte]] (depois renomeada como American Baptist Churches, nos Estados Unidos da América). GARBC começou a dar sustento a missões batistas em 1935; o Conselho dos Dezoito  foi instituído em 1938 para coordenar os assuntos da Associação; a aprovação oficial de seminários teológicos começou em 1940; e a Regular Baptist Press (Imprensa Batista Regular) foi criada em 1951. Em 1990 haviam aproximadamente 1.600 igrejas afiliadas à GARBC, mas, devido aos abandonos da associação, este número tem sido reduzido, de modo que, na primeira metade do ano 2000, era de 1.406. Há aproximadamente 200.000 membros em 1.400 igrejas [[da GARBC]] em 44 estados [[dos USA]] e no Canadá (dados obtidos no site oficial da GARBC na Internet, referentes a Outubro/2000).

GARBC foi formada como uma entidade firmemente separatista e fundamentalista -- Um historiador da GARBC [bem] declarou que ela foi fundada "para prover um refúgio militante e aguerrido, enfaticamente missionário e biblicamente separado, para o fundamentalismo”. Portanto, se não tivesse havido uma disposição e desejo para obedecer a Deus quanto à questão da separação bíblica, não teria havido razão nem justificativa para a existência de GARBC. De fato, na Declaração Doutrinária da GARBC, como também em um bom número de seus Itens de Literatura "oficiais" (especialmente nos itens números 1, 2, 6, 10, 12 e 13), a sua posição de separação, posição histórica e já de longas datas, é clara e completamente bíblica. [No entanto, na Reunião Anual da GARBC em 1987, em Anaheim, quase como no [[programa de TV]] "Believe It or Not" [["Acredite se Quiser"]], de Ripley, o Conselho dos Dezoito rejeitou (por uma margem de 2 para 1) uma moção de formalizar seus próprios 15 diferentes Itens de Literatura como a "posição oficial" da GARBC. O Conselho até mesmo recusou reconhecer os Itens de Literatura como "comentários acurados" da GARBC! Todos os francos e sinceros separatistas foram também derrotados pelo Conselho na eleição daquele ano].



- Dr. Paul N. Tassell tem sido altamente respeitado na GARBC. Em 1979, foi selecionado para ser seu novo Representante Nacional; chegou com uma imagem de um duro defensor de separação secundária. Quando falou na Conferência da GARBC em Dayton, Ohio, reclamou que há fundamentalistas, hoje, que se envergonham da posição separatista da GARBC. Ele os chamou de "fundamentalistas oportunistas, por conveniência", porque não querem se envolver na luta pela fé. Tassell continuou a criticá-los como fundamentalistas irresponsáveis que convidariam para seus púlpitos qualquer pessoa que sentissem o desejo de convidar, mesmo se fosse o papa:

"O que você faz como um pastor, o que você faz como um reitor de seminário, o que você faz como um executivo de agência missionária, afeta toda a causa fundamentalista. Quem você convida para falar em sua plataforma diz muito sobre a seriedade de sua dedicação à separação bíblica. Devemos ser fundamentalistas que compreendemos  nossas responsabilidades por toda a causa da separação escritural da apostasia e dos contemporizadores [[neo-]] evangélicos. Esta é uma questão de integridade bíblica. Sejamos fundamentalistas obedientes”.

Em 1983, Tassell até mesmo foi o autor de um livro, Pathways to Power [[Veredas Tortuosas para o Poder]], onde declara na página 57: "Temos que permanecer fiéis à posição separatista [da GARBC]. Temos que claramente entender e nos determinar a defender aquele sagrado propósito da Escritura”.

Todavia, enquanto veio a servir como Representante Nacional da GARBC, este mesmo homem passou a defender o Seminário Cedarville (do qual era um Curador Fiscal) quando tal seminário convida oradores contemporizadores e tem um currículo de psicologia que é tão medonhamente sem Deus que rivaliza com aqueles currículos de seminários seculares! Ainda mais inacreditável, em 1986, na Conferência da GARBC em Grand Rapids, Michigan, Dr. Tassell tornou-se o primeiro Representante Nacional na história da GARBC a repreender as igrejas da GARBC que praticavam demasiada separação! Ele suplicou por menos separação e que os Batistas Regulares cessassem de criticar outros movimentos e organizações. Disse que organizações como o Instituto Bíblico Moody e Palavra da Vida devem ser mais apreciados e não criticados. Disse que vê o propósito da existência da GARBC como principalmente "comunhão e ministério". Enquanto Tassell alegava que desejava que a GARBC fosse separada da apostasia e infidelidade, ele não mais advertia contra o neo-evangelicalismo. Esta é precisamente a área da mudança dele e da GARBC. Ambos não mais pensam de separação bíblica como incluindo separação de irmãos desobedientes (cf. Rom 16:17; Tit 3:10; 2Tes 3:6,14,15; 2Jo 10,11). Além disso, a posição de ambos [[Tassell e GARBC]] sobre separação bíblica tem mudado tanto que GARBC está, agora, se separando daqueles que criticam suas contemporizações. [[E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. (Romanos 16:17). Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, (Tito 3:10). Mandamo-vos, porém, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que vos aparteis de todo o irmão que anda desordenadamente, e não segundo a tradição que de nós recebeu. (2 Tessalonicenses. 3:6). 4  Mas, se alguém não obedecer à nossa palavra por esta carta, notai o tal, e não vos mistureis com ele, para que se envergonhe. 15  Todavia não o tenhais como inimigo, mas admoestai-o como irmão. (2 Tessalonicenses. 3:14-15). Se alguém vem ter convosco, e não traz esta doutrina, não o recebais em casa, nem tampouco o saudeis. (2 João 1:10)]].

Tassell declarou oficialmente sua nova posição anti-separatista numa reunião privada em 25/Jun/90, imediatamente antes da Conferência de Niagara Falls, quando um grupo de pastores requereu do Conselho dos Dezoito uma reunião para que este esclarecesse seu posicionamento. Tassell publicamente declarou, ante todo o grupo (aproximadamente 100 pastores), que tinha mudado sua posição. Admitiu que, em 1985, chegou à conclusão de que estava cansado de "meticulosamente esfregar e lavar as mãos preparando-se para realizar cirurgias" (usando a analogia do Dr. Paul R. Jackson, que comparava a separação eclesiástica com a esterilização de seus instrumentos de cirurgia e de suas mãos, antes de fazer cirurgias). Tassell tinha mudado seu ponto de vista sobre separação! Não mais desejava praticar separação. Ao contrário, queria "chegar à cirurgia”, a qual é a pregação do Evangelho. Separação Bíblica obstaculava o caminho. O limitava e perturbava. Ele propositadamente desprezou o fato que o sucesso em "cirurgias" depende do "meticulosamente esfregar e lavar as mãos". (Adaptado, em parte, de “What Happened to the  GARBC at Niagara Falls?”, pp. 18-19, 22-25.) [Tassell renunciou ao cargo de Representante Nacional em fins de 1994, por razões de saúde; seu sucessor, Dr. Richard Christen, um não-separatista, renunciou em Jul/95, após somente um mês em exercício, porque "não tinha paz sobre o assunto". O atual Representante Nacional é John Greening].



- Em anos recentes, os exemplos de inclusivismo praticado pela GARBC com relação ao modernismo e ao neo-evangelicalismo, que é mais ou menos sua contraparte contemporânea, têm se tornado uma legião. Uma tal indicação da corrida das igrejas da GARBC em direção ao neo-evangelicalismo seria o Ladies' Fall Seminar, patrocinado pela GARBC e realizado em uma igreja membro da GARBC, em Indianópolis, em novembro de 1989 (sob os auspícios de sua Indiana Fellowship of Regular Baptist Churches [IFRBC]). A preletora principal (que trouxe três mensagens) foi a Senhora Doris Jennings, administradora de uma escola secundária cristã e professora dos neo-evangélicos Seminário e Universidade Tennessee Temple (onde seu esposo, Dr. J. Don Jennings, era então reitor). A aceitação geral à Senhora Jennings e a seus ensinos de conceitos psicológicos freudianos, suas referências favoráveis às técnicas e conceitos religiosos orientais, sua aparente rendição ao falso evangelho de amar a si mesmo / auto-estima, e seu encorajamento ao uso de várias técnicas ocultistas (por exemplo, terapia de falar a si próprio e de visualização) foram deploráveis.

Os workshops do Seminário [[também chamados de oficinas, que são sessões de intercâmbio de experiências eminentemente práticas]] não foram muito melhores -- uma preletora de um dos workshops foi tão longe quanto observar que nenhum pastor pode entender os problemas da mulher, portanto mulheres "sob sofrimento" devem ser encaminhadas a uma boa psicóloga cristã! Quando a liderança da IFRBC foi questionada sobre a razão da escolha da Senhora Jennings como conferencista de um seminário da IFRBC, a gaiata e irreverente resposta foi: "Não há como controlar todas as coisas que são ditas; além do mais, o último preletor perfeito [Jesus Cristo] viveu 2.000 anos atrás". Além disso, a edição seguinte do suplemento do boletim mensal da IFRBC para suas igrejas, The Hoosier Baptist, ao invés de pedir perdão por ter programado e permitido à Senhora Jennings falar, fez o comentário que "todos se sentiram muito satisfeitos".



- Em fevereiro de 1991 a revista mensal da GARBC, The Baptist Bulletin, recusou colocar um anúncio de um livro (Prophets of PsychoHeresy II) (que criticava os ensinamentos daquele que é, hoje, um dos mais populares proponentes do evangelho psicológico, Dr. James C. Dobson), declarando que The Baptist Bulletin não aceita anúncios de "livros sobre assuntos controversos ... a não ser que se refiram a assuntos doutrinários” onde tomem a declaração doutrinária [[da GARBC]] como bússola, mas, ao contrário, "o propósito da revista é servir nossos constituintes através de refletir os ministérios de  nossas editoras, escolas e agências". (Não é o evangelho psicológico um "assunto doutrinário"? E o evangelho psicológico não cairia no campo do modernismo do qual a GARBC exige separação? Alguém tem que perguntar: "Como pode ser esperado que os membros [[das igrejas]] da GARBC se separem de algo de que nunca foram avisados?")

Novamente, em fins de 1996, The Baptist Bulletin (da GARBC) recusou um outro anúncio de Bobgan, desta vez para o livro Competent to Minister: The Biblical Care of Souls. Vernon Miller, o Editor Executivo do The Baptist Bulletin naquele tempo, escreveu: "Estamos devolvendo seu cheque em vista de nosso plano de não nos envolvermos na promoção de material relacionado com a controvérsia sobre aconselhamento". Miller também crê que colocar um anúncio para o livro em foco "poderia ser compreendido como uma aprovação de seus outros escritos".



- Guardadores Das Promessas [[GP]] é o gigantesco, novo (1991) "movimento [[só]] de homens" entre os que professam ser cristãos evangélicos. Até o cerne, as raízes do movimento são católica e carismática. A afirmação contraditória dos GP quanto o homossexualismo; sua promoção da psicologia secular; sua antibíblica femininização dos homens; sua descrição de Jesus como um "messias fálico" tentado a realizar atos homossexuais; e seus ensinamentos ecumênicos e antibíblicos, deviam dissuadir qualquer verdadeiro crente de participar [[do movimento]]. Os Guardadores das Promessas estão provando ser um dos movimentos mais afastados de Deus e um dos mais desviadores movimentos dos anais da história da Cristandade. Todavia, alguns na GARBC são ativos promotores deste ecumênico, carismático, e psicologizado movimento [[só]] de homens.
Por exemplo, a enorme Blackhawk Baptist Church, igreja da GARBC em Ft. Wayne, Indiana, realizou um "Seminário sobre Liderança", do Ministério dos Homens Guardadores das Promessas, em 28-29/Out/94; o pastor da igreja escreveu uma carta para a BDM [[Biblical Discernment Ministries]], na qual fortemente apoiou os Guardadores das Promessas, e sua missão. O Baptist Bulletin, que é o "órgão oficial da GARBC", também tem que ser um apoiador dos Guardadores das Promessas, como é evidenciado por se recusar a aceitar um anúncio pago de PsychoHeresy Awareness Ministries (Ministério de Alerta Contra Heresias na Psicologia); Dr. Vernon Miller, editor executivo do The Baptist Bulletin, pessoalmente rejeitou um anúncio do "Pacote de Alerta Contra os Guardadores das Promessas", de Bobgan, do PsychoHeresy Warning Ministries. É irônico que uma organização que professa ser de crentes e que se considera conservadora, desça ao ponto de temer publicar um anúncio que adverte contra um movimento ecumênico e psicológico como o dos Guardadores das Promessas.



- Por muitos anos, pastores têm escrito para o Conselho dos Dezoito e para o Representante Nacional, objetando contra algumas das músicas que seminários aprovados pela GARBC apresentaram nas suas conferências anuais. Um número de igrejas tem até mesmo se retirado da GARBC em protesto contra o tipo de música oferecida naquelas plataformas. Reconhecendo esta preocupação, em 1978 o Conselho dos Dezoito enviou uma carta para os reitores dos seminários aprovados e para seus chefes do departamento de música, exigindo que não mais apresentassem, nas conferências, músicas contrárias às convicções e pontos de vista doutrinários da GARBC; isto é, nenhuma música que solicite balanço do corpo, nenhum cantor tipo “croonie” de boate, nenhuma roupa sensual. Entretanto, em dezembro de 1984 foi novamente discutido o tipo de música para conferências, e o Conselho deu uma reviravolta de 180 graus, agora declarando que o estilo e palavras da música são meros casos de preferência, e até mesmo sugerindo que não há conexão entre a escolha de música e as crenças teológicas da GARBC! Uma moção para reeditar uma versão atualizada da carta de 1978 foi derrotada. (Relatado em “What Happened to the GARBC at Niagara Falls?”, pp. 15-17.) [Tem sido reportado que, nas conferências anuais da GARBC, não mais há um "dirigente dos cânticos" [[no conceito tradicional]], mas, ao invés disso, há um "líder de adoração" [[no conceito moderninho]] que senta sobre a plataforma, pula e procura agradar o povo. São usadas batidas de palmas, música enlatada [[previamente gravada]] (mesmo o rock), e até sintetizadores  ("New Evangelicalism in the GARBC", artigo de capa de OBF Visitor, Dez/95, p. 5).]



- O braço publicador oficial da GARBC, a Regular Baptist Press, publicou um manual para os professores de escola dominical dos jovens "sênior high" [[ensino médio, entre 14 e 17 anos]], intitulado Surviving Our Society (Volume 40, Número 2, 1991). O manual inclui problemas sociais tais como pobreza, gravidez de adolescentes, homossexualismo, aborto, AIDS e suicídio. Na lição sobre homossexualismo, na seção “Objetivos” (p. 70), encontramos o seguinte:

"Introdução -- consiga que os alunos se ponham a pensar sobre homossexualismo na Bíblia... Conclusão -- dê aos alunos a oportunidade de estabelecerem  seus [[próprios]] pontos de vista sobre o homossexualismo". (ênfase acrescentada.).

E, para a conclusão (p. 71), o professor é orientado: "Encoraje os alunos a evitarem a homofobia"!! Também a lição sobre a AIDS sugere deixar os jovens alunos "representarem papéis da vida real", os dos discípulos de Jesus ao encontrarem um leproso. (Relatado no Calvary Contender de 1/Mar/92.). Isto, para nós, soa como uma "clarificação de valores" [[termo carregado de contemporização e de relativismo]] e uma contemporização com o ponto de vista do mundo sobre um assunto de que Deus fala tão especificamente, em Sua Palavra. [Há também, no manual (pp. 17-22), uma lição sobre "Famílias Que Não Funcionam" e ela reproduz, como um papagaio, a Nova Era e a baboseira psicológica freudiana, ao discutir tópicos tais como co-dependência / programa em 12 passos, auto-estima, abuso, lembranças (enterradas) da infância, etc.].



- O catálogo da Regular Baptist Press de 1993 tem um livro de Sherwood Wirt, I Don't Know What Old Is, But Old Is Older Than Me. Wirt é editor-emérito da revista Decision, de Billy Graham. Wirt cita, com aprovação, liberais, neo-ortodoxos, etc., tais como Soren Kierkegaard, John Mott, C.S. Lewis, J.B. Phillips e John Stott, sem nenhuma palavra de advertência contra eles. Wirt diz de Graham: "Billy Graham ... está dando um exemplo para os idosos em qualquer lugar. ... Ele ainda [está] ganhando almas, no magnífico ministério que Deus lhe deu e que engloba o mundo inteiro. Que homem!" (p. 144). Este não é senão um outro exemplo do porquê também não mais podemos confiar na Regular Baptist Press da GARBC  (Tia 3:11). [[Porventura deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa?]].

 

- Seminários bíblicos e universidades, agências missionárias e agências de serviços sociais com os quais a GARBC se afiliou ou que patrocinou, sustentou, aprovou e/ou trabalhou em cooperação, produzem outros excelentes exemplos de quão longe tem a GARBC se desviado de sua original aderência aos princípios de separação bíblica # [Parte do problema é que é permitido que o pessoal assalariado das agências missionárias e escolas, aprovadas, sirva (e, desse modo, vote) no governante Conselho dos Dezoito da GARBC, que tem poder de aprovação sobre as mesmas agências e escolas; assim, ao invés de igrejas locais liderarem e controlarem a GARBC, na realidade são as agências e escolas que efetivamente o fazem! (historicamente, menos do que um terço dos membros do Conselho dos Dezoito vem, puramente, como representantes de igrejas). As agências missionárias e escolas, aprovadas, controlam o mesmo Conselho que as aprova, como no “provérbio da raposa que guarda o galinheiro!” Este óbvio conflito de interesses nunca seria permitido em organizações seculares. A GARBC tem, desse modo, se tornado uma associação de agências missionárias e escolas, ao invés de uma associação de igrejas. (Num esforço para corrigir este óbvio conflito de interesses, uma emenda foi colocada na agenda do Encontro Nacional Anual da GARBC, em Junho de 1990 – “Nenhum empregado assalariado das agências e escolas, aprovadas, servirá no Conselho do Dezoito” – mas ela não conseguiu receber os dois terços dos votos necessários, assim sendo removida toda a esperança das igrejas jamais recuperarem o controle)]:

[# Os mensageiros da GARBC, na Conferência Nacional de Junho de 2000 em Ames, Iowa, votaram para substituir seu Sistema de Aprovação por uma “estratégia de parceria e de trabalho em rede.” Agora, será interessante ver o que poderá acontecer de significativo referente à contemporização neo-evangélica em Cedarville, em Grand Rapids, na ABWE, etc. Em outras palavras: Será “trabalho em rede” de mãos dadas com o neo-evangelicalismo, 1 milímetro mais bíblico do que “sistema de aprovação”? Estará, agora, a liderança da GARBC (seu Representante Nacional e seu Conselho dos Dezoito) mais inclinada a se posicionar como separatista, e terão as igrejas uma voz mais forte? Não prenda seu fôlego esperando por tal coisa].

 


  
(a) Viggo Olsen, missionário da ABWE (Association of Baptists for World Evangelism, Associação dos Batistas para o Evangelismo Mundial) para Bangladesh e autor de “Daktar I” e de “Daktar II”, admite cooperar com muitas organizações neo-evangélicas (MBI, Wheaton, BIOLA, Trinity College, Radio Bible Class e Christianity Today), e com grupos ecumênicos (M.A.P., conferências de estudantes da Intervarsity Christian Fellowship, em Urbana), como também com grupos liberais e apóstatas (Missão Christoffel Blinden, Conselho Nacional de Igrejas de Bangladesh, Católicos Romanos, Nações Unidas, etc.), tudo isto sem uma palavra de protesto quer da ABWE bem como da GARBC.

   (b) Um ex-líder da ABWE perdeu seu emprego por falar contra a influência sobre as agências missionárias aprovadas pela GARBC, vindas da contemporizadora NAE (National Association of Evangelicals).

   (c) ABWE, por anos, também tem trabalhado achegadamente em conjunto com a organização neo-evangélica, Samaritan Purse, em Bangladesh. Samaritan Purse é encabeçada pelo filho de Billy Graham, Franklin Graham.

   (d) O missionário da ABWE, Dr. David Bennett, depois de formalmente pedir demissão como um missionário da ABWE para a Austrália (14 anos de fidelidade no trabalho), foi, ao invés, retroativamente, demitido pela ABWE, por “insubordinação”. [Bennett tinha, previamente, escrito uma carta de demissão declarando como suas razões: (a) A ABWE falhar em praticar sua regra de indigenização [[que procura fazer com que cada igreja seja independente]] na Austrália, e (b) O enfraquecimento da ABWE na prática da separação bíblica]. Bennett nunca recebeu nenhuma explicação quanto aos tempos, datas, lugares ou categorias de sua alegada “insubordinação”; ademais, a ABWE recusou pagar a Bennett os fundos que restavam em sua conta e a indenização pela expulsão que tinha ganhado. (Relatado em Julho-Agosto de 1993, no News Report de Bible For Today.)

   (e) O presidente da ABWE Dr. Wendell Kempton, numa palestra para “a família ABWE”, em 1996, praticou tiro ao alvo contra os fundamentalistas, taxando-os de “fanáticos zelotas”, “gangs” e “esquadrões swat [[de caça e destruição dos inimigos]]” e os acusou de “abuso e crítica espezinhadora”. Ele listou sete versículos, incluindo “Quem és tu, ó homem que julgas o servo alheio?” [[Rom 14:4]] e “Por que julgas a teu irmão?” [[Rom 14:10]] [Distorcer estes versículos para silenciar expositores de “adultério espiritual” e/ou para contemporização em relação a um irmão [[pseudo]] “fundamentalista”, é errado, e é o mesmo que distorcer estes versículos de modo a se ignorar o pecado do adultério físico ou da embriagues alcoólica de um irmão andando no erro e no pecado. Devemos “julgar a reta justiça” (João 7:24). É notório que faltam da lista de Kempton versículos (por exemplo 2Tim 3:6,14-15) que ordenam afastarmo-nos dos novos evangélicos contemporizadores com os quais a ABWE se consocia] (15/Abr/96, Calvary Contender). [[6 Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; ...14  Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, 15 E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus]].

   (f) Grand Rapids Bible College/Seminary colocou, no Moody Monthly de Abr/91, um anúncio para seleção de candidatos para preencher o cargo de Reitor [[que havia vagado]], mas nenhuma vez o anúncio mencionou as palavras “fundamentalista” ou “separatista”, quer em identificar a faculdade ou ao listar as “qualificações desejáveis” para um reitor. Eventualmente, foi contratado o Dr. Rex Rogersn, cuja educação é nas assim chamadas ciências sócio/políticas e em administração, mas NÃO em Teologia/Bíblia! [Dr. Rogers (nascido em 1951 -- 6 anos em Cedarville, seguidos por 3 anos no King's College: Bacharel em Ciências, em Cedarville; Mestre em Ciências Políticas pela Universidade do Arizona; Doutor em Ciências Políticas pela Universidade de Cinn.), declarou ao ser contratado: “Eu gostaria de estabelecer a sua reputação [de GRBC&S’s] como uma sólida instituição acadêmica. Esta não mais é uma faculdade Bíblica, e não pretendemos que o seja” (The Grand Rapids Press, Ago/91). [Rogers, em 13/Mar/92, em uma apresentação para o Quadro [de mantenedores da] GRBC&S's, recomendou um “Novo Nicho” para: “Alargar o corpo de constituintes, quer estudantes ou mantenedores, de modo a incluírem todos os evangélicos conservadores, eliminar vestígios de ‘atitude anti [[alguma qualquer coisa]]’, de ‘negativismo’, de afastamento e isolação; ... desenfatizar muralhas denominacionais; desenvolver um modelo [[como os]] do Instituto Bíblico Moody ou da Palavra da Vida ...”. Fiel à sua palavra, o nome da faculdade foi mudado para Cornerstone College, em Mar/94].

   (g) O departamento de drama do Grand Rapids Bible College/Seminary apresentou uma produção em 21-23 de novembro de 1991, intitulada “The Beams are Creaking”, uma peça de Douglas Anderson, exaltando as “virtudes” de Dietrich Bonhoeffer. Ao invés, o departamento teológico da GRBC&S devia ter apoiado uma conferência desmascarando Bonhoeffer. (Bonhoeffer era um neo-ortodoxo, um apóstata que praticamente negou ou questionou cada principal doutrina da histórica fé cristã! Ele foi também um dos pais da teologia da “Morte de Deus”).

    (h) Grand Rapids Bible College/Seminary teve o professor da Wheaton College, Arthur Holmes (neo-evangélico, na melhor das hipóteses) como palestrante de uma série de palestras, e clama ter um “relacionamento como mentor” com o Calvin College (apóstata?), onde alguns professores têm abertamente endossado teorias evolucionistas. (Para maiores informações sobre as muitas contemporizações do GRBC&S, veja o artigo de 17 páginas de comprimento sobre este assunto, do Dr. Don Jasmin, em Fundamentalist Digest's).

   (i) Grand Rapids Baptist Seminary colocou um anúncio de página inteira na edição de 20/May/96 de Christianity Today (a principal revista do Novo Evangelicalismo), para uma conferência em Ministério e Visão Mundial, a ocorrer em 17-18/May/96. O anúncio listou Thomas Oden, Richard Middleton, e Brian Walsh como “facilitadores [[para aprendizagem]]”. Oden é Professor de Teologia e Ética na Universidade de Drew, uma escola Metodista liberal, e é um Editor Contribuinte do Christianity Today. Ele favorece ordenação feminina e é muito ecumênico (Christian News, 6/May/96). Walsh também tem usado termos neo-ortodoxos para deplorar a “teologia proposicional” (isto é, a inerrância verbal, etc.), e Middleton disse: “Mesmo a verdade do evangelho ... é uma construção humana” (1/Jul/95, Calvary Contender). Middleton e Walsh rejeitam qualquer identificação da Escritura como revelação (1/Jun/96, Calvary Contender).

   (j) Cornerstone College e Grand Rapids Seminary contrataram o psicólogo ecumênico Warren Wiersbe como Escritor-Residente e como Destacado Professor de Pregação, respectivamente. Ele foi contratado para ensinar no programa de Doutorado em Ministério, do Seminário, para discursar na conferência Bíblica anual, para periodicamente dar palestras nas “conferências de um só dia” do Ministério de Enriquecimento da Renovação, e para participar de outras oportunidades educacionais à medida que se tornarem disponíveis” (Baptist Bulletin de May/95). [Preletores da 37a Conferência Bíblica Anual no Cornerstone College (realizada em 19-23/Fev/96) incluíram Warren Wiersbe juntamente com os psicologizadores neo-evangélicos Joseph Stowell, Ed Dobson, e Knute Larson. (Larson escarneceu dos fundamentalistas em um discurso na NAE [[National Association of Evangelicals]], em Mar/94)].

   (k) Cornerstone College novamente patrocinou o Project Angel Tree (PAT), para crianças, durante o período de Natal, em Dez/95. O PAT é chefiado pelo cantor da CCM [[Música Cristã Contemporânea]] Steven Curtis Chapman, e é um ministério da “Comunhão da Prisão”, de Chuck Colson, que promove o Catolicismo (Calvary Contender , 1/Fev/96). (Chapman adota o “rock de alta energia” e mistura músicas country, pop jazz, e soul, com elementos de rap). A edição de Jul/95 do Something Better News, uma publicação religiosa baseada no sudoeste de Michigan, contém um extenso anúncio de Cornerstone College. O anúncio para o “Programa de Conclusão do Grau Como Adulto” não continha uma única palavra em nenhum lugar, ou mesmo uma dica ou alusão, de que a faculdade pretensamente era uma instituição cristã. Dadas às tendências seculares em Cornerstone, não foi surpresa se ler, no Baptist Bulletin de Jul/95, que o quadro de professores da faculdade tinha acabado de aprovar uma nova especialidade de graduação em "administração de esportes". A nova especialidade de graduação supostamente "irá equipar estudantes para trabalharem como gerentes de organizações promotoras de saúde, de aptidão física, e de esportes” (p.30). (Relatado no Fundamentalist Digest , em 8/Jul/95)

    (l) Western Baptist College (Salem, OR) tem incluído membros da altamente inclusivista e neo-evangélica Conservative Baptist Association [[CBA]] no seu Quadro de Curadores e no seu corpo de professores; quando um outro membro da CBA foi adicionado ao Quadro, em fins de 1990, o Conselho governante da GARBC ainda aprovou a escola, sem nenhuma confrontação e com votação unânime! Na Reunião Anual da GARBC em 1991, seu então Representante Nacional, Paul Tassell, fez a incrível alegação de que os homens da CBA no Quadro da Western eram "fundamentalistas" e "separatistas". A CBA foi também aceita como membro na neo-evangélica NAE [[Associação Nacional de Evangélicos]], em 1992. No Encontro Anual da GARBC em 1993, o Conselho governante novamente recusou uma sugestão [por um mensageiro ou representante] para eliminar da Western os membros de seu Quadro e seus professores, que fossem da CBA.

   (m) As três maiores faculdades Bíblicas aprovadas pela GARBC (Baptist Bible College e Seminary of Pennsylvania; Cedarville College [Ohio]; e Cornerstone College e Grand Rapids Baptist Seminary) freqüentemente programam palestrantes neo-evangélicos/não-separatistas para eventos especiais [por exemplo, o esquerdista ecumênico Dr. Vernon Grounds discursou nas conferências do Cedarville College em 25-27/Set/92. Grounds é Reitor Emérito do Denver Seminary (da CBA [[Conservative Baptist Association]]), é presidente da ala esquerda da Evangelicals for Social Action], e faz um vasto número de ofertas de cursos em campos de estudo anti-cristãos (por exemplo Psicologia, Sociologia, etc.). Em 1994, uma "equipe do recesso da primavera” de Cedarville College ajudou a construir um abrigo para órfãos no México, com o ecumênico, apóstata Habitat for Humanity. (Veja a próxima seção.)

   (n) Baptist Children's Home and Family Ministries, uma agência aprovada da GARBC, prontamente coopera com agências seculares e supre o conselho “cristão” que é (aparte da terminologia cristianizada) virtualmente indistinguível da variedade secular/psicológica.

   (o) Baptists For Life é uma agência, aprovada pela GARBC, de ativismo social pró-vida [[antiaborto]], de aconselhamento para a crise da gravidez, e é uma agência de recomendação [[para empregos]]; ainda, suas metodologias de conselho pré e pós-aborto são, virtualmente, indistinguíveis dos mesmos métodos e técnicas humanísticas e psicológicas usadas pelas igrejas não filiadas às organizações pró-vida.



- Habitat for Humanity, uma organização religiosa internacional baseada em Maericus, Georgia, descreve a si mesma como um ministério cristão ecumênico que se dedica à eliminação de mocambos miseráveis da face da terra, “e seus fundadores declaram que sua teologia do martelo construtor põe juntas uma inacreditável coleção de pessoas – pessoas que discordam em toda sorte de coisas, tanto políticas quanto teológicas, mas que podem, todos, concordar quanto o usarem conjuntamente um martelo, o instrumento de Jesus o carpinteiro”.

Habitat for Humanity, nos seus quadro oficial internacional de diretores e quadro de conselheiros, tem líderes de todas as sombras da cristandade, incluindo a Igreja Batista Americana, Igreja Unida de Cristo, Igreja do Sul, Igreja Católica Romana, Igreja Metodista Unida, Adventistas do Sétimo Dia, Igreja Episcopal, e a Igreja Universalista Unitariana. Destas denominações apóstatas - ecumênicas representadas nestes quadros são radicais tais como Anthony Campolo, dos Batistas Americanos; Robert Bracher, dos Batistas do Sul (conhecido por sua tradução de “Good News for Modern Man” [[Bíblia na Linguagem de Hoje]], a qual retirou da expiação o sangue de Cristo; Amy Grant, do hall de fama da Contemporary Christian Music; e os políticos liberais Jimmy Carter e Andrew Young.

Cooperando com o Habitat for Humanity está o Cedarville College, uma faculdade aprovada pela GARBC e que, em 1994, enviou uma equipe de estudantes durante o recesso da primavera, para cooperar e ajudar a construir uma sede para Habitat for Humanity, no México.



- A seguinte resolução foi aprovada pela Ohio Bible Fellowship (OBF) em 8/Jan/88, concernente Cedarville College em Cedarville, Ohio, que é aprovado e sustentado pela GARBC. Informamos isto, aqui, porque amplamente detalha a contemporização em uma proeminente escola aprovada pela GARBC:

 

 


 

CONSIDERANDO QUE:

.
Cedarville College (CC) é convenientemente localizada para estudantes em potencial, provenientes das igrejas da OBF, e desfruta de uma reputação de ser uma boa escola Batista com tradição Fundamentalista. (Muitos jovens das igrejas da OBF têm estudado no Cedarville College no passado e o fazem no presente).

. Cedarville College tem tido preletores pseudo-fundamentalistas e neo-evangélicos nos cultos da capela, tais como Warren Wiersbe, Jerry Faliu [Paul Desuna, Reitor do CC, recebeu um grau honorário da Liberta University em 1984], Ed Edson, Tim LaHaye, Jack Wyrtzen, James Custer da Grace Brethren Church in Columbus, e uma multidão de outros contemporizadores, mais Gary Collins, Mart DeHaan, Lehman Strauss, CharlesRyrie e Ron Blue; portanto, o posicionamento do Cedarville College contra o neo-evangelicalismo é, virtualmente, não existente. [Leon Rowland disse aos estudantes que a mensagem de Jesus e da Bíblia foi a de ajudar os pobres e viúvas, e desafiou os jovens a se tornarem socialmente envolvidos em favor dos necessitados].

. Cedarville College é inteiramente comprometido com [e promove] a música cristã contemporânea, como evidenciado pelos espetáculos convidados para o campus, realizados por Sandi Patti, Karla Worley (a solista e vocalista do Bill Gaither Trio e cujos créditos incluíram aparecimentos em programas como “Hour of Power”, de Robert Schüller e “In Touch” de Charles Stanley), e o Jeremiah People [[todos eles com erros doutrinários e de posição opostas ao fundamentalismo]]. Em adição, a livraria do campus inclui [[vende livros, fitas e discos de]] artistas cristãos contemporâneos tais como Evie, Steve Green, Amy Grant, Dino, e Larnelle Harris. Cedarville College continua a cooperar com o governo comunista da China Vermelha, providenciando professores de Inglês para estudantes comunistas na People’s University em Beijing. [Os chineses da China Vermelha, isto é, da China Comunista, não necessitam de professores de inglês, mas o que eles realmente necessitam é de crentes americanos que apóiem uma política americana de relações exteriores que diga que cooperação com comunistas é uma coisa boa].

. Cedarville College participa de um programa que provê aos seus empregados a oportunidade de sustentarem financeiramente a United Way Charities a qual, por sua vez, tem agências afiliadas tais como Catholic Social Services, Lutheran Social Services, YWCA [[espécie de academia de esportes e clube “cristão”, em todas as cidades da América, para mulheres em geral]], e YMCA [[idem, para homens]] [e o Exército da Salvação], declarando que a razão é de "relações públicas." [Ninguém se opõe a ajudar os necessitados, mas por que fazer doações através de um organização imersa em humanismo e em falsa religião?].
. Cedarville College se ajuntou a uma Associação de Faculdades de Artes Liberais, toda elas “… dedicadas à Palavra de Deus, aos valores e objetivos cristãos e à excelência na educação superior”, e esta Associação inclui escolas contemporizadoras tais como Bryan College, Houghton College, LeTourneau College, Moody Bible Institute, Nyack College e Trinity College. [Os oficiais de Cedarville recomendaram GRBS, NWBS e DTS].
RESOLVE-SE: que pastores e igrejas da OBF advirtam os seus membros da contemporização de Cedarville College e fortemente desencorajem os pais de mandarem seus filhos para estudarem em Cedarville. [Cedarville College é uma faculdade de contemporização e pragmatismo. Encorajar um jovem a estudar em Cedarville, é encorajá-lo a contemporizar com o pecado. Um jovem crente estaria muito melhor se fosse para OSU [Ohio State University] do que se fosse para uma faculdade cristã contemporizadora tal como Cedarville. Hedonismo [[que é a procura de prazeres]] escancarado é muito menos perigoso do que cristianismo contemporizador. Ao contrário, nós estamos dando aos nossos jovens beber de uma taça de mundanismo  etiquetado de cristianismo.] (Impresso no Ohio Bible Fellowship Visitor, os comentários entre colchetes são deles).
 

 

- Um dos mais vergonhosos desenvolvimentos no curso descendente da GARBC foi a revelação, alguns anos atrás, de heresia teológica tendo a ver com uma negação do céu literal e de fogo literal no inferno. Em um certo ponto em julho de 1992, um documento herético de sete páginas intitulado “Christian Worldview: Humans and Creation in the Plan of God”, de algum modo escapou para fora da sala de aula do Professor Assistente Michael A. Van Horn, professor do Grand Rapids Baptist College & Seminary (GRBC&S), uma escola apoiada pela GARBC.
Incluídos no artigo de Van Horn estavam declarações tais quais: “Céu é a presença de Deus. Não é uma cidade celestial em algum local na periferia do universo ... é, simplesmente, o próprio Deus – a Sua presença especial.” [Será que esta não é uma visão panteística do terceiro céu?] Em relação à terminologia da Escritura quanto “imagens coloridas de ruas de ouro e portões de pérola,” Van Horn as chamou de “metáforas” que “expressam a beleza e majestade da relação que existirá entre Deus e a humanidade”. Van Horn também escreveu que, em João 13:36-14:6 [[... 1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. 2  Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. 3 E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. ... ]], Cristo estava se referindo à cruz ao invés de ao céu quanto ao local para o qual Ele estava indo – “Jesus não está construindo mansões no céu para Seus seguidores como algum tipo de Carpinteiro Cósmico. ... A preparação por Jesus de um ‘local’ nas propriedades do Pai foi realizada sobre a cruz, não no céu.” Com referência ao inferno, Van Horn declarou: "Estar separado de Deus por toda a eternidade é, meramente, a compreensão da escolha que a pessoa fez de excluir Deus e Sua vontade de sua vida. Isto é que é Inferno. ... toda a quebra de parentesco [com Deus], deliberadamente escolhida durante esta presente era”.

Vinte pastores solicitaram e obtiveram uma reunião com o Presidente de GRBC&S, Dr. Rex Rogers, em 31/Ago/92. Outros funcionários da GRBC&S presentes na reunião incluíram Dr. Ronald Mayers (chefe do departamento de estudos sobre a Bíblia) e professor Michael Van Horn, o acusado. Na reunião, Mayers apoiou Van Horn e classificou aqueles que se agarravam a literais “ruas de ouro” e “portões de pérola” como “materialistas”. Van Horn também repetiu e “tenazmente” defendeu suas heresias concernentes a um céu não literal e sua crença de que o fogo no inferno NÃO era fogo literal. Na reunião, Van Horn também chamou a Bíblia “UMA autoridade” ao invés de “A autoridade”. [No entanto, esta fraca visão de inerrância não é nenhuma novidade para Van Horn. Em uma carta escrita há mais de 15 anos atrás (datada de 28/maio/84), Van Horn declarou: “Alguns de meus mais queridos amigos da GRBC&S não aceitam inerrância e, todavia, têm uma profunda confiança em Jesus Cristo e aceitam a autoridade de Sua Palavra”]. Dr. Rogers também expressou a sua preocupação a respeito da circulação de cartas de pregadores referentes à controvérsia em torno de Van Horn, mas não pareceu preocupado a respeito do material dado aos alunos por Van Horn e que se alegava ser controverso. Isto indicaria que o maior interesse do Reitor da GRBC&S na controvérsia não foi a pureza da instrução das Escrituras, mas sim a promoção da imagem da escola – na melhor da hipóteses, uma prioridade distorcida.
Van Horn depois escreveu uma “correção de artigo anterior”, de 2-1/2 páginas, supostamente para clarificar as suas crenças como ortodoxo (mas ele nunca admitiu ter cometido nenhum erro no artigo original). O que ele fez, efetivamente, foi meramente, [[re-]] afirmar sua prévia posição herética, todavia em palavreado mais atrativo e astucioso. – Van Horn reexpressou sua posição, enquanto ainda se agarrava às suas crenças errôneas fora do Cristianismo histórico e ortodoxo.
Num aparente esforço de acalmar o assunto, o Vice-Reitor acadêmico da GRBC&S, Dr. Robert C. Suggs, em uma carta datada de 18/Set/92, escreveu [Suggs tem diplomas em aconselhamento pela Universidade Estadual de N.Y., e um Bacharelado em filosofia pelo Barrington College. É listado em Quem É Quem Entre Os Negros Americanos. Veio para a GARBC em 1991, do Messiah College, onde ele foi o Diretor dos Funcionários, professor de Psicologia, e Chefe do Departamento de Ciências Comportamentais. Messiah College é uma “Faculdade dos Brethren in Christ” (New Neutralism II)]:
 

"Todos os professores do Departamento de Bíblia, Religião e Ministério da GRBC&S foram pedidos para ler e comentar sobre a versão original de Mr. Van Horn. Em adição aos seus colegas de departamento, entre os professores da faculdade um selecionado grupo de professores de seminário foi também pedido para revisar o seu artigo. O consenso de todos estes professores que leram o documento original foi que não houve nenhuma base sobre a qual se pudesse considerar quaisquer das idéias no documento como de natureza não ortodoxa”. (Ênfase adicionada).
 

É surpreendente que nenhuma sequer das declarações feitas por Van Horn e acima detalhadas pudessem ser vista por aqueles da GRBC&S como sendo “de natureza não ortodoxa”!!! Nem puderam eles vê-las como de algum qualquer modo trazendo ensinamentos antibíblicos, heréticos ou falsos. [Havia outras heresias no documento de Van Horn, todas elas, evidentemente, vistas pelas autoridades da GRBC&S como ortodoxias:

   (1) Ele negou que crentes serão revestidos com um corpo espiritual durante o estado intermediário (cf. 2Co 5:1-4) [[1 Porque sabemos que, se a nossa casa terrestre deste tabernáculo se desfizer, temos de Deus um edifício, uma casa não feita por mãos, eterna, nos céus. 2  E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu; 3  Se, todavia, estando vestidos, não formos achados nus. 4 Porque também nós, os que estamos neste tabernáculo, gememos carregados; não porque queremos ser despidos, mas revestidos, para que o mortal seja absorvido pela vida]];

   (2) havia a idéia neo-evangélica de um mandato cultural o qual enfatiza o conceito de ativismo social e um “evangelho social”; e

   (3) Van Horn via a posição bíblica da tri-unidade do homem (corpo, alma e espírito) como pagão – “Este conceito é totalmente pagão e não bíblico.”]
(Toda a matéria acima foi adaptada de Bible For Today NEWSREPORT (Nov/92, Jul/93 e Ago/93); BFT report #2250 de Nov/92; e Fundamentalist Digest de 10/Set/92)



(No escritório de Van Horn "repousa uma estátua de São Francisco of Assis, o santo católico patrono dos animais. 'Eu o admiro porque ele representa a paz e a harmonia que freqüentemente faltam no cristianismo' ").
 

 

[Resolução [[Sumário]] da Situação de Van Horn: (nascido em 1963 – Mestre em Artes pelo Calvin College; Mestre em Teologia pelo GRBS; candidato a Doutor na área de filosofia e religião, na Universidade de Wales, UK). Na Conferência Anual da GARBC em junho de 1993, em Des Moines, Iowa, o Conselho dos Dezoito recusou retirar o GRBC&S do status de aprovada. Ao invés disso, o Conselho permitiu que o Dr. Rogers fizesse uma apaixonada defesa tanto da faculdade quanto de Michael Van Horn. Adicionalmente, o Conselho dos Dezoito, em um aparente esforço de acobertar e esconder os erros de GRBC&S, sugeriu uma resolução sobre céu e inferno que eliminou a palavra “literal”. Um observador exigiu a palavra “literal” e ela foi colocada, mas o Conselho recusou colocar as palavras “fogo literal no inferno,” porque “muitas das pessoas da nossa comunhão não crêem que o fogo é literal”!! A resolução foi aprovada.

Van Horn pediu demissão de GRBC&S no final do período letivo da primavera de 1993. Disse que estava pedindo demissão "para impedir danos adicionais à reputação da faculdade". Dr. Rogers disse que Van Horn NÃO foi forçado a pedir demissão. Mesmo depois da saída de Van Horn, a faculdade ainda tinha pelo menos um professor que negava um inferno literal. Professor David Turner (Professor de Novo Testamento e de Teologia Sistemática) respondeu em PastorTalk, um grupo de troca de opiniões na Internet, quando foi perguntado a respeito de suas crenças sobre o inferno: "... as descrições que a Bíblia dá a este lugar (o inferno) são metafóricas ... Eu prefiro descrevê-lo como 'real' a descrevê-lo como 'literal' ...".  Ele também disse a mesma coisa sobre o céu no capítulo 9 do livro de Blaising & Bock sobre dispensacionalismo -- "Talvez a ausência de ostras bastante grandes para produzir tais pérolas (um portão de uma cidade) e a ausência de ouro suficiente para pavimentar uma tal cidade ([[se]] tomada como, literalmente, tendo 2400 km de comprimento, como também de largura e de altura) é vista como razão suficiente para não se tomar estas imagens como plenamente literais"].
 

 



- Mais retalhinhos de GRBC&S, provenientes do passado:

   . GRBC teve um novo curso no seu currículo para o ano letivo de 1992-93: "Teologia da Pobreza”;

   . Roy Ringenberg, médico missionário proveniente da neo-evangélica emissora de rádio HCJB, do Equador, foi o palestrante convidado para dar aulas e para pregar na capela no GRBC&S, durante uma "Wellness Week" [[Semana do Bem Estar]] naquele campus, 22-26/Jan/92;

   . Dr. Paul Beals, um professor de GRBC&S, tem servido como presidente da neo-evangélica Evangelical Missiological Society (EMS). Dr. John Lillis, Deão - associado de GRBC&S, foi um palestrante na reunião da EMS regional, que se reúne em conjunção com a Evangelical Theological Society, uma outra organização neo-evangélica (Fundamentalist Digest de 10/Set/92);

   . Campus Herald, [[um jornal]] da GARBC, [[na edição de May/91]] incluiu numerosos artigos fazendo concessões conciliatórias ao homossexualismo e à música rock. Por exemplo, um artigo declarou: "aqueles que sofrem de AIDS são similares aos leprosos dos dias de Cristo [isto soa tal como o panteísmo de Tony Campolo']". Um outro citou com aprovação o cantor Steve Camp, com respeito a "ver Jesus em cada doente de AIDS”;

   . A 35a Conferência Bíblica anual da GARBC, realizada em 21-25/Fev/94, incluiu palestrantes psicologizados tais como Warren Wiersbe, Howard Hendricks, David Burnham, David Jeremiah, e Ed Dobson (Calvary Contender de 15/Ago/91 e 1/Jan/94); e

   . "Walk Through the Bible Ministries", uma organização ecumenicamente orientada, apresentou seminários nas “Semanas para os Alunos do Ensino Médio” do Acampamento Batista de Lake Ann (em Lake Ann, Michigan). Este acampamento pertence às Igrejas Batistas Regulares do estado de Michigan (MARBC-GARBC). "Walk Through the Bible Ministries" apresenta seus seminários nos [[National Council of Churches]], NAE [[National Association of Evangelicals]], e em igrejas carismáticas (bem como em ministérios que somente alegam ser “fundamentalistas” [[mas realmente não o são]]), sem nenhum respeito para com a posição de separação bíblica. (Registrado no Fundamentalist Digest, Mar-Abri 1992.).



- Um evento MARBC-GARBC atraiu considerável atenção de todo o país. Em 6/Mar/91, a Primeira Igreja Batista de Stanton, Michigan, patrocinou um grande festival de “rock cristão”. A ele compareceram mais de 1300 adolescentes, e suas atividades incluíram danças sensuais e comportamento libidinoso. O festival fez parte de um “projeto [[nacional]] de evangelismo, patrocinado por Sonlife Ministries e por Josh McDowell Ministries [um proponente da filosofia do ‘amar a si mesmo’]". Um número estimado de um milhão de adolescentes participou do evento nacional chamado "Operation Powerlink [[Operação Elo do Poder]] – utilizando igrejas e centros cívicos através do país... [e anunciada como] o maior festival de pizza de todo o mundo".

O “festival” teve um bem definido sabor ecumênico e carismático, com 60 denominações participantes. Trinity Broadcasting Network (TBN), que é uma rede de TV “cristã” hiper-carismática e predominantemente blasfema, “levou ao ar um programa especial de uma hora, em conexão com o festival, e o programa incluiu uma transmissão simultânea e em larga escala, via satélite, ligando adolescentes através de todo o país”, inclusive o festival de Stanton. O programa especial incluiu Petra, Michael W. Smith, e Carmen, todos eles artistas da CCM, “juntamente com espetaculares vinhetas e com o testemunho de Josh McDowell”.

Um observador do “festival” de Stanton relatou que “a música ao vivo das bandas era tão alta que doía até para respirar”, e que [[tudo]] “foi exatamente igual a qualquer outro concerto de rock”, com fumaça [[de gelo seco]] subindo, com uma seção elevada e giratória para os tambores, e com um inacreditável show de luzes [[de holofotes e de canhões de laser]]. [A vocalista da banda até mesmo ensinou a multidão a “dançar passos e fazer movimentos com Deus”! O pastor associado da igreja de Stanton, afiliada à GARBC, defendeu o festival com base que: (a) o grupo de jovens da igreja tinha crescido de 25 para mais de 100, em dois meses, depois que a igreja “começou a tocar rock cristão em suas atividades de jovens; (b) houve decisões por Cristo no festival [15 dos 1300 que assistiram]; (c) o GRBC&S tinha apoiado e recomendado o “festival” através de mandar 50 dos seus alunos para serem conselheiros [[falarem o evangelho aos interessados]]; e (d) a igreja estava experimentando os princípios de um poderoso reavivamento. (Relatado no Fundamentalist Digest, Jul/Ago de 1993.



- Inclinações carismáticas ainda mais sérias estão sendo manifestas nas igrejas da GARBC. A Igreja Batista Calvário de Muskegon, Michigan, pastoreada por William J. Rudd, fez anúncio que “existem, agora, três maneiras diferentes para adorarmos”. Rudd estabeleceu três cultos na Igreja Calvário, e eles manifestam estas três maneiras. Ademais, no boletim da I. B. Calvário de 18/Fev/96 foram anunciadas “Curas Físicas e Orações” programadas para os três cultos. Isto tem de ser considerado mais do que apenas um incidente isolado quando se compreende que Rudd está no Conselho dos Dezoito da GARBC e foi o chefe da Comissão de Procura em busca de um novo Representante Nacional da GARBC! (Relatado em Calvary Contender, de 1/Abr/96).



- Baptist Bible College and Seminary [[BBC&S – Seminário e Faculdade Bíblica Batista]] de Clarks Summit, PA, é uma faculdade aprovada pela GARBC. A publicação Católica Romana, The Catholic Answer, de Jun/92, disse que o Catholic Marywood College de Scranton, PA, permite aos alunos do BBC&S tomarem emprestado livros da Biblioteca de Marywood, bastando que mostrem suas carteiras de identidade como alunos do seminário ou da faculdade [[batista]] (isto foi confirmado pela BBC&S bem antes, em Jan/89). Um contestante perguntou a The Catholic Answer se isto era uma forma apropriada de cooperação entre duas teologias opostas, uma vez que BBC&S ensina que os católicos pregam um falso evangelho. A resposta do jornal católico foi:
 

"Sob circunstâncias normais, eu veria isto como uma forma completamente aceitável de cooperação acadêmica e ecumênica. O que me surpreende, francamente, não é que Marywood está aberta para a faculdade batista, mas que, apesar da negatividade destes para com o Catolicismo, eles desejariam usar uma biblioteca de uma faculdade católica. Será que eles não estão com medo de serem contaminados com o ‘Anticristo’? Existe uma inconsistência óbvia aqui, mas eu penso que Marywood tem tomado o melhor [[e mais vantajoso]] caminho. Talvez os alunos batistas, através de contatos regulares com os católicos, chegarão a ver que não somos tão maus como os professores deles alegam. A propósito, é o uso da biblioteca um acordo recíproco?” [[esta pergunta indica que os católicos queriam que os batistas fossem à biblioteca deles, mas não que seus alunos fossem à biblioteca batista]].
 

É reportável que o acordo quanto à biblioteca foi relacionado com o credenciamento da Baptist Bible College, e que dois sacerdotes católicos romanos fizeram parte da equipe que, na assembleia da Middle States Association of Colleges and Schools, durante a primavera de 1989, avaliou o currículo do BBC&S! (Calvary Contender de 15/Jun/92). [Por que uma faculdade supostamente fundamentalista procuraria ter ou ficaria contente em ter a aprovação de católicos romanos? Se o BBC&S consistentemente seguisse esta estratégia de uso da biblioteca, não deveriam alunos da BBC&S logicamente ser permitidos assistir aulas para crédito em Marywood? Se BBC&S realmente praticasse evangelismo bíblico, bem como ensinasse e pregasse contra as heresias do catolicismo romano, nenhuma faculdade católica romana de modo algum a assistiria ativamente! De fato, uma das igrejas em Clarks Summit que é mais freqüentemente visitada pelos alunos do BBC&S repetidamente implorou por cautela para NÃO se fazer nenhuma declaração pública contra a instituição do catolicismo romano; isto apesar do fato que a cidadezinha de Clarks Summit é tremendamente católica romana (The Bible For Today, Report #1784, pp. 3-6).]



- A edição nacional do jornal semanal católico Our Sunday Visitor, de 17/Abr/94,  trouxe à luz uma chocante surpresa, revelando os nada sábios, terríveis escorregões de um notável teólogo da GARBC dentro dos assuntos internos da pagã religião católica romana. A revelação foi feita em uma coluna semanal escrita por um sacerdote católico, Robert F. Griffin, da University of Notre Dame. No artigo, intitulado "Waiting for Myron to come East" [Esperando para Myron Vir para o Leste] (p. 18), Griffin revelou e discutiu a amizade que tinha mantido por muitos anos com Dr. Myron Houghton, um professor do Faith Baptist Theological Seminary em Ankeny, Iowa, aprovado pela GARBC.

Qual foi o terrível escorregão de Houghton? Seus laços de amizade [com Griffin] aparentemente se tornaram tão fortes que Houghton escreveu uma carta (da qual Griffin não tinha NENHUM conhecimento na ocasião) para Edward Malloy, Reitor da Notre Dame University, implorando que este interviesse junto ao Papa João Paulo II, quando se reunisse com ele durante sua visita à América em 1987, e procurasse que Griffin pudesse “celebrar a missa com o Papa”, uma das aspirações de toda a vida de Griffin. Na carta de Houhton ao reitor da Notre Dame (a maior parte da carta foi citada por Griffin em seu artigo), Houghton declarou “Se você pudesse arranjar a participação do Padre Griffin, isto colocaria Pai Griffin na posição de seu eterno devedor”. Houghton, nada sabiamente, também usou o termo “Sua Santidade” (sem nenhumas aspas) ao se referir ao papa, quando procurou obter o favor do prelado de Notre Dame.

A vantagem ecumênica ganha é que Griffin tem explorado esta amizade para cada milímetro de ganho ecumênico possível. Em sua viagem anual para o “Leste”, Houghton (com alguns outros [[pseudo-]] “fundamentalistas” o acompanhando) uma vez mais parou em South Bend, Indiana, em Mar/94, para ver Griffin. Griffin descreveu o encontro deles para jantar como “gozar comunhão com os pastores de Cristo”, chamando-os de “irmãos separados”. No parágrafo final do seu artigo, Griffin expressou esperança que, à medida que sua “amizade entre pessoas de diferentes fé” com Houghton continua, o divertirem-se e darem sonoras gargalhadas juntos deles, eventualmente, produziria “frutos, se Cristo o permitir” para então se tornar um “sacramento ecumênico compartilhado por igrejas que crêem que a graça está em todos os locais”. Para que não haja nenhum mau entendimento a respeito do objetivo de Griffin, um grande figura de um cálice litúrgico de comunhão, com mãos quebrando a hóstia em dois pedaços, acompanhou o seu artigo. O quadro foi intitulado “O Cálice da Alegria: A Eucaristia é Chave.” [Selecionado e/ou de Fundamentalist Digest, May/Jun 1994]



- Por causa da falta de aderência da GARBC aos princípios bíblicos de separação, alguns dos irmãos e das igrejas da GARBC organizaram uma nova comunhão [a Independent Baptist Fellowship of North America (IBFNA)], dedicada ao princípio de verdadeira separação bíblica sem contemporização. (O Representante Nacional da GARBC naquele tempo, Paul Tassell, acusou os líderes da nova IBFNA de "denominacionalismo.") A IBFNA foi oficialmente organizada em outubro de 1990, em Oshkosh, Wisconsin. A lista das igrejas QUE SAÍRAM da GARBC para a IBFNA está crescendo firmemente; mais de 200 igrejas afiliadas da GARBC têm deixado a Associação desde 1990 (e um total líquido de 13 igrejas abandonou a GARBC em 2000). Uma vez que a maioria das igrejas conservativas líderes têm, agora, deixado a GARBC, parece haver pouca esperança para esta que já foi bastião de fundamentalismo. Alguns comentários dignos de nota, feitos pelos pastores das igrejas que abandonaram a GARBC, incluem:

   . "Contemporização doutrinal da GARBC nas áreas de separação e de eclesiologia”;

   . "contemporização doutrinária e táticas semelhantes à da Convenção ... derivam na direção do neo-evangelicalismo”;

   . "escolher com quem iremos ou com quem iremos e com quem não iremos ter comunhão e ser identificados”;

   . "contemporização doutrinária da GARBC e de algumas de suas agências aprovadas”;

   . "tendências dentro de algumas agências”;

   . "homens de grande fama [John MacArthur, neste caso particular] têm que ser endossados, sem considerações quanto pureza doutrinária”;

   . "está se movendo para dentro do acampamento neo-evangélico”;

   . "frustração em tentar mover GARBC de volta à posição de separação bíblica”;

   . “ ‘atos de contemporização’ e de entradas no ‘Neo-Evangelicalismo’, praticados pela GARBC”;

   . “as mudança, contemporização, convencionismo e capitulação ao mundanismo e ao neo-evangelicalismo, da GARBC "

   . mudanças da GARBC " ... na direção das filosofias neo-evangélicas e carismáticas de Barna, Hybels, e Peter Wagner, visando o crescimento das igrejas ... uma mudança na direção de igrejas ‘projetadas’ e ‘amigáveis ao usuários’, que possam ser bem vendidas ao ‘mercado’ ... O diabo está fazendo os fundamentalistas cegos um uma direção. O diabo não poderia levar todos os fundamentalistas através de cruzadas ecumênicas, ou de cruzadas políticas, portanto, agora, ele está tentando levar [[muitos]] deles através do movimento de ‘crescimento de igreja’”;

   . Apreensão "com a direção para dentro [do neo-evangelicalismo] que a Associação tem estado tomando por algum tempo, foi esperado que a direção ... mudaria. Depois de ser visto que decisões tenham sido tomadas, particularmente aquelas tomadas na conferência nacional em Des Moines [Jun/93], tem-se tornado óbvio que a direção da [GARBC] não apenas NÃO está indo mudar [[voltando às origens]], ela, aparentemente, está acelerando [[afastando-se das origens]] [[ênfase adicionada"]]”;
   . aqueles que querem lidar com estas apreensões “são, automaticamente, etiquetadas como causadores de problemas, cismáticos, causadores de divisões e sem amor”;

   . "temos estado observando eventos na Associação bem de perto desde 1986, e tem ficado crescentemente óbvio que a Associação está seguindo o caminho do mundanismo e da contemporização. Tínhamos esperado e orado que a direção da Associação mudasse, mas, ao contrário, o mundanismo e a contemporização estão crescendo como uma bola de neve. A conferência de Des Moines deixou isso muito claro. Na realidade, parece estranho a mim que o Conselho dos Dezoito escolha ignorar o mundanismo e a contemporização atuantes no Grand Rapids Baptist College & Seminary. A excelência acadêmica tem tomado prioridade sobre doutrina ...”;

   . "GARBC não mais segura a Bíblia como sua ‘autoridade final em todas as matérias de fé e prática de maneira que nenhum documento humano de maneira nenhuma suplantará a Bíblia ...’ ”;

   . "Tristemente, eu admito que tudo recai na questão de separação e esta é a razão pela qual sentimos que temos que nos retirar [[da GARBC]]. Muitos dos homens que lideram nossas igrejas e nossos conselhos têm há muito tempo perdido a visão do que é a separação bíblica”;

   . "É nossa observação que esta comunhão de igrejas não mais se ergue bíblica e doutrinariamente apoiada sobre os princípios históricos sobre a qual foi originalmente estabelecida. A posição e a prática da organização sobre separação bíblica são [[hoje]] notavelmente fracas e quase inexistentes. Semelhantemente, temos visto a Associação minimizar a importância e primazia bíblica que o Senhor tem colocado sobre o ministério e missão da igreja local. ...”



- A reação de um homem pode ser útil concernente a toda a questão da separação (e da falta dela, na GARBC). Em uma carta, ele escreveu como se segue:

"Tenho chegado à conclusão que o real problema na GARBC não é apenas de contemporização na área de separação secundária, mas que muitos estão muito próximos da idolatria. A organização tem se tornado o primeiro amor de muitos de seus líderes. Se uma escolha tem que ser feita entre lealdade a Cristo e lealdade à GARBC, é muito mais freqüente que seja a última que ganha. Lealdade às suas agências, às sua liderança e aos seus programas, é o fator determinante quanto a se somos bons membros da GARBC. [[Ênfase adicionada]]

"A única maneira de nos protegermos para não cairmos neste tipo de idolatria denominacional e para sermos verdadeiros batistas com verdadeira dedicação a Jesus Cristo é insistirmos em independência batista. Pastores independentes necessitam compreender o preço que teriam que pagar para ser uma parte deste sistema [[GARBC]] onde lealdade é determinada por sua pronta disposição para aprovar todas as coisas vindas do quartel general e de suas agências. Quanto a mim eu não sacrificarei a preciosa liberdade de dar liderança ao meu rebanho para ter, com este sacrifício, a aprovação deles [da GARBC[. Nada vale um tal sacrifício." (Extraído de What Happened to the GARBC at Niagara Falls, p. 60) [[Ênfase adicionada]].




- GARBC  gostaria que somente voltássemos a nossa atenção para as suas declarações oficiais ao invés de para as ações de sua membresia -- mas "como podemos nós, legitimamente, restringir o nosso julgamento a respeito de grupos religiosos somente às suas declarações oficiais, ignorando o verdadeiro estado das coisas nas vidas de seus líderes e membros? O nosso Senhor ... não poderia se incomodar  menos a respeito do que as igrejas ALEGAM ser. Ele está interessado no que elas, realmente, são ... " [veja Apocalipse capítulos 2 e 3]. (Ernest Pickering, Biblical Separation: The Struggle for  a Pure Church, [[Separação Bíblica: A Luta por uma Igreja Pura]]  p. 213. O próprio Pickering foi caluniado e difamado a partir da plataforma e no Conselho dos Dezoito, na Reunião Anual da GARBC em  Junho de 1987, em oposição ao "posicionamento estreito e bitolado" de Pickering sobre separação eclesiástica]. [[Ênfase adicionada]].



*
"Um fundamentalista é alguém que adere com forte convicção aos fundamentos ... da fé cristã, e que insiste em separar-se do mundanismo, da apostasia, e dos irmãos desobedientes. ... [[separar-se]] é um pré-requisito indispensável para alguém ser chamado um fundamentalista -- separação tem que ser vista como um elemento definidor do fundamentalismo" (Ken Pulliam). [[ênfase adicionada]].



Autor: Biblical Discernment Ministries (editor Rick Miesel)

 


Copiado de http://www.rapidnet.com/~jbeard/bdm/Psychology/garbc/inclu.htm

Traduzido por Valdenira Nunes de Menezes Silva, Jul 2002. [[notas entre duplos colchetes são da tradutora]]. Todas as citações da Bíblia são da ACF.

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): A Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares (GARBC), que nasceu fundamentalista e separatista, aos poucos tem decaído, hoje está francamente em decadência, havendo mudado de Separação para Inclusivismo.

Data do Fato: histórico da progressiva decadência dos Batistas Regulares, particularmente de 1979 a 2000

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: GARBC americana, com profundos reflexos sobre todos os campos dos missionários Batistas Regulares, em todo o mundo

Perpetrante do Fato: inúmeros pastores, igrejas, seminários e missionários GARBC/ BMM/ ABWE, em todo o mundo.

Denunciante: Biblical Discernment Ministries (editor Rick Miesel) nos USA; Hélio de Menezes Silva, no Brasil

Data da Denúncia: 2000 nos USA; 2002 no Brasil

Observação: ...


 

Cuidado com a ABWE (Association of Baptists for World Evangelism)

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Cuidado com a ABWE (Association of Baptists for World Evangelism)

[uma missão ligada aos Batistas Regulares, muito atuante no Rio Grande do Norte, em São Paulo, etc.] [Título original: BEWARE OF ABWE (Friday Church News Notes, November 2, 2007, www.wayoflife.org fbns@wayoflife.org, 866-295-4143]


... ... ...
ABWE tem sido ecumênica durante décadas.

Viggo Olson, um de seus famosos missionários médicos para Bangladesh, descreveu em seu livro "Daktar" como eles trabalharam com grupos neo-evangélicos esquerdistas tais como Wheaton College, começando muitas décadas atrás. 

Lynn Silvernale, outra missionária ABWE para Bangladesh, trabalhou com a radicalmente liberal-ecumênica UBS (United Bible Societies) na produção de uma versão por equivalência Dinâmica da Bíblia em Bengali. (Ver http://www.wayoflife.org/fbns/unholyhands1.htm)
...
Ela seguiu o guru da equivalência dinâmica, Eugene Nida, que negava a infalível inspiração das Escrituras e a expiação através do sangue suibstitutório [vicário] de Cristo.
...
Dr. Ralph Colas e Dr. Ernest Pickering, ambos pediram demissão de do quadro de diretores da ABWE, no final da década de 1980, por causa da transigência dela.
...
O veterano missionário australiano David Bennett pediu demissão em 1993 por causa do "lento sair de rota" dela, e, depois, ele escreveu "Should Separated Fundamentalists Support ABWE.", que, juntamente com "Little Known Facts about ABWE", podem ser encomendados através de "Bible for Today", 856-854-4452.
...
Michael McCubbins, ex missionário da ABWE missionary, documentou a transigência do quadro de diretores da AQBWE no seu livro de 1996 "Sedition in  Missions."

Segundo "Message", publicada pela ABWE, edição fall 2006, a igreja enfiadura de um dos missionários recém recomendados pela ABWE é a Northridge Church of Plymouth, e ela é amandt de Rock And Roll e é "seeker-sensitive" [isto é, voltada para os gostos dos descrentes que estão procurando uma igreja no estilo deles]

Segundo a "Australian Baptist Newsletter" de September 2004, um missionário ABWE para o Brasil ganhou um prêmio internacional do movimento "Purpose Driven Church" (Igrejas Dirigidas Por Propósitos) e voou para a Saddleback Church no Sul da California, para receber o prêmio [em um festival].
This is the edited 8 March 2004 prayer letter of an ABWE missionary in Brazil. "Also, our church in…has won the Purpose Driven Church international healthy church award… for which they will be flying….to Saddleback Church in CA for a presentation at the pastor’s conference in May!"

[Eu, Hélio gostaria de saber quem foi este "herói e exemplo" que escreveu esta newsletter gabando-se disto!!!] Pode ter sido Shane Latham (talvez com ajuda de Lee Geiser) (ver http://www.churchplantingmovement.com/,  da "Comunidade Cristã" em Gravataí, RS, ganhadora do prêmio em 2004, ver http://www.purposedriven.com/en-US/AboutUs/CHA/PreviousWinners.htm). Mas não tenho certeza. Só sei que ele é da ABWE, que sua igreja é Batista Regular e consta na lista dos ganhadores do prêmio, e que seu site mostra que ele é abertamente defensor de Warren e de "Igrejas Dirigidas por Propósitos"... E há outros missionários da ABWE, inclusive no Brasil, com mesma posição, embora (ainda) não premiados...]

David Cloud,

Traduzido por Hélio de Menezes Silva, Nov.2007
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...


 

OS BATISTAS REGULARES E A BÍBLIA KING JAMES - Pr. Pedro Almeida

Preâmbulo: não fornecido pelo autor.

 

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Primeiro, vou citar o excelente artigo do Pr. Pedro Almeida, copiado de http://www.baptistlink.com/creationists/batregkjv.htm (um dos melhores sites fundamentalistas, o recomendamos). Este artigo mostra como era excelente a posição dos batistas regulares em todo o mundo, particularmente antes de 1978:

OS BATISTAS REGULARES E A BÍBLIA KING JAMES

O primeiro amor dos fundadores e o triste desprezo dos herdeiros


1
. Declaração do Missionário Willard Stull (ABWE)

“Antes de eu chegar aqui ao Brasil em 1939, a King James era a única Bíblia que conheci. No Seminário, usei  a Scofield Reference Bible, que é King James nos meus estudos.” (E-mail recebido do missionário aposentado e pastor Batista Regular Willard Stull em 25 FEV 2001)
 

2. Declaração do Presidente da Baptist Mid-Missions (BMM), Dr. C. Raymond Buck:

“The position we took in regard to all of our translations efforts around the world, is that they must be based upon the Massoretic Text for the Old Testament and the received text for the New.” ; “We felt we should ask our translators to return to the original text which served as the foundation for the King James translators.” (June 2, 1987)

Tradução:

“A posição que nós tomamos, a respeito de todos os nossos esforços de traduções ao redor do mundo, é que elas devem estar baseadas no Texto Massorético para o Velho Testamento e no texto recebido para o Novo.” ; “Nós sentimos que deveríamos pedir aos nossos tradutores para que retornassem ao texto original, o qual serviu de fundação para os tradutores da King James.” (Carta do então presidente da Baptist Mid-Missions, Dr. C. Raymond Buck, em 02 de Junho de 1987)

3. Declaração de Dorothy H. Roduner Secretária da Baptist Mid-Missions (BMM)

“...the King James Version of the Bible will be the text for all public ministry in areas where English is the mother tongue.’

Tradução:

‘... a Versão King James da Bíblia será o texto para todos os ministérios públicos nas áreas onde o inglês é a língua materna.” (E-mail recebido da secretária da Baptist Mid-Missions, Dorothy H. Roduner em 13 SET 2000)
 

 

4. Declaração de Chris Greten, Secretário do AWANA Clubs International (Clube OANSE), ministério adotado pelos Batistas Regulares no Brasil:

“In English we have New King James and King James Versions.  Let me know if you have further questions.  Thanks and have a blessed day. “

Tradução:

“Em inglês nós temos as versões Nova King James e a King James. Deixe-me saber se você tem mais outras perguntas. Obrigado e tenha um dia abençoado.” (Correio eletrônico recebido de Chris Greten, Assistente do Escritório Internacional do AWANA CLUB em 2 NOV 2001). Nota: A posição do AWANA CLUB ao tolerar a New King James é uma pena, já que esta versão é corrupta trazendo o nome King James indevidamente, o que é uma propaganda enganosa.

 

5. Declaração do Sr. Ben R. Watson,  do ministério Source Of Light (Fonte de Luz), literatura usada pelos Batistas Regulares no Brasil.

“Dear Josi. We use the King James version in our lessons. In a very few instances the authors of the lessons changed a few words to make the lesson material more understandable but it is the King James version.”

Tradução:

“Prezado Josi. Nós usamos a versão King James nas nossas lições. Em muito poucas instâncias os autores das lições mudaram umas poucas palavras para fazer o material da lição mais entendível, mas é a versão King James.” (Correio eletrônico recebido do Sr. Ben R. Watson, do ministério Source Of Light – Fonte de Luz - em 2 NOV 2001)

Obs.: Quem teve a coragem e a infeliz idéia de mudar essa postura, e usar a tradução ARA na literatura Fonte de Luz em português, não se sabe, todavia, uma coisa é certa, isso foi uma decisão totalmente errada, inconsistente, desonesta e contraditória com o Ministério Source of Light, como se pode ver acima, já que a tradução King James é totalmente incompatível com a Atualizada (ARA)!

 

6. Conteúdo da apostila “Holy Land Tour” – 1985, Dr. Manfred Kober, Professor presidente do Departamento de Teologia de Faith Baptist Bible College, Ankeny Iowa, (Seminário Batista Regular) pg. 99:

“The transmission and trustworthiness of the text of ISAIAH  - 1611 King James Version.”

Tradução:

“A transmissão e confiabilidade do livro e do texto de ISAÍAS  - 1611 Versão King James.”

(todas as citações dessa apostila: Versão King James)

 

7. Conteúdo da apostila “A Panorama of Prophecy” – 1985, Dr. Manfred Kober, Professor presidente do Departamento de Teologia de Faith Baptist Bible College, Ankeny Iowa, (Seminário Batista Regular):

Todas as citações dessa apostila: Versão King James!

 

8. Citação Bíblica do Dr. Gordon L. Shipp, Presidente de Faith Baptist Bible College, Ankeny Iowa, (Seminário Batista Regular), na primeira página do catálogo 1984-1987 do seminário, seção “Uma palavra pessoal do Presidente”:

Todas as citações: Versão King James!

 

9. Citação Bíblica na capela de “Cedarville College”, fundado em 1887 e aprovado pela Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares dos Estados Unidos:

Citação bíblica da capela: Versão King James!

 

10. Conteúdo do Livro “Called to Be Saints”, Dr. Robert G. Gromacki, Professor de Bíblia e grego e presidente do Departamento de Educação Bíblica de “Cedarville College”, aprovado pela Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares dos Estados Unidos:

Todas as citações bíblicas desse livro: Versão King James (Prefácio, pg. vii)

 

11. Conteúdo do Livro “Modern Tongues Movement”, Dr. Robert G. Gromacki, Professor de Bíblia e grego e presidente do Departamento de Educação Bíblica de “Cedarville College”, aprovado pela Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares dos Estados Unidos:

Todas as citações bíblicas desse livro: Versão King James (Introdução, pg. 3)

 

12. Conteúdo da Carta do Dr. Collis (membro do conselho dos 18 – comissão dos líderes Batistas Regulares nos EUA) ao Dr. D.A. Waite (pastor Batista Regular) datada em 8 Dezembro de 1978:

“The counsel of 18 gives total credence to the validity of the King James text.”

Tradução:

“O conselho dos 18 dá total crédito à validade do texto King James.”

13. Conteúdo da propaganda da Escola Bíblica de Férias no Jornal Baptist Bulletin (periódico oficial da GARBC – semelhante ao que é O Batista Regular no Brasil para a AIBREB) na edição de Março de 1974:

“All lessons text from King James Version only.”

Tradução:

“Todos os textos das lições provindos da Versão King James somente.”

 

14. Conteúdo da Declaração de Fé da GARBC (General Association of Regular Baptist Churches - Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares dos Estados Unidos) antes de 1977:

Todas as citações bíblicas: Versão King James

 

15. Reposta do pastor Batista Regular Duane Brown, da Calvary Baptist Church, em Huston, Texas, em dezembro de 1982 a um novo convertido que acabara de comprar uma Bíblia King James numa livraria evangélica de Huston, Texas:

“Essa Bíblia é boa”

 

16. Conteúdo da Declaração de Fé da Igreja Batista Regular Esperança em Samambaia, Distrito Federal (trabalho fundado pela Baptist Mid-Missions):

“DECLARAÇÃO DE FÉ
A IBRE ACEITA E DEFENDE:
III.
Que o Senhor Jesus Cristo, em sua natureza humana, foi concebido por obra e graça do Espírito Santo, nasceu da bendita virgem Maria de modo sobrenatural; Ele é Deus verdadeiro Deus,

‘Deus manifestado em carne’ ...” (citação baseada na Versão King James ou Almeida Corrigida e Fiel)

 

17. Citação Bíblica no cartão postal do missionário da Baptist Mid-Missions, Terry Craven, com sua foto juntamente com sua distinta família, fundador da Igreja Batista Regular Esperança em Samambaia, Distrito Federal:

“And the things that thou hast heard of me among many witnesses, the same comit thou to faithful men, who shall be able to teach others also.” 2 Tm. 2:2

King James Version !

 

CONCLUSÃO:

A Bíblia equivalente à King James em português é somente a Almeida Corrigida e Fiel (ACF) da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, por isso, TODOS os Batistas Regulares  para ser coerentes com as suas raízes e, muito mais do que isso, fiéis a Deus, deveriam usar somente a Bíblia ACF!


Agora, choquemo-nos, como a doutrina da Bíblia tem decaído nas decadentes GARBC, Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil, associações Batistas Regulares estaduais, seminários B. Regulares, e muitas da igrejas B. Regulares (particularmente aquelas com pastores formados após 1978). Eu, Hélio, transcrevo uma adaptação e sumário do que meu ouvido conseguiu entender e meus dedos copiar a partir das palavras do Pr. Pedro Almeida, nos últimos 15 minutos da 2a. parte do estudo, em vídeo, sobre os erros da Atualizada (ver http://www.baptistlink.com/creationists/videos.htm ). O que está entre colchetes é acréscimo meu para melhor entendimento de quem não ouviu as 2 horas dos dois vídeos. (Recomendo muito o site do Pr. Pedro, e aconselho todos a ouvirem esses dois vídeos.)
Vejamos o que o editorial do Jornal "O Batista Regular", edição de Abril-Junho 1999, diz, que tristeza, a que ponto decaímos!!!

O editorial do Jornal "O Batista Regular", edição de Abril-Junho 1999, faz a seguinte declaração:
     "Optamos em trilhar [o caminho de] a uniformização do grupo. Aprendemos que bom é viver em união com os nossos irmãos."
Isto, à primeira vista, parece muito bonito e espiritual, mas vem a pergunta (prestem bem atenção): E se essa uniformização consistir em fechar fileiras defendendo um erro?! Deve a uniformização do grupo ser elevada a um patamar acima daquele da verdade [e da fidelidade à Bíblia e a Deus]?
Ah, irmão, nunca esqueça desta enorme verdade: "é melhor se separar por amor à verdade, do que ficar unido em torno do erro". Deixe-me repetir: "é melhor se separar por amor à verdade, do que ficar unido em torno do erro".
O que aconteceu em Êxodo capítulo 32? ... Arão se **uniu** ao povo, ele resolveu se **uniformizar** com o povo. Não o repreendeu, mas juntou-se, uniu-se, uniformizou-se com eles na apostasia, na confecção do bezerro de ouro, na organização do bacanal apóstata e idólatra.
A uniformização [união] do grupo [batista Regular] está sendo elevada a um patamar mais elevado do que aquele da verdade. Este é o erro do editorial do jornal "O Batista Regular": prefere-se a união em torno da Atualizada [e outras Bíblias cheias dos erros dos manuscritos alexandrinos] do que se levantar os reais [e terríveis] problemas, documentados em estudos tais como Bíblia Atualizada: Obra Prima dos ecumênicos da Sociedade Bíblica do Brasil! (http://www.baptistlink.com/creationists/atualizada.htm), e do que denunciar [ou, pelo menos, analisar] os erros gravíssimos, a associação errônea. O movimento [Batista Regular], dito separatista, agora está se unindo [visceralmente] a uma tradução da Bíblia que é produto da apostasia.
Outra declaração do mesmo editorial de "O Batista Regular":
     "Não podemos voltar no tempo e corrigir os erros do passado".
Claro, não podemos voltar no tempo e desfazer os erros do passado! Máquinas do tempo são mentiras dos filmes de ficção. Mas uma coisa nós podemos fazer: Nós podemos, no presente, mudar os efeitos das coisas erradas que fizemos no passado [e mudar as direções erradas que tomamos no passado]. Isso nós podemos fazer. Eu posso mudar se eu estou usando uma Bíblia Atualizada: No mesmo momento em que eu passo a saber que ela é uma Bíblia corrompida, eu TENHO que parar de usá-la e começar a usar uma Bíblia correta. Isto eu posso fazer.
Repetindo: É claro que eu não posso mudar os erros do passado [de modo a não mais constar que tenham sido cometidos], mas eu posso perfeitamente mudar os erros do presente.
Outra declaração do mesmo editorial:
"Fora do ambiente acadêmico este assunto é prejudicial, e pode quebrar a auto-estima do povo Batista Regular."
Que absurdo ridículo, esta preocupação "quebrar a auto-estima do povo Batista Regular". Auto-estima? Auto-estima? Vocês estão preocupados com "auto-estima"? Quando nós cometemos erro, nós temos que [nos arrependermos dele, nos humilharmos, e confessá-lo, e] corrigi-lo. Não há [na Bíblia] a menor permissão para procurar mantermos a auto-estima! Arrependimento exige quebra da nossa auto-estima. Temos que quebrar, mesmo, a nossa auto-estima, quando fizemos coisas erradas. "Fora do ambiente acadêmico [não podemos debater e corrigir nossos erros]?" Que louca conversa é essa? Todo e qualquer crente está envolvido com essa batalha [e com todas e quaisquer outras batalhas pelo Senhor Deus].
Querer [esconder do crente estas vitais informações, querer] subtrair do crente esta decisão é algo altamente condenável. Todo crente, [mesmo] o crente novo convertido, ele deve saber do problema, e ele vai ter que decidir, porque, no momento em que ele entra numa livraria evangélica e compra uma Bíblia, ele já está tomando uma decisão [ou deixando que outros a tomem por ele]. Não adianta restringir a discussão somente ao ambiente acadêmico, como se os eruditos acadêmicos fossem os "papas batistas". A Bíblia ensina o sacerdócio individual de cada crente. Cada crente é responsável diante de Deus. Não podemos tirar a responsabilidade do crente e passá-la aos seminários, as torres de marfim dos eruditos. Cada convertido deve saber do problema.
Você acha que estou irado, radical demais? Mas, querido irmão, estamos falando da Palavra de Deus! Você entende? Da Palavra de Deus!!! Estão mexendo na Palavra de Deus, estão adulterando a Palavra de Deus em muitos milhares de versículos, e causa-me muita estranheza quando começamos a falar sobre este assunto e alguém simplesmente boceja, dá de ombros, ignora e despreza o assunto, como se fosse de pouca importância. Nós estamos falando sobre a [santa] Palavra de Deus! Se isso não afeta você, há algum problema [muito sério, com você]. Causa-me muita estranheza uma pessoa que não se afeta com este problema. "Optamos em trilhar [o caminho de] a uniformização do grupo."
Outra declaração:
"Nosso grupo aqui em São Paulo está fora deste debate",
Sim, um Pastor falou isso. "Fora do debate"? [perguntei eu e respondo eu:] Não adiante esconder mais isto do povo. Este assunto não está fora de debate, este assunto tem que ser debatido, sim! Temos que debater este assunto como estamos debatendo.
Na última assembleia da AIBRESP (Associação de Igrejas Batistas Regulares do Estado de São Paulo), realizada em maio de 1999, foi aprovada uma
"moção de repúdio aos ensinamentos que negam a autoridade de outras traduções do texto bíblico, em favor de uma ou outra versão". A proposta foi do Pr. Marvin Fray, da Igreja Batista Esperança [em São Paulo]. Mas o que é mesmo que eles estão falando aqui? O que é isto? "Repúdio aos que negam a autoridade de outras traduções". Escutem: Eu estou, aqui, negando a autoridade da tradução Atualizada. Nós precisamos negar a autoridade de traduções corruptas da Bíblia. Se você nega ao povo de Deus esta responsabilidade, e este dever, você está subtraindo do povo de Deus, este discernimento para ver onde está a [pura e perfeita] Palavra de Deus [em nosso idioma].
A pergunta permanece: onde está a [pura e perfeita] Palavra de Deus [em nosso idioma]? Não é possível que todas essas traduções [com tantas contradições tremendas de uma contra outra] tenham a mesma autoridade. Nós vimos [sobejamente] no capítulo 1 [desta série de estudos] que a Atualizada não tem autoridade. Porque o fundamento que vai "travar" o teste da verdade é a Palavra inspirada por Deus. Nós não podemos negar ao povo de Deus a responsabilidade e o dever de recusar a autoridade dessas traduções corruptas. Nós não temos um "papa batista" que fecha as portas para assuntos que precisam ser tratados. Não temos "papas batistas". Nós criticamos a Convenção Batista Brasileira, nós criticamos outras convenções, mas o movimento Batista Regular está indo pelo mesmo caminho. Virou uma denominação [hierárquica, com donos no poder]. As igrejas, agora, estão subordinadas a uma associação que tem todo o poder de decidir o que nós devemos ou não devemos crer, sobre qual é a Bíblia verdadeira. Esta atitude é uma lástima, e o povo Batista Regular precisa saber disso. As igrejas Batistas Regulares precisam ser [livres e] independentes. (Ah, eu também não sou "papa batista" [não quero impor nada], só estou expressando minha posição sobre o que Bíblia ensina que deve ser feito. Agora, se cada um vai fazer ou não vai, cabe a cada igreja decidir.) O que não podemos tolerar é um "papa batista" ordenando o que deve e o que não deve ser feito. Cada igreja vai decidir. Este nosso estudo é voltado para todos aqueles que amam a Palavra de Deus, e eles vão decidir o que vão fazer.
Erros do Professor Mark Willson, no Jornal "O Batista Regular", nesta mesma edição (Abril-Junho de 1999), onde foi levantado o problema, foram colocados os dois lados da questão, e foram colocados argumentos verdadeiramente descabíveis.
 

O primeiro erro do Professor Mark Willson, no Jornal, é o argumento da Septuaginta:
"Às vezes estas citações concordam com a tradução hebraica, e outras vezes com a tradução grega".
Isto não é verdade," pois a Septuaginta foi escrita depois do Novo Testamento ter sido concluído. Isto é falso. A Septuaginta é um mito. Não houve tradução grega nenhuma, do Velho Testamento, que foi citada pelos apóstolos. Bem, mas este é um fato que teria que ser objeto de todo um outro estudo [Hélio recomenda Flavius Josephus: Gritante Prova da Inexistência da Septuaginta ou ...    e   Mitos Sobre a Septuaginta e Traducoes Modernas
O segundo erro do prof. Mark Willson: o argumento dos conflitos desnecessários. "Em vez de desviar a nossa atenção e dos outros para conflitos desnecessários ...", isto significa "nós não devemos fazer isto senão a gente se desvia". A resposta é que lutar pela Palavra de Deus de modo nenhum é conflito desnecessário, [antes] é a coisa mais importante na vida do crente. Deus, em Judas, verso 3, nos ordena "... batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos.” (ACF). Nós devemos batalhar por essa fé. Por causa dessas palavras, que eles acham que são conflitos desnecessários, os nossos antepassados na fé morreram nas fogueiras da Inquisição. Isto não é assunto secundário, isto é assunto de vida ou morte. São as palavras de Deus, aonde a nossa fé está baseada. O Jesus Cristo que nós conhecemos é o Jesus Cristo que é revelado nas páginas da Palavra de Deus. Ah, não mexa com a Palavra de Deus! Por que essas versões modernas?
Há o ciclo da ignorância [do assunto], depois o ciclo da rebeldia, e o ciclo de [brilhar a] verdade. Às vezes as pessoas estão usando Bíblias corrompidas e o estão fazendo por ignorância, precisamos informá-las. O ciclo da verdade [segue-se a] estudo, informação e doutrina, [atentar e ponderar] fatos, [e resulta em] mudança de comportamento e [firmeza de] convicções. Sim ou não? Se não, continua o ciclo da ignorância ou da rebeldia, e neste você sabe do problema e continua usando versões corruptas, subtraindo a autoridade da Palavra de Deus. Ficam dizendo "Minha tradução diz assim. Como é que diz na sua? E nesta outra? E naquela dali?". Vira uma terapia de grupo, onde cada tradução [diferente] tem sua autoridade. Não se pode mais dizer "assim diz o Senhor", mas somente "Assim ESTA tradução". Ciclo da verdade versus ciclo da ignorância.


Desculpas esfarrapadas para se recusar a Bíblia pura e se ficar com uma Bíblia falsificada:

Ah, [não não quero saber que minha Bíblia é infiel, não quero mudar para a mais fiel possível, porque] minha Bíblia é mais bonita (sua encadernação).
Ah, é mais barata.
Ah, é mais fácil de ler.
Ah, ela foi adotada em pról da uniformização denominacional.
Ah, é proibido se examinar este assunto, porque isso arriscaria quebrar a unidade da denominação.
Ah, [a Bíblia realmente fiel] não tem notas de rodapé, e eu só quero Bíblia de estudos.
Ah, o meu seminário usa esta minha Bíblia.
Ah, a minha denominação a recomenda.
Ah, daria muito trabalho [eu mudar para outra Bíblia, mesmo mais fiel], pois eu já tenho minhas notas [na Bíblia infiel].
Ah, ...


São várias desculpas, mas nem sequer uma delas tem sequer 1 grama de validade. Nenhuma dessas desculpas tem a menos sombra de validade.
Erros da Bíblia Atualizada, CONCLUSÃO.
Prezados amigos e irmãos: Nós vamos [individualmente] prestar contas a Deus sobre essas coisas. Será que, no Tribunal de Cristo, o que vai contar, quanto às obras dos crentes, são os números ou é a fidelidade? Vejamos 1 Coríntios 3:15-20, onde este tema é abordado. Diz assim a Palavra de Deus, onde se fala sobre o Tribunal de Cristo:
“15 Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo. 16 ¶ Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? 17 Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo. 18 ¶ Ninguém se engane a si mesmo. Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio. 19 Porque a sabedoria deste mundo é loucura diante de Deus; pois está escrito: Ele apanha os sábios na sua própria astúcia. 20 E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos sábios, que são vãos.” (ACF)
Reflitamos sobre o verso 15:
"15 Se a obra de alguém se queimar... ".
Não adiantam resultados [apenas aparentes, apenas] numéricos, para, com isso, provar que a obra de alguém vai permanecer. Veja o verso 14:
“14 Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.” (ACF).
Qual a única coisa que importa: É a fidelidade. É 1 Coríntios que nos ensina isto.
E Apocalipse 22:19 nos dá um grande [e terrível] alerta que as pessoas negam. Ao fechar, ao encerrar [a escrita de] o Cânon da Bíblia, no último capítulo da Bíblia, diz assim a Palavra de Deus:
“E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.” (ACF)
CONCLUSÃO: "A união [essa conversa de "sacrifiquemos tudo em pról da união da nossa denominação] é o ídolo do dia e, desde que haja união, parece de pouca importância que se sacrifiquem princípios. O anseio sublime parece ser o de lograr que todas as seitas, sistemas e denominações se dêem as mãos e se chamem uns aos outros de irmãos. Essas palavras são apropriadas para a hora atual, e os que respeitam a Bíblia como a Palavra de Deus, inspirada e sagrada, devem preparar-se pela graça de Deus para "batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos", "a reter a palavra fiel" e a permanecer "retendo a palavra da vida" (Judas 3; Tito 1:9; Filipenses 2:16)."
A nossa conclusão a respeito dessa tradução Atualizada, é:
"Versão Atualizada, de ti seja dito: '... pesada foste na balança e foste achada em falta ...' " 

Pr. José Pedro Monteiro de Almeida [resumido e adaptado por Hélio, que aconselha o leitor a ver os 2 vídeos sobra a Atualizada, em  http://www.baptistlink.com/creationists/videos.htm ]

 

Exortação final:  não fornecido pelo autor.

Assunto (mais detalhado que o Título): A terrível decadência Batista Regular na questão da Bíblia, com ênfase nos Batistas Regulares do Brasil e na Almeida Atualizada

Data do Fato: 1935 - 1999 (até 1978 tudo ia mais ou menos bem; depois, ficou e está ficando cada vez pior).

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: Associação Geral das Igrejas Batistas Regulares do Brasil, associações estaduais, seminários, igrejas.

Perpetrante do Fato: idem.

Denunciante: Pr. Pedro Almeida.

Data da Denúncia: gravado em 1999, somente colocado no site em 13.agosto.2007 (video Os Erros da Bíblia Atualizada - parte 2, em http://www.baptistlink.com/creationists/videos.htm)

Observação: não fornecido pelo autor.


 

CREDO DA SEITA ALEXANDRINA

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Muitos
(não estou dizendo todos)
pastores e escritores e professores de seminários
(até mesmo batistas fundamentalistas/ regulares/ bíblicos/ independentes de HOJE (não dos anos de ouro, 1929, 1'930, 1940, talvez 1950)
crêem como abaixo. Por favor imprima, peça para falar com seu pastor/ professor de seminário, e constate se ele alegre e orgulhosamente subscreve cada item abaixo...
Hélio.
 

CREDO DA SEITA ALEXANDRINA

[Recebemos deles o rótulo "Só-Texto Tradicional"? Demos-lhe o rótulo de "Só-Erudição Humana". E o lema máximo da erudição humana, da crítica textual, é "quanto mais heterodoxo, mis contrário à sã doutrina, melhor]

SÁTIRA de Peter Ruckman

[Nota1, Nota2]

Tradução de Hélio de M. Silva, 1997 - http://solascriptura-tt.org [Nota3]




1. Não há nenhuma autoridade absoluta e final, a não ser Deus.

2. Uma vez que Deus é um Espírito [imaterial], então não há nada [material] que seja autoridade absoluta e final, podendo ser visto, lido, ouvido, sentido, ou tocado e manejado.

3. Uma vez que todos os livros são matéria palpável, não há nenhum livro [nem mesmo manuscritos em Hebraico e Grego] sobre esta terra que seja a autoridade absoluta e final sobre o que é certo e o que é errado; o que constitui verdade e o que constitui erro.

4. Há muito tempo atrás, EXISTIU uma série de escritos tais que, SE todos eles, imediatamente depois que foram escritos a primeira vez, tivessem sido dispostos formando um LIVRO, PODERIAM ter se constituído numa autoridade final e infalível para se julgar verdade e erro.

5. No entanto, esta série de escritos foi [lamentavelmente] perdida. Isto é, o Deus que os inspirou não foi capaz [que lástima!] de preservar [perfeitamente] seus conteúdos [através de cópias perfeitas feitas] através dos cristãos realmente crentes na Bíblia, habitantes de Antioquia (Síria), entre os quais encontramos os primeiros mestres da Bíblia (Atos 13:1), onde o primeiro missionário foi chamado e comissionado (Atos 16:1-6), e onde a palavra "cristão" se originou (Atos 11:26).

6. Assim, Deus escolheu QUASE preservar Sua Palavra através dos gnósticos e filósofos de Alexandria (Egito), embora Deus tenha chamado Seu Filho para FORA do Egito (Mat 2), Jacó para FORA do Egito (Gen 49), Israel para FORA do Egito (Exo 15), e os ossos de José para FORA do Egito (Exo 13).

7. Portanto, há dois rios por onde fluíram e nos chegaram as Bíblias: o rio mais exato (embora, naturalmente, não exista nenhuma autoridade absoluta e final para determinar verdade e erro, isto é meramente uma questão de "preferência") é constituído pelas derivações das traduções egípcias feitas em Alexandria (no Egito), que são "quase" os "originais", embora não absolutamente.
7.A [Hélio acrescentou a este Credo dos Alexandrinos: Como Deus não teve o poder (terrível!) ou não quis (terrível!) preservar de forma absolutamente perfeita a Sua Palavra, em Hebraico ou em Grego, então, nos séculos modernos, os maiores gênios humanos estão se ajuntando e pouco a pouco socorrendo o Deus impotente ou vencendo o Deus malvado, estão pouco a pouco recuperando as palavras que Ele não pode ou não quis preservar, de modo que atualmente só temos 7% de dúvidas sobre quais são elas exatamente (talvez com mais alguns séculos e bilhões de dólares de pesquisa cheguemos a somente 3% de dúvidas, mas que importam algumas poucas dezenas de milhares de palavras, sempre cada pessoa poderá escolher subjetivamente acreditar nas que queira, duvidar das que não lhe agradem).]

8. As traduções mais incorretas são aquelas que ocasionaram a Reforma Germânica (através de Lutero, Zwingli, Boehler, Zinzendorf, Spener, etc.) e o movimento missionário mundial através dos povos de língua inglesa: a Bíblia que Sunday, Torrey, Moody, Finney, Whitefield, Wesley e Chapman usaram.

9. Mas nós podemos "tolerar" essas Bíblias [as únicas usadas pelos "protestantes" depois da invenção da Imprensa, até recentemente] se aquelas pessoas que nelas crêem também tolerarem as NOSSAS [que só passaram a ser impressas e usadas pelos "protestantes" recentemente]. Afinal das contas, uma vez que não há NENHUMA AUTORIDADE FINAL E ABSOLUTA que alguma pessoa possa ler, ensinar, pregar, ou manejar, tudo é somente uma questão de "PREFERÊNCIA". Você pode preferir o que prefere, e nós podemos preferir o que preferimos. Deixe-nos viver em paz; e, se nós não podemos concordar seja em alguma coisa, seja em coisa alguma, vamos todos concordar em uma coisa: NÃO EXISTE, EM CANTO ALGUM DO MUNDO, NENHUM ESCRITO QUE SEJA [cada palavra e letra, de capa a capa, 100%] A AUTORIDADE ABSOLUTA E FINAL, DE DEUS! 10. [Hélio acrescentou a este Credo dos Alexandrinos: É tolerável você concordar conosco que nem as nossas Bíblias do Texto Crítico são perfeitas, nem as suas Bíblias do Textus Receptus o são, por isso que ambas podem coexistir, portanto todas as Bíblias podem ser aceitas em maior ou menor grau relativo [é tudo uma questão de preferência pessoal], por mais diferentes que sejam em conteúdo e forma. Só é intolerável se você concordar conosco que nossa Bíblia não é perfeita, mas você quiser considerar perfeita a sua Bíblia do Textus Receptus. A ÚNICA COISA INTOLERÁVEL É VOCÊ CRER QUE SUA BÍBLIA DO TEXTUS RECEPTUS É ABSOLUTAMENTE PERFEITA (portanto, por coerência lógica, todas as Bíblias diferentes são completamente inferiores e jamais devem ser usadas). Grunhimos de ódio contra isto, isto é a ÚNICA coisa que não podemos tolerar. Somos tão tolerantes que não toleramos, isolamos, não lhes permitimos voz, não lhes damos ouvidos, perseguimos, expulsamos, e gostaríamos de fazer cessar a vida dos que não são tolerantes quanto à Bíblia]
11. [
Hélio acrescentou a este Credo dos Alexandrinos: Não podemos dar nenhuma chance a esses intolerantes que crêem na absolutamente perfeita preservação da Bíblia: Se permitirmos debates extensos e profundos e HONESTOS, entre eles e nós, nas nossas igrejas e seminários, então todas as nossas ovelhas, mesmo ante singela comparação de versões e recordação das promessas da Bíblia, descobrirão tudo, descobrirão que estavam sendo enganadas por nós. Os intolerantes facilmente provarão que, uma vez que a prometida preservação da Bíblia pela providência de Deus foi perfeita, então foi incessante, contínua, em uso pelas igrejas fiéis (por isso perseguidas pelo Catolicismo, desde o início desta praga no século IV, através dos 10 séculos da Idade Média, das Trevas); uma vez que tal preservação foi incessantemente em uso pelas igrejas fiéis, então, considerando que só existiram Bíblias protestantes baseadas no Texto Tradicional no período desde Tyndale 1522 até recentemente, e uma vez que Bíblias do Texto Crítico são significativamente diferentes em dezenas de milhares de palavras e só começaram a ser impressas e usadas pelos "protestantes" recentemente, somos forçados a admitir que estas não têm nenhuma possibilidade de serem a perfeita Palavra de Deus, e somos obrigados a ranger os dentes e nos submetermos a Deus que a Bíblia absolutamente perfeita (por isso incessantemente em uso pelos fiéis) é a do Texto Recebido. Não podemos dar nenhuma chance a esses intolerantes que crêem na absolutamente perfeita preservação da Bíblia, temos que eliminá-los do nosso meio, por quaisquer meios! Temos que continuar adorando a erudição dos nossos grandes "gurus mentores", temos que continuar honrando nossa alma mater (nosso seminário), temos que continuar sendo mais leais à nossa denominação que a Deus, temos que continuar preservando uma aparência de unidade mesmo que às a custas de verdade. Temos que, por todos os modos, impedir o acesso dos intolerantes ao nosso rebanho, senão estes descobrem tudo, estaremos perdidos. Todos contra eles. Morte a eles.]

 


****************************************************

Nota1 do Tradutor: Peter Ruckman se refere àqueles que seguem as idéias do falsamente chamado "eruditismo" de Westcott e Hort, desprezando as abençoadas traduções adotadas por todos os crentes de todas as nações e línguas, desde a Reforma até o início do presente século, todas elas baseadas no texto tradicional, para adotarem os textos Vaticanus e Sinaiticus, corrompidos via Alexandria.

- Em Português, devemos adotar as versões baseadas na tradução de João Ferreira de Almeida (1681 e 1753): Elas são as Almeida "Corrigida e Revisada, Fiel" (da Sociedade Bíblica Trinitariana) e Almeida "Revista e Corrigida". Ambas se baseiam no Texto Tradicional, que é a pura Palavra de Deus, perfeita e infalivelmente preservada, til por til, iota por iota, mesmo que as melhores traduções possam ser eventualmente melhoradas quanto à gramática, estilo, ou quanto à precisão da tradução (sempre baseada exclusivamente no T.R.).

- Não devemos adotar as versões que começaram a ser publicadas pelos "protestantes" de língua portuguesa somente depois de 1958. Na ordem de crescente infidelidade, elas são: (a) Só mau texto grego: "Contemporânea", "Revista e Atualizada", "Revisada de acordo com os melhores textos em Grego e Hebraico". (b) Mau grego + livros apócrifos + veneno católico e ecumênico: Jerusalém, TEV - Tradução Ecumênica. (c) Mau grego + mau método de tradução (equivalência dinâmica): NVI - Nova Versão Internacional. (d) Mau grego + afrontosas falsificações por paráfrase (estas não são traduções, são paráfrases!!!): "Bíblia Viva", "A Bíblia na Linguagem de Hoje", "O Mais Importante é o Amor", etc.


- Dúvidas, caro pastor ou seminarista? Visite http://solascriptura-tt.org 


Nota2 do Tradutor: "About the 'New' King James Bible", Pensacola Bible Baptist Bookstore, 1983, páginas 38-39.


Nota3 do Tradutor: O tradutor concorda com este escrito de Ruckman, mas não necessariamente com tudo desse autor.

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: 1999

Observação: ...


 

DEUS NÃO TEM GÊNERO? NÃO É MASCULINO NEM FEMININO?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em 15.11.2007, Pr. FFFF {*}, oriundo do Seminário Batista [Regular] do Cariri (Crato, CE) e pastoreando a Igreja ... de M. {*}, em JJJJ PPPP {*}, pregou, no encontro das sociedades masculinas das igrejas batistas regulares da PPPP {*}, que:
"Deus, na sua essência, ONTOLOGICAMENTE falando, não tem gênero. Não é masculino nem feminino." Depois da pregação, foi perguntado se não foi um deslize, e ele se exaltou um pouco, discutiu, e disse que era exatamente assim que ele aprendeu e pensava.
Um crente presente lhe disse que, em primeiro lugar, ele devia se preocupar em falar BIBLICAMENTE, não em jogar palavras incompreensíveis à maioria dos presentes ("ontologicamente") e oriundas da vã filosofia grega.

[Eu só lembro vagamente do que o Professor de Filosofia (Maia, jesuíta) ensinou no colégio, parece-me que foi que a [vã] filosofia grega definia Metafísica como o estudo da essência das coisas, estudo daquilo que está além da física. Para os filósofos gregos, a metafísica é, simultaneamente, ontologia, filosofia e teologia, na medida em que se ocupa do "ser supremo" [Deus? a verdade? o amor?] dentro da hierarquia dos seres. E Ontologia seria o ramo da Metafísica que estuda a mais profunda natureza do ser, do existir, da essência das coisas, considerando-as além da física. A Ontologia trata, abstratamente, de assuntos tais como: Que entidades [conceitos mentais, coisas que podemos conceber: Deus, verdade, amor, etc.] realmente existem ou podem ser ditas que existem? Como podem elas ser agrupadas em uma hierarquia e subdivididas de acordo com similaridades e diferenças? Etc. Acho muito complicado e vago. E vã filosofia não necessária, nem útil, nem verdadeira, pois não tem nenhum indício na Bíblia.]

Um crente presente também disse ao Pr. FFFF que este esqueceu de muitos MILHARES de versos que, nas línguas originais ou em português, sempre dão a Deus nomes masculinos (Deus, Jeová, Senhor, Pai, etc.), pronomes masculinos (Ele, Seu, etc.), adjetivos masculinos (Altíssimo, etc.), JAMAIS nomes/ pronomes/ adjetivos neutros, JAMAIS nomes/ pronomes/ adjetivos femininos! Devemos nos fixar na Bíblia, não no besteirol da vã filosofia grega.
São desvios como esse do Pr. FFFF que, em poucas décadas, poderão levar os batistas regulares à aceitação do rebelde "feminismo cristão", de Bíblias feministas ou unisex, etc. Até prova em contrário, passei a encarar com mais suspeita o seminário do Crato.

Hélio.

 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: {*} Sei que eu devia dar os nomes completos de todas as igrejas, seminários, missões, outras organizações, etc., e os nomes completos de todas as pessoas denunciadas. Mas sou tão entranhavelmente afeiçoado e devedor de favor e de amor a muitos dos denunciados, que já foram achegados amigos pessoais meus e da minha esposa e filhos, durante muitos anos, que me dói muito o coração para citar todos os nomes dos denunciados (com provas incontornáveis), e eu começo a entender porque Davi foi tão fraco e não quis fazer justiça e mandar apedrejar seu filho Absalão, etc. Por favor perdoem-me a fraqueza de esconder muitos dos nomes e endereços. Espero que somente o Pr. FFFF, lendo, entenda (e, finalmente, se arrependa e volte à fé e prática ideais que encontramos na Bíblia).


 

 

O INFERNO NÃO É UM LOCAL ESPACIAL E LITERAL, MAS, SIM, UM ESTADO DE ESPÍRITO?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em cerca de 1997, ensinando no Instituto Bíblico da IBR Cristo Redentor em João Pessoa (preparando obreiros de todas as 7 igrejas batistas regulares da cidade), Ricardo Leite, oriundo do Seminário Batista [Regular] do Cariri (em Crato) e pastoreando a IBR de Mangabeiras, em João Pessoa (hoje ele é professor e deão do Seminário Batista Regular Bereano (em Natal), pregou repetidas vezes, numa só aula, que o Inferno não é um local espacial, mas, sim, um estado de mente depois da morte. Questionado sobre isso pelos alunos, durante e após a aula, se não foi um deslize da parte dele, ele disse que não, que era exatamente assim que ele aprendeu e pensava.
Ele esqueceu de muitos versos que falam do Inferno como um local espacial, usando palavras que exigem que assim seja (abaixo, para baixo, etc.). Reproduzimos parte de um sermão de Terry Watkins:

A BÍBLIA DÁ A LOCALIZAÇÃO DO INFERNO Quando Jesus Cristo morreu na cruz, Ele desceu ao inferno. Em Atos 2, está Pedro falando, v. 31." Nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo, que a sua alma não permaneceu no INFERNO" Quando Jesus Cristo morreu a alma dele entrou no inferno. E em Mateus 12:40, Jesus Cristo diz: "Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do homem três dias e três noites no SEIO DA TERRA. " A Bíblia é clara — O inferno é no interior da terra! Efésios 4:9, diz de Jesus: "Ora, isto - ele subiu - que é, senão que também antes tinha descido às PARTES MAIS BAIXAS DA TERRA?." ...
SIM! EXISTE UM LUGAR CHAMADO INFERNO! Em Números 16, a Bíblia conta das pessoas que entraram no inferno vivos! "E A TERRA ABRIU A SUA BOCA, e os tragou com as suas casas, como também a todos os homens que pertenciam a Corá, e a toda a sua fazenda. E eles e tudo o que era seu desceram vivos AO SEPULCRO, e a TERRA OS COBRIU , e pereceram do meio da congregação." Números 16:32-33 No interior da terra, neste mesmo momento, há milhões de almas perdidas e atormentadas, queimando, lamentando sem nenhuma esperança! Em Marcos 9:46, Jesus Cristo fala sobre o inferno: "Onde SEU VERME não morre, e o FOGO nunca se apaga." Jesus disse explicitamente — SEU verme — não um verme, ou o verme — mas SEU verme. A Bíblia ensina que os cristãos vão um dia ter um corpo como o de Cristo. Pode ser, como alguns estudantes da Bíblia ensinam - que os homens e mulheres no inferno assumem a forma de seu pai, Satanás (João 8:44)? Em Apocalipse 12:3, Satanás é descrito como um dragão vermelho. Jesus Cristo poderia estar se referindo ao corpo que os homens e mulheres perdidos terão para eternidade? A crosta da terra tem normalmente 50 milhas (80 Km) de espessura. Você teria que descer 50 milhas até a extremidade do fogo. Mas em partes do fundo do oceano, a crosta da terra tem menos que uma milha (1,6 Km) de espessura. ...
E Jesus Cristo disse, "Onde SEU VERME não morre, e o fogo nunca se apaga." Apocalipse 14:10 diz, " . . . e será atormentado com fogo e ENXOFRE . . ." e Jó 18 descreve o " . . . LUGAR do que não conhece a Deus" (vs 21), no versículo 15 como, " . . .espalhar-se-á ENXOFRE sobre a sua habitação." . Você sabe onde o enxofre é encontrado? NO INTERIOR DA TERRA! De acordo com o livro Volcanoes por Pierre Kohler (pág. 43), quando Mt. Sta. Helena explodiu em 1980-foram lançadas 150.000 toneladas de gás sulfuroso (gás de enxofre)! Jó é o livro mais velho da Bíblia, escrito há mais de 3.000 anos, e Jó já sabia o que a ciência não conheceria por anos— no interior da terra está o ENXOFRE! ...
LEIA O SEGUINTE! ". . . que cavem até o inferno . . ." Amós 9:2 O artigo seguinte apareceu num jornal da Finlândia bem respeitado, Ammenusastia:

...

O INFERNO É UM LUGAR DE TORMENTOS Jesus diz do homem em Lucas 16: 23 "E no inferno ergueu os olhos, estando em TORMENTOS. . . " 24 ". . . porque estou ATORMENTADO nesta CHAMA." 28 ". . .LUGAR DE TORMENTOS." É humanamente impossível compreender a descrição da Bíblia sobre o inferno. Nada na terra se pode comparar. Nenhum pesadelo poderia produzir um terror para comparar ao do inferno. Nenhum filme de horror poderia ser tão assustador. Nenhuma cena de crime com sangue e tudo poderia iniciar uma comparação com o horror desse lugar.

Você verá o INFERNO. . . Você sentirá o cheiro do INFERNO. . . Você respirará o INFERNO. . . Você ouvirá o INFERNO . . . Você sentirá o INFERNO. . .

Você estará diante de algo além de qualquer coisa humanamente imaginável! A Bíblia descreve como prantos (Mateus 8:12), lamento (Mateus 13:42), ranger de dentes (Mateus 13:50), trevas (Mateus 25:30), chamas (Lucas 16:24), queimando (Isaías 33:14), tormentos (Lucas 16:23), castigo perpétuo! Jesus Cristo diz em Mateus 25:41, "Apartai-vos de mim, malditos, PARA O FOGO ETERNO, preparado para o diabo e seus anjos". Em Mateus 13:42, diz Jesus: " E os lançará na FORNALHA DE FOGO: ali haverá pranto e ranger de dentes ". O INFERNO É PARA SEMPRE! Todos que entrarem no inferno — abandonem qualquer esperança! O horror do inferno - durante até mesmo um segundo é insuportável - mas será para SEMPRE!
Jesus diz em Mateus 25:41: ". . . Apartai-vos de mim, malditos, para o FOGO ETERNO, . . ." Apocalipse 14:11: "E a fumaça do seu TORMENTO sobe PARA TODO O SEMPRE: e não têm REPOUSO, NEM DE DIA NEM DE NOITE...." Qual poderia ser possivelmente o preço da eternidade no inferno? Não foi a toa que Jesus Cristo advertiu tanto sobre inferno! Não foi em vão que Jesus disse em Marcos 8:36, "Pois que aproveitaria ao homem ganhar todo o mundo e PERDER A SUA ALMA?" Jesus Cristo levou o inferno muito a sério. . . Jesus Cristo diz em Marcos 9:43-47,

43 E, se a tua mão te escandalizar, corta-a: melhor é para ti entrares na vida aleijado do que, tendo duas mãos, ires para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45 E, se o teu pé te escandalizar, corta-o: melhor é para ti entrares coxo na vida do que, tendo dois pés, seres lançado no inferno, no fogo que nunca se apaga. 47 E se o teu olho te escandalizar, lança-o fora: melhor é para ti entrares no reino de Deus com um só olho do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.

Jesus Cristo levou o inferno tão a sério : Ele poderia dizer sem hesitar - remova seu olho, corte sua mão ou pés, se isto o mantivesse fora do inferno! Se o inferno não é real, Jesus Cristo foi o homem mais enganador que já existiu! Eu desafiarei qualquer um para ler as palavras de Jesus Cristo e me falar que são palavras de um homem enganador! Jesus Cristo sabia exatamente sobre o que Ele estava falando! Como Jesus descreveu o inferno? Jesus Cristo falou mais em inferno que qualquer outro assunto. Então veja como Jesus descreveu o inferno:

"fogo" Mateus 7:19, 13:40, 25:41 "fogo perpétuo" Mateus 18:8, 25:41 "eterno juízo" Marcos 3:29 "fogo do inferno" Mateus 5:22, 18:9, Marcos 9:47 "juízo" Mateus 23:14, Marcos 12:40, Lucas 20:47
"condenação do inferno" Mateus 23:33
"ressurreição da condenação" João 5:29 "fornalha de fogo" Mateus 13:42, 50 "o fogo que nunca se apaga" Marcos 9:43, 45 "o fogo nunca se apaga" Marcos 9:44, 46, 48 "onde o seu verme nunca morre" Marcos 9:44, 46, 48 "pranto e ranger de dentes" Mateus 13:42, 50 "pranto e ranger de dentes" Mateus 8:12, 22:13, 25:30 "tormentos" Lucas 16:23 "atormentado nessa chama" Lucas 16:24 "lugar de tormentos" Lucas 16:28 "trevas exteriores" Mateus 8:12, 22:13 "tormento eterno" Mateus 25:46

 

São desvios como o do professor Ricardo Leite que, em poucas décadas, poderão levar os batistas regulares à aceitação da negação do inferno ou ao enfraquecimento dos seus sofrimentos ou a se desenfatizar a pregação do mesmo.
Eu passei ter Leite em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita o seminário do Crato e o de Natal.
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

1João 5:7-8 é falso? Há partes da Bíblia de que alguém pode duvidar? Todas as Bíblias?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em cerca de 1994/1995, Gildo Cavalcanti e eu ainda éramos membros da Igreja Batista Fundamentalista de Campina Grande, quando ela ainda era, para toda Paraíba, um farol da luz realmente batista e realmente fundamentalista. Gildo, depois de ter feito o primeiro ano no Instituto Bíblico Palavra da Vida (próximo de Recife), chocou-se por lá ter tido, como professor do livro de Atos, um pastor da Assembleia de Deus, ativo propagador da doutrina Pentecostal. Gildo pediu meu conselho e eu recomendei que ele passasse a estudar no Seminário Batista [Regular] do Cariri (em Crato). No ano seguinte, ele me confessou que alguns (vários) professores do SBC empenhavam-se em pôr dúvidas nas mentes do alunos a respeito da inspiração de vários versos da Bíblia (principalmente da ARC e da ACF, baseadas no TR, mas, também, de todas as bíblias). Em particular, o professor Jenuan Lira (hoje pastor da Igreja Bíblica Batista do Planalto, em Fortaleza, e diretor do SIBIMA - Seminário e Instituto Bíblico Maranata, também em Fortaleza) ensinou que jamais se devia usar 1João 5:7 para se provar a Trindade a um Testemunha de Jeová, por exemplo, pois tal verso era uma adição feita aos originais da Palavra de Deus. Fiquei muito chocado com tal ensino, e muito angustiado pelo fato que eu tinha aconselhado um membro da minha igreja a ir para um seminário onde ele, descobri então, corria o risco de ter entrado crendo na total inspiração de cada palavra da Bíblia eterna, do TR, e sair duvidando de muitíssimas de todas as Bíblias.
Jenuan esqueceu do fato de que Deus prometeu preservar de forma absolutamente perfeita cada palavra da Bíblia. Ver artigos (primeiramente os negritados) em http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/index.htm#PerfPreserv . Por exemplo:

Bíblia - Preservação Perfeita Ou Restauracão Insegura? - Hélio
Resposta: Evidências de que é o TR e não o TC que é a Pura Palavra de Deus - Hélio
Só o TR é a Pura Palavra de Deus -- Hélio. Livro pequeno, mas informativo. Introdutório, mas também é proveitoso para pastores e professores.
Observações sobre a Autenticidade de 1João 5:7 - Dabney Qual Bíblia? - 1João 5:7-8: O Parêntese Joanino -- Fuller. Prova autenticidade de -- no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo...são um...

São desvios como esse do Pr. Jenuan que, em poucas décadas, poderão levar os batistas regulares à aceitação de negações da inspiração e preservação da Bíblia, e à aceitação de bíblias tais como NVI e BLH e Jerusalém (farinha do mesmo saco da bíblia dos Testemunhas de Jeová e dos papistas), cada vez com mais notas e comentários pondo em dúvidas mais palavras de Deus.
Eu passei a ter Jenuan em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita o seminário do Crato e de Fortaleza.

 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Fidelidade à Corporação e Denominação, de Alguns Batistas Regulares, é Maior que a Deus?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em 1995/1996, logo após o caso envolvendo Gildo Cavalcanti (aluno) e Jenuan Lira (professor), acima relatado, depois disso, eu, muito aflito, através de muitos e-mails e alguns telefonemas, procurei entrar em contato e cobrar um posicionamento do Seminário Batista [Regular] do Cariri (em Crato). Eu esperava que ele repreendesse o professor e exigisse sua retratação, ou mesmo o expulsasse. Para minha surpresa, o diretor, professor James Leonard (também conhecido como Jaime Leonardo), adotou uma posição corporativista, de defesa intransigente da denominação e do seminário, e totalmente apoiou Jenuan e os outros professores que se esforçavam para solapar uma fé total em cada uma e todas as palavras da Bíblia eterna, do TR (e mesmo em todas as bíblias), e ficou com raiva de eu ter sabido dos fatos e estar publicamente reclamando contra eles.
James esqueceu do fato de que Deus prometeu preservar de forma absolutamente perfeita cada palavra da Bíblia. Ver artigos (primeiramente os negritados) em http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/index.htm#PerfPreserv . Por exemplo:

Bíblia - Preservação Perfeita Ou Restauracão Insegura? - Hélio
Resposta: Evidências de que é o TR e não o TC que é a Pura Palavra de Deus - Hélio
Só o TR é a Pura Palavra de Deus -- Hélio. Livro pequeno, mas informativo. Introdutório, mas também é proveitoso para pastores e professores.
Observações sobre a Autenticidade de 1João 5:7 - Dabney Qual Bíblia? - 1João 5:7-8: O Parêntese Joanino -- Fuller. Prova autenticidade de -- no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo...são um...

São desvios como esse do Pr. Jenuan que, em poucas décadas, poderão levar os batistas regulares à aceitação de negações da inspiração e preservação da Bíblia, e à aceitação de bíblias tais como NVI e BLH e Jerusalém (farinha do mesmo saco da bíblia dos Testemunhas de Jeová e dos papistas), cada vez com mais notas e comentários pondo em dúvidas mais palavras de Deus.

Eu passei a ter James em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita o seminário do Crato.
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Pastor Batista Regular Acha que há Carne na Igreja Universal do Reino de Deus?
E Acha que Apocalipse Deve Ser Todo Alegorizado?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
PRIMEIRO: Em cerca de 1994 eu visitei um culto de oração, numa quarta-feira à noite, na Igreja Batista Regular de Bancários, em João Pessoa, e seu pastor, Waldir Gomes, oriundo do Seminário Batista [Regular] do Cariri (em Crato), no fim do sermão, foi perguntado por uma senhora se ele via algum perigo nela passar o dia ouvindo a rádio local da Igreja Universal do Reino de Deus. Ele respondeu com uma pergunta "A senhora come peixe?" Ela respondeu "Sim". Ele perguntou de novo "E a senhora deglute as espinhas do peixe juntamente com sua carne?" Ela respondeu "Não, claro! Eu como a carne e cuspo as espinhas fora". Ele finalizou "Do mesmo modo, a senhora pode, sim, ouvir a rádio à vontade, basta que saiba aproveitar a carne e cuspir fora as espinhas".
Mas que carne há nas pregações da IURD????
São desvios como esse do Pr. Waldir que, em poucas décadas, poderão levar os batistas regulares à aceitação de cooperação com grupos de doutrinas não batistas fundamentalistas, cooperação interdenominacional, ecumenismo. Ver artigo Associação Geral de Igrejas Batistas Regulares (GARBC) - De Separação para Inclusivismo : http://solascriptura-tt.org/SeparacaoEclesiastFundament/GARBC-DeSeparatPInclusiv-BDiscMin.htm .
Eu passei a ter Waldir em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita o seminário do Crato.
SEGUNDO: Em cerca de 1997 eu visitei a Escola Dominical da mesma Igreja Batista Regular de Bancários, em João Pessoa, e o mesmo pastor, Waldir Gomes, pregando sobre Apoc. 7:1-12 e 14:1-5, fez as seguintes perguntas retóricas e imediatamente deu, ele mesmo, as seguintes respostas (estou falando resumidamente, de memória e não verbatim, isto não é uma citação ipsis litteris; mas é fiel e verdadeira):

"Vocês acham que o número dos assinalados é de apenas 144.000? Não, como poderia ser tão pouco? Este é um número simbólico, na realidade será muito, muito maior. Vocês acham que serão apenas 12.000 de cada tribo de Israel? Não, como poderia ser tão pouco? Este é um número simbólico, na realidade será muito maior. Vocês acham que os assinalados serão somente das 12 tribos de Israel? Não, por que só das 12 tribos de Israel? Tudo isto é simbólico, haverá milhões de assinalados, de todos os povos da terra. Vocês acham que apenas homens, seres humanos do sexo masculino, serão assinalados? Não, que coisa mais ridícula! Tudo isto é simbólico, claro que serão assinalados adultos e jovens e crianças, de ambos os sexos. Vocês acham que somente virgens serão assinalados? Não, claro que não. Virgens, aqui, apenas significa castos, puros; e os casados que vivem em fidelidade aos seus cônjuges são castos e, por isso, serão assinalados."

A essa altura, uma senhora já idosa ergueu a voz e disse que, tendo mais anos como crente do que o pastor tinha de vida, já tinha ouvido e lido muitas mensagens sobre este tópico, mas nunca tinha ouvido tanta coisa tão discrepante com a Bíblia. A seguir, ela começou a contestá-lo item por item, mais ou menos assim: "Pastor, em que versículo da Bíblia, repito, da Bíblia, o senhor se baseia para dizer que 144.000 não significam 144.000?" Ele gaguejou e não soube o que responder a nenhuma das 4 ou 5 contestações que a senhora fez (sempre frisando que só ela só aceitaria resposta que viesse da Bíblia). Ao final, ele pediu desculpas por não saber responder as contestações, mas assegurou que passaria a semana estudando seus livros e daria todas as respostas na semana seguinte.
São desvios como esse do Pr. Waldir que, em poucas décadas, poderão levar os batistas regulares à aceitação de toda espécie de tolas, loucas interpretações não literais, mas meramente alegóricas.

 

Eu passei a ter Waldir em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita o seminário do Crato.
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

" 'Milagre' ao Cruzar a Linha do Equador"ou "O Missionário Americano Publicamente Desconcertado Com as Diferenças TR vs. TC em Atos 9:5-6"

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Tudo ocorreu cerca de 1995/1996, quando eu acabava de ter me mudado de Campina Grande para João Pessoa, e estava visitando várias igrejas batistas regulares que alegavam ser fundamentalistas. Eu procurava selecionar aquela que realmente fosse o que alegava ser. Neste processo, eu estava visitando uma igreja em formação que tinha um pastor-missionário superintendente, americano, que só usava a KJV e a ACF, e tinha um pastor-missionário auxiliar, americano, SSSS {*}, que era extremamente amoroso e sincero, mas que havia sido enganado pelos seus colegas de missão, que lhe disseram que a Bíblia em Português que melhor correspondia à King James Bible (KJB) era a Almeida Revista e Atualizada (ARA). Ambos os missionários eram da BBM (Baptist Mid Missions). Naquela semana, o pastor-missionário superintendente estava ausente, e o pastor-missionário auxiliar,  SSSS tinha usado a sua amada KJB para preparar um sermão textual baseado numa explanação, quase palavra por palavra, de Atos 9:5-6.
Na KJV temos:
"
5 And he said, Who art thou, Lord? And the Lord said, I am Jesus whom thou persecutest: it is hard for thee to kick against the pricks. 6 And he trembling and astonished said, Lord, what wilt thou have me to do? And the Lord said unto him, Arise, and go into the city, and it shall be told thee what thou must do." (Ac 9:5-6 KJV)

e na Almeida Corrigida Fiel (ACF), a Bíblia em português que, na verdade, melhor se equipara à KJV, temos:
5  E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões. 6  E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer. (ACF)
Na hora da pregação, SSSS começou a ler usando a ARA, que é assim:
“5 Ele perguntou: Quem és tu, Senhor? E a resposta foi: Eu sou Jesus, a quem tu persegues; 6 mas levanta-te e entra na cidade, onde te dirão o que te convém fazer.” (At 9:5-6 ARA)
Note que a ARA, refletindo o Texto Crítico, OMITE as palavras colocadas em negrito, lá em cima:
Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões. E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça?
Ah, irmãos, aquele esforçado missionário começou a tentar desenvolver os 4 ou 5 pontos em que dividiu seu sermão textual, mas quando chegou ao ponto em que ele iria ensinar que
      a) é duríssima coisa para nós recalcitrarmos contra os aguilhões, as correções enviadas por Deus;
      b) a salvação e a vida do crente consistem em tomarmos Jesus como o nosso S E N H O R, como o total e o único dono e controlador de nossa vida
então SSSS parou por alguns longos segundos, nervosamente conferindo repetidas vezes seu esboço e a ARA, vezes e vezes. Ele começou a suar, balbuciar, ficar vermelho, cada vez mais vermelho e sem saber o quer fazer, gaguejou uma desculpa inaudível. Depois disso, ele apanhou no banco a sua KJV e ficou comparando-a com a ARA, cada vez mais nervoso e vermelho. Depois, pediu a Bíblia de uma pessoa do banco da frente, que tinha a mesma omissão, e o missionário continuou atônito. A seguir, foi pedindo outras traduções da Bíblia, e o problema se agravou. O maior mal-estar tomou conta da igreja que não estava entendendo nada, e estava mesmo temendo por algum súbito e grave problema de saúde do missionário. Finalmente, eu, que estava entendendo o problema desde o início, o mais discretamente que pude emprestei minha Bíblia ACF ao missionário, e ele, aos poucos, foi se recompondo e pode continuar e completar seu bom sermão.
Ao final de tudo, SSSS me chamou ao seu escritório e perguntou como podia haver tamanho erro na Bíblia que seus colegas lhe tinham recomendado. Eu lhe expliquei o melhor que pude, e lhe emprestei alguns bons livros sobre o assunto.
Pouco tempo depois, SSSS, apesar de jovem, teve realmente um problema de coração e teve que voltar para os USA, para sempre. Não sei se ele aprendeu mesmo que há ***A*** Bíblia pura e perfeita (o Textus Receptus e todas as suas fiéis traduções), e há as muitas "quase-Bíblias". Não sei se ele realmente aprendeu a lição e se evitaria ser enganado, se pudesse voltar ao Brasil.
Eu oro que os colegas daquele missionário aprendam a ter mais discernimento e coerência. Digo isso porque, no país de origem deles (pelo menos até aquela data de 1994/1995), antes de serem pela primeira vez aceitos pela BBM (Baptist Mid Missions) e pelas igrejas que os sustentam, e a cada 4 anos, tais missionários assumem um solene compromisso (acho que este compromisso ainda continua sendo feito através de assinatura de um papel, um documento formal), compromisso formal de que [ao menos em nome de não causarem problemas para a BBM]:
      a) nos seus países de origem, somente usarão a KJV em qualquer situação em que preguem a 1 (uma) ou mais pessoas;
      b) no campo missionário (Brasil, África, etc.) somente usarão Bíblias perfeitamente equivalentes à KJV, ou o mais próximo disso.
Mas, tão logo saem de seus países de origem e cruzam a linha do equador, um mau "milagre" acontece: eles esquecem de todas as suas aparentes convicções, e começam a agir de forma totalmente traidora, incoerente, e indigna de um homem de bem: aqui no Brasil, por exemplo, já vi ou tenho sabido de muitos deles fazerem (ou permitirem seus professores prepostos fazerem) constante campanha de calúnias e combate contra o Textus Receptus, ensinarem (ou permitirem seus professores prepostos ensinarem) seus alunos a preferirem o Texto Crítico, adotarem este TC nos seus seminários, induzirem seus alunos a preferirem a ARA (e, mais recentemente, pasmem, até mesmo a NVI e a BLH!!!) e a rejeitarem e perseguirem todos que tenham convicções e tutano, e que lhes digam: "vocês continuem a fazer o que quiserem, mas eu, eu, só considero como Bíblia aquela que tiver sido fielmente traduzida a partir do TR".
Nunca conseguirei entender como é que eles me aceitariam se eu lhes dissesse "Concordo com vocês: o TC e o TR, a ARA e a ACF, são menos que perfeitos e, portanto, tanto faz adotarmos uma Bíblia como qualquer outra", mas se ofendem terrivelmente e me odeiam porque digo "Concordo com vocês quanto ao TC e a ARA conterem corrupções, mas creio que o TR é perfeito, e, por isso, creio que só devemos usar Bíblias,  tais como a ACF, fielmente traduzidas do TR)". Nunca conseguirei entender como é que eles se ofendem se eu concordar com eles que TC e ARA são imperfeitas, mas eu não pensar o mesmo do TR e da ACF. Em que isto os ofende? Afinal, eles concordam que que TC e ARA são imperfeitos. Porque minha fé no TR e suas Bíblias, como perfeitos, os ofende????
Pior ainda, não consigo entender o mau "milagre" que acontece quando eles cruzam a linha do equador. Não sei que nome dar a esse "milagre". Hesito entre fraqueza de caráter, inconsistência, incoerência, má-fé, traição, embuste, mau-caratismo, hipocrisia, iludir os sustentadores, ... Fico estupefato com este "milagre", será que você pode me ajudar a achar um nome mais ameno, porém preciso descritor do caráter do mesmo?

 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: {*} Sei que eu devia dar os nomes completos de todas as igrejas, seminários, missões, outras organizações, etc., e os nomes completos de todas as pessoas denunciadas. Mas sou tão entranhavelmente afeiçoado e devedor de favor e de amor a muitos dos denunciados, achegados amigos pessoais meus e da minha esposa e filhos, durante muitos anos, que me dói muito o coração para citar todos os nomes dos denunciados (com provas incontornáveis), e eu começo a entender porque Davi foi tão fraco e não quis fazer justiça e mandar apedrejar seu filho Absalão, etc. Por favor perdoem-me a fraqueza de esconder muitos dos nomes e endereços. Espero que somente SSSS, lendo, entenda (e, finalmente, se arrependa e volte à fé e prática ideais que encontramos na Bíblia).

 

Título (deve ser bastante informativo, bem resumir o conteúdo): XXXX

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em 1996 ou 1998 ocorreu em Fortaleza a fundação da UBF (União Bíblica Fundamentalista), visando unir em comunhão (mas não em hierarquia), em âmbito nacional, pastores e líderes (não igrejas, mas sim seus pastores e líderes, como indivíduos) verdadeiramente fundamentalistas, a nata de entre os Batistas Regulares, Batistas Bíblicos e Batistas Independentes, também com alguns pastores e líderes dos Bíblicos, dos Bíblicos Batistas, e dos Cristãos Evangélicos (todos praticando submersão). A idéia parecia tolerável. Eu fui convidado e fui à reunião de fundação. Fui, em parte, para distribuir folhetos e livros defendendo o verdadeiro fundamentalismo separatista e a Bíblia só do TR, o que só pude fazer com a ajuda dos pastores Emídio Viana, Aureliano Colaço, e Albert Johnson, além de outros crentes (não fossem eles, acho que eu teria sido impedido e expulso). Fui também, em parte, na tentativa de convencer o grupo a pelo menos dar espaço, nas futuras reuniões, para um sadio debate sobre a questão das versões. Hoje, às vezes quero me arrepender de ter sido tão ingênuo quanto pensar que 80 pastores alexandrinos dariam esse espaço a 4 ou 5 defensores do TR e das suas Bíblias. Mas repouso no consolo de que fizemos nossa parte, e que os que sempre e por todos os meios proíbem este debate, proíbem que suas ovelhas e alunos ouçam certas verdades, eles é que responderão a Deus por isso.
Bem, em virtude do não comparecimento de alguém, e por indicação dos pastores Emídio Viana, Aureliano Colaço, e Albert Johnson, terminei sendo designado para uma pequena comissão encarregada de revisar a proposta dos Estatutos e dos Artigos de Fé. Estes artigos estavam bons em vários aspectos, inclusive a condenação a palmas e dancejos e ritmos sincopados, mas tinha 4 falhas: uma na área de Angelologia, outra na ausência de menção da necessidade de derramamento do SANGUE de Cristo para que pudéssemos ser salvos, outra não me lembro, e a última, que quero aqui destacar, na área de Bibliologia: somente era dito que críamos que, nos manuscritos ORIGINAIS [somente neles!], a Bíblia eram perfeitamente inspirada por Deus, de forma plenária, verbal, infalível, e inerrável. Nada era falado sobre providencial e perfeita preservação. Nada era falado sobre os manuscritos e textos e traduções dos dias atuais, alguns perfeitos e outros abomináveis. Eu fiz ver, na pequena comissão, mesmo sem entrar na questão das versões, que era impossível  uma pessoa ser um crente fundamentalista e crer somente numa inspiração nos originais, ela devia crer que Deus também cumpriu Sua promessa de PRESERVAR Sua Palavra de forma absolutamente perfeita. (Ver os artigos negritados em http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/). (Tínhamos a esperança de que o assunto da versões poderia ser debatido nos próximos anos, e que a verdade da posição só TR brotaria no coração de muitos, uma vez informados.)
Quando a proposta original para os Artigos de Fé foram levadas para serem discutidas e votadas no plenário da assembleia, juntamente com as quatro emendas sugeridas pela comissão, sucedeu que Mark Willson, missionário da BMM (Baptist Mid Missions)e professor do Seminário Batista [Regular] do Cariri (em Crato), levantou-se em brados, completamente transtornado, gritando que não poderia aceitar a proposta de que Deus preservou Sua Palavra de forma perfeita e num texto específico, porque isso seria uma ponte, abriria a porta para alguém, no futuro, começar a querer pensar e defender que uma família de Bíblias era melhor que outra, uma vez que a primeira vinha de uma família de manuscritos representada por um texto impresso que é perfeito, e a outra de um texto imperfeito. O presidente da assembleia, José Laerton, o maior idealizador da UBF e pastor da IBR Emanuel, em Fortaleza, tentou por alguns 2 minutos conter Mark Willson, mas este cada vez mais elevava sua voz, até que Laerton também ergueu um pouquinho sua voz e pôs fim ao destempero de Willson, dizendo-lhe mais ou menos isso "Comporte-se, irmão! Como é possível que você não esteja percebendo o absurdo que você está defendendo? Pense, irmão! Se uma pessoa crê que Deus perdeu a batalha e não pode preservar Sua Palavra, ele de modo nenhum é fundamentalista, talvez nem mesmo creia em todas as promessas de Deus na Bíblia. O mínimo que se espera de um fundamentalista é que creia que Deus perfeitamente inspirou **E** perfeitamente PRESERVOU Sua Palavra. Como e onde (em que manuscritos e texto) Ele fez isto, pode ficar para um segundo momento, mas um fundamentalista de fato tem que pelo menos crer na perfeita inspiração e preservação da Bíblia. Se só podemos ter em nossas mãos uma Bíblia falsificada e imperfeita, então não temos nada por que lutar, acabemos este assembleia, desistamos de tudo, e vamos para nossas casas.". Willson teve que sentar-se, a contragosto, resmungando um pouco. Depois, em votação, a emenda sobre Bibliologia proposta pela comissão foi aprovada, embora com alguns votos contra (inclusive o de Willson e de outros professores, alunos, e ex alunos do seminário de Crato).
Eu passei a ter Mark Willson em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita o seminário do Crato, ainda mais porque o seu Presidente e outros professores e alunos estavam presentes, e não tomaram nenhuma disciplinativa contra Willson, muito pelo contrário ...
Também passei ter a UBF (e seus diretores passados) em insuficiente conta, pelo fato de nunca (pelo menos até 2004, quando perdi toda esperança com a UBF e dela terminei de me afastar) terem incluído nos Artigos de Fé a emenda de Bibliologia que foi votada e aprovada, e até mesmo dizerem que não se lembram de nada disso ter ocorrido e de ter sido aprovado! Não são loucos, mas se fazem de loucos e esquecidos?

 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

TUDO é aceitável, menos se crer que Deus preservou e temos em nossas mãos uma Bíblia perfeita???

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em outubro de 2007 Jonathan Reiner, missionário da BBM (Baptist Mid Missions) que plantou a Igreja Batista Regular de José Américo, em João Pessoa, e presidente da Associação Paraibana de Igrejas Batistas Regulares (APIBRE), convidou, para ser preletor da reunião anual de todos os casais das IBR's do estado, a David Cook, missionário ABWE em Recife, campo que todos os melhores batistas regulares sabem, já de muitos anos, que é um dos piores pela adoção de palmas, baterias, dancejos, filosofias da Igreja com Propósitos de Rick Warren, comunhão com pentecostais e metodistas e outras denominações liberais. Como pelo menos um dos pastores de João Pessoa reclamou de ter sido feito tal convite, então Jonathan Reiner o retirou. Depois, enviou a todos os pastores batistas regulares de João Pessoa uma carta tentando se desculpar pelo mau convite que fizera, e pedindo sugestões para um convite a ser estendido a um outro preletor. A carta foi lida na minha igreja. Num dos pontos, ela dizia (estou falando resumidamente, de memória e não verbatim, isto não é uma citação ipsis litteris; mas é fiel e verdadeira) que todos os pastores poderiam enviar sugestões de nomes de preletores, desde que o preletor sugerido não tivesse a posição de que Deus preservou somente um texto perfeito nas línguas originais, a posição de que há somente um texto perfeito, que há Bíblias melhores que outras, que há Bíblias que devem ser usadas e outras que não devem ser toleradas pela igreja.
Isto me soou surpreendente e chocante, pois que mal faz uma pessoa crer que Deus preservou um texto perfeito, e crer que há Bíblias que são melhores e outras que são piores? Por ventura não as há? Devemos pôr num mesmo nível as Bíblias derivadas da Almeida original de 1693/1753, as católicas, as dos Testemunhas de Jeová, a Linguagem de Hoje, a Feminista, a Unissex, a do Rap, etc.????
Que mal faz uma pessoa que diz "vocês continuem a fazer o que quiserem, mas eu, eu, só considero como Bíblia aquela que tiver sido fielmente traduzida a partir do TR"?
Nunca conseguirei entender como é que esses missionários e pastores defensores do texto alexandrino aceitariam qualquer preletor que dissesse, ao ser perguntado "Concordo com vocês: tanto o TC como o TR, e tanto a ARA como a ACF, são menos que perfeitos e, portanto, tanto faz adotarmos uma Bíblia como qualquer outra", mas se ofendem terrivelmente e se ele, perguntado, lhes disser "Concordo com vocês quanto ao TC e a ARA conterem corrupções, mas creio que o TR é perfeito, e, por isso, creio que só devemos usar Bíblias, tais como a ACF, fielmente traduzidas do TR)". Nunca conseguirei entender como é que eles se ofendem se um preletor concordar com eles que TC e ARA são imperfeitas, mas ele não pensar o mesmo do TR e da ACF. Em que isto os ofende? Afinal, eles concordam que TC e ARA são imperfeitos. Porque a  fé do preletor no TR e suas Bíblias, como perfeitos, os ofende????
Aquele parágrafo da carta me soou ainda mais surpreendente e chocante, porque foi a única restrição feita. Quer dizer que que Reiner e a APIBRE e etc. aceitariam antes um preletor batista regular divorciado e casado com nova esposa? Ou que creia e pratique união com os pentecostais e liberais? Ou que tenha diaconisas em sua igreja? Ou que adote a filosofia de G12? Igrejas em células? Igreja com propósitos? Que enorme, cego absurdo!
TUDO é aceitável menos se crer que Deus deixou uma só Bíblia perfeita, a preservou continuamente em uso, e que temos em nossas mãos uma Bíblia perfeita, e que ela é a mesma que foi usada desde nossos antepassados Valdenses, Anabatistas, etc., depois por Tyndale, por Roger Williams, John Clarke, Gill, Spurgeon, Strong, Caroll, J. Frank Norris, “Fighting” Bob Shuler, Bob Jones (Senior), Harvey Springer, Noel Smith, Benjamin Franklin Dearmore, James Dearmore, William Aberhart, William A. Ross, Edward Guy McLain, Carl Matthews, Albert Johnson, Willard Stull, etc. ?

Eu passei a ter Jonathan Reiner em insuficiente conta. 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

MISSIONÁRIOS QUE SE ESFORÇAM PARA  TIRAR A FÉ DE SUAS OVELHAS?

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Em 1995 eu me mudei de Campina Grande para João Pessoa, e comecei a visitar várias igrejas batistas regulares que alegavam ser fundamentalistas, procurando eu selecionar aquela que realmente fosse o que alegava ser. Neste processo, eu estava visitando e quase me fixando numa igreja batista regular em formação, a qual tinha um pastor-missionário superintendente WWWW {*}, americano, ligado à BBM (Baptist Mid Missions) e que só usava a KJV e a ACF (embora, como veremos, sem ideais convicções).
Durante 1996 e 1997 eu comecei a descobrir que a maioria dos ATUAIS missionários e pastores e igrejas e seminários batistas regulares está adotando o Credo da Seita Alexandrina (vide http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/CredoDaSeitaAlexandrina-Ruckman.htm). Eu fui forçado a discordar publicamente deles, nos casos do seminarista Gildo Cavalcanti, do professor Jenuan Lima, do missionário Mark Willson, da UBF, e do conteúdo de algumas aulas no Instituto Bíblico da I.B.R. do Cristo Redentor. Por causa disso, acho que houve grandes pressões (da paarate da BBM, do Seminário Batista [Regular] do Cariri em Crato, dos pastores locais, talvez da associação nacional de IBR´s, etc.) sobre WWWW, de modo que ...
Em abril de 1998, o missionário WWWW me convidou para ir à sua casa à noite, sozinho. Lá chegando em torno de 20:00h, me surpreendi ao ser convidado à sala de estar, onde, numa mesa de centro, havia vários livros em português e ainda mais em inglês, com passagens e passagens sublinhadas e marcadas, todos os livros previamente abertos em certos locais e com muitos marcadores dentro deles. Então, durante horas, aquele missionário se empenhou com todo seu esforço para tentar me provar que todas as Bíblias, particularmente a que ele dizia tanto amar, a King James Bible, tinham erros, portanto eu devia abandonar meu radicalismo de considerar que Deus preservou um (e um só) texto de forma perfeita, que ele foi traduzido de forma perfeita, e que devemos desprezar todas as Bíblias que dela diferem substancialmente. Durantes 3 ou 4 intermináveis horas (saí de lá muito tarde, talvez mais de meia-noite), WWWW tentou me esmagar mostrando dezenas de casos previamente preparados e  que lhe pareciam irresistível prova de erros na KJB. Pela graça de Deus, Ele me deu o poder de, mesmo sem eu ter sido previamente avisado e me preparado para aquilo, demolir uma a uma todas as acusações, o que foi surpreendentemente fácil, bastando que, em cada caso, eu examinasse alguns versos antes e alguns versos depois do verso em  questão, e refletisse bem a fundo no significado preciso das palavras, num ou noutro caso pedindo um dicionário. Finalmente, já em torno da meia-noite, ele me apresentou a aparentemente irrespondível suposta contradição entre as idades de Acazias em 2Reis 8:26 e 2Crônicas 22:8. Foi a única que eu não soube responder de imediato, e, já estando todos nós esgotados fisicamente, eu pedi para estudar o assunto até o fim de semana. Graças a Deus, logo no dia seguinte achei uma resposta no livro "Things Hard to Be Understood", de David Cloud, e achei mais alguma coisa na Internet, de forma que escrevi a resposta contida em http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-InspiracApologetCriacionis/2Rs8_26Versus2Cr22-8-IdadeAcazias-Helio.htm. Entreguei-a a WWWW e ele nunca mais tocou no assunto.
Mas tudo isso me deixou profundamente desiludido, decepcionado, quase deprimido: quando eu voltava da casa de WWWW para a minha, e durante alguns dias, um pensamento triste, muito triste, me angustiava. Dizia-me eu "Que coisa sumamente deprimente! Antigamente as ovelhas iram às casas dos pastores para dissiparem suas dúvidas sobre possíveis erros e contradições da Bíblia, e seus pastores  amorosa e competentemente as tiravam todas, e as ovelhas voltavam às suas casas regozijando de volta à plena fé na infalibilidade e inerrabilidade da Bíblia adotada por seu pastor e sua igreja. Hoje, ocorreu o contrário: um pastor passou semanas estudando com toda sua energia maus livros, convidou uma ovelha que cria na total infalibilidade e inerrabilidade da Bíblia adotada por seu pastor e sua igreja, tudo isso com o propósito do pastor tirar da ovelha sua fé, fazê-lo duvidar de muitíssimas das palavras de Deus! Que triste! Que catástrofe! Que tragédia ocorreu hoje! Que devo eu fazer, ó meu Deus? Será que não há uma só igreja em que eu possa me congregar com toda alegria de espírito? Para onde irei eu?"

Eu passei a ter WWWW em insuficiente conta. Até prova em contrário, passei também a encarar com mais suspeita toda a atual BBM (Baptist Mid Missions).
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: {*} Sei que eu devia dar os nomes completos de todas as igrejas, seminários, missões, outras organizações, etc., e os nomes completos de todas as pessoas denunciadas. Mas sou tão entranhavelmente afeiçoado e devedor de favor e de amor ao pastor WWWW, achegado amigo pessoal meu e da minha esposa e filhos, durante muitos anos, que me dói muito o coração para citar seu nome completo, e eu começo a entender porque Davi foi tão fraco e não quis fazer justiça e mandar apedrejar seu filho Absalão, etc. Por favor perdoem-me a fraqueza de esconder seu nome. Espero que somente WWWW, lendo, entenda (e, finalmente, se arrependa e volte à fé e prática ideais que encontramos na Bíblia).

 

Eruditolatria levou muitos pastores batistas fundamentalistas a descambarem para a Seita Alexandrina

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

 

 

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

[Eruditolatria levou muitos pastores batistas fundamentalistas a descambarem para a Seita Alexandrina, ferrenhamente proibindo a luz ser lançada,
e perseguindo quem ainda crê na perfeita preservação da Bíblia
.

(título adicionado por Hélio)]


Caro irmão Hélio,
Infelizmente tenho que concordar em 100% com o senhor quando diz que muitas igreja batistas fundamentalistas (regulares, bíblicas, independentes e outras) usam as bíblias do texto crítico.
Aceitei o Senhor Jesus Cristo como meu Senhor e Salvador em Dez de 1993, tomei a decisão em uma igreja batista bíblica lá em Fortaleza-CE. Lembro muito bem que a versão utilizada era ARA e todas as igrejas irmãs do nosso movimento que eu visitei (não foram poucas) usavam a ARA e outras semelhantes.
Em 1996 fui morar em Porto Alegre-RS (fui fazer curso) e morei seis anos naquela cidade onde congregava numa igreja batista fundamental independente. O pastor usava a ACF, mas nunca questionou ou falou a respeito dos irmão que usavam outras bíblias, inclusive eu continuava a usar a ARA. Tínhamos comunhão com outras igrejas do movimento batista bíblico e em todas as igrejas que passei (repito não foram poucas) usavam a ARA.
Em 2001 me mudei para Manaus-AM onde moro atualmente e sou membro de uma igreja batista regular, onde até domingo passado usávamos a ARA como versão padrão, mas nesse último domingo graças a Deus vamos utilizar ACF.
Fui aluno do Seminário Batista Regular do Amazonas por dois anos e meio e a versão que eles adotam é ARA bem como todas as igrejas batistas regulares que conheço aqui em Manaus (não são poucas que conheço). Me lembro da época de seminarista de somente uma única irmã usando a ACF e mesmo assim era porque ela pertencia uma igreja batista bíblica fundada pelo pastor Jonh Hawkins (meu amigo e conselheiro), excelente pastor fundamentalista.
NUNCA NINGUÉM me falou do problema das versões baseadas no texto crítico, foi Deus mesmo que me mostrou o site http://SolaScriptura-TT.org em 2003 e através de horas de estudos (durante a madrugada) e oração o Espírito Santo abriu meus olhos me dando entendimento para compreender todo mal que os "eruditos" tem feito a palavra de Deus.
Até esse último domingo (18 Nov 07) nossa igreja utilizava a ARA como versão padrão, mas através de um estudo simples e honesto de comparações entre a ARA e ACF a igreja pode verifica que tinha em Manaus a palavra de Deus adulterada e roubada e decidimos adotar ACF.
Infelizmente já fui acusado por dois grandes amigos meus de pertencer à "seita dos adoradores do texto recptus" título injusto e preconceituoso. Mas fico feliz por sofrer por uma causa justa. O que me doeu mais foi o fato de um desse dois amigos meus ser um pastor fundamentalista.

No amor de Cristo
João Eduardo, 21.Nov.2007

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Título: Pastor B.Reg. ensina TODOS os textos gregos de hoje, e suas traduções, têm MUITÍSSIMOS erros e imperfeições.

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
Fiquei triste pelo fato e com pena de um meu irmão (4-14-12) que, de longe, me telefonou, ontem (14.6.2015), e me contou que há vários dias atrás, em sua região, tinha conhecido um pastor batista irregular (18- 2- 18) e este lhe disse e repetiu que foi ensinado e cria que não existe hoje nenhum texto grego que, nem de longe, seja o que foi originalmente escrito, portanto TODAS as Bíblias traduzidas são IMPERFEITAS aproximações e não representam com perfeição a Palavra de Deus, não há um padrão absoluto, todas as traduções estão na mesma categoria de nitidamente imperfeitas, ninguém pode acusar que uma tradução é pior que outra, nem que esta é melhor que aquela e deve ser preferida, etc.
Entristeci-me porque esta não é a herança que vi nas vidas e pregações de grandes homens de Deus como David Ottis Fuller e Albert Johnson, com que tive o prazer de conviver.
Lembrei-me de um artigo de Pr. Pedro Almeida "Oração do Pastor Batista Regular" http://www.baptistlink.com/creationists/oracaobatreg.htm  
Lembrei-me também de uma sátira escrita por Peter Ruckman "Credo da Seita Alexandrina" http://solascriptura-tt.org/Bibliologia-PreservacaoTT/CredoDaSeitaAlexandrina-Ruckman.htm (sátira genérica, não restrita aos batistas regulares).

Exortação final: vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais, ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: deve ter ocorrido dias ou semanas antes da denúncia em 14.6.2015.

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: 18- 2- 18

Denunciante: 4-14-12

Data da Denúncia: 14.6.2015, a Hélio, por telefone.

Observação: pelo menos o perpetrante teve a coragem de dizer com palavras muito claras o que muitos pensam mas escondem e não têm coragem de afirmar tão claramente.

 

Título (deve ser bastante informativo, bem resumir o conteúdo): XXXX

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Título (deve ser bastante informativo, bem resumir o conteúdo): XXXX

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Título (deve ser bastante informativo, bem resumir o conteúdo): XXXX

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Título (deve ser bastante informativo, bem resumir o conteúdo): XXXX

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 

Título (deve ser bastante informativo, bem resumir o conteúdo): XXXX

Preâmbulo: vide o "Preâmbulo Padrão", no topo da página. Ademais ...

Fato exposto (obedecendo rigorosamente as Regras padrão para aceitação dos fatos a serem expostos, no topo da página.):
 

Exortação final:  vide a "Exortação Final Padrão", no topo da página. Ademais ...

Assunto (mais detalhado que o Título): ...

Data do Fato: ...

Igreja/ Associação do Fato; Cidade e Estado: ...

Perpetrante do Fato: ...

Denunciante: ...

Data da Denúncia: ...

Observação: ...

 







Página organizada e mantida pelo irmão XXXXXXXXXXX, e-mail : XXXXX, membro da IBR XXXXX, na cidade de XXXX.

Todos os irmãos sinceros, de boa fé, e interessados na volta à pureza original do movimento Batista Regular, podem me escrever preenchendo exatamente o formulário abaixo:

FORMULÁRIO (a ser copiado e preenchido por quem quiser fazer fundamentada exposição de algo que envergonha as Igrejas Batistas Regulares originais, autênticas):



 

FAQ (Perguntas Freqüentemente Feitas):
PERGUNTA de AAAA:
Mas o Senhor é fundamentalista, como pode estar mostrando erros de fundamentalistas?!?!?!
RESPOSTA:
Eu nem gosto tanto do nome fundamentalista, acho que somente ser fundamentalista é insuficiente, temos que ser muito mais que isso.

PERGUNTA:

Eu não sei o valor das brigas entre fundamentalistas. Fogo amigo não funciona, fraciona.
RESPOSTA:
Só devemos ter uma lealdade: para com Deus, Sua palavra, a verdade. A amizade e lealdade a grupos e pessoas é temporária e condicional, depende e só vai até o ponto em que não prejudique minha lealdade maior, a Deus, Sua palavra, a verdade. Os PSEUDO-fundamentalistas têm que ser denunciados, sim.
Eu não vivo à caça de erros, Deus não me pôs na posição de “inspetor de qualidade de doutrina”, para passar 8 horas por dia com um microscópio, inspecionando escritos e palavras, vendo argueiros nos olhos dos outros e descuidando das traves nos meus olhos. Procuro ter uma vida a mais equilibrada frente a Deus, cuidando de minha família, da minha comunhão diária com Deus e meus irmãos da minha igreja local, procurando ganhar almas para cristo, etc.
Mas, mesmo eu não vivendo à caça de erros, se ele passa defronte de mim 1, 2, 5, 10 vezes, gritando "Eu e você estamos juntos, somos iguais, estamos no mesmo barco de doutrina e prática", então eu tenho a obrigação de dizer que “Não, não, NÃO! Eu só me identifico e só devo lealdade incondicional a Deus e Sua Palavra. Identifico-me com os Batistas Regulares originais e genuínos, você os envergonha. Bem, se você é sincero, se orgulhará de sua posição ser exposta publicamente. Se não é sincero, será edificante para todos você ser exposto publicamente. Portanto, numa hipótese ou na outra, o que você pensa e pratica ser exposto publicamente servirá aos interesses do meu Deus, e esconder a verdade não O serve, nem a ninguém honesto.”
Só isto.
OK?
Hélio
 





 

Página organizada e mantida pelo irmão XXXXXXXXXXX, e-mail : XXXXX, membro da IBR XXXXX, na cidade de XXXX.


 


  

Todas as citações bíblicas são da ACF (Almeida Corrigida Fiel, da SBTB). As ACF e ARC (ARC idealmente até 1894, no máximo até a edição IBB-1948, não a SBB-1995) são as únicas Bíblias impressas que o crente deve usar, pois são boas herdeiras da Bíblia da Reforma (Almeida 1681/1753), fielmente traduzida somente da Palavra de Deus infalivelmente preservada (e finalmente impressa, na Reforma, como o Textus Receptus).



Copie e distribua ampla mas gratuitamente, mantendo o nome do autor e pondo link para esta página de http://solascriptura-tt.org)




(retorne a http://solascriptura-tt.org/ SeparacaoEclesiastFundament/
retorne a http:// solascriptura-tt.org/ )